SlideShare uma empresa Scribd logo
Ewerton Guilherme Alves de Sousa
Michelle Mabelle Medeiros Dantas
24 de novembro de 2014
A presença de
adubação orgânica
aumenta os estoques
de carbono orgânico e
nitrogênio total, em
relação aos sistemas de
produção com
adubação mineral ou
mesmo sem adubação,
o que a posiciona como
uma estratégia de
manejo importante à
conservação da
qualidade do solo.
Composição dos Materiais
A quantidade de Carbono/Nitrogênio na matéria orgânica é de
grande importância para o solo em diversos fatores, entre eles
podemos citar:
- Uma adição ao solo de resíduos com relação C/N elevada, motiva a
competição pelo N disponível entre os microrganismos e as plantas.
- Resíduos com relação C/N baixa (leguminosas), podem favorecer o
desenvolvimento microbiológicos no processo de decomposição,
implicando em maior quantidade de N mineralizado.
Vinhaça
A vinhaça é um resíduo líquido resultante
da produção de etanol e, em média, 12
litros de vinhaça são deixados como
subproduto para cada litro de etanol.
Torta de Filtro
O Minho Fértil é um fertilizante Orgânico Composto
Classe A, resultado da mistura balanceada da torta de
filtro de usinas de cana-de-açúcar, esterco de aves e
de gado. Sua formulação é totalmente natural e isenta
da adição de produtos químicos, e suas matérias
primas são controladas de modo a permitir a utilização
em culturas orgânicas, possuindo inclusive a
certificação Ecocert Brasil.
Biodigestores
Esse Biodigestor é um equipamento que usa um processo
vivo (bios = vida) para fazer a transformação ou a “digestão”
de matéria orgânica. O biodigestor faz a “digestão
anaeróbica” (sem ar/oxigênio) de microorganismos que
fazem a decomposição da matéria orgânica. O resultado é a
energia produzida com gases ou biogás.
Os resíduos, vulgarmente
denominados por lixo urbano, são
resultantes da atividade doméstica e
comercial das povoações. A sua
composição varia de população para
população, dependendo da situação
sócio-econômica e das condições e
hábitos de vida de cada um.
A utilização de lodo de esgoto na
adubação de cana-de-açúcar pode
substituir, em 100 por cento, o uso
do adubo mineral nitrogenado
necessário para a cultura das plantas.
Além dos benefícios ambientais e
ecológicos, a técnica pode aumentar
a produtividade e diminuir custos
-Aumenta a CTC:A matéria
orgânica acha-se em estado
amorfo e exibe uma superfície
muito maior do que a argila,
consequentemente, uma
capacidade de troca muito
superior a das argilas.
- Melhora a agregação do
solo: atua como agente
cimentante de partículas do
solo, formando agregados
bastante estáveis. A matéria
orgânica pode reter de 4 a 6
vezes mais água do que seu
próprio peso, diminuindo a
erosão.
- Diminui a plasticidade e
coesão: a matéria orgânica
diminui o efeito negativo da
consistência plástica e
pegajosidade dos solos
argilosos molhados.
- Temperatura: devido à
propriedade de armazenar
água, a matéria orgânica é ma
condutora de calor,
diminuindo as oscilações de
temperatura durante o dia.
- Disponibilidade: A matéria
orgânica é fonte de nutrientes,
pois, durante o processo de
decomposição, vários elementos
vão sendo liberados,
principalmente o N, S, e P.
Contudo esta liberação,
geralmente, não supre a
necessidade das plantas a menos
que seja aplicada em grande
quantidade. A matéria orgânica
também aumenta a retenção de
água nos solos e é responsável,
em grande parte, pelo aumento
da CTC do solo.
- Fixação do P: Diminui a
fixação. Os coloides orgânicos
são predominantemente
eletronegativos. Os ânios
orgânicos formam Fe (OH)2
com o ferro e Al(OH)2 com o
Alumínio, complexos imóveis ,
com o Fe e Al imobilizados
pela M.O. aumenta a
disponibilidade do P.
Adubação orgânica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
Killer Max
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Rodrigo Pavesi
 
Fitopatologia
FitopatologiaFitopatologia
Fitopatologia
Jadson Belem de Moura
 
Slides compostagem
Slides compostagemSlides compostagem
Slides compostagem
paulo roberto
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Aula batata-doce
Aula batata-doceAula batata-doce
Aula batata-doce
Erica Oliveira
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aiara Lacerda
 
Aula 01 solos-funções
Aula 01 solos-funçõesAula 01 solos-funções
Aula 01 solos-funções
Romulo Vinicius Tio Rominho
 
Adubação verde e plantio direto
Adubação verde e plantio diretoAdubação verde e plantio direto
Adubação verde e plantio direto
Agricultura Sao Paulo
 
Fertilidade do solo
Fertilidade do soloFertilidade do solo
Fertilidade do solo
Alfredo Cossa
 
Pedologia, conceitos e importância
Pedologia, conceitos e importânciaPedologia, conceitos e importância
Pedologia, conceitos e importância
Gustavo Simão
 
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no BrasilEvolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
CTBE - Brazilian Bioethanol Sci&Tech Laboratory
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
Karlla Costa
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
Elvio Giasson
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
Philipe Assunção
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
siterra
 
Análise de solos
Análise de solosAnálise de solos
Análise de solos
mvezzone
 
Apresentação horta
Apresentação hortaApresentação horta
Apresentação horta
Carlaensino
 

Mais procurados (20)

Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestais
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
Fitopatologia
FitopatologiaFitopatologia
Fitopatologia
 
Slides compostagem
Slides compostagemSlides compostagem
Slides compostagem
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Adubação
 
Aula batata-doce
Aula batata-doceAula batata-doce
Aula batata-doce
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
 
Aula 01 solos-funções
Aula 01 solos-funçõesAula 01 solos-funções
Aula 01 solos-funções
 
Adubação verde e plantio direto
Adubação verde e plantio diretoAdubação verde e plantio direto
Adubação verde e plantio direto
 
Fertilidade do solo
Fertilidade do soloFertilidade do solo
Fertilidade do solo
 
Pedologia, conceitos e importância
Pedologia, conceitos e importânciaPedologia, conceitos e importância
Pedologia, conceitos e importância
 
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no BrasilEvolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
Evolução e Qualificação do Sistema Plantio Direto no Brasil
 
AGROECOLOGIA
AGROECOLOGIAAGROECOLOGIA
AGROECOLOGIA
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
 
Cana de-açucar
Cana de-açucarCana de-açucar
Cana de-açucar
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
 
Análise de solos
Análise de solosAnálise de solos
Análise de solos
 
Apresentação horta
Apresentação hortaApresentação horta
Apresentação horta
 

Destaque

Adubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do soloAdubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do solo
VALDECIR QUEIROZ
 
Adubação Verde
Adubação VerdeAdubação Verde
Adubação Verde
Marynara Barros
 
Adubacao verde
Adubacao verdeAdubacao verde
Adubacao verde
mvezzone
 
Cartilha fruto organica
Cartilha fruto   organicaCartilha fruto   organica
Cartilha fruto organica
Frederico Amorim Chaves
 
VíRus Aula
VíRus AulaVíRus Aula
VíRus Aula
guesta61019
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
Slides de Tudo
 
Aula 02 compostagem
Aula 02 compostagemAula 02 compostagem
Aula 02 compostagem
Luiz Murilo Rocha Câmara
 
Alternativas para o lixo
Alternativas para o lixoAlternativas para o lixo
Alternativas para o lixo
Nicollas Villar
 
Horta na Escola
Horta na EscolaHorta na Escola
Horta na Escola
4625064
 
AdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De PastagensAdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De Pastagens
João Alberto Teló
 
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínioApresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
Revista Cafeicultura
 
Adubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do AlgodeiroAdubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do Algodeiro
Geagra UFG
 
Manual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrialManual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrial
EcoHospedagem
 
Mi - Monitor de Irrigação
Mi - Monitor de IrrigaçãoMi - Monitor de Irrigação
Mi - Monitor de Irrigação
CESAR
 
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
Rural Pecuária
 
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - EcovidaCartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Maria Rê
 
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internetManual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Rogger Wins
 
Adubação no Dendêzeiro
Adubação no DendêzeiroAdubação no Dendêzeiro
Adubação no Dendêzeiro
Leandro Araujo
 
Sbpc alexandro souza[1]
Sbpc alexandro souza[1]Sbpc alexandro souza[1]
Sbpc alexandro souza[1]
carolmacmac
 
Aula 1 historico
Aula 1   historicoAula 1   historico
Aula 1 historico
Jadson Belem de Moura
 

Destaque (20)

Adubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do soloAdubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do solo
 
Adubação Verde
Adubação VerdeAdubação Verde
Adubação Verde
 
Adubacao verde
Adubacao verdeAdubacao verde
Adubacao verde
 
Cartilha fruto organica
Cartilha fruto   organicaCartilha fruto   organica
Cartilha fruto organica
 
VíRus Aula
VíRus AulaVíRus Aula
VíRus Aula
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Aula 02 compostagem
Aula 02 compostagemAula 02 compostagem
Aula 02 compostagem
 
Alternativas para o lixo
Alternativas para o lixoAlternativas para o lixo
Alternativas para o lixo
 
Horta na Escola
Horta na EscolaHorta na Escola
Horta na Escola
 
AdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De PastagensAdubaçãO De Pastagens
AdubaçãO De Pastagens
 
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínioApresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
Apresentação rodrigo ticle seminário patrocínio
 
Adubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do AlgodeiroAdubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do Algodeiro
 
Manual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrialManual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrial
 
Mi - Monitor de Irrigação
Mi - Monitor de IrrigaçãoMi - Monitor de Irrigação
Mi - Monitor de Irrigação
 
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
Como aumentar a eficiência dos fertilizantes aplicados em bananeiras?
 
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - EcovidaCartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
 
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internetManual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internet
 
Adubação no Dendêzeiro
Adubação no DendêzeiroAdubação no Dendêzeiro
Adubação no Dendêzeiro
 
Sbpc alexandro souza[1]
Sbpc alexandro souza[1]Sbpc alexandro souza[1]
Sbpc alexandro souza[1]
 
Aula 1 historico
Aula 1   historicoAula 1   historico
Aula 1 historico
 

Semelhante a Adubação orgânica

Papel e Celulose
Papel e CelulosePapel e Celulose
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agriculturaTratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
Rural Pecuária
 
Lodo na agricultura seminário
Lodo na agricultura   seminárioLodo na agricultura   seminário
Lodo na agricultura seminário
danilorls
 
Aula_O que é Compostagem.pdf
Aula_O que é Compostagem.pdfAula_O que é Compostagem.pdf
Aula_O que é Compostagem.pdf
Erica Dos Anjos
 
Compostagem Doméstica com minhocas
Compostagem Doméstica com minhocasCompostagem Doméstica com minhocas
Compostagem Doméstica com minhocas
Alexandre Panerai
 
Tratamento Resíduos ( Apostila )
Tratamento Resíduos ( Apostila )Tratamento Resíduos ( Apostila )
Tratamento Resíduos ( Apostila )
Ricardo Akerman
 
Lilian e giovana compostagem 4ºb
Lilian e giovana compostagem 4ºbLilian e giovana compostagem 4ºb
Lilian e giovana compostagem 4ºb
4banisioprofessoraamelia
 
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliaresEmbrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
Alexandre Panerai
 
Enem questoes por assunto2
Enem  questoes por assunto2Enem  questoes por assunto2
Enem questoes por assunto2
brandaobio
 
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºd
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºdOk compostagem yasmin e leticia 4ºd
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºd
4danisioprofessoraflavia
 
Técnicas de Compostagem.pptx
Técnicas de Compostagem.pptxTécnicas de Compostagem.pptx
Técnicas de Compostagem.pptx
André Moreira
 
Sq2010 mc3 1
Sq2010 mc3 1Sq2010 mc3 1
Sq2010 mc3 1
raphabmg
 
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
Clube de RH de Extrema e Região
 
Aplicação de Biossólidos
Aplicação de BiossólidosAplicação de Biossólidos
Aplicação de Biossólidos
Sabrina Nascimento
 
AlteraçãO Da Qualidade Da áGua
AlteraçãO Da Qualidade Da áGuaAlteraçãO Da Qualidade Da áGua
AlteraçãO Da Qualidade Da áGua
Nuno Correia
 
Fespsp 2010
Fespsp 2010Fespsp 2010
Fespsp 2010
mariofflorestal
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
marade
 
Apresentação - compostagem - UFJF
Apresentação - compostagem - UFJFApresentação - compostagem - UFJF
Apresentação - compostagem - UFJF
Universidade Federal de Juiz de Fora
 
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
Matheus Sena
 
Sistema de tratamento para dejetos suínos
Sistema de tratamento para dejetos suínosSistema de tratamento para dejetos suínos
Sistema de tratamento para dejetos suínos
FCV - Faculdade Cidade Verde
 

Semelhante a Adubação orgânica (20)

Papel e Celulose
Papel e CelulosePapel e Celulose
Papel e Celulose
 
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agriculturaTratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
Tratamento, uso e impacto de resíduos urbanos e agroindustriais na agricultura
 
Lodo na agricultura seminário
Lodo na agricultura   seminárioLodo na agricultura   seminário
Lodo na agricultura seminário
 
Aula_O que é Compostagem.pdf
Aula_O que é Compostagem.pdfAula_O que é Compostagem.pdf
Aula_O que é Compostagem.pdf
 
Compostagem Doméstica com minhocas
Compostagem Doméstica com minhocasCompostagem Doméstica com minhocas
Compostagem Doméstica com minhocas
 
Tratamento Resíduos ( Apostila )
Tratamento Resíduos ( Apostila )Tratamento Resíduos ( Apostila )
Tratamento Resíduos ( Apostila )
 
Lilian e giovana compostagem 4ºb
Lilian e giovana compostagem 4ºbLilian e giovana compostagem 4ºb
Lilian e giovana compostagem 4ºb
 
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliaresEmbrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
Embrapa produção de humus de minhoca com resíduos domiciliares
 
Enem questoes por assunto2
Enem  questoes por assunto2Enem  questoes por assunto2
Enem questoes por assunto2
 
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºd
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºdOk compostagem yasmin e leticia 4ºd
Ok compostagem yasmin e leticia 4ºd
 
Técnicas de Compostagem.pptx
Técnicas de Compostagem.pptxTécnicas de Compostagem.pptx
Técnicas de Compostagem.pptx
 
Sq2010 mc3 1
Sq2010 mc3 1Sq2010 mc3 1
Sq2010 mc3 1
 
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
Comissao de meio_ambiente_18_04_2012
 
Aplicação de Biossólidos
Aplicação de BiossólidosAplicação de Biossólidos
Aplicação de Biossólidos
 
AlteraçãO Da Qualidade Da áGua
AlteraçãO Da Qualidade Da áGuaAlteraçãO Da Qualidade Da áGua
AlteraçãO Da Qualidade Da áGua
 
Fespsp 2010
Fespsp 2010Fespsp 2010
Fespsp 2010
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Apresentação - compostagem - UFJF
Apresentação - compostagem - UFJFApresentação - compostagem - UFJF
Apresentação - compostagem - UFJF
 
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
915-Texto do artigo-5296-1-10-20200619.pdf
 
Sistema de tratamento para dejetos suínos
Sistema de tratamento para dejetos suínosSistema de tratamento para dejetos suínos
Sistema de tratamento para dejetos suínos
 

Último

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Adubação orgânica

  • 1. Ewerton Guilherme Alves de Sousa Michelle Mabelle Medeiros Dantas 24 de novembro de 2014
  • 2.
  • 3. A presença de adubação orgânica aumenta os estoques de carbono orgânico e nitrogênio total, em relação aos sistemas de produção com adubação mineral ou mesmo sem adubação, o que a posiciona como uma estratégia de manejo importante à conservação da qualidade do solo.
  • 4. Composição dos Materiais A quantidade de Carbono/Nitrogênio na matéria orgânica é de grande importância para o solo em diversos fatores, entre eles podemos citar: - Uma adição ao solo de resíduos com relação C/N elevada, motiva a competição pelo N disponível entre os microrganismos e as plantas. - Resíduos com relação C/N baixa (leguminosas), podem favorecer o desenvolvimento microbiológicos no processo de decomposição, implicando em maior quantidade de N mineralizado.
  • 5.
  • 6. Vinhaça A vinhaça é um resíduo líquido resultante da produção de etanol e, em média, 12 litros de vinhaça são deixados como subproduto para cada litro de etanol.
  • 7. Torta de Filtro O Minho Fértil é um fertilizante Orgânico Composto Classe A, resultado da mistura balanceada da torta de filtro de usinas de cana-de-açúcar, esterco de aves e de gado. Sua formulação é totalmente natural e isenta da adição de produtos químicos, e suas matérias primas são controladas de modo a permitir a utilização em culturas orgânicas, possuindo inclusive a certificação Ecocert Brasil.
  • 8. Biodigestores Esse Biodigestor é um equipamento que usa um processo vivo (bios = vida) para fazer a transformação ou a “digestão” de matéria orgânica. O biodigestor faz a “digestão anaeróbica” (sem ar/oxigênio) de microorganismos que fazem a decomposição da matéria orgânica. O resultado é a energia produzida com gases ou biogás.
  • 9. Os resíduos, vulgarmente denominados por lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e comercial das povoações. A sua composição varia de população para população, dependendo da situação sócio-econômica e das condições e hábitos de vida de cada um. A utilização de lodo de esgoto na adubação de cana-de-açúcar pode substituir, em 100 por cento, o uso do adubo mineral nitrogenado necessário para a cultura das plantas. Além dos benefícios ambientais e ecológicos, a técnica pode aumentar a produtividade e diminuir custos
  • 10. -Aumenta a CTC:A matéria orgânica acha-se em estado amorfo e exibe uma superfície muito maior do que a argila, consequentemente, uma capacidade de troca muito superior a das argilas.
  • 11. - Melhora a agregação do solo: atua como agente cimentante de partículas do solo, formando agregados bastante estáveis. A matéria orgânica pode reter de 4 a 6 vezes mais água do que seu próprio peso, diminuindo a erosão.
  • 12. - Diminui a plasticidade e coesão: a matéria orgânica diminui o efeito negativo da consistência plástica e pegajosidade dos solos argilosos molhados.
  • 13. - Temperatura: devido à propriedade de armazenar água, a matéria orgânica é ma condutora de calor, diminuindo as oscilações de temperatura durante o dia.
  • 14. - Disponibilidade: A matéria orgânica é fonte de nutrientes, pois, durante o processo de decomposição, vários elementos vão sendo liberados, principalmente o N, S, e P. Contudo esta liberação, geralmente, não supre a necessidade das plantas a menos que seja aplicada em grande quantidade. A matéria orgânica também aumenta a retenção de água nos solos e é responsável, em grande parte, pelo aumento da CTC do solo.
  • 15. - Fixação do P: Diminui a fixação. Os coloides orgânicos são predominantemente eletronegativos. Os ânios orgânicos formam Fe (OH)2 com o ferro e Al(OH)2 com o Alumínio, complexos imóveis , com o Fe e Al imobilizados pela M.O. aumenta a disponibilidade do P.