SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
INSTITUTO NOSSA SENHORA DA GLÓRIA - Rio das Ostras
Língua Portuguesa
Professora: Aline Ramalho
Série: 8º ano
Carta ao leitor
Leia as cartas a seguir:
Dilema das mulheres
Carta 1
Parabéns à revista pela reportagem “O
dilema de ficar em casa” (ISTOÉ, 1996).
Consegui me identificar com os objetivos
de todas as mães da reportagem. Tenho
dois filhos lindos e busquei um formato que
me permitisse acompanhar o
desenvolvimento deles e ao mesmo tempo
continuar o meu desenvolvimento
profissional. É a flexibilidade no trabalho, a
facilidade da tecnologia e o apoio e
participação do maridão, que garantem
esse esquema quase tático montado para
dar conta de um único objetivo: ser feliz e
buscar o bem-estar de toda família.
ADRIANA MARTINELLI CARVALHO
Santana de Parnaíba - SP
Carta 2
Parabenizo ISTOÉ pela reportagem na
qual mostra a realidade vivida pelas
mulheres e mães na luta para conciliar
família, filhos e profissão. Tenho observado
cada dia mais o papel importante que a
mulher exerce nos diversos ambientes que
frequenta. Não poderia deixar de destacar
o papel da mãe, tão fundamental para a
formação moral das crianças e
adolescentes. Pude também refletir sobre o
papel de pai de família que pretendo ser,
no qual conciliar as várias atividades será
desafio constante para ser um pai presente
e participante.
ADRIANO C. MACHADO PEREIRA
Belo Horizonte - MG
Carta 3
Referente à reportagem de capa, fica
evidente que na sociedade do século XXI a
divisão de tarefas entre os pais é uma
realidade. Mesmo assim, a sociedade cobra
participação muito maior da figura
feminina, resta-nos compreender e
conseguir transmitir para nossos filhos que
eles não têm só mãe. Têm pai também.
ISAAC SOARES DE LIMA
Maceió - AL
Carta 4
Excelente a entrevista com a psicóloga
Denise Ramos, coordenadora de pós-
graduação em psicologia clínica da PUC-SP,
provando por A mais B que o corpo está
sempre ligado à mente. A modernidade
dos tempos é que trouxe à tona a
pandemia desses males. Uma mente
saudável sempre remete a uma saúde
equilibrada. “As razões do corpo” (ISTOÉ
1896).
ISAAC FERREIRA GOMES FILHO
Colindé - CE
Isto É, São Paulo, 8 mar.2006.
Série: 8º ano
Carta do leitor é um gênero textual em que o leitor se dirige a um jornal ou revista para comentar,
criticar ou elogiar uma matéria ou carta publicada em edições anteriores.
Na revista Isto É, assim como na maioria dos jornais e revistas, há uma seção destinada a
cartas ao leitor – em geral chamadas de Cartas à Redação, Painel do leitor, Cartas do Leitor, ou
simplesmente Cartas, como nesse caso.
Essa seção oferece um espaço para que o leitor faça elogios ou críticas a uma matéria
publicada, ou mesmo expresse sugestões e dúvidas. Os comentários podem referir-se às ideias de
um texto, com as quais o leitor concorda ou não; à maneira como o assunto foi abordado (nesse
caso, um leitor mais conservador pode afirmar que determinada questão tratada de forma muito
liberal);ouàqualidade do texto em si (pode-se achar que o autor abusou de clichês, por exemplo).
É possível também fazer alusão a outras cartas de leitores, para concordar ou não com o
ponto de vista expresso nelas.
A linguagem da carta do leitor varia conforme o perfil dos leitores da publicação. Pode ser
mais descontraída, se o público é jovem, ou ter um aspecto mais formal.
Esse tipo de carta apresenta formato parecido com o das cartas pessoais: data, vocativo (a
quemelaé dirigida),corpodotexto,despedidae assinatura. Contudo, quando necessário, a equipe
de redação do jornal ou revista adapta as cartas do leitor a seu estilo e as reduz para encaixá-las na
seção reservada a elas, mantendo apenas uma parte do corpo. Quando públicas, costumam ser
agrupadaspor assunto.Assim,reúnem-se asque se refiram à mesma notícia ou reportagem em um
mesmo bloco, que recebe um título.
Relendoascartas, responda.
1. Os autores das trêsprimeirascartasreferem-se aumamesmareportagemdarevista Isto É,
publicadaanteriormente e identificadapelotítulo Dilema dasmulheres.
a) Qual é o objetivodaautorada primeiracarta?
b) Na segundacarta, qual é a crítica doleitorIsaac Lima?
c) Qual é o comentáriodoleitorAdrianoPereira,naterceiracarta?
2. Na quarta carta, observe que otítulo muda:Denise Ramos;portantoo leitorcomentaoutra
publicaçãodarevista.Quaissãoas opiniõesde IsaacFerreiraFilhosobre otextopublicado?
3. Observe a linguagemempregadaemcadacarta. Trata-se de uma linguageminformaloumais
formal?Justifique-se.
4. Em que cartas os leitoresse colocamdiretamentenotexto,e emquaiselestratamotema de
modomaisobjetivo?Esclareçasuaresposta.
5. As cartas de leitorsão,emgeral,argumentativas,porque expõemopiniõessobre algumtema.
Identifique opontode vistadosleitoresnascartaslidas.
Oficina de produção
Carta ao leitor
Agora é a sua vez. Escolha uma destas propostas.
1ª proposta
Você concorda com as opiniões dos três leitores sobre as atividades profissionais da mulher fora
de casa e o papel que ela assume hoje na família? Em seu caderno, escreva uma carta de leitor
para a revista Isto É expondo seu ponto de vista, concordando ou não com as ideias dos leitores.
2ª proposta
Leia a carta de um leitor da revista Veja.
Steven Hayes
Concordo plenamente com o que diz Steven Hayes.
É utopia acreditar em uma felicidade total e plena.
Ela depende da tristeza para existir, e a dor deve ser
encarada como elemento natural desse processo.
Um grande filósofo grego já dizia que “o prazer
nasce da dor”. Ou seja, o prazer de degustar um
almoço só existe porque antes se passou pelo
“desconforto” de sentir fome.
Breno Ponte de Brito
Teresina, PI
Veja, São Paulo, 8 de mar. 2006.
Escreva uma carta de leitor para a revista Veja posicionando-se em relação ao tema abordado:
não existe felicidade total e plena. Você concorda ou não com o leitor?
Desenvolva seu ponto de vista, seguindo estas instruções.
* Decida qual vai ser seu posicionamento em relação ao tema a ser tratado, ou seja, se você
discorda da opinião do leitor ou concorda com ela, se vai criticar ou elogiar a revista pela
reportagem. Organize seus argumentos e observe as características da carta.
* Empregue a linguagem formal, na 1ª ou 3ª pessoa, conforme a sua escolha. Escreva seus
argumentos com clareza e de modo persuasivo, definindo seu ponto de vista.
* Avalie seu texto e observe se você seguiu as instruções apresentadas e expôs, de forma
objetiva, a finalidade principal de sua carta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Gênero textual - biografia
Gênero textual - biografiaGênero textual - biografia
Gênero textual - biografia
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Numerais
NumeraisNumerais
Numerais
 
Slides cartas
Slides  cartasSlides  cartas
Slides cartas
 
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTAAULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
 
Resumo e resenha
Resumo e resenhaResumo e resenha
Resumo e resenha
 
Slides spaece
Slides spaece Slides spaece
Slides spaece
 
Gêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta abertaGêneros argumentativos: a carta aberta
Gêneros argumentativos: a carta aberta
 
Haicais
HaicaisHaicais
Haicais
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Carta do leitor
Carta do leitorCarta do leitor
Carta do leitor
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Genero resenha
Genero resenhaGenero resenha
Genero resenha
 
Diferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opiniãoDiferença entre fato e opinião
Diferença entre fato e opinião
 
Texto de divulgação científica
Texto de divulgação científicaTexto de divulgação científica
Texto de divulgação científica
 
Aulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimentoAulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimento
 
Tema
TemaTema
Tema
 

Destaque (20)

Conto de terror
Conto de terrorConto de terror
Conto de terror
 
Romance
RomanceRomance
Romance
 
Elementos estruturais da novela
Elementos estruturais da novelaElementos estruturais da novela
Elementos estruturais da novela
 
Noções sobre carta argumentativa
Noções sobre carta argumentativaNoções sobre carta argumentativa
Noções sobre carta argumentativa
 
Novela Literária
Novela LiteráriaNovela Literária
Novela Literária
 
Carta do leitor e carta ao leitor
Carta do leitor e carta ao leitorCarta do leitor e carta ao leitor
Carta do leitor e carta ao leitor
 
Carta do leitor - 8° ano EF II
Carta do leitor - 8° ano EF IICarta do leitor - 8° ano EF II
Carta do leitor - 8° ano EF II
 
Carta (pessoal, do leitor ou formal)
Carta (pessoal, do leitor ou formal)Carta (pessoal, do leitor ou formal)
Carta (pessoal, do leitor ou formal)
 
Carta formal
Carta formalCarta formal
Carta formal
 
Romance
RomanceRomance
Romance
 
Novela
NovelaNovela
Novela
 
Gêneros textuais no ENEM: carta do leitor
Gêneros textuais no ENEM: carta do leitorGêneros textuais no ENEM: carta do leitor
Gêneros textuais no ENEM: carta do leitor
 
Carta argumantativa
Carta argumantativaCarta argumantativa
Carta argumantativa
 
Carta do leitor
Carta do leitorCarta do leitor
Carta do leitor
 
Redação | Carta Argumentativa | 3ª ANO | Profª Maria Luiza
Redação | Carta Argumentativa | 3ª ANO | Profª Maria LuizaRedação | Carta Argumentativa | 3ª ANO | Profª Maria Luiza
Redação | Carta Argumentativa | 3ª ANO | Profª Maria Luiza
 
Romance
RomanceRomance
Romance
 
Os verbos
Os verbosOs verbos
Os verbos
 
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMAAULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
AULA 07 - CARTA ARGUMENTATIVA - PPT - ATUALÍSSIMA
 
Carta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-pointCarta argumentativa-power-point
Carta argumentativa-power-point
 
Conto de terror- Estudo de gêneros textuais
Conto de terror- Estudo de gêneros textuaisConto de terror- Estudo de gêneros textuais
Conto de terror- Estudo de gêneros textuais
 

Semelhante a Carta do leitor

Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12wluis001
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOVIVIAN TROMBINI
 
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de Texto
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de TextoEscriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de Texto
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de TextoJailma Gomez
 
( Psicologia) helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...
( Psicologia)   helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...( Psicologia)   helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...
( Psicologia) helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...Sonival Nery Teixeira
 
Como Escrever um Artigo
Como Escrever um ArtigoComo Escrever um Artigo
Como Escrever um ArtigoJomari
 
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO - 2016 SOBRAMES PR web
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO -  2016 SOBRAMES PR webGRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO -  2016 SOBRAMES PR web
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO - 2016 SOBRAMES PR webSérgio Pitaki
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANOVIVIAN TROMBINI
 
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdfEwertonGustavo3
 
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdf
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdfConotação e Denotação 2 bimestre.pdf
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdfthayssabsjales
 
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vida
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vidaHelen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vida
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vidaAnne009
 
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdf
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdfO ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdf
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdfEdson Palma
 
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdf
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdfAprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdf
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdfFilipeDaumas2
 
Aprenda a ser otimista martin e. seligman
Aprenda a ser otimista   martin e. seligmanAprenda a ser otimista   martin e. seligman
Aprenda a ser otimista martin e. seligmanIJUPEMPRESAS
 

Semelhante a Carta do leitor (20)

Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12Apostila iet 2013_12
Apostila iet 2013_12
 
Carta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptxCarta Argumentativa.pptx
Carta Argumentativa.pptx
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 1º ANO
 
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de Texto
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de TextoEscriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de Texto
Escriturário Banco do Brasil - Questões de Interpretação de Texto
 
Jovens
JovensJovens
Jovens
 
O suporte revista
O suporte revistaO suporte revista
O suporte revista
 
( Psicologia) helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...
( Psicologia)   helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...( Psicologia)   helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...
( Psicologia) helen palmer - o eneagrama # compreendendo-se a si mesmo e ao...
 
Como Escrever um Artigo
Como Escrever um ArtigoComo Escrever um Artigo
Como Escrever um Artigo
 
Livro1
Livro1Livro1
Livro1
 
Estrutura de-um-paper
Estrutura de-um-paperEstrutura de-um-paper
Estrutura de-um-paper
 
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO - 2016 SOBRAMES PR web
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO -  2016 SOBRAMES PR webGRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO -  2016 SOBRAMES PR web
GRALHA AZUL No. 60 - SETEMBRO - 2016 SOBRAMES PR web
 
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANOREDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANO
REDAÇÃO - PAS - UEM - 2º ANO
 
Tcc leticia gomes leal silva
Tcc leticia gomes leal silvaTcc leticia gomes leal silva
Tcc leticia gomes leal silva
 
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf
289231775-Lapassade-Analise-Institucional-Teoria-Pratica-1973.pdf
 
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdf
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdfConotação e Denotação 2 bimestre.pdf
Conotação e Denotação 2 bimestre.pdf
 
Gêneros textuais e ensino de língua materna
Gêneros textuais e ensino de língua maternaGêneros textuais e ensino de língua materna
Gêneros textuais e ensino de língua materna
 
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vida
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vidaHelen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vida
Helen palmer o_eneagrama_compreendendo-se_a_si_mesmo_e_aos_outros_em_sua_vida
 
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdf
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdfO ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdf
O ENEAGRAMA - Helen Palmer.pdf
 
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdf
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdfAprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdf
Aprenda a ser otimista - Martin E. Seligman.pdf
 
Aprenda a ser otimista martin e. seligman
Aprenda a ser otimista   martin e. seligmanAprenda a ser otimista   martin e. seligman
Aprenda a ser otimista martin e. seligman
 

Último

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasnarayaskara215
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfEversonFerreira20
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 

Último (20)

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 

Carta do leitor

  • 1. INSTITUTO NOSSA SENHORA DA GLÓRIA - Rio das Ostras Língua Portuguesa Professora: Aline Ramalho Série: 8º ano Carta ao leitor Leia as cartas a seguir: Dilema das mulheres Carta 1 Parabéns à revista pela reportagem “O dilema de ficar em casa” (ISTOÉ, 1996). Consegui me identificar com os objetivos de todas as mães da reportagem. Tenho dois filhos lindos e busquei um formato que me permitisse acompanhar o desenvolvimento deles e ao mesmo tempo continuar o meu desenvolvimento profissional. É a flexibilidade no trabalho, a facilidade da tecnologia e o apoio e participação do maridão, que garantem esse esquema quase tático montado para dar conta de um único objetivo: ser feliz e buscar o bem-estar de toda família. ADRIANA MARTINELLI CARVALHO Santana de Parnaíba - SP Carta 2 Parabenizo ISTOÉ pela reportagem na qual mostra a realidade vivida pelas mulheres e mães na luta para conciliar família, filhos e profissão. Tenho observado cada dia mais o papel importante que a mulher exerce nos diversos ambientes que frequenta. Não poderia deixar de destacar o papel da mãe, tão fundamental para a formação moral das crianças e adolescentes. Pude também refletir sobre o papel de pai de família que pretendo ser, no qual conciliar as várias atividades será desafio constante para ser um pai presente e participante. ADRIANO C. MACHADO PEREIRA Belo Horizonte - MG Carta 3 Referente à reportagem de capa, fica evidente que na sociedade do século XXI a divisão de tarefas entre os pais é uma realidade. Mesmo assim, a sociedade cobra participação muito maior da figura feminina, resta-nos compreender e conseguir transmitir para nossos filhos que eles não têm só mãe. Têm pai também. ISAAC SOARES DE LIMA Maceió - AL Carta 4 Excelente a entrevista com a psicóloga Denise Ramos, coordenadora de pós- graduação em psicologia clínica da PUC-SP, provando por A mais B que o corpo está sempre ligado à mente. A modernidade dos tempos é que trouxe à tona a pandemia desses males. Uma mente saudável sempre remete a uma saúde equilibrada. “As razões do corpo” (ISTOÉ 1896). ISAAC FERREIRA GOMES FILHO Colindé - CE Isto É, São Paulo, 8 mar.2006.
  • 2. Série: 8º ano Carta do leitor é um gênero textual em que o leitor se dirige a um jornal ou revista para comentar, criticar ou elogiar uma matéria ou carta publicada em edições anteriores. Na revista Isto É, assim como na maioria dos jornais e revistas, há uma seção destinada a cartas ao leitor – em geral chamadas de Cartas à Redação, Painel do leitor, Cartas do Leitor, ou simplesmente Cartas, como nesse caso. Essa seção oferece um espaço para que o leitor faça elogios ou críticas a uma matéria publicada, ou mesmo expresse sugestões e dúvidas. Os comentários podem referir-se às ideias de um texto, com as quais o leitor concorda ou não; à maneira como o assunto foi abordado (nesse caso, um leitor mais conservador pode afirmar que determinada questão tratada de forma muito liberal);ouàqualidade do texto em si (pode-se achar que o autor abusou de clichês, por exemplo). É possível também fazer alusão a outras cartas de leitores, para concordar ou não com o ponto de vista expresso nelas. A linguagem da carta do leitor varia conforme o perfil dos leitores da publicação. Pode ser mais descontraída, se o público é jovem, ou ter um aspecto mais formal. Esse tipo de carta apresenta formato parecido com o das cartas pessoais: data, vocativo (a quemelaé dirigida),corpodotexto,despedidae assinatura. Contudo, quando necessário, a equipe de redação do jornal ou revista adapta as cartas do leitor a seu estilo e as reduz para encaixá-las na seção reservada a elas, mantendo apenas uma parte do corpo. Quando públicas, costumam ser agrupadaspor assunto.Assim,reúnem-se asque se refiram à mesma notícia ou reportagem em um mesmo bloco, que recebe um título. Relendoascartas, responda. 1. Os autores das trêsprimeirascartasreferem-se aumamesmareportagemdarevista Isto É, publicadaanteriormente e identificadapelotítulo Dilema dasmulheres. a) Qual é o objetivodaautorada primeiracarta? b) Na segundacarta, qual é a crítica doleitorIsaac Lima? c) Qual é o comentáriodoleitorAdrianoPereira,naterceiracarta? 2. Na quarta carta, observe que otítulo muda:Denise Ramos;portantoo leitorcomentaoutra publicaçãodarevista.Quaissãoas opiniõesde IsaacFerreiraFilhosobre otextopublicado? 3. Observe a linguagemempregadaemcadacarta. Trata-se de uma linguageminformaloumais formal?Justifique-se. 4. Em que cartas os leitoresse colocamdiretamentenotexto,e emquaiselestratamotema de modomaisobjetivo?Esclareçasuaresposta. 5. As cartas de leitorsão,emgeral,argumentativas,porque expõemopiniõessobre algumtema. Identifique opontode vistadosleitoresnascartaslidas.
  • 3. Oficina de produção Carta ao leitor Agora é a sua vez. Escolha uma destas propostas. 1ª proposta Você concorda com as opiniões dos três leitores sobre as atividades profissionais da mulher fora de casa e o papel que ela assume hoje na família? Em seu caderno, escreva uma carta de leitor para a revista Isto É expondo seu ponto de vista, concordando ou não com as ideias dos leitores. 2ª proposta Leia a carta de um leitor da revista Veja. Steven Hayes Concordo plenamente com o que diz Steven Hayes. É utopia acreditar em uma felicidade total e plena. Ela depende da tristeza para existir, e a dor deve ser encarada como elemento natural desse processo. Um grande filósofo grego já dizia que “o prazer nasce da dor”. Ou seja, o prazer de degustar um almoço só existe porque antes se passou pelo “desconforto” de sentir fome. Breno Ponte de Brito Teresina, PI Veja, São Paulo, 8 de mar. 2006. Escreva uma carta de leitor para a revista Veja posicionando-se em relação ao tema abordado: não existe felicidade total e plena. Você concorda ou não com o leitor? Desenvolva seu ponto de vista, seguindo estas instruções. * Decida qual vai ser seu posicionamento em relação ao tema a ser tratado, ou seja, se você discorda da opinião do leitor ou concorda com ela, se vai criticar ou elogiar a revista pela reportagem. Organize seus argumentos e observe as características da carta. * Empregue a linguagem formal, na 1ª ou 3ª pessoa, conforme a sua escolha. Escreva seus argumentos com clareza e de modo persuasivo, definindo seu ponto de vista. * Avalie seu texto e observe se você seguiu as instruções apresentadas e expôs, de forma objetiva, a finalidade principal de sua carta.