SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 72
Histologia Vegetal
   Aula
Programada
   Biologia

     Tema:
   Histologia
    Vegetal




    Eduardo
    Henrique
eduardonetto@live.co
         m
Histologia Vegetal
1) Introdução

  A histologia vegetal estuda a FORMAÇÃO e a CONSTITUIÇÃO DOS TECIDOS DAS PLANTAS.

  Tecido: conjunto de células especializadas, geralmente semelhantes, e adaptadas para
  realizarem determinadas funções.

2) Tecidos Vegetais     (podem ser divididos em dois grandes grupos: MERISTEMÁTICOS E PERMANENTES)

   I.    Meristemas     Crescimento
   II.   Parênquima
   III. Colênquima        Preenchimento / Sustentação / Reserva

   IV. Esclerênquima
   V. Floema
                   Condução de seiva
   VI. Xilema
   VII. Epiderme
                      Revestimento
   VIII. Periderme
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

  I) Meristemas (tecido vivo)
  Tipo de tecido presente nas partes da planta onde ocorre crescimento por multiplicação
  celular (MITOSES).
    Constituído por células meristemáticas:
        o Pluripotentes (↑ capacidade de diferenciação) – correspondem a células tronco
        o Indiferenciadas
        o Parede celular delgada
        o Núcleo volumoso e central
        o Alta capacidade multiplicativa




                                 Células meristemáticas
Histologia Vegetal
Meristemas e crescimento

Ao contrário dos animais, a produção
de órgãos vegetativos e reprodutores
é contínua ao longo da vida da planta
e é devida à atividade dos meristemas.
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

    Tipos de Meristemas:
           a) Meristema apical: Promove crescimento vertical; altura; primário

Protoderme                            Origem: Embrião da planta (ápice do caule e da raiz)
Meristema
Apical do caule
Meristema                              Meristema apical
Fundamental
                                                Origina os meristemas primários

                                        Protoderme               Origina a epiderme e
                                                                  periderme
 Procâmbio
                                         Procâmbio               Origina o xilema e floema
                                 Meristema Fundamental           Origina o parênquima,
  Meristema                             (Câmbio)                  colênquima e esclerênquima
 apical da raiz
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

  Tipos de Meristemas:
       a) Meristema primário ou apical (na planta adulta)
                                 Gema apical do caule
                                 (meristema primário)




                                    Gemas laterais do caule
                                     (meristema primário)




                                   Gema apical da raiz
                                  (meristema primário)
Tecs. Susentaçao e
Preenchimento
Câmbio
Epiderme
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

  Tipos de Meristemas:
       b) Meristema secundário: Gimnospermas e Angiospermas

          Origem: A partir da desdiferenciação (readquirem a capacidade mitótica) de
           células parenquimáticas do córtex da raiz e do caule.
          Promove o crescimento em espessura, radial,
           secundário, horizontal.
          Tipos:
                  I. Felogênio
                       Súber
                       Feloderma

                                                           Xilema
                II. Câmbio
                                                         secundário
                      Xilema secundário                                Floema
                      Floema Secundário                              secundário
um único
                                        e grande vacúolo
           núcleo
           volumoso




Vacúolos
pequenos
                      parede                          parede celular
                      celular delgada                 espessa
Quais são as características gerais dos
          tecidos meristemáticos?
                                   [ meristema primário que provoca
  sempre estimulam                   crescimento primário (em altura)
  crescimento                      [ meristema secundário que provoca
                                     crescimento secundário (em espessura)
                                                                     Xilema
                                                  Ex. câmbio         Floema
  suas células são      podem formar
► indiferenciadas ou    outros tecidos,           Ex. felogênio      Súber
                                                                     Feloderme
  “totipotentes”        principalmente
                        os adultos ou
                        permanentes               Ex. periblema      Tecidos de
                                                  Ou meristema       sustentação
  suas células sempre                                                Tecidos de
                                                  fundamental
► estão sofrendo                                                     preenchimento
  mitoses                                         Ex. pleroma ou      câmbio
                                                  Procâmbio

                                                  Ex. dermatogênio      epiderme
                                                  ou protoderme
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
INTRODUÇÃO À HISTOLOGIA VEGETAL

                                                          protoderme
                                           primários      meristema fundamental
                                                          procâmbio
                   meristemáticos
                                                          câmbio vascular
                                           secundários
                                                          felogênio


                                            primário     epiderme
 TECIDOS           de revestimento
 VEGETAIS
                                           secundário    feloderme

                                                          parênquima
                   fundamentais                           colênquima*
                                                          esclerênquima

                                                          floema primário
                                           primários
                                                          xilema primário
                   vasculares
                                          secundários     floema secundário
                                                          xilema secundário

*Presente apenas no corpo primário da planta.
Histologia Vegetal
2) Tecidos Vegetais Permanentes
   Características Gerais da Célula:

       Apresentam pequena capacidade mitótica
       Parede celular espessa
       Vacúolo geralmente único, grande e central
       Núcleo pequeno e periférico
epiderme (vivo)
              tecidos de revestimento    súber   (morto)
              ou proteção
                                         colênquima (vivo)
                                         esclerênquima (morto)
Tecidos       tecidos de sustentação
adultos ou
permanentes   tecidos de condução        xilema (morto)
              de seivas                  floema (vivo)

              tecidos de preenchimento   parênquima clorofiliano
              ou parênquimas             parênquima amilífero
                                         ou de reserva
                                         parênquima aerífero
                                         parênquima aquífero
Histologia Vegetal
2) Tecidos Vegetais Permanentes
    e) Epiderme (tecido vivo)
          Origem: Protoderme
          Função: Revestimento externo dos órgãos da planta (raiz, caule, folhas, frutos, etc).
          Característica: Geralmente formado por uma única camada de células justapostas;
           células vivas, aclorofiladas, cutícula delgada.

Epiderme das folhas
                                                                      Estruturas encontradas

                                                                 I. Cutícula: impermeabilização
                                                                    e economia hídrica.
                                                                 II. Estômatos: trocas gasosas

        Mesófilo
                                                                 III. Tricomas: retenção de água
         Foliar                                                       e proteção.
                                                                 IV. Hidatódios: gutação
                                                                 V. Glândulas: atração de
                                                                    polinizadores e proteção
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
        e) Epiderme (tecido vivo)

Epiderme das folhas
  I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de
     algumas folhas

                                                                     Esta relacionada
                                                                        a secreção e
                                                                      trocas gasosas




  II)    Estômatos: Únicas células epidérmicas que possuem cloroplastos.


                                                                     Esta relacionada
                                                                     a trocas gasosas
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
    e) Epiderme (tecido vivo)

Epiderme das folhas
  III) Tricomas: São pêlos epidérmicos que auxiliam na redução da perda de água.




  III) Hidatódio: Elimina o excesso de água do interior da folha.


                                   “Gutação”

  III) Glândulas: Tricomas especializados em liberar aromas que atraem polinizadores.
São estômatos modificados,
                           adaptados a perder o excesso de
                           água na forma líquida, de gotinhas.




           Condições de Ocorrência: da GUTAÇÃO:
escuridão, atmosfera saturada em água, estômatos fechados, solo
                encharcado, baixa temperatura.
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
     e) Epiderme (tecido vivo)

Especializações da Epiderme das raízes
    Possui pêlos absorventes (Zona Pilífera ou Pilosa) – condução horizontal da seiva bruta
    Aumenta a superfície de contato e a absorção de água e sais minerais pelas células
     epiteliais das raízes.
Tecidos de Revestimento
   Súber

É formado por várias camadas de células
mortas, devido a impregnação de suberina,
uma substância impermeável (de natureza
lipídica);
Reveste principalmente as partes mais
velhas do caule e da raiz, mas nunca das
folhas;
Protegem a planta contra predadores,
excesso de calor e até mesmo contra o fogo;
Seu principal anexo é a lenticela,
pequenas rachaduras no súber que
permitem as trocas gasosas;
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
      f) Periderme (tecido morto)
      Somente em Gimnospermas e Angiospermas (Dicotiledôneas).
      Típico de plantas que apresentam crescimento secundário.   Ar    Lenticela
      Possui três camadas: Felogênio, Feloderme e Súber.

  Estruturas da periderme
       I) Lenticela:

       Abertura da periderme que permite a circulação de ar.



       II) Ritidoma:

       Periderme morta que se destaca do caule da planta.


                                                                   Ritidoma
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
   f) Periderme (tecido vivo)
   Suber + Felogênio + Feloderme
   Obs.: O súber, tecido morto, faz parte da periderme.

        Súber




             Feloderme
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

  b) Parênquima (tecido vivo)
      Origem: meristema fundamental
      Funções:
        o Preenchimento de espaços
        o Reserva de substâncias
        o Fotossíntese
      Local: Encontrado em todos os órgãos da planta

   Tipos

        I. Parênquima de preenchimento

        o Realiza o preenchimento de espaços entre os tecidos
        o Ex: Córtex e medula do caule



                                                                Caule
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
       II. Parênquima clorofiliano

       o Possui grande quantidade de cloroplasto em suas células
       o Função: Fotossíntese
       o Local: Encontrado no mesófilo foliar




                                                                   Mesófilo da folha
                                                                   Parênquima clorofiliano
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
       III. Parênquima de reserva
       o Possui a função de armazenar substâncias
       o Tipos:
          a) Amilífero: reserva amido – Ex. Batata
          b) Aquífero: reserva água – Ex. Cactos - É bem desenvolvido nas plantas
                Xerófitas ( de clima quente e seco)
             c) Aerífiero: reserva gases (ar) – Ex. Aguapé




      Grânulos de
        amido                                                      Espaçamento
                                                                  entre as células




                    Parênquima amilífero    Parênquima aerífero
Histologia Vegetal
2) Tecidos Vegetais
   c) Colênquima (tecido vivo)

      Origem: Meristema Fundamental
      Função: Promove resistência e flexibilidade aos órgãos da planta
      Característica: Células com parede celular bastante espessada
      Localização: Abaixo da epiderme
      É formado por um grande número de células vivas alongadas,
       dotadas de paredes grossas e rígidas muito resistentes, com
       depósitos de celulose reforçados.

                                                    Reforço de celulose
                                                   nos ângulos da célula.




                Gavinha - Flexiblidade
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
   d) Esclerênquima (tecido morto)

        Origem: Meristema Fundamental
        Função: Sustentação e proteção
        Característica: Células com parede celular (celulose) bastante espessada contendo
         impregnação de lignina (polímero) o qual promove impermeabilização e rigidez ao
         tecido.
         Obs.: A impregnação por lignina causa a morte da célula.
        Localização: Caule, folhas, frutos e sementes.                         Reforço de
                                                                  Lúmen vazio   lignina
   Tipos celulares

   I) Fibras esclerenquimáticas

       Promove sustentação
       esquelética ao vegetal
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais

   I) Fibras esclerenquimáticas
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
   g) Floema ou Líber (tecido vivo)

      Origem: Procâmbio
      Função: Conduzir a seiva elaborada (matéria orgânica) produzida pelas folhas para
       todas as células da planta.
      Tipos celulares: (Elementos de tubo crivado)

       I.    Célula crivada (Gimnosperma e Pteridófita)
       II.   Tubos crivados (Angiospermas)
        o Elementos de Tubo crivado
             Anucleadas
             Sobrevive graças ao auxílio das células
            companheiras.

        o Células companheiras
             Nucleada
             Fornece todas as substâncias necessárias ao
            metabolismo das células dos elementos de tubo
            crivado.
Histologia Vegetal
2) Tecidos vegetais
   g) Xilema ou Lenho (tecido morto)

       Origem: Procâmbio
       Função: Conduzir a seiva bruta (água e sais minerais) que é absorvida pelas raízes
        para as partes aéreas da planta e contribuir para a sustentação da planta.
       Tipos celulares: (elementos traqueais)
        o Células mortas                                      I                    II
        o Parede celular lignificada
        o Sem núcleo, citoplasma ou organelas
        o Dispostas em fileira, formando tubos contínuos

   I) Elementos de vaso (Angiospermas)
       o ↑ calibre
       o Perfuração única

   II) Traqueídes
        o ↓ calibre
        o Várias perfurações
Organologia Vegetal
   Aula
Programada
   Biologia
Tema:
Organologia
Vegetal
Organologia Vegetal
1) Introdução

  É a parte da biologia que estuda o conjunto de órgãos que formam o corpo da planta.
    Os principais órgãos vegetais são:
   I. Raiz
   II. Caule
   III. Folhas

2) Órgãos da planta

   A) Raiz

            Órgão aclorofilado
            Localiza-se geralmente abaixo da superfície do solo
            Funções:
              I. Fixar a planta ao solo
              II. Absorver água e sais minerais do solo para a planta
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta         Colo
                             Região de transição entre raiz e caule.
   A) Raiz                  5) Zona de ramificação
                             Região onde ocorre a formação das raízes
                            secundárias (laterais)
                            4) Zona pilífera (pêlos absorventes)
                             Células epidérmicas possuem pêlos
                            absorventes que absorvem água e sais

                            3) Zona de alongamento celular (lisa)
                             Células sofrem alongamento
                             Região da raiz que mais cresce

                            2) Zona de multiplicação celular
                             Meristema apical
                             Ocorre sucessivas divisões mitóticas
                            1) Coifa (capuz de células parenquimáticas)
                             Protege o meristema apical
                             Produz mucilagem que facilita
                            penetração da raiz no solo
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta                 I)    Epiderme
                                    o     Camada única de células periféricas
   A) Raiz - Crescimento primário   o     Possui os pêlos absorventes
    Monocotiledôneas               o     Aumentam a superfície de contato
                                    o     Absorção de água e sais minerais

                                    II)   Córtex
                                    o     Possui os tecidos: parênquima, colênquima,
                                          esclerênquima e endoderma.
                                    o     As células parenquimáticas preenchem
                                          espaços e podem armazenar nutrientes.
                                    o     Colênquima: flexibilidade
                                    o     Esclerênquima: sustentação
                                    o     Endoderme: Delimita o cilindro central e
                                          seleciona o que entra no xilema.

                                    III) Cilindro vascular
                                    o Apresenta o xilema e o floema
                                    o Possui o periciclo, o qual se desdiferencia
                                          em meristemas secundários e forma raízes
                                          secundárias.
2) Órgãos da planta

     A) Raiz - Crescimento secundário
      Dicotiledôneas e Gimnospermas




Câmbio vascular (meristema secundário)
     Forma floema secundário para fora
     Forma xilema secundário para dentro

Felogênio (meristema secundário)
      Forma súber (cortiça) para fora (tecido morto)
      Forma feloderme para dentro
      Suber + felogênio + feloderme = periderme
Casca = súber + felogênio + feloderma + floema secundário
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

  Classificação das raízes

  I) Quanto a origem

  a) Normal: Tem origem a partir da radícula do embrião.

  b) Adventícia: Origina-se a partir do caule ou das folhas (radícula atrofia-se).




                       Normal                                Adventícia
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
  II) Quanto ao habitat
   Subterrâneas
   a) Axial ou Pivotante (Dicotiledôneas): Possui uma raiz principal de onde partem raízes
      laterais.
   b) Fasciculadas ou cabeleira (Monocotiledôneas): Formado por raízes finas que se
      originam diretamente do caule.
   c) Tuberosas: Armazenam substâncias nutritivas.




             Axial                       Fasciculada                 Tuberosa
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
   II) Quanto ao habitat
    Aéreas
a) Estranguladoras: Adventícias que abraçam outro vegetal estrangulando-o.
b) Grampiformes: Adventícias em forma de grampo que fixam a planta trepadeira.
c) Pneumatófaros (respiratórias): Cresce para cima e fornece O2 para as partes submersas.




          Raiz pneumatófora                   Raiz grampiforme            Raiz estranguladora
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
   II) Quanto ao habitat
    Aéreas
d) Haustório: Penetram em tecidos vasculares de outra planta e sugam sua seiva.
e) Suporte ou escora: Raízes que auxiliam a sustentação da planta.
f) Tabular: Promove o aumento da sustentação da planta.




     Haustório – Erva de passarinho           Raiz tabular           Raiz suporte ou escora
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
  II) Quanto ao habitat
   Aquáticas
  Raízes aquáticas: Possui parênquima aerífero bastante desenvolvido que promove a
  flutuabilidade do vegetal.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   B) Caule - Crescimento primário
                                     I)    Epiderme
    Monocotiledôneas
                                     o     Camada única de células periféricas
                                     o     As vezes contém estômatos que promovem
                                           trocas gasosas.

                                     II)   Córtex
                                     o     Possui os tecidos: parênquima e
                                           colênquima.
                                     o     As células parenquimáticas podem conter
                                           cloroplastos e realizar fotossíntese.
                                     o     Na região interna estão localizados os feixes
                                           vasculares (xilema e floema)

                                     III) Medula
                                     o Constituída por parênquima de
                                           preenchimento.
2) Órgãos da planta

     B) Caule - Crescimento secundário
      Dicotiledôneas e Gimnospermas
Câmbio vascular (meristema secundário)
     Surge a partir do câmbio fascicular (dentro dos feixes
    vasculares) e pelo câmbio interfascicular (entre os feixes)
     Forma floema secundário para fora
     Forma xilema secundário para dentro
Felogênio (meristema secundário)
      Forma súber (cortiça) para fora (tecido morto)
      Forma feloderme para dentro
      Suber + felogênio + feloderme = periderme
Casca = súber + felogênio + feloderma + floema secundário
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Disposição dos feixes vasculares no caule

                                         Floema




                                        Xilema




             Dicotiledôneas                              Monocotiledôneas
      Feixes vasculares organizados               Feixes vasculares desorganizados
           Floema (periférico)                           Floema (periférico)
             Xilema (central)                              Xilema (central)
2) Órgãos da planta
                                                         Madeira = xilema secundário
   B) Caule - Crescimento secundário
    Estrutura e do Tronco
       o   Súber: tecido morto que se destaca do tronco (proteção)
       o   Felogênio (Meristema secundário)
       o   Parênquima cortical
       o   Floema (condução de seiva elaborada)
       o   Câmbio (meristema secundário)
       o   Alburno (xilema secundário funcional) – Condução de seiva bruta
       o   Cerne (xilema secundário inativo) – Ocorre impregnação de corantes e resinas (proteção)
            Súber
2) Órgãos da planta                             Em algumas espécies o número de
                                                anéis de crescimento corresponde
   B) Caule - Crescimento secundário              exatamente a idade da planta.
    Anéis de crescimento do tronco
      o Resultam da variação de atividade do xilema em resposta a alterações climáticas
      o Em estações secas: xilema produz células com parede celular mais espessa
          (xilema estival)
      o Em estações chuvosas: xilema produz células com parede celular relativamente
          fina (xilema primaveril)
                                                           Xilema
                                                          primaveril   Xilema
                                                                       estival




            Clima quente           Clima frio
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta           Tronco: Caules robustos e geralmente ramificados na região
                              superior (Gimnospermas e dicotiledôneas)
   Classificação dos caules   Haste: Caule fino e delicado (plantas herbáceas)
                              Estipe: São caules cilindricos, não ramificados que terminam
   I) Caules Eretos           com um tufo de folhas (Palmeira)
                              Colmo: Caules não ramificados que apresentam nós e entre-
                              nós bem evidentes. Tipos: Cheio (cana de açúcar) Oco (bambú)
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
                                     São relativamente finos e longos e crescem enrolados
   Classificação dos caules          sob diversos tipos de suporte.

   II) Caules Trepadores (volúvel)   Apresentam ramos modificados (gavinhas) que auxiliam
                                     na fixação das plantas ao substrato.




                                                              Trepador (hera)
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Classificação dos caules
                              Sarmento: Caule rastejante que apresenta apenas um ponto
   III) Caules rastejantes    de enraizamento (Abóbora)

                              Estolão: Caule rastejante que produz gemas em vários pontos
                              que podem originar novas plantas completas. (Morango)




                  Sarmento
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Classificação dos caules
                                   Rizoma: Caule subterrâneo que apresenta crescimento
   IV) Caules subterrâneos         horizontal (Bananeira)
                                   Tubérculo: Caule subterrâneo que apresenta dilatamento
                                   devido ao acúmulo de nutrientes (batata inglesa)




                              Folhas

                              Rizoma

                                                                      Tubérculo
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
                                  Bulbo: Possui região interior (prato) envolvida por folhas
                                  modificadas armazenadoras de nutrientes (catáfilo) – Ex:
   Classificação dos caules
                                  cebola e alho.
   V) Bulbos
   (folhas modificadas + caule)




                                    Cebola
                                                                                  Alho
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Classificação dos caules
                              Caule aquático: Contém parênquima aerífero que armazena
   VI) Aquáticos              ar e auxilia a respiração e flutuação da planta.
                              Ex: Aguapé.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta         Espinhos: Podem se originar do caule ou da folha – No
                            primeiro caso, são ramos curtos com ponta afilada que
    Adaptações do caule     protege a planta. (Ex: Limoeiro)
                            Acúleo: Estruturas pontiagudas originadas da epiderme (são
   Proteção (herbivoria)   facilmente destacáveis) – Ex: roseira
   Reserva de água
   Economia hídrica.       Cladódios: Caules adaptados à realização de fotossíntese e
                            ao armazenamento de água. Ex: cactáceas.
                            Filocládios: Cladódio com aspecto laminar.




          Espinhos               Acúleos
                                                     Cladódio
                                                                         Filocládio
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   C) Folhas

      Órgão responsável pela fotossíntese e trocas gasosas.

                                                    Partes da folha:

                                                    a) Limbo (lâmina foliar): Possui a
                                                       superfície achatadada.

                                                    b) Pecíolo: haste que fixa a folha ao
                                                       caule.

                                                    c) Bainha: região terminal e dilatada
                                                       do pecíolo que envolve o caule.

                                                    d) Estípulas: Projeções filamentosas
                                                       que ocorrem na região basal da
                                                       folha.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

    C) Folhas

        Anatomia interna da folha

Epiderme: Geralmente uniestratificada
Pluriestratificada (plantas xerófitas)
o Possui estômatos (trocas gasosas)
o Pode apresentar camada de cutina
  cobrindo as células (economia hídrica)

Mesófilo: Representado pelo parênquima
  clorofiliano (paliçádico e lacunoso)
  Paliçádico: células dispostas lado a lado
  Lacunoso: espaços entre as células
  Função: Fotossíntese
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

    C) Folhas

        Anatomia interna da folha

Feixe vascular (nervura)

Xilema voltado para epiderme superior
Floema voltado para epiderme inferior
Fibras do esclerênquima envonvedo-os

                                           Feixes vasculares
Em monocotiledôneas (A)                   Xilema (seiva bruta)
     Disposição paralelinérvea         Floema (seiva elaborada


Em dicotiledôneas (B)
     Disposição peninérvea

                                        A                         B
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

       Especializações da Epiderme Foliar


 I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de
    algumas folhas




 II)     Estômatos: Únicas células epidérmicas que possuem cloroplastos.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Estruturas



                                                                             Hidatódio
 III) Tricomas:

 São pêlos epidérmicos que auxiliam na redução da perda de água.

 IV) Hidatódio: Elimina o excesso de água do interior da folha.




 V) Glândulas: Tricomas especializados em liberar aromas que atraem polinizadores.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Especializações da folha

   I.    Espinhos: Folhas modificadas ou ramos do caule que formam estruturas afiladas e
         pontiagudas.
         Função: Defesa contra herbivoria e economia hídrica (reduz área de superfície da folha)
   II.   Gavinhas: Folhas ou caules modificados que auxiliam plantas trepadeiras na fixação
         ao substrato.
   III. Brácteas:    Folhas modificadas que possuem a função de atrair agentes
        polinizadores.




            Gavinha                       Bráctea                        Espinho
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

    Flor: Conjunto de folhas modificadas adaptadas para a realização da reprodução sexuada
          nas plantas Angiospermas.               Pedúnculo: haste que fixa a flor no ramo.

                                                  Receptáculo: região da flor onde se inserem
                                                  os elementos florais.

                                                  Sépala: folha modificada estéril (verde) –
                                                  conjunto: cálice

                                                  Pétala: folha modificada estéril (colorida) –
                                                  conjunto: corola

                                                  Estame (filete + antera): folha modificada
Óvulo                                             fértil que produz grão-de-pólen
                                                  Conjunto: Androceu

                                                  Carpelo (estigma + estilete + ovário): folha
  Receptáculo                                     modificada fértil formadora de óvulos.
                                                  Conjunto: Gineceu
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Flor: Órgão da planta responsável pela formação de sementes e frutos.

   Semente: Estrutura proveniente do desenvolvimento do óvulo após a sua fecundação.




   Frutos: Estrutura proveniente do desenvolvimento do ovário da flor que contém em seu
   interior, protegidas, as sementes.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta
   Inflorescência: Conjunto de flores reunidas em uma estrutura única, dispostas de
    diversas maneiras
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta                             Espiga
   Tipos de inflorescência




                             capítulo




                                        cacho
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Flor: Órgão da planta responsável pela formação de sementes e frutos.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Fruto: Estrutura proveniente do desenvolvimento da parede do ovário da flor, após a
   fecundação do óvulo.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário.

   I)   Carnosos – apresentam o pericarpo suculento.

  a) Baga                                    b) Drupa
  Apresenta endocarpo ou mesocarpo           Apresenta uma única semente cuja casca é
  carnoso e com múltiplas sementes           fundida ao endocarpo do fruto formando o
                                             “caroço”.




  Ex: Melancia, melão, goiaba, pepino, etc   Ex: Pêssego, manga, azeitona, abacate, etc.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário.

   II)    Frutos secos – Apresenta o pericarpo não suculento.

  a) Legume ou vagem                          b) Aquênio
  Mesocarpo pouco desenvolvido, possuem       Apresenta apenas uma semente ligada à
  geralmente múltiplas sementes em seu        parede do fruto por um único ponto.
  interior.




  Ex: Feijão, ervilha, soja, amendoim, etc.   Ex: Girassol, picão,
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário.

   II)    Frutos secos – Apresenta o pericarpo não suculento.

  c) Cariopse                                 d) Sâmara
  Apresenta uma única semente unida à         Fruto seco que apresenta expansões em
   parede do fruto em toda sua extensão.      forma de asas.




  Ex: Milho, arroz, etc.                      Ex: Centrolóbio, cabreúva, etc.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Pseudofruto: Frutos que não se originam do desenvolvimento do ovário da flor, mas sim
   de outras estruturas.

  a) Simples                                 b) Fruto agregado
  Provenientes do desenvolvimento do         Provenientes do desenvolvimento do
  pedúnculo ou do receptáculo de uma só      receptáculo de uma única flor, com muitos
  flor.                                      ovários.




  Ex: Maçã, pêra (receptáculo)               Exemplo: morango, pois vários aquênios
  Caju (pedúnculo)                           ficam associados a uma parte carnosa
                                             correspondente ao receptáculo da flor.
Organologia Vegetal
2) Órgãos da planta

   Pseudofruto: Frutos que não se originam do desenvolvimento do ovário da flor, mas sim
   de outras estruturas.

   c) Fruto múltiplo

   provenientes do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma inflorescência, que
   crescem juntos numa estrutura única. Ex: amora, abacaxi e o figo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Introducao histologia
Introducao histologia Introducao histologia
Introducao histologia
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FloresSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Tipos de reprodução
Tipos de reproduçãoTipos de reprodução
Tipos de reprodução
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Aula gimnospermas
Aula   gimnospermasAula   gimnospermas
Aula gimnospermas
 
Relatorio botanica
Relatorio botanicaRelatorio botanica
Relatorio botanica
 
Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule
 
Sistemática vegetal
Sistemática vegetalSistemática vegetal
Sistemática vegetal
 
Anatomia vegetal
Anatomia vegetalAnatomia vegetal
Anatomia vegetal
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Classificação das Plantas
Classificação das PlantasClassificação das Plantas
Classificação das Plantas
 

Destaque

Histologia Vegetal
Histologia VegetalHistologia Vegetal
Histologia VegetalEquipe Bio
 
T2. histología funcional de las plantas
T2. histología funcional de las plantasT2. histología funcional de las plantas
T2. histología funcional de las plantasMaría Navas Silvestre
 
óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisaulasdoaris
 
Fisiologia e Histologia Vegetal
Fisiologia e Histologia Vegetal  Fisiologia e Histologia Vegetal
Fisiologia e Histologia Vegetal Carlos Priante
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetalandreepinto
 
16.01.14 Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art
16.01.14  Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art16.01.14  Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art
16.01.14 Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´artGuy Valerio Barros dos Santos
 
TI: Evitando contratar um imbecil
TI: Evitando contratar um imbecilTI: Evitando contratar um imbecil
TI: Evitando contratar um imbecilArank
 
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...drtaylorjr
 
Oficina ferramentas do google
Oficina ferramentas do googleOficina ferramentas do google
Oficina ferramentas do googlerenatajaguaribe
 
Boas práticas na construção de cronogramas em projetos
Boas práticas na construção de cronogramas em projetosBoas práticas na construção de cronogramas em projetos
Boas práticas na construção de cronogramas em projetosDimitri Campana, PMP
 
Tópicos especiais biodiesel
Tópicos especiais   biodieselTópicos especiais   biodiesel
Tópicos especiais biodieselUERGS
 
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...Aprodam
 

Destaque (20)

Histologia Vegetal
Histologia VegetalHistologia Vegetal
Histologia Vegetal
 
T2. histología funcional de las plantas
T2. histología funcional de las plantasT2. histología funcional de las plantas
T2. histología funcional de las plantas
 
óRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetaisóRgãos e tecidos vegetais
óRgãos e tecidos vegetais
 
Fisiologia e Histologia Vegetal
Fisiologia e Histologia Vegetal  Fisiologia e Histologia Vegetal
Fisiologia e Histologia Vegetal
 
Raiz 97
Raiz 97Raiz 97
Raiz 97
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetalAula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
 
Histologia vegetal
Histologia vegetal  Histologia vegetal
Histologia vegetal
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
16.01.14 Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art
16.01.14  Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art16.01.14  Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art
16.01.14 Lei estabelece utilidade pública do Centro Social Cri´art
 
TI: Evitando contratar um imbecil
TI: Evitando contratar um imbecilTI: Evitando contratar um imbecil
TI: Evitando contratar um imbecil
 
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...
Pl considera de utilidade pública municipal a ammj - associação dos moradores...
 
Seminário Web (Video)
Seminário Web (Video)Seminário Web (Video)
Seminário Web (Video)
 
Biosferaemfoco
BiosferaemfocoBiosferaemfoco
Biosferaemfoco
 
Oficina ferramentas do google
Oficina ferramentas do googleOficina ferramentas do google
Oficina ferramentas do google
 
Aula4 epiderme
Aula4 epidermeAula4 epiderme
Aula4 epiderme
 
Boas práticas na construção de cronogramas em projetos
Boas práticas na construção de cronogramas em projetosBoas práticas na construção de cronogramas em projetos
Boas práticas na construção de cronogramas em projetos
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
 
Tópicos especiais biodiesel
Tópicos especiais   biodieselTópicos especiais   biodiesel
Tópicos especiais biodiesel
 
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...
RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E DAS METAS ALCANÇADAS...
 

Semelhante a Introdução aos Principais Tecidos Vegetais: Meristemáticos e Permanentes

Histologia vegetal 2ºm 3º m
Histologia vegetal 2ºm 3º mHistologia vegetal 2ºm 3º m
Histologia vegetal 2ºm 3º mle_firmino
 
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetaisBotânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetaisharleyac
 
Tecidos vegetais - profo james martins
Tecidos vegetais - profo james martinsTecidos vegetais - profo james martins
Tecidos vegetais - profo james martinsJames Martins
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetalparamore146
 
Tecido de revestimento celula vegetal
Tecido de revestimento   celula vegetalTecido de revestimento   celula vegetal
Tecido de revestimento celula vegetalShirlane Macedo Silva
 
Histologia e fisiologia vegetal 1
Histologia e fisiologia vegetal 1Histologia e fisiologia vegetal 1
Histologia e fisiologia vegetal 1Silvia Guerra
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetaisturma21
 
Tecidos vegetais (1)
Tecidos vegetais (1)Tecidos vegetais (1)
Tecidos vegetais (1)turma21
 
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.pptfabiola
 
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.Ionara Urrutia Moura
 
Histologia vegetal(1)
Histologia vegetal(1)Histologia vegetal(1)
Histologia vegetal(1)Gaspar Neto
 
(6) biologia e geologia 10º ano - distribuição de matéria
(6) biologia e geologia   10º ano - distribuição de matéria(6) biologia e geologia   10º ano - distribuição de matéria
(6) biologia e geologia 10º ano - distribuição de matériaHugo Martins
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetalURCA
 

Semelhante a Introdução aos Principais Tecidos Vegetais: Meristemáticos e Permanentes (20)

Histologia vegetal 2ºm 3º m
Histologia vegetal 2ºm 3º mHistologia vegetal 2ºm 3º m
Histologia vegetal 2ºm 3º m
 
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetaisBotânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
 
MATERIAL EXTRA - CRESCIMENTO PRIMÁRIO ESECUNADÁRIO.pdf
MATERIAL EXTRA - CRESCIMENTO PRIMÁRIO ESECUNADÁRIO.pdfMATERIAL EXTRA - CRESCIMENTO PRIMÁRIO ESECUNADÁRIO.pdf
MATERIAL EXTRA - CRESCIMENTO PRIMÁRIO ESECUNADÁRIO.pdf
 
Tecidos vegetais - profo james martins
Tecidos vegetais - profo james martinsTecidos vegetais - profo james martins
Tecidos vegetais - profo james martins
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Tecido de revestimento celula vegetal
Tecido de revestimento   celula vegetalTecido de revestimento   celula vegetal
Tecido de revestimento celula vegetal
 
Histologia e fisiologia vegetal 1
Histologia e fisiologia vegetal 1Histologia e fisiologia vegetal 1
Histologia e fisiologia vegetal 1
 
Histologia
HistologiaHistologia
Histologia
 
2º ANO - HISTOLOGIA VEGETAL.pptx
2º ANO - HISTOLOGIA VEGETAL.pptx2º ANO - HISTOLOGIA VEGETAL.pptx
2º ANO - HISTOLOGIA VEGETAL.pptx
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
morfologia Aula 1
morfologia Aula 1morfologia Aula 1
morfologia Aula 1
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
Tecidos vegetais (1)
Tecidos vegetais (1)Tecidos vegetais (1)
Tecidos vegetais (1)
 
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt
10092021101110Histologia Vegetal - Meristemas e Epiderme.ppt
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.
PARA 2S Metazoa1 12102012 embrio- Para prova do 4°bim.
 
Histologia vegetal(1)
Histologia vegetal(1)Histologia vegetal(1)
Histologia vegetal(1)
 
Animais plathyelminthes
Animais   plathyelminthesAnimais   plathyelminthes
Animais plathyelminthes
 
(6) biologia e geologia 10º ano - distribuição de matéria
(6) biologia e geologia   10º ano - distribuição de matéria(6) biologia e geologia   10º ano - distribuição de matéria
(6) biologia e geologia 10º ano - distribuição de matéria
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 

Mais de edu.biologia

Endócrino hormônios-interactive
Endócrino hormônios-interactiveEndócrino hormônios-interactive
Endócrino hormônios-interactiveedu.biologia
 
Organografia vegetal
Organografia vegetalOrganografia vegetal
Organografia vegetaledu.biologia
 
Aula origem da_vida
Aula origem da_vidaAula origem da_vida
Aula origem da_vidaedu.biologia
 
Aula 06 mutação e reparo
Aula 06   mutação e reparoAula 06   mutação e reparo
Aula 06 mutação e reparoedu.biologia
 
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012Tecido conjuntivo(tcpd)-2012
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012edu.biologia
 
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-35 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-3edu.biologia
 
Celulas tronco-e-clonagem2
Celulas tronco-e-clonagem2Celulas tronco-e-clonagem2
Celulas tronco-e-clonagem2edu.biologia
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseedu.biologia
 
Aula Fisiologia Humana
Aula Fisiologia HumanaAula Fisiologia Humana
Aula Fisiologia Humanaedu.biologia
 
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema DigestórioAula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema Digestórioedu.biologia
 
Arquivo pequenino (version 1)
Arquivo pequenino (version 1)Arquivo pequenino (version 1)
Arquivo pequenino (version 1)edu.biologia
 

Mais de edu.biologia (12)

Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
 
Endócrino hormônios-interactive
Endócrino hormônios-interactiveEndócrino hormônios-interactive
Endócrino hormônios-interactive
 
Organografia vegetal
Organografia vegetalOrganografia vegetal
Organografia vegetal
 
Aula origem da_vida
Aula origem da_vidaAula origem da_vida
Aula origem da_vida
 
Aula 06 mutação e reparo
Aula 06   mutação e reparoAula 06   mutação e reparo
Aula 06 mutação e reparo
 
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012Tecido conjuntivo(tcpd)-2012
Tecido conjuntivo(tcpd)-2012
 
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-35 padres-de-herana-1194454006597063-3
5 padres-de-herana-1194454006597063-3
 
Celulas tronco-e-clonagem2
Celulas tronco-e-clonagem2Celulas tronco-e-clonagem2
Celulas tronco-e-clonagem2
 
Aula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossínteseAula fotossíntese quimiossíntese
Aula fotossíntese quimiossíntese
 
Aula Fisiologia Humana
Aula Fisiologia HumanaAula Fisiologia Humana
Aula Fisiologia Humana
 
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema DigestórioAula Fisiologia_Sistema Digestório
Aula Fisiologia_Sistema Digestório
 
Arquivo pequenino (version 1)
Arquivo pequenino (version 1)Arquivo pequenino (version 1)
Arquivo pequenino (version 1)
 

Último

Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 

Introdução aos Principais Tecidos Vegetais: Meristemáticos e Permanentes

  • 1. Histologia Vegetal Aula Programada Biologia Tema: Histologia Vegetal Eduardo Henrique eduardonetto@live.co m
  • 2. Histologia Vegetal 1) Introdução A histologia vegetal estuda a FORMAÇÃO e a CONSTITUIÇÃO DOS TECIDOS DAS PLANTAS. Tecido: conjunto de células especializadas, geralmente semelhantes, e adaptadas para realizarem determinadas funções. 2) Tecidos Vegetais (podem ser divididos em dois grandes grupos: MERISTEMÁTICOS E PERMANENTES) I. Meristemas Crescimento II. Parênquima III. Colênquima Preenchimento / Sustentação / Reserva IV. Esclerênquima V. Floema Condução de seiva VI. Xilema VII. Epiderme Revestimento VIII. Periderme
  • 3. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais I) Meristemas (tecido vivo) Tipo de tecido presente nas partes da planta onde ocorre crescimento por multiplicação celular (MITOSES).  Constituído por células meristemáticas: o Pluripotentes (↑ capacidade de diferenciação) – correspondem a células tronco o Indiferenciadas o Parede celular delgada o Núcleo volumoso e central o Alta capacidade multiplicativa Células meristemáticas
  • 4. Histologia Vegetal Meristemas e crescimento Ao contrário dos animais, a produção de órgãos vegetativos e reprodutores é contínua ao longo da vida da planta e é devida à atividade dos meristemas.
  • 5. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais Tipos de Meristemas: a) Meristema apical: Promove crescimento vertical; altura; primário Protoderme  Origem: Embrião da planta (ápice do caule e da raiz) Meristema Apical do caule Meristema Meristema apical Fundamental Origina os meristemas primários Protoderme  Origina a epiderme e periderme Procâmbio Procâmbio  Origina o xilema e floema Meristema Fundamental  Origina o parênquima, Meristema (Câmbio) colênquima e esclerênquima apical da raiz
  • 6. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais Tipos de Meristemas: a) Meristema primário ou apical (na planta adulta) Gema apical do caule (meristema primário) Gemas laterais do caule (meristema primário) Gema apical da raiz (meristema primário)
  • 8. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais Tipos de Meristemas: b) Meristema secundário: Gimnospermas e Angiospermas  Origem: A partir da desdiferenciação (readquirem a capacidade mitótica) de células parenquimáticas do córtex da raiz e do caule.  Promove o crescimento em espessura, radial, secundário, horizontal.  Tipos: I. Felogênio  Súber  Feloderma Xilema II. Câmbio secundário  Xilema secundário Floema  Floema Secundário secundário
  • 9. um único e grande vacúolo núcleo volumoso Vacúolos pequenos parede parede celular celular delgada espessa
  • 10. Quais são as características gerais dos tecidos meristemáticos? [ meristema primário que provoca sempre estimulam crescimento primário (em altura) crescimento [ meristema secundário que provoca crescimento secundário (em espessura) Xilema Ex. câmbio Floema suas células são podem formar ► indiferenciadas ou outros tecidos, Ex. felogênio Súber Feloderme “totipotentes” principalmente os adultos ou permanentes Ex. periblema Tecidos de Ou meristema sustentação suas células sempre Tecidos de fundamental ► estão sofrendo preenchimento mitoses Ex. pleroma ou câmbio Procâmbio Ex. dermatogênio epiderme ou protoderme
  • 12. INTRODUÇÃO À HISTOLOGIA VEGETAL protoderme primários meristema fundamental procâmbio meristemáticos câmbio vascular secundários felogênio primário epiderme TECIDOS de revestimento VEGETAIS secundário feloderme parênquima fundamentais colênquima* esclerênquima floema primário primários xilema primário vasculares secundários floema secundário xilema secundário *Presente apenas no corpo primário da planta.
  • 13. Histologia Vegetal 2) Tecidos Vegetais Permanentes Características Gerais da Célula:  Apresentam pequena capacidade mitótica  Parede celular espessa  Vacúolo geralmente único, grande e central  Núcleo pequeno e periférico
  • 14. epiderme (vivo) tecidos de revestimento súber (morto) ou proteção colênquima (vivo) esclerênquima (morto) Tecidos tecidos de sustentação adultos ou permanentes tecidos de condução xilema (morto) de seivas floema (vivo) tecidos de preenchimento parênquima clorofiliano ou parênquimas parênquima amilífero ou de reserva parênquima aerífero parênquima aquífero
  • 15. Histologia Vegetal 2) Tecidos Vegetais Permanentes e) Epiderme (tecido vivo)  Origem: Protoderme  Função: Revestimento externo dos órgãos da planta (raiz, caule, folhas, frutos, etc).  Característica: Geralmente formado por uma única camada de células justapostas; células vivas, aclorofiladas, cutícula delgada. Epiderme das folhas Estruturas encontradas I. Cutícula: impermeabilização e economia hídrica. II. Estômatos: trocas gasosas Mesófilo III. Tricomas: retenção de água Foliar e proteção. IV. Hidatódios: gutação V. Glândulas: atração de polinizadores e proteção
  • 16. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais e) Epiderme (tecido vivo) Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas Esta relacionada a secreção e trocas gasosas II) Estômatos: Únicas células epidérmicas que possuem cloroplastos. Esta relacionada a trocas gasosas
  • 17.
  • 18. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais e) Epiderme (tecido vivo) Epiderme das folhas III) Tricomas: São pêlos epidérmicos que auxiliam na redução da perda de água. III) Hidatódio: Elimina o excesso de água do interior da folha. “Gutação” III) Glândulas: Tricomas especializados em liberar aromas que atraem polinizadores.
  • 19. São estômatos modificados, adaptados a perder o excesso de água na forma líquida, de gotinhas. Condições de Ocorrência: da GUTAÇÃO: escuridão, atmosfera saturada em água, estômatos fechados, solo encharcado, baixa temperatura.
  • 20. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais e) Epiderme (tecido vivo) Especializações da Epiderme das raízes  Possui pêlos absorventes (Zona Pilífera ou Pilosa) – condução horizontal da seiva bruta  Aumenta a superfície de contato e a absorção de água e sais minerais pelas células epiteliais das raízes.
  • 21.
  • 22. Tecidos de Revestimento Súber É formado por várias camadas de células mortas, devido a impregnação de suberina, uma substância impermeável (de natureza lipídica); Reveste principalmente as partes mais velhas do caule e da raiz, mas nunca das folhas; Protegem a planta contra predadores, excesso de calor e até mesmo contra o fogo; Seu principal anexo é a lenticela, pequenas rachaduras no súber que permitem as trocas gasosas;
  • 23. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais f) Periderme (tecido morto)  Somente em Gimnospermas e Angiospermas (Dicotiledôneas).  Típico de plantas que apresentam crescimento secundário. Ar Lenticela  Possui três camadas: Felogênio, Feloderme e Súber. Estruturas da periderme I) Lenticela: Abertura da periderme que permite a circulação de ar. II) Ritidoma: Periderme morta que se destaca do caule da planta. Ritidoma
  • 24. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais f) Periderme (tecido vivo) Suber + Felogênio + Feloderme Obs.: O súber, tecido morto, faz parte da periderme. Súber Feloderme
  • 25. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais b) Parênquima (tecido vivo)  Origem: meristema fundamental  Funções: o Preenchimento de espaços o Reserva de substâncias o Fotossíntese  Local: Encontrado em todos os órgãos da planta Tipos I. Parênquima de preenchimento o Realiza o preenchimento de espaços entre os tecidos o Ex: Córtex e medula do caule Caule
  • 26. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais II. Parênquima clorofiliano o Possui grande quantidade de cloroplasto em suas células o Função: Fotossíntese o Local: Encontrado no mesófilo foliar Mesófilo da folha Parênquima clorofiliano
  • 27. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais III. Parênquima de reserva o Possui a função de armazenar substâncias o Tipos: a) Amilífero: reserva amido – Ex. Batata b) Aquífero: reserva água – Ex. Cactos - É bem desenvolvido nas plantas Xerófitas ( de clima quente e seco) c) Aerífiero: reserva gases (ar) – Ex. Aguapé Grânulos de amido Espaçamento entre as células Parênquima amilífero Parênquima aerífero
  • 28. Histologia Vegetal 2) Tecidos Vegetais c) Colênquima (tecido vivo)  Origem: Meristema Fundamental  Função: Promove resistência e flexibilidade aos órgãos da planta  Característica: Células com parede celular bastante espessada  Localização: Abaixo da epiderme  É formado por um grande número de células vivas alongadas, dotadas de paredes grossas e rígidas muito resistentes, com depósitos de celulose reforçados. Reforço de celulose nos ângulos da célula. Gavinha - Flexiblidade
  • 29. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais d) Esclerênquima (tecido morto)  Origem: Meristema Fundamental  Função: Sustentação e proteção  Característica: Células com parede celular (celulose) bastante espessada contendo impregnação de lignina (polímero) o qual promove impermeabilização e rigidez ao tecido. Obs.: A impregnação por lignina causa a morte da célula.  Localização: Caule, folhas, frutos e sementes. Reforço de Lúmen vazio lignina Tipos celulares I) Fibras esclerenquimáticas Promove sustentação esquelética ao vegetal
  • 30. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais I) Fibras esclerenquimáticas
  • 31. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais g) Floema ou Líber (tecido vivo)  Origem: Procâmbio  Função: Conduzir a seiva elaborada (matéria orgânica) produzida pelas folhas para todas as células da planta.  Tipos celulares: (Elementos de tubo crivado) I. Célula crivada (Gimnosperma e Pteridófita) II. Tubos crivados (Angiospermas) o Elementos de Tubo crivado  Anucleadas  Sobrevive graças ao auxílio das células companheiras. o Células companheiras  Nucleada  Fornece todas as substâncias necessárias ao metabolismo das células dos elementos de tubo crivado.
  • 32. Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais g) Xilema ou Lenho (tecido morto)  Origem: Procâmbio  Função: Conduzir a seiva bruta (água e sais minerais) que é absorvida pelas raízes para as partes aéreas da planta e contribuir para a sustentação da planta.  Tipos celulares: (elementos traqueais) o Células mortas I II o Parede celular lignificada o Sem núcleo, citoplasma ou organelas o Dispostas em fileira, formando tubos contínuos I) Elementos de vaso (Angiospermas) o ↑ calibre o Perfuração única II) Traqueídes o ↓ calibre o Várias perfurações
  • 33. Organologia Vegetal Aula Programada Biologia Tema: Organologia Vegetal
  • 34. Organologia Vegetal 1) Introdução É a parte da biologia que estuda o conjunto de órgãos que formam o corpo da planta.  Os principais órgãos vegetais são: I. Raiz II. Caule III. Folhas 2) Órgãos da planta A) Raiz  Órgão aclorofilado  Localiza-se geralmente abaixo da superfície do solo  Funções: I. Fixar a planta ao solo II. Absorver água e sais minerais do solo para a planta
  • 35. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Colo  Região de transição entre raiz e caule. A) Raiz 5) Zona de ramificação  Região onde ocorre a formação das raízes secundárias (laterais) 4) Zona pilífera (pêlos absorventes)  Células epidérmicas possuem pêlos absorventes que absorvem água e sais 3) Zona de alongamento celular (lisa)  Células sofrem alongamento  Região da raiz que mais cresce 2) Zona de multiplicação celular  Meristema apical  Ocorre sucessivas divisões mitóticas 1) Coifa (capuz de células parenquimáticas)  Protege o meristema apical  Produz mucilagem que facilita penetração da raiz no solo
  • 36. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta I) Epiderme o Camada única de células periféricas A) Raiz - Crescimento primário o Possui os pêlos absorventes  Monocotiledôneas o Aumentam a superfície de contato o Absorção de água e sais minerais II) Córtex o Possui os tecidos: parênquima, colênquima, esclerênquima e endoderma. o As células parenquimáticas preenchem espaços e podem armazenar nutrientes. o Colênquima: flexibilidade o Esclerênquima: sustentação o Endoderme: Delimita o cilindro central e seleciona o que entra no xilema. III) Cilindro vascular o Apresenta o xilema e o floema o Possui o periciclo, o qual se desdiferencia em meristemas secundários e forma raízes secundárias.
  • 37. 2) Órgãos da planta A) Raiz - Crescimento secundário  Dicotiledôneas e Gimnospermas Câmbio vascular (meristema secundário)  Forma floema secundário para fora  Forma xilema secundário para dentro Felogênio (meristema secundário)  Forma súber (cortiça) para fora (tecido morto)  Forma feloderme para dentro  Suber + felogênio + feloderme = periderme Casca = súber + felogênio + feloderma + floema secundário
  • 38. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Classificação das raízes I) Quanto a origem a) Normal: Tem origem a partir da radícula do embrião. b) Adventícia: Origina-se a partir do caule ou das folhas (radícula atrofia-se). Normal Adventícia
  • 39. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta II) Quanto ao habitat Subterrâneas a) Axial ou Pivotante (Dicotiledôneas): Possui uma raiz principal de onde partem raízes laterais. b) Fasciculadas ou cabeleira (Monocotiledôneas): Formado por raízes finas que se originam diretamente do caule. c) Tuberosas: Armazenam substâncias nutritivas. Axial Fasciculada Tuberosa
  • 40. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta II) Quanto ao habitat Aéreas a) Estranguladoras: Adventícias que abraçam outro vegetal estrangulando-o. b) Grampiformes: Adventícias em forma de grampo que fixam a planta trepadeira. c) Pneumatófaros (respiratórias): Cresce para cima e fornece O2 para as partes submersas. Raiz pneumatófora Raiz grampiforme Raiz estranguladora
  • 41. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta II) Quanto ao habitat Aéreas d) Haustório: Penetram em tecidos vasculares de outra planta e sugam sua seiva. e) Suporte ou escora: Raízes que auxiliam a sustentação da planta. f) Tabular: Promove o aumento da sustentação da planta. Haustório – Erva de passarinho Raiz tabular Raiz suporte ou escora
  • 42. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta II) Quanto ao habitat Aquáticas Raízes aquáticas: Possui parênquima aerífero bastante desenvolvido que promove a flutuabilidade do vegetal.
  • 43. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta B) Caule - Crescimento primário I) Epiderme  Monocotiledôneas o Camada única de células periféricas o As vezes contém estômatos que promovem trocas gasosas. II) Córtex o Possui os tecidos: parênquima e colênquima. o As células parenquimáticas podem conter cloroplastos e realizar fotossíntese. o Na região interna estão localizados os feixes vasculares (xilema e floema) III) Medula o Constituída por parênquima de preenchimento.
  • 44. 2) Órgãos da planta B) Caule - Crescimento secundário  Dicotiledôneas e Gimnospermas Câmbio vascular (meristema secundário)  Surge a partir do câmbio fascicular (dentro dos feixes vasculares) e pelo câmbio interfascicular (entre os feixes)  Forma floema secundário para fora  Forma xilema secundário para dentro Felogênio (meristema secundário)  Forma súber (cortiça) para fora (tecido morto)  Forma feloderme para dentro  Suber + felogênio + feloderme = periderme Casca = súber + felogênio + feloderma + floema secundário
  • 45. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Disposição dos feixes vasculares no caule Floema Xilema Dicotiledôneas Monocotiledôneas Feixes vasculares organizados Feixes vasculares desorganizados Floema (periférico) Floema (periférico) Xilema (central) Xilema (central)
  • 46. 2) Órgãos da planta Madeira = xilema secundário B) Caule - Crescimento secundário  Estrutura e do Tronco o Súber: tecido morto que se destaca do tronco (proteção) o Felogênio (Meristema secundário) o Parênquima cortical o Floema (condução de seiva elaborada) o Câmbio (meristema secundário) o Alburno (xilema secundário funcional) – Condução de seiva bruta o Cerne (xilema secundário inativo) – Ocorre impregnação de corantes e resinas (proteção) Súber
  • 47. 2) Órgãos da planta Em algumas espécies o número de anéis de crescimento corresponde B) Caule - Crescimento secundário exatamente a idade da planta.  Anéis de crescimento do tronco o Resultam da variação de atividade do xilema em resposta a alterações climáticas o Em estações secas: xilema produz células com parede celular mais espessa (xilema estival) o Em estações chuvosas: xilema produz células com parede celular relativamente fina (xilema primaveril) Xilema primaveril Xilema estival Clima quente Clima frio
  • 48. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Tronco: Caules robustos e geralmente ramificados na região superior (Gimnospermas e dicotiledôneas) Classificação dos caules Haste: Caule fino e delicado (plantas herbáceas) Estipe: São caules cilindricos, não ramificados que terminam I) Caules Eretos com um tufo de folhas (Palmeira) Colmo: Caules não ramificados que apresentam nós e entre- nós bem evidentes. Tipos: Cheio (cana de açúcar) Oco (bambú)
  • 49.
  • 50. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta São relativamente finos e longos e crescem enrolados Classificação dos caules sob diversos tipos de suporte. II) Caules Trepadores (volúvel) Apresentam ramos modificados (gavinhas) que auxiliam na fixação das plantas ao substrato. Trepador (hera)
  • 51. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Classificação dos caules Sarmento: Caule rastejante que apresenta apenas um ponto III) Caules rastejantes de enraizamento (Abóbora) Estolão: Caule rastejante que produz gemas em vários pontos que podem originar novas plantas completas. (Morango) Sarmento
  • 52. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Classificação dos caules Rizoma: Caule subterrâneo que apresenta crescimento IV) Caules subterrâneos horizontal (Bananeira) Tubérculo: Caule subterrâneo que apresenta dilatamento devido ao acúmulo de nutrientes (batata inglesa) Folhas Rizoma Tubérculo
  • 53. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Bulbo: Possui região interior (prato) envolvida por folhas modificadas armazenadoras de nutrientes (catáfilo) – Ex: Classificação dos caules cebola e alho. V) Bulbos (folhas modificadas + caule) Cebola Alho
  • 54. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Classificação dos caules Caule aquático: Contém parênquima aerífero que armazena VI) Aquáticos ar e auxilia a respiração e flutuação da planta. Ex: Aguapé.
  • 55. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Espinhos: Podem se originar do caule ou da folha – No primeiro caso, são ramos curtos com ponta afilada que Adaptações do caule protege a planta. (Ex: Limoeiro) Acúleo: Estruturas pontiagudas originadas da epiderme (são  Proteção (herbivoria) facilmente destacáveis) – Ex: roseira  Reserva de água  Economia hídrica. Cladódios: Caules adaptados à realização de fotossíntese e ao armazenamento de água. Ex: cactáceas. Filocládios: Cladódio com aspecto laminar. Espinhos Acúleos Cladódio Filocládio
  • 56. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta C) Folhas  Órgão responsável pela fotossíntese e trocas gasosas. Partes da folha: a) Limbo (lâmina foliar): Possui a superfície achatadada. b) Pecíolo: haste que fixa a folha ao caule. c) Bainha: região terminal e dilatada do pecíolo que envolve o caule. d) Estípulas: Projeções filamentosas que ocorrem na região basal da folha.
  • 57. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta C) Folhas  Anatomia interna da folha Epiderme: Geralmente uniestratificada Pluriestratificada (plantas xerófitas) o Possui estômatos (trocas gasosas) o Pode apresentar camada de cutina cobrindo as células (economia hídrica) Mesófilo: Representado pelo parênquima clorofiliano (paliçádico e lacunoso) Paliçádico: células dispostas lado a lado Lacunoso: espaços entre as células Função: Fotossíntese
  • 58. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta C) Folhas  Anatomia interna da folha Feixe vascular (nervura) Xilema voltado para epiderme superior Floema voltado para epiderme inferior Fibras do esclerênquima envonvedo-os Feixes vasculares Em monocotiledôneas (A) Xilema (seiva bruta)  Disposição paralelinérvea Floema (seiva elaborada Em dicotiledôneas (B)  Disposição peninérvea A B
  • 59. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Especializações da Epiderme Foliar I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas II) Estômatos: Únicas células epidérmicas que possuem cloroplastos.
  • 60. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Estruturas Hidatódio III) Tricomas: São pêlos epidérmicos que auxiliam na redução da perda de água. IV) Hidatódio: Elimina o excesso de água do interior da folha. V) Glândulas: Tricomas especializados em liberar aromas que atraem polinizadores.
  • 61. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Especializações da folha I. Espinhos: Folhas modificadas ou ramos do caule que formam estruturas afiladas e pontiagudas. Função: Defesa contra herbivoria e economia hídrica (reduz área de superfície da folha) II. Gavinhas: Folhas ou caules modificados que auxiliam plantas trepadeiras na fixação ao substrato. III. Brácteas: Folhas modificadas que possuem a função de atrair agentes polinizadores. Gavinha Bráctea Espinho
  • 62. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Flor: Conjunto de folhas modificadas adaptadas para a realização da reprodução sexuada nas plantas Angiospermas. Pedúnculo: haste que fixa a flor no ramo. Receptáculo: região da flor onde se inserem os elementos florais. Sépala: folha modificada estéril (verde) – conjunto: cálice Pétala: folha modificada estéril (colorida) – conjunto: corola Estame (filete + antera): folha modificada Óvulo fértil que produz grão-de-pólen Conjunto: Androceu Carpelo (estigma + estilete + ovário): folha Receptáculo modificada fértil formadora de óvulos. Conjunto: Gineceu
  • 63. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Flor: Órgão da planta responsável pela formação de sementes e frutos. Semente: Estrutura proveniente do desenvolvimento do óvulo após a sua fecundação. Frutos: Estrutura proveniente do desenvolvimento do ovário da flor que contém em seu interior, protegidas, as sementes.
  • 64. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Inflorescência: Conjunto de flores reunidas em uma estrutura única, dispostas de diversas maneiras
  • 65. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Espiga Tipos de inflorescência capítulo cacho
  • 66. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Flor: Órgão da planta responsável pela formação de sementes e frutos.
  • 67. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Fruto: Estrutura proveniente do desenvolvimento da parede do ovário da flor, após a fecundação do óvulo.
  • 68. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário. I) Carnosos – apresentam o pericarpo suculento. a) Baga b) Drupa Apresenta endocarpo ou mesocarpo Apresenta uma única semente cuja casca é carnoso e com múltiplas sementes fundida ao endocarpo do fruto formando o “caroço”. Ex: Melancia, melão, goiaba, pepino, etc Ex: Pêssego, manga, azeitona, abacate, etc.
  • 69. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário. II) Frutos secos – Apresenta o pericarpo não suculento. a) Legume ou vagem b) Aquênio Mesocarpo pouco desenvolvido, possuem Apresenta apenas uma semente ligada à geralmente múltiplas sementes em seu parede do fruto por um único ponto. interior. Ex: Feijão, ervilha, soja, amendoim, etc. Ex: Girassol, picão,
  • 70. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Fruto verdadeiro: Proveniente exclusivamente do desenvolvimento da parede do ovário. II) Frutos secos – Apresenta o pericarpo não suculento. c) Cariopse d) Sâmara Apresenta uma única semente unida à Fruto seco que apresenta expansões em parede do fruto em toda sua extensão. forma de asas. Ex: Milho, arroz, etc. Ex: Centrolóbio, cabreúva, etc.
  • 71. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Pseudofruto: Frutos que não se originam do desenvolvimento do ovário da flor, mas sim de outras estruturas. a) Simples b) Fruto agregado Provenientes do desenvolvimento do Provenientes do desenvolvimento do pedúnculo ou do receptáculo de uma só receptáculo de uma única flor, com muitos flor. ovários. Ex: Maçã, pêra (receptáculo) Exemplo: morango, pois vários aquênios Caju (pedúnculo) ficam associados a uma parte carnosa correspondente ao receptáculo da flor.
  • 72. Organologia Vegetal 2) Órgãos da planta Pseudofruto: Frutos que não se originam do desenvolvimento do ovário da flor, mas sim de outras estruturas. c) Fruto múltiplo provenientes do desenvolvimento de ovários de muitas flores de uma inflorescência, que crescem juntos numa estrutura única. Ex: amora, abacaxi e o figo.