SlideShare uma empresa Scribd logo
DENISE JANKOVIC

Atendimento 24/10/2012
Jacques Le Goff – O apogeu da cidade medieval
 Apogeu –
 Significado: s.m. O mais alto grau ou ponto de elevação,
  o auge.

   De certa forma a palavra apogeu, título do texto do autor,
    faz referência a um aspecto morfológico da cidade
    medieval- a cidade surge no ponto mais alto ( ponto de
    elevação do terreno).
CIDADE
   a cidade é considerada como uma força espacial
    que impulsiona o avanço da sociedade e a
    liberação dos seus vínculos com a tradição
    (comunidade), assim transformando sociedade em
    sociedade civil (1). 1 O dualismo e a dialética entre comunidade e
    sociedade desenvolvidos na filosofia e sociologia – continentais – são formadores
    desta definição. Ver Toennies 1991; Weber 1981; Lefébvre, 1972, 1975.


   idade como ―máquina civilizadora‖ - Karl Marx, Ferdinand Toennies, Max
    Weber e Henri Lefèbvre.
   A terceira definição se refere à cidade como lugar de
    centralidade cultural. As cidades são cidades porque – e
    quando – elas têm um centro (ou mais centros, por
    exemplo, uma hierarquia de centro principal, subcentros
    e centros de vizinhança). Os centros têm grande
    importância no provimento da forma urbana e de sua
    coerência. Eles tornam as cidades distintas e legíveis.
CIDADE MEDIEVAL
   A ‗cidade medieval‘ era, sobretudo, uma criação de
    comerciantes, mercadores e artesãos, ou melhor, de
    negociantes leigos, isto é, pessoas existencialmente
    dependentes da economia mercantil. (isso é o burgo?)

       as cidades de guildas (corporações) são, apesar de muito
        religiosas, centradas na economia mercantil, a praça do
        mercado se tornou o mais importante símbolo do seu status
        urbano.
SEM PADRÂO
   A cidade perdeu seus traços gerais e se
    individualizou por circunstâncias geográficas, por
    lugares de localização e por novas funções e
    organismos. Devido a isso, não existia um traçado
    igual a outro.
3 TIPOS DE CIDADES
 Cidades herdadas dos      Crescimento associado Postos de Fronteira
       romanos                a um mosteiro ou
                                  castelo
conservaram o sistema     Forma radial a partir de   Cidade traçada para a
retangular de desenho     um centro, onde se         colonização de postos de
das quadras               encontrava a catedral, a   fronteira, caracterizada
                          praça e os principais      por uma clara ordem
Exemplo???                edifícios públicos.        geométrica.




Classificação do Lewis Mumford —sociólogo, historiador e urbanista americano
(1895-1990)
TISSU URBAIN
   PÇA DE MERCADO: Justamente como a ágora, este centro é
    bipolar, combinando uma área sagrada e outra profana.

   Por um lado, encontramos a igreja ou a catedral com a sua
    infraestrutura de empatia e compaixão como mosteiro,
    hospital, asilo para pobres, e cemitério; do outro lado vemos a
    praça do mercado, com a sua infraestrutura pública e civil
    como prefeitura, escola, tribunal, prisão, etc. Comparável com
    a ágora, a praça do mercado era uma instituição total que
    compreendia todas as funções públicas importantes. Mas
    naquele momento, a função mercantil detinha o mais alto
    posto e marcava a posição do centro, incluindo o espaço
    sacro.
LOCALIZAÇÃO DA PRAÇA DO MERCADO
   ponto médio (centro) de um desenho urbano
    concêntrico radial. Apesar de predominantemente
    arqueadas ou curvas (seguindo a situação
    topográfica assim como um ideal estético) todas as
    ruas importantes conduziam diretamente a este
    lugar, tornando-o o mais acessível espaço da
    cidade.
RUAS
   ruas de desenho estreito que pareciam proteger o
    cidadão, tanto do clima como dos intrusos.
CEMITÉRIO
 Ponto de pregação para grande nº de pessoas
 Celebração da Missa de Ramos e missa de Finados

 Ponto de saída de peregrinação e procissão

 Locaal de pronunciamento de sentenças de morte ( ex.:
  Joana D‘arc)

       ―Au Moyen Age, le cimetière était un lieu où l'on se réunissait
        pour des marchés et des foires, pour des spectacles, pour des
        jeux et des divertissements, pour des assemblées de justice
        ou pour conclure des accords. »
― Instituições que pertencem à cidade.
 UNIVERCIDADES‖
           as primeiras universidades surgiram no século 11, na Europa: em
            Bolonha (1088), Paris (1090) e Oxford (1096).
   Instituição europeia medieval, que surgiu acompanhando
    ―o renascimento das cidades, o desenvolvimento das
    corporações de ofícios, o florescimento do comércio, o
    aparecimento do mercador‖ (2), sob a provável influência
    das escolas árabes e das antigas escolas monacais
    europeias e do Oriente próximo. Mas talvez nada disso
    tenha sido tão determinante quanto a intenção de
    controle e influência sobre a sociedade por parte de seus
    instituidores: a realeza e o papado.
       corporação de sábios estudiosos que se destaca da massa
        dos ignorantes. As crenças que se formaram em torno desse
        movimento vão realimentar, tempos depois, a idéia platônico-
        socrática – e autocrática – do governo dos sábios
MURALHA
   ―Nem todas cidades medievais foram cercadas por
    muralhas.‘ Le Goff
Apogeu da cidade medieval
Apogeu da cidade medieval
CONSULTA
   O que é cidade :
    http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitexto
    s/08.085/235

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
Elementos Arquitectura RomâNica
Elementos Arquitectura RomâNicaElementos Arquitectura RomâNica
Elementos Arquitectura RomâNica
Isidro Santos
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Vítor Santos
 
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Lila Donato
 
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
glauci coelho
 
Aula 07 o neoclassico definições
Aula 07   o neoclassico definiçõesAula 07   o neoclassico definições
Aula 07 o neoclassico definições
Raphael Barbosa Rodrigues
 
Cidades islamicas
Cidades islamicasCidades islamicas
Cidades islamicas
Gian Vargas
 
Urbanização da Roma Antiga
Urbanização da Roma AntigaUrbanização da Roma Antiga
Urbanização da Roma Antiga
Fernando Cesar Gouveia
 
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
Lila Donato
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Carlos Vieira
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Carla Freitas
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Carlos Vieira
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Carla Freitas
 
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
Cintia Nogueira de Carvalho
 
02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica
Vítor Santos
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura Renascentista
Susana Simões
 
54405582 aula-06-arquitetura-romana
54405582 aula-06-arquitetura-romana54405582 aula-06-arquitetura-romana
54405582 aula-06-arquitetura-romana
Felix Silva
 
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
Cintia Nogueira de Carvalho
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Carlos Vieira
 
Gótico
GóticoGótico

Mais procurados (20)

Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
Elementos Arquitectura RomâNica
Elementos Arquitectura RomâNicaElementos Arquitectura RomâNica
Elementos Arquitectura RomâNica
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
 
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1
 
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
Aula 9 arte e arquitetura grega [revisado em 040514]
 
Aula 07 o neoclassico definições
Aula 07   o neoclassico definiçõesAula 07   o neoclassico definições
Aula 07 o neoclassico definições
 
Cidades islamicas
Cidades islamicasCidades islamicas
Cidades islamicas
 
Urbanização da Roma Antiga
Urbanização da Roma AntigaUrbanização da Roma Antiga
Urbanização da Roma Antiga
 
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
Urbanismo medieval e renascentista - breves abordagens.
 
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte RomânicaCultura do Mosteiro - Arte Românica
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
 
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
Grécia e roma (Prof. Thays Zenkner)
 
02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica02 arquitetura gótica
02 arquitetura gótica
 
A Arquitetura Renascentista
A Arquitetura RenascentistaA Arquitetura Renascentista
A Arquitetura Renascentista
 
54405582 aula-06-arquitetura-romana
54405582 aula-06-arquitetura-romana54405582 aula-06-arquitetura-romana
54405582 aula-06-arquitetura-romana
 
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
A origem da cidade no oriente próximo - Mesopotâmia e Egito (Prof. Thays Zenk...
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Gótico
GóticoGótico
Gótico
 

Semelhante a Apogeu da cidade medieval

Conceito e categoria de cidade
Conceito e categoria de cidadeConceito e categoria de cidade
Conceito e categoria de cidade
Ludmila da Matta
 
Geo Urb 3.pptx
Geo Urb 3.pptxGeo Urb 3.pptx
Geo Urb 3.pptx
vpcsilva
 
HistóRia Urbana14
HistóRia Urbana14HistóRia Urbana14
HistóRia Urbana14
jpedro
 
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
André Velho Cabral
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
cattonia
 
cidades romanas
cidades romanascidades romanas
cidades romanas
JulioHerysonSilva
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
João Lima
 
Renascimento parte1
Renascimento parte1Renascimento parte1
Renascimento parte1
Carla Teixeira
 
Renascimento científico e cultural - arte e invenções
Renascimento científico e cultural - arte e invençõesRenascimento científico e cultural - arte e invenções
Renascimento científico e cultural - arte e invenções
proflucascariri
 
Fichaculturadopalacio
FichaculturadopalacioFichaculturadopalacio
Fichaculturadopalacio
Associação de Pais C appalmesc
 
Historia das cidades
Historia das cidadesHistoria das cidades
Historia das cidades
Norma de Souza Lopes
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacio
Ana Barreiros
 
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.pptSJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
IdalmaSantos1
 
Renascimento - História
Renascimento - HistóriaRenascimento - História
Renascimento - História
Thepatriciamartins12
 
O Meio Urbano
O Meio UrbanoO Meio Urbano
O Meio Urbano
ProfMario De Mori
 
Arquitetura gotica.pptx
Arquitetura gotica.pptxArquitetura gotica.pptx
Arquitetura gotica.pptx
a15385LeandroFilipeG
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Rúben Soares
 
idade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedadeidade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedade
João Lima
 
A cultura romana 1
A cultura romana 1A cultura romana 1
A cultura romana 1
Susana Simões
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Bruno Marques
 

Semelhante a Apogeu da cidade medieval (20)

Conceito e categoria de cidade
Conceito e categoria de cidadeConceito e categoria de cidade
Conceito e categoria de cidade
 
Geo Urb 3.pptx
Geo Urb 3.pptxGeo Urb 3.pptx
Geo Urb 3.pptx
 
HistóRia Urbana14
HistóRia Urbana14HistóRia Urbana14
HistóRia Urbana14
 
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
As Grandes Cidades da Europa - HCA - módulo 4
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
 
cidades romanas
cidades romanascidades romanas
cidades romanas
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Renascimento parte1
Renascimento parte1Renascimento parte1
Renascimento parte1
 
Renascimento científico e cultural - arte e invenções
Renascimento científico e cultural - arte e invençõesRenascimento científico e cultural - arte e invenções
Renascimento científico e cultural - arte e invenções
 
Fichaculturadopalacio
FichaculturadopalacioFichaculturadopalacio
Fichaculturadopalacio
 
Historia das cidades
Historia das cidadesHistoria das cidades
Historia das cidades
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacio
 
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.pptSJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
SJSXXI - Cap 17 - A questão urbana - Parte I.ppt
 
Renascimento - História
Renascimento - HistóriaRenascimento - História
Renascimento - História
 
O Meio Urbano
O Meio UrbanoO Meio Urbano
O Meio Urbano
 
Arquitetura gotica.pptx
Arquitetura gotica.pptxArquitetura gotica.pptx
Arquitetura gotica.pptx
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
 
idade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedadeidade média - Crescimento ubano e sociedade
idade média - Crescimento ubano e sociedade
 
A cultura romana 1
A cultura romana 1A cultura romana 1
A cultura romana 1
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
 

Mais de De Janks

Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
De Janks
 
Tour eiffel presentation
Tour eiffel presentationTour eiffel presentation
Tour eiffel presentation
De Janks
 
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lillePresentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
De Janks
 
Seminário planurb
Seminário planurbSeminário planurb
Seminário planurb
De Janks
 
Vivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxiVivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxi
De Janks
 
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificadoO andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
De Janks
 
Apresentação cubo maracujá
Apresentação cubo  maracujáApresentação cubo  maracujá
Apresentação cubo maracujá
De Janks
 
Avaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupaçãoAvaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupação
De Janks
 
Aula império 2012
Aula império 2012Aula império 2012
Aula império 2012
De Janks
 
Aula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade médiaAula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade média
De Janks
 
Aula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade médiaAula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade média
De Janks
 
Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)
De Janks
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
De Janks
 
Seminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianasSeminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianas
De Janks
 
Visitaao centro2008
Visitaao centro2008Visitaao centro2008
Visitaao centro2008
De Janks
 
idade média
idade médiaidade média
idade média
De Janks
 
Prédio da reitoria
Prédio da reitoriaPrédio da reitoria
Prédio da reitoria
De Janks
 
Pico do jaraguá
Pico do jaraguáPico do jaraguá
Pico do jaraguá
De Janks
 
Paisagismo propostas campus usp
Paisagismo   propostas campus uspPaisagismo   propostas campus usp
Paisagismo propostas campus usp
De Janks
 
Paisagismo propostas campus usp
Paisagismo   propostas campus uspPaisagismo   propostas campus usp
Paisagismo propostas campus usp
De Janks
 

Mais de De Janks (20)

Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
 
Tour eiffel presentation
Tour eiffel presentationTour eiffel presentation
Tour eiffel presentation
 
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lillePresentation plataform publique - Place de la republique lille
Presentation plataform publique - Place de la republique lille
 
Seminário planurb
Seminário planurbSeminário planurb
Seminário planurb
 
Vivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxiVivienda social en madrid siglo xxi
Vivienda social en madrid siglo xxi
 
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificadoO andar do bêbado – capítulo iv modificado
O andar do bêbado – capítulo iv modificado
 
Apresentação cubo maracujá
Apresentação cubo  maracujáApresentação cubo  maracujá
Apresentação cubo maracujá
 
Avaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupaçãoAvaliação pós ocupação
Avaliação pós ocupação
 
Aula império 2012
Aula império 2012Aula império 2012
Aula império 2012
 
Aula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade médiaAula i media 1 alta idade média
Aula i media 1 alta idade média
 
Aula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade médiaAula i média baixa idade média
Aula i média baixa idade média
 
Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)Gestalt new(fix)
Gestalt new(fix)
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
 
Seminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianasSeminário cidades precolombianas
Seminário cidades precolombianas
 
Visitaao centro2008
Visitaao centro2008Visitaao centro2008
Visitaao centro2008
 
idade média
idade médiaidade média
idade média
 
Prédio da reitoria
Prédio da reitoriaPrédio da reitoria
Prédio da reitoria
 
Pico do jaraguá
Pico do jaraguáPico do jaraguá
Pico do jaraguá
 
Paisagismo propostas campus usp
Paisagismo   propostas campus uspPaisagismo   propostas campus usp
Paisagismo propostas campus usp
 
Paisagismo propostas campus usp
Paisagismo   propostas campus uspPaisagismo   propostas campus usp
Paisagismo propostas campus usp
 

Último

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 

Último (20)

Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 

Apogeu da cidade medieval

  • 1. DENISE JANKOVIC Atendimento 24/10/2012 Jacques Le Goff – O apogeu da cidade medieval
  • 2.  Apogeu –  Significado: s.m. O mais alto grau ou ponto de elevação, o auge.  De certa forma a palavra apogeu, título do texto do autor, faz referência a um aspecto morfológico da cidade medieval- a cidade surge no ponto mais alto ( ponto de elevação do terreno).
  • 3. CIDADE  a cidade é considerada como uma força espacial que impulsiona o avanço da sociedade e a liberação dos seus vínculos com a tradição (comunidade), assim transformando sociedade em sociedade civil (1). 1 O dualismo e a dialética entre comunidade e sociedade desenvolvidos na filosofia e sociologia – continentais – são formadores desta definição. Ver Toennies 1991; Weber 1981; Lefébvre, 1972, 1975.  idade como ―máquina civilizadora‖ - Karl Marx, Ferdinand Toennies, Max Weber e Henri Lefèbvre.
  • 4. A terceira definição se refere à cidade como lugar de centralidade cultural. As cidades são cidades porque – e quando – elas têm um centro (ou mais centros, por exemplo, uma hierarquia de centro principal, subcentros e centros de vizinhança). Os centros têm grande importância no provimento da forma urbana e de sua coerência. Eles tornam as cidades distintas e legíveis.
  • 5. CIDADE MEDIEVAL  A ‗cidade medieval‘ era, sobretudo, uma criação de comerciantes, mercadores e artesãos, ou melhor, de negociantes leigos, isto é, pessoas existencialmente dependentes da economia mercantil. (isso é o burgo?)  as cidades de guildas (corporações) são, apesar de muito religiosas, centradas na economia mercantil, a praça do mercado se tornou o mais importante símbolo do seu status urbano.
  • 6. SEM PADRÂO  A cidade perdeu seus traços gerais e se individualizou por circunstâncias geográficas, por lugares de localização e por novas funções e organismos. Devido a isso, não existia um traçado igual a outro.
  • 7. 3 TIPOS DE CIDADES Cidades herdadas dos Crescimento associado Postos de Fronteira romanos a um mosteiro ou castelo conservaram o sistema Forma radial a partir de Cidade traçada para a retangular de desenho um centro, onde se colonização de postos de das quadras encontrava a catedral, a fronteira, caracterizada praça e os principais por uma clara ordem Exemplo??? edifícios públicos. geométrica. Classificação do Lewis Mumford —sociólogo, historiador e urbanista americano (1895-1990)
  • 8. TISSU URBAIN  PÇA DE MERCADO: Justamente como a ágora, este centro é bipolar, combinando uma área sagrada e outra profana.  Por um lado, encontramos a igreja ou a catedral com a sua infraestrutura de empatia e compaixão como mosteiro, hospital, asilo para pobres, e cemitério; do outro lado vemos a praça do mercado, com a sua infraestrutura pública e civil como prefeitura, escola, tribunal, prisão, etc. Comparável com a ágora, a praça do mercado era uma instituição total que compreendia todas as funções públicas importantes. Mas naquele momento, a função mercantil detinha o mais alto posto e marcava a posição do centro, incluindo o espaço sacro.
  • 9. LOCALIZAÇÃO DA PRAÇA DO MERCADO  ponto médio (centro) de um desenho urbano concêntrico radial. Apesar de predominantemente arqueadas ou curvas (seguindo a situação topográfica assim como um ideal estético) todas as ruas importantes conduziam diretamente a este lugar, tornando-o o mais acessível espaço da cidade.
  • 10. RUAS  ruas de desenho estreito que pareciam proteger o cidadão, tanto do clima como dos intrusos.
  • 11. CEMITÉRIO  Ponto de pregação para grande nº de pessoas  Celebração da Missa de Ramos e missa de Finados  Ponto de saída de peregrinação e procissão  Locaal de pronunciamento de sentenças de morte ( ex.: Joana D‘arc)  ―Au Moyen Age, le cimetière était un lieu où l'on se réunissait pour des marchés et des foires, pour des spectacles, pour des jeux et des divertissements, pour des assemblées de justice ou pour conclure des accords. »
  • 12. ― Instituições que pertencem à cidade. UNIVERCIDADES‖  as primeiras universidades surgiram no século 11, na Europa: em Bolonha (1088), Paris (1090) e Oxford (1096).  Instituição europeia medieval, que surgiu acompanhando ―o renascimento das cidades, o desenvolvimento das corporações de ofícios, o florescimento do comércio, o aparecimento do mercador‖ (2), sob a provável influência das escolas árabes e das antigas escolas monacais europeias e do Oriente próximo. Mas talvez nada disso tenha sido tão determinante quanto a intenção de controle e influência sobre a sociedade por parte de seus instituidores: a realeza e o papado.  corporação de sábios estudiosos que se destaca da massa dos ignorantes. As crenças que se formaram em torno desse movimento vão realimentar, tempos depois, a idéia platônico- socrática – e autocrática – do governo dos sábios
  • 13. MURALHA  ―Nem todas cidades medievais foram cercadas por muralhas.‘ Le Goff
  • 16. CONSULTA  O que é cidade : http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitexto s/08.085/235