SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA – Campus Seabra
Curso: Técnico integrado em Informática
Seminário de História 1ª unidade
Tema: Revolta da Vacina
Disciplina: História
Discentes: Ana Beatriz, Andria Martins, Anibal Andrade, Isabel Vitória e Venâncio Sá
Orientador: Henrique
Seabra, 2014
Revolta da Vacina
 Governo de Rodrigues Alves (1902-1906)
 Reforma urbana da cidade do Rio de Janeiro
1. Destruição de cortiços e favelas, ampliação
das avenidas, construção de novos prédios
inspirados em Paris
2. Expulsão de Comunidades pobres das regiões
centrais, inflação e alto custo de vida.
 O Rio de Janeiro era foco de epidemias e o
sanitarismo de Oswaldo Cruz decretou a
vacinação obrigatória.
Contexto Histórico
Com o Rio de Janeiro
modernizado, o próximo passo era
acabar com as doenças. O prefeito
combinou com Oswaldo Cruz o plano
de saneamento e a vacinação era
obrigatório.
Campanha de Vacinação
 A campanha de vacinação obrigatória é colocada em
prática em novembro de 1904.
 Para combater as epidemias de peste bubônica,
varíola e febre amarela, o governo estabeleceu a
vacinação obrigatória.
A Revolta
 Manifestação popular ocorrida na cidade do Rio de Janeiro ( então
capital do Brasil ) entre os dias 10 e 16 de novembro de 1904. Ocorreram
vários conflitos urbanos violentos entre populares e forças do governo
(policiais e militares).
 A revolta popular aumentava a cada dia, impulsionada também pela
crise econômica (desemprego, inflação e alto custo de vida) e a reforma
urbana que retirou a população pobre do centro da cidade, derrubando
vários cortiços e outros tipos de habitações mais simples.
Oswaldo Cruz Pereira Passos Rodrigues Alves
A revolta
 Com a situação incontrolável, o governo suspendeu a obrigatoriedade da
vacina e declarou estado de sítio. A rebelião só foi contida no dia 16 de
novembro, deixando dezenas de mortos e feridos. Centenas de
participantes do motim foram deportados para o Acre. Após reassumir o
controle da situação, o processo de vacinação foi reiniciado.
Bonde virado por populares
durante a Revolta da Vacina
• Há evidência inquestionável de que a organização Torre de Vigia, entidade
legal das Testemunhas de Jeová, condenava o uso de vacinas.
Apresentando-se a seus adeptos como a agência de Deus na Terra, ou a
única religião que Jeová usa para tornar sua vontade conhecida à
humanidade, os conceitos que são publicados em suas revistas têm força de
lei. Os membros dessa religião seguiam essa orientação e não tinham
nenhuma dúvida de que, como afirmou The Golden Agede 4 de fevereiro de
1931, a vacina era "uma violação direta do pacto eterno que Deus fez com
Noé após o dilúvio."
 Se para o poder público a epidemia de varíola era um sinal de atraso, à luz
da religiosidade, ela seria um castigo que funcionaria como purificação dos
males da comunidade. Em alguns casos, podia ser um chamado divino
para que a pessoa acometida do mal se tornasse um cavalo, filho de
Omolu (caso dos negros Bantus, por exemplo). Chalhoub descreve, em suas
palavras, ao longo do século XIX, um processo de acirramento da atuação
do poder público contra as práticas e concepções populares sobre
doença e cura.
Fins que se deram com ela
 Depois de decretado estado de sítio na cidade, foram contidas as
insurreições militares que tentavam tirar Rodrigues Alves do poder.O
Desfecho final para a população foi de várias mortes, muitas pessoas
feridas e centenas deportadas para o Acre na ilha das cobras.A
Questionada Lei da Vacina obrigatória foi revogada. A vida dos
participantes da revolta da vacina não seria mais a mesma, dentre os
presos que foram deportados para o acre muitos deles morreram de
varíola pois viviam em locais com péssima higiene e em condições
subumanas. os que ficaram assistiram a reforma urbana de Pereira Passos
derrubando cortiços e despejando pessoas de suas casas, tendo que se
refugiarem nos morros do entorno do Rio de Janeiro, ou nos locais mais
afastados. O centro da cidade não era mais local para a camada pobre,
a cidade após a reforma urbana ficou sendo um local de luxo e
refinamento onde apenas a burguesia poderia desfrutar.
Visão historiográfica
Para o historiador Sérgio Lamarão, da Universidade Federal Fluminense, "conduzida de
forma arbitrária, sem os necessários esclarecimentos à população, a campanha da
vacina obrigatória canalizou um crescente descontentamento popular. Deve ser
entendida como uma conseqüência do processo de modernização excludente
concentrado, no tempo e no espaço desencadeado pela reforma do prefeito Passos
e não, como foi considerada pelas autoridades, como uma reação explosiva da massa
ignorante ao progresso e às inovações".
Para Sevcenko, uma das principais causas da Revolta da Vacina está atrelada ao
projeto de renovação urbana no Rio de Janeiro, empreendida de forma violenta e
autoritária pelo governo de Rodrigues Alves, que, apoiado pelas elites do país,
queria alinhar o Brasil no quadro de progresso e modernidade europeus, o que
supostamente facilitaria a busca de investimentos estrangeiros. Para isso, era
necessário apresentar uma cidade aprazível, livre de doenças: “os defeitos da
capital afetam e perturbam todo o desenvolvimento nacional, a sua restauração no
conceito do mundo será o início de uma vida nova”, disse o presidente em maio de
1903.
Referências
 http://books.google.com.br/books?hl=pt. Acesso em 16 de Julho de
2014
 Revolta da Vacina http://www.infoescola.com/historia/revolta-da-
vacina/. Acesso em 16 de Julho de 2014
 Republica Velha http://slideplayer.com.br/slide/352461/. Acesso em
16 de Julho de 2014
 Revolta da Vacina
http://www.historiadobrasil.net/resumos/revolta_da_vacina.htm.
Acesso em 16 de Julho de 2014
 Revolta da Vacina
http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/revolta_da_vacina.htm
. Acesso em 16 de Julho de 2014

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolta da vacina
Revolta da vacina Revolta da vacina
Revolta da vacina adriana
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacinaMJPBO
 
Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Dianesi
 
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair Aguilar
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair AguilarRevolta da Vacina 1904 - Prof. Altair Aguilar
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair AguilarAltair Moisés Aguilar
 
Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velhamsmanaus
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano7 de Setembro
 
Revoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil repúblicaRevoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil repúblicaAdriana Gomes Messias
 
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.Tissiane Gomes
 
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica alinesantana1422
 
Civilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaCivilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaFábio Paiva
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período RegencialDaniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Revolta da vacina
Revolta da vacina Revolta da vacina
Revolta da vacina
 
A revolta da vacina
A revolta da vacinaA revolta da vacina
A revolta da vacina
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair Aguilar
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair AguilarRevolta da Vacina 1904 - Prof. Altair Aguilar
Revolta da Vacina 1904 - Prof. Altair Aguilar
 
Política do café com leite
Política do café com leitePolítica do café com leite
Política do café com leite
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Conjuração Baiana
Conjuração BaianaConjuração Baiana
Conjuração Baiana
 
Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velha
 
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º anoRenascimento Artístico Cultural - 7º ano
Renascimento Artístico Cultural - 7º ano
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
 
Revoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil repúblicaRevoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil república
 
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
SLIDES – MODERNIZAÇÃO, EXPULSÃO E REURBANIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO.
 
Guerra mascates
Guerra mascatesGuerra mascates
Guerra mascates
 
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica Movimentos sociais na Republica Oligárquica
Movimentos sociais na Republica Oligárquica
 
Governo figueiredo
Governo figueiredoGoverno figueiredo
Governo figueiredo
 
Civilizações da África Antiga
Civilizações da África AntigaCivilizações da África Antiga
Civilizações da África Antiga
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
 

Destaque

A Revolta da Vacina
A Revolta da Vacina A Revolta da Vacina
A Revolta da Vacina Renata Telha
 
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médio
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médioQuiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médio
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médioluciano barros
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibataGabriela G.
 
A mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoA mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoIsabel Vitória
 
Classificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústriasClassificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústriasmagdacostaa
 
Geografia das indústrias
Geografia das indústriasGeografia das indústrias
Geografia das indústriasestevaolima
 
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.Zelma Alzareth Almeida
 
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAISLISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAISwillianv
 
Revolta da chibata - História
Revolta da chibata - HistóriaRevolta da chibata - História
Revolta da chibata - HistóriaGustavo de Melo
 
Frases Inesquecíveis
Frases InesquecíveisFrases Inesquecíveis
Frases InesquecíveisAtila Real
 
Como problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaComo problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaAntenor Casagrande
 

Destaque (17)

A Revolta da Chibata
A Revolta da ChibataA Revolta da Chibata
A Revolta da Chibata
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
A Revolta da Vacina
A Revolta da Vacina A Revolta da Vacina
A Revolta da Vacina
 
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médio
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médioQuiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médio
Quiz rep velha e primeira guerra mundial ensino médio
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
Tipos de indústria
Tipos de indústriaTipos de indústria
Tipos de indústria
 
A mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalhoA mulher e o mercado de trabalho
A mulher e o mercado de trabalho
 
Classificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústriasClassificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústrias
 
A Mulher no Mercado de Trabalho
A Mulher no Mercado de TrabalhoA Mulher no Mercado de Trabalho
A Mulher no Mercado de Trabalho
 
Geografia das indústrias
Geografia das indústriasGeografia das indústrias
Geografia das indústrias
 
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.
Projeto de pesquisa de conclusão de curso de licenciatura em história.
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAISLISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS
LISTA DE EXERCÍCIOS - OPERAÇÕES COM NÚMEROS REAIS
 
Revolta da chibata - História
Revolta da chibata - HistóriaRevolta da chibata - História
Revolta da chibata - História
 
Frases Inesquecíveis
Frases InesquecíveisFrases Inesquecíveis
Frases Inesquecíveis
 
Como problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisaComo problematizar o tema da pesquisa
Como problematizar o tema da pesquisa
 

Semelhante a Revolta da vacina

A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.docA REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.docGabrielAzevedodeOliv1
 
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdfEVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdfjhordana1
 
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptxLEANDROSPANHOL1
 
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsxA REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsxssuser5a60501
 
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022Márcia Lima
 
Os conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaOs conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaCamila Prott
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaNelia Salles Nantes
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhahistoriando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhahistoriando
 
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...hsjval
 
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...hsjval
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacinaMJPBO
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaAtividades Diversas Cláudia
 

Semelhante a Revolta da vacina (20)

Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquicaOs movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
Os movimentos urbanos e o movimento operário na república oligárquica
 
Resenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicaisResenha - Sonhos tropicais
Resenha - Sonhos tropicais
 
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.docA REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
A REVOLTA DA VACINA - BRASIL III.doc
 
Aula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medioAula do estágio nivel medio
Aula do estágio nivel medio
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdfEVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA SAÚDE PúBLICA - Copia.pdf
 
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx
6227166666666666666666666666666666666666666667.pptx
 
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsxA REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
A REVOLTA DAS VACINAS.ppsx
 
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022
Apostila de Práticas Comunicativas - Novo Ensino Médio 2022
 
Os conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaOs conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Revolta vacina2007
Revolta vacina2007Revolta vacina2007
Revolta vacina2007
 
Modernidade.pdf
Modernidade.pdfModernidade.pdf
Modernidade.pdf
 
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
 
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...Rodrigues Alves   Revolta Da Vacina   Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
Rodrigues Alves Revolta Da Vacina Danilo, Tatiana,Cristiane , Virginia,Ja...
 
Sanitarismo em leopoldina (1895-1930)
Sanitarismo em leopoldina (1895-1930)Sanitarismo em leopoldina (1895-1930)
Sanitarismo em leopoldina (1895-1930)
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplicaTopico resistencias e conflitos na primeira repuplica
Topico resistencias e conflitos na primeira repuplica
 

Mais de Isabel Vitória

O capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumoO capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumoIsabel Vitória
 
Artigo papel da mulher na sociedade
Artigo papel da mulher na sociedadeArtigo papel da mulher na sociedade
Artigo papel da mulher na sociedadeIsabel Vitória
 
Psicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhosPsicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhosIsabel Vitória
 
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus Isabel Vitória
 
Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]Isabel Vitória
 
Interferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luzInterferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luzIsabel Vitória
 
Conceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na GeografiaConceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na GeografiaIsabel Vitória
 
Introdução aos Processos
Introdução aos ProcessosIntrodução aos Processos
Introdução aos ProcessosIsabel Vitória
 
Vamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinhaVamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinhaIsabel Vitória
 

Mais de Isabel Vitória (18)

O capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumoO capitalismo e a sociedade do consumo
O capitalismo e a sociedade do consumo
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Artigo papel da mulher na sociedade
Artigo papel da mulher na sociedadeArtigo papel da mulher na sociedade
Artigo papel da mulher na sociedade
 
Psicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhosPsicanálise e a interpretação dos sonhos
Psicanálise e a interpretação dos sonhos
 
Triggers
TriggersTriggers
Triggers
 
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
Autora Contemporânea : Carolina Maria de Jesus
 
O petróleo
O petróleoO petróleo
O petróleo
 
Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]Domínio morfoclimático [recuperado]
Domínio morfoclimático [recuperado]
 
Topologia de redes
Topologia de redesTopologia de redes
Topologia de redes
 
Interferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luzInterferencia, interferencia com a luz
Interferencia, interferencia com a luz
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Sexo e poder
Sexo e poderSexo e poder
Sexo e poder
 
Conceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na GeografiaConceito de Lugar na Geografia
Conceito de Lugar na Geografia
 
Taoismo
TaoismoTaoismo
Taoismo
 
Difusão do futebol
Difusão do futebolDifusão do futebol
Difusão do futebol
 
Introdução aos Processos
Introdução aos ProcessosIntrodução aos Processos
Introdução aos Processos
 
Aditivos Quimicos
Aditivos QuimicosAditivos Quimicos
Aditivos Quimicos
 
Vamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinhaVamos dar uma espiadinha
Vamos dar uma espiadinha
 

Último

Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 

Último (20)

662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 

Revolta da vacina

  • 1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA – Campus Seabra Curso: Técnico integrado em Informática Seminário de História 1ª unidade Tema: Revolta da Vacina Disciplina: História Discentes: Ana Beatriz, Andria Martins, Anibal Andrade, Isabel Vitória e Venâncio Sá Orientador: Henrique Seabra, 2014
  • 3.
  • 4.  Governo de Rodrigues Alves (1902-1906)  Reforma urbana da cidade do Rio de Janeiro 1. Destruição de cortiços e favelas, ampliação das avenidas, construção de novos prédios inspirados em Paris 2. Expulsão de Comunidades pobres das regiões centrais, inflação e alto custo de vida.  O Rio de Janeiro era foco de epidemias e o sanitarismo de Oswaldo Cruz decretou a vacinação obrigatória. Contexto Histórico
  • 5. Com o Rio de Janeiro modernizado, o próximo passo era acabar com as doenças. O prefeito combinou com Oswaldo Cruz o plano de saneamento e a vacinação era obrigatório.
  • 6. Campanha de Vacinação  A campanha de vacinação obrigatória é colocada em prática em novembro de 1904.  Para combater as epidemias de peste bubônica, varíola e febre amarela, o governo estabeleceu a vacinação obrigatória.
  • 7. A Revolta  Manifestação popular ocorrida na cidade do Rio de Janeiro ( então capital do Brasil ) entre os dias 10 e 16 de novembro de 1904. Ocorreram vários conflitos urbanos violentos entre populares e forças do governo (policiais e militares).  A revolta popular aumentava a cada dia, impulsionada também pela crise econômica (desemprego, inflação e alto custo de vida) e a reforma urbana que retirou a população pobre do centro da cidade, derrubando vários cortiços e outros tipos de habitações mais simples.
  • 8. Oswaldo Cruz Pereira Passos Rodrigues Alves
  • 9. A revolta  Com a situação incontrolável, o governo suspendeu a obrigatoriedade da vacina e declarou estado de sítio. A rebelião só foi contida no dia 16 de novembro, deixando dezenas de mortos e feridos. Centenas de participantes do motim foram deportados para o Acre. Após reassumir o controle da situação, o processo de vacinação foi reiniciado. Bonde virado por populares durante a Revolta da Vacina
  • 10. • Há evidência inquestionável de que a organização Torre de Vigia, entidade legal das Testemunhas de Jeová, condenava o uso de vacinas. Apresentando-se a seus adeptos como a agência de Deus na Terra, ou a única religião que Jeová usa para tornar sua vontade conhecida à humanidade, os conceitos que são publicados em suas revistas têm força de lei. Os membros dessa religião seguiam essa orientação e não tinham nenhuma dúvida de que, como afirmou The Golden Agede 4 de fevereiro de 1931, a vacina era "uma violação direta do pacto eterno que Deus fez com Noé após o dilúvio."  Se para o poder público a epidemia de varíola era um sinal de atraso, à luz da religiosidade, ela seria um castigo que funcionaria como purificação dos males da comunidade. Em alguns casos, podia ser um chamado divino para que a pessoa acometida do mal se tornasse um cavalo, filho de Omolu (caso dos negros Bantus, por exemplo). Chalhoub descreve, em suas palavras, ao longo do século XIX, um processo de acirramento da atuação do poder público contra as práticas e concepções populares sobre doença e cura.
  • 11.
  • 12. Fins que se deram com ela  Depois de decretado estado de sítio na cidade, foram contidas as insurreições militares que tentavam tirar Rodrigues Alves do poder.O Desfecho final para a população foi de várias mortes, muitas pessoas feridas e centenas deportadas para o Acre na ilha das cobras.A Questionada Lei da Vacina obrigatória foi revogada. A vida dos participantes da revolta da vacina não seria mais a mesma, dentre os presos que foram deportados para o acre muitos deles morreram de varíola pois viviam em locais com péssima higiene e em condições subumanas. os que ficaram assistiram a reforma urbana de Pereira Passos derrubando cortiços e despejando pessoas de suas casas, tendo que se refugiarem nos morros do entorno do Rio de Janeiro, ou nos locais mais afastados. O centro da cidade não era mais local para a camada pobre, a cidade após a reforma urbana ficou sendo um local de luxo e refinamento onde apenas a burguesia poderia desfrutar.
  • 13. Visão historiográfica Para o historiador Sérgio Lamarão, da Universidade Federal Fluminense, "conduzida de forma arbitrária, sem os necessários esclarecimentos à população, a campanha da vacina obrigatória canalizou um crescente descontentamento popular. Deve ser entendida como uma conseqüência do processo de modernização excludente concentrado, no tempo e no espaço desencadeado pela reforma do prefeito Passos e não, como foi considerada pelas autoridades, como uma reação explosiva da massa ignorante ao progresso e às inovações". Para Sevcenko, uma das principais causas da Revolta da Vacina está atrelada ao projeto de renovação urbana no Rio de Janeiro, empreendida de forma violenta e autoritária pelo governo de Rodrigues Alves, que, apoiado pelas elites do país, queria alinhar o Brasil no quadro de progresso e modernidade europeus, o que supostamente facilitaria a busca de investimentos estrangeiros. Para isso, era necessário apresentar uma cidade aprazível, livre de doenças: “os defeitos da capital afetam e perturbam todo o desenvolvimento nacional, a sua restauração no conceito do mundo será o início de uma vida nova”, disse o presidente em maio de 1903.
  • 14. Referências  http://books.google.com.br/books?hl=pt. Acesso em 16 de Julho de 2014  Revolta da Vacina http://www.infoescola.com/historia/revolta-da- vacina/. Acesso em 16 de Julho de 2014  Republica Velha http://slideplayer.com.br/slide/352461/. Acesso em 16 de Julho de 2014  Revolta da Vacina http://www.historiadobrasil.net/resumos/revolta_da_vacina.htm. Acesso em 16 de Julho de 2014  Revolta da Vacina http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/revolta_da_vacina.htm . Acesso em 16 de Julho de 2014