SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
ACABE AGORA COM
ISSO!
A VIOLÊNCIA está dominando
a sociedade como um todo, é vitima de uma ou de outra
forma, a violência que ronda os relacionamentos humanos.
Desde as guerras armadas até as pequenas discussões
familiares, evidenciam nossa índole de nos sobrepormos ao
outro.
PODE EXISTIR VIOLÊNCIA EM
SEU AMBIENTE?
Essa realidade pode estar bem mais próxima de nós,
do que imaginamos. Ela pode estar presente em nossos
relacionamentos, ora nos fazendo agressores, ora nos impondo dor,
silêncio e submissão.
• Tudo aquilo que fere um coração, que o faz temer, tremer e
desacreditar de si mesmo ou de outros,
tudo o que dissimula o indivíduo a crer no futuro e rouba-lhe a
esperança é violência!
Que violência é essa?
VIOLÊNCIA VELADA!
Sempre que alguém mais frágil e indefeso, especialmente
criança, é submetido a humilhações, zombaria, e/ou
agressões físicas ou verbais por crianças maiores, grupos ou
pessoas mais fortes, que o fazem sentir-se
intimidado e sem condições de reagir,
caracteriza-se a violência.
Mesmo que não haja um arranhão
sequer...
As palavras, o desprezo e o isolamento,
acontecendo diversas vezes, tendem a
cortar o coração.
Podem deixar cicatrizes fortes e
profundas!
Muito comumente, esse tipo de violência vem mascarado
como uma forma de “brincadeira”, o que a faz socialmente
tolerável e
muitas vezes popular, inclusive no
ambiente familiar.
QUE VIOLÊNCIA É ESSA?
Tipo de violência que desmerece os
relacionamentos por meio de zombaria,
gozação, ofensa e humilhação.
Chama-se BULLYING.
Bullying é esse desprezo e chacota em cima dos mais
fracos. Aquilo que para muitos parecia algo “normal”,
brincadeira de criança, coisa de adolescente, é
altamente nocivo, trazendo sofrimento emocional
intenso...
É hoje crime previsto em lei!
BULLYING é uma palavra em inglês, que traz o
sentido de zoar, gozar, tiranizar, ameaçar, intimidar,
humilhar, isolar, perseguir, ignorar,
ofender, bater, ferir, discriminar
e colocar apelidos maldosos.
Ataque que costuma ser dirigido a quem é, de alguma maneira
diferente: os gordinhos, os magrelas, os maus esportistas, os nerds, os
mais pobres, os riquinhos, “o bom”, os que apresentam algum tipo de
deficiência ou sotaque.
Enfim, qualquer detalhe em que possa caber um apelido, um rótulo que
sirva para gracejos ou chacota por parte dos colegas, gerando
desprezo e humilhação.
Quando há desigualdade entre as partes,
a vítima é mais fraca e não sabe
como se defender.
 A vítima vira uma peteca. Todos batem, seu nome vai de
um lado para o outro, sem que possa reagir,
Isso envolve muitas pessoas e
tem continuidade no tempo.
O BULLYING trata-se de um distúrbio que se
caracteriza por agressões morais e/ ou físicas
repetitivas, levando a vítima ao isolamento, à queda
do isolamento escolar, a alterações emocionais e à
depressão.
Os efeitos do poder degenerador dessas condutas
tornam-se tão devastadores que, em não raros casos,
levam uma criança ou adolescente a cometer atos
insanos, como se vê nas manchetes dos noticiários
eventualmente.
É a repetição de atos executados
dentro de uma relação desigual de poder
por causa da intimidação,
medo e danos morais,
situação que se caracteriza por agressões
intencionais,
verbais ou físicas, feitas de
maneira repetitiva, por um ou mais alunos
contra um ou mais colegas.
VEJAALGUNS FATOS:
• Em janeiro de 2003, Edimar Aparecido Freitas, de 18 anos,
em SP. Invadiu a escola e atirou contra 50 estudantes. Logo
depois se matou.
Ele era obeso, motivo de piada pelos colegas.
• Em Remanso, na Bahia, 2004, um adolescente
de 17 anos matou um colega de
13 anos na secretaria
da escola, por brincadeiras inadequadas.
Palestrante:
Ilma Maria Barreto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (18)

Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Slides bullying
Slides bullyingSlides bullying
Slides bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bulling trabalho
Bulling trabalhoBulling trabalho
Bulling trabalho
 
Bullying2
Bullying2Bullying2
Bullying2
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullyng
BullyngBullyng
Bullyng
 
Bullying2
Bullying2Bullying2
Bullying2
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
bullying - testemunhas
bullying - testemunhasbullying - testemunhas
bullying - testemunhas
 
Violencia
ViolenciaViolencia
Violencia
 
Bullyng,Fábio Rodrigues,6ºE
Bullyng,Fábio Rodrigues,6ºEBullyng,Fábio Rodrigues,6ºE
Bullyng,Fábio Rodrigues,6ºE
 
Violência em Meio Escolar
Violência em Meio EscolarViolência em Meio Escolar
Violência em Meio Escolar
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Anti Bullying
Anti BullyingAnti Bullying
Anti Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Tipos de violência
Tipos de violênciaTipos de violência
Tipos de violência
 

Semelhante a BULLYING

O bullying conhecer para combater cópia
O bullying conhecer para combater   cópiaO bullying conhecer para combater   cópia
O bullying conhecer para combater cópiaAntonio Reali
 
O bullying conhecer para combater
O bullying conhecer para combaterO bullying conhecer para combater
O bullying conhecer para combaterAntonio Reali
 
9º a trabalho informatica
9º a   trabalho informatica9º a   trabalho informatica
9º a trabalho informaticaiesfa
 
Aula 04 Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017
Aula 04  Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017 Aula 04  Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017
Aula 04 Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017 Denis de Pereira
 
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações VulneráveisUFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações VulneráveisNome Sobrenome
 
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptx
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptxUFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptx
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptxNome Sobrenome
 
Apresentacao_Bullying.pdf
Apresentacao_Bullying.pdfApresentacao_Bullying.pdf
Apresentacao_Bullying.pdfPsiNSR
 
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo  Bullying e seus efeitos na parendizagemArtigo  Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagemguest44dfeb3
 
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaCartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaLuiz Fernando Prado
 
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingCartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingLIVIA L.LAGE
 

Semelhante a BULLYING (20)

O bullying conhecer para combater cópia
O bullying conhecer para combater   cópiaO bullying conhecer para combater   cópia
O bullying conhecer para combater cópia
 
O bullying conhecer para combater
O bullying conhecer para combaterO bullying conhecer para combater
O bullying conhecer para combater
 
9º a trabalho informatica
9º a   trabalho informatica9º a   trabalho informatica
9º a trabalho informatica
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 
Aula 04 Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017
Aula 04  Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017 Aula 04  Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017
Aula 04 Adolescentes I Bullying um problema social I EBD 2017
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying - diferentes faces de um mesmo problema
Bullying - diferentes faces de um mesmo problemaBullying - diferentes faces de um mesmo problema
Bullying - diferentes faces de um mesmo problema
 
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações VulneráveisUFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações Vulneráveis
UFCD - 6580 - Cuidados Saúde em Populações Vulneráveis
 
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptx
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptxUFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptx
UFCD - 6580- Cuidados de Saúde me Populações mais Vuneráveis.pptx
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Apresentacao_Bullying.pdf
Apresentacao_Bullying.pdfApresentacao_Bullying.pdf
Apresentacao_Bullying.pdf
 
Artigo bullying
Artigo bullying Artigo bullying
Artigo bullying
 
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo  Bullying e seus efeitos na parendizagemArtigo  Bullying e seus efeitos na parendizagem
Artigo Bullying e seus efeitos na parendizagem
 
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaCartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
 
Cartilha bullying cnj 2011
Cartilha bullying cnj 2011Cartilha bullying cnj 2011
Cartilha bullying cnj 2011
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 
Cartilha bullyng
Cartilha bullyngCartilha bullyng
Cartilha bullyng
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Cartilha
CartilhaCartilha
Cartilha
 
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingCartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
 

Mais de Joemille Leal

Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Joemille Leal
 
Walter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminWalter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminJoemille Leal
 
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Joemille Leal
 
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasO Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasJoemille Leal
 
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget Joemille Leal
 
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL  HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL Joemille Leal
 
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisReforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisJoemille Leal
 
Trabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOTrabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOJoemille Leal
 
Leitura Responsiva.¹
Leitura Responsiva.¹Leitura Responsiva.¹
Leitura Responsiva.¹Joemille Leal
 

Mais de Joemille Leal (20)

Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher Dia Internacional da Mulher 
Dia Internacional da Mulher 
 
Walter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies BenjaminWalter Benedix Schönflies Benjamin
Walter Benedix Schönflies Benjamin
 
Matrizes Africanas
Matrizes AfricanasMatrizes Africanas
Matrizes Africanas
 
Handebol
HandebolHandebol
Handebol
 
Gripe
GripeGripe
Gripe
 
ENEM 2015
ENEM 2015ENEM 2015
ENEM 2015
 
ENEM 2016
ENEM 2016ENEM 2016
ENEM 2016
 
BRASIL X EUA
BRASIL X EUABRASIL X EUA
BRASIL X EUA
 
Homo Neandertal
Homo Neandertal Homo Neandertal
Homo Neandertal
 
MT ST
MT STMT ST
MT ST
 
Revolta da Chibata
Revolta da ChibataRevolta da Chibata
Revolta da Chibata
 
Skinner
SkinnerSkinner
Skinner
 
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
Currículo, Utopia e Pós-Modernidade
 
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas TecnologiasO Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
O Perfil do novo profissional frente as novas Tecnologias
 
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget O Período Sensório Motor, Jean Piaget
O Período Sensório Motor, Jean Piaget
 
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL  HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
HISTÓRIA DAS CRIANÇAS NO BRASIL
 
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações FinaisReforma do Ensino Médio - Considerações Finais
Reforma do Ensino Médio - Considerações Finais
 
Autoestima
Autoestima Autoestima
Autoestima
 
Trabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFOTrabalho de Roanld - MOFO
Trabalho de Roanld - MOFO
 
Leitura Responsiva.¹
Leitura Responsiva.¹Leitura Responsiva.¹
Leitura Responsiva.¹
 

Último

Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...azulassessoria9
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSPedro Luis Moraes
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...azulassessoria9
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...azulassessoria9
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxKtiaOliveira68
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...azulassessoria9
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do séculoSistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do séculoBiblioteca UCS
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaJulianeNassaralla1
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxJustinoTeixeira1
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do séculoSistema de Bibliotecas UCS  - Cantos do fim do século
Sistema de Bibliotecas UCS - Cantos do fim do século
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Aula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemáticaAula de ampliação e redução - matemática
Aula de ampliação e redução - matemática
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptxM0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
M0 Atendimento – Definição, Importância .pptx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 

BULLYING

  • 1.
  • 3. A VIOLÊNCIA está dominando a sociedade como um todo, é vitima de uma ou de outra forma, a violência que ronda os relacionamentos humanos. Desde as guerras armadas até as pequenas discussões familiares, evidenciam nossa índole de nos sobrepormos ao outro.
  • 4. PODE EXISTIR VIOLÊNCIA EM SEU AMBIENTE? Essa realidade pode estar bem mais próxima de nós, do que imaginamos. Ela pode estar presente em nossos relacionamentos, ora nos fazendo agressores, ora nos impondo dor, silêncio e submissão. • Tudo aquilo que fere um coração, que o faz temer, tremer e desacreditar de si mesmo ou de outros, tudo o que dissimula o indivíduo a crer no futuro e rouba-lhe a esperança é violência!
  • 5. Que violência é essa? VIOLÊNCIA VELADA! Sempre que alguém mais frágil e indefeso, especialmente criança, é submetido a humilhações, zombaria, e/ou agressões físicas ou verbais por crianças maiores, grupos ou pessoas mais fortes, que o fazem sentir-se intimidado e sem condições de reagir, caracteriza-se a violência.
  • 6. Mesmo que não haja um arranhão sequer... As palavras, o desprezo e o isolamento, acontecendo diversas vezes, tendem a cortar o coração. Podem deixar cicatrizes fortes e profundas! Muito comumente, esse tipo de violência vem mascarado como uma forma de “brincadeira”, o que a faz socialmente tolerável e muitas vezes popular, inclusive no ambiente familiar.
  • 7. QUE VIOLÊNCIA É ESSA? Tipo de violência que desmerece os relacionamentos por meio de zombaria, gozação, ofensa e humilhação. Chama-se BULLYING.
  • 8. Bullying é esse desprezo e chacota em cima dos mais fracos. Aquilo que para muitos parecia algo “normal”, brincadeira de criança, coisa de adolescente, é altamente nocivo, trazendo sofrimento emocional intenso... É hoje crime previsto em lei!
  • 9. BULLYING é uma palavra em inglês, que traz o sentido de zoar, gozar, tiranizar, ameaçar, intimidar, humilhar, isolar, perseguir, ignorar, ofender, bater, ferir, discriminar e colocar apelidos maldosos.
  • 10. Ataque que costuma ser dirigido a quem é, de alguma maneira diferente: os gordinhos, os magrelas, os maus esportistas, os nerds, os mais pobres, os riquinhos, “o bom”, os que apresentam algum tipo de deficiência ou sotaque. Enfim, qualquer detalhe em que possa caber um apelido, um rótulo que sirva para gracejos ou chacota por parte dos colegas, gerando desprezo e humilhação.
  • 11. Quando há desigualdade entre as partes, a vítima é mais fraca e não sabe como se defender.  A vítima vira uma peteca. Todos batem, seu nome vai de um lado para o outro, sem que possa reagir, Isso envolve muitas pessoas e tem continuidade no tempo.
  • 12. O BULLYING trata-se de um distúrbio que se caracteriza por agressões morais e/ ou físicas repetitivas, levando a vítima ao isolamento, à queda do isolamento escolar, a alterações emocionais e à depressão.
  • 13. Os efeitos do poder degenerador dessas condutas tornam-se tão devastadores que, em não raros casos, levam uma criança ou adolescente a cometer atos insanos, como se vê nas manchetes dos noticiários eventualmente.
  • 14. É a repetição de atos executados dentro de uma relação desigual de poder por causa da intimidação, medo e danos morais, situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. VEJAALGUNS FATOS: • Em janeiro de 2003, Edimar Aparecido Freitas, de 18 anos, em SP. Invadiu a escola e atirou contra 50 estudantes. Logo depois se matou. Ele era obeso, motivo de piada pelos colegas. • Em Remanso, na Bahia, 2004, um adolescente de 17 anos matou um colega de 13 anos na secretaria da escola, por brincadeiras inadequadas.
  • 23.
  • 24.