SlideShare uma empresa Scribd logo
Palestra Adubação de Pastagens. EngºAgrº João Alberto Teló ATC Santa Maria Email: joao.telo@timacagro.com.br
Tópicos Sobre Adubação de Pastagens Importância. Fatores de decisão. Calagem. Tipos de Pastejo. Adubação P-K-N-S Micros Reciclagem nutrientes. João A. Teló ATC – Santa Maria
Qual destas Pastagens Você acha que deve ser adubada? Pouca AF;SR pouco desenvolvido;baixos niveis de Carboidratos de reserva e comp. N.
Lei dos incrementos decrescentes ou lei de Mitscherlich
Continuo x Rotacionado x Diferido PASTEJO CONTÍNUO PASTEJO ROTACIONADO – TEMPO DE OCUPAÇÃO (DIAS) – PERÍODO DE DESCANSO – Nº piq. = Período de descanso + 1 Tempo de ocupação PASTEJO DIFERIDO
Sistema Contínuo Explorações extensivas Reduzido investimento Menor produção de carne por área Permanência de animais na área o ano todo Excesso de animais por área por períodos prolongados Permite a seletividade Distribuição irregular das dejeções Pastejo irregular Excesso de pisoteio Degradação de pastagens Aumento de invasoras Características Desvantagens
Sistema Rotacionado Aproveitamento uniforme da pastagem Redução do pastejo seletivo Permite total recuperação das plantas Efeito menos pronunciado do pisoteio Distribuição uniforme das dejeções Maior produção/área Utilizado em áreas mais restritas Maiores investimentos em cercas e aguadas Maior nível gerencial Vantagens  Desvantagens
Pastejo Diferido Consiste na vedação de uma parte da área da pastagem, durante um período da estação de crescimento, com a finalidade de revigorar a pastagem e permitir acúmulo de forragem no campo, para ser utilizado durante o inverno.
Sistema De Pastejo Rigoroso controle do número de animais por área é recomendação indispensável para qualquer  sistema de pastejo.
Sistema de Pastejo X Habito de Crescimento
Calagem em Pastagens
Adubação N  - S
P  Sugestão:  2,5 UA/há – 10 ppm  ou mg.dm³ 3,5 à 4,5 UA/há – 15 ppm 5 à > 8 UA/há – 20 à 30 ppm
Formas de aplicação
Formas de aplicação do P
Adubação Com K Sugestão : (mmolc/dm3) 1,5 a 3,0 sistemas menos intensivos. >3,0 sistemas mais intensivos . 5 % da CTC Media 4,2 % na CTC Relação N/K  1:1
Aplicações de K
Micronutrientes Respostas baixas ou nulas á adições destes nutrientes. Respostas com Zn e Bo em solos de cerrado.
Reciclagem de nutrientes Duas Formas: Interna: senecencia dos tecidos da planta. Externa: excreta dos animais.
Reciclagem de nutrientes
Bom Trabalho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Implantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do FeijãoImplantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do Feijão
Killer Max
 
Instalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinosInstalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinos
Rômulo Alexandrino Silva
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Daniel Staciarini Corrêa
 
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãosQuestões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
André Fontana Weber
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
JoilsonEcheverria
 
Aula girassol 2-2012
Aula girassol 2-2012Aula girassol 2-2012
Aula girassol 2-2012
Governo do Estado do Paraná
 
Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)
Brenda Bueno
 
Aula 1 introdução ao curso
Aula 1   introdução ao cursoAula 1   introdução ao curso
Aula 1 introdução ao curso
Renata E Rilner
 
Aulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.pptAulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.ppt
LeandroGalzerano1
 
Pragas do cafeeiro
Pragas do cafeeiroPragas do cafeeiro
Pragas do cafeeiro
Diego Carvalho
 
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageirasEcofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Marília Gomes
 
Sistema de Plantio Direto
Sistema de Plantio DiretoSistema de Plantio Direto
Sistema de Plantio Direto
Geagra UFG
 
Calagem
CalagemCalagem
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes   Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Anderson Santos
 
Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013
IF Baiano - Campus Catu
 
Experimentacao agricola manual
Experimentacao agricola manualExperimentacao agricola manual
Experimentacao agricola manual
Assad Mutirua
 
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJANUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
Geagra UFG
 
Aula 02 cultura do maracujá.
Aula 02  cultura do maracujá.Aula 02  cultura do maracujá.
Aula 02 cultura do maracujá.
CETEP, FTC, FASA..
 
Pragas da cana
Pragas da canaPragas da cana
Pragas da cana
Agricultura Sao Paulo
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
Geagra UFG
 

Mais procurados (20)

Implantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do FeijãoImplantação da Cultura do Feijão
Implantação da Cultura do Feijão
 
Instalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinosInstalações caprinos e ovinos
Instalações caprinos e ovinos
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãosQuestões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
Questões pós-colheita/ Armazenagem de grãos
 
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptxAula 1 - O que é forragicultura.pptx
Aula 1 - O que é forragicultura.pptx
 
Aula girassol 2-2012
Aula girassol 2-2012Aula girassol 2-2012
Aula girassol 2-2012
 
Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)Silagem (milho, sorgo, capim)
Silagem (milho, sorgo, capim)
 
Aula 1 introdução ao curso
Aula 1   introdução ao cursoAula 1   introdução ao curso
Aula 1 introdução ao curso
 
Aulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.pptAulapastejolotação.ppt
Aulapastejolotação.ppt
 
Pragas do cafeeiro
Pragas do cafeeiroPragas do cafeeiro
Pragas do cafeeiro
 
Ecofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageirasEcofisiologia de plantas forrageiras
Ecofisiologia de plantas forrageiras
 
Sistema de Plantio Direto
Sistema de Plantio DiretoSistema de Plantio Direto
Sistema de Plantio Direto
 
Calagem
CalagemCalagem
Calagem
 
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes   Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
 
Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013Irrigação revisão e 2 bim 2013
Irrigação revisão e 2 bim 2013
 
Experimentacao agricola manual
Experimentacao agricola manualExperimentacao agricola manual
Experimentacao agricola manual
 
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJANUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
NUTRIÇÃO MINERAL DA SOJA
 
Aula 02 cultura do maracujá.
Aula 02  cultura do maracujá.Aula 02  cultura do maracujá.
Aula 02 cultura do maracujá.
 
Pragas da cana
Pragas da canaPragas da cana
Pragas da cana
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
 

Destaque

Uso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageiraUso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageira
Patricia Epifanio
 
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão BonitoAveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
Agricultura Sao Paulo
 
Adubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do AlgodeiroAdubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do Algodeiro
Geagra UFG
 
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internetManual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Rogger Wins
 
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mgCol.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
gastao ney monte braga
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Recomendação de calagem e adubação mineral
Recomendação de calagem e adubação mineralRecomendação de calagem e adubação mineral
Recomendação de calagem e adubação mineral
Leidiane Fernandes
 
Aula biomas, degradação e recuperação
Aula biomas, degradação e recuperaçãoAula biomas, degradação e recuperação
Aula biomas, degradação e recuperação
Mateus Baruci
 
Cálculo da necessidade de calagem
Cálculo da necessidade de calagemCálculo da necessidade de calagem
Cálculo da necessidade de calagem
gastao ney monte braga
 
Adubação orgânica
Adubação orgânicaAdubação orgânica
Adubação orgânica
Ewerton Guilherme
 
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagem
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagemCol.agro 1 calculo da necessidade de calagem
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagem
gastao ney monte braga
 
Col.agro 14.interpretacao da analise do solo
Col.agro 14.interpretacao da analise do soloCol.agro 14.interpretacao da analise do solo
Col.agro 14.interpretacao da analise do solo
gastao ney monte braga
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
Killer Max
 

Destaque (13)

Uso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageiraUso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageira
 
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão BonitoAveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
Aveia e Cevada - Polo Regional Sudoeste Paulista - Capão Bonito
 
Adubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do AlgodeiroAdubação na cultura do Algodeiro
Adubação na cultura do Algodeiro
 
Manual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internetManual de adubacao_2004_versao_internet
Manual de adubacao_2004_versao_internet
 
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mgCol.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
Col.agro 13.como manter ou aumentar a relaçao ca.mg
 
Adubação
AdubaçãoAdubação
Adubação
 
Recomendação de calagem e adubação mineral
Recomendação de calagem e adubação mineralRecomendação de calagem e adubação mineral
Recomendação de calagem e adubação mineral
 
Aula biomas, degradação e recuperação
Aula biomas, degradação e recuperaçãoAula biomas, degradação e recuperação
Aula biomas, degradação e recuperação
 
Cálculo da necessidade de calagem
Cálculo da necessidade de calagemCálculo da necessidade de calagem
Cálculo da necessidade de calagem
 
Adubação orgânica
Adubação orgânicaAdubação orgânica
Adubação orgânica
 
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagem
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagemCol.agro 1 calculo da necessidade de calagem
Col.agro 1 calculo da necessidade de calagem
 
Col.agro 14.interpretacao da analise do solo
Col.agro 14.interpretacao da analise do soloCol.agro 14.interpretacao da analise do solo
Col.agro 14.interpretacao da analise do solo
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 

Semelhante a AdubaçãO De Pastagens

Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejoPastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
Rural Pecuária
 
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
Oxya Agro e Biociências
 
Aula3 bov
Aula3 bovAula3 bov
Aula3 bov
Gilson Furtado
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
AgroTalento
 
Bovino de corte
Bovino de corteBovino de corte
Bovino de corte
unipampagepa
 
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdf
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdfManejo Rotacionado de Pastagens.pdf
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdf
ssuser49dad81
 
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantaçãoPastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
Rural Pecuária
 
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
AgroTalento
 
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári..."Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
UNDP Policy Centre
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
AgroTalento
 
1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)
Lucas Ferreira
 
Palestra Manuel Macedo.pdf
Palestra Manuel Macedo.pdfPalestra Manuel Macedo.pdf
Palestra Manuel Macedo.pdf
Dalton Sarango Guamán
 
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
ANCP Ribeirão Preto
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Filgueira Nogueira
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Filgueira Nogueira
 
Utilização de Pasto na Produção de Ovinos
Utilização de Pasto na Produção de OvinosUtilização de Pasto na Produção de Ovinos
Utilização de Pasto na Produção de Ovinos
Rural Pecuária
 

Semelhante a AdubaçãO De Pastagens (16)

Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejoPastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
Pastejo rotacionado 2: pontos críticos no manejo
 
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
IV WSF, Vilhena - Adeney de Freitas Bueno - Manejo integrado de pragas da soj...
 
Aula3 bov
Aula3 bovAula3 bov
Aula3 bov
 
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
[Palestra] Armindo Kichel: Degradação e Recuperação de Pastagem
 
Bovino de corte
Bovino de corteBovino de corte
Bovino de corte
 
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdf
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdfManejo Rotacionado de Pastagens.pdf
Manejo Rotacionado de Pastagens.pdf
 
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantaçãoPastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
Pastejo rotacionado 1: pontos críticos na implantação
 
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
121024 18-wbeef-engorda-a-pasto-armindo-kichel
 
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári..."Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
"Restauração de Pastagens Degradadas e Sistemas de Integração Lavoura-Pecuári...
 
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
[Palestra] Lucas Souto: Confiança e tecnologia para praticidade e resultado n...
 
1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)
 
Palestra Manuel Macedo.pdf
Palestra Manuel Macedo.pdfPalestra Manuel Macedo.pdf
Palestra Manuel Macedo.pdf
 
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
Seminário ANCP 2016 – Roberto Guimarães Junior – Pecuária de corte de alta pr...
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
 
Utilização de Pasto na Produção de Ovinos
Utilização de Pasto na Produção de OvinosUtilização de Pasto na Produção de Ovinos
Utilização de Pasto na Produção de Ovinos
 

AdubaçãO De Pastagens

  • 1. Palestra Adubação de Pastagens. EngºAgrº João Alberto Teló ATC Santa Maria Email: joao.telo@timacagro.com.br
  • 2. Tópicos Sobre Adubação de Pastagens Importância. Fatores de decisão. Calagem. Tipos de Pastejo. Adubação P-K-N-S Micros Reciclagem nutrientes. João A. Teló ATC – Santa Maria
  • 3.
  • 4.
  • 5. Qual destas Pastagens Você acha que deve ser adubada? Pouca AF;SR pouco desenvolvido;baixos niveis de Carboidratos de reserva e comp. N.
  • 6.
  • 7. Lei dos incrementos decrescentes ou lei de Mitscherlich
  • 8. Continuo x Rotacionado x Diferido PASTEJO CONTÍNUO PASTEJO ROTACIONADO – TEMPO DE OCUPAÇÃO (DIAS) – PERÍODO DE DESCANSO – Nº piq. = Período de descanso + 1 Tempo de ocupação PASTEJO DIFERIDO
  • 9. Sistema Contínuo Explorações extensivas Reduzido investimento Menor produção de carne por área Permanência de animais na área o ano todo Excesso de animais por área por períodos prolongados Permite a seletividade Distribuição irregular das dejeções Pastejo irregular Excesso de pisoteio Degradação de pastagens Aumento de invasoras Características Desvantagens
  • 10. Sistema Rotacionado Aproveitamento uniforme da pastagem Redução do pastejo seletivo Permite total recuperação das plantas Efeito menos pronunciado do pisoteio Distribuição uniforme das dejeções Maior produção/área Utilizado em áreas mais restritas Maiores investimentos em cercas e aguadas Maior nível gerencial Vantagens Desvantagens
  • 11. Pastejo Diferido Consiste na vedação de uma parte da área da pastagem, durante um período da estação de crescimento, com a finalidade de revigorar a pastagem e permitir acúmulo de forragem no campo, para ser utilizado durante o inverno.
  • 12. Sistema De Pastejo Rigoroso controle do número de animais por área é recomendação indispensável para qualquer sistema de pastejo.
  • 13.
  • 14. Sistema de Pastejo X Habito de Crescimento
  • 15.
  • 18. P Sugestão: 2,5 UA/há – 10 ppm ou mg.dm³ 3,5 à 4,5 UA/há – 15 ppm 5 à > 8 UA/há – 20 à 30 ppm
  • 21. Adubação Com K Sugestão : (mmolc/dm3) 1,5 a 3,0 sistemas menos intensivos. >3,0 sistemas mais intensivos . 5 % da CTC Media 4,2 % na CTC Relação N/K 1:1
  • 23. Micronutrientes Respostas baixas ou nulas á adições destes nutrientes. Respostas com Zn e Bo em solos de cerrado.
  • 24. Reciclagem de nutrientes Duas Formas: Interna: senecencia dos tecidos da planta. Externa: excreta dos animais.