SlideShare uma empresa Scribd logo
METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROJETOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PACOTES DE
SOFTWARES GESTÂO COMERCIAL.
O objetivo desse post não é o enquadramento científico, sim a partir de uma experiência pratica citar uma
metodologia que pode ser considerada como base na utilização de projetos de tecnologia da informação
voltados a implantação de soluções de software.
Em setembro de 2013 participei da implantação de um pacote de software comercial voltado para
gerenciamento de ativos, uma plataforma EAM. Minha função era atuar como gestor estratégico do projeto,
buscando o alinhamento de qual metodologia iriamos utilizar, sim porque o cliente que adquiriu a solução
por força contratou exigiu que utilizássemos a metodologia ASAP, então iniciou-se o meu primeiro contato
com processos diferentes de todos aqueles com os quais já havia trabalhado.
O que é o ASAP?
A SAP é a maior empresa do mundo que vende softwares comerciais, líder global de mercado em soluções
de negócios colaborativos e multiempresas, possui uma metodologia própria de implantação dos seus
sistemas, o método ASAP, Acceletated SAP, um modelo que endereça diversas práticas de engenharia de
software e gestão de projetos, utiliza conceitos do CMMI, MPS.BR e PMBOK Guide, claro que longe desses
em maturidade e reconhecidos no mercado, mas ajuda na implementação de projetos com grande eficácia.
A metodologia ASAP apresenta 5 pilares ou 5 fases comuns na implementação de projetos de software que
passam desde a definição do escopo, especificação funcional, design, construção, testes, validação e
instalação no ambiente de produção, as fases tem a missão de manter o projeto o mais controlável possível.
Vamos conhecer cada fase:
1ª - PROJECT PREPARATION – ASAP
Na primeira fase são executados os processos que visam a definição do escopo do projeto com o
detalhamento e a elaboração das estimativas, a estratégia de execução e controle do projeto é definida, o
alinhamento com todos os usuários é feito através de reuniões de entendimento. Finaliza essa fase com a
realização do Kick-Off do projeto.
Objetivos e definições desse processo:
 Definição dos Key-Users (Usuários Chave)
 Definição do escopo de implementação.
 Definição da estratégia de implementação.
 Definição da organização e padrão de documentos.
 Definição do cronograma da implementação.
 Treinamento da equipe de projeto quanto ao método de implantação.
2ª - “BUSINESS BLUEPRINT” – MODELO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO
Chega o momento em que os analistas funcionais devem levantar e detalhar os requisitos do negócio, seus
processos manuais e automatizados, visão dos sistemas já existentes, bases de dados (principais bancos
de dados), entendimento de todos os impactos da tecnologia frente a operação.
Tudo será documentado e consolidado em um modelo chamado “Business BluePrint”, que irá endereçar
assuntos como:
a) Levantamento do(s) processo(s) de negócio.
b) Plano de gestão do projeto.
c) Mudanças organizacionais (estratégia e tratamento)
d) Plano de treinamentos (usuários chaves, demais usuários)
e) Definições da configuração do ambiente tecnológico para desenvolvimento.
f) Definições dos novos processos de negócio.
g) Plano de qualidade (requisitos, itens de validação, indicadores).
O plano de gestão do projeto deverá descrever outros importantes planos, como: plano de gerenciamento
de riscos, plano de gerenciamento de recursos humanos, orçamento, cronograma, plano de gerenciamento
de comunicação).
Objetivos e definições desse processo:
 Definição do documento denominado “Business BluePrint”.
 Definição da estrutura organizacional da empresa;.
 Desenho dos processos.
 Revisão dos processos de negócio.
 Documentação do escopo/desenho dos processos.
 Treinamento da equipe de projeto nos processos abordados.
3ª - “REALIZATION” – REALIZAÇÃO
Nessa fase a documentação do projeto e do modelo de negócios está definida, são resultados da fase
anterior, a equipe de projeto tem os insumos básicos para iniciar os trabalhos em 2 passos:
a) Os consultores com base na documentação criam os protótipos.
b) Os usuários finais iniciam a verificação dos protótipos apontando os ajustes necessários já com
a configuração em detalhes.
Objetivos e definições desse processo:
 Execução do “Business BluePrint”.
 Parametrização do sistema e da estrutura organizacional;
 Desenvolvimento e Customização dos processos baseados no “Business Blueprint“.
 Criação dos perfis de autorização;
 Testes integrados em ambiente de homologação.
4ª - “FINAL PREPARATION” – PREPARAÇÃO FINAL
O objetivo desta fase é analisar e preparar o projeto para o Go Live, a validação dos testes integrados e os
indicadores do nível de maturidade de sucesso dos cases validados em homologação irão determinar como
a implantação em produção deverá ser feita.
Objetivos e definições desse processo:
 Plano de entrada em produção.
 Teste da carga de dados/Volume de dados.
 Treinamento dos usuários finais;
5ª - “GO LIVE” – ENTRADA EM PRODUÇÃO
O propósito desta fase é a entrada em produção do sistema, passagem para o ambiente de produção da
solução validada. O plano desenhado na etapa anterior é amplo, determina de acordo com o volume de
dados em quantas etapas a implantação será executada, também quais os procedimentos de regressão.
Objetivos e definições desse processo:
 Ajustes técnicos (Hardware, Sistema Operacional, Rede de Dados).
 Instalação
 Validação com usuários chave.
 Operação assistida (período à definir)
 Suporte aos usuários
 Pós implantação – Lições aprendidas.
Essa metodologia deve ser utilizada com suporte do Guia de Melhores Práticas de Gestão de Projetos –
PMBOK 5ª edição – 2013, os planos de projeto encontrarão referências para mitigar qualquer dúvida em
sua elaboração.
O levantamento de requisitos, um dos principais fatores de insucesso em projetos deverá ser feito com
procedimentos padrão de mercado, encontraremos suporte no CMMi ou MPS.br, a atividade de gerência de
requisitos tem por objetivo mapear os requisitos identificados na fase inicial de um projeto e rastreá-los até
os artefatos finais, permitindo a validação da consistência entre os mesmos e as requisições originalmente
vindas dos solicitantes.
Os processos de extração de requisitos representam o elo de ligação entre as áreas de planejamento do
projeto, solução técnica e gerência de mudança.
Podemos visualizar o ciclo de vida de um projeto em ASAP.
A figura acima atrás um modelo do ASAP de um projeto SAP com a linha do tempo clara e definida, pontos
importantes como a assinatura do contrato e o kick-off estão claramente descritos demonstrando a atenção
que deve ser dada.
O que me deixou muito satisfeito na participação desse projeto utilizando o ASAP foi a perspectiva que a
metodologia me deu sobre como seria a empresa após a implantação, o TO-BE, existe uma preocupação
quanto a mudança e seus impactos, a adaptação de todos os envolvidos.
Outras experiência não me deram a mesma ideia, sim a forte necessidade de entender como é o processo
agora, importante também, mas tira minha visão do objetivo do projeto, do que meu cliente espera no final,
algo que deve estar claro para a equipe do projeto.
Ainda não tive a oportunidade de utilizar o ASAP integrado a outras metodologias, como o Prince2 ou
SCRUM, mas não vejo dificuldade ou impossibilidade, o ASAP seria um dos estágios no Prince2, o SCRUM
poderia ser utilizado como framework pelas equipes de desenvolvedores dentro do ASAP.
Acredito que os projetos de implementação de software, não somente projetos SAP, podem utilizar o ASAP
como metodologia, projetos de pequeno e médio porte por exemplo. Essa metodologia com pequenas
adequações poderá ser utilizada em qualquer empresa. Um escritório de projetos que está em fase de
consolidação e amadurecimento, buscando implantar padrões que serão utilizados por quem vai gerir
projetos, encontrará no ASAP uma metodologia consolidada no mercado.
Não posso deixar de reforçar a necessidade de tratar riscos e comunicação dentro da metodologia, são
temas que embora não descritos de forma clara devem ser analisados e geridos durante todo o ciclo de vida
do projeto.
Quero agradecer a oportunidade de compartilhar, fiquem livres para comentar, acrescentar, vejo uma
oportunidade de evolução sobre o tema, estou disponível para aprender mais um pouco.
Abraço a todos,
Marco Antonio da Silva,
br.linkedin.com/in/spmarcoantonio
spmarcoantonio@gmail.com
marco@itbssolutions.com.br
www.itbssolutions.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
BPM: Conceitos de Gestão de Processos de NegóciosBPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
BPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
Sergio Sorrentino Moraes
 
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
Wladmir Araujo
 
Processo de Implantação de ERP
Processo de Implantação de ERPProcesso de Implantação de ERP
Processo de Implantação de ERP
Luiz Araujo
 
Sap Solution Manager
Sap Solution ManagerSap Solution Manager
Sap Solution Manager
Gilson Correia
 
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
GUGP SUCESU-RS
 
BPM Sucesu BA 2013
BPM Sucesu BA 2013BPM Sucesu BA 2013
BPM Sucesu BA 2013
ejedelmal
 
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMNBPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
Saulo Oliveira
 
A03 Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
A03   Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)A03   Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
A03 Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
Saulo Oliveira
 
Bpm apresentação
Bpm apresentaçãoBpm apresentação
Bpm apresentação
Unicerp
 
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organização
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organizaçãoComo uma plataforma bpms pode transformar uma organização
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organização
EloGroup
 
Projeto de implantação de um sistema ERP
Projeto de implantação de um sistema ERPProjeto de implantação de um sistema ERP
Projeto de implantação de um sistema ERP
Victor Claudio
 
Plano de Gerenciamento de projetos
Plano de Gerenciamento de projetosPlano de Gerenciamento de projetos
Plano de Gerenciamento de projetos
Leandro Rodrigues
 
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBrGCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
Misael Santos
 
Guia Prático em Análise de Ponto de Função
Guia Prático em Análise de Ponto de FunçãoGuia Prático em Análise de Ponto de Função
Guia Prático em Análise de Ponto de Função
Fernando Palma
 
Plano projeto implantação servicedesk
Plano projeto implantação servicedeskPlano projeto implantação servicedesk
Plano projeto implantação servicedesk
Fernando Palma
 
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/A
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/AImplantação SAP - Volvo do Brasil S/A
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/A
Marco Coghi
 
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de ProjetosFundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
Maria Angelica Castellani
 

Mais procurados (17)

BPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
BPM: Conceitos de Gestão de Processos de NegóciosBPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
BPM: Conceitos de Gestão de Processos de Negócios
 
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
Apresentação das novas funcionalidades do Primavera P6 R8
 
Processo de Implantação de ERP
Processo de Implantação de ERPProcesso de Implantação de ERP
Processo de Implantação de ERP
 
Sap Solution Manager
Sap Solution ManagerSap Solution Manager
Sap Solution Manager
 
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
SAP Activate A nova metodologia para implementar ERP SAP alinhada com Método...
 
BPM Sucesu BA 2013
BPM Sucesu BA 2013BPM Sucesu BA 2013
BPM Sucesu BA 2013
 
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMNBPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
BPMN-V1 - Conhecendo os elementos da técnica BPMN
 
A03 Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
A03   Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)A03   Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
A03 Gestao por Processos (levantamento de dados e enformações)
 
Bpm apresentação
Bpm apresentaçãoBpm apresentação
Bpm apresentação
 
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organização
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organizaçãoComo uma plataforma bpms pode transformar uma organização
Como uma plataforma bpms pode transformar uma organização
 
Projeto de implantação de um sistema ERP
Projeto de implantação de um sistema ERPProjeto de implantação de um sistema ERP
Projeto de implantação de um sistema ERP
 
Plano de Gerenciamento de projetos
Plano de Gerenciamento de projetosPlano de Gerenciamento de projetos
Plano de Gerenciamento de projetos
 
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBrGCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
GCS - Aula 08 - GCS x MPSBr
 
Guia Prático em Análise de Ponto de Função
Guia Prático em Análise de Ponto de FunçãoGuia Prático em Análise de Ponto de Função
Guia Prático em Análise de Ponto de Função
 
Plano projeto implantação servicedesk
Plano projeto implantação servicedeskPlano projeto implantação servicedesk
Plano projeto implantação servicedesk
 
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/A
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/AImplantação SAP - Volvo do Brasil S/A
Implantação SAP - Volvo do Brasil S/A
 
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de ProjetosFundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
Fundamentos de BPM e sua Integração com a Gestão de Projetos
 

Semelhante a Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacotes comerciais by marco antonio da silva

PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
jrnavarro
 
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a PráticaGerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
Projetos e TI
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Robson Veiga Roy
 
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
Bruce Ds
 
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
Lecom Tecnologia
 
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
EloGroup
 
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
EloGroup
 
Aula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetosAula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetos
Thiago Cetroni
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Fernando Vargas
 
Gestão processo BMP
Gestão processo BMPGestão processo BMP
Gestão processo BMP
Armando Ferreira Alvferreira
 
Dynamic Systems Development Method
Dynamic Systems Development MethodDynamic Systems Development Method
Dynamic Systems Development Method
Lucas Duarte
 
Rational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUPRational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUP
Fernando Nogueira
 

Semelhante a Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacotes comerciais by marco antonio da silva (15)

PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
 
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a PráticaGerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
Gerenciamento de Projetos SAP: Do Método a Prática
 
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares  Aplicando os grupos de pr...
Como usar o Guia PMBOK® na engenharia de softwares Aplicando os grupos de pr...
 
úLtimo dia
úLtimo diaúLtimo dia
úLtimo dia
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Blue it
Blue itBlue it
Blue it
 
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BPMS...
 
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
[Café com BPM - Setor Privado] Como implantar transformações organizacionais ...
 
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
– Como implantar transformações organizacionais a partir de uma plataforma BP...
 
Aula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetosAula 3 desenvolvimento de projetos
Aula 3 desenvolvimento de projetos
 
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
Apresentação estrela vs cmmi nivel 2
 
Gestão processo BMP
Gestão processo BMPGestão processo BMP
Gestão processo BMP
 
Dynamic Systems Development Method
Dynamic Systems Development MethodDynamic Systems Development Method
Dynamic Systems Development Method
 
Rational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUPRational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUP
 

Mais de Garage Criativa | Garage Hub

O papel do Agile Coach implantação de práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
O papel do Agile Coach implantação de  práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...O papel do Agile Coach implantação de  práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
O papel do Agile Coach implantação de práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
Garage Criativa | Garage Hub
 
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
Projectlab -  Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios PessoalProjectlab -  Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
Garage Criativa | Garage Hub
 
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
Garage Criativa | Garage Hub
 
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMOProjectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
Garage Criativa | Garage Hub
 
Apresentação - Nunca Deixe de Tentar
Apresentação - Nunca Deixe de TentarApresentação - Nunca Deixe de Tentar
Apresentação - Nunca Deixe de Tentar
Garage Criativa | Garage Hub
 
Indicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
Indicadores de Gestão de Projetos e PortfólioIndicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
Indicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove tecnologia porque utiliza-la. (2)
Uninove   tecnologia porque utiliza-la. (2)Uninove   tecnologia porque utiliza-la. (2)
Uninove tecnologia porque utiliza-la. (2)
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove sistemas de processamento de transações
Uninove   sistemas de processamento de transaçõesUninove   sistemas de processamento de transações
Uninove sistemas de processamento de transações
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove sistemas de informação gerencial
Uninove   sistemas de informação gerencialUninove   sistemas de informação gerencial
Uninove sistemas de informação gerencial
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove sistemas de informação - vantag-desvantg
Uninove   sistemas de informação - vantag-desvantgUninove   sistemas de informação - vantag-desvantg
Uninove sistemas de informação - vantag-desvantg
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove sistema de apoio a decisão
Uninove   sistema de apoio a decisãoUninove   sistema de apoio a decisão
Uninove sistema de apoio a decisão
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove scm
Uninove   scmUninove   scm
Uninove informação
Uninove   informaçãoUninove   informação
Uninove informação
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove hierarquia de sistemas
Uninove   hierarquia de sistemasUninove   hierarquia de sistemas
Uninove hierarquia de sistemas
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove erp
Uninove   erpUninove   erp
Uninove dw
Uninove   dwUninove   dw
Uninove definição de sistemas de informação
Uninove   definição de sistemas de informaçãoUninove   definição de sistemas de informação
Uninove definição de sistemas de informação
Garage Criativa | Garage Hub
 
Uninove dado
Uninove   dadoUninove   dado
Uninove d.m.
Uninove   d.m.Uninove   d.m.

Mais de Garage Criativa | Garage Hub (20)

O papel do Agile Coach implantação de práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
O papel do Agile Coach implantação de  práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...O papel do Agile Coach implantação de  práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
O papel do Agile Coach implantação de práticas ágeis em áreas não TI. - TDC ...
 
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
Projectlab -  Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios PessoalProjectlab -  Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Modelo de Negócios Pessoal
 
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
Trend Talks - Agile PMO como mecanismo de fomento de projetos de Inovação.
 
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMOProjectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
Projectlab - Cubo do Conhecimento - Palestra do PMO
 
Apresentação - Nunca Deixe de Tentar
Apresentação - Nunca Deixe de TentarApresentação - Nunca Deixe de Tentar
Apresentação - Nunca Deixe de Tentar
 
Indicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
Indicadores de Gestão de Projetos e PortfólioIndicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
Indicadores de Gestão de Projetos e Portfólio
 
Uninove tecnologia porque utiliza-la. (2)
Uninove   tecnologia porque utiliza-la. (2)Uninove   tecnologia porque utiliza-la. (2)
Uninove tecnologia porque utiliza-la. (2)
 
Uninove sistemas de processamento de transações
Uninove   sistemas de processamento de transaçõesUninove   sistemas de processamento de transações
Uninove sistemas de processamento de transações
 
Uninove sistemas de informação gerencial
Uninove   sistemas de informação gerencialUninove   sistemas de informação gerencial
Uninove sistemas de informação gerencial
 
Uninove sistemas de informação - vantag-desvantg
Uninove   sistemas de informação - vantag-desvantgUninove   sistemas de informação - vantag-desvantg
Uninove sistemas de informação - vantag-desvantg
 
Uninove sistema de apoio a decisão
Uninove   sistema de apoio a decisãoUninove   sistema de apoio a decisão
Uninove sistema de apoio a decisão
 
Uninove scm
Uninove   scmUninove   scm
Uninove scm
 
Uninove processo decisório
Uninove   processo decisórioUninove   processo decisório
Uninove processo decisório
 
Uninove informação
Uninove   informaçãoUninove   informação
Uninove informação
 
Uninove hierarquia de sistemas
Uninove   hierarquia de sistemasUninove   hierarquia de sistemas
Uninove hierarquia de sistemas
 
Uninove erp
Uninove   erpUninove   erp
Uninove erp
 
Uninove dw
Uninove   dwUninove   dw
Uninove dw
 
Uninove definição de sistemas de informação
Uninove   definição de sistemas de informaçãoUninove   definição de sistemas de informação
Uninove definição de sistemas de informação
 
Uninove dado
Uninove   dadoUninove   dado
Uninove dado
 
Uninove d.m.
Uninove   d.m.Uninove   d.m.
Uninove d.m.
 

Último

ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Divina Vitorino
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
barbosajucy47
 

Último (7)

ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
 

Artigo asap - metodologia de gestão de projetos para implementação de pacotes comerciais by marco antonio da silva

  • 1. METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROJETOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE PACOTES DE SOFTWARES GESTÂO COMERCIAL. O objetivo desse post não é o enquadramento científico, sim a partir de uma experiência pratica citar uma metodologia que pode ser considerada como base na utilização de projetos de tecnologia da informação voltados a implantação de soluções de software. Em setembro de 2013 participei da implantação de um pacote de software comercial voltado para gerenciamento de ativos, uma plataforma EAM. Minha função era atuar como gestor estratégico do projeto, buscando o alinhamento de qual metodologia iriamos utilizar, sim porque o cliente que adquiriu a solução por força contratou exigiu que utilizássemos a metodologia ASAP, então iniciou-se o meu primeiro contato com processos diferentes de todos aqueles com os quais já havia trabalhado. O que é o ASAP? A SAP é a maior empresa do mundo que vende softwares comerciais, líder global de mercado em soluções de negócios colaborativos e multiempresas, possui uma metodologia própria de implantação dos seus sistemas, o método ASAP, Acceletated SAP, um modelo que endereça diversas práticas de engenharia de software e gestão de projetos, utiliza conceitos do CMMI, MPS.BR e PMBOK Guide, claro que longe desses em maturidade e reconhecidos no mercado, mas ajuda na implementação de projetos com grande eficácia. A metodologia ASAP apresenta 5 pilares ou 5 fases comuns na implementação de projetos de software que passam desde a definição do escopo, especificação funcional, design, construção, testes, validação e instalação no ambiente de produção, as fases tem a missão de manter o projeto o mais controlável possível. Vamos conhecer cada fase: 1ª - PROJECT PREPARATION – ASAP Na primeira fase são executados os processos que visam a definição do escopo do projeto com o detalhamento e a elaboração das estimativas, a estratégia de execução e controle do projeto é definida, o alinhamento com todos os usuários é feito através de reuniões de entendimento. Finaliza essa fase com a realização do Kick-Off do projeto. Objetivos e definições desse processo:  Definição dos Key-Users (Usuários Chave)  Definição do escopo de implementação.  Definição da estratégia de implementação.  Definição da organização e padrão de documentos.  Definição do cronograma da implementação.  Treinamento da equipe de projeto quanto ao método de implantação. 2ª - “BUSINESS BLUEPRINT” – MODELO DOS PROCESSOS DE NEGÓCIO Chega o momento em que os analistas funcionais devem levantar e detalhar os requisitos do negócio, seus processos manuais e automatizados, visão dos sistemas já existentes, bases de dados (principais bancos de dados), entendimento de todos os impactos da tecnologia frente a operação. Tudo será documentado e consolidado em um modelo chamado “Business BluePrint”, que irá endereçar assuntos como: a) Levantamento do(s) processo(s) de negócio. b) Plano de gestão do projeto. c) Mudanças organizacionais (estratégia e tratamento) d) Plano de treinamentos (usuários chaves, demais usuários) e) Definições da configuração do ambiente tecnológico para desenvolvimento. f) Definições dos novos processos de negócio. g) Plano de qualidade (requisitos, itens de validação, indicadores).
  • 2. O plano de gestão do projeto deverá descrever outros importantes planos, como: plano de gerenciamento de riscos, plano de gerenciamento de recursos humanos, orçamento, cronograma, plano de gerenciamento de comunicação). Objetivos e definições desse processo:  Definição do documento denominado “Business BluePrint”.  Definição da estrutura organizacional da empresa;.  Desenho dos processos.  Revisão dos processos de negócio.  Documentação do escopo/desenho dos processos.  Treinamento da equipe de projeto nos processos abordados. 3ª - “REALIZATION” – REALIZAÇÃO Nessa fase a documentação do projeto e do modelo de negócios está definida, são resultados da fase anterior, a equipe de projeto tem os insumos básicos para iniciar os trabalhos em 2 passos: a) Os consultores com base na documentação criam os protótipos. b) Os usuários finais iniciam a verificação dos protótipos apontando os ajustes necessários já com a configuração em detalhes. Objetivos e definições desse processo:  Execução do “Business BluePrint”.  Parametrização do sistema e da estrutura organizacional;  Desenvolvimento e Customização dos processos baseados no “Business Blueprint“.  Criação dos perfis de autorização;  Testes integrados em ambiente de homologação. 4ª - “FINAL PREPARATION” – PREPARAÇÃO FINAL O objetivo desta fase é analisar e preparar o projeto para o Go Live, a validação dos testes integrados e os indicadores do nível de maturidade de sucesso dos cases validados em homologação irão determinar como a implantação em produção deverá ser feita. Objetivos e definições desse processo:  Plano de entrada em produção.  Teste da carga de dados/Volume de dados.  Treinamento dos usuários finais; 5ª - “GO LIVE” – ENTRADA EM PRODUÇÃO O propósito desta fase é a entrada em produção do sistema, passagem para o ambiente de produção da solução validada. O plano desenhado na etapa anterior é amplo, determina de acordo com o volume de dados em quantas etapas a implantação será executada, também quais os procedimentos de regressão. Objetivos e definições desse processo:  Ajustes técnicos (Hardware, Sistema Operacional, Rede de Dados).  Instalação  Validação com usuários chave.  Operação assistida (período à definir)  Suporte aos usuários  Pós implantação – Lições aprendidas.
  • 3. Essa metodologia deve ser utilizada com suporte do Guia de Melhores Práticas de Gestão de Projetos – PMBOK 5ª edição – 2013, os planos de projeto encontrarão referências para mitigar qualquer dúvida em sua elaboração. O levantamento de requisitos, um dos principais fatores de insucesso em projetos deverá ser feito com procedimentos padrão de mercado, encontraremos suporte no CMMi ou MPS.br, a atividade de gerência de requisitos tem por objetivo mapear os requisitos identificados na fase inicial de um projeto e rastreá-los até os artefatos finais, permitindo a validação da consistência entre os mesmos e as requisições originalmente vindas dos solicitantes. Os processos de extração de requisitos representam o elo de ligação entre as áreas de planejamento do projeto, solução técnica e gerência de mudança. Podemos visualizar o ciclo de vida de um projeto em ASAP.
  • 4. A figura acima atrás um modelo do ASAP de um projeto SAP com a linha do tempo clara e definida, pontos importantes como a assinatura do contrato e o kick-off estão claramente descritos demonstrando a atenção que deve ser dada. O que me deixou muito satisfeito na participação desse projeto utilizando o ASAP foi a perspectiva que a metodologia me deu sobre como seria a empresa após a implantação, o TO-BE, existe uma preocupação quanto a mudança e seus impactos, a adaptação de todos os envolvidos. Outras experiência não me deram a mesma ideia, sim a forte necessidade de entender como é o processo agora, importante também, mas tira minha visão do objetivo do projeto, do que meu cliente espera no final, algo que deve estar claro para a equipe do projeto. Ainda não tive a oportunidade de utilizar o ASAP integrado a outras metodologias, como o Prince2 ou SCRUM, mas não vejo dificuldade ou impossibilidade, o ASAP seria um dos estágios no Prince2, o SCRUM poderia ser utilizado como framework pelas equipes de desenvolvedores dentro do ASAP. Acredito que os projetos de implementação de software, não somente projetos SAP, podem utilizar o ASAP como metodologia, projetos de pequeno e médio porte por exemplo. Essa metodologia com pequenas adequações poderá ser utilizada em qualquer empresa. Um escritório de projetos que está em fase de consolidação e amadurecimento, buscando implantar padrões que serão utilizados por quem vai gerir projetos, encontrará no ASAP uma metodologia consolidada no mercado. Não posso deixar de reforçar a necessidade de tratar riscos e comunicação dentro da metodologia, são temas que embora não descritos de forma clara devem ser analisados e geridos durante todo o ciclo de vida do projeto. Quero agradecer a oportunidade de compartilhar, fiquem livres para comentar, acrescentar, vejo uma oportunidade de evolução sobre o tema, estou disponível para aprender mais um pouco. Abraço a todos,
  • 5. Marco Antonio da Silva, br.linkedin.com/in/spmarcoantonio spmarcoantonio@gmail.com marco@itbssolutions.com.br www.itbssolutions.com.br