SlideShare uma empresa Scribd logo
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA Parte da química que estuda  a rapidez das reações
Oxidação do ferro (ocorre de forma lenta). Este estudo é importante para o nosso dia-a-dia, pois explica alguns fenômenos que convivemos tais como:
Alimentos em  panela de pressão cozinham mais rápidos.
VELOCIDADE MÉDIA DE UMA REAÇÃO É a maior ou menor rapidez (velocidade) com que uma reação ocorre
É calculada pela relação  entre a quantidade  de um reagente (ou produto) que é consumido (ou produzido) e o intervalo de tempo gasto para isto   v = [   final ] [  inicial  ] – final t – inicial t M
As quantidades das substâncias são medidas em  mol/L, massas, volumes (gases), etc.,   Enquanto que o intervalo de tempo pode ser dado em segundos, minutos ou horas
A quantidade de  reagente ou produto medida em mol/L é representada por [  ]
01) (Covest – 2006)  A reação de decomposição da amônia gasosa  foi  realizada  em  um  recipiente  fechado: 2  NH 3      N 2   +  3  H 2 A tabela abaixo indica a variação na concentração de reagente em função do tempo. Concentração de NH 3  em mol/ L Tempo em horas  8,0 6,0 4,0 1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 Qual é a velocidade média de consumo do reagente nas duas primeiras horas de reação? a)  4,0 mol / L.h b)  2,0 mol / L.h  c)  10 km / h d)  1,0 mol / L.h e)  2,3 mol / h V m = 4 mol / L 2 h = 2 mol / L . h
02) Em determinada experiência, a reação de formação de água está ocorrendo com o consumo de  4  mols de  oxigênio  por  minuto.  Conseqüentemente,  a velocidade de consumo de hidrogênio é de: a)  2 mols/min. b)  4 mols/min. c)  8 mols/min. d)  12 mols/min. e)  16 mols/min. H 2  +  O 2      H 2 O 2 mols/min de H 2   1 mols/min de O 2   n  mols/min de H 2   4 mols/min de O 2   n = 2 x 4 n = 8 mols / min 2 2 1
03) (FMIt - MG) Numa reação completa de combustão, foi consumido, em 5 min, 0,25 mol de metano, que foi transformado em CO 2  e H 2 O. A velocidade da reação será: a)  0,80 mol/min. b)  0,40 mol/min. c)  0,05 mol/min. d)  0,60 mol/min. e)  0,30 mol/min. V m = 0,25 mol 5 min = 0,05 mol / min V m
04) (Mack – SP)  Numa certa experiência,  a síntese do cloreto de hidrogênio ocorre com um consumo de 3,0 mol  de  H 2(g)  por minuto. A velocidade de formação do cloreto de hidrogênio é igual a: Dado:  H 2  (g)  +  Cl 2  (g)     2 HCl (g) ao dobro da do consumo de gás cloro. a 3,0 mol / minuto. a 2,0 mol / minuto. a 1,0 mol / minuto. a 1,5 mol / minuto. Ex. 01 Pag. 38 1  H 2  (g)  +  1   Cl 2  (g)     2  HCl (g) Produz o DOBRO do consumo de gás cloro
Ex. 05 Pag. 38 05) (Ufscar – SP) Para a reação A  +  2 B     C, com concentrações iniciais de A e B iguais a 8,5 molar e 15 molar, respectivamente, colheram-se os seguintes dados em laboratório: tempo (h)  0  1,0  2,0  3,0  4,0 [C]   0  3,0  4,5  5,0  5,5 Calcule: a) A velocidade média da reação no intervalo de tempo de 1h e 3h. a) A concentração de A no tempo de 4h v = 5,0 – 3,0 3 – 1 = 2,0 2 = 1 mol/L  x  h Em 4 h são produzidos 5,5 mol/L de C, que tem a mesma velocidade de consumo de A, 5,5 mol/L Em 4 h restarão 8,5 – 5,5 =  3,0 mol/L
Ex. 07 Pag. 38 06) (Unisinos – RS)  A  combustão completa do etanol ocorre pela equação C 2 H 6 O + 3 O 2     2 CO 2  + 3 H 2 O. Considerando que em 1 h  de reação foram produzidos  2640g  de gás carbônico, você  conclui que a velocidade da reação,  expressa em  nº de mols de etanol consumido por minuto, é igual a:  0,5 mol/min. 1,0 mol/min. c) 23 mol/min. d) 46 mol/min.  e) 69 mol/min. =  60 mols/h n = 2640 44 1  C 2 H 6 O + 3 O 2      2  CO 2  + 3 H 2 O n = 60 mols / 60 min n = 1 mol / min n = 0,5 mol / min
FATORES QUE INFLUEM NA VELOCIDADE DE UMA REAÇÃO Para compreendermos os fatores que alteram a velocidade  de uma reação devemos conhecer a  TEORIA DAS COLISÕES
energia suficiente e orientação adequada COLISÃO EFETIVA H 2 I 2 + 2  HI
energia  insuficiente COLISÃO NÃO EFETIVA H 2 I 2 + H 2 I 2 +
orientação inadequada COLISÃO NÃO EFETIVA H 2 I 2 + H 2 I 2 +
I.  Da freqüência das colisões. II.  Da energia das colisões. III.  Da orientação das moléculas nas colisões . De acordo com a teoria das colisões pode-se afirmar que  a velocidade de uma reação depende:
A freqüência e a energia das colisões são afetadas pelos fatores: Estado particular em que se encontram os reagentes Temperatura em que se realiza a experiência Eletricidade
Luz Pressão Concentração dos reagentes Catalisadores
Estado particular dos reagentes No que se refere ao estado físico dos reagentes   Os gases reagem melhor que os líquidos, e estes melhor que os sólidos   No que se refere aos sólidos:  Quanto mais pulverizados estiverem os reagentes, mais rápida é a reação
Temperatura em que se realiza a experiência Um aumento da temperatura aumenta a freqüência e a energia das colisões entre os reagentes, como conseqüência, o número de colisões efetivas e a velocidade da reação aumentam
Para que as moléculas quebrem suas ligações iniciais e formem novas substâncias é necessária uma energia mínima denominada de  ENERGIA DE ATIVAÇÃO (Ea)
caminho da reação energia ( kcal ) + 10 + 15 + 50 E a  = + 40 kcal
A energia elétrica pode ser  usada para aumentar a  energia cinética das moléculas e, em função disto aumentar a velocidade da reação  É o que ocorre nos motores dos automóveis onde a faísca elétrica provoca a combustão da gasolina  ELETRICIDADE
LUZ A  luz provoca algumas reações denominadas de REAÇÕES FOTOQUÍMICAS   As principais são:  Fotossíntese  Decomposição da água oxigenada em água e oxigênio
CATALISADORES É uma substância que diminui  a energia de ativação de uma reação aumentando assim  a sua velocidade   Os catalisadores não são consumidos durante a reação   Os catalisadores não alteram a  variação de entalpia da reação
caminho da reação energia ( kcal ) + 10 + 15 E a  = + 40 kcal sem catalisador + 50 + 30 E a  = + 20 kcal com catalisador
01) A velocidade de uma reação química depende: Do número de colisões entre moléculas na  unidade de tempo. Da energia cinética das moléculas envolvidas na reação. III. Da orientação das moléculas. Estão corretas as alternativas: a)  I, II e III. b)  somente I. c)  somente II. d)  somente I e II. e)  somente I e III. V V V
02) O  carvão  é  combustível  constituído  de  uma mistura  de  compostos  ricos  em  carbono. A situação  do  combustível, do comburente e a temperatura utilizada favorecerão a combustão do carbono com maior velocidade, é, na ordem:  a)  carvão em pedaços, ar atmosférico, 0°C. b)  carvão pulverizado, ar atmosférico, 30°C. c)  carvão em pedaços, oxigênio puro, 20°C. d)  carvão pulverizado, oxigênio puro, 100°C. e)  carvão em pedaços, oxigênio líquido, 50°C.
CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES Um aumento da concentração dos reagentes numa solução acarretará no aumento do número de colisões e, em conseqüência, um aumento da velocidade da reação
Para uma reação genérica: a A + b B    Produtos A velocidade da reação é dada pela expressão: Onde os valores de  “ x ”  e  “ y ”   são determinados experimentalmente   Esta equação é conhecida pelo nome de  LEI DA VELOCIDADE   v = k [ A ] [ B ] x y
Para as reações ELEMENTARES os valores dos expoentes são iguais aos coeficientes   das substâncias  na equação química   2  NO  (g)  +  H 2   (g)      N 2 O  (g)   +  H 2 O  (g)   v = k [ NO ] [ H 2  ] 2 Para a reação: A lei da velocidade é :
Se uma reação ocorrer em várias etapas sua velocidade é dada pela  ETAPA MAIS LENTA   A  +  A     A 2 ( etapa lenta ) A 2   +  B     A 2 B  ( etapa rápida ) 2 A  +  B     A 2 B  ( reação global ) v = k [ A ] 2 A lei da velocidade é:
01) A reação A + 2 B    P se processa em uma única etapa.  Qual a velocidade  desta  reação  quando  K = 0,3 L/mol . min, [A] = 2,0 M e [B] = 3,0 M ? a)  5,4. b)  4,5. c)  1,8. d)  18,0. e)  54. v = k [ A ] [ B ] 2 k = 0,3 L / mol . min [ A ] = 2,0 M [ B ] = 3,0 M = 0,3 x 2 x 3 2 = 0,3 x 2 x 9 v = 5,4
02) (Unip-SP) A poluição é uma das causas da destruição da camada de ozônio. Uma das reações que podem ocorrer no ar poluído é a reação do dióxido de nitrogênio com o ozônio: 2 NO 2   (g)   +  O 3   (g)      N 2 O 5   (g)   +  O 2   (g) Essa reação ocorre em duas etapas:  I.  NO 2   (g)   +  O 3   (g)     NO 3   (g)   +  O 2   (g)   (lenta) II.  NO 3   (g)   +  NO  (g)     N 2 O 5   (g)   (rápida)  Assinale a lei de velocidade para essa reação:  v = k [NO 2 ]  [O 3 ] v = k [NO 2 ] [O 3 ] v = k [NO 3 ] [NO 2 ] v = k [NO 2 ] [O 3 ] + k’ [NO 3 ] [NO 2 ] v = k [NO 2 ] 2 2 Pág. 45 Ex. 11
03) Na decomposição térmica da amônia expressa  pela equação: 2 NH 3  (g)     N 2  (g)  +  3 H 2  (g) Duplicando-se a concentração molar de NH 3 , a  velocidade da reação ficará: a)  inalterada. b)  duas vezes maior. c)  três vezes maior. d)  quatro vezes maior. e)  seis vezes maior. v = k [ NH 3  ] 2 [ NH 3  ] = x mol /L v = k x 2 [ NH 3  ]  =  2x  mol /L v’ = k ( 2x ) 2 v’ = k x 4 2 v’ = 4 v
04) Unisinos-RS) Na Química ambiental, que procura, entre outras coisas, avaliar formas de atenuar a emissão de substâncias gasosas que depreciam a qualidade do ar; a reação entre os gases monóxido de carbono e oxigênio, para produzir dióxido de carbono, tem grande importância. A equação representativa dessa reação é:  2 CO (g)  +  O 2  (g)  2  CO 2  (g) v 1 v 2 Quando se duplicarem, simultaneamente, as concentrações molares de CO e O 2 , efetuando a reação em sistema fechado, por quantas vezes ficará multiplicada a velocidade da reação “v”? 2. 4. 8. 16. 32. Pág. 45 Ex. 10 v = k [CO]  [O 2 ] 2 [CO 2 ] =  x  mol/L [O 2 ] =  y  mol/L 2 v =  k x  y [CO 2 ] =  2x  mol/L [O 2 ] =  2y  mol/L 2 v’ =  k (2x)  (2y) 2 v’ = 8 v k x  y
05)  A  tabela  abaixo  apresenta  os  valores  das  velocidades  de  reação e as correspondentes  concentrações  em mol / L  dos  reagentes em idênticas condições, para o processo químico representado pela equação:  3 X  +  2 Y     Z  +  5 W velocidade  [ X ]  [ Y ] 10 10 10 10 10 40 40 20 5 Qual a equação de velocidade desse processo? v = k [ X ] [ Y ] b x a 1 2 3 1 2 = 10 40 k k x x x 10 5 b a b a 10 10 x 2 3 = 40 40 k k x x x 10 10 b 2 b 2 20 10 4 = 2 a = 2 a 2 2 a  =  2 1 = 2 b = 2 b 2 0 b  =  0 v = k [ X ] [ Y ] 0 2 ou v = k [ X ] 2 Pág. 44 Ex. 08
06) (Urca-CE) Dada a seguinte reação genérica  “2 A + B    C”  e o quadro cinético abaixo: É correto afirmar: é uma reação elementar. a ordem global da reação é 2. a lei de velocidade é v = k[A] 2 [B]. a constante de velocidade é igual a 1. a lei de velocidade é v = k[A][B] 2 .   v = k [A]  [B] x y = 2 1 1,80 0,20 k . (0,42)  (0,63) x y k . (0,42)  (0,21) x y 9  =  3 y y = 2 = 3 1 0,40 0,20 k . (0,84)  (0,21) x y k . (0,42)  (0,21) x y 2  =  2 x x = 1 v = k [A] [B] 2 0,40 0,21 0,84 III 1,80 0,63 0,42 II 0,20 0,21 0,42 I Velocidade (mol/L.s) [B] mol/L [A] mol/L Experiência

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cineticaquimica
CineticaquimicaCineticaquimica
Cineticaquimica
Cláudia Martins Ledesma
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Profª Rosana
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
fabioquimico
 
Lista de exercícios cinética química
Lista de exercícios   cinética químicaLista de exercícios   cinética química
Lista de exercícios cinética química
Daiane Gris
 
Lista de exercícios VII Cinética química
Lista de exercícios VII Cinética químicaLista de exercícios VII Cinética química
Lista de exercícios VII Cinética química
Carlos Priante
 
Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)
Elio Junior
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Colegio CMC
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Fernando Lucas
 
Equilibrio químico
Equilibrio químicoEquilibrio químico
Equilibrio químico
Diogo Britodias
 
Exercícios sobre cinética química
Exercícios sobre cinética químicaExercícios sobre cinética química
Exercícios sobre cinética química
Juliane Vieira
 
Conceitos de cinética química
Conceitos de cinética químicaConceitos de cinética química
Conceitos de cinética química
Hugo Félix Félix
 
Folha 20 aula termoquímica
Folha 20 aula termoquímicaFolha 20 aula termoquímica
Folha 20 aula termoquímica
Rikardo Coimbra
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
Vinny Silva
 
3a lista de exercicios cinetica
3a lista de exercicios cinetica 3a lista de exercicios cinetica
3a lista de exercicios cinetica
quihu
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
Giovanna Mariotti
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Marcy Gomes
 
Apostila físico química e analítica - teoria e exercícios
Apostila   físico química e analítica - teoria e exercíciosApostila   físico química e analítica - teoria e exercícios
Apostila físico química e analítica - teoria e exercícios
João Valdir Miranda
 
Quim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostosQuim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostos
Fábio Oisiovici
 
Cinetica exerci
Cinetica exerciCinetica exerci
Cinetica exerci
aguiarte10
 

Mais procurados (19)

Cineticaquimica
CineticaquimicaCineticaquimica
Cineticaquimica
 
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
Cinetica quimica questoes_objetivas[1]
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
 
Lista de exercícios cinética química
Lista de exercícios   cinética químicaLista de exercícios   cinética química
Lista de exercícios cinética química
 
Lista de exercícios VII Cinética química
Lista de exercícios VII Cinética químicaLista de exercícios VII Cinética química
Lista de exercícios VII Cinética química
 
Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)Aula 10 (lista de exercicio)
Aula 10 (lista de exercicio)
 
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reaçãoLista de exercícios 26   cálculo da velocidade da reação
Lista de exercícios 26 cálculo da velocidade da reação
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Equilibrio químico
Equilibrio químicoEquilibrio químico
Equilibrio químico
 
Exercícios sobre cinética química
Exercícios sobre cinética químicaExercícios sobre cinética química
Exercícios sobre cinética química
 
Conceitos de cinética química
Conceitos de cinética químicaConceitos de cinética química
Conceitos de cinética química
 
Folha 20 aula termoquímica
Folha 20 aula termoquímicaFolha 20 aula termoquímica
Folha 20 aula termoquímica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
3a lista de exercicios cinetica
3a lista de exercicios cinetica 3a lista de exercicios cinetica
3a lista de exercicios cinetica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoesExerc cinetica termoquimica_solucoes
Exerc cinetica termoquimica_solucoes
 
Apostila físico química e analítica - teoria e exercícios
Apostila   físico química e analítica - teoria e exercíciosApostila   físico química e analítica - teoria e exercícios
Apostila físico química e analítica - teoria e exercícios
 
Quim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostosQuim04 livro-propostos
Quim04 livro-propostos
 
Cinetica exerci
Cinetica exerciCinetica exerci
Cinetica exerci
 

Destaque

Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
José Nunes da Silva Jr.
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
larissemaia
 
Química orgânica
Química orgânicaQuímica orgânica
Química orgânica
Fatima Comiotto
 
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética químicaProfessor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
José Roberto Mattos
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
Fatima Comiotto
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
eglailima
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
japquimica
 
Cinetica Quimica
Cinetica QuimicaCinetica Quimica
Cinetica Quimica
Cinta García
 
Mega aulão auditório grande
Mega aulão auditório grandeMega aulão auditório grande
Mega aulão auditório grande
Interaquimica Quimica
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
Nai Mariano
 
Química Orgânica
Química OrgânicaQuímica Orgânica
Química Orgânica
Alice Almeida
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
Isabel Vitória
 
Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-química
Danilo Alves
 
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Joelson Barral
 
Cinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalhoCinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalho
Jordana De Oliveira Silva
 
Ana nery cinética química
Ana nery   cinética químicaAna nery   cinética química
Ana nery cinética química
Escola Técnica Ana Nery
 
Software Educacional: Cinética Química
Software Educacional: Cinética QuímicaSoftware Educacional: Cinética Química
Software Educacional: Cinética Química
José Nunes da Silva Jr.
 
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
Maiquel Vieira
 
Slide biologia na ponta da lingua
Slide biologia na ponta da linguaSlide biologia na ponta da lingua
Slide biologia na ponta da lingua
Letícia Oliveira
 
Energia quimica
Energia quimicaEnergia quimica
Energia quimica
bebecca
 

Destaque (20)

Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Química orgânica
Química orgânicaQuímica orgânica
Química orgânica
 
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética químicaProfessor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
Professor José Roberto - Aula atualizada 2ºano cinética química
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinetica Quimica
Cinetica QuimicaCinetica Quimica
Cinetica Quimica
 
Mega aulão auditório grande
Mega aulão auditório grandeMega aulão auditório grande
Mega aulão auditório grande
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
 
Química Orgânica
Química OrgânicaQuímica Orgânica
Química Orgânica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Cinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-químicaCinética Química - Fisico-química
Cinética Química - Fisico-química
 
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
 
Cinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalhoCinetica quimica trabalho
Cinetica quimica trabalho
 
Ana nery cinética química
Ana nery   cinética químicaAna nery   cinética química
Ana nery cinética química
 
Software Educacional: Cinética Química
Software Educacional: Cinética QuímicaSoftware Educacional: Cinética Química
Software Educacional: Cinética Química
 
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
Aula de química para o Enem - Orgânica - Módulo 5
 
Slide biologia na ponta da lingua
Slide biologia na ponta da linguaSlide biologia na ponta da lingua
Slide biologia na ponta da lingua
 
Energia quimica
Energia quimicaEnergia quimica
Energia quimica
 

Semelhante a Cinetica

Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Turma Olímpica
 
Aula 01_ cinetica química das reações.pdf
Aula 01_ cinetica química das reações.pdfAula 01_ cinetica química das reações.pdf
Aula 01_ cinetica química das reações.pdf
LayzzaTardindaSilvaS
 
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimicaapostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
DeisemariadeOliveira1
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
Fábio Oisiovici
 
Slides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdfSlides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdf
RuanAlbuquerque6
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 
Apostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-anoApostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-ano
Amanda Tavares
 
Listas Cinética Química
Listas Cinética QuímicaListas Cinética Química
Listas Cinética Química
Márcio Martins
 
Listas de exercício Cinética Química
Listas de exercício Cinética QuímicaListas de exercício Cinética Química
Listas de exercício Cinética Química
Márcio Martins
 
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICAResumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
colegioexpansao
 
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
Alcoa
 
Ufpe fase2
Ufpe fase2Ufpe fase2
Ufpe fase2
Junior Dou
 
Ufba12qui2
Ufba12qui2Ufba12qui2
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
Carlos Priante
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
MariaCeclia811680
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
Hugo Cruz Rangel
 
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp0104 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
ferfla10
 
Exercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabaritoExercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabarito
Estude Mais
 
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Profª Cristiana Passinato
 
Calculo da velocidadedareaçao
Calculo da velocidadedareaçaoCalculo da velocidadedareaçao
Calculo da velocidadedareaçao
francar francar
 

Semelhante a Cinetica (20)

Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética QuímicaSlides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
Slides da aula de Química (Manoel) sobre Cinética Química
 
Aula 01_ cinetica química das reações.pdf
Aula 01_ cinetica química das reações.pdfAula 01_ cinetica química das reações.pdf
Aula 01_ cinetica química das reações.pdf
 
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimicaapostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
apostila segundo ano ensino médio coc cinética quimica
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
 
Slides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdfSlides_-_Aula_7.pdf
Slides_-_Aula_7.pdf
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Apostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-anoApostila 2c2ba-ano
Apostila 2c2ba-ano
 
Listas Cinética Química
Listas Cinética QuímicaListas Cinética Química
Listas Cinética Química
 
Listas de exercício Cinética Química
Listas de exercício Cinética QuímicaListas de exercício Cinética Química
Listas de exercício Cinética Química
 
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICAResumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
Resumo te rico cin-tica qu-mica.QUIMICA
 
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
51187144 lista-de-exercicios-1-cinetica
 
Ufpe fase2
Ufpe fase2Ufpe fase2
Ufpe fase2
 
Ufba12qui2
Ufba12qui2Ufba12qui2
Ufba12qui2
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdfcinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
cinticaqumica-141002231720-phpapp. 02.pdf
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp0104 estequiometria-100801162153-phpapp01
04 estequiometria-100801162153-phpapp01
 
Exercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabaritoExercicios de termoquimica com gabarito
Exercicios de termoquimica com gabarito
 
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3   Q. Geral  Eng. Pet.  2007
Sandrogreco Gabarito Da Lista De ExercíCios 3 Q. Geral Eng. Pet. 2007
 
Calculo da velocidadedareaçao
Calculo da velocidadedareaçaoCalculo da velocidadedareaçao
Calculo da velocidadedareaçao
 

Último

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 

Cinetica

  • 2. CINÉTICA QUÍMICA Parte da química que estuda a rapidez das reações
  • 3. Oxidação do ferro (ocorre de forma lenta). Este estudo é importante para o nosso dia-a-dia, pois explica alguns fenômenos que convivemos tais como:
  • 4. Alimentos em panela de pressão cozinham mais rápidos.
  • 5. VELOCIDADE MÉDIA DE UMA REAÇÃO É a maior ou menor rapidez (velocidade) com que uma reação ocorre
  • 6. É calculada pela relação entre a quantidade de um reagente (ou produto) que é consumido (ou produzido) e o intervalo de tempo gasto para isto v = [ final ] [ inicial ] – final t – inicial t M
  • 7. As quantidades das substâncias são medidas em mol/L, massas, volumes (gases), etc., Enquanto que o intervalo de tempo pode ser dado em segundos, minutos ou horas
  • 8. A quantidade de reagente ou produto medida em mol/L é representada por [ ]
  • 9. 01) (Covest – 2006) A reação de decomposição da amônia gasosa foi realizada em um recipiente fechado: 2 NH 3  N 2 + 3 H 2 A tabela abaixo indica a variação na concentração de reagente em função do tempo. Concentração de NH 3 em mol/ L Tempo em horas 8,0 6,0 4,0 1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 Qual é a velocidade média de consumo do reagente nas duas primeiras horas de reação? a) 4,0 mol / L.h b) 2,0 mol / L.h c) 10 km / h d) 1,0 mol / L.h e) 2,3 mol / h V m = 4 mol / L 2 h = 2 mol / L . h
  • 10. 02) Em determinada experiência, a reação de formação de água está ocorrendo com o consumo de 4 mols de oxigênio por minuto. Conseqüentemente, a velocidade de consumo de hidrogênio é de: a) 2 mols/min. b) 4 mols/min. c) 8 mols/min. d) 12 mols/min. e) 16 mols/min. H 2 + O 2  H 2 O 2 mols/min de H 2 1 mols/min de O 2 n mols/min de H 2 4 mols/min de O 2 n = 2 x 4 n = 8 mols / min 2 2 1
  • 11. 03) (FMIt - MG) Numa reação completa de combustão, foi consumido, em 5 min, 0,25 mol de metano, que foi transformado em CO 2 e H 2 O. A velocidade da reação será: a) 0,80 mol/min. b) 0,40 mol/min. c) 0,05 mol/min. d) 0,60 mol/min. e) 0,30 mol/min. V m = 0,25 mol 5 min = 0,05 mol / min V m
  • 12. 04) (Mack – SP) Numa certa experiência, a síntese do cloreto de hidrogênio ocorre com um consumo de 3,0 mol de H 2(g) por minuto. A velocidade de formação do cloreto de hidrogênio é igual a: Dado: H 2 (g) + Cl 2 (g)  2 HCl (g) ao dobro da do consumo de gás cloro. a 3,0 mol / minuto. a 2,0 mol / minuto. a 1,0 mol / minuto. a 1,5 mol / minuto. Ex. 01 Pag. 38 1 H 2 (g) + 1 Cl 2 (g)  2 HCl (g) Produz o DOBRO do consumo de gás cloro
  • 13. Ex. 05 Pag. 38 05) (Ufscar – SP) Para a reação A + 2 B  C, com concentrações iniciais de A e B iguais a 8,5 molar e 15 molar, respectivamente, colheram-se os seguintes dados em laboratório: tempo (h) 0 1,0 2,0 3,0 4,0 [C] 0 3,0 4,5 5,0 5,5 Calcule: a) A velocidade média da reação no intervalo de tempo de 1h e 3h. a) A concentração de A no tempo de 4h v = 5,0 – 3,0 3 – 1 = 2,0 2 = 1 mol/L x h Em 4 h são produzidos 5,5 mol/L de C, que tem a mesma velocidade de consumo de A, 5,5 mol/L Em 4 h restarão 8,5 – 5,5 = 3,0 mol/L
  • 14. Ex. 07 Pag. 38 06) (Unisinos – RS) A combustão completa do etanol ocorre pela equação C 2 H 6 O + 3 O 2  2 CO 2 + 3 H 2 O. Considerando que em 1 h de reação foram produzidos 2640g de gás carbônico, você conclui que a velocidade da reação, expressa em nº de mols de etanol consumido por minuto, é igual a: 0,5 mol/min. 1,0 mol/min. c) 23 mol/min. d) 46 mol/min. e) 69 mol/min. = 60 mols/h n = 2640 44 1 C 2 H 6 O + 3 O 2  2 CO 2 + 3 H 2 O n = 60 mols / 60 min n = 1 mol / min n = 0,5 mol / min
  • 15. FATORES QUE INFLUEM NA VELOCIDADE DE UMA REAÇÃO Para compreendermos os fatores que alteram a velocidade de uma reação devemos conhecer a TEORIA DAS COLISÕES
  • 16. energia suficiente e orientação adequada COLISÃO EFETIVA H 2 I 2 + 2 HI
  • 17. energia insuficiente COLISÃO NÃO EFETIVA H 2 I 2 + H 2 I 2 +
  • 18. orientação inadequada COLISÃO NÃO EFETIVA H 2 I 2 + H 2 I 2 +
  • 19. I. Da freqüência das colisões. II. Da energia das colisões. III. Da orientação das moléculas nas colisões . De acordo com a teoria das colisões pode-se afirmar que a velocidade de uma reação depende:
  • 20. A freqüência e a energia das colisões são afetadas pelos fatores: Estado particular em que se encontram os reagentes Temperatura em que se realiza a experiência Eletricidade
  • 21. Luz Pressão Concentração dos reagentes Catalisadores
  • 22. Estado particular dos reagentes No que se refere ao estado físico dos reagentes Os gases reagem melhor que os líquidos, e estes melhor que os sólidos No que se refere aos sólidos: Quanto mais pulverizados estiverem os reagentes, mais rápida é a reação
  • 23. Temperatura em que se realiza a experiência Um aumento da temperatura aumenta a freqüência e a energia das colisões entre os reagentes, como conseqüência, o número de colisões efetivas e a velocidade da reação aumentam
  • 24. Para que as moléculas quebrem suas ligações iniciais e formem novas substâncias é necessária uma energia mínima denominada de ENERGIA DE ATIVAÇÃO (Ea)
  • 25. caminho da reação energia ( kcal ) + 10 + 15 + 50 E a = + 40 kcal
  • 26. A energia elétrica pode ser usada para aumentar a energia cinética das moléculas e, em função disto aumentar a velocidade da reação É o que ocorre nos motores dos automóveis onde a faísca elétrica provoca a combustão da gasolina ELETRICIDADE
  • 27. LUZ A luz provoca algumas reações denominadas de REAÇÕES FOTOQUÍMICAS As principais são: Fotossíntese Decomposição da água oxigenada em água e oxigênio
  • 28. CATALISADORES É uma substância que diminui a energia de ativação de uma reação aumentando assim a sua velocidade Os catalisadores não são consumidos durante a reação Os catalisadores não alteram a variação de entalpia da reação
  • 29. caminho da reação energia ( kcal ) + 10 + 15 E a = + 40 kcal sem catalisador + 50 + 30 E a = + 20 kcal com catalisador
  • 30. 01) A velocidade de uma reação química depende: Do número de colisões entre moléculas na unidade de tempo. Da energia cinética das moléculas envolvidas na reação. III. Da orientação das moléculas. Estão corretas as alternativas: a) I, II e III. b) somente I. c) somente II. d) somente I e II. e) somente I e III. V V V
  • 31. 02) O carvão é combustível constituído de uma mistura de compostos ricos em carbono. A situação do combustível, do comburente e a temperatura utilizada favorecerão a combustão do carbono com maior velocidade, é, na ordem: a) carvão em pedaços, ar atmosférico, 0°C. b) carvão pulverizado, ar atmosférico, 30°C. c) carvão em pedaços, oxigênio puro, 20°C. d) carvão pulverizado, oxigênio puro, 100°C. e) carvão em pedaços, oxigênio líquido, 50°C.
  • 32. CONCENTRAÇÃO DOS REAGENTES Um aumento da concentração dos reagentes numa solução acarretará no aumento do número de colisões e, em conseqüência, um aumento da velocidade da reação
  • 33. Para uma reação genérica: a A + b B  Produtos A velocidade da reação é dada pela expressão: Onde os valores de “ x ” e “ y ” são determinados experimentalmente Esta equação é conhecida pelo nome de LEI DA VELOCIDADE v = k [ A ] [ B ] x y
  • 34. Para as reações ELEMENTARES os valores dos expoentes são iguais aos coeficientes das substâncias na equação química 2 NO (g) + H 2 (g)  N 2 O (g) + H 2 O (g) v = k [ NO ] [ H 2 ] 2 Para a reação: A lei da velocidade é :
  • 35. Se uma reação ocorrer em várias etapas sua velocidade é dada pela ETAPA MAIS LENTA A + A  A 2 ( etapa lenta ) A 2 + B  A 2 B ( etapa rápida ) 2 A + B  A 2 B ( reação global ) v = k [ A ] 2 A lei da velocidade é:
  • 36. 01) A reação A + 2 B  P se processa em uma única etapa. Qual a velocidade desta reação quando K = 0,3 L/mol . min, [A] = 2,0 M e [B] = 3,0 M ? a) 5,4. b) 4,5. c) 1,8. d) 18,0. e) 54. v = k [ A ] [ B ] 2 k = 0,3 L / mol . min [ A ] = 2,0 M [ B ] = 3,0 M = 0,3 x 2 x 3 2 = 0,3 x 2 x 9 v = 5,4
  • 37. 02) (Unip-SP) A poluição é uma das causas da destruição da camada de ozônio. Uma das reações que podem ocorrer no ar poluído é a reação do dióxido de nitrogênio com o ozônio: 2 NO 2 (g) + O 3 (g)  N 2 O 5 (g) + O 2 (g) Essa reação ocorre em duas etapas: I. NO 2 (g) + O 3 (g)  NO 3 (g) + O 2 (g) (lenta) II. NO 3 (g) + NO (g)  N 2 O 5 (g) (rápida) Assinale a lei de velocidade para essa reação: v = k [NO 2 ] [O 3 ] v = k [NO 2 ] [O 3 ] v = k [NO 3 ] [NO 2 ] v = k [NO 2 ] [O 3 ] + k’ [NO 3 ] [NO 2 ] v = k [NO 2 ] 2 2 Pág. 45 Ex. 11
  • 38. 03) Na decomposição térmica da amônia expressa pela equação: 2 NH 3 (g)  N 2 (g) + 3 H 2 (g) Duplicando-se a concentração molar de NH 3 , a velocidade da reação ficará: a) inalterada. b) duas vezes maior. c) três vezes maior. d) quatro vezes maior. e) seis vezes maior. v = k [ NH 3 ] 2 [ NH 3 ] = x mol /L v = k x 2 [ NH 3 ] = 2x mol /L v’ = k ( 2x ) 2 v’ = k x 4 2 v’ = 4 v
  • 39. 04) Unisinos-RS) Na Química ambiental, que procura, entre outras coisas, avaliar formas de atenuar a emissão de substâncias gasosas que depreciam a qualidade do ar; a reação entre os gases monóxido de carbono e oxigênio, para produzir dióxido de carbono, tem grande importância. A equação representativa dessa reação é: 2 CO (g) + O 2 (g) 2 CO 2 (g) v 1 v 2 Quando se duplicarem, simultaneamente, as concentrações molares de CO e O 2 , efetuando a reação em sistema fechado, por quantas vezes ficará multiplicada a velocidade da reação “v”? 2. 4. 8. 16. 32. Pág. 45 Ex. 10 v = k [CO] [O 2 ] 2 [CO 2 ] = x mol/L [O 2 ] = y mol/L 2 v = k x y [CO 2 ] = 2x mol/L [O 2 ] = 2y mol/L 2 v’ = k (2x) (2y) 2 v’ = 8 v k x y
  • 40. 05) A tabela abaixo apresenta os valores das velocidades de reação e as correspondentes concentrações em mol / L dos reagentes em idênticas condições, para o processo químico representado pela equação: 3 X + 2 Y  Z + 5 W velocidade [ X ] [ Y ] 10 10 10 10 10 40 40 20 5 Qual a equação de velocidade desse processo? v = k [ X ] [ Y ] b x a 1 2 3 1 2 = 10 40 k k x x x 10 5 b a b a 10 10 x 2 3 = 40 40 k k x x x 10 10 b 2 b 2 20 10 4 = 2 a = 2 a 2 2 a = 2 1 = 2 b = 2 b 2 0 b = 0 v = k [ X ] [ Y ] 0 2 ou v = k [ X ] 2 Pág. 44 Ex. 08
  • 41. 06) (Urca-CE) Dada a seguinte reação genérica “2 A + B  C” e o quadro cinético abaixo: É correto afirmar: é uma reação elementar. a ordem global da reação é 2. a lei de velocidade é v = k[A] 2 [B]. a constante de velocidade é igual a 1. a lei de velocidade é v = k[A][B] 2 . v = k [A] [B] x y = 2 1 1,80 0,20 k . (0,42) (0,63) x y k . (0,42) (0,21) x y 9 = 3 y y = 2 = 3 1 0,40 0,20 k . (0,84) (0,21) x y k . (0,42) (0,21) x y 2 = 2 x x = 1 v = k [A] [B] 2 0,40 0,21 0,84 III 1,80 0,63 0,42 II 0,20 0,21 0,42 I Velocidade (mol/L.s) [B] mol/L [A] mol/L Experiência