SlideShare uma empresa Scribd logo
Altas Habilidades - Superdotados
AHSD
Mitos
• Fenômeno raro.
• Elevado Q.I.
• São sempre bons alunos.
• Futuro brilhante.
• O cérebro é maior.
Verdades
• Uma a cada 20 pessoas é superdotada
• Ocorre em todas as culturas, épocas, etnias, sexos e classes
sociais.
• Alguns superdotados têm fantástica habilidade artística,
esportiva, social, criativa, não abordada no teste de QI.
• Capacidade específica ou múltipla superior a humanidade.
• Precisa de apoio pedagógico diferenciado
• Superdotados podem ser muito ruins em determinadas
atividades intelectuais.
• Podemos identificar um superdotado antes da fase escolar.
• A superdotação é, em grande parte, genética. A inteligência é
fruto do nosso código genético e de fatores ambientais
Características do AHSD
• 1 – Aprende fácil e rapidamente até novas línguas
• 2 – É original, imaginativo, criativo, não convencional.
• 3 – Está sempre bem informado, inclusive em áreas
não comuns.
• 4 – Pensa de forma incomum para resolver problemas.
• 5 – É persistente, independente, auto direcionado (faz
coisa sem que seja mandado).
• 6 – Mostra senso comum e pode não tolerar tolices.
• 7 – Inquisitivo e cético, está sempre curioso sobre o
como e o porquê das coisas.
• 8 - Adapta-se com bastante rapidez a novas situações e
a novos ambientes.
• 9 - É esperto ao fazer coisas com materiais comuns.
• 10 – Entende a importância da natureza (tempo,
Lua, Sol, estrelas, solo etc.).
• 11 – Vocabulário excepcional, é verbalmente
fluente.
• 12 – É lógico.
• 13 – Múltiplos interesses, alguns deles acima da
idade cronológica.
• 14 - Percepções incomuns.
• 15- Resiste à rotina e a repetição.
• 16- Expressa ideias e reações, frequentemente de
forma argumentativa.
• 17 - É sensível à verdade e à honra.
Alto Habilidosos Cognitivos:
• 1- Vocabulário avançado
• 2- Perfeccionismo
• 3- Críticos
• 4- Contestadores
• 5- Não gostam de rotina
• 6- Grande interesse por temas abordados por
adultos
• 7- Facilidade de expressão
• 8- Desafia professor e colegas
Como proceder na escola?
Entrevista Diagnóstica
Avaliação psicológica e multidisciplinar por
meio de testes e atividades
Parceria com a Família
Programas de enriquecimento
Aceleração de Estudos
Atendimento Educacional Especializado
Importância de um especialista
• Por causa da falta de estímulo recebido em casa
e na escola, estas crianças podem apresentar:
• 1- Baixo rendimento escolar, por falta de interesse
nos conteúdos ministrados pelas escola
• 2- Decepção e frustração por não se sentirem
atendidos nem compreendidos.
• 3- Desinteresse nos estudos.
• 4- Comportamento inadequado. Muitas vezes
confundido com: hiperativos, com crianças com
distúrbios comportamentais ou déficit de
concentração.
• O atendimento especializado tem como
objetivo conscientizar o aluno AHSD do valor
de seus traços e peculiaridades e por seu
engajamento no grupo social.
Tipos de atendimentos
• Programas de aceleração
Essa modalidade de
atendimento permite com
que o aluno superdotado
conclua seus estudos em
tempo inferior ao
previsto.
• Programas de enriquecimento
Estimulação com objetivo no
desenvolvimento das
habilidades e dos interesses dos
superdotados, visando
aumentar e aprofundar seus
conhecimentos.
Objetivos comuns nos atendimentos:
• Ajudar os superdotados a desenvolverem ao
máximo seus talentos e habilidades;
• Favorecer seu desenvolvimento global, de forma
que venha a dar maiores contribuições possíveis
à sociedade e, ao mesmo tempo, viver de uma
forma satisfatória;
• Fortalecer um auto conceito positivo;
• Ampliar as experiências desses alunos em uma
diversidade de áreas e não apenas numa área de
conhecimento;
• Desenvolver no aluno uma consciência social;
• Possibilitar maior produtividade criativa.
A prática
• Procurar, junto com seus alunos, encontrar tópicos de
interesse como pontos de partida, ajudando-os a
dimensionar o assunto;
• Não permitir que seu programa de enriquecimento
degenere em uma atividade vaga e desorganizada:
quanto mais planejar e ajudar a criança a definir seus
objetivos, mais alcance educacional ele terá;
• Programa de aceleração deve-se dar atenção especial
a maturidade física, social e emocional da criança,
considerando-se seu nível intelectual, as suas
motivações e interesses.
Características do professor AEE
Conhecimento
autenticidade
entusiasmo flexibilidade
criatividade
Sensibilidade
Competências dos professores AEE
Habilidades
Trabalho de
grupo
Prover oportunidades
de aprendizagem
Cognitivo e afetivo
Dinamizar
pensamentos
divergentes
Controlar e avaliar os
programas
educacionais adotados.
Bibliografia:
• Talento e Deficiência: Como Incluir Alunos
com Diferentes Tipos de Inteligência
• LDB
Filme:
O gênio Indomável
• Elaborado por:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Altas habilidades / Superdotação - IFMA
Altas habilidades /  Superdotação - IFMAAltas habilidades /  Superdotação - IFMA
Altas habilidades / Superdotação - IFMA
Leandro Marques
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Priscila Gomes
 
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃOALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
Prof. Noe Assunção
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
Leandra Teixeira Falcão
 
Altas Habilidades
Altas HabilidadesAltas Habilidades
Altas Habilidades
Instituto Consciência GO
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricular
Karen Araki
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
Alessandra Paranhos (CEMI)
 
TEA
TEATEA
Processo de Aprendizagem
Processo de AprendizagemProcesso de Aprendizagem
Processo de Aprendizagem
Kelly Vanderlei
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Fundamentos da educação especial aula 2
Fundamentos da educação especial aula 2Fundamentos da educação especial aula 2
Fundamentos da educação especial aula 2
Rute Pereira
 
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Nilson Dias Castelano
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Instituto Consciência GO
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
Altas habilidades Trabalho concluido
Altas habilidades Trabalho concluido Altas habilidades Trabalho concluido
Altas habilidades Trabalho concluido
Thayna Dos Santos
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
ceciliaconserva
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Raimunda Pereira Lopes
 
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógicoDificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
assessoriapedagogica
 

Mais procurados (20)

Altas habilidades / Superdotação - IFMA
Altas habilidades /  Superdotação - IFMAAltas habilidades /  Superdotação - IFMA
Altas habilidades / Superdotação - IFMA
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃOALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
ALTAS HABILIDADES E SUPER DOTAÇÃO
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
 
Altas Habilidades
Altas HabilidadesAltas Habilidades
Altas Habilidades
 
Adaptação curricular
Adaptação curricularAdaptação curricular
Adaptação curricular
 
Transtornos da aprendizagem ufop
Transtornos da aprendizagem   ufopTranstornos da aprendizagem   ufop
Transtornos da aprendizagem ufop
 
TEA
TEATEA
TEA
 
Processo de Aprendizagem
Processo de AprendizagemProcesso de Aprendizagem
Processo de Aprendizagem
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Fundamentos da educação especial aula 2
Fundamentos da educação especial aula 2Fundamentos da educação especial aula 2
Fundamentos da educação especial aula 2
 
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Altas habilidades Trabalho concluido
Altas habilidades Trabalho concluido Altas habilidades Trabalho concluido
Altas habilidades Trabalho concluido
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
 
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógicoDificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
 

Destaque

Conhecendo as Altas Habilidades
Conhecendo as Altas HabilidadesConhecendo as Altas Habilidades
Conhecendo as Altas Habilidades
Angel Bayer
 
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhosUm olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
Alessandro Jesus
 
Disseminando as altas habilidades e superdotaçao
Disseminando as altas habilidades e superdotaçaoDisseminando as altas habilidades e superdotaçao
Disseminando as altas habilidades e superdotaçao
Samuel EFabiana
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
ceciliaconserva
 
Seminário se oficina de matemática anne frank
Seminário se oficina de matemática anne frankSeminário se oficina de matemática anne frank
Seminário se oficina de matemática anne frank
Escola
 
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentosLição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
Escola Bíblica Dominical - Betel
 
Orientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
Orientação Vocacional - Rodolfo BohoslavskyOrientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
Orientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
Rodrigo Cristiano de Campos
 
João pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotadosJoão pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotados
ceciliaconserva
 
O Desafio de Viver com as Diferenças
O Desafio de Viver com as DiferençasO Desafio de Viver com as Diferenças
O Desafio de Viver com as Diferenças
lagunaedu
 
éTica no ambiente de trabalho 1
éTica no ambiente de trabalho 1éTica no ambiente de trabalho 1
éTica no ambiente de trabalho 1
Michele Nascimento Pedagoga
 
Deficiência Física 1
Deficiência Física 1Deficiência Física 1
Deficiência Física 1
marlaa
 
Deficiência física 2
Deficiência física   2Deficiência física   2
Deficiência física 2
UESPI - PI
 
Surdocegueira- Inclusão
Surdocegueira- Inclusão Surdocegueira- Inclusão
Surdocegueira- Inclusão
Mariéli Dos Santos
 
Saberes e Praticas da Inclusão II
Saberes e Praticas da Inclusão  IISaberes e Praticas da Inclusão  II
Saberes e Praticas da Inclusão II
asustecnologia
 
Deficiência Física
Deficiência FísicaDeficiência Física
Deficiência Física
Salete Maria Chalub Bandeira
 
A história da Educação Física - CREF5
A história da Educação Física - CREF5A história da Educação Física - CREF5
A história da Educação Física - CREF5
cref5
 
Deficiencia Fisica
Deficiencia FisicaDeficiencia Fisica
Deficiencia Fisica
guest5fedaea
 
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLADEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
Prof. Noe Assunção
 
MUSICALIDADE EM LIBRAS
MUSICALIDADE EM LIBRASMUSICALIDADE EM LIBRAS
MUSICALIDADE EM LIBRAS
LIVIA L.LAGE
 
História da educação física no brasil
História da educação física no brasilHistória da educação física no brasil
História da educação física no brasil
waldeck
 

Destaque (20)

Conhecendo as Altas Habilidades
Conhecendo as Altas HabilidadesConhecendo as Altas Habilidades
Conhecendo as Altas Habilidades
 
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhosUm olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
Um olhar para_as_altas_habilidades - construindo caminhos
 
Disseminando as altas habilidades e superdotaçao
Disseminando as altas habilidades e superdotaçaoDisseminando as altas habilidades e superdotaçao
Disseminando as altas habilidades e superdotaçao
 
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados197 slides joão pessoa 2012 superdotados
197 slides joão pessoa 2012 superdotados
 
Seminário se oficina de matemática anne frank
Seminário se oficina de matemática anne frankSeminário se oficina de matemática anne frank
Seminário se oficina de matemática anne frank
 
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentosLição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
Lição 9 - Fidelidade na aplicação dos talentos
 
Orientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
Orientação Vocacional - Rodolfo BohoslavskyOrientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
Orientação Vocacional - Rodolfo Bohoslavsky
 
João pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotadosJoão pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotados
 
O Desafio de Viver com as Diferenças
O Desafio de Viver com as DiferençasO Desafio de Viver com as Diferenças
O Desafio de Viver com as Diferenças
 
éTica no ambiente de trabalho 1
éTica no ambiente de trabalho 1éTica no ambiente de trabalho 1
éTica no ambiente de trabalho 1
 
Deficiência Física 1
Deficiência Física 1Deficiência Física 1
Deficiência Física 1
 
Deficiência física 2
Deficiência física   2Deficiência física   2
Deficiência física 2
 
Surdocegueira- Inclusão
Surdocegueira- Inclusão Surdocegueira- Inclusão
Surdocegueira- Inclusão
 
Saberes e Praticas da Inclusão II
Saberes e Praticas da Inclusão  IISaberes e Praticas da Inclusão  II
Saberes e Praticas da Inclusão II
 
Deficiência Física
Deficiência FísicaDeficiência Física
Deficiência Física
 
A história da Educação Física - CREF5
A história da Educação Física - CREF5A história da Educação Física - CREF5
A história da Educação Física - CREF5
 
Deficiencia Fisica
Deficiencia FisicaDeficiencia Fisica
Deficiencia Fisica
 
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLADEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA
 
MUSICALIDADE EM LIBRAS
MUSICALIDADE EM LIBRASMUSICALIDADE EM LIBRAS
MUSICALIDADE EM LIBRAS
 
História da educação física no brasil
História da educação física no brasilHistória da educação física no brasil
História da educação física no brasil
 

Semelhante a Altas habilidades superdotados 2

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
adelinofelisberto3
 
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.FleithPalestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
DIRETORIA DE ENSINO - REGIÃO DE ITU
 
Altas habilidades
Altas habilidadesAltas habilidades
Altas habilidades
Patricia Bampi
 
Altas habilidades slides
Altas habilidades slidesAltas habilidades slides
Altas habilidades slides
Regina Maria Cordeiro Soares da Silva
 
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
Jeca Tatu
 
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
Conceição Áquila
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
JakelineAvelino
 
Educação especial 2 marcia
Educação especial 2  marciaEducação especial 2  marcia
Educação especial 2 marcia
eemariomanoel
 
Anexo 7 cartillha super dotados
Anexo 7 cartillha super dotadosAnexo 7 cartillha super dotados
Anexo 7 cartillha super dotados
JULIAROCHACAMARGO1
 
EJa
EJaEJa
Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
ceciliaconserva
 
Apa aula 03 _criança de 6 a 14
Apa aula 03 _criança de 6 a 14Apa aula 03 _criança de 6 a 14
Apa aula 03 _criança de 6 a 14
Alana Ferreira
 
6 relacionamento professor aluno
6 relacionamento professor aluno6 relacionamento professor aluno
6 relacionamento professor aluno
Orientar Consultoria Ltda
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivo
sedf
 
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner grupo ddj
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner   grupo ddjA teoria das inteligências múltiplas de howard gardner   grupo ddj
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner grupo ddj
Marília Pereira
 
Altas HabilidadesPC.pptx
Altas HabilidadesPC.pptxAltas HabilidadesPC.pptx
Altas HabilidadesPC.pptx
Danielle Mariam
 
Inclusão de crianças talentosas e superdotadas
Inclusão de crianças talentosas e superdotadasInclusão de crianças talentosas e superdotadas
Inclusão de crianças talentosas e superdotadas
Rodrigo Luciano
 
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
Alessandro Almeida
 
Livro aprendizagem de a a z deficiencias intelectuais
Livro aprendizagem de a a z  deficiencias intelectuaisLivro aprendizagem de a a z  deficiencias intelectuais
Livro aprendizagem de a a z deficiencias intelectuais
Andréa Luciana
 
Reunião Projecto Curricular.ppt
Reunião Projecto Curricular.pptReunião Projecto Curricular.ppt
Reunião Projecto Curricular.ppt
Artes-ao Vento
 

Semelhante a Altas habilidades superdotados 2 (20)

Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.FleithPalestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
Palestra.Se.Sao.Paulo 1 Denise.Souza.Fleith
 
Altas habilidades
Altas habilidadesAltas habilidades
Altas habilidades
 
Altas habilidades slides
Altas habilidades slidesAltas habilidades slides
Altas habilidades slides
 
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
Ga stela vc_como aprendem _pessoas_jovens_adultas_revisado2_final_27_08_2013_...
 
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
Dificuldade de aprendizagem: deficiência intelectual ou atraso cognitivo.
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Educação especial 2 marcia
Educação especial 2  marciaEducação especial 2  marcia
Educação especial 2 marcia
 
Anexo 7 cartillha super dotados
Anexo 7 cartillha super dotadosAnexo 7 cartillha super dotados
Anexo 7 cartillha super dotados
 
EJa
EJaEJa
EJa
 
Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
 
Apa aula 03 _criança de 6 a 14
Apa aula 03 _criança de 6 a 14Apa aula 03 _criança de 6 a 14
Apa aula 03 _criança de 6 a 14
 
6 relacionamento professor aluno
6 relacionamento professor aluno6 relacionamento professor aluno
6 relacionamento professor aluno
 
Atraso cognitivo
Atraso cognitivoAtraso cognitivo
Atraso cognitivo
 
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner grupo ddj
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner   grupo ddjA teoria das inteligências múltiplas de howard gardner   grupo ddj
A teoria das inteligências múltiplas de howard gardner grupo ddj
 
Altas HabilidadesPC.pptx
Altas HabilidadesPC.pptxAltas HabilidadesPC.pptx
Altas HabilidadesPC.pptx
 
Inclusão de crianças talentosas e superdotadas
Inclusão de crianças talentosas e superdotadasInclusão de crianças talentosas e superdotadas
Inclusão de crianças talentosas e superdotadas
 
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
O que você fez hoje para tornar o mundo melhor?
 
Livro aprendizagem de a a z deficiencias intelectuais
Livro aprendizagem de a a z  deficiencias intelectuaisLivro aprendizagem de a a z  deficiencias intelectuais
Livro aprendizagem de a a z deficiencias intelectuais
 
Reunião Projecto Curricular.ppt
Reunião Projecto Curricular.pptReunião Projecto Curricular.ppt
Reunião Projecto Curricular.ppt
 

Último

A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 

Último (20)

A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 

Altas habilidades superdotados 2

  • 1. Altas Habilidades - Superdotados AHSD
  • 2. Mitos • Fenômeno raro. • Elevado Q.I. • São sempre bons alunos. • Futuro brilhante. • O cérebro é maior.
  • 3. Verdades • Uma a cada 20 pessoas é superdotada • Ocorre em todas as culturas, épocas, etnias, sexos e classes sociais. • Alguns superdotados têm fantástica habilidade artística, esportiva, social, criativa, não abordada no teste de QI. • Capacidade específica ou múltipla superior a humanidade. • Precisa de apoio pedagógico diferenciado • Superdotados podem ser muito ruins em determinadas atividades intelectuais. • Podemos identificar um superdotado antes da fase escolar. • A superdotação é, em grande parte, genética. A inteligência é fruto do nosso código genético e de fatores ambientais
  • 4. Características do AHSD • 1 – Aprende fácil e rapidamente até novas línguas • 2 – É original, imaginativo, criativo, não convencional. • 3 – Está sempre bem informado, inclusive em áreas não comuns. • 4 – Pensa de forma incomum para resolver problemas. • 5 – É persistente, independente, auto direcionado (faz coisa sem que seja mandado). • 6 – Mostra senso comum e pode não tolerar tolices. • 7 – Inquisitivo e cético, está sempre curioso sobre o como e o porquê das coisas. • 8 - Adapta-se com bastante rapidez a novas situações e a novos ambientes. • 9 - É esperto ao fazer coisas com materiais comuns.
  • 5. • 10 – Entende a importância da natureza (tempo, Lua, Sol, estrelas, solo etc.). • 11 – Vocabulário excepcional, é verbalmente fluente. • 12 – É lógico. • 13 – Múltiplos interesses, alguns deles acima da idade cronológica. • 14 - Percepções incomuns. • 15- Resiste à rotina e a repetição. • 16- Expressa ideias e reações, frequentemente de forma argumentativa. • 17 - É sensível à verdade e à honra.
  • 6. Alto Habilidosos Cognitivos: • 1- Vocabulário avançado • 2- Perfeccionismo • 3- Críticos • 4- Contestadores • 5- Não gostam de rotina • 6- Grande interesse por temas abordados por adultos • 7- Facilidade de expressão • 8- Desafia professor e colegas
  • 7. Como proceder na escola? Entrevista Diagnóstica Avaliação psicológica e multidisciplinar por meio de testes e atividades Parceria com a Família Programas de enriquecimento Aceleração de Estudos Atendimento Educacional Especializado
  • 8. Importância de um especialista • Por causa da falta de estímulo recebido em casa e na escola, estas crianças podem apresentar: • 1- Baixo rendimento escolar, por falta de interesse nos conteúdos ministrados pelas escola • 2- Decepção e frustração por não se sentirem atendidos nem compreendidos. • 3- Desinteresse nos estudos. • 4- Comportamento inadequado. Muitas vezes confundido com: hiperativos, com crianças com distúrbios comportamentais ou déficit de concentração.
  • 9. • O atendimento especializado tem como objetivo conscientizar o aluno AHSD do valor de seus traços e peculiaridades e por seu engajamento no grupo social.
  • 10. Tipos de atendimentos • Programas de aceleração Essa modalidade de atendimento permite com que o aluno superdotado conclua seus estudos em tempo inferior ao previsto. • Programas de enriquecimento Estimulação com objetivo no desenvolvimento das habilidades e dos interesses dos superdotados, visando aumentar e aprofundar seus conhecimentos.
  • 11. Objetivos comuns nos atendimentos: • Ajudar os superdotados a desenvolverem ao máximo seus talentos e habilidades; • Favorecer seu desenvolvimento global, de forma que venha a dar maiores contribuições possíveis à sociedade e, ao mesmo tempo, viver de uma forma satisfatória; • Fortalecer um auto conceito positivo; • Ampliar as experiências desses alunos em uma diversidade de áreas e não apenas numa área de conhecimento; • Desenvolver no aluno uma consciência social; • Possibilitar maior produtividade criativa.
  • 12. A prática • Procurar, junto com seus alunos, encontrar tópicos de interesse como pontos de partida, ajudando-os a dimensionar o assunto; • Não permitir que seu programa de enriquecimento degenere em uma atividade vaga e desorganizada: quanto mais planejar e ajudar a criança a definir seus objetivos, mais alcance educacional ele terá; • Programa de aceleração deve-se dar atenção especial a maturidade física, social e emocional da criança, considerando-se seu nível intelectual, as suas motivações e interesses.
  • 13. Características do professor AEE Conhecimento autenticidade entusiasmo flexibilidade criatividade Sensibilidade
  • 14. Competências dos professores AEE Habilidades Trabalho de grupo Prover oportunidades de aprendizagem Cognitivo e afetivo Dinamizar pensamentos divergentes Controlar e avaliar os programas educacionais adotados.
  • 15. Bibliografia: • Talento e Deficiência: Como Incluir Alunos com Diferentes Tipos de Inteligência • LDB Filme: O gênio Indomável