SlideShare uma empresa Scribd logo
Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB
Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB
Atenção Básica
em rede, acessível,
resolutiva e cuidadora
Uma definiçãoão para a Atenção Básica
• A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito
individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a
prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a reduçãão
de danos e a manutenção da saúde com o objetivo de desenvolver uma
atenção integral que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e
nos determinantes e condicionantes de saúde das coletividades. (PNAB, 2011)
• Funções nas redes: porta de entrada preferencial, base/ordenadora,
coordenadora do cuidado;
• Redes (base regional, diferentes serviços, fluxos e processos vivos);
• Infraestrutura;
• Acesso, Modos/Ofertas de cuidado e resolutividade;
• Gestão e Regulação do Trabalho;
• Financiamento;
• Legitimidade Social;
Atenção Básica real: elementos estratégicos
A Atenção Básica diante de algumas condições
• Envelhecimento e condições crônicas*;
• Saúde Mental;
• Dores osteomusculares;
Qual o nosso repertório de ferramentas/abordagens nessas
condições?
Quais os efeitos das nossas práticas de cuidado?
Além da relevância epidemiológica, em que medida poderiam ser
marcadores da efetividade da atenção básica?
• Aguda vs Crônica;
• Diversidade das condições crônicas;
• Doença vs Sofrimento ; Doença vs Pessoa (múltiplas dimensões);
• Cura vs Manejo compartilhado;
• Incidência sobre múltiplas dimensões existenciais;
• Autonomia e mais vida/melhor viver;
• Gestão do Cuidado (motivações, elementos-chave, riscos);
Pensando no processo saúde-doença-cuidado
• Equipes de Referência;
• Projetos terapêuticos singulares;
• Diretrizes e protocolos de atenção;
• Prontuário eletrônico;
• Matriciamento/Suporte;
• Regulação a partir da atenção básica: Microrregulação Clínica,
Estratificação de Risco e Gestão de Listas de Espera;
8
Alguns dispositivos de Gestão do Cuidado
Eixos para
uma atenção básica resolutiva
• Disponibilizar e incentivar a pactuação e uso de protocolos clínicos;
• Incentivar ações de educação permanente, de apoio à gestão da clínica e
de desenvolvimento de competências clínicas;
• Enfatizar dimensões chave para o aumento da resolutividade no PMAQ,
bem como novos indicadores do E-SUS /SISAB;
• Estímulo e indução à solicitação de teleconsultoria como dispositivo de
qualificação do encaminhamento às especialidades;
• Arranjos de equipes para torná-las mais resolutivas ;
Estratégias para ampliar
a capacidade clínica e e cuidado das equipes da Atenção Básica
• Disponibilizar e incentivar a pactuação e uso de protocolos de
encaminhamento;
• Induzir e valorizar a vinculação (regionalização) e ações de matriciamento
( presencial e à distância) entre equipes da atenção básica e especialistas;
• Indução e incentivo à articulação das centrais de regulação com os núcleos de
telessaúde (reforço da nova portaria de custeio dos núcleos de telessaúde);
• Incorporar funcionalidades de regulação pela AB e integração entre E-SUS,
SISREG e Plataforma de Telessaúde ;
• A partir do e-SUS, ofertar base para prontuário eletrônico integrado em rede ;
a capacidade de coordenação do cuidado, de (micro)regulação do acesso
desde a AB e de integração na rede
Estratégias para ampliar
Protocolos de Encaminhamento
• Serão publicados protocolos para agravos frequentes nas seguintes Especialidades:
• Endocrinologia Adulto – vol. I
• Nefrologia – vol. I
• Cardiologia
• Oftalmologia
• Pneumologia
• Ginecologia
• Otorrinolaringologia
• Urologia
• Neurologia
• Dermatologia
• Genética
• Gastroenterologia
• Reumatologia e Ortopedia
• Hematologia
Oferta de protocolos para Equipes de AB, Núcleos de Telessaúde e Centrais de Regulação
•Pronto-
Publicações
• Incentivo para ampliação da coleta descentralizada de exames nas UBS;
• Incentivo à implantação de ECG na AB com suporte de telediagnóstico;
• Ampliação da disponibilidade de ferramentas de triagem visual ;
• Revisão dos combos de equipamentos (incluindo equipamentos para
atividades de reabilitação pelo NASF), reforço na indução das emendas
parlamentares;
• Ampliar o número de UBS contempladas no Plano Nacional de Banda Larga;
Estratégias para ampliara incorporação de tecnologias duras na AB
A gestão para a melhoria da resolutividade
• Regularidades e heterogeneidades entre municípios;
• O PMAQ como um dispositivo;
• Cooperação e Apoio;
• O financiamento (alcances, limites e estratégias);
• Um cuidado: não redução da ATB à clínica individual;
Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento Regional Integrado
Planejamento Regional IntegradoPlanejamento Regional Integrado
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações BásicasPrograma Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
comunidadedepraticas
 
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo BarrosAções prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - BrasilRede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do msOrientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
comunidadedepraticas
 
Brasília Saudável
Brasília SaudávelBrasília Saudável
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge ZepedaProduzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
comunidadedepraticas
 
PlanificaSUS
PlanificaSUSPlanificaSUS
Qualifica SUS - DF / Brasília Saudável
Qualifica SUS - DF / Brasília SaudávelQualifica SUS - DF / Brasília Saudável
Qualifica SUS - DF / Brasília Saudável
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Projeto linhas de cuidado
Projeto linhas de cuidadoProjeto linhas de cuidado
Projeto linhas de cuidado
Lucas Matos
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
comunidadedepraticas
 
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
COLUFRAS
 
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
Luiz Fernandes
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Atenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no ParanáAtenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no Paraná
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZAA ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 

Mais procurados (20)

Planejamento Regional Integrado
Planejamento Regional IntegradoPlanejamento Regional Integrado
Planejamento Regional Integrado
 
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações BásicasPrograma Academia da Saúde - Informações Básicas
Programa Academia da Saúde - Informações Básicas
 
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo BarrosAções prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
Ações prioritárias para a saúde brasileira - Ministro Ricardo Barros
 
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - BrasilRede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
 
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do msOrientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
Orientações para cadastro das PICs nos sistemas de informação do ms
 
Brasília Saudável
Brasília SaudávelBrasília Saudável
Brasília Saudável
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014
 
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge ZepedaProduzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
Produzindo movimentos locais na relação com o PMAQ - Jorge Zepeda
 
PlanificaSUS
PlanificaSUSPlanificaSUS
PlanificaSUS
 
Qualifica SUS - DF / Brasília Saudável
Qualifica SUS - DF / Brasília SaudávelQualifica SUS - DF / Brasília Saudável
Qualifica SUS - DF / Brasília Saudável
 
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
Experiência de organização da Atenção Ambulatorial Especializada em Santo Ant...
 
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
7ª ASSEMBLEIA – APRIMORAMENTO DA PNAB
 
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
Implantação da Linha de Cuidado integral a Saúde da Pessoa em Situação e Viol...
 
Projeto linhas de cuidado
Projeto linhas de cuidadoProjeto linhas de cuidado
Projeto linhas de cuidado
 
Cadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUSCadastramento e-SUS
Cadastramento e-SUS
 
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
As Unidades de Saúde Familiar (USF) : organização, funcionamento e modelos de...
 
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
Pmaq manual-instrutivo-[165-040412-ses-mt]
 
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
CONASS Debate – Uma Agenda de Eiciência para o SUS – Proposta de Planificação...
 
Atenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no ParanáAtenção Especializada no Paraná
Atenção Especializada no Paraná
 
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZAA ORGANIZAÇÃO  DA  ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE:  A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
A ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE FORTALEZA
 

Destaque

1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
bibliotecasaude
 
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
Ministério da Saúde
 
2644
26442644
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
Ministério da Saúde
 
Brasil sorridente
Brasil sorridenteBrasil sorridente
Brasil sorridente
matheusfeitoza
 
Atenção Básica: Brasil e Mundo
Atenção Básica: Brasil e MundoAtenção Básica: Brasil e Mundo
Atenção Básica: Brasil e Mundo
Rondinelli Salvador Silva
 
Intersetorialidade
IntersetorialidadeIntersetorialidade
Intersetorialidade
Arisson Rocha da Rosa
 
Stf Odonto
Stf OdontoStf Odonto
Stf Odonto
fernandoortiz
 
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de NebulizaçõesO uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
FalaGalera
 
Medicação ev 2015 ligia
Medicação ev 2015 ligiaMedicação ev 2015 ligia
Medicação ev 2015 ligia
Silvano Abutres
 
2semiotica
2semiotica2semiotica
2semiotica
Tatiana Fernández
 
Fluxograma manchester
Fluxograma manchesterFluxograma manchester
Fluxograma manchester
Rodrigo Buonincontro
 
Sonda nasogastrica
Sonda nasogastricaSonda nasogastrica
Sonda nasogastrica
Valesita Rodriguez
 
Sonda nasogastrica
Sonda nasogastricaSonda nasogastrica
Sonda nasogastrica
Heydy Caroll
 
Como dar um banho no leito
Como dar um banho no leitoComo dar um banho no leito
Como dar um banho no leito
natalineller
 
Estação (higiene respiratória aspiraçâo) turma b
Estação (higiene respiratória   aspiraçâo) turma bEstação (higiene respiratória   aspiraçâo) turma b
Estação (higiene respiratória aspiraçâo) turma b
cuidadoaoadulto
 
Classificação de risco
Classificação de riscoClassificação de risco
Classificação de risco
Cristiane Dias
 
Transformação de soros
Transformação de sorosTransformação de soros
Transformação de soros
Melisse Barbosa
 
Oxigenioterapia
OxigenioterapiaOxigenioterapia

Destaque (20)

1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
1858-L - Cadernos de atenção básica nº 17 - Saúde bucal
 
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
Brasil Sorridente completa 10 anos com mais de 23 mil equipes atuando em 4.97...
 
2644
26442644
2644
 
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
Brasil Sorridente ultrapassa mil unidades e amplia atendimento especializado ...
 
Brasil sorridente
Brasil sorridenteBrasil sorridente
Brasil sorridente
 
Atenção Básica: Brasil e Mundo
Atenção Básica: Brasil e MundoAtenção Básica: Brasil e Mundo
Atenção Básica: Brasil e Mundo
 
Intersetorialidade
IntersetorialidadeIntersetorialidade
Intersetorialidade
 
Stf Odonto
Stf OdontoStf Odonto
Stf Odonto
 
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de NebulizaçõesO uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
 
Medicação ev 2015 ligia
Medicação ev 2015 ligiaMedicação ev 2015 ligia
Medicação ev 2015 ligia
 
2semiotica
2semiotica2semiotica
2semiotica
 
Fluxograma manchester
Fluxograma manchesterFluxograma manchester
Fluxograma manchester
 
Sonda nasogastrica
Sonda nasogastricaSonda nasogastrica
Sonda nasogastrica
 
Sonda nasogastrica
Sonda nasogastricaSonda nasogastrica
Sonda nasogastrica
 
Como dar um banho no leito
Como dar um banho no leitoComo dar um banho no leito
Como dar um banho no leito
 
Estação (higiene respiratória aspiraçâo) turma b
Estação (higiene respiratória   aspiraçâo) turma bEstação (higiene respiratória   aspiraçâo) turma b
Estação (higiene respiratória aspiraçâo) turma b
 
Classificação de risco
Classificação de riscoClassificação de risco
Classificação de risco
 
Transformação de soros
Transformação de sorosTransformação de soros
Transformação de soros
 
Oxigenioterapia
OxigenioterapiaOxigenioterapia
Oxigenioterapia
 

Semelhante a Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB

2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
CNseg
 
Redesatencao
RedesatencaoRedesatencao
Redesatencao
Marcos Nery
 
Gestão populacional
Gestão populacionalGestão populacional
Gestão populacional
VZ Associados Consultoria em Saude
 
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCESATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
PolyannaMartins1
 
Regulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine GianottiRegulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine Gianotti
Oncoguia
 
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUSFGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptxAULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
Antonio Elielton
 
Atencao basica a_saude
Atencao basica a_saudeAtencao basica a_saude
Atencao basica a_saude
Isabela Moura
 
Políticas da atenção básica redes aula 2015
Políticas da atenção básica redes aula 2015 Políticas da atenção básica redes aula 2015
Políticas da atenção básica redes aula 2015
Jamessonjr Leite Junior
 
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
Portal da Inovação em Saúde
 
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
EloisaMariaAlvesLope
 
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdfEspecialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
MarcellaBetat2
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptx
Milena Ramos
 
Proposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
Proposta para a Atenção Especializada em Minas GeraisProposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
Proposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del PacienteCultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cmp Consejo Nacional
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Wladimir Crippa
 
Apresentação maria do carmo ministério saúde
Apresentação maria do carmo   ministério saúdeApresentação maria do carmo   ministério saúde
Apresentação maria do carmo ministério saúde
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
Francisco Cardona
 
Res fenasaude
Res  fenasaudeRes  fenasaude
Res fenasaude
Jussara Rötzsch
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.ppt
Alice Costa
 

Semelhante a Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB (20)

2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
2º Fórum da Saúde Suplementar - Antonio Lira
 
Redesatencao
RedesatencaoRedesatencao
Redesatencao
 
Gestão populacional
Gestão populacionalGestão populacional
Gestão populacional
 
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCESATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE.pdf E SUAS NUANCES
 
Regulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine GianottiRegulação - Elaine Gianotti
Regulação - Elaine Gianotti
 
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUSFGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
FGV / IBRE – Regulação e Integração da Rede de Atendimento ao SUS
 
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptxAULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
AULA - VIGILÂNCIA EM SAÚDE.pptx
 
Atencao basica a_saude
Atencao basica a_saudeAtencao basica a_saude
Atencao basica a_saude
 
Políticas da atenção básica redes aula 2015
Políticas da atenção básica redes aula 2015 Políticas da atenção básica redes aula 2015
Políticas da atenção básica redes aula 2015
 
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
Balanço da Emergência de Saúde Pública: avanços e desafios atuais para a vigi...
 
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
27154604-oficina-ampliacao-do-acesso-na-aps-e-programa-saude-na-hora.ppt
 
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdfEspecialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
Especialização em Gestão em Enfermagem e Saúde avalia-a-e-controle-aula-3.pdf
 
TEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptxTEORIAS DE ENF.pptx
TEORIAS DE ENF.pptx
 
Proposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
Proposta para a Atenção Especializada em Minas GeraisProposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
Proposta para a Atenção Especializada em Minas Gerais
 
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del PacienteCultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del Paciente
 
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoBSeminário da saúde  mandato ver Ricardo PCdoB
Seminário da saúde mandato ver Ricardo PCdoB
 
Apresentação maria do carmo ministério saúde
Apresentação maria do carmo   ministério saúdeApresentação maria do carmo   ministério saúde
Apresentação maria do carmo ministério saúde
 
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
2011 06 15_rui santana_n - proposta de modelo de acompanhamento de uls
 
Res fenasaude
Res  fenasaudeRes  fenasaude
Res fenasaude
 
Regiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.pptRegiao_OESTE_I.ppt
Regiao_OESTE_I.ppt
 

Mais de comunidadedepraticas

Tutorial InovaSUS
Tutorial  InovaSUSTutorial  InovaSUS
Tutorial InovaSUS
comunidadedepraticas
 
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTCDescrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
comunidadedepraticas
 
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e MentaisConceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
comunidadedepraticas
 
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional ChinesaHistórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
comunidadedepraticas
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
comunidadedepraticas
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
comunidadedepraticas
 
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdPInteração: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratóriasPlantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
comunidadedepraticas
 
Plantas tóxicas
Plantas tóxicasPlantas tóxicas
Plantas tóxicas
comunidadedepraticas
 
Plantas e gravidez
Plantas e gravidezPlantas e gravidez
Plantas e gravidez
comunidadedepraticas
 
Remédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinaisRemédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinais
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhosPlantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pelePlantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
comunidadedepraticas
 
Plantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicasPlantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicas
comunidadedepraticas
 
Introdução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicasIntrodução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicas
comunidadedepraticas
 
Passos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICsPassos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICs
comunidadedepraticas
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
comunidadedepraticas
 
Marco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTCMarco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTC
comunidadedepraticas
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
comunidadedepraticas
 
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTCProcesso de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
comunidadedepraticas
 

Mais de comunidadedepraticas (20)

Tutorial InovaSUS
Tutorial  InovaSUSTutorial  InovaSUS
Tutorial InovaSUS
 
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTCDescrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
Descrição e Características das Práticas Corporais e Mentais da MTC
 
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e MentaisConceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
Conceitos da MTC Aplicados às Práticas Corporais e Mentais
 
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional ChinesaHistórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
Histórico das Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa
 
Diagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTCDiagnóstico em MTC
Diagnóstico em MTC
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
 
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdPInteração: ensinando e aprendendo na CdP
Interação: ensinando e aprendendo na CdP
 
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratóriasPlantas medicinais usadas em infecções respiratórias
Plantas medicinais usadas em infecções respiratórias
 
Plantas tóxicas
Plantas tóxicasPlantas tóxicas
Plantas tóxicas
 
Plantas e gravidez
Plantas e gravidezPlantas e gravidez
Plantas e gravidez
 
Remédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinaisRemédio caseiros com plantas medicinais
Remédio caseiros com plantas medicinais
 
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhosPlantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
Plantas medicinais usadas para o tratamento contra infestação de piolhos
 
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pelePlantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
Plantas medicinais antissépticas e cicatrizantes usadas em doenças de pele
 
Plantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicasPlantas medicinais antidiarréicas
Plantas medicinais antidiarréicas
 
Introdução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicasIntrodução a fitoterapia - informações básicas
Introdução a fitoterapia - informações básicas
 
Passos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICsPassos para Implantação de PICs
Passos para Implantação de PICs
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
 
Marco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTCMarco Histórico Nacional da MTC
Marco Histórico Nacional da MTC
 
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a BiomedicinaMedicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
Medicina Tradicional Chinesa e a Biomedicina
 
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTCProcesso de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
Processo de Saúde e Doença na Acupuntura / MTC
 

Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora - DAB

  • 3. Atenção Básica em rede, acessível, resolutiva e cuidadora
  • 4. Uma definiçãoão para a Atenção Básica • A Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a reduçãão de danos e a manutenção da saúde com o objetivo de desenvolver uma atenção integral que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde das coletividades. (PNAB, 2011) • Funções nas redes: porta de entrada preferencial, base/ordenadora, coordenadora do cuidado; • Redes (base regional, diferentes serviços, fluxos e processos vivos);
  • 5. • Infraestrutura; • Acesso, Modos/Ofertas de cuidado e resolutividade; • Gestão e Regulação do Trabalho; • Financiamento; • Legitimidade Social; Atenção Básica real: elementos estratégicos
  • 6. A Atenção Básica diante de algumas condições • Envelhecimento e condições crônicas*; • Saúde Mental; • Dores osteomusculares; Qual o nosso repertório de ferramentas/abordagens nessas condições? Quais os efeitos das nossas práticas de cuidado? Além da relevância epidemiológica, em que medida poderiam ser marcadores da efetividade da atenção básica?
  • 7. • Aguda vs Crônica; • Diversidade das condições crônicas; • Doença vs Sofrimento ; Doença vs Pessoa (múltiplas dimensões); • Cura vs Manejo compartilhado; • Incidência sobre múltiplas dimensões existenciais; • Autonomia e mais vida/melhor viver; • Gestão do Cuidado (motivações, elementos-chave, riscos); Pensando no processo saúde-doença-cuidado
  • 8. • Equipes de Referência; • Projetos terapêuticos singulares; • Diretrizes e protocolos de atenção; • Prontuário eletrônico; • Matriciamento/Suporte; • Regulação a partir da atenção básica: Microrregulação Clínica, Estratificação de Risco e Gestão de Listas de Espera; 8 Alguns dispositivos de Gestão do Cuidado
  • 9. Eixos para uma atenção básica resolutiva
  • 10. • Disponibilizar e incentivar a pactuação e uso de protocolos clínicos; • Incentivar ações de educação permanente, de apoio à gestão da clínica e de desenvolvimento de competências clínicas; • Enfatizar dimensões chave para o aumento da resolutividade no PMAQ, bem como novos indicadores do E-SUS /SISAB; • Estímulo e indução à solicitação de teleconsultoria como dispositivo de qualificação do encaminhamento às especialidades; • Arranjos de equipes para torná-las mais resolutivas ; Estratégias para ampliar a capacidade clínica e e cuidado das equipes da Atenção Básica
  • 11. • Disponibilizar e incentivar a pactuação e uso de protocolos de encaminhamento; • Induzir e valorizar a vinculação (regionalização) e ações de matriciamento ( presencial e à distância) entre equipes da atenção básica e especialistas; • Indução e incentivo à articulação das centrais de regulação com os núcleos de telessaúde (reforço da nova portaria de custeio dos núcleos de telessaúde); • Incorporar funcionalidades de regulação pela AB e integração entre E-SUS, SISREG e Plataforma de Telessaúde ; • A partir do e-SUS, ofertar base para prontuário eletrônico integrado em rede ; a capacidade de coordenação do cuidado, de (micro)regulação do acesso desde a AB e de integração na rede Estratégias para ampliar
  • 12. Protocolos de Encaminhamento • Serão publicados protocolos para agravos frequentes nas seguintes Especialidades: • Endocrinologia Adulto – vol. I • Nefrologia – vol. I • Cardiologia • Oftalmologia • Pneumologia • Ginecologia • Otorrinolaringologia • Urologia • Neurologia • Dermatologia • Genética • Gastroenterologia • Reumatologia e Ortopedia • Hematologia Oferta de protocolos para Equipes de AB, Núcleos de Telessaúde e Centrais de Regulação •Pronto- Publicações
  • 13. • Incentivo para ampliação da coleta descentralizada de exames nas UBS; • Incentivo à implantação de ECG na AB com suporte de telediagnóstico; • Ampliação da disponibilidade de ferramentas de triagem visual ; • Revisão dos combos de equipamentos (incluindo equipamentos para atividades de reabilitação pelo NASF), reforço na indução das emendas parlamentares; • Ampliar o número de UBS contempladas no Plano Nacional de Banda Larga; Estratégias para ampliara incorporação de tecnologias duras na AB
  • 14. A gestão para a melhoria da resolutividade • Regularidades e heterogeneidades entre municípios; • O PMAQ como um dispositivo; • Cooperação e Apoio; • O financiamento (alcances, limites e estratégias); • Um cuidado: não redução da ATB à clínica individual;