SlideShare uma empresa Scribd logo
Definição de renascimento:<br />O Renascimento foi um período da História Europeia compreendido entre os séculos XV e XVI ( ou seja final da idade Média , inícios da idade Moderna. É uma fase caracterizada pela mudança ( quer em termos culturais , económicos , populacionais, sociais, políticos, religiosos , artísticos, filosóficos e científicos ).<br />A Renascença, foi também um período em que a Europa renasceu da crise do século XIV. Há um aumento significativo da população , ou seja há um renascimento populacional . Aumenta também a produção , o conhecimento com as descobertas e o conhecimento da cultura grega e latina, ou seja há um renascimento económico e intelectual .<br />Desenvolveu-se nas cidades ( ou seja em meios urbanos , como por exemplo Itália que foi a cidade em que o renascimento teve maior expressão).<br />Chamou-se “Renascimento” em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica. Passa-se a dar mais valor ao Homem e à Natureza ( ideal humanista , antropocentrista e naturalista).<br />Causas do seu surgimento em Itália:<br />O Renascimento surgiu na Itália , onde teve maior expressão . Foi da Itália, mais especificamente da região italiana Toscana cujos principais centros são as cidades de Florença e Siena, que este movimento cultural se expandiu primeiro para toda a península Itálica e mais tarde para toda a Europa Ocidental .<br />Não foi por mero acaso que na Itália surgiu o renascimento . A Itália reunia todas as condições necessárias : era um meio urbano , tinha um enorme poder económico, tinha uma burguesia dinâmica ( esta era economicamente abastada ) , as cidades pertencentes a Itália eram autónomas , possuíam escolas e universidades , detinha em seu poder as maiores ruínas do império Romano e ruínas gregas na Cecília e sul de Itália. Itália acolheu também os refugiados constatinopoles depois da queda do império romano do oriente nas mãos dos turcos. Esses refugiados tinham grandes conhecimentos da cultura grega e romana .<br />Foi também na Itália , que se descobriu o papel e a imprensa( papel este oriundo da China e imprensa descoberta por Gutenberg ) .<br />Em Itália , a burguesia e o papa italianos, apoiavam os artistas do renascimento dando bolsas de estudo e encomendando obras de arte ( mecenato.).<br />Contributo de Lisboa e Sevilha para o renascimento:<br />Não só Itália , como também Lisboa e Sevilha , foram importantes para o Renascimento . Estas duas últimas estão ligadas a este movimento cultural devido aos descobrimentos . Através dos descobrimentos , encontraram-se outras raças , outras culturas , e retirou-se a conclusão de que se pertence ao género humano. Alarga-se o conhecimento terrestre – descoberta de continentes , ilhas, oceanos , novas plantas , novos animais, novos rios . Alarga-se também o conhecimento cientifico – matemática , medicina ,geografia , cosmografia e cartografia.<br />Os descobrimentos contribuíram também para a materialização do real – é criada a mentalidade quantitativa ( medição do tempo, espaço , riqueza , homens para fins de impostos , etc.).- e para o intercambio entre culturas ( intercambio de especiarias etc).<br />Meios de difusão da cultura renascentista:<br />Os meios utilizados para a expansão da cultura renascentista foram : os livros ( com a descoberta da imprensa e do papel , estes tornaram-se mais comuns e mais baratos , de modo a que se facilitou a sua expansão), as cartas , as viagens ( estas eram feitas essencialmente por estudantes , ou por intelectuais para aperfeiçoarem os seus conhecimentos , e deste modo iam expandindo o que aprendiam ) e escolas/universidades ( são 2 meios através dos quais se transmitia conhecimentos ).<br />A importância dos mecenas para o Renascimento:<br />Os mecenas eram os homens ou instituições que apoiavam a cultura e as manifestações culturais. <br />Até ao século XV pouca ou nenhuma importância se atribuía às artes . A partir de então , através do mecenato passou-se a valorizar bastante a Arte . Os mecenas apoiavam os homens da cultura sem recursos atribuindo-lhes bolsas de estudo e encomendando obras. Punham também á disposição dos estudiosos as suas bibliotecas e construíram os primeiros museus . Apoiaram também as escavações arqueológicas.<br />Identificar a origem social dos mecenas :<br />Os mecenas eram essencialmente Burgueses (com o comércio) , Príncipes , reis (enriquecidos com os impostos) , bispos, abades e o papa (enriquecidos com dízimos e outros impostos). Todos estes frequentavam a escola – são pessoas cultas e instruídas.<br />O seu papel na promoção da cultura (O papel da corte portuguesa no desenvolvimento) :<br />Em Portugal, o centro de apoio aos homens da cultura nos séc. XV e XVI foi o rei .<br />Era a corte que encomendava obras de arquitectura ( ex: Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, a torre de Belém .)<br />Era a corte também que encomendava obras de pintura e escultura .<br />A corte atribuía bolsas de estudo para estudar no estrangeiro , criou um colégio Português em Paris , encomendava peças de teatro , obras de ourivesaria e dava rendas aos humanistas (por exemplo , D. Sebastião deu uma renda a Luíz Vaz de Camões ).<br />O ideal de homem do renascimento:<br />No renascimento surgiu uma mentalidade antropocêntrica que valoriza o Homem. Este é o centro da reflexão e a medida de todas as coisas. É um ser material e espiritual.<br />O Homem do renascimento deveria ser simultaneamente um poeta , erudito e um guerreiro ( ou seja deve de ser elegante , belo , ágil , intelectual , rico e que soubesse manusear armas ).<br />
Renascimento - História
Renascimento - História
Renascimento - História

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
Vítor Santos
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
cattonia
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
Ana Barreiros
 
Reinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticasReinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticas
cattonia
 
Vida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil VicenteVida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil Vicente
Tiago Barata
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
O reinado de D.João V
O reinado de D.João VO reinado de D.João V
O reinado de D.João V
anabelasilvasobral
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património cultural
cattonia
 
Urbanismo Pombalino
Urbanismo PombalinoUrbanismo Pombalino
Urbanismo Pombalino
crie_historia8
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
Sandra Alves
 
A Arte Manuelina
A Arte ManuelinaA Arte Manuelina
A Arte Manuelina
bravobastos
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
Jorge Almeida
 
Rococó em Portugal
Rococó em PortugalRococó em Portugal
Rococó em Portugal
Mluzsantos
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporte
Ilda Bicacro
 
A Arte Neoclássica
A Arte NeoclássicaA Arte Neoclássica
A Arte Neoclássica
Carlos Pinheiro
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
Carla Freitas
 
A Itália do Renascimento
A Itália do RenascimentoA Itália do Renascimento
A Itália do Renascimento
Carlos Vieira
 
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Hca Faro
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Paula Oliveira Cruz
 

Mais procurados (20)

Império romano
Império romanoImpério romano
Império romano
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
 
O aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte goticaO aparecimento da arte gotica
O aparecimento da arte gotica
 
Reinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticasReinvenção das formas artísticas
Reinvenção das formas artísticas
 
Vida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil VicenteVida e Obra de Gil Vicente
Vida e Obra de Gil Vicente
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
O reinado de D.João V
O reinado de D.João VO reinado de D.João V
O reinado de D.João V
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património cultural
 
Urbanismo Pombalino
Urbanismo PombalinoUrbanismo Pombalino
Urbanismo Pombalino
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 
A Arte Manuelina
A Arte ManuelinaA Arte Manuelina
A Arte Manuelina
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel Central
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
 
Rococó em Portugal
Rococó em PortugalRococó em Portugal
Rococó em Portugal
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporte
 
A Arte Neoclássica
A Arte NeoclássicaA Arte Neoclássica
A Arte Neoclássica
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
 
A Itália do Renascimento
A Itália do RenascimentoA Itália do Renascimento
A Itália do Renascimento
 
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
Caso prático 3 - O vaso Pronomos, 410-400 a.C.
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Semelhante a Renascimento - História

O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
João Lima
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Bruno Marques
 
Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos
Bruno Marques
 
Texto Introdutório - Renascimento Cultural
Texto Introdutório - Renascimento CulturalTexto Introdutório - Renascimento Cultural
Texto Introdutório - Renascimento Cultural
Leonardo Lira
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
ssusera065a2
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Lua Soriano
 
Renascimento parte1
Renascimento parte1Renascimento parte1
Renascimento parte1
Carla Teixeira
 
Fichaculturadopalacio
FichaculturadopalacioFichaculturadopalacio
Fichaculturadopalacio
Associação de Pais C appalmesc
 
RENASCIMENTO. a virada de chave desencadeou na sociedade
RENASCIMENTO.  a virada  de chave desencadeou na sociedadeRENASCIMENTO.  a virada  de chave desencadeou na sociedade
RENASCIMENTO. a virada de chave desencadeou na sociedade
Ricardo Diniz campos
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
cattonia
 
Cap
CapCap
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptxA CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
TeresaLopes78
 
03 a producao cultural
03 a producao cultural03 a producao cultural
03 a producao cultural
Vítor Santos
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacio
Ana Barreiros
 
O renascimento cultural
O renascimento culturalO renascimento cultural
O renascimento cultural
Valdirene Sousa
 
Humanismo nota de aula
Humanismo nota de aula Humanismo nota de aula
Humanismo nota de aula
Péricles Penuel
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
cattonia
 
O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
 O Renascimento e a formação da mentalidade moderna. O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
angelamoliveira
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Rúben Soares
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
valdeniDinamizador
 

Semelhante a Renascimento - História (20)

O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
Os Tempos Modernos (Renascimento e Reforma)
 
Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos Os Tempos Modernos
Os Tempos Modernos
 
Texto Introdutório - Renascimento Cultural
Texto Introdutório - Renascimento CulturalTexto Introdutório - Renascimento Cultural
Texto Introdutório - Renascimento Cultural
 
Renascimento.pdf
Renascimento.pdfRenascimento.pdf
Renascimento.pdf
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Renascimento parte1
Renascimento parte1Renascimento parte1
Renascimento parte1
 
Fichaculturadopalacio
FichaculturadopalacioFichaculturadopalacio
Fichaculturadopalacio
 
RENASCIMENTO. a virada de chave desencadeou na sociedade
RENASCIMENTO.  a virada  de chave desencadeou na sociedadeRENASCIMENTO.  a virada  de chave desencadeou na sociedade
RENASCIMENTO. a virada de chave desencadeou na sociedade
 
Cultura do palácio contexto
Cultura do palácio   contextoCultura do palácio   contexto
Cultura do palácio contexto
 
Cap
CapCap
Cap
 
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptxA CULTURA DO PALÁCIO.pptx
A CULTURA DO PALÁCIO.pptx
 
03 a producao cultural
03 a producao cultural03 a producao cultural
03 a producao cultural
 
Ficha cultura do palacio
Ficha cultura do palacioFicha cultura do palacio
Ficha cultura do palacio
 
O renascimento cultural
O renascimento culturalO renascimento cultural
O renascimento cultural
 
Humanismo nota de aula
Humanismo nota de aula Humanismo nota de aula
Humanismo nota de aula
 
A abertura ao mundo
A abertura ao mundoA abertura ao mundo
A abertura ao mundo
 
O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
 O Renascimento e a formação da mentalidade moderna. O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
O Renascimento e a formação da mentalidade moderna.
 
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
Fichaformativaculturadacatedral 120506062226-phpapp02
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Mais de Thepatriciamartins12

Arte e conhecimento - filosofia
Arte e  conhecimento - filosofiaArte e  conhecimento - filosofia
Arte e conhecimento - filosofia
Thepatriciamartins12
 
Irs
IrsIrs
impostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continentalimpostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continental
Thepatriciamartins12
 
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Thepatriciamartins12
 
Glossário da Pesca
Glossário da PescaGlossário da Pesca
Glossário da Pesca
Thepatriciamartins12
 
A actividade piscatória
A actividade piscatóriaA actividade piscatória
A actividade piscatória
Thepatriciamartins12
 
Principais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesaPrincipais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesa
Thepatriciamartins12
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
Thepatriciamartins12
 
Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)
Thepatriciamartins12
 
Factores explicativos
Factores explicativosFactores explicativos
Factores explicativos
Thepatriciamartins12
 
Em cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verificaEm cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verifica
Thepatriciamartins12
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Milagrário pessoal
Milagrário pessoalMilagrário pessoal
Milagrário pessoal
Thepatriciamartins12
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
Thepatriciamartins12
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
Thepatriciamartins12
 
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Recursos hídricos   patrícia , rute & susanaRecursos hídricos   patrícia , rute & susana
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Thepatriciamartins12
 
GESTÃO DA ÁGUA
 GESTÃO DA ÁGUA GESTÃO DA ÁGUA
GESTÃO DA ÁGUA
Thepatriciamartins12
 
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas  patrcia e robertoDisponibilidades hdricas  patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
Thepatriciamartins12
 
RECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLORECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLO
Thepatriciamartins12
 
Freguesia de troviscoso
Freguesia de troviscosoFreguesia de troviscoso
Freguesia de troviscoso
Thepatriciamartins12
 

Mais de Thepatriciamartins12 (20)

Arte e conhecimento - filosofia
Arte e  conhecimento - filosofiaArte e  conhecimento - filosofia
Arte e conhecimento - filosofia
 
Irs
IrsIrs
Irs
 
impostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continentalimpostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continental
 
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
 
Glossário da Pesca
Glossário da PescaGlossário da Pesca
Glossário da Pesca
 
A actividade piscatória
A actividade piscatóriaA actividade piscatória
A actividade piscatória
 
Principais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesaPrincipais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesa
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
 
Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)
 
Factores explicativos
Factores explicativosFactores explicativos
Factores explicativos
 
Em cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verificaEm cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verifica
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Milagrário pessoal
Milagrário pessoalMilagrário pessoal
Milagrário pessoal
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
 
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Recursos hídricos   patrícia , rute & susanaRecursos hídricos   patrícia , rute & susana
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
 
GESTÃO DA ÁGUA
 GESTÃO DA ÁGUA GESTÃO DA ÁGUA
GESTÃO DA ÁGUA
 
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas  patrcia e robertoDisponibilidades hdricas  patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
 
RECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLORECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLO
 
Freguesia de troviscoso
Freguesia de troviscosoFreguesia de troviscoso
Freguesia de troviscoso
 

Último

agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptxagosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
FredPaixaoeSilva
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e RiscadoresCap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Shakil Y. Rahim
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 

Último (20)

agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptxagosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
agosto - A cidadania - direitos e deveres em países hispanohablantes.pptx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptxSlides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
Slides Lição 13, CPAD, A Cidade Celestial, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
Discursos Éticos e Políticos Acerca do Meio Ambiente e Desenvolvimento Susten...
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e RiscadoresCap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
Cap. 1_Desenho_Elementos, Suportes e Riscadores
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 

Renascimento - História

  • 1. Definição de renascimento:<br />O Renascimento foi um período da História Europeia compreendido entre os séculos XV e XVI ( ou seja final da idade Média , inícios da idade Moderna. É uma fase caracterizada pela mudança ( quer em termos culturais , económicos , populacionais, sociais, políticos, religiosos , artísticos, filosóficos e científicos ).<br />A Renascença, foi também um período em que a Europa renasceu da crise do século XIV. Há um aumento significativo da população , ou seja há um renascimento populacional . Aumenta também a produção , o conhecimento com as descobertas e o conhecimento da cultura grega e latina, ou seja há um renascimento económico e intelectual .<br />Desenvolveu-se nas cidades ( ou seja em meios urbanos , como por exemplo Itália que foi a cidade em que o renascimento teve maior expressão).<br />Chamou-se “Renascimento” em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antiguidade clássica. Passa-se a dar mais valor ao Homem e à Natureza ( ideal humanista , antropocentrista e naturalista).<br />Causas do seu surgimento em Itália:<br />O Renascimento surgiu na Itália , onde teve maior expressão . Foi da Itália, mais especificamente da região italiana Toscana cujos principais centros são as cidades de Florença e Siena, que este movimento cultural se expandiu primeiro para toda a península Itálica e mais tarde para toda a Europa Ocidental .<br />Não foi por mero acaso que na Itália surgiu o renascimento . A Itália reunia todas as condições necessárias : era um meio urbano , tinha um enorme poder económico, tinha uma burguesia dinâmica ( esta era economicamente abastada ) , as cidades pertencentes a Itália eram autónomas , possuíam escolas e universidades , detinha em seu poder as maiores ruínas do império Romano e ruínas gregas na Cecília e sul de Itália. Itália acolheu também os refugiados constatinopoles depois da queda do império romano do oriente nas mãos dos turcos. Esses refugiados tinham grandes conhecimentos da cultura grega e romana .<br />Foi também na Itália , que se descobriu o papel e a imprensa( papel este oriundo da China e imprensa descoberta por Gutenberg ) .<br />Em Itália , a burguesia e o papa italianos, apoiavam os artistas do renascimento dando bolsas de estudo e encomendando obras de arte ( mecenato.).<br />Contributo de Lisboa e Sevilha para o renascimento:<br />Não só Itália , como também Lisboa e Sevilha , foram importantes para o Renascimento . Estas duas últimas estão ligadas a este movimento cultural devido aos descobrimentos . Através dos descobrimentos , encontraram-se outras raças , outras culturas , e retirou-se a conclusão de que se pertence ao género humano. Alarga-se o conhecimento terrestre – descoberta de continentes , ilhas, oceanos , novas plantas , novos animais, novos rios . Alarga-se também o conhecimento cientifico – matemática , medicina ,geografia , cosmografia e cartografia.<br />Os descobrimentos contribuíram também para a materialização do real – é criada a mentalidade quantitativa ( medição do tempo, espaço , riqueza , homens para fins de impostos , etc.).- e para o intercambio entre culturas ( intercambio de especiarias etc).<br />Meios de difusão da cultura renascentista:<br />Os meios utilizados para a expansão da cultura renascentista foram : os livros ( com a descoberta da imprensa e do papel , estes tornaram-se mais comuns e mais baratos , de modo a que se facilitou a sua expansão), as cartas , as viagens ( estas eram feitas essencialmente por estudantes , ou por intelectuais para aperfeiçoarem os seus conhecimentos , e deste modo iam expandindo o que aprendiam ) e escolas/universidades ( são 2 meios através dos quais se transmitia conhecimentos ).<br />A importância dos mecenas para o Renascimento:<br />Os mecenas eram os homens ou instituições que apoiavam a cultura e as manifestações culturais. <br />Até ao século XV pouca ou nenhuma importância se atribuía às artes . A partir de então , através do mecenato passou-se a valorizar bastante a Arte . Os mecenas apoiavam os homens da cultura sem recursos atribuindo-lhes bolsas de estudo e encomendando obras. Punham também á disposição dos estudiosos as suas bibliotecas e construíram os primeiros museus . Apoiaram também as escavações arqueológicas.<br />Identificar a origem social dos mecenas :<br />Os mecenas eram essencialmente Burgueses (com o comércio) , Príncipes , reis (enriquecidos com os impostos) , bispos, abades e o papa (enriquecidos com dízimos e outros impostos). Todos estes frequentavam a escola – são pessoas cultas e instruídas.<br />O seu papel na promoção da cultura (O papel da corte portuguesa no desenvolvimento) :<br />Em Portugal, o centro de apoio aos homens da cultura nos séc. XV e XVI foi o rei .<br />Era a corte que encomendava obras de arquitectura ( ex: Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa, a torre de Belém .)<br />Era a corte também que encomendava obras de pintura e escultura .<br />A corte atribuía bolsas de estudo para estudar no estrangeiro , criou um colégio Português em Paris , encomendava peças de teatro , obras de ourivesaria e dava rendas aos humanistas (por exemplo , D. Sebastião deu uma renda a Luíz Vaz de Camões ).<br />O ideal de homem do renascimento:<br />No renascimento surgiu uma mentalidade antropocêntrica que valoriza o Homem. Este é o centro da reflexão e a medida de todas as coisas. É um ser material e espiritual.<br />O Homem do renascimento deveria ser simultaneamente um poeta , erudito e um guerreiro ( ou seja deve de ser elegante , belo , ágil , intelectual , rico e que soubesse manusear armas ).<br />