SlideShare uma empresa Scribd logo
Maio 2009
25 a 35% dos jovens interpretam a violência como uma  manifesta ç ão  de amor Estudo de 2002 (Portugal):Uma percentagem significativa de estudantes universit á rios adoptava condutas violentas nas suas rela ç ões  í ntimas 25,4% dos jovens entre os 13 e os 29 anos revelaram ter sido v í timas de pelo menos um acto violento no  ú ltimo ano 33% das raparigas não consideram que dentro de uma rela ç ão de namoro exista abuso sexual (MACHADO,Carla,MATOS,Marlene e MARTINS, Carla Equipa da Universidade do Minho) VIOLÊNCIA NO NAMORO
21,7% de estudantes admitem j á  ter adoptado comportamentos violentos com os seus parceiros  35% dos rapazes mostram-se de acordo com as atitudes violentas que justificam, negam ou minimizam 23% dos rapazes consideram as raparigas como inferiores  (MACHADO,Carla,MATOS,Marlene e MARTINS, Carla Equipa da Universidade do Minho)
MITOS E REALIDADES O Mito do “Príncipe Encantado” A ideia do “amor romântico”pode levar-nos a não nos apercebermos do que se está a passar de errado na nossa relação Focamo-nos apenas nos aspectos positivos, desvalorizando as atitudes/comportamentos negativos  O “príncipe encantado” pode levar-nos a acreditar que qualquer sacrifício deverá ser feito em nome do amor, inclusive ser maltratada.
É ciumento porque me ama  os ciúmes servem de desculpa para controlar a outra pessoa, mas muitas vezes são interpretados como provas de amor Nada justifica a violência As relações saudáveis implicam confiança Os ciúmes não são uma prova de amor
Entre marido e mulher ninguém mete a colher violência nas relações entre namorados ou entre pessoas casadas é um problema social e um crime público, que afecta não só as pessoas directamente envolvidas, mas toda a sociedade, pelas consequências que envolve.  Todos devemos denunciar situações de violência
A violência tende a terminar se nos casarmos ou vivermos juntos   se uma pessoa é violenta durante a relação de namoro, isso pode significar que acha “normal” esse tipo de comportamento numa relação a dois e , muito provavelmente irá ter o mesmo tipo de reacções no futuro e/ou em futuros relacionamentos A violência só acontece em meios sociais desfavorecidos   a violência nas relações de intimidade ocorre em todos os meios sociais e culturais. Acontece a jovens, a pessoas mais velhas, casadas, ou entre namorados e pessoas divorciadas/separadas “ Quanto mais me bates, mais gosto de ti” a violência numa relação de intimidade causa intenso sofrimento físico e psicológico, tendo um impacto muito negativo no bem estar e na saúde da vítima. As agressões não devem nunca ser entendidas como provas de que se o outro “se preocupa comigo”ou que “me dá atenção!”
Há raparigas que provocam os namorados, não admira que eles se descontrolem   nenhum/a namorado/a tem o direito de agredir o outro /a quando o/a própria ou a outra pessoa discorda de alguma coisa, de alguma opinião ou de alguma opinião ou de algum comportamento Ele/a só é violento/a quando bebe álcool em excesso ou consome drogas  o consumo excessivo de álcool e/ou drogas serve apenas como argumento do/a agressor/a para desculpar o seu comportamento e para não se responsabilizar pelo mesmo. Os consumos podem facilitar a violência, mas apenas em quem já manifesta tendência para ser violento  Os rapazes nunca são vítimas de violência   vários estudos sobre esta temática apontam que os rapazes também podem ser vítimas de violências física, emocional e/ou sexual
Não existe violência sexual no namoro  a violência sexual  inclui não só violação e/ou tentativa de violação, mas também beijos, apalpões e outro contacto de tipo sexual não desejado.  Uma bofetada ou um insulto não são violência qualquer acto de agressão, é violência; o mesmo sucede com a violência emocional . Mesmo as formas aparentemente “menores” de violência podem ter consequências muito negativas Quando se gosta realmente de alguém deve fazer-se tudo o que essa pessoa quer   num casal saudável pode dizer-se “não”, ter opiniões, ter outros amigos e interesses diferentes É melhor estar numa relação violenta que estar sozinho/a  entre os adolescentes e jovens existe muita pressão para se “ter namorado(a)”. Sujeitar-se a uma relação violenta e tentar mantê-la para não se sentir só ou mostrar que também temos namorado é anular-se a si próprio.
SINAIS DE ABUSO QUE NÃO DEVEM SER IGNORADOS OU MINIMIZADOS O abuso psicológico é o tipo de violência mais frequente nas relações de namoro Humilhar; insultar; controlar o uso do telemóvel; impedir a relação com amigos/as; insinuar que a/o namorada/o se veste de forma provocatória
Para obter ajuda confidencial Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica 800 202 148
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Violência doméstica
Violência domésticaViolência doméstica
Violência doméstica
Carolina Serra
 
Violência no namoro
Violência no namoroViolência no namoro
Violência no namoro
inesaalexandra
 
Bullying
 Bullying Bullying
Bullying
AnaGomes40
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
lana barreto
 
Psicologia 12º
Psicologia 12ºPsicologia 12º
Psicologia 12º
Joana Filipa Rodrigues
 
Violencia domestica
Violencia domesticaViolencia domestica
Violencia domestica
julia-maria
 
Grupos sociais
Grupos sociaisGrupos sociais
Grupos sociais
mikto
 
Palestra - Violência no Namoro
Palestra - Violência no NamoroPalestra - Violência no Namoro
Palestra - Violência no Namoro
guest18a5ad
 
Violencia no namoro
Violencia no namoro   Violencia no namoro
Violencia no namoro
Diana Cancela
 
Diversos tipos de violência
Diversos tipos de violênciaDiversos tipos de violência
Diversos tipos de violência
lucia_nunes
 
Igualdade de género
Igualdade de géneroIgualdade de género
Igualdade de género
200166754
 
O conformismo
O conformismoO conformismo
Família- Sociologia 12ºAno
Família- Sociologia 12ºAnoFamília- Sociologia 12ºAno
Família- Sociologia 12ºAno
turma12d
 
Violencia Doméstica
Violencia DomésticaViolencia Doméstica
Violencia Doméstica
AP6Dmundao
 
Tipos de Violência
 Tipos de Violência Tipos de Violência
Tipos de Violência
David Costa DC
 
Violência entre namorados
Violência entre namoradosViolência entre namorados
Violência entre namorados
JoMeLe
 
A obediência
A obediênciaA obediência
A obediência
Luis De Sousa Rodrigues
 
Violência doméstica
Violência domésticaViolência doméstica
Violência doméstica
Liliane França
 
Influencia social
Influencia socialInfluencia social
Influencia social
Silvia Revez
 

Mais procurados (20)

Violência doméstica
Violência doméstica   Violência doméstica
Violência doméstica
 
Violência doméstica
Violência domésticaViolência doméstica
Violência doméstica
 
Violência no namoro
Violência no namoroViolência no namoro
Violência no namoro
 
Bullying
 Bullying Bullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Psicologia 12º
Psicologia 12ºPsicologia 12º
Psicologia 12º
 
Violencia domestica
Violencia domesticaViolencia domestica
Violencia domestica
 
Grupos sociais
Grupos sociaisGrupos sociais
Grupos sociais
 
Palestra - Violência no Namoro
Palestra - Violência no NamoroPalestra - Violência no Namoro
Palestra - Violência no Namoro
 
Violencia no namoro
Violencia no namoro   Violencia no namoro
Violencia no namoro
 
Diversos tipos de violência
Diversos tipos de violênciaDiversos tipos de violência
Diversos tipos de violência
 
Igualdade de género
Igualdade de géneroIgualdade de género
Igualdade de género
 
O conformismo
O conformismoO conformismo
O conformismo
 
Família- Sociologia 12ºAno
Família- Sociologia 12ºAnoFamília- Sociologia 12ºAno
Família- Sociologia 12ºAno
 
Violencia Doméstica
Violencia DomésticaViolencia Doméstica
Violencia Doméstica
 
Tipos de Violência
 Tipos de Violência Tipos de Violência
Tipos de Violência
 
Violência entre namorados
Violência entre namoradosViolência entre namorados
Violência entre namorados
 
A obediência
A obediênciaA obediência
A obediência
 
Violência doméstica
Violência domésticaViolência doméstica
Violência doméstica
 
Influencia social
Influencia socialInfluencia social
Influencia social
 

Semelhante a Violência namoro

Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
ap8dgrp4
 
RELACIONAMENTOS ABUSIVOS
RELACIONAMENTOS ABUSIVOSRELACIONAMENTOS ABUSIVOS
RELACIONAMENTOS ABUSIVOS
Karina Cunha
 
Violencia domestica
Violencia domesticaViolencia domestica
Violencia domestica
sapococasdgebu
 
Agressão no namoro
Agressão no namoroAgressão no namoro
Agressão no namoro
complementoindirecto
 
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
becastanheiradepera
 
Catarina cruz -_power_point_brutal
Catarina cruz -_power_point_brutalCatarina cruz -_power_point_brutal
Catarina cruz -_power_point_brutal
guest4f2f68
 
Trabalho de geografia parte 1 violencia domestica
Trabalho de geografia parte 1 violencia domesticaTrabalho de geografia parte 1 violencia domestica
Trabalho de geografia parte 1 violencia domestica
Felipe Feliciano
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Luane66
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Luane66
 
Word 9 b_4
Word 9 b_4Word 9 b_4
Word 9 b_4
pedrofranciscotic
 
Aula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptxAula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptx
rosemendes2001hotmai
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
Jornal do Commercio
 
Violência e Alcoolismo na Sociedade
Violência e Alcoolismo na SociedadeViolência e Alcoolismo na Sociedade
Violência e Alcoolismo na Sociedade
Douglas Lima
 
Palestra vbg liceu
Palestra vbg liceuPalestra vbg liceu
Palestra vbg liceu
psicologiasantacruz
 
Violencia no namoro
Violencia no namoroViolencia no namoro
Violencia no namoro
sapococasdgebu
 
Violência no Namoro
Violência no NamoroViolência no Namoro
Violência no Namoro
Associação Casa Estrela do Mar
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
Maureen Coité
 
Violência conjugal - formação
Violência conjugal - formaçãoViolência conjugal - formação
Violência conjugal - formação
Helena Rocha
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
IpdaWellington
 
Doc 154
Doc 154Doc 154
Doc 154
ACECTALCT
 

Semelhante a Violência namoro (20)

Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
RELACIONAMENTOS ABUSIVOS
RELACIONAMENTOS ABUSIVOSRELACIONAMENTOS ABUSIVOS
RELACIONAMENTOS ABUSIVOS
 
Violencia domestica
Violencia domesticaViolencia domestica
Violencia domestica
 
Agressão no namoro
Agressão no namoroAgressão no namoro
Agressão no namoro
 
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
Violncianonamoro 120322111805-phpapp02
 
Catarina cruz -_power_point_brutal
Catarina cruz -_power_point_brutalCatarina cruz -_power_point_brutal
Catarina cruz -_power_point_brutal
 
Trabalho de geografia parte 1 violencia domestica
Trabalho de geografia parte 1 violencia domesticaTrabalho de geografia parte 1 violencia domestica
Trabalho de geografia parte 1 violencia domestica
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Word 9 b_4
Word 9 b_4Word 9 b_4
Word 9 b_4
 
Aula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptxAula violencia contra a mulher.pptx
Aula violencia contra a mulher.pptx
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
 
Violência e Alcoolismo na Sociedade
Violência e Alcoolismo na SociedadeViolência e Alcoolismo na Sociedade
Violência e Alcoolismo na Sociedade
 
Palestra vbg liceu
Palestra vbg liceuPalestra vbg liceu
Palestra vbg liceu
 
Violencia no namoro
Violencia no namoroViolencia no namoro
Violencia no namoro
 
Violência no Namoro
Violência no NamoroViolência no Namoro
Violência no Namoro
 
Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0Cartilha violencia domestica_alt_0
Cartilha violencia domestica_alt_0
 
Violência conjugal - formação
Violência conjugal - formaçãoViolência conjugal - formação
Violência conjugal - formação
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Doc 154
Doc 154Doc 154
Doc 154
 

Mais de Educação para a Saúde

Orientações para 2011/12
Orientações para 2011/12Orientações para 2011/12
Orientações para 2011/12
Educação para a Saúde
 
Ep s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeomsEp s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeoms
Educação para a Saúde
 
Edu sexual um_desafio
Edu sexual um_desafioEdu sexual um_desafio
Edu sexual um_desafio
Educação para a Saúde
 
Edu sexual legislação
Edu sexual legislaçãoEdu sexual legislação
Edu sexual legislação
Educação para a Saúde
 
Edu sexual estratégias
Edu sexual estratégiasEdu sexual estratégias
Edu sexual estratégias
Educação para a Saúde
 
Edu sexual anos
Edu sexual anosEdu sexual anos
Edu sexual anos
Educação para a Saúde
 
Descobrir a Educação Sexual
Descobrir a Educação SexualDescobrir a Educação Sexual
Descobrir a Educação Sexual
Educação para a Saúde
 
Ist 02
Ist 02Ist 02
Ist 01
Ist 01Ist 01
Ep s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeomsEp s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeoms
Educação para a Saúde
 
Estágio comp.risco 08_09
Estágio comp.risco 08_09Estágio comp.risco 08_09
Estágio comp.risco 08_09
Educação para a Saúde
 
Ep s orgasmo
Ep s orgasmoEp s orgasmo
Diabetes
DiabetesDiabetes
Formação teste
Formação testeFormação teste
Formação teste
Educação para a Saúde
 

Mais de Educação para a Saúde (14)

Orientações para 2011/12
Orientações para 2011/12Orientações para 2011/12
Orientações para 2011/12
 
Ep s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeomsEp s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeoms
 
Edu sexual um_desafio
Edu sexual um_desafioEdu sexual um_desafio
Edu sexual um_desafio
 
Edu sexual legislação
Edu sexual legislaçãoEdu sexual legislação
Edu sexual legislação
 
Edu sexual estratégias
Edu sexual estratégiasEdu sexual estratégias
Edu sexual estratégias
 
Edu sexual anos
Edu sexual anosEdu sexual anos
Edu sexual anos
 
Descobrir a Educação Sexual
Descobrir a Educação SexualDescobrir a Educação Sexual
Descobrir a Educação Sexual
 
Ist 02
Ist 02Ist 02
Ist 02
 
Ist 01
Ist 01Ist 01
Ist 01
 
Ep s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeomsEp s sexualidadeoms
Ep s sexualidadeoms
 
Estágio comp.risco 08_09
Estágio comp.risco 08_09Estágio comp.risco 08_09
Estágio comp.risco 08_09
 
Ep s orgasmo
Ep s orgasmoEp s orgasmo
Ep s orgasmo
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 
Formação teste
Formação testeFormação teste
Formação teste
 

Último

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Violência namoro

  • 2. 25 a 35% dos jovens interpretam a violência como uma manifesta ç ão de amor Estudo de 2002 (Portugal):Uma percentagem significativa de estudantes universit á rios adoptava condutas violentas nas suas rela ç ões í ntimas 25,4% dos jovens entre os 13 e os 29 anos revelaram ter sido v í timas de pelo menos um acto violento no ú ltimo ano 33% das raparigas não consideram que dentro de uma rela ç ão de namoro exista abuso sexual (MACHADO,Carla,MATOS,Marlene e MARTINS, Carla Equipa da Universidade do Minho) VIOLÊNCIA NO NAMORO
  • 3. 21,7% de estudantes admitem j á ter adoptado comportamentos violentos com os seus parceiros 35% dos rapazes mostram-se de acordo com as atitudes violentas que justificam, negam ou minimizam 23% dos rapazes consideram as raparigas como inferiores (MACHADO,Carla,MATOS,Marlene e MARTINS, Carla Equipa da Universidade do Minho)
  • 4. MITOS E REALIDADES O Mito do “Príncipe Encantado” A ideia do “amor romântico”pode levar-nos a não nos apercebermos do que se está a passar de errado na nossa relação Focamo-nos apenas nos aspectos positivos, desvalorizando as atitudes/comportamentos negativos O “príncipe encantado” pode levar-nos a acreditar que qualquer sacrifício deverá ser feito em nome do amor, inclusive ser maltratada.
  • 5. É ciumento porque me ama os ciúmes servem de desculpa para controlar a outra pessoa, mas muitas vezes são interpretados como provas de amor Nada justifica a violência As relações saudáveis implicam confiança Os ciúmes não são uma prova de amor
  • 6. Entre marido e mulher ninguém mete a colher violência nas relações entre namorados ou entre pessoas casadas é um problema social e um crime público, que afecta não só as pessoas directamente envolvidas, mas toda a sociedade, pelas consequências que envolve. Todos devemos denunciar situações de violência
  • 7. A violência tende a terminar se nos casarmos ou vivermos juntos se uma pessoa é violenta durante a relação de namoro, isso pode significar que acha “normal” esse tipo de comportamento numa relação a dois e , muito provavelmente irá ter o mesmo tipo de reacções no futuro e/ou em futuros relacionamentos A violência só acontece em meios sociais desfavorecidos a violência nas relações de intimidade ocorre em todos os meios sociais e culturais. Acontece a jovens, a pessoas mais velhas, casadas, ou entre namorados e pessoas divorciadas/separadas “ Quanto mais me bates, mais gosto de ti” a violência numa relação de intimidade causa intenso sofrimento físico e psicológico, tendo um impacto muito negativo no bem estar e na saúde da vítima. As agressões não devem nunca ser entendidas como provas de que se o outro “se preocupa comigo”ou que “me dá atenção!”
  • 8. Há raparigas que provocam os namorados, não admira que eles se descontrolem nenhum/a namorado/a tem o direito de agredir o outro /a quando o/a própria ou a outra pessoa discorda de alguma coisa, de alguma opinião ou de alguma opinião ou de algum comportamento Ele/a só é violento/a quando bebe álcool em excesso ou consome drogas o consumo excessivo de álcool e/ou drogas serve apenas como argumento do/a agressor/a para desculpar o seu comportamento e para não se responsabilizar pelo mesmo. Os consumos podem facilitar a violência, mas apenas em quem já manifesta tendência para ser violento Os rapazes nunca são vítimas de violência vários estudos sobre esta temática apontam que os rapazes também podem ser vítimas de violências física, emocional e/ou sexual
  • 9. Não existe violência sexual no namoro a violência sexual inclui não só violação e/ou tentativa de violação, mas também beijos, apalpões e outro contacto de tipo sexual não desejado. Uma bofetada ou um insulto não são violência qualquer acto de agressão, é violência; o mesmo sucede com a violência emocional . Mesmo as formas aparentemente “menores” de violência podem ter consequências muito negativas Quando se gosta realmente de alguém deve fazer-se tudo o que essa pessoa quer num casal saudável pode dizer-se “não”, ter opiniões, ter outros amigos e interesses diferentes É melhor estar numa relação violenta que estar sozinho/a entre os adolescentes e jovens existe muita pressão para se “ter namorado(a)”. Sujeitar-se a uma relação violenta e tentar mantê-la para não se sentir só ou mostrar que também temos namorado é anular-se a si próprio.
  • 10. SINAIS DE ABUSO QUE NÃO DEVEM SER IGNORADOS OU MINIMIZADOS O abuso psicológico é o tipo de violência mais frequente nas relações de namoro Humilhar; insultar; controlar o uso do telemóvel; impedir a relação com amigos/as; insinuar que a/o namorada/o se veste de forma provocatória
  • 11. Para obter ajuda confidencial Serviço de Informação a Vítimas de Violência Doméstica 800 202 148
  • 12.