SlideShare uma empresa Scribd logo
MAS AFINAL, O QUE FAZER
COM TANTO LIXO?
ALTERNATIVAS
Aterros
Sanitários
Recliclagem
Composta
gem
Incineração
ATERROS SANITÁRIOS
“Método que utiliza princípios de engenharia para
confinar resíduos sólidos à menor área possível e
reduzi-los ao menor volume possível, cobrindo-os
com uma camada de terra na conclusão da jornada
de trabalho ou a intervalos menores, se necessário”
ATERROS SANITÁRIOS
INCINERAÇÃO
“É o processo de queima do lixo a altas
temperaturas. O objetivo principal de tal
procedimento é a redução do volume de lixo.”
Com a incineração é possível uma redução do volume
inicial de resíduos até cerca de 90% através da
combustão, as temperaturas que se elevam a mais de
900°C. Por isso tem vindo a ser implementado em
zonas de grande produção de lixo.
COMPOSTAGEM
“Processo natural em que os micro-organismos,
como fungos e bactérias, são responsáveis pela
degradação de matéria orgânica”
A compostagem é o processo biológico de
valorização da matéria orgânica, seja ela de origem
urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal, e
pode ser considerada como um tipo de reciclagem do
lixo orgânico.
COMPOSTAGEM
O processo de compostagem
(normalmente) se divide nas
fases
Fase
mesofílica
Fase
termofílica
Fase da
maturação
RECICLAGEM
“Reciclar significa transformar objetos
materiais usados em novos produtos para o
consumo. Esta necessidade foi despertada pelos
seres humanos, a partir do momento em que se
verificou os benefícios que este procedimento trás
para o planeta Terra.”
RECICLAGEM
Exemplos de Produtos Recicláveis
 Vidro: potes de alimentos (azeitonas, milho, requeijão, etc.), garrafas, frascos
de medicamentos, cacos de vidro.
 Papel: jornais, revistas, folhetos, caixas de papelão, embalagens de papel.
 Metal: latas de alumínio, latas de aço, pregos, tampas, tubos de pasta, cobre,
alumínio.
 Plástico: potes de plástico, garrafas PET, sacos plásticos, embalagens e sacolas
de supermercado.
 Embalagens longa vida: de leite, de tomate, de sucos, etc.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Co incineraçao powerpoint corrigido
Co incineraçao powerpoint corrigidoCo incineraçao powerpoint corrigido
Co incineraçao powerpoint corrigido
sanpersousa89
 
Co incineração corrigido
Co incineração corrigidoCo incineração corrigido
Co incineração corrigido
sanpersousa89
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
Luís Ferreira
 
07 rsui larissa
07 rsui larissa07 rsui larissa
07 rsui larissa
Vinicius Carmo Weiler
 
Aromaterapia cap 1
Aromaterapia cap 1Aromaterapia cap 1
Aromaterapia cap 1
Vita Derm Itaquera
 
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou EspaçoVermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
Futuramb
 
Geografiaaa
GeografiaaaGeografiaaa
Geografiaaa
acfprofessor
 
A coincineracao
A coincineracao A coincineracao
A coincineracao
Salomé Raposo
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
Biomassa
Duarte Antunes
 
Co Incineração
Co IncineraçãoCo Incineração
Co Incineração
sandramonteiro77
 
Co-Incineração
Co-IncineraçãoCo-Incineração
Co-Incineração
Vitor Pereira
 
Co incineração
Co incineraçãoCo incineração
Co incineração
zefreitas
 
Power point co-incineração
Power point co-incineração Power point co-incineração
Power point co-incineração
sanpersousa89
 
Co incineração corrigido
Co incineração corrigidoCo incineração corrigido
Co incineração corrigido
sanpersousa89
 
Co Incineracao
Co IncineracaoCo Incineracao
Co Incineracao
PRA_RMARQUES
 
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOSGERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
jessicacprates
 
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOSGERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
jessicacprates
 
Tratamento de resíduos 9ºa
Tratamento de resíduos 9ºaTratamento de resíduos 9ºa
Tratamento de resíduos 9ºa
Raúl Freitas
 
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao BAnabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
inesita45
 
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos AmbientaisFlorestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
Filipe Vargas
 

Mais procurados (20)

Co incineraçao powerpoint corrigido
Co incineraçao powerpoint corrigidoCo incineraçao powerpoint corrigido
Co incineraçao powerpoint corrigido
 
Co incineração corrigido
Co incineração corrigidoCo incineração corrigido
Co incineração corrigido
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
 
07 rsui larissa
07 rsui larissa07 rsui larissa
07 rsui larissa
 
Aromaterapia cap 1
Aromaterapia cap 1Aromaterapia cap 1
Aromaterapia cap 1
 
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou EspaçoVermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço
 
Geografiaaa
GeografiaaaGeografiaaa
Geografiaaa
 
A coincineracao
A coincineracao A coincineracao
A coincineracao
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
Biomassa
 
Co Incineração
Co IncineraçãoCo Incineração
Co Incineração
 
Co-Incineração
Co-IncineraçãoCo-Incineração
Co-Incineração
 
Co incineração
Co incineraçãoCo incineração
Co incineração
 
Power point co-incineração
Power point co-incineração Power point co-incineração
Power point co-incineração
 
Co incineração corrigido
Co incineração corrigidoCo incineração corrigido
Co incineração corrigido
 
Co Incineracao
Co IncineracaoCo Incineracao
Co Incineracao
 
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOSGERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
 
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOSGERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DO BIOGÁS PRODUZIDO POR DEJETOS URBANOS
 
Tratamento de resíduos 9ºa
Tratamento de resíduos 9ºaTratamento de resíduos 9ºa
Tratamento de resíduos 9ºa
 
Anabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao BAnabela, Dima, Joao B
Anabela, Dima, Joao B
 
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos AmbientaisFlorestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
Florestas Comerciais - Sequestro de Carbono e Impactos Ambientais
 

Destaque

Manual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrialManual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrial
EcoHospedagem
 
Compostagem e resíduos
Compostagem e resíduosCompostagem e resíduos
Compostagem e resíduos
MarisaInesCatarinaInes
 
Compostagem 17 11 2008
Compostagem 17 11 2008Compostagem 17 11 2008
Compostagem 17 11 2008
Ádila Faria
 
Adubação orgânica
Adubação orgânicaAdubação orgânica
Adubação orgânica
Ewerton Guilherme
 
Adubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do soloAdubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do solo
VALDECIR QUEIROZ
 
Aula 02 compostagem
Aula 02 compostagemAula 02 compostagem
Aula 02 compostagem
Luiz Murilo Rocha Câmara
 
Slides compostagem
Slides compostagemSlides compostagem
Slides compostagem
paulo roberto
 

Destaque (7)

Manual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrialManual compostagem doméstica e industrial
Manual compostagem doméstica e industrial
 
Compostagem e resíduos
Compostagem e resíduosCompostagem e resíduos
Compostagem e resíduos
 
Compostagem 17 11 2008
Compostagem 17 11 2008Compostagem 17 11 2008
Compostagem 17 11 2008
 
Adubação orgânica
Adubação orgânicaAdubação orgânica
Adubação orgânica
 
Adubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do soloAdubação orgânica para recuperação do solo
Adubação orgânica para recuperação do solo
 
Aula 02 compostagem
Aula 02 compostagemAula 02 compostagem
Aula 02 compostagem
 
Slides compostagem
Slides compostagemSlides compostagem
Slides compostagem
 

Semelhante a Alternativas para o lixo

Trabalho de Grupo sobre a Reciclagem
Trabalho de Grupo sobre a ReciclagemTrabalho de Grupo sobre a Reciclagem
Trabalho de Grupo sobre a Reciclagem
celiamagalhaes
 
1704
17041704
1704
Pelo Siro
 
Aula 04_Tratamento de RSU.pptx
Aula 04_Tratamento de RSU.pptxAula 04_Tratamento de RSU.pptx
Aula 04_Tratamento de RSU.pptx
AnaKassiaLopesGonalv1
 
Projeto resíduos sólidos parte 3
Projeto resíduos sólidos parte 3Projeto resíduos sólidos parte 3
Projeto resíduos sólidos parte 3
escola
 
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADESLIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
Silvia Cintia Ferreira
 
Co incineraçâo
Co incineraçâoCo incineraçâo
Co incineraçâo
mjosefreitasval
 
Projeto Usina Energia Renovável
Projeto Usina Energia RenovávelProjeto Usina Energia Renovável
Projeto Usina Energia Renovável
Gisa Andrade
 
Fespsp 2010
Fespsp 2010Fespsp 2010
Fespsp 2010
mariofflorestal
 
Gerenciamento_de_residuos.ppt
Gerenciamento_de_residuos.pptGerenciamento_de_residuos.ppt
Gerenciamento_de_residuos.ppt
SilmarMedeiros2
 
Aula 8 incineração
Aula 8 incineraçãoAula 8 incineração
Aula 8 incineração
Giovanna Ortiz
 
Os residuos e o seu tratamento
Os residuos e o seu tratamentoOs residuos e o seu tratamento
Os residuos e o seu tratamento
joanadesousaesilva
 

Semelhante a Alternativas para o lixo (11)

Trabalho de Grupo sobre a Reciclagem
Trabalho de Grupo sobre a ReciclagemTrabalho de Grupo sobre a Reciclagem
Trabalho de Grupo sobre a Reciclagem
 
1704
17041704
1704
 
Aula 04_Tratamento de RSU.pptx
Aula 04_Tratamento de RSU.pptxAula 04_Tratamento de RSU.pptx
Aula 04_Tratamento de RSU.pptx
 
Projeto resíduos sólidos parte 3
Projeto resíduos sólidos parte 3Projeto resíduos sólidos parte 3
Projeto resíduos sólidos parte 3
 
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADESLIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
LIXO: COLETA DE LIXO NAS CIDADES
 
Co incineraçâo
Co incineraçâoCo incineraçâo
Co incineraçâo
 
Projeto Usina Energia Renovável
Projeto Usina Energia RenovávelProjeto Usina Energia Renovável
Projeto Usina Energia Renovável
 
Fespsp 2010
Fespsp 2010Fespsp 2010
Fespsp 2010
 
Gerenciamento_de_residuos.ppt
Gerenciamento_de_residuos.pptGerenciamento_de_residuos.ppt
Gerenciamento_de_residuos.ppt
 
Aula 8 incineração
Aula 8 incineraçãoAula 8 incineração
Aula 8 incineração
 
Os residuos e o seu tratamento
Os residuos e o seu tratamentoOs residuos e o seu tratamento
Os residuos e o seu tratamento
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Alternativas para o lixo

  • 1. MAS AFINAL, O QUE FAZER COM TANTO LIXO?
  • 3. ATERROS SANITÁRIOS “Método que utiliza princípios de engenharia para confinar resíduos sólidos à menor área possível e reduzi-los ao menor volume possível, cobrindo-os com uma camada de terra na conclusão da jornada de trabalho ou a intervalos menores, se necessário”
  • 5. INCINERAÇÃO “É o processo de queima do lixo a altas temperaturas. O objetivo principal de tal procedimento é a redução do volume de lixo.” Com a incineração é possível uma redução do volume inicial de resíduos até cerca de 90% através da combustão, as temperaturas que se elevam a mais de 900°C. Por isso tem vindo a ser implementado em zonas de grande produção de lixo.
  • 6. COMPOSTAGEM “Processo natural em que os micro-organismos, como fungos e bactérias, são responsáveis pela degradação de matéria orgânica” A compostagem é o processo biológico de valorização da matéria orgânica, seja ela de origem urbana, doméstica, industrial, agrícola ou florestal, e pode ser considerada como um tipo de reciclagem do lixo orgânico.
  • 7. COMPOSTAGEM O processo de compostagem (normalmente) se divide nas fases Fase mesofílica Fase termofílica Fase da maturação
  • 8. RECICLAGEM “Reciclar significa transformar objetos materiais usados em novos produtos para o consumo. Esta necessidade foi despertada pelos seres humanos, a partir do momento em que se verificou os benefícios que este procedimento trás para o planeta Terra.”
  • 9. RECICLAGEM Exemplos de Produtos Recicláveis  Vidro: potes de alimentos (azeitonas, milho, requeijão, etc.), garrafas, frascos de medicamentos, cacos de vidro.  Papel: jornais, revistas, folhetos, caixas de papelão, embalagens de papel.  Metal: latas de alumínio, latas de aço, pregos, tampas, tubos de pasta, cobre, alumínio.  Plástico: potes de plástico, garrafas PET, sacos plásticos, embalagens e sacolas de supermercado.  Embalagens longa vida: de leite, de tomate, de sucos, etc.