SlideShare uma empresa Scribd logo
http://simonehelendrumond.blogspot.com




A violência contra a criança é um transtorno grave e crônico
   no funcionamento familiar, que se transmitem de uma
geração para a outra, onde cerca de 20 a 30% das crianças
      maltratadas convertem-se em adultos violentos.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
A violência dos pais para




                                http://simonehelendrumond.blogspot.com
com as crianças, pode adotar
  distintas formas, algumas
     mais fáceis de serem
  detectadas do que outras,
  mas todas denunciam um
 latente problema de saúde,
  que demanda abordagens
multidisciplinares e soluções
oportunas para cortar o ciclo
       da dor e resgatar
    a vítima (CRIANÇA) de
 seqüelas importantíssimas,
que a condicionará ao longo
          de sua vida.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
Até a alguns anos atrás,
   pensava-se que o maltrato




                                 http://simonehelendrumond.blogspot.com
  infantil era conseqüência de
    transtornos psicológicos
     individuais, alcoolismo,
 toxicomania, ou de carências
   financeiras ou educativas.
     As investigações atuais
demonstram que, na realidade,
é o produto de uma conjunção
   de fatores relacionados ao
  modelo familiar e social que
     valida à violência como
procedimento aceitável para a
       solução de conflitos.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
O abuso infantil envolve a imperícia,
imprudência ou a negligência (estes




                                        http://simonehelendrumond.blogspot.com
  elementos constituem a definição
      legal de "culpa") ou um ato
   praticado com dolo por parte do
    adulto contra o bem-estar ou a
        saúde da criança, como
   alimentação ou abrigo. Também
   comumente envolve agressões
 psicológicas como xingamentos ou
     palavras que causam danos
     psicológicos à criança, e/ou
  agressões de caráter físico como
   espancamento, queimaduras ou
 abuso sexual (que também causam
   danos, psicológicos inclusive).
http://simonehelendrumond.blogspot.com
    De que lado você está?
DISQUE 100 PARA DENUNCIAR
Maltrato físico
É o tipo de violência mais evidente e
          fácil de detectar.




                                                       http://simonehelendrumond.blogspot.com
Trata-se de lesões provocadas por qualquer motivo,
incluindo as reações a condutas indesejadas pelos
pais ou responsáveis pela criança. Podem confundir-
se com lesões acidentais, porém o olho treinado de
uma educadora, pediatra ou assistente social saberá
tomar as medidas necessárias para evidenciar e
exterminar este fato da vida da criança..

Existem diferentes tipos: escoriações, hematomas,
luxações, fraturas, queimaduras, feridas por objetos
cortantes, desgarros, lesões. As lesões podem ser
provocadas por impacto, penetração, calor, uso de
substâncias cáusticas, substâncias químicas ou
drogas.
http://simonehelendrumond.blogspot.com




A VIOLÊNCIA MATA!
A violência em nosso
       mundo assumiu
 proporções assustadoras.
  Em todos os lugares, em
todas as direções podemos
sentir sua terrível presença.
    Assistindo televisão,
ouvindo rádio, lendo jornal,
  tomamos contato diário
   com notícias de crime,
 mortes destruições. Diga
  não a violência para que
 seus filhos não tornem-se
        filhos da vida!
http://simonehelendrumond.blogspot.com
"Violência só gera mais violência"



                                     http://simonehelendrumond.blogspot.com
O caminho que parece
ser o mais válido para o
   combate à violência,




                            http://simonehelendrumond.blogspot.com
embora árduo e difícil, é
       o caminho da
não-violência ativa. Este
    caminho tem como
objetivo promover uma
    revolução humana
 interior, a revolução no
        coração do
  revolucionário e, com
     isso, conseguir a
  mudança profunda do
      mundo exterior.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
CRIANÇA DEVE ESTUDAR E BRINCAR!
http://simonehelendrumond.blogspot.com
Numa sociedade dominada pela violência a guerra,
em forma de brincadeira, invade o mundo infantil.
A alternativa da não-
                                         violência não se resume em
http://simonehelendrumond.blogspot.com




                                         mero repúdio aos métodos
                                           violentos. Nossa atitude
                                          não pode ficar apenas em
                                          palavras ou em discursos
                                          de denúncia. Por isso, nós
                                           EDUCADORES, estamos
                                              conscientizando a
                                          comunidade escolar sobre
                                            este problema que se
                                            expande pelo mundo.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
A violência altera o
                                         mundo espalhando
http://simonehelendrumond.blogspot.com




                                           medo e horror. A
                                          não-violência age
                                         através do poder de
                                             comover as
                                             pessoas, de
                                          despertar a voz da
                                          consciência moral
                                             muitas vezes
                                           abafada em nós.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
     O TRABALHO INFANTIL É UMA VIOLÊNCIA CONTRA O
DESENVOLVIMENTO FISICO E INTELECTUAL DE NOSSAS CRIANÇAS!
Não Bata, eduque!
                                         Quantas crianças vamos perder até
                                            entendermos que violência e
                                             educação não combinam?

                                          Será que não é o momento de as
                                         pessoas perguntarem se realmente
                                                  educar é bater?

                                            Será que é necessário agredir,
                                            machucar, tirar sangue de uma
                                               criança, para educá-la?

                                          Está na hora de mudar essa cultura
                                         de que o pai, a mãe ou o responsável
                                             têm o direito de bater em uma
                                                criança, para educá-la.’
http://simonehelendrumond.blogspot.com
Vamos




                           http://simonehelendrumond.blogspot.com
   incentivar o
 desarmamento
  infantil, para
   que nossas
     crianças
   cresçam de
      forma
  harmoniosa.
ARMA + VIOLENCIA = MORTE
http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
A violência é um fenômeno
multifatorial, o que se faz necessário
 um olhar multidimensional para que
sua identificação seja cada vez mais
     perceptível, e que estratégias
 eficazes sejam desenvolvidas para
      sua prevenção. Contudo na
    sociedade moderna a violência
     contra crianças tem crescido
paulatinamente, o que nos inquieta a
   refletir sobre tal fenômeno, suas
conseqüências na saúde mental das
    crianças e formas de prevenir,
  garantindo direitos e, sobretudo, a
  saúde psicológica e emocional de
   nossas crianças e adolescentes.
   http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
 Quero ser como criança, te amar pelo que é. Voltar a
inocência, e acreditar em ti. Mas às vezes sou levado
  pela vontade de crescer, torno-me independente e
             deixo simplesmente de crer.
http://simonehelendrumond.blogspot.com
AOS SEUS FILHOS!
DÊ BONS EXEMPLOS



           http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com
http://simonehelendrumond.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Aline Kelly
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Viviane De Carvalho Teixeira
 
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptxfaça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
FernandoPimenta19
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
Beatriz Miranda
 
Bullying na Escola
Bullying na EscolaBullying na Escola
Aula sobre o eca
Aula sobre o ecaAula sobre o eca
Aula sobre o eca
Diego Alvarez
 
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
Marilene dos Santos
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
laboratório de informática cef15
 
Bullying
Bullying Bullying
Abuso Sexual
Abuso SexualAbuso Sexual
Abuso Sexual
Fábio Simões
 
maio laranja.pptx
maio laranja.pptxmaio laranja.pptx
maio laranja.pptx
AntnyoAllysson
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
Emanuel Oliveira
 
Webquest bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
Webquest   bullyng uma brincadeira que não é brincadeiraWebquest   bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
Webquest bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
Catia Goulart Goulart
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Fabiana Subrinho
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
Alinebrauna Brauna
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
Fábio Yamano
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
Genilson Costa e Silva
 
O papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhosO papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhos
Marta Lemos
 
Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Anaí Peña
 

Mais procurados (20)

Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente. Cartilha informativa sobre abuso  sexual contra a criança e o adolescente.
Cartilha informativa sobre abuso sexual contra a criança e o adolescente.
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptxfaça bonito 18 de maio - Copia.pptx
faça bonito 18 de maio - Copia.pptx
 
Violência infantil
Violência infantilViolência infantil
Violência infantil
 
Bullying na Escola
Bullying na EscolaBullying na Escola
Bullying na Escola
 
Aula sobre o eca
Aula sobre o ecaAula sobre o eca
Aula sobre o eca
 
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolesce...
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Abuso Sexual
Abuso SexualAbuso Sexual
Abuso Sexual
 
maio laranja.pptx
maio laranja.pptxmaio laranja.pptx
maio laranja.pptx
 
Violência sexual infantil
Violência sexual infantilViolência sexual infantil
Violência sexual infantil
 
Webquest bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
Webquest   bullyng uma brincadeira que não é brincadeiraWebquest   bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
Webquest bullyng uma brincadeira que não é brincadeira
 
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
Slide projeto violencia e abuso sexual   renataSlide projeto violencia e abuso sexual   renata
Slide projeto violencia e abuso sexual renata
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
 
O papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhosO papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhos
 
Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Palestra sobre bullying
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
 

Destaque

Slide
SlideSlide
Hepatite
HepatiteHepatite
Drogas
Drogas Drogas
Drogas
Fernanda Iris
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Bio Sem Limites
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
ariadnemonitoria
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
Dallyla Sohara
 
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
Zelton Alves Oliveira
 

Destaque (7)

Slide
SlideSlide
Slide
 
Hepatite
HepatiteHepatite
Hepatite
 
Drogas
Drogas Drogas
Drogas
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
 

Semelhante a Cartazes sobre a violencia infantil

Seminário SINDSASC DF Abril 2017
Seminário SINDSASC DF Abril 2017Seminário SINDSASC DF Abril 2017
Seminário SINDSASC DF Abril 2017
SINDSASC
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
Kessylen Carvalho
 
Violencia saudavel anaalmeida
Violencia saudavel anaalmeidaViolencia saudavel anaalmeida
Violencia saudavel anaalmeida
Licínia Simões
 
Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)
Liliana Queirós Fonseca
 
Modulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 webModulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 web
Jamille Araújo
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escola
bethbal
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying?
MuriloMorotti
 
Projeto eproinfo 1
Projeto eproinfo 1Projeto eproinfo 1
Projeto eproinfo 1
profpelizzer
 
Projeto saudavel crianca
Projeto saudavel criancaProjeto saudavel crianca
Projeto saudavel crianca
profpelizzer
 
Gêneros textuais 2 o. bim 8o ano
Gêneros textuais 2 o. bim 8o anoGêneros textuais 2 o. bim 8o ano
Gêneros textuais 2 o. bim 8o ano
Marcia Facelli
 
Bullyng
BullyngBullyng
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
Antônio Fernandes
 
Violência e Escola
Violência e EscolaViolência e Escola
Violência e Escola
Washington Luiz Ribeiro
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
Ellenpsicologia
 
Winiccot
WiniccotWiniccot
Textos sobre bullying
Textos sobre bullyingTextos sobre bullying
Textos sobre bullying
Fabio Cruz
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
Lucas Carvalho Silva
 
Bullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunosBullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunos
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!
Ministério Público de Santa Catarina
 
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
ANDRESSA MILLARD
 

Semelhante a Cartazes sobre a violencia infantil (20)

Seminário SINDSASC DF Abril 2017
Seminário SINDSASC DF Abril 2017Seminário SINDSASC DF Abril 2017
Seminário SINDSASC DF Abril 2017
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Violencia saudavel anaalmeida
Violencia saudavel anaalmeidaViolencia saudavel anaalmeida
Violencia saudavel anaalmeida
 
Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)Bullying liliana (1)
Bullying liliana (1)
 
Modulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 webModulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 web
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escola
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying?
 
Projeto eproinfo 1
Projeto eproinfo 1Projeto eproinfo 1
Projeto eproinfo 1
 
Projeto saudavel crianca
Projeto saudavel criancaProjeto saudavel crianca
Projeto saudavel crianca
 
Gêneros textuais 2 o. bim 8o ano
Gêneros textuais 2 o. bim 8o anoGêneros textuais 2 o. bim 8o ano
Gêneros textuais 2 o. bim 8o ano
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
ESCOLA CORNÉLIA. PROJETO FORPAZ. PROF. AUGUSTO CARVALHO.
 
Violência e Escola
Violência e EscolaViolência e Escola
Violência e Escola
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
 
Winiccot
WiniccotWiniccot
Winiccot
 
Textos sobre bullying
Textos sobre bullyingTextos sobre bullying
Textos sobre bullying
 
abuso sexxual
abuso sexxualabuso sexxual
abuso sexxual
 
Bullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunosBullying - Entre alunos
Bullying - Entre alunos
 
Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!Bullying, isso não é brincadeira!
Bullying, isso não é brincadeira!
 
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
Fmufinalcartilha 110728144919-phpapp02
 

Mais de SimoneHelenDrumond

BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
SimoneHelenDrumond
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
SimoneHelenDrumond
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
SimoneHelenDrumond
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdfARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdfARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdfARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
SimoneHelenDrumond
 

Mais de SimoneHelenDrumond (20)

BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdfBLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
BLOCO 1 DE ATIVIDADES DO MÉTODO DE PORTFÓLIOS EDUCACIONAIS.pdf
 
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdfATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
ATIVIDADES PARA CADERNO PEQUENO 1A.pdf
 
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdfARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
ARTIGO 1 - OS USOS DOS PORTFÓLIOS SHDI NA ALFABETIZAÇÃO .pdf
 
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdfARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
ARTIGO 1 - TEXTOS PONTILHADOS COM LETRA DE IMPRENSA .pdf
 
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdfARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
ARTIGO 1 - ALFABETIZAÇÃO COM AFETO .pdf
 
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...INCLUSÃO  AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
INCLUSÃO AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LEIS QUE...
 
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdfARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
ARTIGO ADAPTAÇÃO CURRICULAR.pdf
 
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdfARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
ARTIGO DIA MUNDIAL DO AUTISMO .pdf
 
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdfArtigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
Artigo Todos nós podemos ensinar algo novo para alguém.pdf
 
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdfARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
ARTIGO Quem tem direito ao atendimento educacional especializado.pdf
 
ARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdfARTIGO TDAH.pdf
ARTIGO TDAH.pdf
 
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdfARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
ARTIGO AUTISMO E AS VOGAIS SHDI 1.pdf
 
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdfArtigo A inclusão escolar de alunos .pdf
Artigo A inclusão escolar de alunos .pdf
 
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdfARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
ARTIGO O SOM DAS LETRAS 1A2023.pdf
 
ARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdfARTIGO 1 TDAH .pdf
ARTIGO 1 TDAH .pdf
 
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdfARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E COMUNICAÇÃO SÍLABAS.pdf
 
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
ARTIGO INCLUSÃO_AUTISMO E O DIREITO À EDUCAÇÃO A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E AS LE...
 
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdfARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
ARTIGO 1 AUTISMO E DEPRESSÃO.pdf
 
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdfARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
ARTIGO 1 SER MEDIADOR NA INCLUSÃO 1=2023.pdf
 
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdfARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
ARTIGO 1 A IMPORTANCIA DO DIAGNÓSTICO NA INCLUSÃO.pdf
 

Último

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 

Último (20)

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 

Cartazes sobre a violencia infantil

  • 1. http://simonehelendrumond.blogspot.com A violência contra a criança é um transtorno grave e crônico no funcionamento familiar, que se transmitem de uma geração para a outra, onde cerca de 20 a 30% das crianças maltratadas convertem-se em adultos violentos.
  • 3. A violência dos pais para http://simonehelendrumond.blogspot.com com as crianças, pode adotar distintas formas, algumas mais fáceis de serem detectadas do que outras, mas todas denunciam um latente problema de saúde, que demanda abordagens multidisciplinares e soluções oportunas para cortar o ciclo da dor e resgatar a vítima (CRIANÇA) de seqüelas importantíssimas, que a condicionará ao longo de sua vida.
  • 5. Até a alguns anos atrás, pensava-se que o maltrato http://simonehelendrumond.blogspot.com infantil era conseqüência de transtornos psicológicos individuais, alcoolismo, toxicomania, ou de carências financeiras ou educativas. As investigações atuais demonstram que, na realidade, é o produto de uma conjunção de fatores relacionados ao modelo familiar e social que valida à violência como procedimento aceitável para a solução de conflitos.
  • 8. O abuso infantil envolve a imperícia, imprudência ou a negligência (estes http://simonehelendrumond.blogspot.com elementos constituem a definição legal de "culpa") ou um ato praticado com dolo por parte do adulto contra o bem-estar ou a saúde da criança, como alimentação ou abrigo. Também comumente envolve agressões psicológicas como xingamentos ou palavras que causam danos psicológicos à criança, e/ou agressões de caráter físico como espancamento, queimaduras ou abuso sexual (que também causam danos, psicológicos inclusive).
  • 9. http://simonehelendrumond.blogspot.com De que lado você está? DISQUE 100 PARA DENUNCIAR
  • 10. Maltrato físico É o tipo de violência mais evidente e fácil de detectar. http://simonehelendrumond.blogspot.com Trata-se de lesões provocadas por qualquer motivo, incluindo as reações a condutas indesejadas pelos pais ou responsáveis pela criança. Podem confundir- se com lesões acidentais, porém o olho treinado de uma educadora, pediatra ou assistente social saberá tomar as medidas necessárias para evidenciar e exterminar este fato da vida da criança.. Existem diferentes tipos: escoriações, hematomas, luxações, fraturas, queimaduras, feridas por objetos cortantes, desgarros, lesões. As lesões podem ser provocadas por impacto, penetração, calor, uso de substâncias cáusticas, substâncias químicas ou drogas.
  • 12. A violência em nosso mundo assumiu proporções assustadoras. Em todos os lugares, em todas as direções podemos sentir sua terrível presença. Assistindo televisão, ouvindo rádio, lendo jornal, tomamos contato diário com notícias de crime, mortes destruições. Diga não a violência para que seus filhos não tornem-se filhos da vida! http://simonehelendrumond.blogspot.com
  • 13. "Violência só gera mais violência" http://simonehelendrumond.blogspot.com
  • 14. O caminho que parece ser o mais válido para o combate à violência, http://simonehelendrumond.blogspot.com embora árduo e difícil, é o caminho da não-violência ativa. Este caminho tem como objetivo promover uma revolução humana interior, a revolução no coração do revolucionário e, com isso, conseguir a mudança profunda do mundo exterior.
  • 16. http://simonehelendrumond.blogspot.com Numa sociedade dominada pela violência a guerra, em forma de brincadeira, invade o mundo infantil.
  • 17. A alternativa da não- violência não se resume em http://simonehelendrumond.blogspot.com mero repúdio aos métodos violentos. Nossa atitude não pode ficar apenas em palavras ou em discursos de denúncia. Por isso, nós EDUCADORES, estamos conscientizando a comunidade escolar sobre este problema que se expande pelo mundo.
  • 19. A violência altera o mundo espalhando http://simonehelendrumond.blogspot.com medo e horror. A não-violência age através do poder de comover as pessoas, de despertar a voz da consciência moral muitas vezes abafada em nós.
  • 20. http://simonehelendrumond.blogspot.com O TRABALHO INFANTIL É UMA VIOLÊNCIA CONTRA O DESENVOLVIMENTO FISICO E INTELECTUAL DE NOSSAS CRIANÇAS!
  • 21. Não Bata, eduque! Quantas crianças vamos perder até entendermos que violência e educação não combinam? Será que não é o momento de as pessoas perguntarem se realmente educar é bater? Será que é necessário agredir, machucar, tirar sangue de uma criança, para educá-la? Está na hora de mudar essa cultura de que o pai, a mãe ou o responsável têm o direito de bater em uma criança, para educá-la.’ http://simonehelendrumond.blogspot.com
  • 22. Vamos http://simonehelendrumond.blogspot.com incentivar o desarmamento infantil, para que nossas crianças cresçam de forma harmoniosa. ARMA + VIOLENCIA = MORTE
  • 25. A violência é um fenômeno multifatorial, o que se faz necessário um olhar multidimensional para que sua identificação seja cada vez mais perceptível, e que estratégias eficazes sejam desenvolvidas para sua prevenção. Contudo na sociedade moderna a violência contra crianças tem crescido paulatinamente, o que nos inquieta a refletir sobre tal fenômeno, suas conseqüências na saúde mental das crianças e formas de prevenir, garantindo direitos e, sobretudo, a saúde psicológica e emocional de nossas crianças e adolescentes. http://simonehelendrumond.blogspot.com
  • 26. http://simonehelendrumond.blogspot.com Quero ser como criança, te amar pelo que é. Voltar a inocência, e acreditar em ti. Mas às vezes sou levado pela vontade de crescer, torno-me independente e deixo simplesmente de crer.
  • 28. AOS SEUS FILHOS! DÊ BONS EXEMPLOS http://simonehelendrumond.blogspot.com