SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
1
O PAPEL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO
Andria Martins¹
Haifa Franco1
Isabel Vitória¹
Thalia Novaes¹
Resumo: Estudo da situação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro, tendo como
referência uma série de dados oficiais de órgãos de pesquisas nacionais como o Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. A discussão deve considerar aspectos
históricos que servem de parâmetro comparativo acerca da realidade social da mulher
brasileira de hoje, uma vez que proporciona uma análise dos progressos e retrocessos
trabalhistas que esta sofreu ao longo do curso da história e que servem de objeto para
entender seu papel enquanto agente participante de uma época revolucionária. O que
pretende-se observar é o lento, mas progressivo, progresso da mulher no mercado de
trabalho brasileiro, bem como a forma como esta evolução vem ocorrendo deste a década
de 70. Neste panorama, também procura-se entender a qualidade do trabalho feminino no
Brasil e, respectivamente, a preocupação com os perigos que o preconceito de gênero
pode representar para as mulheres brasileiras que enfrentam os reflexos desta sociedade
historicamente machista. Dessa forma, tenta-se relacionar o nível de escolaridade das
brasileiras que vêm ocupando cargos mais reconhecidos, como os de gerencias, com a
situação de vulnerabilidade de outras atividades precárias. Assim, faz-se necessário o
estudo das características destas novas mulheres e, sobretudo, das perspectivas destas
para o futuro, que, ao que parece, é bastante promissor, haja visto que a mulher do milênio
possui mais ambições em relação à carreira profissional do que as mulheres de gerações
anteriores.
Palavras-chave: Trabalho. Gênero. Mulheres. Brasil.
______________________
1 Estudantes - 3º Ano do Curso de Informática.
IFBA – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia.
E-mails: andriamartins04@gmail.com.br, hay.qfranco@gmail.com, isabekvitoria@hotmail.com, thalianovaes_@hotmail.com
2
Abstract: Study the situation of women in the Brazilian labor market, with reference to
a series of official data from national research bodies such as the Brazilian Institute of
Geography and Statistics - IBGE. The discussion should consider historical aspects that
serve as comparator about the Brazilian social reality today, as it provides a review of
progress and setbacks labor that women suffered over the course of history, serving as
object to understand their role as participant agent of a revolutionary epoch. What we
intend to observe is the slow but progressive, advancement of women in the labor market
and how this evolution has occurred this the decade of 70. In this picture, also seeks to
understand the quality of women's work in Brazil and, respectively, concern about the
dangers that gender bias may represent for Brazilian women facing the consequences of
this historically male-dominated society. Thus, attempts to relate the level of education
of Brazilians who have occupied most recognized positions, such as managerial, with the
vulnerable, precarious activities. Thus, it is necessary to study the characteristics of these
young women and, above all, of these perspectives for the future, which, it seems, is quite
promising, given the fact that the millennium woman has more ambitions for professional
career that women of previous generations.
Key-words: Work. Genre. Women’s. Brazil.
3
SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO………………………………………………………………………4
1.1 O FEMINISMO E O AUMENTO DA ESCOLARIDADE FEMINA……...5
A QUALIDADE DO TRABALHO FEMININO NO BRASIL………………………..7
3. DESIGUALDADE SALARIAL……………………….………………………..........8
3.1 SETORES EM QUE A MULHER RECEBE SALÁRIO MAIOR QUE O
HOMEM............................................................................................................................9
4. HOJE............................................................................................................................11
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO .....................14
6. REFERÊNCIAS…………………………………………………………………..…15
4
1. INTRODUÇÃO
O artigo pretende relacionar como, no curso da história, a mulher foi subordinada ao
poder masculino e condenada a desenvolver apenas a função de procriar, realizar a
manutenção do lar e educar os filhos, em épocas em que se predominavam valores
norteados pela força física, com a sua situação hoje. Contudo, no decorrer do tempo,
apesar da humanidade ter desenvolvido instrumentos que suprem a necessidade da força
física, a mulher continuou a ocupar uma posição de inferioridade, sendo pré destinada a
ser minimizada diante da figura masculina e jamais observada dentro de uma ótica
igualitária.
Na Grécia antiga, por exemplo, a mulher possuía uma situação trabalhista proporcional a
do escravo, já que esta realizava tarefas manuais completamente desvalorizadas pelos
homens chamados de “livres”. Dentro desta realidade, a mulher era inteiramente afastada
da esfera do pensamento, e seu intuito deveria ser o de prestar-se a uma agradável
companheira para os homens do período. Em contrapartida, era a estes que pertencia o
poder e a quem cabia a imposição de superioridade.
Na Roma antiga a imagem da figura feminina não mudara muito que a anterior. Apesar
de ocupar uma posição mais digna do que aquela que ocupava na Grécia clássica, para os
povos romanos a mulher, quando casada, era uma legitima dona de casa, mas não vivia
reclusa nos aposentos próprios das mulheres. Aqui, ela cuidava dos escravos e podia até
comer ao lado do marido, podia sair e era tratada com expressivo respeito. Mas, ainda
com toda essa “liberdade”, a mulher romana nunca foi incluída na famosa democracia
ateniense.
Nesta atmosfera, é pertinente que problematizemos a frase de um político romano de 139
a.C Marco Pócio Catão1
em que ele afirma “Os senhores sabem como são as mulheres,
façam-nas suas iguais imediatamente, elas quererão subir às suas costas para governá-
1 Enciclopedista, estadista e general romano nascido em Túsculo, no Lácio, conhecido como o Velho ou o Censor, famoso pela austeridade dos seus
princípios, figura íntegra e de forte sentido moral, daí os termos catoniano ou catônico, exemplo para a regeneração dos costumes da Roma antiga.
5
los”. E foi esta visão, carregada de ransos separatistas históricos que se perpetuou por um
bom tempo durante a história da humanidade.
Na Idade Média, quando o marido viesse a óbito a mulher poderia assumir o papel de
mestre em oficinas, entretanto a desvalorização do trabalho feminino era tão expressiva
que, mesmo desenvolvendo a mesma tarefa, as mulheres recebiam uma remuneração
menor que a do homem.
A história do papel feminino nos leva a inferir que a maior participação feminina no
âmbito extradoméstico esteve ligada sempre ao afastamento do homem em razão de
guerras. Esta condição acorrentou culturalmente a mulher, tornando-a escrava de um
sistema que delimita os papeis de gênero e contribuem para as desigualdades sociais e
políticas de hoje.
1.1 O FEMINISMO E O AUMENTO DA ESCOLARIDADE FEMININA
Só no século XIX, depois das grandes guerras mundiais, o feminismo começou a dar seus
primeiros passos. Foi por volta da década de 40 que surgiu a possibilidade de outra
posição para a mulher e é a partir daí que são fomentados os debates acerca da luta por
igualdade e contra os papeis cultural e historicamente determinados pelos agentes
dominantes.
Neste sentido, desde a década de 60 as estatísticas registram uma expressiva queda na
taxa de fecundidade das mulheres brasileiras. Se antes elas tinham uma média de 6 filhos
por mulher, agora são apenas 2 filhos³. No quesito trabalhismo, o fortalecimento da
participação feminina é maior desde a década de 90, quando o nível de escolaridade das
mulheres começou a superar o masculino, como pode-se ver no gráfico 1.
6
Gráfico1: Nível da escolaridade de mulheres e homens 1997-2005
Fonte: IBGE, censo demográfico 2006
No mercado de trabalho o que se procura é quem tem qualificação e agora são elas que
a tem. Hoje as mulheres representam 41% da força de trabalho brasileira, e aos poucos
elas veem conquistando seu espaço e garantindo uma reviravolta histórica. Pesquisas
recentes mostram que, no Brasil, as mulheres são escolhidas para a maior parte das novas
vagas. Além disso, o analfabetismo também é mais baixo entre as mulheres, que
protagonizam 21,1%, enquanto os homens são 22,3%, (BRASIL,2008a).
Sabe-se que as conquistas femininas até então são pequenas, mas se compararmos a
milênios de interiorização e de acentuação das distinções de gênero é um processo
importante para a consolidação de uma luta histórica por igualdade. Graças ao momento
em que a mulher se enxergou diante de uma herança cultural que a determina a assumir
o papel único de ser mãe e esposa e decidiu que deste momento em diante iria optar sobre
seu futuro e se tornar sujeito de sua história, hoje nós vivemos uma revolução histórica
gradativa quanto ao papel da mulher na sociedade.
______________________________
³ A taxa de fecundidade da mulher brasileira manteve a forte tendência de queda que começou na década de 1970 e chegou a 1,9 filhos
por mulher, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
7
2. A QUALIDADE DO TRABALHO FEMININO NO BRASIL
Quanto ao direito de exercício do trabalho, a mulher enquanto agente ativo e capaz
encontra-se em estado de vulnerabilidade. Independentemente do cargo exercido
evidencia-se a fragilidade do trabalho feminino, sendo que até em serviços denominados
femíneos (trabalho doméstico ou não remunerados e para consumo próprio) 31% das
mulheres estão em situação de vulnerabilidade, enquanto somente 8% de homens se
encontram nesta categoria.
A vulnerabilidade da mulher no mercado de trabalho parte do princípio de não aceitação
desta em espaços para a luta de classes4
, assim acreditando-se que o indivíduo feminino
possui uma menor combatividade e um menor poder de reivindicação. A segregação
trabalhista mantém a mulher vulnerável, em razão de que há uma diferenciação salarial
que é determinada pelo sexo, mesmo que a ocupação seja a mesma, geralmente as
trabalhadoras possuem um maior grau de escolaridade e mesmo assim recebem salários
mais baixos (28% a menos que os homens), sendo assim muitas vezes a hierarquia é
quebrada por falta da anuência feminina por i
parte da sociedade.
A objetificação do corpo feminino se enquadra dentre os fatores que colocam a mulher
em estado debilitável dentro do mercado de trabalho, uma vez que esta sempre foi vista
pela sociedade machista como mera reprodutora. Dados coletados pela OIT5
demonstram
tal vulnerabilidade, já que 52% das mulheres economicamente ativas sofreram abusos
sexuais durante a execução do seu trabalho, sendo assim, é classificada como uma tortura
silenciosa, porquanto muitas vezes há uma grande necessidade de se manter no trabalho,
além do medo de possíveis consequências, uma vez que não há uma política trabalhista
de defesa feminina forte e confiável.
_________________________
4 Expressão criada pelo economista, sociólogo, historiador, jornalista e revolucionário socialista alemão Karl Marx.
5 Organização Internacional do Trabalho
8
3. DESIGUALDADE SALARIAL
Apesar do crescimento econômico e das políticas que visam reduzir as desigualdades e
diferenças salariais relacionadas as questões de gênero e etnia existentes no mercado de
trabalho brasileiro, as mulheres ainda destacam-se com o menor valor do rendimento
médio embolsado, conclusões como esta fazem parte de uma série de estudos em diversos
países6
sobre diferenças salariais.
Possuir um nível maior de instrução passa a não ser mais justificativa para um ganho
salarial relativo, de acordo com essas pesquisas, ao comparar os salários médios, foi
constatado que os homens recebem 10% a mais que as mulheres7
, quando esta
comparação envolve homens e mulheres com os mesmo níveis de instrução, o número é
ainda maior, chega a 17% e o Brasil apresenta um dos maiores níveis de disparidade
salarial, em que os homens chegam a receber 30% a mais que as mulheres com a mesma
idade e nível de instrução.
Gráfico 2: Média salarial entre homens e mulheres em 2010, por regiões:
Fonte: IBGE, Censo demográfico 2010
9
Com base no gráfico 1, percebe-se ainda que, em 2010, as diferenças salariais eram mais
expressivas nas regiões do sul, sudeste e centro-oeste do Brasil. A pesquisa do IBGE de
2010 ainda registra que em emprego doméstico ou de atividades menos qualificadas a
mulher ganha cerca de R$ 567 contra R$ 632 dos homens, valor 11,4% maior que o
salário feminino. Entre cargo de diretoria e gerência, as mulheres ganham R$ 3.506 contra
R$ 4.015 do homem, salário 14,5% maior.
3.1 SETORES EM QUE A MULHER RECEBE SALÁRIO MAIOR QUE O
HOMEM
As exceções encontradas nesta pesquisa, isto é, os setores em que a mulher ganha mais
que o homem no Brasil, podem ser vistas no quadro 1, à seguir:
Quadro 1: Setores econômicos que as mulheres recebem mais que os homens
Fonte: Confederação Nacional da Indústria (CNI).
Para o gerente de Estudos e Prospectiva da CNI, Márcio Guerra, a mudança indica que
esses setores estão aproveitando a maior escolaridade e qualificação da parcela feminina
da população.
10
“Setores como esses que destacamos saíram na frente e nos dão pistas de como romper
barreiras para a entrada de trabalhadoras nas indústrias. Num cenário em que a mão
de obra especializada é escassa, o Brasil não pode prescindir da qualificação das
mulheres no mercado de trabalho”.
Diante destes dados e do debate que estes podem fomentar, há a problemática sobre a
razão de as mulheres terem uma maior abertura para setores como os de prestação de
serviços, agropecuária, setor social, comercio de mercadorias e indústria, que tentaram
ser respondidas através da análise de relações sociais de sexo, tratadas por Hirata:
“As mulheres trabalhadoras são utilizadas pelo capital como instrumentos para
desmantelar ainda mais as normas de emprego dominantes, levando a uma precarização
ainda maior para o conjunto da classe trabalhadora, incluindo o contingente masculino.
“(HIRATA, 2002).
_________________________________
6 A Dinamarca é o único país, numa lista de 142, em que as mulheres ganham mais do que os homens. A conclusão é do estudo
"Diferenças Globais entre Gêneros - 2014", divulgado pelo Fórum Econômico Mundial. Na Dinamarca, a renda média anual das
mulheres é de US$ 43.316 (R$ 112.400), enquanto a dos homens é de US$ 42.226 (R$ 109.570).O salário médio delas, assim, equivale
a cerca de 103% do salário médio deles.
7 Segundo estudo recém-divulgado, o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.
11
4. HOJE
Durante os últimos 30 anos, de 1976 à 2007, notou-se um crescimento de 32 milhões no
numero de trabalhadoras no país, tornando-o mais economicamente ativo, graças a
persistência e o vigor da mulher. Com isso é perceptível que, diante do crescimento
feminino no mercado de trabalho, as taxas de atividade das mulheres se ampliaram
significativamente, enquanto que as dos homens permanecram em patamares
semelhantes, entre 73% e 76%.
As tabelas a seguir, com dados comprovados pelo IBGE, funcionam como retrospectiva
para melhor entendimento das mudanças dos últimos 30 anos da historia do trabalho
femino no Brasil:
12
A importância crescente das mulheres na força de trabalho brasileira é contrastada com a
sua desvalorização no mercado de trabalho, que vem acompanhada de um machismo
historicamente construído pela sociedade, que impede que as mulheres adquiram
independência e poder, o que se tornou um motivo para a dificuldade da inserção da
mulher no mercado de trabalho brasileiro, já que, ainda é pequena a parcela trabalhadoras
em profissões privilegiadas e a maior parte delas ainda se encontra trabalhando em
atividades informais.
Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estáticas (IBGE), baseada
no censo de 2010, as mulheres adquiriram melhores condições de trabalho, embora boa
parte ainda esteja sem carteira assinada e em posição de desigualdade perante aos homens
quanto ao quesito rendimento salarial. A pesquisa ainda comprova que também há
desigualdade salarial latente entre as regiões do país, já que no Nordeste, por exemplo, o
salario da mulher chega a ser 47% inferior ao da mulher na região sudeste. No quadro 2,
pode-se ver a situação salarial nos demais estados brasileiros:
Quadro 2: Diferença salarial entre homens e mulheres, por estado:
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento,
Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios 2011-1012
Esta mesma pesquisa ainda mostra que, além da desigualdade que as mulheres enfrentam
diante dos homens, ainda há desigualdade entre elas próprias, como é o caso das mulheres
13
negras que recebem um rendimento mensal menor do que as mulheres brancas. Com isso
é perceptível que ainda há muita luta para que as mulheres encontrem a igualdade de
direitos tanto sociais como economicos no nosso país.
Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2013, revelam que em
2002, o rendimento das mulheres era equivalente a 70% do rendimento dos homens.
Dez anos depois, em 2012, a relação passou para 73%. Quando verifica-se o grupo
de trabalhadoras com 12 anos ou mais de estudo, o salário da mulher cai para 66%
da renda masculina. Diante desta realidade, o trecho a seguir ilustra bem os resultados
deste estudo:
“Nessa análise por sexo a gente mostrou que a inserção das mulheres no mercado
de trabalho é diferenciada, comparativamente à dos homens. As mulheres estão
mais concentradas no trabalho doméstico, na produção para o próprio uso, para o
próprio consumo, como trabalho não remunerado”.
Pesquisadora do IBGE, Cristiane Soares
Além disso, um levantamento do Fórum Econômico Mundial também mostrou que a
diferença de salários entre homens e mulheres no Brasil aumentou. No Índice Global de
Desigualdade de Gênero do ano de 2014, o Brasil perdeu nove posições, ao passar da
62ª colocação para 71ª entre 142 nações.
Diante disso, é inegáveel que não faltam pesquisas e estudos para comprovar que a
mulher, de fato, sofre os reflexos do preconceito de gênero que desde muito cedo existiu
no Brasil e em todo o mundo. A preocupação que estes dados representam abre espaço
para um debate sério quanto ao futuro que o trabalhismo reserva para as mulheres
brasileiras. O que não se pode desconsiderar é que, ainda que haja uma desigualdade
salarial muito expressiva, as mulheres estão se especializando cada vez mais e atingindo,
aos poucos, maior espaço no mercado de trabalho brasileiro. A esperança que se verifica
aqui é que, com a necessidade da mão de obra femina, o estado passe a valorizar nossas
trabalhadoras, e a tão sonhada equiparação salarial ocorrerá.
14
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO
Nas últimas décadas as mulheres invadiram o mercado de trabalho, no Brasil a
participação feminina aumentou expressivamente, já que, em 1999 representavam 41,4%
da PEA contra 31,7% em 1979. As mulheres atualmente representam 40% da força de
trabalho no país, porém essa inserção ainda é preponderante nas ocupações e ofícios que
guardam correlação direta com funções que elas desempenham no espaço doméstico,
tendo menor status social e demandando menor qualificação formal, consequentemente
auferindo menor renda.
As mulheres reivindicam seus direitos cada vez mais e as mudanças efetuadas hoje,
representarão em 2020, segundo estimativas da PWC8
, que a mulher será 25% da força
de trabalho no mundo, um valor não mais desconsiderado.
A mulher do futuro irá representar um talento quando o assunto diz respeito ás suas
carreiras profissionais, mais confiantes, elas terão alta escolaridade, possuindo deste
modo mais ambições. Em relação á educação, as mulheres superarão os homens da
geração em nível de escolaridade, possuindo mais títulos de bacharelado e mestrado.A
pesquisa efetuada pela PwC, mostra que 55% dos títulos de graduação conquistados no
Brasil em 2010 são das mulheres, que por sua vez estão cada vez mais propensas a
procurar empregadores que ofereçam políticas de diversidade e equidade de gêneros.
Estudos também revelam que as mulheres das futuras gerações desejam que seus
respectivos trabalhos ajam de modo que contribua para e com a sociedade, e deste modo
terão orgulho da empresa, e afirmam também que é de extrema importância equilibrar a
vida social com a profissional.
____________________
8 PwC é um network global de firmas separadas e independentes que trabalham de forma integrada na prestação de serviços de
Assessoria Tributária e Empresarial e de Auditoria.
15
REFERÊNCIAS:
Mulheres no Mercado de trabalho: o futuro da liderança. Disponível em
<http://www.rh.com.br/Portal/Lideranca/Pesquisa/9315/mulheres-no-mercado-de-
trabalho-o-futuro-da-lideranca.html>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Desigualdade no mercado de trabalho: avanços e desafios. Disponível
em<http://www.efdeportes.com/efd180/desigualdades-no-mercado-de-
trabalho.htm>.Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Uma análise do mercado de trabalho doméstico na rms e suas transformações, no período
1997/2005. Disponível
em<Https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10937/1/SAMANTHA%20FLORA%20F
%C3%89LIX%20R%C3%8AGO.pdf>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Mesmo no totó, elas ganham menos. Disponível em
<http://www.istoe.com.br/reportagens/351254_MESMO+NO+TOPO+ELAS+AINDA+
GANHAM+MENOS>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Mulher ganha menos em qualquer trabalho. Disponível em <
Http://oglobo.globo.com/economia/mulher-ganha-menos-em-qualquer-trabalho-
7095657>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Dinamarca é único de 142 países onde mulher ganha mais que homem. Disponível em
<Http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2014/11/13/dinamarca-e-unico-de-142-
paises-onde-mulher-ganha-mais-que-homem.htm>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
16
Cai o numero de filhos por mulher e sobe os de casais sem filhos no brasil. Disponível
em <http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2014/12/17/cai-o-
numero-de-filhos-por-mulher-e-sobe-o-de-casais-sem-filhos-no-brasil.htm>. Acesso em
18 de Fevereiro de 2015.
Taxa de fecundidade brasileira cai a 1,9 filhos por mulher . Disponível em
<http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2012-04-27/taxa-de-fecundidade-da-brasileira-
cai-a-19-filho-por-mulher-diz.html>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
Diferença salarial entre gêneros aumenta conforme grau de escolaridade. Disponível
em<Http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/11/diferenca-salarial-entre-generos-
aumenta-conforme-grau-de-escolaridade . >. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mulher mundo
Mulher mundoMulher mundo
Mulher mundoESDPV
 
História da mulher no mercado de trabalho
História da mulher no mercado de trabalhoHistória da mulher no mercado de trabalho
História da mulher no mercado de trabalhoGustavo Tamagno Martins
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulherbejr
 
A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade  A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade Janaina Barbosa
 
A mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoA mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoIsabel Vitória
 
Cidadania feminina e empoderamento
Cidadania feminina e empoderamentoCidadania feminina e empoderamento
Cidadania feminina e empoderamentoMaira Conde
 
A CONDIÇÃO DA MULHER
A CONDIÇÃO DA MULHERA CONDIÇÃO DA MULHER
A CONDIÇÃO DA MULHERMELORIBEIRO
 
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalhoOs direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalhoConceição Amorim
 
O papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedadeO papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedadesilvanapappi
 
A evolução da mulher no mercado de trabalho
A evolução da mulher no mercado de trabalhoA evolução da mulher no mercado de trabalho
A evolução da mulher no mercado de trabalhoJéssica Martins
 
Direitos Da Mulher
Direitos Da MulherDireitos Da Mulher
Direitos Da MulherCRRA
 
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOS
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOSNECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOS
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOSbejr
 
Mulheres no mundo muçulmano
Mulheres no mundo muçulmanoMulheres no mundo muçulmano
Mulheres no mundo muçulmanoKevinkr9
 
Direitos das mulheres
Direitos das mulheresDireitos das mulheres
Direitos das mulheresbejr
 
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?bejr
 
Direito das mulheres
Direito das mulheresDireito das mulheres
Direito das mulheresPedro Maciel
 
Dia das mulheres e os seus direitos
Dia das mulheres e os seus direitosDia das mulheres e os seus direitos
Dia das mulheres e os seus direitosbejr
 

Mais procurados (20)

Mulher mundo
Mulher mundoMulher mundo
Mulher mundo
 
História da mulher no mercado de trabalho
História da mulher no mercado de trabalhoHistória da mulher no mercado de trabalho
História da mulher no mercado de trabalho
 
Trabalho feminino
Trabalho femininoTrabalho feminino
Trabalho feminino
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Ser mulher.pptx
Ser mulher.pptxSer mulher.pptx
Ser mulher.pptx
 
A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade  A impotência da mulher na sociedade
A impotência da mulher na sociedade
 
A mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoA mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalho
 
Tcc ascensão feminina
Tcc ascensão femininaTcc ascensão feminina
Tcc ascensão feminina
 
Cidadania feminina e empoderamento
Cidadania feminina e empoderamentoCidadania feminina e empoderamento
Cidadania feminina e empoderamento
 
A CONDIÇÃO DA MULHER
A CONDIÇÃO DA MULHERA CONDIÇÃO DA MULHER
A CONDIÇÃO DA MULHER
 
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalhoOs direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
Os direitos humanos das mulheres e o mundo do trabalho
 
O papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedadeO papel da mulher na sociedade
O papel da mulher na sociedade
 
A evolução da mulher no mercado de trabalho
A evolução da mulher no mercado de trabalhoA evolução da mulher no mercado de trabalho
A evolução da mulher no mercado de trabalho
 
Direitos Da Mulher
Direitos Da MulherDireitos Da Mulher
Direitos Da Mulher
 
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOS
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOSNECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOS
NECESSIDADE DA EXISTÊNCIA DO DIA DA MULHER E DA DECLARAÇÃO DOS SEUS DIREITOS
 
Mulheres no mundo muçulmano
Mulheres no mundo muçulmanoMulheres no mundo muçulmano
Mulheres no mundo muçulmano
 
Direitos das mulheres
Direitos das mulheresDireitos das mulheres
Direitos das mulheres
 
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?
Os direitos da mulher: Qual a sua necessidade?
 
Direito das mulheres
Direito das mulheresDireito das mulheres
Direito das mulheres
 
Dia das mulheres e os seus direitos
Dia das mulheres e os seus direitosDia das mulheres e os seus direitos
Dia das mulheres e os seus direitos
 

Destaque

IBGE - Participação da Mulher no Mercado de Trabalho
IBGE - Participação da Mulher no Mercado de TrabalhoIBGE - Participação da Mulher no Mercado de Trabalho
IBGE - Participação da Mulher no Mercado de TrabalhoMovimentoMulher360
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiWAGNER OLIVEIRA
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.interatividade
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulherMAIEVS2
 
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]O papel do homem e da mulher na sociedade[1]
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]joseaplara
 
O trabalho da mulher
O trabalho da mulherO trabalho da mulher
O trabalho da mulherRose Oliveira
 
O Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherO Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherJoaquim Almeida
 
Artigo - A Mulher no Mercado de Trabalho
Artigo - A Mulher no Mercado de TrabalhoArtigo - A Mulher no Mercado de Trabalho
Artigo - A Mulher no Mercado de TrabalhoCaput Consultoria
 
Empregabilidade no feminino
Empregabilidade no femininoEmpregabilidade no feminino
Empregabilidade no femininopedro ferreira
 
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica'' V. I. Lenin 1899 -Edit...
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica''  V. I. Lenin 1899 -Edit...Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica''  V. I. Lenin 1899 -Edit...
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica'' V. I. Lenin 1899 -Edit...Fernanda Eduardo Mattos
 
Estatística da mulher no trabalho
Estatística da mulher no trabalhoEstatística da mulher no trabalho
Estatística da mulher no trabalhokanematador
 
Projeto consciência negra e valorização da mulher revisado
Projeto consciência negra e valorização da mulher  revisadoProjeto consciência negra e valorização da mulher  revisado
Projeto consciência negra e valorização da mulher revisadoEmileidy Neves
 
Mulher negritude, indicadores sociais
Mulher negritude, indicadores sociaisMulher negritude, indicadores sociais
Mulher negritude, indicadores sociaisKelly da Silva
 

Destaque (20)

IBGE - Participação da Mulher no Mercado de Trabalho
IBGE - Participação da Mulher no Mercado de TrabalhoIBGE - Participação da Mulher no Mercado de Trabalho
IBGE - Participação da Mulher no Mercado de Trabalho
 
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxiMulher do século xx vs mulher do século xxi
Mulher do século xx vs mulher do século xxi
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 
Slide dia da mulher
Slide dia da mulherSlide dia da mulher
Slide dia da mulher
 
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]O papel do homem e da mulher na sociedade[1]
O papel do homem e da mulher na sociedade[1]
 
O trabalho da mulher
O trabalho da mulherO trabalho da mulher
O trabalho da mulher
 
A Mulher no Mercado de Trabalho
A Mulher no Mercado de TrabalhoA Mulher no Mercado de Trabalho
A Mulher no Mercado de Trabalho
 
O Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da MulherO Dia Internacional Da Mulher
O Dia Internacional Da Mulher
 
Thiara martini
Thiara martiniThiara martini
Thiara martini
 
Boletim PED RMS mulheres 2014
Boletim PED RMS mulheres 2014Boletim PED RMS mulheres 2014
Boletim PED RMS mulheres 2014
 
Boletim PED RMR Mulher 2012
Boletim PED RMR Mulher 2012Boletim PED RMR Mulher 2012
Boletim PED RMR Mulher 2012
 
Artigo - A Mulher no Mercado de Trabalho
Artigo - A Mulher no Mercado de TrabalhoArtigo - A Mulher no Mercado de Trabalho
Artigo - A Mulher no Mercado de Trabalho
 
Empregabilidade no feminino
Empregabilidade no femininoEmpregabilidade no feminino
Empregabilidade no feminino
 
Mulher trabalho
Mulher trabalhoMulher trabalho
Mulher trabalho
 
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica'' V. I. Lenin 1899 -Edit...
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica''  V. I. Lenin 1899 -Edit...Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica''  V. I. Lenin 1899 -Edit...
Texto na íntegra- ''O trabalho da mulher na fábrica'' V. I. Lenin 1899 -Edit...
 
Estatística da mulher no trabalho
Estatística da mulher no trabalhoEstatística da mulher no trabalho
Estatística da mulher no trabalho
 
A inserção da mulher no mercado de trabalho na RMS - 2013
A inserção da mulher no mercado de trabalho na RMS - 2013A inserção da mulher no mercado de trabalho na RMS - 2013
A inserção da mulher no mercado de trabalho na RMS - 2013
 
Projeto consciência negra e valorização da mulher revisado
Projeto consciência negra e valorização da mulher  revisadoProjeto consciência negra e valorização da mulher  revisado
Projeto consciência negra e valorização da mulher revisado
 
Mulher negritude, indicadores sociais
Mulher negritude, indicadores sociaisMulher negritude, indicadores sociais
Mulher negritude, indicadores sociais
 

Semelhante a Artigo papel da mulher na sociedade

Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e Meninas
Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e MeninasApresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e Meninas
Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e MeninasUNIVESP
 
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08Mirieli Zanetti
 
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Neves
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel NevesRedações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Neves
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Nevesma.no.el.ne.ves
 
Avaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 cAvaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 cMarcia Oliveira
 
Newsletter obcig 8 de abril de 2021
Newsletter obcig 8 de abril de 2021Newsletter obcig 8 de abril de 2021
Newsletter obcig 8 de abril de 2021António Pereira
 
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.Fábio Fernandes
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdfLEANDROSPANHOL1
 
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidade
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidadeViolência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidade
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidadeUNEB
 
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...UNEB
 
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdf
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdfFeminismo, Histórico e Conceitos.pdf
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdfMarioMarcelloNeto
 
Os contrates da realidade brasileira grupo
Os contrates da realidade brasileira   grupoOs contrates da realidade brasileira   grupo
Os contrates da realidade brasileira grupoPolly Pinto
 
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gênero
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gêneroPrecisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gênero
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gêneroProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Texto feminismo isaura conte
Texto feminismo isaura conteTexto feminismo isaura conte
Texto feminismo isaura conteCamila Emanuella
 
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racialVI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racialRafael Digal
 
Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Feab Brasil
 
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdfssuser55d44a
 
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...Carla Viola
 

Semelhante a Artigo papel da mulher na sociedade (20)

Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e Meninas
Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e MeninasApresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e Meninas
Apresentação PI I Abordagens de Gênero na Educação de Meninos e Meninas
 
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08
Trabalhocompleto dalla costa_e_zanetti_gt08
 
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Neves
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel NevesRedações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Neves
Redações nota 1000 no enem 2015 por Manoel Neves
 
Avaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 cAvaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 c
 
Feminismo brasil1
Feminismo brasil1Feminismo brasil1
Feminismo brasil1
 
Plano de aula 2014 eliziana arte e filosofia
Plano de aula 2014 eliziana arte e filosofiaPlano de aula 2014 eliziana arte e filosofia
Plano de aula 2014 eliziana arte e filosofia
 
Newsletter obcig 8 de abril de 2021
Newsletter obcig 8 de abril de 2021Newsletter obcig 8 de abril de 2021
Newsletter obcig 8 de abril de 2021
 
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.
Diferenças de gênero na organização social da vida pública e da vida privada.
 
Aproffesp n__1
Aproffesp  n__1Aproffesp  n__1
Aproffesp n__1
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
 
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidade
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidadeViolência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidade
Violência contra a mulher em conceição do coité em busca por visibilidade
 
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
 
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdf
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdfFeminismo, Histórico e Conceitos.pdf
Feminismo, Histórico e Conceitos.pdf
 
Os contrates da realidade brasileira grupo
Os contrates da realidade brasileira   grupoOs contrates da realidade brasileira   grupo
Os contrates da realidade brasileira grupo
 
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gênero
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gêneroPrecisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gênero
Precisamos falar com os HOMENS? Uma jornada pela igualdade de gênero
 
Texto feminismo isaura conte
Texto feminismo isaura conteTexto feminismo isaura conte
Texto feminismo isaura conte
 
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racialVI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
 
Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012
 
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf
2010_EliasMarcoKhalilJabbour.pdf
 
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...
A “PÓLIS” REPRESENTADA PELA “POIESIS” FEMININA: REFLEXÕES SOBRE A TRAJETÓRIA ...
 

Mais de Isabel Vitória

Mais de Isabel Vitória (18)

O capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumoO capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumo
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Psicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhosPsicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhos
 
Triggers
TriggersTriggers
Triggers
 
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
 
O petróleo
O petróleoO petróleo
O petróleo
 
Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]
 
Topologia de redes
Topologia de redesTopologia de redes
Topologia de redes
 
Interferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luzInterferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luz
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Sexo e poder
Sexo e poderSexo e poder
Sexo e poder
 
Conceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na GeografiaConceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na Geografia
 
Taoismo
TaoismoTaoismo
Taoismo
 
Difusão do futebol
Difusão do futebolDifusão do futebol
Difusão do futebol
 
Introdução aos Processos
Introdução aos ProcessosIntrodução aos Processos
Introdução aos Processos
 
Aditivos Quimicos
Aditivos QuimicosAditivos Quimicos
Aditivos Quimicos
 
Vamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinhaVamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinha
 

Último

Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

Artigo papel da mulher na sociedade

  • 1. 1 O PAPEL DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO Andria Martins¹ Haifa Franco1 Isabel Vitória¹ Thalia Novaes¹ Resumo: Estudo da situação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro, tendo como referência uma série de dados oficiais de órgãos de pesquisas nacionais como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. A discussão deve considerar aspectos históricos que servem de parâmetro comparativo acerca da realidade social da mulher brasileira de hoje, uma vez que proporciona uma análise dos progressos e retrocessos trabalhistas que esta sofreu ao longo do curso da história e que servem de objeto para entender seu papel enquanto agente participante de uma época revolucionária. O que pretende-se observar é o lento, mas progressivo, progresso da mulher no mercado de trabalho brasileiro, bem como a forma como esta evolução vem ocorrendo deste a década de 70. Neste panorama, também procura-se entender a qualidade do trabalho feminino no Brasil e, respectivamente, a preocupação com os perigos que o preconceito de gênero pode representar para as mulheres brasileiras que enfrentam os reflexos desta sociedade historicamente machista. Dessa forma, tenta-se relacionar o nível de escolaridade das brasileiras que vêm ocupando cargos mais reconhecidos, como os de gerencias, com a situação de vulnerabilidade de outras atividades precárias. Assim, faz-se necessário o estudo das características destas novas mulheres e, sobretudo, das perspectivas destas para o futuro, que, ao que parece, é bastante promissor, haja visto que a mulher do milênio possui mais ambições em relação à carreira profissional do que as mulheres de gerações anteriores. Palavras-chave: Trabalho. Gênero. Mulheres. Brasil. ______________________ 1 Estudantes - 3º Ano do Curso de Informática. IFBA – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. E-mails: andriamartins04@gmail.com.br, hay.qfranco@gmail.com, isabekvitoria@hotmail.com, thalianovaes_@hotmail.com
  • 2. 2 Abstract: Study the situation of women in the Brazilian labor market, with reference to a series of official data from national research bodies such as the Brazilian Institute of Geography and Statistics - IBGE. The discussion should consider historical aspects that serve as comparator about the Brazilian social reality today, as it provides a review of progress and setbacks labor that women suffered over the course of history, serving as object to understand their role as participant agent of a revolutionary epoch. What we intend to observe is the slow but progressive, advancement of women in the labor market and how this evolution has occurred this the decade of 70. In this picture, also seeks to understand the quality of women's work in Brazil and, respectively, concern about the dangers that gender bias may represent for Brazilian women facing the consequences of this historically male-dominated society. Thus, attempts to relate the level of education of Brazilians who have occupied most recognized positions, such as managerial, with the vulnerable, precarious activities. Thus, it is necessary to study the characteristics of these young women and, above all, of these perspectives for the future, which, it seems, is quite promising, given the fact that the millennium woman has more ambitions for professional career that women of previous generations. Key-words: Work. Genre. Women’s. Brazil.
  • 3. 3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO………………………………………………………………………4 1.1 O FEMINISMO E O AUMENTO DA ESCOLARIDADE FEMINA……...5 A QUALIDADE DO TRABALHO FEMININO NO BRASIL………………………..7 3. DESIGUALDADE SALARIAL……………………….………………………..........8 3.1 SETORES EM QUE A MULHER RECEBE SALÁRIO MAIOR QUE O HOMEM............................................................................................................................9 4. HOJE............................................................................................................................11 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO .....................14 6. REFERÊNCIAS…………………………………………………………………..…15
  • 4. 4 1. INTRODUÇÃO O artigo pretende relacionar como, no curso da história, a mulher foi subordinada ao poder masculino e condenada a desenvolver apenas a função de procriar, realizar a manutenção do lar e educar os filhos, em épocas em que se predominavam valores norteados pela força física, com a sua situação hoje. Contudo, no decorrer do tempo, apesar da humanidade ter desenvolvido instrumentos que suprem a necessidade da força física, a mulher continuou a ocupar uma posição de inferioridade, sendo pré destinada a ser minimizada diante da figura masculina e jamais observada dentro de uma ótica igualitária. Na Grécia antiga, por exemplo, a mulher possuía uma situação trabalhista proporcional a do escravo, já que esta realizava tarefas manuais completamente desvalorizadas pelos homens chamados de “livres”. Dentro desta realidade, a mulher era inteiramente afastada da esfera do pensamento, e seu intuito deveria ser o de prestar-se a uma agradável companheira para os homens do período. Em contrapartida, era a estes que pertencia o poder e a quem cabia a imposição de superioridade. Na Roma antiga a imagem da figura feminina não mudara muito que a anterior. Apesar de ocupar uma posição mais digna do que aquela que ocupava na Grécia clássica, para os povos romanos a mulher, quando casada, era uma legitima dona de casa, mas não vivia reclusa nos aposentos próprios das mulheres. Aqui, ela cuidava dos escravos e podia até comer ao lado do marido, podia sair e era tratada com expressivo respeito. Mas, ainda com toda essa “liberdade”, a mulher romana nunca foi incluída na famosa democracia ateniense. Nesta atmosfera, é pertinente que problematizemos a frase de um político romano de 139 a.C Marco Pócio Catão1 em que ele afirma “Os senhores sabem como são as mulheres, façam-nas suas iguais imediatamente, elas quererão subir às suas costas para governá- 1 Enciclopedista, estadista e general romano nascido em Túsculo, no Lácio, conhecido como o Velho ou o Censor, famoso pela austeridade dos seus princípios, figura íntegra e de forte sentido moral, daí os termos catoniano ou catônico, exemplo para a regeneração dos costumes da Roma antiga.
  • 5. 5 los”. E foi esta visão, carregada de ransos separatistas históricos que se perpetuou por um bom tempo durante a história da humanidade. Na Idade Média, quando o marido viesse a óbito a mulher poderia assumir o papel de mestre em oficinas, entretanto a desvalorização do trabalho feminino era tão expressiva que, mesmo desenvolvendo a mesma tarefa, as mulheres recebiam uma remuneração menor que a do homem. A história do papel feminino nos leva a inferir que a maior participação feminina no âmbito extradoméstico esteve ligada sempre ao afastamento do homem em razão de guerras. Esta condição acorrentou culturalmente a mulher, tornando-a escrava de um sistema que delimita os papeis de gênero e contribuem para as desigualdades sociais e políticas de hoje. 1.1 O FEMINISMO E O AUMENTO DA ESCOLARIDADE FEMININA Só no século XIX, depois das grandes guerras mundiais, o feminismo começou a dar seus primeiros passos. Foi por volta da década de 40 que surgiu a possibilidade de outra posição para a mulher e é a partir daí que são fomentados os debates acerca da luta por igualdade e contra os papeis cultural e historicamente determinados pelos agentes dominantes. Neste sentido, desde a década de 60 as estatísticas registram uma expressiva queda na taxa de fecundidade das mulheres brasileiras. Se antes elas tinham uma média de 6 filhos por mulher, agora são apenas 2 filhos³. No quesito trabalhismo, o fortalecimento da participação feminina é maior desde a década de 90, quando o nível de escolaridade das mulheres começou a superar o masculino, como pode-se ver no gráfico 1.
  • 6. 6 Gráfico1: Nível da escolaridade de mulheres e homens 1997-2005 Fonte: IBGE, censo demográfico 2006 No mercado de trabalho o que se procura é quem tem qualificação e agora são elas que a tem. Hoje as mulheres representam 41% da força de trabalho brasileira, e aos poucos elas veem conquistando seu espaço e garantindo uma reviravolta histórica. Pesquisas recentes mostram que, no Brasil, as mulheres são escolhidas para a maior parte das novas vagas. Além disso, o analfabetismo também é mais baixo entre as mulheres, que protagonizam 21,1%, enquanto os homens são 22,3%, (BRASIL,2008a). Sabe-se que as conquistas femininas até então são pequenas, mas se compararmos a milênios de interiorização e de acentuação das distinções de gênero é um processo importante para a consolidação de uma luta histórica por igualdade. Graças ao momento em que a mulher se enxergou diante de uma herança cultural que a determina a assumir o papel único de ser mãe e esposa e decidiu que deste momento em diante iria optar sobre seu futuro e se tornar sujeito de sua história, hoje nós vivemos uma revolução histórica gradativa quanto ao papel da mulher na sociedade. ______________________________ ³ A taxa de fecundidade da mulher brasileira manteve a forte tendência de queda que começou na década de 1970 e chegou a 1,9 filhos por mulher, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • 7. 7 2. A QUALIDADE DO TRABALHO FEMININO NO BRASIL Quanto ao direito de exercício do trabalho, a mulher enquanto agente ativo e capaz encontra-se em estado de vulnerabilidade. Independentemente do cargo exercido evidencia-se a fragilidade do trabalho feminino, sendo que até em serviços denominados femíneos (trabalho doméstico ou não remunerados e para consumo próprio) 31% das mulheres estão em situação de vulnerabilidade, enquanto somente 8% de homens se encontram nesta categoria. A vulnerabilidade da mulher no mercado de trabalho parte do princípio de não aceitação desta em espaços para a luta de classes4 , assim acreditando-se que o indivíduo feminino possui uma menor combatividade e um menor poder de reivindicação. A segregação trabalhista mantém a mulher vulnerável, em razão de que há uma diferenciação salarial que é determinada pelo sexo, mesmo que a ocupação seja a mesma, geralmente as trabalhadoras possuem um maior grau de escolaridade e mesmo assim recebem salários mais baixos (28% a menos que os homens), sendo assim muitas vezes a hierarquia é quebrada por falta da anuência feminina por i parte da sociedade. A objetificação do corpo feminino se enquadra dentre os fatores que colocam a mulher em estado debilitável dentro do mercado de trabalho, uma vez que esta sempre foi vista pela sociedade machista como mera reprodutora. Dados coletados pela OIT5 demonstram tal vulnerabilidade, já que 52% das mulheres economicamente ativas sofreram abusos sexuais durante a execução do seu trabalho, sendo assim, é classificada como uma tortura silenciosa, porquanto muitas vezes há uma grande necessidade de se manter no trabalho, além do medo de possíveis consequências, uma vez que não há uma política trabalhista de defesa feminina forte e confiável. _________________________ 4 Expressão criada pelo economista, sociólogo, historiador, jornalista e revolucionário socialista alemão Karl Marx. 5 Organização Internacional do Trabalho
  • 8. 8 3. DESIGUALDADE SALARIAL Apesar do crescimento econômico e das políticas que visam reduzir as desigualdades e diferenças salariais relacionadas as questões de gênero e etnia existentes no mercado de trabalho brasileiro, as mulheres ainda destacam-se com o menor valor do rendimento médio embolsado, conclusões como esta fazem parte de uma série de estudos em diversos países6 sobre diferenças salariais. Possuir um nível maior de instrução passa a não ser mais justificativa para um ganho salarial relativo, de acordo com essas pesquisas, ao comparar os salários médios, foi constatado que os homens recebem 10% a mais que as mulheres7 , quando esta comparação envolve homens e mulheres com os mesmo níveis de instrução, o número é ainda maior, chega a 17% e o Brasil apresenta um dos maiores níveis de disparidade salarial, em que os homens chegam a receber 30% a mais que as mulheres com a mesma idade e nível de instrução. Gráfico 2: Média salarial entre homens e mulheres em 2010, por regiões: Fonte: IBGE, Censo demográfico 2010
  • 9. 9 Com base no gráfico 1, percebe-se ainda que, em 2010, as diferenças salariais eram mais expressivas nas regiões do sul, sudeste e centro-oeste do Brasil. A pesquisa do IBGE de 2010 ainda registra que em emprego doméstico ou de atividades menos qualificadas a mulher ganha cerca de R$ 567 contra R$ 632 dos homens, valor 11,4% maior que o salário feminino. Entre cargo de diretoria e gerência, as mulheres ganham R$ 3.506 contra R$ 4.015 do homem, salário 14,5% maior. 3.1 SETORES EM QUE A MULHER RECEBE SALÁRIO MAIOR QUE O HOMEM As exceções encontradas nesta pesquisa, isto é, os setores em que a mulher ganha mais que o homem no Brasil, podem ser vistas no quadro 1, à seguir: Quadro 1: Setores econômicos que as mulheres recebem mais que os homens Fonte: Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para o gerente de Estudos e Prospectiva da CNI, Márcio Guerra, a mudança indica que esses setores estão aproveitando a maior escolaridade e qualificação da parcela feminina da população.
  • 10. 10 “Setores como esses que destacamos saíram na frente e nos dão pistas de como romper barreiras para a entrada de trabalhadoras nas indústrias. Num cenário em que a mão de obra especializada é escassa, o Brasil não pode prescindir da qualificação das mulheres no mercado de trabalho”. Diante destes dados e do debate que estes podem fomentar, há a problemática sobre a razão de as mulheres terem uma maior abertura para setores como os de prestação de serviços, agropecuária, setor social, comercio de mercadorias e indústria, que tentaram ser respondidas através da análise de relações sociais de sexo, tratadas por Hirata: “As mulheres trabalhadoras são utilizadas pelo capital como instrumentos para desmantelar ainda mais as normas de emprego dominantes, levando a uma precarização ainda maior para o conjunto da classe trabalhadora, incluindo o contingente masculino. “(HIRATA, 2002). _________________________________ 6 A Dinamarca é o único país, numa lista de 142, em que as mulheres ganham mais do que os homens. A conclusão é do estudo "Diferenças Globais entre Gêneros - 2014", divulgado pelo Fórum Econômico Mundial. Na Dinamarca, a renda média anual das mulheres é de US$ 43.316 (R$ 112.400), enquanto a dos homens é de US$ 42.226 (R$ 109.570).O salário médio delas, assim, equivale a cerca de 103% do salário médio deles. 7 Segundo estudo recém-divulgado, o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.
  • 11. 11 4. HOJE Durante os últimos 30 anos, de 1976 à 2007, notou-se um crescimento de 32 milhões no numero de trabalhadoras no país, tornando-o mais economicamente ativo, graças a persistência e o vigor da mulher. Com isso é perceptível que, diante do crescimento feminino no mercado de trabalho, as taxas de atividade das mulheres se ampliaram significativamente, enquanto que as dos homens permanecram em patamares semelhantes, entre 73% e 76%. As tabelas a seguir, com dados comprovados pelo IBGE, funcionam como retrospectiva para melhor entendimento das mudanças dos últimos 30 anos da historia do trabalho femino no Brasil:
  • 12. 12 A importância crescente das mulheres na força de trabalho brasileira é contrastada com a sua desvalorização no mercado de trabalho, que vem acompanhada de um machismo historicamente construído pela sociedade, que impede que as mulheres adquiram independência e poder, o que se tornou um motivo para a dificuldade da inserção da mulher no mercado de trabalho brasileiro, já que, ainda é pequena a parcela trabalhadoras em profissões privilegiadas e a maior parte delas ainda se encontra trabalhando em atividades informais. Segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estáticas (IBGE), baseada no censo de 2010, as mulheres adquiriram melhores condições de trabalho, embora boa parte ainda esteja sem carteira assinada e em posição de desigualdade perante aos homens quanto ao quesito rendimento salarial. A pesquisa ainda comprova que também há desigualdade salarial latente entre as regiões do país, já que no Nordeste, por exemplo, o salario da mulher chega a ser 47% inferior ao da mulher na região sudeste. No quadro 2, pode-se ver a situação salarial nos demais estados brasileiros: Quadro 2: Diferença salarial entre homens e mulheres, por estado: Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios 2011-1012 Esta mesma pesquisa ainda mostra que, além da desigualdade que as mulheres enfrentam diante dos homens, ainda há desigualdade entre elas próprias, como é o caso das mulheres
  • 13. 13 negras que recebem um rendimento mensal menor do que as mulheres brancas. Com isso é perceptível que ainda há muita luta para que as mulheres encontrem a igualdade de direitos tanto sociais como economicos no nosso país. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2013, revelam que em 2002, o rendimento das mulheres era equivalente a 70% do rendimento dos homens. Dez anos depois, em 2012, a relação passou para 73%. Quando verifica-se o grupo de trabalhadoras com 12 anos ou mais de estudo, o salário da mulher cai para 66% da renda masculina. Diante desta realidade, o trecho a seguir ilustra bem os resultados deste estudo: “Nessa análise por sexo a gente mostrou que a inserção das mulheres no mercado de trabalho é diferenciada, comparativamente à dos homens. As mulheres estão mais concentradas no trabalho doméstico, na produção para o próprio uso, para o próprio consumo, como trabalho não remunerado”. Pesquisadora do IBGE, Cristiane Soares Além disso, um levantamento do Fórum Econômico Mundial também mostrou que a diferença de salários entre homens e mulheres no Brasil aumentou. No Índice Global de Desigualdade de Gênero do ano de 2014, o Brasil perdeu nove posições, ao passar da 62ª colocação para 71ª entre 142 nações. Diante disso, é inegáveel que não faltam pesquisas e estudos para comprovar que a mulher, de fato, sofre os reflexos do preconceito de gênero que desde muito cedo existiu no Brasil e em todo o mundo. A preocupação que estes dados representam abre espaço para um debate sério quanto ao futuro que o trabalhismo reserva para as mulheres brasileiras. O que não se pode desconsiderar é que, ainda que haja uma desigualdade salarial muito expressiva, as mulheres estão se especializando cada vez mais e atingindo, aos poucos, maior espaço no mercado de trabalho brasileiro. A esperança que se verifica aqui é que, com a necessidade da mão de obra femina, o estado passe a valorizar nossas trabalhadoras, e a tão sonhada equiparação salarial ocorrerá.
  • 14. 14 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Nas últimas décadas as mulheres invadiram o mercado de trabalho, no Brasil a participação feminina aumentou expressivamente, já que, em 1999 representavam 41,4% da PEA contra 31,7% em 1979. As mulheres atualmente representam 40% da força de trabalho no país, porém essa inserção ainda é preponderante nas ocupações e ofícios que guardam correlação direta com funções que elas desempenham no espaço doméstico, tendo menor status social e demandando menor qualificação formal, consequentemente auferindo menor renda. As mulheres reivindicam seus direitos cada vez mais e as mudanças efetuadas hoje, representarão em 2020, segundo estimativas da PWC8 , que a mulher será 25% da força de trabalho no mundo, um valor não mais desconsiderado. A mulher do futuro irá representar um talento quando o assunto diz respeito ás suas carreiras profissionais, mais confiantes, elas terão alta escolaridade, possuindo deste modo mais ambições. Em relação á educação, as mulheres superarão os homens da geração em nível de escolaridade, possuindo mais títulos de bacharelado e mestrado.A pesquisa efetuada pela PwC, mostra que 55% dos títulos de graduação conquistados no Brasil em 2010 são das mulheres, que por sua vez estão cada vez mais propensas a procurar empregadores que ofereçam políticas de diversidade e equidade de gêneros. Estudos também revelam que as mulheres das futuras gerações desejam que seus respectivos trabalhos ajam de modo que contribua para e com a sociedade, e deste modo terão orgulho da empresa, e afirmam também que é de extrema importância equilibrar a vida social com a profissional. ____________________ 8 PwC é um network global de firmas separadas e independentes que trabalham de forma integrada na prestação de serviços de Assessoria Tributária e Empresarial e de Auditoria.
  • 15. 15 REFERÊNCIAS: Mulheres no Mercado de trabalho: o futuro da liderança. Disponível em <http://www.rh.com.br/Portal/Lideranca/Pesquisa/9315/mulheres-no-mercado-de- trabalho-o-futuro-da-lideranca.html>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Desigualdade no mercado de trabalho: avanços e desafios. Disponível em<http://www.efdeportes.com/efd180/desigualdades-no-mercado-de- trabalho.htm>.Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Uma análise do mercado de trabalho doméstico na rms e suas transformações, no período 1997/2005. Disponível em<Https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10937/1/SAMANTHA%20FLORA%20F %C3%89LIX%20R%C3%8AGO.pdf>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Mesmo no totó, elas ganham menos. Disponível em <http://www.istoe.com.br/reportagens/351254_MESMO+NO+TOPO+ELAS+AINDA+ GANHAM+MENOS>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Mulher ganha menos em qualquer trabalho. Disponível em < Http://oglobo.globo.com/economia/mulher-ganha-menos-em-qualquer-trabalho- 7095657>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Dinamarca é único de 142 países onde mulher ganha mais que homem. Disponível em <Http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2014/11/13/dinamarca-e-unico-de-142- paises-onde-mulher-ganha-mais-que-homem.htm>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.
  • 16. 16 Cai o numero de filhos por mulher e sobe os de casais sem filhos no brasil. Disponível em <http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2014/12/17/cai-o- numero-de-filhos-por-mulher-e-sobe-o-de-casais-sem-filhos-no-brasil.htm>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Taxa de fecundidade brasileira cai a 1,9 filhos por mulher . Disponível em <http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2012-04-27/taxa-de-fecundidade-da-brasileira- cai-a-19-filho-por-mulher-diz.html>. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015. Diferença salarial entre gêneros aumenta conforme grau de escolaridade. Disponível em<Http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/11/diferenca-salarial-entre-generos- aumenta-conforme-grau-de-escolaridade . >. Acesso em 18 de Fevereiro de 2015.