SlideShare uma empresa Scribd logo
REDAÇÃO - PAS
3º ANO
Professora Vivian Trombini
viviantrombini@hotmail.com
www.slideshare.net/viviantrombini
CARTAS
CARTAS (LEITOR, RECLAMAÇÃO E
SOLICITAÇÃO)
Ø
Deixe evidente o objetivo oferecido no comando (manifestar
opinião/ expor opinião/ comentar/relatar/ reclamar/ solicitar) logo
no início da carta.
Ø
Na introdução, explicite sua socialização, faça um perfil composto
(além do de leitor/ solicitante/ reclamante, uma função social)
que possa servir como base para sua argumentação.
Ø
Apresente opinião sobre o tema, presente no texto, extrapole o
texto de apoio, não o copie apenas.
Ø
Use sua posição social para argumentar/ expor comprovação
sobre o tema.
Ø
Ø
CARTAS (LEITOR, RECLAMAÇÃO E
SOLICITAÇÃO)
Ø
O uso da primeira pessoa do singular deve ser recorrente, ao
menos uma vez em cada parágrafo.
Ø
Retome o vocativo no decorrer da carta.
Ø
A interlocução com o uso da segunda pessoa do discurso ou
de pronomes de tratamento também deve ser recorrente, por
isso deve haver referências ao interlocutor ao menos uma vez
em cada parágrafo.
Ø
Há a necessidade dos dados de personificação, ou seja, é
importante que seja criado um locutor que mostre competência
para discutir o assunto da carta (máscara).
Ø
Assine (ou não) conforme sugestão do comando.
Ø
Ø
CARTA DO LEITOR
A estrutura deve ser esta:
Local, data.
Vocativo,
Contextualização + Socialização (perfil composto) +
referência ao texto-base + objetivo da carta + tema +
argumentação + explicação + comprovação + retomada
do vocativo + reforço do objetivo da carta +
expectativa/perspectiva.
Despedida, Assinatura.
CARTA DO LEITOR
Contexto de produção:
Após a leitura do texto “Pelos seus olhos eu vejo”,
publicado na revista Vida Simples, você se lembra de umavocê se lembra de uma
ocasião em que pôde exercer a capacidade de se colocarocasião em que pôde exercer a capacidade de se colocar
no lugar do outro, quando algum(a) colega de escolano lugar do outro, quando algum(a) colega de escola
solicitou sua ajuda em uma situação,solicitou sua ajuda em uma situação, e, por isso, você
resolve escrever para a revista a fim dea fim de testemunhartestemunhar comocomo
a empatia motivou você a agir com solidariedade,a empatia motivou você a agir com solidariedade,
relatandorelatando o que foi capaz de compreender na situação queo que foi capaz de compreender na situação que
esse(a) colega lhe apresentou.esse(a) colega lhe apresentou.
CARTA DO LEITOR
Comando de produção:
A partir do contexto de produção acima apresentado, redija
uma CARTA DO LEITOR destinada a Ana Holandadestinada a Ana Holanda, editoraeditora
da revista Vida Simples,da revista Vida Simples, por meio da qual vocêvocê relaterelate umauma
situação em que algum(a) colega de escola tenha solicitadosituação em que algum(a) colega de escola tenha solicitado
sua ajuda, dizendosua ajuda, dizendo para quêpara quê foi essa ajuda,foi essa ajuda, explicandoexplicando oo
que o(a) levou a ajudá-lo(a) e, por fim,que o(a) levou a ajudá-lo(a) e, por fim, testemunhandotestemunhando terter
agido com empatia ao ter compreendido os sentimentosagido com empatia ao ter compreendido os sentimentos
vividos por esse(a) colega.vividos por esse(a) colega. Não dê nome ao(à) colega para
manter a privacidade dele(a). Você deverá assinar a carta
como “Leitor” ou “Leitora”. Seu texto deverá ter o mínimo de
10 e o máximo de 15 linhas.
CARTA DO LEITOR
Maringá, 18 de julho de 2016.
Prezada Ana Holanda, editora da revista Vida Simples,
Li o artigo “Pelos seus olhos eu vejo”, publicado na revista
editada pela senhora, e não posso deixar de manifestar a minha
concordância com as ideias nele expostas. Sei da importância da
tão famigerada empatia, por isso, enquanto lia o texto, recordei-
me de uma situação em que um colega de classe precisou de
minha ajuda, pois era um dia de prova na faculdade e quem
tirasse a maior nota teria o seu artigo publicado em uma revista
pedagógica. Nesse dia, saí de carro, pois chovia muito e não
queria me atrasar, porém, quando estava chegando ao local da
avaliação, recebi uma ligação de meu amigo o qual dizia que
precisava muito de uma carona, pois seu ônibus não havia
passado e ele não poderia se atrasar.
CARTA DO LEITOR
Diante dessa situação, o meu caráter humano falou mais
alto, agi de boa-fé, coloquei-me no lugar dele e pensei no
quanto ele também estudou para aquela prova. Sendo assim,
não hesitei em ajuda-lo e fiz o favor solicitado. Encaminhamo-
nos para o local de prova conversando sobre os conteúdos os
quais seriam cobrados na avaliação. Foi uma sorte a minha ter
dado essa carona para ele, uma vez que estava muito mais bem
preparado que eu. Desse modo, tive uma satisfação imensa em
usar de minha empatia. Espero que a senhora, Ana Holanda,
continue proporcionando a nós, leitores, textos como o
supracitado, afinal, empatia e simpatia são sentimentos
primordiais.
Cordialmente, Leitor.
CARTA DE SOLICITAÇÃO
A estrutura deve ser esta:
Local, data.
Vocativo,
Contextualização / Socialização + Identificação
da situação problema + suas causas + consequências
+ exposição de argumentos que comprovem a
necessidade de uma solução para o problema + vantagens
que essa solução traria + sugestões de possíveis
medidas para a solução do problema + justificativas para
as medidas de solução + expectativas.
Despedida,
Assinatura.
CARTA DE SOLICITAÇÃO
Contexto de produção: Você é uma mãe que está desesperadaVocê é uma mãe que está desesperada
pois o seu filho tem epilepsia e não responde aos tratamentospois o seu filho tem epilepsia e não responde aos tratamentos
considerados “normais”.considerados “normais”. Assim, foi pesquisar sobre maneiras de
amenizar as crises em seu filho e leu a respeito do canabidiol,canabidiol, um
composto à base de maconha que controlaria as convulsões emem
casos no quais nenhum outro medicamento age de maneiracasos no quais nenhum outro medicamento age de maneira
esperada.esperada. Contudo, ao pesquisar sobre, descobriu que essedescobriu que esse
composto é extremamente caro e você não tem condiçõescomposto é extremamente caro e você não tem condições
financeiras de compra-lo mensalmente.financeiras de compra-lo mensalmente. Assim, decidiu por
solicita-lo para as autoridades competentes.
Comando de produção: Com base no contexto de produção
acima apresentado, elabore uma CARTA DE SOLICITAÇÃO aoao
Ministério da Saúde solicitando o fornecimento desse compostoMinistério da Saúde solicitando o fornecimento desse composto
para o seu filho.para o seu filho. Elabore seu texto em até 15 linhas. Assine comoAssine como
Mãe.Mãe.
CARTA DE SOLICITAÇÃO
Maringá, 26 de agosto de 2017.
Prezado senhor Ministro da Saúde,
Sou mãe de uma criança com epilepsia que não reage mais
aos tratamentos convencionais oferecidos e tem crises
constantemente. Li a respeito de um tratamento à base de
maconha, o qual ameniza tais crises de maneira que nenhum
outro medicamento o faz. Entretanto, tal composto é
extremamente caro e está fora de meu poder aquisitivo.
Destarte, senhor Ministrosenhor Ministro, solicito o fornecimento desse
medicamento, já que é a única solução no momento para que
meu filho sobreviva e possa ter uma vida saudável. Ademais,
espero que o canabidiol esteja disponível para o sistema público
de saúde em breve, visto que milhares de pessoas ainda morrem
hodiernamente pela necessidade de tal componente.
Cordialmente, Mãe.
●
CARTA DE RECLAMAÇÃO
A estrutura deve ser esta:
Local, data.
Vocativo,
Socialização (perfil composto) + contextualização (do
que reclama? Sua reclamação se justifica?) + objetivo da
carta (o que pretende com a carta) + CONTRA
ARGUMENTAÇÃO + argumentação + explicação +
comprovação + reforço do objetivo da carta + retomada do
vocativo + solicitação (o que quer para resolver o
problema?) + expectativa/perspectiva.
Despedida,
Assinatura.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Contexto de produção: Suponha que você tenha começado a
denunciar usuários e páginas do Fdenunciar usuários e páginas do Facebookacebook os quais se utilizamos quais se utilizam
da rede para tecer comentários preconceituosos e até parada rede para tecer comentários preconceituosos e até para
propagar o ódio de diversas maneiras.propagar o ódio de diversas maneiras. Porém, a rede se justificaa rede se justifica
com a alegação de que suas denúncias não ferem a políticacom a alegação de que suas denúncias não ferem a política
deles.deles.
Comando de produção: Desse modo, em face do contexto de
produção supracitado, escreva, como usuário docomo usuário do FacebookFacebook,,
uma CARTA DE RECLAMAÇÃO para a rede social,
manifestando sua insatisfação com a sua política demanifestando sua insatisfação com a sua política de
administração de páginas e conteúdos, uma vez que aadministração de páginas e conteúdos, uma vez que a
considera extremamente permissiva.considera extremamente permissiva. Assine como Cidadão ou
Cidadã. Use entre 10 e 15 linhas.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Maringá, 22 de janeiro de 2017.
À rede social Facebook,
Sou usuário desta rede social há alguns anos e indignei-me
diante do descaso desta quanto ao monitoramento de páginas
ofensivas e de teor preconceituoso, as quais, perpassam o ódio
e conteúdos pejorativos. Escrevo, dessa maneira, a fim deEscrevo, dessa maneira, a fim de
reclamarreclamar sobre o constrangimento que as vítimas passam e a
injustiça para com aqueles que não seguem o parâmetro dos
usuários que, em sua ignorância, desqualificam o diferente de si
por meio das mídias sociais. Ademais, os que sofrem
julgamentos com alto teor de inferioridade afirmam, em
suas próprias redes sociais, que já denunciavam os casos,
mas nenhuma atitude foi tomada por parte da rede.
CARTA DE RECLAMAÇÃO
Assim, por mais que a finalidade da rede seja que todos
tenham direito à liberdade de expressão, casos como de o
racismo e a homofobia, por exemplo, são crimes cada vez
mais recorrentes perpetuando estereótipos mediante
aspectos distintos das pessoas, o que acarretará em cada
vez mais problemas sociais. Por esses e outros motivos, os
usuários identificados podem e devem ser penalizados.
Diante disso, solicito ao Facebooksolicito ao Facebook que haja uma varredura
em todas as páginas e comunidades vinculadas a si, para
que sejam excluídas e os agressores devidamente punidos.
Só assim será possível manter um cenário agradável entre os
usuários dessa rede social.
Sem mais para o momento,
Cidadão.
●
CARTA ABERTA
A estrutura deve ser esta:
*Local, data.
Carta aberta + remetente + destinatário+ assunto
Contextualização + socialização + identificação da
situação problema + suas causas e consequências +
justificativa do motivo pelo qual esses problemas
incomodam ou fazem mal ao grupo + sugestões de
possíveis medidas para a solução do problema +
justificativas para as medidas de solução + expectativas.
Despedida,
Assinatura.
CARTA ABERTA
Contexto de produção: Na sua escola, um projeto de
caráter interdisciplinar reuniu seus professores de Filosofia,
de Sociologia e de Língua Portuguesa. Na ocasião, houve
uma importante abordagem temática sobre doação dedoação de
órgãos, solidariedade e altruísmo.órgãos, solidariedade e altruísmo. Foram apresentados
depoimentos de duas famílias (a doadora e a receptora de
órgãos) e um cartaz de campanha publicitária institucional
de uma prefeitura (textos 1 e 2, respectivamente)
incentivando esse tipo de doação. Movido(a) pelas
discussões promovidas pelo projeto, você resolve divulgarvocê resolve divulgar
na sua página pessoal de uma rede social uma carta,na sua página pessoal de uma rede social uma carta,
destinada a sua família, onde apresenta a sua decisão dedestinada a sua família, onde apresenta a sua decisão de
ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.
●
CARTA ABERTA
Comando de produção: Considerando o contexto de
produção acima, elabore uma CARTA ABERTA a sera ser
divulgada em sua página pessoal de uma rede socialdivulgada em sua página pessoal de uma rede social,,
destinada aos seus familiares, onde você expresse seudestinada aos seus familiares, onde você expresse seu
desejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razõesdesejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razões
que o(a) motivaram a tomar tal decisão.que o(a) motivaram a tomar tal decisão. Sua carta deve ter
o mínimo de 10 e o máximo de 15 linhas. Assine como
Lúcia ou Lúcio, sem mais complemento.
●
CARTA ABERTA
Maringá, 12 de dezembro de 2016.
Carta aberta aos meus familiaresaos meus familiares sobre a doação de órgãossobre a doação de órgãos
Como vocês sabem, sempre tive minhas dúvidas se eu seria ou não
um doador de órgãos, mas, movido pela discussão de um projeto de
caráter interdisciplinar em minha escola, pude concluir que desejo ser
um doador de órgãos. A felicidade de ter recebido e a satisfação nos
depoimentos das famílias - que doaram e receberam os órgãos - foi
capaz de me comover e me fazer enxergar essa questão de uma
maneira diferente. Como vocês tem conhecimento da minha
solidariedade e ambição por ajudar o próximo, vi que a doação de
órgãos é uma das maneiras mais honrosas para tais ações. Ademais,
alimentar as esperanças e acabar com o sofrimento das famílias que
esperam incansavelmente será um grande feito para mim. Por isso,
meus familiares,meus familiares, minha decisão de ser um doador de órgãos é certa e
definida, pois quero acabar com a necessidade e o desespero de, ao
menos, algumas pessoas. Com a publicação desta carta, espero que
vocês entendam o meu desejo e que isso os motive também.
Atenciosamente, Lúcio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Elaine Maia
 
Cordel
CordelCordel
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
ClaudiaAdrianaSouzaS
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
Gêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta abertaGêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta aberta
ma.no.el.ne.ves
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
guesta61019
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
Marcelo Cordeiro Souza
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
Professor Rômulo Viana
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
Maurício Marques
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxFICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
Natália Moura
 
O barroco
O barrocoO barroco
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Jose Manuel Alho
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
becastanheiradepera
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica

Mais procurados (20)

AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
 
Cordel
CordelCordel
Cordel
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
A redação aula 1
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Gêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta abertaGêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta aberta
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxFICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica
Resenha crítica
 

Semelhante a CARTAS - UEM - PAS

Carta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptxCarta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptx
JosCarlosdeAlmeidaGa
 
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de ConversaComunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Alessandro Almeida
 
Um processo de terapia para a gagueira
Um processo de terapia para a gagueiraUm processo de terapia para a gagueira
Um processo de terapia para a gagueira
adrianomedico
 
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdfaula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
ThaisRibeiro971223
 
A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)
colegiojao
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Severina Maria Vieira
 
Únicas - identidade que vem dos ceús
Únicas - identidade que vem dos ceúsÚnicas - identidade que vem dos ceús
Únicas - identidade que vem dos ceús
mindsetbooks
 
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
Gêneros textuais   02 (3ª série - A)Gêneros textuais   02 (3ª série - A)
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
Diógenes de Oliveira
 
Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12
wluis001
 
PAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANOPAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANO
VIVIAN TROMBINI
 
pronomes pessoais e de tratamento
pronomes pessoais e de tratamentopronomes pessoais e de tratamento
pronomes pessoais e de tratamento
Eric Holiness
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
VIVIAN TROMBINI
 
OPoderDaAcao.pdf
OPoderDaAcao.pdfOPoderDaAcao.pdf
OPoderDaAcao.pdf
ElisamaraModesto
 
O poder-da-acao
O poder-da-acaoO poder-da-acao
O poder-da-acao
Júlio César
 
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
Karlahayde
 
Maracy atual 09 10 13
Maracy atual 09 10 13Maracy atual 09 10 13
Maracy atual 09 10 13
Betty Casadei
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
Lucília Fig
 
Ansiedade, Desconstruindo a.pdf
Ansiedade, Desconstruindo a.pdfAnsiedade, Desconstruindo a.pdf
Ansiedade, Desconstruindo a.pdf
SandraLima324724
 
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
Vera Oliveira
 
Terceirizando Responsabilidades
Terceirizando ResponsabilidadesTerceirizando Responsabilidades
Terceirizando Responsabilidades
-
 

Semelhante a CARTAS - UEM - PAS (20)

Carta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptxCarta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptx
 
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de ConversaComunicação Não Violenta: Roda de Conversa
Comunicação Não Violenta: Roda de Conversa
 
Um processo de terapia para a gagueira
Um processo de terapia para a gagueiraUm processo de terapia para a gagueira
Um processo de terapia para a gagueira
 
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdfaula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
aula_19_de_Outubro_de_2021.pdf
 
A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)A carta argumentativa 9 ano (1)
A carta argumentativa 9 ano (1)
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
 
Únicas - identidade que vem dos ceús
Únicas - identidade que vem dos ceúsÚnicas - identidade que vem dos ceús
Únicas - identidade que vem dos ceús
 
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
Gêneros textuais   02 (3ª série - A)Gêneros textuais   02 (3ª série - A)
Gêneros textuais 02 (3ª série - A)
 
Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12
 
PAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANOPAS UEM - 1º ANO
PAS UEM - 1º ANO
 
pronomes pessoais e de tratamento
pronomes pessoais e de tratamentopronomes pessoais e de tratamento
pronomes pessoais e de tratamento
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
 
OPoderDaAcao.pdf
OPoderDaAcao.pdfOPoderDaAcao.pdf
OPoderDaAcao.pdf
 
O poder-da-acao
O poder-da-acaoO poder-da-acao
O poder-da-acao
 
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
Gatilhos mentais. O guia completo. Tudo o que você precisa saber sobre influê...
 
Maracy atual 09 10 13
Maracy atual 09 10 13Maracy atual 09 10 13
Maracy atual 09 10 13
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Ansiedade, Desconstruindo a.pdf
Ansiedade, Desconstruindo a.pdfAnsiedade, Desconstruindo a.pdf
Ansiedade, Desconstruindo a.pdf
 
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
Leia o artigo abaixo da revista mundo jovem de 20
 
Terceirizando Responsabilidades
Terceirizando ResponsabilidadesTerceirizando Responsabilidades
Terceirizando Responsabilidades
 

Mais de VIVIAN TROMBINI

Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
VIVIAN TROMBINI
 
Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017
VIVIAN TROMBINI
 
VANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIASVANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIAS
VIVIAN TROMBINI
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
VIVIAN TROMBINI
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
VIVIAN TROMBINI
 
GÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOSGÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOS
VIVIAN TROMBINI
 
Resumo
ResumoResumo
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
VIVIAN TROMBINI
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
VIVIAN TROMBINI
 
Redação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoRedação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - inverno
VIVIAN TROMBINI
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
VIVIAN TROMBINI
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
VIVIAN TROMBINI
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
VIVIAN TROMBINI
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubas
VIVIAN TROMBINI
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
VIVIAN TROMBINI
 
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.MAULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
VIVIAN TROMBINI
 
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.MAULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
VIVIAN TROMBINI
 
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.MAULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
VIVIAN TROMBINI
 
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.MAULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
VIVIAN TROMBINI
 

Mais de VIVIAN TROMBINI (20)

Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017Revisão de literatura - UEM - 2017
Revisão de literatura - UEM - 2017
 
VANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIASVANGUARDAS EUROPEIAS
VANGUARDAS EUROPEIAS
 
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEADANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
DANÇA - CONCEITOS E DANÇA CONTEMPORÂNEA
 
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃODANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
DANÇA CLÁSSICA E DANÇA DE SALÃO
 
GÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOSGÊNEROS LITERÁRIOS
GÊNEROS LITERÁRIOS
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAISARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
ARTE - UEM - CONHECIMENTOS GERAIS
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Redação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - invernoRedação - UEM - 2016 - inverno
Redação - UEM - 2016 - inverno
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
 
Teatro brasileiro
Teatro brasileiroTeatro brasileiro
Teatro brasileiro
 
Memórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubasMemórias postumas de brás cubas
Memórias postumas de brás cubas
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.MAULA 4 - ARTE - 1º E.M
AULA 4 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.MAULA 3 - ARTE - 1º E.M
AULA 3 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.MAULA 2 - ARTE - 1º E.M
AULA 2 - ARTE - 1º E.M
 
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.MAULA 1 - ARTE - 1º E.M
AULA 1 - ARTE - 1º E.M
 

Último

Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 

CARTAS - UEM - PAS

  • 1. REDAÇÃO - PAS 3º ANO Professora Vivian Trombini viviantrombini@hotmail.com www.slideshare.net/viviantrombini
  • 3. CARTAS (LEITOR, RECLAMAÇÃO E SOLICITAÇÃO) Ø Deixe evidente o objetivo oferecido no comando (manifestar opinião/ expor opinião/ comentar/relatar/ reclamar/ solicitar) logo no início da carta. Ø Na introdução, explicite sua socialização, faça um perfil composto (além do de leitor/ solicitante/ reclamante, uma função social) que possa servir como base para sua argumentação. Ø Apresente opinião sobre o tema, presente no texto, extrapole o texto de apoio, não o copie apenas. Ø Use sua posição social para argumentar/ expor comprovação sobre o tema. Ø Ø
  • 4. CARTAS (LEITOR, RECLAMAÇÃO E SOLICITAÇÃO) Ø O uso da primeira pessoa do singular deve ser recorrente, ao menos uma vez em cada parágrafo. Ø Retome o vocativo no decorrer da carta. Ø A interlocução com o uso da segunda pessoa do discurso ou de pronomes de tratamento também deve ser recorrente, por isso deve haver referências ao interlocutor ao menos uma vez em cada parágrafo. Ø Há a necessidade dos dados de personificação, ou seja, é importante que seja criado um locutor que mostre competência para discutir o assunto da carta (máscara). Ø Assine (ou não) conforme sugestão do comando. Ø Ø
  • 5. CARTA DO LEITOR A estrutura deve ser esta: Local, data. Vocativo, Contextualização + Socialização (perfil composto) + referência ao texto-base + objetivo da carta + tema + argumentação + explicação + comprovação + retomada do vocativo + reforço do objetivo da carta + expectativa/perspectiva. Despedida, Assinatura.
  • 6. CARTA DO LEITOR Contexto de produção: Após a leitura do texto “Pelos seus olhos eu vejo”, publicado na revista Vida Simples, você se lembra de umavocê se lembra de uma ocasião em que pôde exercer a capacidade de se colocarocasião em que pôde exercer a capacidade de se colocar no lugar do outro, quando algum(a) colega de escolano lugar do outro, quando algum(a) colega de escola solicitou sua ajuda em uma situação,solicitou sua ajuda em uma situação, e, por isso, você resolve escrever para a revista a fim dea fim de testemunhartestemunhar comocomo a empatia motivou você a agir com solidariedade,a empatia motivou você a agir com solidariedade, relatandorelatando o que foi capaz de compreender na situação queo que foi capaz de compreender na situação que esse(a) colega lhe apresentou.esse(a) colega lhe apresentou.
  • 7. CARTA DO LEITOR Comando de produção: A partir do contexto de produção acima apresentado, redija uma CARTA DO LEITOR destinada a Ana Holandadestinada a Ana Holanda, editoraeditora da revista Vida Simples,da revista Vida Simples, por meio da qual vocêvocê relaterelate umauma situação em que algum(a) colega de escola tenha solicitadosituação em que algum(a) colega de escola tenha solicitado sua ajuda, dizendosua ajuda, dizendo para quêpara quê foi essa ajuda,foi essa ajuda, explicandoexplicando oo que o(a) levou a ajudá-lo(a) e, por fim,que o(a) levou a ajudá-lo(a) e, por fim, testemunhandotestemunhando terter agido com empatia ao ter compreendido os sentimentosagido com empatia ao ter compreendido os sentimentos vividos por esse(a) colega.vividos por esse(a) colega. Não dê nome ao(à) colega para manter a privacidade dele(a). Você deverá assinar a carta como “Leitor” ou “Leitora”. Seu texto deverá ter o mínimo de 10 e o máximo de 15 linhas.
  • 8. CARTA DO LEITOR Maringá, 18 de julho de 2016. Prezada Ana Holanda, editora da revista Vida Simples, Li o artigo “Pelos seus olhos eu vejo”, publicado na revista editada pela senhora, e não posso deixar de manifestar a minha concordância com as ideias nele expostas. Sei da importância da tão famigerada empatia, por isso, enquanto lia o texto, recordei- me de uma situação em que um colega de classe precisou de minha ajuda, pois era um dia de prova na faculdade e quem tirasse a maior nota teria o seu artigo publicado em uma revista pedagógica. Nesse dia, saí de carro, pois chovia muito e não queria me atrasar, porém, quando estava chegando ao local da avaliação, recebi uma ligação de meu amigo o qual dizia que precisava muito de uma carona, pois seu ônibus não havia passado e ele não poderia se atrasar.
  • 9. CARTA DO LEITOR Diante dessa situação, o meu caráter humano falou mais alto, agi de boa-fé, coloquei-me no lugar dele e pensei no quanto ele também estudou para aquela prova. Sendo assim, não hesitei em ajuda-lo e fiz o favor solicitado. Encaminhamo- nos para o local de prova conversando sobre os conteúdos os quais seriam cobrados na avaliação. Foi uma sorte a minha ter dado essa carona para ele, uma vez que estava muito mais bem preparado que eu. Desse modo, tive uma satisfação imensa em usar de minha empatia. Espero que a senhora, Ana Holanda, continue proporcionando a nós, leitores, textos como o supracitado, afinal, empatia e simpatia são sentimentos primordiais. Cordialmente, Leitor.
  • 10. CARTA DE SOLICITAÇÃO A estrutura deve ser esta: Local, data. Vocativo, Contextualização / Socialização + Identificação da situação problema + suas causas + consequências + exposição de argumentos que comprovem a necessidade de uma solução para o problema + vantagens que essa solução traria + sugestões de possíveis medidas para a solução do problema + justificativas para as medidas de solução + expectativas. Despedida, Assinatura.
  • 11. CARTA DE SOLICITAÇÃO Contexto de produção: Você é uma mãe que está desesperadaVocê é uma mãe que está desesperada pois o seu filho tem epilepsia e não responde aos tratamentospois o seu filho tem epilepsia e não responde aos tratamentos considerados “normais”.considerados “normais”. Assim, foi pesquisar sobre maneiras de amenizar as crises em seu filho e leu a respeito do canabidiol,canabidiol, um composto à base de maconha que controlaria as convulsões emem casos no quais nenhum outro medicamento age de maneiracasos no quais nenhum outro medicamento age de maneira esperada.esperada. Contudo, ao pesquisar sobre, descobriu que essedescobriu que esse composto é extremamente caro e você não tem condiçõescomposto é extremamente caro e você não tem condições financeiras de compra-lo mensalmente.financeiras de compra-lo mensalmente. Assim, decidiu por solicita-lo para as autoridades competentes. Comando de produção: Com base no contexto de produção acima apresentado, elabore uma CARTA DE SOLICITAÇÃO aoao Ministério da Saúde solicitando o fornecimento desse compostoMinistério da Saúde solicitando o fornecimento desse composto para o seu filho.para o seu filho. Elabore seu texto em até 15 linhas. Assine comoAssine como Mãe.Mãe.
  • 12. CARTA DE SOLICITAÇÃO Maringá, 26 de agosto de 2017. Prezado senhor Ministro da Saúde, Sou mãe de uma criança com epilepsia que não reage mais aos tratamentos convencionais oferecidos e tem crises constantemente. Li a respeito de um tratamento à base de maconha, o qual ameniza tais crises de maneira que nenhum outro medicamento o faz. Entretanto, tal composto é extremamente caro e está fora de meu poder aquisitivo. Destarte, senhor Ministrosenhor Ministro, solicito o fornecimento desse medicamento, já que é a única solução no momento para que meu filho sobreviva e possa ter uma vida saudável. Ademais, espero que o canabidiol esteja disponível para o sistema público de saúde em breve, visto que milhares de pessoas ainda morrem hodiernamente pela necessidade de tal componente. Cordialmente, Mãe. ●
  • 13. CARTA DE RECLAMAÇÃO A estrutura deve ser esta: Local, data. Vocativo, Socialização (perfil composto) + contextualização (do que reclama? Sua reclamação se justifica?) + objetivo da carta (o que pretende com a carta) + CONTRA ARGUMENTAÇÃO + argumentação + explicação + comprovação + reforço do objetivo da carta + retomada do vocativo + solicitação (o que quer para resolver o problema?) + expectativa/perspectiva. Despedida, Assinatura.
  • 14. CARTA DE RECLAMAÇÃO Contexto de produção: Suponha que você tenha começado a denunciar usuários e páginas do Fdenunciar usuários e páginas do Facebookacebook os quais se utilizamos quais se utilizam da rede para tecer comentários preconceituosos e até parada rede para tecer comentários preconceituosos e até para propagar o ódio de diversas maneiras.propagar o ódio de diversas maneiras. Porém, a rede se justificaa rede se justifica com a alegação de que suas denúncias não ferem a políticacom a alegação de que suas denúncias não ferem a política deles.deles. Comando de produção: Desse modo, em face do contexto de produção supracitado, escreva, como usuário docomo usuário do FacebookFacebook,, uma CARTA DE RECLAMAÇÃO para a rede social, manifestando sua insatisfação com a sua política demanifestando sua insatisfação com a sua política de administração de páginas e conteúdos, uma vez que aadministração de páginas e conteúdos, uma vez que a considera extremamente permissiva.considera extremamente permissiva. Assine como Cidadão ou Cidadã. Use entre 10 e 15 linhas.
  • 15. CARTA DE RECLAMAÇÃO Maringá, 22 de janeiro de 2017. À rede social Facebook, Sou usuário desta rede social há alguns anos e indignei-me diante do descaso desta quanto ao monitoramento de páginas ofensivas e de teor preconceituoso, as quais, perpassam o ódio e conteúdos pejorativos. Escrevo, dessa maneira, a fim deEscrevo, dessa maneira, a fim de reclamarreclamar sobre o constrangimento que as vítimas passam e a injustiça para com aqueles que não seguem o parâmetro dos usuários que, em sua ignorância, desqualificam o diferente de si por meio das mídias sociais. Ademais, os que sofrem julgamentos com alto teor de inferioridade afirmam, em suas próprias redes sociais, que já denunciavam os casos, mas nenhuma atitude foi tomada por parte da rede.
  • 16. CARTA DE RECLAMAÇÃO Assim, por mais que a finalidade da rede seja que todos tenham direito à liberdade de expressão, casos como de o racismo e a homofobia, por exemplo, são crimes cada vez mais recorrentes perpetuando estereótipos mediante aspectos distintos das pessoas, o que acarretará em cada vez mais problemas sociais. Por esses e outros motivos, os usuários identificados podem e devem ser penalizados. Diante disso, solicito ao Facebooksolicito ao Facebook que haja uma varredura em todas as páginas e comunidades vinculadas a si, para que sejam excluídas e os agressores devidamente punidos. Só assim será possível manter um cenário agradável entre os usuários dessa rede social. Sem mais para o momento, Cidadão. ●
  • 17. CARTA ABERTA A estrutura deve ser esta: *Local, data. Carta aberta + remetente + destinatário+ assunto Contextualização + socialização + identificação da situação problema + suas causas e consequências + justificativa do motivo pelo qual esses problemas incomodam ou fazem mal ao grupo + sugestões de possíveis medidas para a solução do problema + justificativas para as medidas de solução + expectativas. Despedida, Assinatura.
  • 18. CARTA ABERTA Contexto de produção: Na sua escola, um projeto de caráter interdisciplinar reuniu seus professores de Filosofia, de Sociologia e de Língua Portuguesa. Na ocasião, houve uma importante abordagem temática sobre doação dedoação de órgãos, solidariedade e altruísmo.órgãos, solidariedade e altruísmo. Foram apresentados depoimentos de duas famílias (a doadora e a receptora de órgãos) e um cartaz de campanha publicitária institucional de uma prefeitura (textos 1 e 2, respectivamente) incentivando esse tipo de doação. Movido(a) pelas discussões promovidas pelo projeto, você resolve divulgarvocê resolve divulgar na sua página pessoal de uma rede social uma carta,na sua página pessoal de uma rede social uma carta, destinada a sua família, onde apresenta a sua decisão dedestinada a sua família, onde apresenta a sua decisão de ser ou não um(a) doador(a) de órgãos.ser ou não um(a) doador(a) de órgãos. ●
  • 19. CARTA ABERTA Comando de produção: Considerando o contexto de produção acima, elabore uma CARTA ABERTA a sera ser divulgada em sua página pessoal de uma rede socialdivulgada em sua página pessoal de uma rede social,, destinada aos seus familiares, onde você expresse seudestinada aos seus familiares, onde você expresse seu desejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razõesdesejo de ser ou não ser doador(a) de órgãos e as razões que o(a) motivaram a tomar tal decisão.que o(a) motivaram a tomar tal decisão. Sua carta deve ter o mínimo de 10 e o máximo de 15 linhas. Assine como Lúcia ou Lúcio, sem mais complemento. ●
  • 20. CARTA ABERTA Maringá, 12 de dezembro de 2016. Carta aberta aos meus familiaresaos meus familiares sobre a doação de órgãossobre a doação de órgãos Como vocês sabem, sempre tive minhas dúvidas se eu seria ou não um doador de órgãos, mas, movido pela discussão de um projeto de caráter interdisciplinar em minha escola, pude concluir que desejo ser um doador de órgãos. A felicidade de ter recebido e a satisfação nos depoimentos das famílias - que doaram e receberam os órgãos - foi capaz de me comover e me fazer enxergar essa questão de uma maneira diferente. Como vocês tem conhecimento da minha solidariedade e ambição por ajudar o próximo, vi que a doação de órgãos é uma das maneiras mais honrosas para tais ações. Ademais, alimentar as esperanças e acabar com o sofrimento das famílias que esperam incansavelmente será um grande feito para mim. Por isso, meus familiares,meus familiares, minha decisão de ser um doador de órgãos é certa e definida, pois quero acabar com a necessidade e o desespero de, ao menos, algumas pessoas. Com a publicação desta carta, espero que vocês entendam o meu desejo e que isso os motive também. Atenciosamente, Lúcio.