SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 109
Processo de
Desenvolvimento de produtos
Antônio Carlos Pacagnella Junior
E-mail: acpjr1@gmail.com
2
Projetos de desenvolvimento de produtos:
• Busca as especificações de projeto do produto e
do seu processo de produção
• Considera as necessidades de mercado, as
possibilidades tecnológicas e as estratégias da
empresa
• Prepara a manufatura, para iniciar a produção
• Acompanha o produto pós-lançamento (das
melhorias à descontinuidade)
3
Projetos de desenvolvimento no Brasil
• Em função da existência de competências específicas
no Brasil, as unidades locais de multinacionais podem
se responsabilizar por fases ou atividades de um
projeto ou mesmo por um projeto completo.
• Em algumas unidades de multinacionais no Brasil têm
havido redução das atividades de DP, mas em outras
têm havido aumento das atividades de DP.
4
Exemplos de empresas com desenvolvimento
local bem sucedidos:
• Aeronaves (EMBRAER)
• Compressores herméticos (Tecumseh e EMBRACO)
• Lavadoras de roupa (Multibrás)
• Carros e motores de baixa cilindrada (VW, GM,
Ford)
• Carros e motores a álcool (VW, GM, Ford)
• Caminhões e ônibus (VW)
5
Processo de Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento
Custo incorrido
Custo comprometido
Tempo
Produção
80 a
90
%
Custo
Margem
para
redução de
custos na
produção
Final da fase de projeto
conceitual
6
TIPOS DE PROJETOS DE DP
Considerando o grau de mudanças do projeto em
relação a projetos anteriores:
Projetos radicais (breakthrough)
Projetos plataforma ou próxima geração
Projetos incrementais ou derivados
Follow-source
P&D Avançado
Projetos no contexto do Processo de desenvolvimento de produtos
8
Situação anterior versus situação atual
9
Macro fases do Desenvolvimento de Produtos (PDP)
Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos
Gerenciamento de mudanças de engenharia
Processos
de apoio
Desenvolvimento
Projeto
Detalhado
Projeto
Conceitual
Projeto
Informacional
Lançamento
do Produto
Preparação
Produção
Planejamento
Projeto
Pós
Pré
Planejame
nto
Estratégic
o dos
Produtos
Descontin
uar
Produto
Acompanhar
Produto/
Processo
Gates >>
Processo de Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento Pós
Pré
Processo de Desenvolvimento de Produto
Objetivo. Envolve as atividades de definição dos projetos de
desenvolvimento a partir da Estratégia Competitiva da empresa. O final
do pré-desenvolvimento é a lista de projetos a ser desenvolvido e o
lugar.
Importância.
• Foco nos projetos prioritários segundo a estratégia da empresa no
curto, médio e longo prazos
• Uso eficiente dos recursos
• Início mais rápido e mais eficiente dos projetos
• Critérios claros para os projetos em andamento
Desenvolvimento Pós
Pré
Processo de Desenvolvimento de Produto
Descrição. Envolve as atividades de desenvolvimento dos
projetos definidos e aprovados na fase anterior. Nesta
macro-fase cada produto é gerenciado como um projeto.
Início:
• Minuta do projeto aprovada (TAP)
Fim:
• Todos os documentos de especificação do produto foram
preparados e aprovados.
Desenvolvimento Pós
Pré
Processo de Desenvolvimento de Produto
Definição. A macro-fase de desenvolvimento compreende a retirada
sistemática do produto do mercado e, finalmente, uma avaliação de
todo o ciclo de vida do produto, parar que as experiências contrapostas
ao que foi planejado anteriormente sirvam de referência a
desenvolvimento futuros.
Início:
• Produto Lançado
Fim:
• Produto Retirado do Mercado
Pós-desenvolvimento
anos
dias meses
Desenvolvimento
Pré-desenvolvimento
Acompanhar Produto/ Processo
• Realizar atualizações
• Propor melhorias
• Compilar lições aprendidas
Retirar produto do mercado
• Preparar retirada
•Implementar a retirada do produto
9
12
17
30
32
32
42
43
46
47
50
68
Média de produtos lançados por pessoa de desenvolvimento
Porcentagem de produtos / projetos aceitos / rejeitados
Faturamento sobre pessoal de desenvolvimento
Porcentagem de recursos / investimentos em sustenabilidade
Retorno de investimento das inovações
Vendas no primeiro ano resultantes de novos produtos
Quantidade de projetos de desenvolvimentos ativos
Crescimento de gastos em desenvolvimento de novos produtos
Quantidade de produtos lançados no ano
Porcentagem das vendas resultantes de novos produtos nos últimos 5 anos
Total de patentes registradas
Porcentagem dos gastos em desenvolvimentos sobre as vendas
Uso de indicadores de desempenho no DP em %
Regra de 70 a 110 da Embraer
Técnicas para avaliação do portfólio de projetos
1) Análise do valor comercial esperado
É a avaliação por meio de modelos de matemática
financeira considerando investimento, retorno e riscos.
Falha
Lançamento
Desenvolvimento
Falha
VP - Vendas
Psc (%)
Pst(%)
Sucesso
técnico ?
Sucesso
Comercial?
ECV = (VP x Psc – CL) x Pst - CD
Onde:
ECV = Valor econômico esperado;
VP = Valor presente das receitas;
Psc = Probabilidade de sucesso comercial;
Pst = Probabilidade de sucesso técnico;
CL = Custo de lançamento;
CD = Custo de desenvolvimento;
Ex:
Projetos de desenvolvimento de duas bicicletas:
Bicicleta A Bicicleta B
CD 85000 80000
CL 35000 27000
Pst 0,9 0,8
Psc 0,7 0,7
Vp 1000000 1000000
ECV 513500 458400
Projeto mais viável!
Técnicas para avaliação do portfólio de projetos
2) Gráfico de Bolhas
São gráficos que possuem três dimensões:
- Dois eixos e o diâmetro das bolhas.
- Podem ser usados quaisquer critérios técnicos para
realizar a avaliação.
Sintetizam de forma simples e clara a relação entre os
projetos da empresa.
Probabilidade de sucesso técnico
“Pão com manteiga”
P1
Valor
presente
das receitas
P2
P3
P4
Probabilidade de sucesso
comercial
“Elefantes brancos”
“Ostras”
“Pérolas”
3) Método do “Score”
Etapas:
- Encontre critérios comuns para avaliar todos os
projetos;
- Relacione um peso de 1 a 3 para cada critério (pouco
importante, importante ou muito importante);
- Dê notas para cada critério em cada projeto;
- Encontre a média ponderada.
Critérios Peso Projeto A Projeto B
Facilidade de
implementação
3 8 7
Nível de risco 3 5 3
Competências técnicas 2 8 4
Alinhamento com a
estratégia
1 2 8
Ineditismo 2 3 7
Média 12,6 12
Projeto mais viável!
EXEMPLO
Planejamento de projeto do novo produto
• Definir interessados do projeto
• Definir escopo do produto
• Definir escopo do projeto
• Detalhar o escopo do projeto
• Definir atividades e seqüência
• Preparar cronograma
• Avaliar riscos
• Preparar orçamento do projeto
Crescimento
Lançamento
Desenvolvimento Maturidade Declínio
Vendas
Lucro
Fluxo de caixa
Vendas
Tempo
Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos
Gerenciamento de mudanças de engenharia
Processos
de apoio
Desenvolvimento
Projeto
Detalhado
Projeto
Conceitual
Projeto
Informacional
Lançamento
do Produto
Preparação
Produção
Planejamento
Projeto
Pós
Pré
Planejame
nto
Estratégico
dos
Produtos
Descontin
uar
Produto
Acompanhar
Produto/
Processo
Gates >>
Processo de Desenvolvimento de Produto
Projeto informacional
Cliente satisfeito
Cliente insatisfeito
Desempenho
Excelente
Desempenho
Pobre
básico
excitação
O cliente não verbaliza, mas se
faltar ele ficará insatisfeito
(conhecido também como óbvio)
Quanto maior o
desempenho, maior a
satisfação
O cliente não
esperava, é
surpreendido.
Causam impacto.
Fontes para o levantamento de informações
1) Público – alvo;
2) Departamentos da empresa;
3) Experiência da equipe;
4) Internet;
5) Benchmarking / Engenharia reversa
Formas de coleta de informações
1) Survey ou levantamento;
2) Grupo focal;
3) Entrevistas;
4) Discussões em grupo;
5) Análise documental.
Análise das inter-relações: função x funcionamento x
constituição
Projeto informacional
Definição dos requisitos no PI
Atributos a serem considerados
• Ou desdobramento da função qualidade, permite traduzir as
necessidades do cliente em características que podem ser
incorporados ao bem / serviço
Conversão de requisitos em especificações de
projeto – A casa da qualidade
A CASA DA QUALIDADE
Necessidades do
consumidor
Importância
Requisitos de
engenharia
Avaliação técnica
Relação entre
requisitos
Avaliação dos
consumidores
A CASA DA QUALIDADE PASSO A
PASSO
1) Ouvir a “voz do consumidor”
Nesta etapa são levantadas as necessidades dos
consumidores, são obtidas tipicamente utilizando
entrevistas qualitativas com perguntas abertas
como:
a) Cite aspectos positivos e negativos do produto “X”
As características que mais aparecem são
colocadas na “voz do consumidor”
A CASA DA QUALIDADE PASSO A
PASSO
2) Grau de importância
O público alvo é novamente consultado, agora
em entrevista quantitativa
Ex:
Para você, o quadro de bicicleta ser leve tem que
grau de importância:
Pouco importante Importante Muito importante
1 3 9
A CASA DA QUALIDADE PASSO A
PASSO
3) Requisitos de projeto ou a “Voz
da engenharia”
• Os requisitos de projeto refletem as características que os
consumidores esperam encontrar em um novo produto,
sendo uma tradução das necessidades dos consumidores na
linguagem de engenharia.
Ex :
Ser leve – baixo peso
Ser confortável - ergonomia
A CASA DA QUALIDADE PASSO A
PASSO
• Relacionar a “Voz do consumidor” com os requisitos de
projeto
A matriz de correlação determina que tipo de relação existe
entre cada item da voz do consumidor e os requisitos de
engenharia, a classificação segue o gabarito abaixo:
4) Matriz de correlação
Muito importante Importante
Pouco importante
A CASA DA QUALIDADE PASSO A
PASSO
5) TELHADO DA CASA DA QUALIDADE
• O “telhado” da casa da qualidade é o item que mostra
como cada requisito de projeto se relaciona com os demais,
as relações podem ser:
A CASA DA QUALIDADE
PASSO A PASSO
6) A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR
• Avaliação quantitativa do produto e dos principais
concorrentes com relação as necessidades do item 1
• O consumidor avalia com notas de 1 a 5
• Se o produto é totalmente novo, é apresentado um
protótipo
A CASA DA QUALIDADE
PASSO A PASSO
6) A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR
Objetivo – Representa a marca que deseja-se atingir no conceito do consumidor
Porcentagem – Quanto será necessário para atingirmos a marca estipulada.
(Porcentagem = objetivo/nosso conceito)
Pontos de venda – Possibilidade do item da voz do consumidor alavancar as vendas do
produto
Peso – Peso do item para comparação.
Normalizado – O peso normalizado
A CASA DA QUALIDADE
PASSO A PASSO
7) AVALIAÇÃO TÉCNICA DOS CONCORRENTES –
“BENCHMARKING”
•É realizada uma análise técnica dos principais
concorrentes do produto com relação aos
requisitos de projeto
•O produto é avaliado novamente com notas
variando de 1 a 5
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
A VOZ DO CONSUMIDOR
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
A VOZ DA ENGENHARIA
‘ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
VOZ DO CONSUMIDOR x VOZ DA ENGENHARIA
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
CORRELAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS - O “TELHADO” DA CASA DA QUALIDADE
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR
A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
AVALIAÇÃO DOS COMPETIDORES - BENCHMARKING
“ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
RESULTADOS – COMO INCORPORAR OS ITENS MAIS IMPORTANTES
“ESTUDO DE CASO’ – QUADRO DE BICICLETA
VERSÃO FINAL DO QUADRO
Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos
Gerenciamento de mudanças de engenharia
Processos
de apoio
Desenvolvimento
Projeto
Detalhado
Projeto
Conceitual
Projeto
Informacional
Lançamento
do Produto
Preparação
Produção
Planejamento
Projeto
Pós
Pré
Planejame
nto
Estratégico
dos
Produtos
Descontin
uar
Produto
Acompanhar
Produto/
Processo
Gates >>
Processo de Desenvolvimento de Produto
Projeto Conceitual
Projeto Conceitual
Projeto Conceitual
Projeto detalhado
Envolve o detalhamento da(s) soluções selecionadas no
projeto conceitual, especificando-se dimensões,
materiais e outras características dos sistemas,
subsistemas e componentes do produto.
Ciclos do projeto detalhado
CAM
CAE
CAD
Internet / Intranet
Geometric
Verification
Physical
Execution
Technology
Verification
Computer
Aided
Manufacturing
Computer
Aided
Design
Computer
Aided
Engineering
CAD/CAM/CAE
O ideal é se todos os
sistemas utilizarem uma
mesma base digital do
produto
CAD CAE
CAM
Para alguns componentes, a tecnologia é tradicional e existe
conhecimento acumulado e sistematizado e podemos calcular
com base em padrões
É caso de
rolamentos, por
exemplo
LISTA DE
MATERIAIS
FMEA (Failure Mode and Effect Analysis)
•Processo de Produção
•Logística com fornecedores
•Processo de Manutenção
•Vendas e Distribuição
•Suporte ao cliente
•Campanhas de marketing
Produto Mercado
Produção
Preparação da Produção
Lançamento do Produto
ESCOPO
(Cadeia de Suprimentos)
Objetivos da fase de preparação da produção
• Garantir que a empresa (na verdade, a cadeia de suprimentos
total, ou seja, a empresa e todos parceiros de fornecimento)
consiga produzir produtos no volume adequado, com as
mesmas qualidades do protótipo e que também atendam aos
requisitos dos seus clientes durante o ciclo de vida do produto
• Colocar toda a estrutura produtiva em movimento (grande
parte dela já deve ter sido definida nas fases anteriores)
• Realizar e ajustar os planos e especificações definidas nas fases
anteriores
Exemplos de recursos
• Dispositivos especiais
• Ferramentas especiais
• Máquinas
• Instalações
• Fábricas
X
• Obter recursos de fabricação
• Planejar produção piloto
• Receber e instalar recursos
• Produzir lote piloto
• Homologar o processo
• Otimizar a produção
• Certificar Produto
• Desenvolver processo de produção e manutenção
• Ensinar Pessoal
• Monitorar viabilidade econômico-financeira
• Avaliar e aprovar Fase: Liberação da Produção
Atividades da preparação para a produção
X
Nova instalação Mudar instalação Instalação existente
Inicia-se bem antes da fase de preparação da produção (risco !!!)
Pode-se necessitar de mudança de lay-out
Na maior parte das empresas os recursos são comprados
Deve-se trabalhar de forma integrada com compras
Os recursos podem definir a vantagem competitiva do produto
(exemplo: máquinas especiais para a fabricação completa do produto)
Possibilidades de instalações
X
Nova instalação Mudar instalação Instalação existente
Integração entre planejamento de projeto e planejamento de produção
• caso mais simples
• equipamentos devem
estar em operação
• projeto de fábrica
implementado a tempo
• 2 opções:
• linha nova na área
• usar equipamentos
existentes
• compatibilizar a disponi-
bilidade do equipamento
com a necessidade de
homologação
• adaptar o lay out atual se
necessário
• dificuldade de parar a
produção atual para
homologar
• mas deve ter
capacidade
• qual o plano de
processo a ser usado?
• planos de medição e
inspeção disponíveis
Planejar antes do término da fase anterior é uma boa prática
X
Nova instalação Mudar instalação Instalação existente
Realizar o que foi planejado
Nesses dois casos, inserir o lote
piloto na programação atual
Mesmo que a produção se inicie em
outros equipamentos, aqueles
utilizados para a produção final
precisam ser homologados para o
novo produto
O processo de planejamento de
produção não precisa estar
definido ainda, mas no final
desta fase sim
Obter
recursos de
fabricação
Receber e
instalar
recursos
Produzir
Lote Piloto
Homologar
Processo
Otimizar
produção
Certificar
Produto
Desenvolver
processo de
manutenção
Desenvolver
processo de
produção
Ensinar
Pessoal
Obter
recursos de
fabricação
Receber e
instalar
recursos
Produzir
Lote Piloto
Homologar
Processo
Otimizar
produção
Certificar
Produto
Desenvolver
processo de
manutenção
Desenvolver
processo de
produção
Ensinar
Pessoal
Ensinar
Pessoal
• Tarefas:
– Avaliar lote piloto
– Avaliar meios de medição
– Avaliar capabilidade de processo
Consigo produzir em série com a mesma qualidade que o protótipo?
Qual a diferença entre homologar o processo e o produto?
Análise dos Sistemas de Medição
(MSA — Measurement System
Analysis)
Indicadores de Capabilidade de
Processo e Controle Estatístico do
Processo (CEP)
Homologação do processo
Homologar o processo: Avaliar lote piloto
Consigo produzir em série com a mesma qualidade que o protótipo?
Qual a diferença entre homologar o processo e o produto?
Homologar produto Homologar processo
•na fase de projeto detalhado
•com base no protótipo
•aprovar a funcionalidade
•avaliar os parâmetros críticos
•atender aos requisitos
•meios produtivos definitivos
•mesmos critérios de aprovação
•testes não exaustivos
•sem ensaios (na maioria das vezes)
•avaliação do produto aprova os
recursos
Tendência Média Observada - Valor da Referência
Repetitividade Variação do sistema de medida
Reprodutividade Variação na média por diferentes
operadores (mesmo dispositivo)
Estabilidade
t1
t2
Variação devido ao tempo
Linearidade
V Ref
V Médio
Diferença ao longo da faixa de
operação
Avaliar meios de medição

6
LIE
LSE
CP



3
X
LSE
CPS


LIE LSE
X

LIE: limite inferior especificado
LSE: limite superior especificado

3
LIE
X
CPI


CPk= Min (CPS CPI)
Avaliar Capabilidade
OTIMIZAR A PRODUÇÃO
Produzir
Lote Piloto
Homologar
Processo
Otimizar
produção
Produzir
Lote Piloto
Homologar
Processo
Otimizar
produção
a otimização pode ocorrer ou não, mas na
prática sempre acontecem otimizações
KAIZEN, DEMAIC, PDCA...
• avaliar as exigências de regulamentação
• submeter ao cliente o processo de aprovação
• avaliar os serviços associados ao produto
• obter a documentação para a certificação
• a certificação pode ocorrer desde a fase de projeto informacional
• na homologação do produto (projeto detalhado), pode ter ocorrido a
primeira certificação, se ela foi exigida pelo órgão regulamentador
• serviços associados ao produto também são certificados
• por que não incorporar, nos nossos procedimentos de homologação,
as exigências de certificação?
•não devemos esquecer da documentação para certificação
Tarefas
Melhores práticas
Certificar Produto
X
Nova instalação Mudar instalação Instalação existente
É a especificação de como vamos administrar a produção
Nesta atividade, definimos como planejar, programar e controlar a produção
• desenho de um novo
processo
• não necessariamente
usa o processo de
produção existente
• normalmente adota-se o processo existente
• conforme o resultado da otimização,
muda-se o processo de planejamento e
controle da produção (exemplo, mudança
para controle por kanban)
• avaliar como está o relacionamento com os parceiros e a logística
Desenvolver processo de produção
X
Nova instalação Mudar instalação Instalação existente
Preocupa-se com os aspectos gerenciais
Definição da política e os procedimentos de manutenção (e sistemas)
• normalmente adota-se o processo existente
Tipos de manutenção:
• preventiva
• preditiva
• corretiva
Atualmente adota-se o Total Productive Maintenance
(TPM) ou Manutenção Produtiva Total junto com o
conceito de 5S
Delegar para os operadores faz com que se sentiam
“responsáveis”
Desenvolver processo de manutenção
• Quem especifica os processos de produção e manutenção não
é necessariamente o time de desenvolvimento de produto,
• mas deve existir uma boa comunicação entre eles e os
responsáveis pelo desenho do processo de negócio
• Ou seja, faz parte do processo de desenvolvimento de produtos
Desenvolver
processo de
manutenção
Desenvolver
processo de
produção
Ensinar
Pessoal
Ensinar
Pessoal
Todas as pessoas envolvidas nos processos
produtivos devem estar qualificadas
X
Treinar pessoal
LANÇAMENTO DO PRODUTO
• Planejar Lançamento
• Desenvolver processo de vendas
• Desenvolver processo de distribuição
• Desenvolver processo de atendimento ao cliente
• Desenvolver processo de assistência técnica
• Promover marketing de lançamento
• Lançar produto
• Gerenciar Lançamento
• Atualizar Plano de Fim de Vida
• Monitorar viabilidade econômico-financeira
• Avaliar e Aprovar Fase
• Documentar as decisões tomadas e lições aprendidas
Desenvolver
processo de
distribuição
Desenvolver
processo de
vendas
Desenvolver
processo de
assistência
técnica
Promover
marketing de
lançamento
Gerenciar
lançamento
Lançar
produto
Desenvolver
processo de
atendimento
ao cliente
Atividade central da fase de lançamento
de produtos
Tarefas da atividade
Avaliar os processos de apoio ao lançamento;
Planejar o evento de lançamento;
Contratar os serviços para o lançamento;
Promover o evento de lançamento.
Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos
Gerenciamento de mudanças de engenharia
Processos
de apoio
Desenvolvimento
Projeto
Detalhado
Projeto
Conceitual
Projeto
Informacional
Lançamento
do Produto
Preparação
Produção
Planejamento
Projeto
Pós
Pré
Planejame
nto
Estratégico
dos
Produtos
Descontin
uar
Produto
Acompanhar
Produto/
Processo
Gates >>
Processo de Desenvolvimento de Produto
vida de um
produto
junto ao
cliente
Receber o produto de volta:
reutilizar
remanufaturar
reciclar
descartar
Liberação
da produção
Fim da
vida
Início:
1a idéia
Final da
produção
Desenvolvimento Pós
Pré
Ciclo de vida do produto
Volume de vendas
período de produção
período de assistência técnica / atendimento ao cliente / Acompanhar o produto
Descontinuar o produto
Descontinua
r a produção
Finalizar
suporte ao
produto
Cliente 1
Cliente 2 Cliente n
compra do
produto
pelo
cliente
1a
devolução
do produto
pelo cliente
Preparar
para
retirar
Descontinuar
o Produto
•Relatório de auditoria pós-projeto
•Análise crítica do desempenho
geral do produto
•Relação das lições aprendidas
•Plano do projeto
•Estratégias de produto/mercado
•Plano de fim de vida
•Solicitação de
descontinuidade do produto
do mercado
•Plano de descontinuidade
do produto
•Relatório de retirada do
produto Avaliação geral e
encerramento do
projeto
Analisar e aprovar
descontinuidade
do produto
Planejar a
descontinuidade
do produto
Descontinuar
a produção
Finalizar
suporte ao
produto
Preparar o
recebimento
do produto
Acompanhar o
recebimento
do produto
• Analisar e aprovar descontinuidade do produto
• Planejar a descontinuidade do produto
• Preparar o recebimento do produto
• Acompanhar o recebimento do produto
• Descontinuar a produção
• Finalizar suporte ao produto
• Avaliação geral de encerramento do projeto
Atividades da fase
• Plano de descontinuidade do produto
• Relatório de retirada do produto
• Identificação de problemas com produtos gerados por
clientes que devolvem o produto
• Garantia da adequação efetiva das atividades de
descontinuidade e devolução do produto aos aspectos
ambientais
• Garantia de uma descontinuidade cadenciada com o
desempenho do produto no mercado
Resultados da fase
Avaliação do ciclo de vida
Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), é uma das metodologias utilizadas para avaliar
os possíveis aspectos e os impactos ambientais de bens e serviços. É sistemática
e quantifica os fluxos de energia e materiais em todo o ciclo de vida do produto
ou atividade.” (do berço ao túmulo)
ACV
Eco-balanço;
Fluxos mássicos e energéticos
(inputs/outputs);
Conversão em categorias de
impacto ambiental;
Avaliação de Impacto,
Normalização, Ponderação, Analise
de Sensibilidade
OBJETIVO&
ESCOPO
INVENTÁRIO
DE CICLO
DE VIDA
AVALIAÇÃO
IMPACTOS
INTERPRETAÇÃO
ACV

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a PDP FINAL.ppt

Palestra PM Canvas - Framework
Palestra PM Canvas - FrameworkPalestra PM Canvas - Framework
Palestra PM Canvas - FrameworkEduardo Freire
 
Project model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoProject model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoleopaiva217101
 
Tg460 project modelcanvas
Tg460 project modelcanvasTg460 project modelcanvas
Tg460 project modelcanvasAlexsander Fim
 
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8Ueliton da Costa Leonidio
 
Service Builder - Orange Founders
Service Builder - Orange FoundersService Builder - Orange Founders
Service Builder - Orange FoundersFCamara_Consultoria
 
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...Projetos e TI
 
A agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosA agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosAgência Nuve
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Fernando Vargas
 
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...Projetos e TI
 
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...Anderson Garcia
 
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...Fabiano Milani
 
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaApresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaCarlos Alberto
 
Intensivo de UX para Agências e Startups
Intensivo de UX para Agências e Startups Intensivo de UX para Agências e Startups
Intensivo de UX para Agências e Startups Tuia
 
Elaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGRElaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGRJeovan Figueiredo
 
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...Carlos Alberto
 
Pmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 PortfolioPmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 PortfolioPeter Mello
 
Webinar Project Builder PM CANVAS
Webinar Project Builder PM CANVASWebinar Project Builder PM CANVAS
Webinar Project Builder PM CANVASProject Builder
 

Semelhante a PDP FINAL.ppt (20)

CMMI aula1
CMMI aula1CMMI aula1
CMMI aula1
 
Palestra PM Canvas - Framework
Palestra PM Canvas - FrameworkPalestra PM Canvas - Framework
Palestra PM Canvas - Framework
 
Project model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoProject model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacao
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetos
 
Tg460 project modelcanvas
Tg460 project modelcanvasTg460 project modelcanvas
Tg460 project modelcanvas
 
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8
Administração de Projetos - Planejamento - Escopo - Aula 8
 
Service Builder - Orange Founders
Service Builder - Orange FoundersService Builder - Orange Founders
Service Builder - Orange Founders
 
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...
Webaula 50 - Como Definir e Controlar o Escopo de um Projeto – O Papel Fundam...
 
A agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosA agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetos
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
 
Apresentação RUP
Apresentação RUPApresentação RUP
Apresentação RUP
 
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
A Importância Da Competência Em Análise De Negócios Para Os Gerentes De Progr...
 
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...
Como a Pré-Construção influencia o desempenho dos Data Centers. Por Anderson ...
 
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...
EDTED Aprenda, ensine e melhores os resultados com seus clientes. Requisito d...
 
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. MecânicaApresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
Apresentação do meu Trabalho de Conclusão do Curso de Eng. Ind. Mecânica
 
Intensivo de UX para Agências e Startups
Intensivo de UX para Agências e Startups Intensivo de UX para Agências e Startups
Intensivo de UX para Agências e Startups
 
Elaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGRElaboração de projetos inovadores - CGR
Elaboração de projetos inovadores - CGR
 
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...
TCC - "Sistema Automático de Medição do Diâmetro Interno de Rotores Via Calib...
 
Pmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 PortfolioPmi Global 2008 Portfolio
Pmi Global 2008 Portfolio
 
Webinar Project Builder PM CANVAS
Webinar Project Builder PM CANVASWebinar Project Builder PM CANVAS
Webinar Project Builder PM CANVAS
 

Último

Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccss
Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccssDespertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccss
Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccssGuilhermeMelo381677
 
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.JosineiPeres
 
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdf
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdfSoluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdf
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdfSabrinaPrado11
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptx
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptxA influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptx
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptxVitorSchneider7
 
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - Atualizado
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - AtualizadoCatálogo de Produtos OceanTech 2024 - Atualizado
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - AtualizadoWagnerSouza717812
 

Último (6)

Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccss
Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccssDespertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccss
Despertar SEBRAE [PROFESSOR] (1).pdfccss
 
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
LIDER COACH E SUA IMORTÂNCIA NSS ORGANIZAÇÕES.
 
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdf
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdfSoluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdf
Soluções MNE - Mês das Mães 2024_sv (1).pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptx
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptxA influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptx
A influência da Liderança nos Resultados Extraordinários.pptx
 
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - Atualizado
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - AtualizadoCatálogo de Produtos OceanTech 2024 - Atualizado
Catálogo de Produtos OceanTech 2024 - Atualizado
 

PDP FINAL.ppt

  • 1. Processo de Desenvolvimento de produtos Antônio Carlos Pacagnella Junior E-mail: acpjr1@gmail.com
  • 2. 2 Projetos de desenvolvimento de produtos: • Busca as especificações de projeto do produto e do seu processo de produção • Considera as necessidades de mercado, as possibilidades tecnológicas e as estratégias da empresa • Prepara a manufatura, para iniciar a produção • Acompanha o produto pós-lançamento (das melhorias à descontinuidade)
  • 3. 3 Projetos de desenvolvimento no Brasil • Em função da existência de competências específicas no Brasil, as unidades locais de multinacionais podem se responsabilizar por fases ou atividades de um projeto ou mesmo por um projeto completo. • Em algumas unidades de multinacionais no Brasil têm havido redução das atividades de DP, mas em outras têm havido aumento das atividades de DP.
  • 4. 4 Exemplos de empresas com desenvolvimento local bem sucedidos: • Aeronaves (EMBRAER) • Compressores herméticos (Tecumseh e EMBRACO) • Lavadoras de roupa (Multibrás) • Carros e motores de baixa cilindrada (VW, GM, Ford) • Carros e motores a álcool (VW, GM, Ford) • Caminhões e ônibus (VW)
  • 5. 5 Processo de Desenvolvimento de Produto Desenvolvimento Custo incorrido Custo comprometido Tempo Produção 80 a 90 % Custo Margem para redução de custos na produção Final da fase de projeto conceitual
  • 6. 6 TIPOS DE PROJETOS DE DP Considerando o grau de mudanças do projeto em relação a projetos anteriores: Projetos radicais (breakthrough) Projetos plataforma ou próxima geração Projetos incrementais ou derivados Follow-source P&D Avançado
  • 7. Projetos no contexto do Processo de desenvolvimento de produtos
  • 8. 8 Situação anterior versus situação atual
  • 9. 9 Macro fases do Desenvolvimento de Produtos (PDP)
  • 10. Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos Gerenciamento de mudanças de engenharia Processos de apoio Desenvolvimento Projeto Detalhado Projeto Conceitual Projeto Informacional Lançamento do Produto Preparação Produção Planejamento Projeto Pós Pré Planejame nto Estratégic o dos Produtos Descontin uar Produto Acompanhar Produto/ Processo Gates >> Processo de Desenvolvimento de Produto
  • 11. Desenvolvimento Pós Pré Processo de Desenvolvimento de Produto Objetivo. Envolve as atividades de definição dos projetos de desenvolvimento a partir da Estratégia Competitiva da empresa. O final do pré-desenvolvimento é a lista de projetos a ser desenvolvido e o lugar. Importância. • Foco nos projetos prioritários segundo a estratégia da empresa no curto, médio e longo prazos • Uso eficiente dos recursos • Início mais rápido e mais eficiente dos projetos • Critérios claros para os projetos em andamento
  • 12. Desenvolvimento Pós Pré Processo de Desenvolvimento de Produto Descrição. Envolve as atividades de desenvolvimento dos projetos definidos e aprovados na fase anterior. Nesta macro-fase cada produto é gerenciado como um projeto. Início: • Minuta do projeto aprovada (TAP) Fim: • Todos os documentos de especificação do produto foram preparados e aprovados.
  • 13. Desenvolvimento Pós Pré Processo de Desenvolvimento de Produto Definição. A macro-fase de desenvolvimento compreende a retirada sistemática do produto do mercado e, finalmente, uma avaliação de todo o ciclo de vida do produto, parar que as experiências contrapostas ao que foi planejado anteriormente sirvam de referência a desenvolvimento futuros. Início: • Produto Lançado Fim: • Produto Retirado do Mercado
  • 14. Pós-desenvolvimento anos dias meses Desenvolvimento Pré-desenvolvimento Acompanhar Produto/ Processo • Realizar atualizações • Propor melhorias • Compilar lições aprendidas Retirar produto do mercado • Preparar retirada •Implementar a retirada do produto
  • 15. 9 12 17 30 32 32 42 43 46 47 50 68 Média de produtos lançados por pessoa de desenvolvimento Porcentagem de produtos / projetos aceitos / rejeitados Faturamento sobre pessoal de desenvolvimento Porcentagem de recursos / investimentos em sustenabilidade Retorno de investimento das inovações Vendas no primeiro ano resultantes de novos produtos Quantidade de projetos de desenvolvimentos ativos Crescimento de gastos em desenvolvimento de novos produtos Quantidade de produtos lançados no ano Porcentagem das vendas resultantes de novos produtos nos últimos 5 anos Total de patentes registradas Porcentagem dos gastos em desenvolvimentos sobre as vendas Uso de indicadores de desempenho no DP em %
  • 16.
  • 17. Regra de 70 a 110 da Embraer
  • 18.
  • 19. Técnicas para avaliação do portfólio de projetos 1) Análise do valor comercial esperado É a avaliação por meio de modelos de matemática financeira considerando investimento, retorno e riscos. Falha Lançamento Desenvolvimento Falha VP - Vendas Psc (%) Pst(%) Sucesso técnico ? Sucesso Comercial?
  • 20. ECV = (VP x Psc – CL) x Pst - CD Onde: ECV = Valor econômico esperado; VP = Valor presente das receitas; Psc = Probabilidade de sucesso comercial; Pst = Probabilidade de sucesso técnico; CL = Custo de lançamento; CD = Custo de desenvolvimento;
  • 21. Ex: Projetos de desenvolvimento de duas bicicletas: Bicicleta A Bicicleta B CD 85000 80000 CL 35000 27000 Pst 0,9 0,8 Psc 0,7 0,7 Vp 1000000 1000000 ECV 513500 458400 Projeto mais viável!
  • 22. Técnicas para avaliação do portfólio de projetos 2) Gráfico de Bolhas São gráficos que possuem três dimensões: - Dois eixos e o diâmetro das bolhas. - Podem ser usados quaisquer critérios técnicos para realizar a avaliação. Sintetizam de forma simples e clara a relação entre os projetos da empresa.
  • 23. Probabilidade de sucesso técnico “Pão com manteiga” P1 Valor presente das receitas P2 P3 P4 Probabilidade de sucesso comercial “Elefantes brancos” “Ostras” “Pérolas”
  • 24. 3) Método do “Score” Etapas: - Encontre critérios comuns para avaliar todos os projetos; - Relacione um peso de 1 a 3 para cada critério (pouco importante, importante ou muito importante); - Dê notas para cada critério em cada projeto; - Encontre a média ponderada.
  • 25. Critérios Peso Projeto A Projeto B Facilidade de implementação 3 8 7 Nível de risco 3 5 3 Competências técnicas 2 8 4 Alinhamento com a estratégia 1 2 8 Ineditismo 2 3 7 Média 12,6 12 Projeto mais viável! EXEMPLO
  • 26. Planejamento de projeto do novo produto • Definir interessados do projeto • Definir escopo do produto • Definir escopo do projeto • Detalhar o escopo do projeto • Definir atividades e seqüência • Preparar cronograma • Avaliar riscos • Preparar orçamento do projeto
  • 28. Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos Gerenciamento de mudanças de engenharia Processos de apoio Desenvolvimento Projeto Detalhado Projeto Conceitual Projeto Informacional Lançamento do Produto Preparação Produção Planejamento Projeto Pós Pré Planejame nto Estratégico dos Produtos Descontin uar Produto Acompanhar Produto/ Processo Gates >> Processo de Desenvolvimento de Produto
  • 30.
  • 31. Cliente satisfeito Cliente insatisfeito Desempenho Excelente Desempenho Pobre básico excitação O cliente não verbaliza, mas se faltar ele ficará insatisfeito (conhecido também como óbvio) Quanto maior o desempenho, maior a satisfação O cliente não esperava, é surpreendido. Causam impacto.
  • 32. Fontes para o levantamento de informações 1) Público – alvo; 2) Departamentos da empresa; 3) Experiência da equipe; 4) Internet; 5) Benchmarking / Engenharia reversa
  • 33. Formas de coleta de informações 1) Survey ou levantamento; 2) Grupo focal; 3) Entrevistas; 4) Discussões em grupo; 5) Análise documental.
  • 34. Análise das inter-relações: função x funcionamento x constituição
  • 37. Atributos a serem considerados
  • 38.
  • 39.
  • 40. • Ou desdobramento da função qualidade, permite traduzir as necessidades do cliente em características que podem ser incorporados ao bem / serviço Conversão de requisitos em especificações de projeto – A casa da qualidade
  • 41. A CASA DA QUALIDADE Necessidades do consumidor Importância Requisitos de engenharia Avaliação técnica Relação entre requisitos Avaliação dos consumidores
  • 42. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 1) Ouvir a “voz do consumidor” Nesta etapa são levantadas as necessidades dos consumidores, são obtidas tipicamente utilizando entrevistas qualitativas com perguntas abertas como: a) Cite aspectos positivos e negativos do produto “X” As características que mais aparecem são colocadas na “voz do consumidor”
  • 43. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 2) Grau de importância O público alvo é novamente consultado, agora em entrevista quantitativa Ex: Para você, o quadro de bicicleta ser leve tem que grau de importância: Pouco importante Importante Muito importante 1 3 9
  • 44. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 3) Requisitos de projeto ou a “Voz da engenharia” • Os requisitos de projeto refletem as características que os consumidores esperam encontrar em um novo produto, sendo uma tradução das necessidades dos consumidores na linguagem de engenharia. Ex : Ser leve – baixo peso Ser confortável - ergonomia
  • 45. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO • Relacionar a “Voz do consumidor” com os requisitos de projeto A matriz de correlação determina que tipo de relação existe entre cada item da voz do consumidor e os requisitos de engenharia, a classificação segue o gabarito abaixo: 4) Matriz de correlação Muito importante Importante Pouco importante
  • 46. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 5) TELHADO DA CASA DA QUALIDADE • O “telhado” da casa da qualidade é o item que mostra como cada requisito de projeto se relaciona com os demais, as relações podem ser:
  • 47. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 6) A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR • Avaliação quantitativa do produto e dos principais concorrentes com relação as necessidades do item 1 • O consumidor avalia com notas de 1 a 5 • Se o produto é totalmente novo, é apresentado um protótipo
  • 48. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 6) A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR Objetivo – Representa a marca que deseja-se atingir no conceito do consumidor Porcentagem – Quanto será necessário para atingirmos a marca estipulada. (Porcentagem = objetivo/nosso conceito) Pontos de venda – Possibilidade do item da voz do consumidor alavancar as vendas do produto Peso – Peso do item para comparação. Normalizado – O peso normalizado
  • 49. A CASA DA QUALIDADE PASSO A PASSO 7) AVALIAÇÃO TÉCNICA DOS CONCORRENTES – “BENCHMARKING” •É realizada uma análise técnica dos principais concorrentes do produto com relação aos requisitos de projeto •O produto é avaliado novamente com notas variando de 1 a 5
  • 50.
  • 51. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA A VOZ DO CONSUMIDOR
  • 52. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA A VOZ DA ENGENHARIA
  • 53. ‘ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA VOZ DO CONSUMIDOR x VOZ DA ENGENHARIA
  • 54. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA CORRELAÇÃO ENTRE CARACTERÍSTICAS - O “TELHADO” DA CASA DA QUALIDADE
  • 55. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR
  • 56. A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA
  • 57. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA AVALIAÇÃO DOS COMPETIDORES - BENCHMARKING
  • 58. “ESTUDO DE CASO” – QUADRO DE BICICLETA RESULTADOS – COMO INCORPORAR OS ITENS MAIS IMPORTANTES
  • 59. “ESTUDO DE CASO’ – QUADRO DE BICICLETA VERSÃO FINAL DO QUADRO
  • 60. Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos Gerenciamento de mudanças de engenharia Processos de apoio Desenvolvimento Projeto Detalhado Projeto Conceitual Projeto Informacional Lançamento do Produto Preparação Produção Planejamento Projeto Pós Pré Planejame nto Estratégico dos Produtos Descontin uar Produto Acompanhar Produto/ Processo Gates >> Processo de Desenvolvimento de Produto
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69.
  • 70. Projeto detalhado Envolve o detalhamento da(s) soluções selecionadas no projeto conceitual, especificando-se dimensões, materiais e outras características dos sistemas, subsistemas e componentes do produto.
  • 71.
  • 72.
  • 73. Ciclos do projeto detalhado
  • 76. Para alguns componentes, a tecnologia é tradicional e existe conhecimento acumulado e sistematizado e podemos calcular com base em padrões É caso de rolamentos, por exemplo
  • 77.
  • 79. FMEA (Failure Mode and Effect Analysis)
  • 80. •Processo de Produção •Logística com fornecedores •Processo de Manutenção •Vendas e Distribuição •Suporte ao cliente •Campanhas de marketing Produto Mercado Produção Preparação da Produção Lançamento do Produto ESCOPO (Cadeia de Suprimentos)
  • 81. Objetivos da fase de preparação da produção • Garantir que a empresa (na verdade, a cadeia de suprimentos total, ou seja, a empresa e todos parceiros de fornecimento) consiga produzir produtos no volume adequado, com as mesmas qualidades do protótipo e que também atendam aos requisitos dos seus clientes durante o ciclo de vida do produto • Colocar toda a estrutura produtiva em movimento (grande parte dela já deve ter sido definida nas fases anteriores) • Realizar e ajustar os planos e especificações definidas nas fases anteriores
  • 82. Exemplos de recursos • Dispositivos especiais • Ferramentas especiais • Máquinas • Instalações • Fábricas X
  • 83. • Obter recursos de fabricação • Planejar produção piloto • Receber e instalar recursos • Produzir lote piloto • Homologar o processo • Otimizar a produção • Certificar Produto • Desenvolver processo de produção e manutenção • Ensinar Pessoal • Monitorar viabilidade econômico-financeira • Avaliar e aprovar Fase: Liberação da Produção Atividades da preparação para a produção
  • 84. X Nova instalação Mudar instalação Instalação existente Inicia-se bem antes da fase de preparação da produção (risco !!!) Pode-se necessitar de mudança de lay-out Na maior parte das empresas os recursos são comprados Deve-se trabalhar de forma integrada com compras Os recursos podem definir a vantagem competitiva do produto (exemplo: máquinas especiais para a fabricação completa do produto) Possibilidades de instalações
  • 85. X Nova instalação Mudar instalação Instalação existente Integração entre planejamento de projeto e planejamento de produção • caso mais simples • equipamentos devem estar em operação • projeto de fábrica implementado a tempo • 2 opções: • linha nova na área • usar equipamentos existentes • compatibilizar a disponi- bilidade do equipamento com a necessidade de homologação • adaptar o lay out atual se necessário • dificuldade de parar a produção atual para homologar • mas deve ter capacidade • qual o plano de processo a ser usado? • planos de medição e inspeção disponíveis Planejar antes do término da fase anterior é uma boa prática
  • 86. X Nova instalação Mudar instalação Instalação existente Realizar o que foi planejado Nesses dois casos, inserir o lote piloto na programação atual Mesmo que a produção se inicie em outros equipamentos, aqueles utilizados para a produção final precisam ser homologados para o novo produto O processo de planejamento de produção não precisa estar definido ainda, mas no final desta fase sim Obter recursos de fabricação Receber e instalar recursos Produzir Lote Piloto Homologar Processo Otimizar produção Certificar Produto Desenvolver processo de manutenção Desenvolver processo de produção Ensinar Pessoal Obter recursos de fabricação Receber e instalar recursos Produzir Lote Piloto Homologar Processo Otimizar produção Certificar Produto Desenvolver processo de manutenção Desenvolver processo de produção Ensinar Pessoal Ensinar Pessoal
  • 87. • Tarefas: – Avaliar lote piloto – Avaliar meios de medição – Avaliar capabilidade de processo Consigo produzir em série com a mesma qualidade que o protótipo? Qual a diferença entre homologar o processo e o produto? Análise dos Sistemas de Medição (MSA — Measurement System Analysis) Indicadores de Capabilidade de Processo e Controle Estatístico do Processo (CEP) Homologação do processo
  • 88. Homologar o processo: Avaliar lote piloto Consigo produzir em série com a mesma qualidade que o protótipo? Qual a diferença entre homologar o processo e o produto? Homologar produto Homologar processo •na fase de projeto detalhado •com base no protótipo •aprovar a funcionalidade •avaliar os parâmetros críticos •atender aos requisitos •meios produtivos definitivos •mesmos critérios de aprovação •testes não exaustivos •sem ensaios (na maioria das vezes) •avaliação do produto aprova os recursos
  • 89. Tendência Média Observada - Valor da Referência Repetitividade Variação do sistema de medida Reprodutividade Variação na média por diferentes operadores (mesmo dispositivo) Estabilidade t1 t2 Variação devido ao tempo Linearidade V Ref V Médio Diferença ao longo da faixa de operação Avaliar meios de medição
  • 90.  6 LIE LSE CP    3 X LSE CPS   LIE LSE X  LIE: limite inferior especificado LSE: limite superior especificado  3 LIE X CPI   CPk= Min (CPS CPI) Avaliar Capabilidade
  • 91. OTIMIZAR A PRODUÇÃO Produzir Lote Piloto Homologar Processo Otimizar produção Produzir Lote Piloto Homologar Processo Otimizar produção a otimização pode ocorrer ou não, mas na prática sempre acontecem otimizações KAIZEN, DEMAIC, PDCA...
  • 92. • avaliar as exigências de regulamentação • submeter ao cliente o processo de aprovação • avaliar os serviços associados ao produto • obter a documentação para a certificação • a certificação pode ocorrer desde a fase de projeto informacional • na homologação do produto (projeto detalhado), pode ter ocorrido a primeira certificação, se ela foi exigida pelo órgão regulamentador • serviços associados ao produto também são certificados • por que não incorporar, nos nossos procedimentos de homologação, as exigências de certificação? •não devemos esquecer da documentação para certificação Tarefas Melhores práticas Certificar Produto
  • 93. X Nova instalação Mudar instalação Instalação existente É a especificação de como vamos administrar a produção Nesta atividade, definimos como planejar, programar e controlar a produção • desenho de um novo processo • não necessariamente usa o processo de produção existente • normalmente adota-se o processo existente • conforme o resultado da otimização, muda-se o processo de planejamento e controle da produção (exemplo, mudança para controle por kanban) • avaliar como está o relacionamento com os parceiros e a logística Desenvolver processo de produção
  • 94. X Nova instalação Mudar instalação Instalação existente Preocupa-se com os aspectos gerenciais Definição da política e os procedimentos de manutenção (e sistemas) • normalmente adota-se o processo existente Tipos de manutenção: • preventiva • preditiva • corretiva Atualmente adota-se o Total Productive Maintenance (TPM) ou Manutenção Produtiva Total junto com o conceito de 5S Delegar para os operadores faz com que se sentiam “responsáveis” Desenvolver processo de manutenção
  • 95. • Quem especifica os processos de produção e manutenção não é necessariamente o time de desenvolvimento de produto, • mas deve existir uma boa comunicação entre eles e os responsáveis pelo desenho do processo de negócio • Ou seja, faz parte do processo de desenvolvimento de produtos
  • 96. Desenvolver processo de manutenção Desenvolver processo de produção Ensinar Pessoal Ensinar Pessoal Todas as pessoas envolvidas nos processos produtivos devem estar qualificadas X Treinar pessoal
  • 98. • Planejar Lançamento • Desenvolver processo de vendas • Desenvolver processo de distribuição • Desenvolver processo de atendimento ao cliente • Desenvolver processo de assistência técnica • Promover marketing de lançamento • Lançar produto • Gerenciar Lançamento • Atualizar Plano de Fim de Vida • Monitorar viabilidade econômico-financeira • Avaliar e Aprovar Fase • Documentar as decisões tomadas e lições aprendidas
  • 99.
  • 100.
  • 101.
  • 102.
  • 103. Desenvolver processo de distribuição Desenvolver processo de vendas Desenvolver processo de assistência técnica Promover marketing de lançamento Gerenciar lançamento Lançar produto Desenvolver processo de atendimento ao cliente Atividade central da fase de lançamento de produtos Tarefas da atividade Avaliar os processos de apoio ao lançamento; Planejar o evento de lançamento; Contratar os serviços para o lançamento; Promover o evento de lançamento.
  • 104. Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos Gerenciamento de mudanças de engenharia Processos de apoio Desenvolvimento Projeto Detalhado Projeto Conceitual Projeto Informacional Lançamento do Produto Preparação Produção Planejamento Projeto Pós Pré Planejame nto Estratégico dos Produtos Descontin uar Produto Acompanhar Produto/ Processo Gates >> Processo de Desenvolvimento de Produto
  • 105. vida de um produto junto ao cliente Receber o produto de volta: reutilizar remanufaturar reciclar descartar Liberação da produção Fim da vida Início: 1a idéia Final da produção Desenvolvimento Pós Pré Ciclo de vida do produto Volume de vendas período de produção período de assistência técnica / atendimento ao cliente / Acompanhar o produto Descontinuar o produto Descontinua r a produção Finalizar suporte ao produto Cliente 1 Cliente 2 Cliente n compra do produto pelo cliente 1a devolução do produto pelo cliente Preparar para retirar
  • 106. Descontinuar o Produto •Relatório de auditoria pós-projeto •Análise crítica do desempenho geral do produto •Relação das lições aprendidas •Plano do projeto •Estratégias de produto/mercado •Plano de fim de vida •Solicitação de descontinuidade do produto do mercado •Plano de descontinuidade do produto •Relatório de retirada do produto Avaliação geral e encerramento do projeto Analisar e aprovar descontinuidade do produto Planejar a descontinuidade do produto Descontinuar a produção Finalizar suporte ao produto Preparar o recebimento do produto Acompanhar o recebimento do produto
  • 107. • Analisar e aprovar descontinuidade do produto • Planejar a descontinuidade do produto • Preparar o recebimento do produto • Acompanhar o recebimento do produto • Descontinuar a produção • Finalizar suporte ao produto • Avaliação geral de encerramento do projeto Atividades da fase
  • 108. • Plano de descontinuidade do produto • Relatório de retirada do produto • Identificação de problemas com produtos gerados por clientes que devolvem o produto • Garantia da adequação efetiva das atividades de descontinuidade e devolução do produto aos aspectos ambientais • Garantia de uma descontinuidade cadenciada com o desempenho do produto no mercado Resultados da fase
  • 109. Avaliação do ciclo de vida Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), é uma das metodologias utilizadas para avaliar os possíveis aspectos e os impactos ambientais de bens e serviços. É sistemática e quantifica os fluxos de energia e materiais em todo o ciclo de vida do produto ou atividade.” (do berço ao túmulo) ACV Eco-balanço; Fluxos mássicos e energéticos (inputs/outputs); Conversão em categorias de impacto ambiental; Avaliação de Impacto, Normalização, Ponderação, Analise de Sensibilidade OBJETIVO& ESCOPO INVENTÁRIO DE CICLO DE VIDA AVALIAÇÃO IMPACTOS INTERPRETAÇÃO ACV