SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
AMBIENTES DE
APRENDIZAGEM:
REENGENHARIA DA SALA
DE AULA
ÂNGELO DE MOURA GUIMARÃES
REINILDES DIAS
O ATUAL AVANÇO E DISSEMINAÇÃO
DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E
COMUNICAÇÃO VÊM CRIANDO NOVAS
FORMAS DE CONVIVÊNCIA, NOVOS
TEXTOS, NOVAS LEITURAS, NOVAS
ESCRITURAS E, SOBRETUDO, NOVAS
MANEIRAS DE INTERAGIR NO ESPAÇO
CIBERNÉTICO
O MOMENTO EXIGE QUE COLOQUEMOS
COMO META DA EDUCAÇÃO O PREPARO
DO ALUNO PARA SABER PENSAR
ECOLÓGICA, SISTEMÁTICA E
CRITICAMENTE
POR ISSO ALGUNS CONCEITOS
BÁSICOS DEVEM SER INTEGRADOS A
ESSE NOVO FAZER EDUCATIVO:
 INTERDEPENDÊNCIA
 INTERAÇÃO
 CONTEXTUALIZAÇÃO
 QUESTIONAMENTOS
 PRÁTICA INVESTIGATIVA
 ESPÍRITO CRÍTICO
 COLABORAÇÃO ENTRE OUTROS
UM NOVO FAZER EDUCATIVO SÓ SERÁ
REALIDADE SE A TECNOLOGIA FOR
INCORPORADA DE FORMA ADEQUADA
AO CONTEXTO DE NOSSAS AÇÕES
EDUCATIVAS, A SEREM
DESENVOLVIDAS E IMPLEMENTADAS
EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM
A VARIEDADE REQUERIDA
A SALA DE AULA, PRINCIPAL AMBIENTE
DE APRENDIZAGEM, CONTINUA
ANACRÔNICA
A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E
SABERES ESCOLARES ACONTECE DE
FORMA JUSTAPOSTA, EM DISCIPLINAS
ESTANQUES, SEM QUALQUER
INTEGRAÇÃO OU ARTICULAÇÃO
O CONTEÚDO ESCOLAR, COM
ÊNFASE NOS ASPECTOS
CONCEITUAIS, NÃO É
SOCIALMENTE RELEVANTE, NÃO
DESENVOLVE NOS ALUNOS A
CAPACIDADE DE DAR SENTIDO À
INFORMAÇÃO, FAZER RELAÇÕES,
ENFIM, NÃO OS PREPARA PARA
APRENDER A APRENDER
A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E TEMPO
ESCOLARES FOGE TOTALMENTE AOS
ANSEIOS E EXPECTATIVAS DO ALUNO
TUDO É ORGANIZADO COMO UMA VIA
DE MÃO ÚNICA
O AGRUPAMENTO DOS ALUNOS POR
SÉRIE/IDADE É UMA ESTRATÉGIA
UTILIZADA PARA REDUZIR A VARIEDADE
NO CONTEXTO EDUCATIVO
O PROCESSO AVALIATIVO É UM OUTRO
COMPLICADOR, O ALUNO ACABA SENDO
AVALIADO POR SER CAPAZ DE
FORNECER A “RESPOSTA CERTA’’
REENGENHARIA DA SALA
DE AULA
O ALUNO COMO O CENTRO DA
APRENDIZAGEM, LEVANDO EM
CONSIDERAÇÃO SEU PAPEL
ATIVO NO ATO DE APRENDER A
APRENDER.
A NOÇÃO DE APRENDIZAGEM DEVE SER
UMA PRÁTICA PAUTADA EM TRÊS
PILARES BÁSICOS:
 O (META) COGNITIVO
 O AFETIVO
 O SOCIAL
A APRENDIZAGEM E ENSINO SÃO OS DOIS
LADOS DE UMA MOEDA
AMBIENTES DE
APRENDIZAGEM
AMBIENTES DE APRENDIZAGEM =
SISTEMAS DE ENSINO E
APRENDIZAGENS INTEGRADOS E
ABRAGENTES CAPAZES DE PROMOVER
O ENGAJAMENTO DO ALUNO( BLACK &
Mc CLINTOCK, 1996; DEWEY, 1933)
NESSES AMBIENTES, AS ATIVIDADES DE
ENSINO E APRENDIZAGEM CENTRAM-SE
PREFERENCIALMENTE NOS ALUNOS
OS TEMAS SÃO TRABALHADOS DE
MANEIRA CONTEXTUALIZADA, DADA SUA
RELEVÂNCIA SOCIAL
A PERGUNTA PASSA DE: “O QUE ESTAREI
ENSINANDO MEU ALUNO?’’, PARA: “QUE
ATIVIDADES MEUS ALUNOS PRECISAM
FAZER PARA APRENDER?
A CRIAÇÃO DE AMBIENTES DE
APRENDIZAGEM
ENTRE AS TEORIAS E MODELOS
DESTACAM-SE OS SEGUINTES:
 MODELOS SOBRE MÚLTIPLAS
INTELIGÊNCIAS
 MODELOS INSTRUCIONAIS
CENTRADOS EM ESTRATÉGIAS DE
APRENDIZAGEM
 ABORDAGEM CONSTRUTIVISTA
FOCADA NA AÇÃO
MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS
GARDNER (1995) IDENTIFICOU SETE
CENTROS DE INTELIGÊNCIA NO
CÉREBRO HUMANO: O CENTRO
LINGÜÍSTICO, O LÓGICO-MATEMÁTICO,
MUSICAL, VISUAL/ESPACIAL,
INTRAPESSOAL, INTERPESSOAL E O
CINESTÉSICO.
LÓGICA
LINGÜÍSTICA
INTRAPESSOAL
MUSICAL
INTERPESSOAL
CINESTÉSICA
ESPACIAL VISUAL
INTELIGÊNCIA LÍNGÜÍSTICA: NOSSA
HABILIDADE DE LEITURA E PRODUÇÃO
ESCRITA
LÓGICA OU MATEMÁTICA: APTIDÃO
PARA CALCULAR E RACIOCINAR
LOGICAMENTE.
INTELIGÊNCIA MUSICAL: CAPACIDADE PARA
OUVIR E PRODUZIR SONS
ESPACIAL OU VISUAL: CAPACIDADE
DE INTERPRETAR, EXPLORAR E
CRIAR O ESPAÇO
CINESTÉSICA: LINGUAGEM DOS
MOVIMENTOS
INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL: É A
CONSCIÊNCIA SOBRE O OUTRO E
SOBRE O ESPAÇO SOCIAL
INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL: ESTÁ
RELACIONADA À CAPACIDADE DE
CONHECER A SI MESMO E DE SABER LIDAR
COM AS EMOÇÕES DE MANEIRA
EQUILIBRADA
ESTRATÉGIAS DE
APRENDIZAGEM
AÇÕES E PROCEDIMENTOS
ESCOLHIDOS POR UM INDIVÍDUO PARA
RESOLVER UMA DETERMINADA
SITUAÇÃO-PROBLEMA OU DESAFIO
ESTRATÉGIAS COGNITIVAS
OPERAÇÕES MENTAIS ESCOLHIDAS E
UTILIZADAS PELO ALUNO PARA
AUMENTAR O NÍVEL E QUALIDADE DA
APRENDIZAGEM
OUTRAS ESTRATÉGIAS QUE OS
ALUNOS FAZEM USO NO PROCESSO
DE APRENDIZAGEM:
 ESTRATÉGIAS DE AGRUPAMENTO
 ESTRATÉGIAS ESPACIAIS
 ESTRATÉGIAS DE LIGAÇÃO
 ESTRATÉGIAS DE PROPÓSITOS
MÚLTIPLOS
 ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS
 ESTRATÉGIAS LINGÜÍSTICAS
 ESTRATÉGIAS AFETIVAS
 ESTRATÉGIAS SOCIAIS
MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS E
ESTRATÉGIAS DE
APRENDIZAGEM
AS ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM
DEVEM E PRECISAM SER ASSOCIADAS
AO DESENVOLVIMENTO DAS
DIFERENTES INTELIGÊNCIAS, PARA
ATENDER À NECESSIDADE DE UM
ESPAÇO MAIS DIVERSIFICADO NA SALA
DE AULA CONTEMPORÂNEA
APRENDIZAGEM CENTRADA
NA AÇÃO
SEGUNDO OS PRINCÍPIOS DO
CONSTRUTIVISMO (PIAGET,1976),O MODELO
SUGERIDO POR GUIMARÃES (1998) COLOCA A
AÇÃO COMO SENDO O CERNE NO
PROCESSO DE APRENDIZAGEM. PARA ESSE
AUTOR, O CONCEITO DE AÇÃO DEVE SER
ENTENDIDO COMO ALGUMA ATIVIDADE
FÍSICA, MAS TAMBÉM COMO UMA ATIVIDADE
MENTAL
SETE SÃO AS ETAPAS PRESENTES
NESSE MODELO:
 CONCENTRAÇÃO
 AÇÃO E INTERAÇÃO
 CONCEITUAÇÃO
 DESIQUILIBRAÇÃO
 FORMALIZAÇÃO
 UTILIZAÇÃO
 TRANSFORMAÇÃO
UM MODELO PARA CRIAÇÃO DE
AMBIENTES DE APRENDIZAGEM
O MODELO PARA O DESENVOLVIMENTO,
A CRIAÇÃO E A AVALIAÇÃO DE
AMBIENTES DE APRENDIZAGEM, DEVE
FAZER USO DE UMA DAS HEURÍSTICAS
SUGERIDAS OU DE UMA COMBINAÇÃO
DELAS, COM MEDIAÇÃO DE
TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA
COMUNICAÇÃO
OUTRO PONTO DE REFERÊNCIA
CENTRA-SE NO ASPECTO DE NÍVEIS
DIFERENCIADOS, SUGERIDO POR
HANNAFIN (1992), DAS SEGUINTES
DIMENSÕES BÁSICAS:
 ESCOPO
 ATIVIDADE DO ALUNO
 ATIVIDADE EDUCACIONAL
 INTEGRAÇÃO DO CONTEÚDO
COMBINAÇÃO DE DIMENSÕES
PARA A CRIAÇÃO DE UM
AMBIENTE DE APRENDIZAGEM
O MODELO SUGERIDO ARTICULA
ALGUMAS DAS TEORIAS EDUCACIONAIS
MAIS RECENTES E DEFENDE A
INCORPORAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA
INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO
COMO SUPORTE ÀS AÇÕES
EDUCATIVAS, PARA MOVER UMA
REENGENHARIA DA SALA DE AULA
COM BASE NO QUE FOI DISCUTIDO E
APRESENTADO, ACREDITA-SE QUE O
AMBIENTE DE APRENDIZAGEM AMPLIA A
DIMENSÃO EDUCACIONAL AO INTEGRAR
OS QUATRO TIPOS DE ESPAÇOS NESTAS
METÁFORAS:
 A FOGUEIRA (INFORMAÇÃO)
 O POÇO D’ÁGUA (CONVERSA/INTERAÇÃO)
 A CAVERNA (CONCEITOS)
 E A VIDA (CONTEXTO) (THORNBURG, 1998)
O MODELO SUGERIDO, ENTRETANTO,
CENTRA ATENÇÃO ESPECIAL À
INTEGRAÇÃO DOS QUATRO ESPAÇOS A
UM FAZER EDUCATIVO ORIENTADO
PARA PREPARAÇÃO DO ALUNO PARA O
FUTURO
TALVEZ TODAS AS SUGESTÕES
APRESENTADAS POSSAM SER
IMPLEMENTADAS SEM APOIO DE
TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA
COMUNICAÇÃO. PORÉM, SÓ O SUPORTE
TEÓRICO PODE GARANTIR O SUCESSO
DE UM FAZER EDUCATIVO MAIS
ALINHADO ÀS REAIS NECESSIDADES DA
SALA DE AULA CONTEMPORÂNEA
“ A LIÇÃO JÁ SABEMOS
DE COR, SÓ NOS RESTA
APRENDER”
BETO GUEDES
TRABALHO APRESENTADO
PELAS ALUNAS DO 5º PERÍODO
DO CURSO DE LETRAS
CLAUDIANE LAURINDO SILVA
MARTA DA SILVA BEBIANO
DISCIPLINA: SEMINÁRIO
INTERDISCIPINAR V
PROFESSORA:
MARIA LUÍSA DA SILVA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
cefaprodematupa
 
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporâneaO pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
Mirianne Almeida
 
Papel pedagogo
Papel pedagogoPapel pedagogo
Papel pedagogo
elanis10
 
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta curriculo integrado do ensin...
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta  curriculo integrado do ensin...Roteiro de trabalho para elaboração de proposta  curriculo integrado do ensin...
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta curriculo integrado do ensin...
Rosana Vasconcelos Paz
 
Libâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlosLibâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlos
Soares Junior
 

Mais procurados (20)

Bloco do pedagogo
Bloco do pedagogoBloco do pedagogo
Bloco do pedagogo
 
Palestra: O Desafio de Ser um Pedagogo que Coincida com a Escola. Verão de 2013
Palestra: O Desafio de Ser um Pedagogo que Coincida com a Escola. Verão de 2013Palestra: O Desafio de Ser um Pedagogo que Coincida com a Escola. Verão de 2013
Palestra: O Desafio de Ser um Pedagogo que Coincida com a Escola. Verão de 2013
 
Indagacoes sobre curriculo
Indagacoes sobre curriculoIndagacoes sobre curriculo
Indagacoes sobre curriculo
 
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLACURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
CURRÍCULO, TECNOLOGIA E FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
 
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.brProjeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
Projeto Político Pedagógico www.professorpalmito.com.br
 
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporâneaO pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
 
Papel pedagogo
Papel pedagogoPapel pedagogo
Papel pedagogo
 
Trabalho de pedagogia
Trabalho de pedagogiaTrabalho de pedagogia
Trabalho de pedagogia
 
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
O CURRÍCULO ESCOLAR COMO ESPAÇO DE RECONHECIMENTO DE NOSSAS IDENTIDADES CULTU...
 
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o   5o anoGrade curricular ensinomedia 1o   5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
 
Seminário Currículo e EAD
Seminário Currículo e EADSeminário Currículo e EAD
Seminário Currículo e EAD
 
Formação de professores
Formação de professores Formação de professores
Formação de professores
 
Pedagogia social e educação integral: campos educacionais em construção no B...
Pedagogia social e educação integral: campos educacionais  em construção no B...Pedagogia social e educação integral: campos educacionais  em construção no B...
Pedagogia social e educação integral: campos educacionais em construção no B...
 
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta curriculo integrado do ensin...
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta  curriculo integrado do ensin...Roteiro de trabalho para elaboração de proposta  curriculo integrado do ensin...
Roteiro de trabalho para elaboração de proposta curriculo integrado do ensin...
 
Libâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlosLibâneo, josé carlos
Libâneo, josé carlos
 
Saberes do Professor Universitário
Saberes do Professor UniversitárioSaberes do Professor Universitário
Saberes do Professor Universitário
 
Aula 02 orientação educacional
Aula 02   orientação educacionalAula 02   orientação educacional
Aula 02 orientação educacional
 
Conceito de currículo
Conceito de currículoConceito de currículo
Conceito de currículo
 
Apostila projeto político pedagógico fak
Apostila projeto político pedagógico   fakApostila projeto político pedagógico   fak
Apostila projeto político pedagógico fak
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 

Semelhante a Ambientes de aprendizagem

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
Fabiano Sulligo
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitec
SEDUC - MT
 
Organização do currículo por projetos de trabalho
Organização do currículo por projetos de trabalhoOrganização do currículo por projetos de trabalho
Organização do currículo por projetos de trabalho
Lucila Pesce
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
Gerdian Teixeira
 
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
cidacandine
 
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
Júnior Sousa
 
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetosCAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
JOAO AURELIANO
 

Semelhante a Ambientes de aprendizagem (20)

PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti PradoPITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
PITEC Elaboração de Projetos - Beti Prado
 
Slide do pitec
Slide do pitecSlide do pitec
Slide do pitec
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
 
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdfPROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
PROJETOS INTERDISCIPLINARES EM ARTES E EDUCAÇÃO.pdf
 
Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1Aula 1 unidade 1
Aula 1 unidade 1
 
8eixo
8eixo8eixo
8eixo
 
Ebook
EbookEbook
Ebook
 
Ebook
EbookEbook
Ebook
 
Freitas luizcarlosde ld (1)
Freitas luizcarlosde ld (1)Freitas luizcarlosde ld (1)
Freitas luizcarlosde ld (1)
 
Organização do currículo por projetos de trabalho
Organização do currículo por projetos de trabalhoOrganização do currículo por projetos de trabalho
Organização do currículo por projetos de trabalho
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
O professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissionalO professor no atual contexto profissional
O professor no atual contexto profissional
 
Metodologias ativas de aprendizagem aplicadas em curso de nível médio em segu...
Metodologias ativas de aprendizagem aplicadas em curso de nível médio em segu...Metodologias ativas de aprendizagem aplicadas em curso de nível médio em segu...
Metodologias ativas de aprendizagem aplicadas em curso de nível médio em segu...
 
Eixo2
Eixo2Eixo2
Eixo2
 
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
AS REFORMAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCA...
 
Artigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinaresArtigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinares
 
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
50480840 pressupostos-na-rel-ensinar-e-aprender
 
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
Resumo do caderno 3 etapa I- O curriculo do ensino médio,seus sujeitos e o de...
 
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetosCAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
CAPITULO 1 - Tecnologia, curriculo e projetos
 
Teoria da Ação Comunicativa no cotexto da Cibercultura
Teoria da Ação Comunicativa no cotexto da CiberculturaTeoria da Ação Comunicativa no cotexto da Cibercultura
Teoria da Ação Comunicativa no cotexto da Cibercultura
 

Mais de Professora sonhadora

Mais de Professora sonhadora (20)

Artigo informativo resposta
Artigo informativo respostaArtigo informativo resposta
Artigo informativo resposta
 
Atividade com gabarito interpretação
Atividade com gabarito interpretaçãoAtividade com gabarito interpretação
Atividade com gabarito interpretação
 
Atividade com gabarito
Atividade com gabaritoAtividade com gabarito
Atividade com gabarito
 
Artigo de opnião resp
Artigo de opnião respArtigo de opnião resp
Artigo de opnião resp
 
Apólogo com gabarito
Apólogo com gabaritoApólogo com gabarito
Apólogo com gabarito
 
Escolas literarias
Escolas literariasEscolas literarias
Escolas literarias
 
Apoiopara1e2ano 160816185136
Apoiopara1e2ano 160816185136Apoiopara1e2ano 160816185136
Apoiopara1e2ano 160816185136
 
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
 
03 novo acordo_ortografico
03 novo acordo_ortografico03 novo acordo_ortografico
03 novo acordo_ortografico
 
1convite resp
1convite resp1convite resp
1convite resp
 
72079 20050416120421
72079 2005041612042172079 20050416120421
72079 20050416120421
 
Apresentacao palavras invariaveis
Apresentacao palavras invariaveisApresentacao palavras invariaveis
Apresentacao palavras invariaveis
 
72079 20050416120421
72079 2005041612042172079 20050416120421
72079 20050416120421
 
4a.lesp plano de curso
4a.lesp plano de curso4a.lesp plano de curso
4a.lesp plano de curso
 
1 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_20111 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_2011
 
1 fase nivel2_2011
1 fase nivel2_20111 fase nivel2_2011
1 fase nivel2_2011
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Espanhol 6 ano
Espanhol 6 anoEspanhol 6 ano
Espanhol 6 ano
 
Habilidades nova bncc
Habilidades nova bnccHabilidades nova bncc
Habilidades nova bncc
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 

Ambientes de aprendizagem

  • 1. AMBIENTES DE APRENDIZAGEM: REENGENHARIA DA SALA DE AULA ÂNGELO DE MOURA GUIMARÃES REINILDES DIAS
  • 2. O ATUAL AVANÇO E DISSEMINAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO VÊM CRIANDO NOVAS FORMAS DE CONVIVÊNCIA, NOVOS TEXTOS, NOVAS LEITURAS, NOVAS ESCRITURAS E, SOBRETUDO, NOVAS MANEIRAS DE INTERAGIR NO ESPAÇO CIBERNÉTICO
  • 3. O MOMENTO EXIGE QUE COLOQUEMOS COMO META DA EDUCAÇÃO O PREPARO DO ALUNO PARA SABER PENSAR ECOLÓGICA, SISTEMÁTICA E CRITICAMENTE
  • 4. POR ISSO ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS DEVEM SER INTEGRADOS A ESSE NOVO FAZER EDUCATIVO:
  • 5.  INTERDEPENDÊNCIA  INTERAÇÃO  CONTEXTUALIZAÇÃO  QUESTIONAMENTOS  PRÁTICA INVESTIGATIVA  ESPÍRITO CRÍTICO  COLABORAÇÃO ENTRE OUTROS
  • 6. UM NOVO FAZER EDUCATIVO SÓ SERÁ REALIDADE SE A TECNOLOGIA FOR INCORPORADA DE FORMA ADEQUADA AO CONTEXTO DE NOSSAS AÇÕES EDUCATIVAS, A SEREM DESENVOLVIDAS E IMPLEMENTADAS EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM
  • 7. A VARIEDADE REQUERIDA A SALA DE AULA, PRINCIPAL AMBIENTE DE APRENDIZAGEM, CONTINUA ANACRÔNICA
  • 8. A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E SABERES ESCOLARES ACONTECE DE FORMA JUSTAPOSTA, EM DISCIPLINAS ESTANQUES, SEM QUALQUER INTEGRAÇÃO OU ARTICULAÇÃO
  • 9. O CONTEÚDO ESCOLAR, COM ÊNFASE NOS ASPECTOS CONCEITUAIS, NÃO É SOCIALMENTE RELEVANTE, NÃO DESENVOLVE NOS ALUNOS A CAPACIDADE DE DAR SENTIDO À INFORMAÇÃO, FAZER RELAÇÕES, ENFIM, NÃO OS PREPARA PARA APRENDER A APRENDER
  • 10. A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E TEMPO ESCOLARES FOGE TOTALMENTE AOS ANSEIOS E EXPECTATIVAS DO ALUNO
  • 11. TUDO É ORGANIZADO COMO UMA VIA DE MÃO ÚNICA
  • 12. O AGRUPAMENTO DOS ALUNOS POR SÉRIE/IDADE É UMA ESTRATÉGIA UTILIZADA PARA REDUZIR A VARIEDADE NO CONTEXTO EDUCATIVO
  • 13. O PROCESSO AVALIATIVO É UM OUTRO COMPLICADOR, O ALUNO ACABA SENDO AVALIADO POR SER CAPAZ DE FORNECER A “RESPOSTA CERTA’’
  • 14. REENGENHARIA DA SALA DE AULA O ALUNO COMO O CENTRO DA APRENDIZAGEM, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO SEU PAPEL ATIVO NO ATO DE APRENDER A APRENDER.
  • 15. A NOÇÃO DE APRENDIZAGEM DEVE SER UMA PRÁTICA PAUTADA EM TRÊS PILARES BÁSICOS:  O (META) COGNITIVO  O AFETIVO  O SOCIAL
  • 16. A APRENDIZAGEM E ENSINO SÃO OS DOIS LADOS DE UMA MOEDA
  • 17. AMBIENTES DE APRENDIZAGEM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM = SISTEMAS DE ENSINO E APRENDIZAGENS INTEGRADOS E ABRAGENTES CAPAZES DE PROMOVER O ENGAJAMENTO DO ALUNO( BLACK & Mc CLINTOCK, 1996; DEWEY, 1933)
  • 18. NESSES AMBIENTES, AS ATIVIDADES DE ENSINO E APRENDIZAGEM CENTRAM-SE PREFERENCIALMENTE NOS ALUNOS
  • 19. OS TEMAS SÃO TRABALHADOS DE MANEIRA CONTEXTUALIZADA, DADA SUA RELEVÂNCIA SOCIAL A PERGUNTA PASSA DE: “O QUE ESTAREI ENSINANDO MEU ALUNO?’’, PARA: “QUE ATIVIDADES MEUS ALUNOS PRECISAM FAZER PARA APRENDER?
  • 20. A CRIAÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM
  • 21. ENTRE AS TEORIAS E MODELOS DESTACAM-SE OS SEGUINTES:  MODELOS SOBRE MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS  MODELOS INSTRUCIONAIS CENTRADOS EM ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM  ABORDAGEM CONSTRUTIVISTA FOCADA NA AÇÃO
  • 22. MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS GARDNER (1995) IDENTIFICOU SETE CENTROS DE INTELIGÊNCIA NO CÉREBRO HUMANO: O CENTRO LINGÜÍSTICO, O LÓGICO-MATEMÁTICO, MUSICAL, VISUAL/ESPACIAL, INTRAPESSOAL, INTERPESSOAL E O CINESTÉSICO.
  • 24. INTELIGÊNCIA LÍNGÜÍSTICA: NOSSA HABILIDADE DE LEITURA E PRODUÇÃO ESCRITA
  • 25. LÓGICA OU MATEMÁTICA: APTIDÃO PARA CALCULAR E RACIOCINAR LOGICAMENTE.
  • 26. INTELIGÊNCIA MUSICAL: CAPACIDADE PARA OUVIR E PRODUZIR SONS
  • 27. ESPACIAL OU VISUAL: CAPACIDADE DE INTERPRETAR, EXPLORAR E CRIAR O ESPAÇO
  • 29. INTELIGÊNCIA INTERPESSOAL: É A CONSCIÊNCIA SOBRE O OUTRO E SOBRE O ESPAÇO SOCIAL
  • 30. INTELIGÊNCIA INTRAPESSOAL: ESTÁ RELACIONADA À CAPACIDADE DE CONHECER A SI MESMO E DE SABER LIDAR COM AS EMOÇÕES DE MANEIRA EQUILIBRADA
  • 31. ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM AÇÕES E PROCEDIMENTOS ESCOLHIDOS POR UM INDIVÍDUO PARA RESOLVER UMA DETERMINADA SITUAÇÃO-PROBLEMA OU DESAFIO
  • 32. ESTRATÉGIAS COGNITIVAS OPERAÇÕES MENTAIS ESCOLHIDAS E UTILIZADAS PELO ALUNO PARA AUMENTAR O NÍVEL E QUALIDADE DA APRENDIZAGEM
  • 33. OUTRAS ESTRATÉGIAS QUE OS ALUNOS FAZEM USO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM:
  • 34.  ESTRATÉGIAS DE AGRUPAMENTO  ESTRATÉGIAS ESPACIAIS  ESTRATÉGIAS DE LIGAÇÃO  ESTRATÉGIAS DE PROPÓSITOS MÚLTIPLOS  ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS  ESTRATÉGIAS LINGÜÍSTICAS  ESTRATÉGIAS AFETIVAS  ESTRATÉGIAS SOCIAIS
  • 35. MÚLTIPLAS INTELIGÊNCIAS E ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM AS ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM DEVEM E PRECISAM SER ASSOCIADAS AO DESENVOLVIMENTO DAS DIFERENTES INTELIGÊNCIAS, PARA ATENDER À NECESSIDADE DE UM ESPAÇO MAIS DIVERSIFICADO NA SALA DE AULA CONTEMPORÂNEA
  • 36. APRENDIZAGEM CENTRADA NA AÇÃO SEGUNDO OS PRINCÍPIOS DO CONSTRUTIVISMO (PIAGET,1976),O MODELO SUGERIDO POR GUIMARÃES (1998) COLOCA A AÇÃO COMO SENDO O CERNE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM. PARA ESSE AUTOR, O CONCEITO DE AÇÃO DEVE SER ENTENDIDO COMO ALGUMA ATIVIDADE FÍSICA, MAS TAMBÉM COMO UMA ATIVIDADE MENTAL
  • 37. SETE SÃO AS ETAPAS PRESENTES NESSE MODELO:  CONCENTRAÇÃO  AÇÃO E INTERAÇÃO  CONCEITUAÇÃO  DESIQUILIBRAÇÃO  FORMALIZAÇÃO  UTILIZAÇÃO  TRANSFORMAÇÃO
  • 38. UM MODELO PARA CRIAÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM O MODELO PARA O DESENVOLVIMENTO, A CRIAÇÃO E A AVALIAÇÃO DE AMBIENTES DE APRENDIZAGEM, DEVE FAZER USO DE UMA DAS HEURÍSTICAS SUGERIDAS OU DE UMA COMBINAÇÃO DELAS, COM MEDIAÇÃO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO
  • 39. OUTRO PONTO DE REFERÊNCIA CENTRA-SE NO ASPECTO DE NÍVEIS DIFERENCIADOS, SUGERIDO POR HANNAFIN (1992), DAS SEGUINTES DIMENSÕES BÁSICAS:  ESCOPO  ATIVIDADE DO ALUNO  ATIVIDADE EDUCACIONAL  INTEGRAÇÃO DO CONTEÚDO
  • 40. COMBINAÇÃO DE DIMENSÕES PARA A CRIAÇÃO DE UM AMBIENTE DE APRENDIZAGEM O MODELO SUGERIDO ARTICULA ALGUMAS DAS TEORIAS EDUCACIONAIS MAIS RECENTES E DEFENDE A INCORPORAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO COMO SUPORTE ÀS AÇÕES EDUCATIVAS, PARA MOVER UMA REENGENHARIA DA SALA DE AULA
  • 41. COM BASE NO QUE FOI DISCUTIDO E APRESENTADO, ACREDITA-SE QUE O AMBIENTE DE APRENDIZAGEM AMPLIA A DIMENSÃO EDUCACIONAL AO INTEGRAR OS QUATRO TIPOS DE ESPAÇOS NESTAS METÁFORAS:  A FOGUEIRA (INFORMAÇÃO)  O POÇO D’ÁGUA (CONVERSA/INTERAÇÃO)  A CAVERNA (CONCEITOS)  E A VIDA (CONTEXTO) (THORNBURG, 1998)
  • 42. O MODELO SUGERIDO, ENTRETANTO, CENTRA ATENÇÃO ESPECIAL À INTEGRAÇÃO DOS QUATRO ESPAÇOS A UM FAZER EDUCATIVO ORIENTADO PARA PREPARAÇÃO DO ALUNO PARA O FUTURO
  • 43. TALVEZ TODAS AS SUGESTÕES APRESENTADAS POSSAM SER IMPLEMENTADAS SEM APOIO DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO. PORÉM, SÓ O SUPORTE TEÓRICO PODE GARANTIR O SUCESSO DE UM FAZER EDUCATIVO MAIS ALINHADO ÀS REAIS NECESSIDADES DA SALA DE AULA CONTEMPORÂNEA
  • 44. “ A LIÇÃO JÁ SABEMOS DE COR, SÓ NOS RESTA APRENDER” BETO GUEDES
  • 45. TRABALHO APRESENTADO PELAS ALUNAS DO 5º PERÍODO DO CURSO DE LETRAS
  • 46. CLAUDIANE LAURINDO SILVA MARTA DA SILVA BEBIANO