SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTHROPODA 1
Introdução
Protostomados
Celomados
Filo Arthropoda
• Maior filo, composto por ¾ das
espécies conhecidas e também
dominante em número.
• São conhecidas 900.000, porém
estima-se que existem 5 -
10.000.000 espécies
(Odegaard,2000).
• Composto por aranhas,
carrapatos, escorpiões, ácaros
(Arachnida), siris, camarões,
cracas (Crustacea), piolhos de
cobra, centopéias (Miriapoda),
insetos (Insecta).
Grego: pés articulados
Trilobita
• Sub filo extinto de animais exclusivamente
marinhos.
• Viveram apenas na Era Paleozóica,
do Cambriano ao final do Permiano, quando
foram totalmente extintos.
Filo Arthropoda
• Normalmente são animais pequenos, porém bastante ativos,
com muita energia.
• Normalmente não são maiores que 60 cm, não medem mais
do que 10 cm.
Porém há (poucas) exceções:
Há também espécies
parasitas, de tamanhos
diminutos, com 0,1 cm.
Filo Arthropoda
• Possuem metamerização conspícua. Porém somitos apresentam
maior variedade e maior grau de associação – adaptações para
exercer funções mais especializadas.
• Associação de metâmeros em grupos funcionais = TAGMAS –
cabeça e tronco ou cabeça, tórax e abdômen ou
cefalotórax e abdômen – dependendo da classe.
Grego: pés articulados
• Apêndices também são bastante diferenciados de
forma a exercer mais eficientemente diferentes
ações.
Filo Arthropoda
• Cada segmento possui músculos que operam os segmentos e os
apêndices fixados a ele. Permitem movimentos complexos.
• Corpo envolvido em exoesqueleto rígido permite que animais andem em
água e em solo seco, evita desidratação e proporciona proteção contra
predadores.
• Cutícula (já presente em outros organismos, até mais primitivos) passa a
ser ainda mais rígida por conta da deposição de proteína, lipídeos, um
polissacarídeo– Quitina e frequentemente carbonato de cálcio.
• Esse conjunto de substâncias formam o EXOESQUELETO dos
artrópodes.
• Ecdise = exoesqueleto.
• Desvantagem – não cresce junto com o corpo do animal. Necessidade do
processo de MUDA.
• Explica porque os artrópodes “crescem aos saltos”.
MUDA
• = desprendimento periódico do exoesqueleto e secreção de
novo esqueleto, maior.
• Cutícula, na verdade compreende 3 camadas: epicutícula
(cera), exocutícula e endocutícula.
• Todas secretadas pela epiderme.
Processo de MUDA:
1. Epiderme se desprende do exoesqueleto.
2. Epiderme secreta nova cutícula.
3. Esqueleto velho se rompe em
linhas pré determinadas.
4. Novo exoesqueleto é mole e
adaptável, por isso se estica,
adaptando-se ao tamanho do
corpo do animal.
Muda
• Todo o processo é regulado por diferentes hormônios.
• Estágios entre mudas = instares.
• Duração dos instares é maior à medida que o animal
envelhece.
• Artrópodes como lagostas e maioria dos caranguejos
sofrem muda durante toda a vida.
• Insetos e aranhas tem número de
mudas mais ou menos fixo,
encerrando ao atingir maturidade
sexual.
• Crescimento aos saltos x contínuo.
Filo Arthropoda
• Maioria é herbívora, mas também há representantes
predadores, parasitas e onívoros – usam todas as formas de
alimentação.
• Tem importância econômica tanto devido a danos e doenças
em humanos, quanto devido aos serviços que prestam ao
homem (ex. polinização).
• Apresentam ampla distribuição na Terra – desde ambos os
pólos até o Equador, na terra, no ar e na água doce, salgada
ou salobra.
• Podem ocorrer em grandes profundezas oceânicas ou dentro
dos corpos de animais e plantas.
“brain” = cérebro (gang. Supraesofágico)
Arthropoda – Sistema nervoso
• Muito similar ao dos anelídeos, com gânglio cerebral dorsal e
gânglios segmentares.
• Presença de cérebro = par de gânglios supra esofágicos.
Enviam nervos aos olhos e às antenas.
• Gânglios subesofágico – fusão de 5 pares de gânglios, de onde
partem nervos para boca, apêndices, esôfago e glândulas
antenais.
• Há um cordão nervoso ventral com par de gânglios em cada
somito, de onde saem nervos para
apêndices, músculos e outras partes.
• Órgãos sensoriais mais desen-
volvidos do que em Annelida.
Sistema Muscular
Complexo, com músculos estriados e
musculatura lisa (mov. involuntário).
Músculos chegam a inserir no exoesqueleto.
Artrópodes - Alimentação
• Sistema digestivo completo.
• Apêndices modificados em
peças bucais.
• Presença de peças bucais
adaptadas para os diferentes
métodos de alimentação.
• Trituração dos alimentos inicia-
se pelas mandíbulas e maxilas,
apêndices bucais que trituram
alimentos.
• Seguem para estômago e
intestino.
Respiração - ar
• Especialmente modificada em insetos –
respiração traqueal.
• Traqueias – rede extensa de tubos finos que
ramificam por todas as partes do corpo.
• Traquéias abrem-se ao exterior através de
espiráculos (9 -10 ao longo do corpo).
• Espiráculo pode ter formas que os fechem
(válvula, cerdas, placas), de forma a evitar a
perda/entrada excessiva água, parasitas, poeira.
• Traquéias ramificam-se me tubos menores
que terminam túbulos finos preenchido por
liquido – traqueóla. Sempre próximo das
células.
• Transporte eficiente de gases, desnecessário
o pigmento.
Traqueia ventral
Traqueia dorsal
Espiráculo
Respiração - água
• Respiração traqueal não funciona em animais
aquáticos.
• Em animais de corpo mole (larvas, ninfas), ou
pequenos (crustáceos) gases entram pela parede do
corpo, entrando na rede traqueal logo abaixo
tegumento.
• Pode haver brânquias em diferentes partes do corpo.
Sistema circulatório
• Lembrando que em Arthropoda o celoma é reduzido. Maior
parte da cavidade corpórea é constituída pela hemocele –
lacunas entre os tecidos – preenchida por sangue.
• Sistema é aberto ou lacunar; não há veias.
• Sangue (hemolinfa) deixa o coração através de artérias,
circula pela hemocele, retorna aos seios venosos (espaços),
antes de voltar ao coração.
• Coração dorsal é o principal órgão propulsor.
• É um saco de músculo estriado com apenas 1 câmara.
• Hemolinfa nos artrópodes é pouco colorida, pigmentada.
• Hemolinfa com capacidade de coagulação.
Excreção e balanço hídrico
• Insetos e aranhas possuem sistema excretor único –
Túbulos de Malpighi.
• Tubos finos, elásticos, de número variável, com fundo cego
ligados às junções das porções média e final (mesênteron e
proctodeu) do canal alimentar.
• Parte não aderida ao canal alimentar repousa na hemocele.
• Removem compostos a serem excretados da hemolinfa,
liberando-os no intestino para serem eliminados.
Reprodução
• Sexo separado, fecundação interna.
• São ovíparos ou ovovivíparos.
• Partenogênese pode acontecer em alguns casos.
• Geralmente grande quantidade de ovo é colocada.
Porém hábitat é considerado (ex. mosquito dengue,
borboletas).
• Pode haver dimorfismo sexual, variável.
• Muitas vezes adultos incubam seus ovos – pode
haver cuidado parental.
• Desenvolvimento pode ser direto (pode haver fases
ninfais) ou indireto (com metamorfose).
Por que artrópodes são tão bem sucedidos?
1. Exoesqueleto versátil, com alta capacidade de
proteção (devido à cutícula com quitina), porém sem
sacrificar a mobilidade.
2. Segmentação e apêndices para uma locomoção mais
eficiente. Cada segmento tem função especializada, o
que se reflete nas adaptações e tipos de apêndices.
3. Sistema traqueal altamente eficiente – ar conduzido
diretamente às células.
4. Grande variedade de órgãos sensoriais, altamente
desenvolvidos. Ótima percepção visual, olfativa,
auditiva...
Por que artrópodes são tão bem sucedidos?
5. Padrões comportamentais complexos.
6. Limitação da competição intraespecífica através da
metamorfose.
Cuidado parental em escorpiões.
Comum em aracnídeos.
Ninfas e adultos de um heteróptero.
Larva Nauplio e camarão.
Filo Arthropoda - Classificação
• Subfilo CHELICERATA (mandibulados aquáticos)
– Classe Crustacea
• Subfilo UNIRAMIA (mandibulados terrestres)
– Classes Chilopoda, Diplopoda, Pauropoda, Symphyla,
Insecta.
• Subfilo TRILOBITA.
• Subfilo CHELICERATA
– Classes Pycnogonida, Merostomata, Arachnida.
=Myriapoda

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
Professô Kyoshi
 
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados
Iuri Fretta Wiggers
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
aulasdotubao
 
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
Ricardo Rodrigues
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
Bio
 
Filo Mollusca.pdf
Filo Mollusca.pdfFilo Mollusca.pdf
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Patricia Guimaraes
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
URCA
 
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia ComparadaSistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
Carson Souza
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Teresa Cristina
 
7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes
Sarah Lemes
 
1 caract. gerais dos cordados
1  caract. gerais dos cordados1  caract. gerais dos cordados
1 caract. gerais dos cordados
Elaine Gabriel
 
Poríferos
PoríferosPoríferos
Poríferos
Isabella Ruas
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Fatima Comiotto
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Ronaldo Santana
 
Aula cordados
Aula cordadosAula cordados
Aula cordados
denilsonbio
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
Killer Max
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
Killer Max
 
Poliferos e Cnidários
Poliferos e CnidáriosPoliferos e Cnidários
Poliferos e Cnidários
Sirleide Silva
 

Mais procurados (20)

2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
 
Filo dos cordados
Filo dos cordadosFilo dos cordados
Filo dos cordados
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
Sistemática Geral e Filogenética - aula 02-04-13
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
 
Filo Mollusca.pdf
Filo Mollusca.pdfFilo Mollusca.pdf
Filo Mollusca.pdf
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia ComparadaSistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes7 ano Moluscos e artrópodes
7 ano Moluscos e artrópodes
 
1 caract. gerais dos cordados
1  caract. gerais dos cordados1  caract. gerais dos cordados
1 caract. gerais dos cordados
 
Poríferos
PoríferosPoríferos
Poríferos
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
 
Aula cordados
Aula cordadosAula cordados
Aula cordados
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Poliferos e Cnidários
Poliferos e CnidáriosPoliferos e Cnidários
Poliferos e Cnidários
 

Semelhante a Arthropoda 1

Arthropoda 2
Arthropoda 2Arthropoda 2
Arthropoda 2
Fabio Santos Nery
 
Capítulo 07 invertebrados II
Capítulo 07   invertebrados IICapítulo 07   invertebrados II
Capítulo 07 invertebrados II
Igor Brant
 
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosAnelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
amollaop
 
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.pptfdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
DanielMedina333918
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Aula 1 caracteristicas gerais dos animais
Aula 1   caracteristicas gerais dos animaisAula 1   caracteristicas gerais dos animais
Aula 1 caracteristicas gerais dos animais
Grupo UNIASSELVI
 
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
Colégio Batista de Mantena
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
marlyrauber
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
IgorAlves153
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Bio
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Colégio Batista de Mantena
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Iuri Fretta Wiggers
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
Claudiapadao
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
Claudiapadao
 
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo ChelicerataIntrodução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Filipe Augusto Gonçalves de Melo
 
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características GeraisFilo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
nivaldojunior54
 
3 cordados
3 cordados3 cordados
Filo Nematoda
Filo Nematoda Filo Nematoda
Filo Nematoda
Luis Carlos
 

Semelhante a Arthropoda 1 (20)

Arthropoda 2
Arthropoda 2Arthropoda 2
Arthropoda 2
 
Capítulo 07 invertebrados II
Capítulo 07   invertebrados IICapítulo 07   invertebrados II
Capítulo 07 invertebrados II
 
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosAnelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
 
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.pptfdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
Aula 1 caracteristicas gerais dos animais
Aula 1   caracteristicas gerais dos animaisAula 1   caracteristicas gerais dos animais
Aula 1 caracteristicas gerais dos animais
 
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
2016 Frente 2 módulo 1 o tegumento dos animais
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
Intro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdfIntro_discip Embrio.pdf
Intro_discip Embrio.pdf
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos AnimaisFrente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
Frente 2 módulo 1 O Tegumento dos Animais
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
 
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo ChelicerataIntrodução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
Introdução ao filo Artropoda e subfilo Chelicerata
 
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características GeraisFilo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
Filo dos Artrópodes - FILO ARTHROPODA - Características Gerais
 
3 cordados
3 cordados3 cordados
3 cordados
 
Filo Nematoda
Filo Nematoda Filo Nematoda
Filo Nematoda
 

Mais de Fabio Santos Nery

Protozoa
ProtozoaProtozoa
Metazoa
MetazoaMetazoa
Animais primitivos
Animais primitivosAnimais primitivos
Animais primitivos
Fabio Santos Nery
 
fusão nuclear
fusão nuclearfusão nuclear
fusão nuclear
Fabio Santos Nery
 
universo
universouniverso
O universo
O universo O universo
O universo
Fabio Santos Nery
 
curva de aquecimento do naftaleno
 curva de aquecimento do naftaleno curva de aquecimento do naftaleno
curva de aquecimento do naftaleno
Fabio Santos Nery
 
calcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma soluçãocalcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma solução
Fabio Santos Nery
 
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Fabio Santos Nery
 
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações QuímicasLei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Fabio Santos Nery
 
Teste cálculo 1
Teste cálculo 1Teste cálculo 1
Teste cálculo 1
Fabio Santos Nery
 
Teste calculo 1
Teste calculo 1Teste calculo 1
Teste calculo 1
Fabio Santos Nery
 
filo molusca
filo moluscafilo molusca
filo molusca
Fabio Santos Nery
 
Teste calculo
Teste calculoTeste calculo
Teste calculo
Fabio Santos Nery
 
Teste calculo1
Teste calculo1Teste calculo1
Teste calculo1
Fabio Santos Nery
 
Teste calculo
Teste calculoTeste calculo
Teste calculo
Fabio Santos Nery
 
Limite
LimiteLimite
reptios escamados
reptios escamadosreptios escamados
reptios escamados
Fabio Santos Nery
 

Mais de Fabio Santos Nery (18)

Protozoa
ProtozoaProtozoa
Protozoa
 
Metazoa
MetazoaMetazoa
Metazoa
 
Animais primitivos
Animais primitivosAnimais primitivos
Animais primitivos
 
fusão nuclear
fusão nuclearfusão nuclear
fusão nuclear
 
universo
universouniverso
universo
 
O universo
O universo O universo
O universo
 
curva de aquecimento do naftaleno
 curva de aquecimento do naftaleno curva de aquecimento do naftaleno
curva de aquecimento do naftaleno
 
calcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma soluçãocalcular a concentração e preparo de uma solução
calcular a concentração e preparo de uma solução
 
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de SoluçõesCalculo de Concentrações e Preparação de Soluções
Calculo de Concentrações e Preparação de Soluções
 
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações QuímicasLei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
Lei de Lavoisiere Estequiometriade Reações Químicas
 
Teste cálculo 1
Teste cálculo 1Teste cálculo 1
Teste cálculo 1
 
Teste calculo 1
Teste calculo 1Teste calculo 1
Teste calculo 1
 
filo molusca
filo moluscafilo molusca
filo molusca
 
Teste calculo
Teste calculoTeste calculo
Teste calculo
 
Teste calculo1
Teste calculo1Teste calculo1
Teste calculo1
 
Teste calculo
Teste calculoTeste calculo
Teste calculo
 
Limite
LimiteLimite
Limite
 
reptios escamados
reptios escamadosreptios escamados
reptios escamados
 

Arthropoda 1

  • 3. Filo Arthropoda • Maior filo, composto por ¾ das espécies conhecidas e também dominante em número. • São conhecidas 900.000, porém estima-se que existem 5 - 10.000.000 espécies (Odegaard,2000). • Composto por aranhas, carrapatos, escorpiões, ácaros (Arachnida), siris, camarões, cracas (Crustacea), piolhos de cobra, centopéias (Miriapoda), insetos (Insecta). Grego: pés articulados
  • 4. Trilobita • Sub filo extinto de animais exclusivamente marinhos. • Viveram apenas na Era Paleozóica, do Cambriano ao final do Permiano, quando foram totalmente extintos.
  • 5. Filo Arthropoda • Normalmente são animais pequenos, porém bastante ativos, com muita energia. • Normalmente não são maiores que 60 cm, não medem mais do que 10 cm. Porém há (poucas) exceções: Há também espécies parasitas, de tamanhos diminutos, com 0,1 cm.
  • 6. Filo Arthropoda • Possuem metamerização conspícua. Porém somitos apresentam maior variedade e maior grau de associação – adaptações para exercer funções mais especializadas. • Associação de metâmeros em grupos funcionais = TAGMAS – cabeça e tronco ou cabeça, tórax e abdômen ou cefalotórax e abdômen – dependendo da classe. Grego: pés articulados • Apêndices também são bastante diferenciados de forma a exercer mais eficientemente diferentes ações.
  • 7. Filo Arthropoda • Cada segmento possui músculos que operam os segmentos e os apêndices fixados a ele. Permitem movimentos complexos. • Corpo envolvido em exoesqueleto rígido permite que animais andem em água e em solo seco, evita desidratação e proporciona proteção contra predadores. • Cutícula (já presente em outros organismos, até mais primitivos) passa a ser ainda mais rígida por conta da deposição de proteína, lipídeos, um polissacarídeo– Quitina e frequentemente carbonato de cálcio. • Esse conjunto de substâncias formam o EXOESQUELETO dos artrópodes. • Ecdise = exoesqueleto. • Desvantagem – não cresce junto com o corpo do animal. Necessidade do processo de MUDA. • Explica porque os artrópodes “crescem aos saltos”.
  • 8. MUDA • = desprendimento periódico do exoesqueleto e secreção de novo esqueleto, maior. • Cutícula, na verdade compreende 3 camadas: epicutícula (cera), exocutícula e endocutícula. • Todas secretadas pela epiderme. Processo de MUDA: 1. Epiderme se desprende do exoesqueleto. 2. Epiderme secreta nova cutícula. 3. Esqueleto velho se rompe em linhas pré determinadas. 4. Novo exoesqueleto é mole e adaptável, por isso se estica, adaptando-se ao tamanho do corpo do animal.
  • 9. Muda • Todo o processo é regulado por diferentes hormônios. • Estágios entre mudas = instares. • Duração dos instares é maior à medida que o animal envelhece. • Artrópodes como lagostas e maioria dos caranguejos sofrem muda durante toda a vida. • Insetos e aranhas tem número de mudas mais ou menos fixo, encerrando ao atingir maturidade sexual. • Crescimento aos saltos x contínuo.
  • 10. Filo Arthropoda • Maioria é herbívora, mas também há representantes predadores, parasitas e onívoros – usam todas as formas de alimentação. • Tem importância econômica tanto devido a danos e doenças em humanos, quanto devido aos serviços que prestam ao homem (ex. polinização). • Apresentam ampla distribuição na Terra – desde ambos os pólos até o Equador, na terra, no ar e na água doce, salgada ou salobra. • Podem ocorrer em grandes profundezas oceânicas ou dentro dos corpos de animais e plantas.
  • 11. “brain” = cérebro (gang. Supraesofágico) Arthropoda – Sistema nervoso • Muito similar ao dos anelídeos, com gânglio cerebral dorsal e gânglios segmentares. • Presença de cérebro = par de gânglios supra esofágicos. Enviam nervos aos olhos e às antenas. • Gânglios subesofágico – fusão de 5 pares de gânglios, de onde partem nervos para boca, apêndices, esôfago e glândulas antenais. • Há um cordão nervoso ventral com par de gânglios em cada somito, de onde saem nervos para apêndices, músculos e outras partes. • Órgãos sensoriais mais desen- volvidos do que em Annelida. Sistema Muscular Complexo, com músculos estriados e musculatura lisa (mov. involuntário). Músculos chegam a inserir no exoesqueleto.
  • 12. Artrópodes - Alimentação • Sistema digestivo completo. • Apêndices modificados em peças bucais. • Presença de peças bucais adaptadas para os diferentes métodos de alimentação. • Trituração dos alimentos inicia- se pelas mandíbulas e maxilas, apêndices bucais que trituram alimentos. • Seguem para estômago e intestino.
  • 13. Respiração - ar • Especialmente modificada em insetos – respiração traqueal. • Traqueias – rede extensa de tubos finos que ramificam por todas as partes do corpo. • Traquéias abrem-se ao exterior através de espiráculos (9 -10 ao longo do corpo). • Espiráculo pode ter formas que os fechem (válvula, cerdas, placas), de forma a evitar a perda/entrada excessiva água, parasitas, poeira. • Traquéias ramificam-se me tubos menores que terminam túbulos finos preenchido por liquido – traqueóla. Sempre próximo das células. • Transporte eficiente de gases, desnecessário o pigmento. Traqueia ventral Traqueia dorsal Espiráculo
  • 14. Respiração - água • Respiração traqueal não funciona em animais aquáticos. • Em animais de corpo mole (larvas, ninfas), ou pequenos (crustáceos) gases entram pela parede do corpo, entrando na rede traqueal logo abaixo tegumento. • Pode haver brânquias em diferentes partes do corpo.
  • 15. Sistema circulatório • Lembrando que em Arthropoda o celoma é reduzido. Maior parte da cavidade corpórea é constituída pela hemocele – lacunas entre os tecidos – preenchida por sangue. • Sistema é aberto ou lacunar; não há veias. • Sangue (hemolinfa) deixa o coração através de artérias, circula pela hemocele, retorna aos seios venosos (espaços), antes de voltar ao coração. • Coração dorsal é o principal órgão propulsor. • É um saco de músculo estriado com apenas 1 câmara. • Hemolinfa nos artrópodes é pouco colorida, pigmentada. • Hemolinfa com capacidade de coagulação.
  • 16. Excreção e balanço hídrico • Insetos e aranhas possuem sistema excretor único – Túbulos de Malpighi. • Tubos finos, elásticos, de número variável, com fundo cego ligados às junções das porções média e final (mesênteron e proctodeu) do canal alimentar. • Parte não aderida ao canal alimentar repousa na hemocele. • Removem compostos a serem excretados da hemolinfa, liberando-os no intestino para serem eliminados.
  • 17. Reprodução • Sexo separado, fecundação interna. • São ovíparos ou ovovivíparos. • Partenogênese pode acontecer em alguns casos. • Geralmente grande quantidade de ovo é colocada. Porém hábitat é considerado (ex. mosquito dengue, borboletas). • Pode haver dimorfismo sexual, variável. • Muitas vezes adultos incubam seus ovos – pode haver cuidado parental. • Desenvolvimento pode ser direto (pode haver fases ninfais) ou indireto (com metamorfose).
  • 18. Por que artrópodes são tão bem sucedidos? 1. Exoesqueleto versátil, com alta capacidade de proteção (devido à cutícula com quitina), porém sem sacrificar a mobilidade. 2. Segmentação e apêndices para uma locomoção mais eficiente. Cada segmento tem função especializada, o que se reflete nas adaptações e tipos de apêndices. 3. Sistema traqueal altamente eficiente – ar conduzido diretamente às células. 4. Grande variedade de órgãos sensoriais, altamente desenvolvidos. Ótima percepção visual, olfativa, auditiva...
  • 19. Por que artrópodes são tão bem sucedidos? 5. Padrões comportamentais complexos. 6. Limitação da competição intraespecífica através da metamorfose. Cuidado parental em escorpiões. Comum em aracnídeos. Ninfas e adultos de um heteróptero. Larva Nauplio e camarão.
  • 20. Filo Arthropoda - Classificação • Subfilo CHELICERATA (mandibulados aquáticos) – Classe Crustacea • Subfilo UNIRAMIA (mandibulados terrestres) – Classes Chilopoda, Diplopoda, Pauropoda, Symphyla, Insecta. • Subfilo TRILOBITA. • Subfilo CHELICERATA – Classes Pycnogonida, Merostomata, Arachnida. =Myriapoda