SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Período composto por
coordenação
Orações coordenadas
Profª.: Célia Trindade de Araújo e Silva
CONCEITUAÇÃO
Um período composto por coordenação é constituído por
orações coordenadas.
Uma oração chama-se coordenada quando não funciona
como termo de outra e nem tem outra que funcione como termo
dela. Ou seja, as orações coordenadas são sintaticamente inde-
pendentes entre si. Observe o exemplo:
Eu lhe trouxe o livro, mas você não o leu.
1ª oração 2ª oração
Eu lhe trouxe o livro, / mas você não o leu.
Suj. OI VTDI OD Suj. OD VTD
Observe, no exemplo, como a 2ª oração não precisa funcionar como
termo da 1ª e vice-versa, porque as duas já têm estrutura sintática
completa.
Ainda no exemplo, note que a 1ª oração não apresenta conjunção,
enquanto a 2ª apresenta a conjunção mas.
Dependendo da presença ou da ausência de conjunção, uma oração
coordenada é sindética ou assindética.
Coordenada sindética – quando possui conjunção.
Coordenada assindética – quando não possui conjun-
ção.
Classificação das
coordenadas sindéticas
As orações coordenadas assindéticas, isto é, sem conjunção, não
recebem nenhuma classificação. As coordenadas sindéticas são
classificadas de acordo com o sentido que têm no período.
1. Coordenada sindética aditiva
Exprime uma relação de soma, de adição.
Conjunções: e, nem, não só... mas também.
Ex.: Ela parou o carro na rua e nós fomos cumprimentá-la.
Ele não faz o trabalho dele, nem ajuda os colegas.
2. Coordenada sindética adversativa
Indica uma idéia contrária à da outra oração, uma oposição.
Conjunções: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no
entanto.
Ex.: A noite estava fria, mas as crianças brincavam na rua.
3. Coordenada sindética alternativa
Exprime possibilidade de opção, de escolha, de alternância.
Conjunções: ou ... ou, ora ...ora, quer ... quer.
Ex.: Ou tudo se resolve hoje, ou não viremos mais aqui.
4. Coordenada sindética conclusiva
Exprime uma conclusão da idéia contida na oração coordenada.
Conjunções: logo, pois (colocada após o verbo), portanto, por isso.
Ex.: Tudo está em ordem, portanto não devemos nos preocupar.
Ele está confuso, precisa, pois, de nosso apoio.
5. Coordenada sindética explicativa
Exprime uma explicação, uma justificativa ao que está contido
na oração coordenada.
Conjunções: pois (colocada antes do verbo), porque, que.
Ex.: Não saia hoje, pois vai chover muito
Síntese da unidade
Conceito: oração coordenada é aquela que não
exerce função sintática em relação a outra oração.
Ou seja, a oração coordenada não funciona como
termo da outra oração.
Classificação das orações coordenadas:
• assindética: não apresenta conjunção.
• sindética: apresenta conjunção.
Classificação
da coord.
sindética
Principais
conjunções
coordenativas
Exemplos
Aditiva e, nem, mas também Ex.: Nosso amigo não veio,
nem mandou notícias.
Adversativa mas, porém, todavia,
contudo, entretanto
Ex.: Ele era muito rico, mas
não era feliz.
Alternativa ou ... ou; ora ... ora
quer ... quer
Ex.: Ora o tempo melhora,
ora recomeça a chuva.
Conclusiva portanto, logo, por isso,
pois (anteposto verbo)
Ex.: Este cavalo é bravo,
portanto tome cuidado.
Explicativa porque, que, pois
(posposto ao verbo)
Ex.: Volte logo, porque
amanhã será tarde.
Uso da vírgula entre as orações
coordenadas
 As coordenadas assindéticas separam-se por vírgulas,
entre si.
Ex.: “Olhou as árvores, não viu folhagem.” (Osman Lins)
 As coordenadas sindéticas, em princípio, separam-se
por vírgulas, exceto as aditivas iniciadas pela conjunção e.
Ex.: Irritou-se o amigo, mas fiquei inflexível. (Rubem Braga)
Ex.: Primo Argemiro sopra os tições e ajuntas as brasas. (G. Rosa)
As orações coordenadas sindéticas introduzidas pela
conjunção e podem vir separadas por vírgula e isso
ocorre sobretudo em dois casos:
 Quando as orações ligadas pela conjunção e tiverem
sujeitos diferentes.
“O pirralho não se mexeu e Fabiano desejou matá-lo.” (G. Ramos)
 Quando a conjunção e vem várias vezes repetida,
constituindo aquilo que, em figura de linguagem chama-se
de polissíndeto.
Grita, e esperneia, e chora, e sofre, e ri, e chora.
“ Se um dia tudo lhe parecer perdido, lembre-
se de que você nasceu sem nada, e que tudo
que conseguiu foi através de esforços e os
esforços nunca se perdem, somente dignificam
as pessoas.”
Charles Chaplin

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadasAline Castro
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Ladangulos
 
Advérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesAdvérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesBlog Estudo
 
Classes de palavras - Conjunção
Classes de palavras - ConjunçãoClasses de palavras - Conjunção
Classes de palavras - ConjunçãoArthur Wenderson
 
Orações coordenadas e subordinadas
Orações coordenadas e subordinadasOrações coordenadas e subordinadas
Orações coordenadas e subordinadasMaria Amorim
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoRoberto Luiz
 
Orações coordenadas resumo e exercícios
Orações coordenadas   resumo e exercíciosOrações coordenadas   resumo e exercícios
Orações coordenadas resumo e exercíciosNAPNE
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Paula Rodrigues
 
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicado
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicadoPortuguês Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicado
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicadoNélson Bittencourt
 

Mais procurados (20)

Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Coordenação
CoordenaçãoCoordenação
Coordenação
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Orações Coordenadas
Orações CoordenadasOrações Coordenadas
Orações Coordenadas
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Conjuncao
ConjuncaoConjuncao
Conjuncao
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Ficha03
Ficha03Ficha03
Ficha03
 
Advérbios e preposições
Advérbios e preposiçõesAdvérbios e preposições
Advérbios e preposições
 
Classes de palavras - Conjunção
Classes de palavras - ConjunçãoClasses de palavras - Conjunção
Classes de palavras - Conjunção
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Orações coordenadas e subordinadas
Orações coordenadas e subordinadasOrações coordenadas e subordinadas
Orações coordenadas e subordinadas
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Oracoes
OracoesOracoes
Oracoes
 
Frases complexas
Frases complexasFrases complexas
Frases complexas
 
Orações coordenadas resumo e exercícios
Orações coordenadas   resumo e exercíciosOrações coordenadas   resumo e exercícios
Orações coordenadas resumo e exercícios
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicado
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicadoPortuguês Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicado
Português Básico - conjunções, vozes verbais, sujeito/predicado
 

Semelhante a 72079 20050416120421

Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoCassandra Cruz
 
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenaçãoAngélica Manenti
 
Frase Oração e Período.pptx
Frase Oração e Período.pptxFrase Oração e Período.pptx
Frase Oração e Período.pptxTailsonSantos1
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadasSinara Lustosa
 
Planejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaPlanejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaSolange Vargas
 
Planejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaPlanejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaSolange Vargas
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoJoyce de Oliveira
 
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdf
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdfcoordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdf
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdfProfessorEmmersonWar
 
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinW19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinFernanda Soares
 
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docxresumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docxJuliadaSilvaAzevedo
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdfSusanaRangel12
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua7 de Setembro
 

Semelhante a 72079 20050416120421 (20)

Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacao
 
Orações Coordenadas
Orações CoordenadasOrações Coordenadas
Orações Coordenadas
 
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação
9º ano E. F. II - Período composto por subordinação e coordenação
 
Aula La Salle.ppt
Aula La Salle.pptAula La Salle.ppt
Aula La Salle.ppt
 
Frase Oração e Período.pptx
Frase Oração e Período.pptxFrase Oração e Período.pptx
Frase Oração e Período.pptx
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadas
 
8 ano
8 ano8 ano
8 ano
 
Planejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaPlanejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesa
 
Planejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesaPlanejamento de aula de língua portuguesa
Planejamento de aula de língua portuguesa
 
Orações Coordenadas
Orações CoordenadasOrações Coordenadas
Orações Coordenadas
 
Conjunção
ConjunçãoConjunção
Conjunção
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
 
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdf
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdfcoordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdf
coordenaoesubordinao-140818194019-phpapp02.pdf
 
Coord sub
Coord sub Coord sub
Coord sub
 
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp FinW19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
W19 Coord Sub Caus Cond Temp Fin
 
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docxresumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
resumo d eportugues para minha prova em novembro.docx
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
 
Frase complexa1
Frase complexa1Frase complexa1
Frase complexa1
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Conjuncoes2
Conjuncoes2Conjuncoes2
Conjuncoes2
 

Mais de Professora sonhadora (20)

Artigo informativo resposta
Artigo informativo respostaArtigo informativo resposta
Artigo informativo resposta
 
Atividade com gabarito interpretação
Atividade com gabarito interpretaçãoAtividade com gabarito interpretação
Atividade com gabarito interpretação
 
Atividade com gabarito
Atividade com gabaritoAtividade com gabarito
Atividade com gabarito
 
Artigo de opnião resp
Artigo de opnião respArtigo de opnião resp
Artigo de opnião resp
 
Apólogo com gabarito
Apólogo com gabaritoApólogo com gabarito
Apólogo com gabarito
 
Escolas literarias
Escolas literariasEscolas literarias
Escolas literarias
 
Apoiopara1e2ano 160816185136
Apoiopara1e2ano 160816185136Apoiopara1e2ano 160816185136
Apoiopara1e2ano 160816185136
 
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
Apoiopara1e2ano 160816185136 (1)
 
03 novo acordo_ortografico
03 novo acordo_ortografico03 novo acordo_ortografico
03 novo acordo_ortografico
 
1convite resp
1convite resp1convite resp
1convite resp
 
Apresentacao palavras invariaveis
Apresentacao palavras invariaveisApresentacao palavras invariaveis
Apresentacao palavras invariaveis
 
Ambientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagemAmbientes de aprendizagem
Ambientes de aprendizagem
 
4a.lesp plano de curso
4a.lesp plano de curso4a.lesp plano de curso
4a.lesp plano de curso
 
1 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_20111 fase nivel2_gabarito_2011
1 fase nivel2_gabarito_2011
 
1 fase nivel2_2011
1 fase nivel2_20111 fase nivel2_2011
1 fase nivel2_2011
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
Espanhol 6 ano
Espanhol 6 anoEspanhol 6 ano
Espanhol 6 ano
 
Habilidades nova bncc
Habilidades nova bnccHabilidades nova bncc
Habilidades nova bncc
 
03 sopa-de-letras-circular-inventos-clave
03 sopa-de-letras-circular-inventos-clave03 sopa-de-letras-circular-inventos-clave
03 sopa-de-letras-circular-inventos-clave
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 

Último (20)

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 

72079 20050416120421

  • 1. Período composto por coordenação Orações coordenadas Profª.: Célia Trindade de Araújo e Silva
  • 2. CONCEITUAÇÃO Um período composto por coordenação é constituído por orações coordenadas. Uma oração chama-se coordenada quando não funciona como termo de outra e nem tem outra que funcione como termo dela. Ou seja, as orações coordenadas são sintaticamente inde- pendentes entre si. Observe o exemplo: Eu lhe trouxe o livro, mas você não o leu. 1ª oração 2ª oração
  • 3. Eu lhe trouxe o livro, / mas você não o leu. Suj. OI VTDI OD Suj. OD VTD Observe, no exemplo, como a 2ª oração não precisa funcionar como termo da 1ª e vice-versa, porque as duas já têm estrutura sintática completa. Ainda no exemplo, note que a 1ª oração não apresenta conjunção, enquanto a 2ª apresenta a conjunção mas. Dependendo da presença ou da ausência de conjunção, uma oração coordenada é sindética ou assindética. Coordenada sindética – quando possui conjunção. Coordenada assindética – quando não possui conjun- ção.
  • 4. Classificação das coordenadas sindéticas As orações coordenadas assindéticas, isto é, sem conjunção, não recebem nenhuma classificação. As coordenadas sindéticas são classificadas de acordo com o sentido que têm no período. 1. Coordenada sindética aditiva Exprime uma relação de soma, de adição. Conjunções: e, nem, não só... mas também. Ex.: Ela parou o carro na rua e nós fomos cumprimentá-la. Ele não faz o trabalho dele, nem ajuda os colegas.
  • 5. 2. Coordenada sindética adversativa Indica uma idéia contrária à da outra oração, uma oposição. Conjunções: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto. Ex.: A noite estava fria, mas as crianças brincavam na rua. 3. Coordenada sindética alternativa Exprime possibilidade de opção, de escolha, de alternância. Conjunções: ou ... ou, ora ...ora, quer ... quer. Ex.: Ou tudo se resolve hoje, ou não viremos mais aqui.
  • 6. 4. Coordenada sindética conclusiva Exprime uma conclusão da idéia contida na oração coordenada. Conjunções: logo, pois (colocada após o verbo), portanto, por isso. Ex.: Tudo está em ordem, portanto não devemos nos preocupar. Ele está confuso, precisa, pois, de nosso apoio. 5. Coordenada sindética explicativa Exprime uma explicação, uma justificativa ao que está contido na oração coordenada. Conjunções: pois (colocada antes do verbo), porque, que. Ex.: Não saia hoje, pois vai chover muito
  • 7. Síntese da unidade Conceito: oração coordenada é aquela que não exerce função sintática em relação a outra oração. Ou seja, a oração coordenada não funciona como termo da outra oração. Classificação das orações coordenadas: • assindética: não apresenta conjunção. • sindética: apresenta conjunção.
  • 8. Classificação da coord. sindética Principais conjunções coordenativas Exemplos Aditiva e, nem, mas também Ex.: Nosso amigo não veio, nem mandou notícias. Adversativa mas, porém, todavia, contudo, entretanto Ex.: Ele era muito rico, mas não era feliz. Alternativa ou ... ou; ora ... ora quer ... quer Ex.: Ora o tempo melhora, ora recomeça a chuva. Conclusiva portanto, logo, por isso, pois (anteposto verbo) Ex.: Este cavalo é bravo, portanto tome cuidado. Explicativa porque, que, pois (posposto ao verbo) Ex.: Volte logo, porque amanhã será tarde.
  • 9. Uso da vírgula entre as orações coordenadas  As coordenadas assindéticas separam-se por vírgulas, entre si. Ex.: “Olhou as árvores, não viu folhagem.” (Osman Lins)  As coordenadas sindéticas, em princípio, separam-se por vírgulas, exceto as aditivas iniciadas pela conjunção e. Ex.: Irritou-se o amigo, mas fiquei inflexível. (Rubem Braga) Ex.: Primo Argemiro sopra os tições e ajuntas as brasas. (G. Rosa)
  • 10. As orações coordenadas sindéticas introduzidas pela conjunção e podem vir separadas por vírgula e isso ocorre sobretudo em dois casos:  Quando as orações ligadas pela conjunção e tiverem sujeitos diferentes. “O pirralho não se mexeu e Fabiano desejou matá-lo.” (G. Ramos)  Quando a conjunção e vem várias vezes repetida, constituindo aquilo que, em figura de linguagem chama-se de polissíndeto. Grita, e esperneia, e chora, e sofre, e ri, e chora.
  • 11. “ Se um dia tudo lhe parecer perdido, lembre- se de que você nasceu sem nada, e que tudo que conseguiu foi através de esforços e os esforços nunca se perdem, somente dignificam as pessoas.” Charles Chaplin