SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA
Cap. 14 – ABOLIÇÃO E REPÚBLICA
ISABEL AGUIAR
8EF MANHÃ
DIONÍSIO TORRES
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA
O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
1- Pressão inglesa pelo fim do tráfico negreiro
2- Lei Eusébio de Queirós (1850)
3- A resistência dos escravizados
• Desobediência
• Fuga
• Quilombos
• Levantes Urbanos
• Busca de liberdade para praticar suas
culturas e religiões. Pintura de John Gast.
Título: Progresso Americano (1872)
O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
4- O movimento abolicionista
Aconteceu durante o século XIX
As ideias eram divulgadas através de charges, artigos, passeatas e comícios.
5- Quem eram os abolicionistas?
• José do Patrocínio (jornalista, orador e abolicionista, ocupou a cadeira 21 na
Academia Brasileira de Letras)
• Luís Gama ( ex-escravo, conseguiu liberdade para vários escravos)
6- O que a Guerra do Paraguai tem a ver com a Abolição?
Oficiais do exército viam com simpatia os negros que lutaram ao lado deles nos
campos de batalha.
7- Pressão externa e interna para que D. Pedro II acabasse com a escravidão no
Brasil
EXEMPLOS DE ABOLICIONISTAS
José do Patrocínio
Luís Gama
O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
8- O imperador aboliu a escravidão de forma LENTA E GRADUAL (Leis)
• Lei do Ventre Livre (28/09/1871) - os filhos de escravas nascidos a partir
daquela data seriam livre (até 8 anos de idade a criança ficaria sob a autoridade
do senhor
• Lei do Sexagenário (28/09/1885) - declarava livres os escravos com mais de 60
anos
• Lei Áurea (13/05/1888) - declarou extinta a escravidão no Brasil
O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
9- A vida dos libertos
• Não receberam terras para plantar
• Não receberam ajuda do governo
• Alguns ficaram nas fazendas em troca de baixos salários e parte da colheita
• Alguns foram para a cidade em busca de emprego
• Os empresário priorizavam os imigrantes europeus
• Os libertos ficaram com os piores salários
• Muitos foram morar em morros ou cortiços
• Poucos conseguiram ascender socialmente
O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA
CURIOSIDADE!
10-O CEARÁ FOI A PRIMEIRA PROVÍNCIA DO BRASIL E ABOLIR A ESCRAVIDÃO
25/03/1884
Museu do Negro Liberto - Redenção
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
Manifesto Republicano feito por fazendeiros do oeste paulista e profissionais
liberais ( 1870- "Somos da América e queremos ser americanos")
Os outros países da América já haviam abolido a escravatura
1873- Foi fundado o PRP - Partido Republicano Paulista
11- O movimento republicano
dividido em 2 grupos
Quintino Bocaiúva ( jornalista) - queria a República por via eleitoral
Antônio da Silva Jardim (advogado) - queria a revolução popular
12- O movimento republicano ganhou força - 1880
Foram fundados clubes e jornais republicanos em todo país
Os comícios de Silva Jardim atraíam muitas pessoas
13- A Questão Militar
Foram punidos dois oficiais do Exército ( tenente-coronel Sena Madureira e o
coronel Cunha Matos
Foram punidos por denunciar corrupção e ficar do lado da abolição
Marechal Deodoro da Fonseca se negou a punir Sena Madureira
Marechal Deodoro foi demitido do cargo de comandante das armas do RS
Deodoro e Sena Madureira viajaram ao RJ (recebidos com festa por oficiais. Ex:
Major Benjamin Constant)
09/11/1889- Benjamin Constant pediu poder aos militares
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
14- a Proclamação da República
• Com a Lei Áurea, os fazendeiros do Vale do Paraíba e do Nordeste se sentiram
traídos, pois foram obrigados a libertas seus escravos
• Os fazendeiros ingressaram no PRP - Partido Republicano Paulista
• A classe média queria mais participação política
• Os militares simpatizavam com a República
• Marechal Deodoro + Quintino Bocaiúva = derrubar a Monarquia
• 15/11/1889 - foi dado um golpe, Marechal Deodoro da Fonseca (com seus
soldados) encerrou o período monárquico no Brasil.
• O Brasil passou a ter uma nova bandeira com o lema ORDEM E PROGRESSO
(positivista)
15- A República da Espada (1889-1894) : governada por militares
• 15/11/1889 - Governo Provisório - Marechal Deodoro da Fonseca
• Deodoro fez uma reforma financeira e aprovou a 1ª Constituição Republicana do
Brasil
• Rui Barbosa (ministro da fazenda)autorizou emissão de dinheiro para
empréstimos a empresários
• Muitos usaram o dinheiro para fundar empresas fantasmas
• Vendiam ações das empresas falsas na Bolsa de Valores
• Os acionistas descobriram que compraram ações falsas
• Investidores perderam seu dinheiro, empresas antigas faliram e a inflação
aumentou
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
16- A Primeira Constituição da República (fevereiro de 1891) - características
• Federalismo - os estados brasileiros teriam autonomia
• Haveria 3 poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário
• A Igreja Católica foi separada do Estado (registro civil de
nascimento, casamento e óbito)
17- Quem poderia votar?
• maiores de 21 anos,
• brasileiros ,
• alfabetizados,
• não poderiam ser soldados ou membros do clero
18- O governo de Deodoro da Fonseca
• Eleito indiretamente (sem participação popular)
• Vice: Floriano Peixoto - oposição a Deodoro
• Parlamentares votaram a limitação de poderes de Deodoro
• Encilhamento: foi a forma como ficou conhecida a crise
financeira ocorrida no Brasil a partir de 1890 decorrente da
política econômica do governo provisório do Marechal
Deodoro da Fonseca.
• Deodoro mandou fechar o Congresso ( novembro de 1891)
• Primeira Revolta da Armada: Militares da Marinha ameaçaram
bombardear o RJ se Deodoro não renunciasse.
• Deodoro renunciou e assumiu Floriano Peixoto
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
19- O governo de Floriano Peixoto ( o Marechal de Ferro)
• Reabriu o Congresso
• Formou o ministério com cafeicultores de SP
• Reduziu aluguéis e preços de alguns alimentos (carne, feijão, pão
e batata)
• Conquistou popularidade
• Seus adversários (generais do Exército) exigiam
sua renúncia
• Floriano aposentou os generais
• Segunda Revolta da Armada (1893): a Marinha
se manifesta contra Floriano e bombardeia o RJ
com tiros de canhão
• A Marinha exigia a saída de Floriano
• Floriano venceu a Marinha com ajuda de
cafeicultores e soldados do Exército
• Surge o Florianismo (o povo deveria ser fiel
a Floriano Peixoto)
Floriano Peixoto
O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
20- A Revolução Federalista – RS
• Guerra civil por conta de disputa partidária
• PRR - Partido Republicano Rio-Grandense - líder: Júlio de Castilhos (positivista)
• PF - Partido Federalista - líder: Gaspar de Silveira Martins
• PRR (pica-paus) X PF (maragatos)
• A guerra atingiu Santa Catarina e Paraná
• Morreram milhares de pessoas
• Venceram os pica-paus (PRR) 1895 - Castilhismo
• Quando Floriano deixou o poder, a República já estava consolidada.
POR HOJE É SÓ JOVENS!
Profª Isabel Aguiar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
Edenilson Morais
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
Daniel Alves Bronstrup
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Aulas de História
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
Jerry Guimarães
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Marilia Pimentel
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Ramiro Bicca
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
Dirair
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
João Medeiros
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
Louise Caldart Colombo
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
Alex Ferreira dos Santos
 

Mais procurados (20)

Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
Crise do sistema colonial
Crise do sistema colonialCrise do sistema colonial
Crise do sistema colonial
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
 
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 

Destaque

AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
Isabel Aguiar
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
Isabel Aguiar
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
Acordo de convivencia
Acordo de convivenciaAcordo de convivencia
Acordo de convivencia
Isabel Aguiar
 
QUIZ DE HISTÓRIA
QUIZ DE HISTÓRIAQUIZ DE HISTÓRIA
QUIZ DE HISTÓRIA
Isabel Aguiar
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
Isabel Aguiar
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
Isabel Aguiar
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
Isabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
Isabel Aguiar
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
Isabel Aguiar
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
Isabel Aguiar
 

Destaque (20)

AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
 
Acordo de convivencia
Acordo de convivenciaAcordo de convivencia
Acordo de convivencia
 
QUIZ DE HISTÓRIA
QUIZ DE HISTÓRIAQUIZ DE HISTÓRIA
QUIZ DE HISTÓRIA
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
GUERRA DO PARAGUAI 1864-1870
 
SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889SEGUNDO REINADO 1840-1889
SEGUNDO REINADO 1840-1889
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 

Semelhante a ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL

A crise do segundo reinado
A crise do segundo reinadoA crise do segundo reinado
A crise do segundo reinado
Nelia Salles Nantes
 
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
jose brandaos
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
Daniel Alves Bronstrup
 
I reinado - Período Regencial e II Reinado
I reinado -  Período Regencial e II ReinadoI reinado -  Período Regencial e II Reinado
I reinado - Período Regencial e II Reinado
Educandário Imaculada Conceição
 
Brasil império
Brasil  impérioBrasil  império
Brasil império
Lucimara Foloni
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
Lucimara Foloni
 
Dom pedro ii
Dom pedro iiDom pedro ii
Dom pedro ii
esculaxoviske
 
Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)
Edenilson Morais
 
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
Gretiane Pinheiro
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
Adriana Gomes Messias
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
Adriana Gomes Messias
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
A economia do segundo reinado e rep espada
A economia do segundo reinado e rep espadaA economia do segundo reinado e rep espada
A economia do segundo reinado e rep espada
daviprofessor
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Rodrigo Maltez
 
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
Marco Aurélio Gondim
 
Resumo o segundo reinado
Resumo   o segundo reinadoResumo   o segundo reinado
Resumo o segundo reinado
Nelia Salles Nantes
 
Resumo o segundo reinado
Resumo   o segundo reinadoResumo   o segundo reinado
Resumo o segundo reinado
Nelia Salles Nantes
 
Segundo Reinado Módulo
Segundo Reinado  Módulo Segundo Reinado  Módulo
Segundo Reinado Módulo
CarlosNazar1
 

Semelhante a ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL (20)

A crise do segundo reinado
A crise do segundo reinadoA crise do segundo reinado
A crise do segundo reinado
 
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado3° ano - Brasil Império - segundo reinado
3° ano - Brasil Império - segundo reinado
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
I reinado - Período Regencial e II Reinado
I reinado -  Período Regencial e II ReinadoI reinado -  Período Regencial e II Reinado
I reinado - Período Regencial e II Reinado
 
Brasil império
Brasil  impérioBrasil  império
Brasil império
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
 
Dom pedro ii
Dom pedro iiDom pedro ii
Dom pedro ii
 
Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)Segundo Reinado (1840-1889)
Segundo Reinado (1840-1889)
 
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
Segundoreinadomestresdahistoria 110501080754-phpapp02 (1)
 
3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado3ão - Brasil Segundo Reinado
3ão - Brasil Segundo Reinado
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado2º ano - Brasil segundo reinado
2º ano - Brasil segundo reinado
 
A economia do segundo reinado e rep espada
A economia do segundo reinado e rep espadaA economia do segundo reinado e rep espada
A economia do segundo reinado e rep espada
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
História do Brasil - Período Joanino - Período Monárquico [www.gondim.net]
 
Resumo o segundo reinado
Resumo   o segundo reinadoResumo   o segundo reinado
Resumo o segundo reinado
 
Resumo o segundo reinado
Resumo   o segundo reinadoResumo   o segundo reinado
Resumo o segundo reinado
 
Segundo Reinado Módulo
Segundo Reinado  Módulo Segundo Reinado  Módulo
Segundo Reinado Módulo
 

Mais de Isabel Aguiar

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
Isabel Aguiar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Isabel Aguiar
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
Isabel Aguiar
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
Isabel Aguiar
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
Isabel Aguiar
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
Isabel Aguiar
 

Mais de Isabel Aguiar (11)

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 

Último

O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 

ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL

  • 1. HISTÓRIA Cap. 14 – ABOLIÇÃO E REPÚBLICA ISABEL AGUIAR 8EF MANHÃ DIONÍSIO TORRES ABOLIÇÃO E REPÚBLICA
  • 2. O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA 1- Pressão inglesa pelo fim do tráfico negreiro 2- Lei Eusébio de Queirós (1850) 3- A resistência dos escravizados • Desobediência • Fuga • Quilombos • Levantes Urbanos • Busca de liberdade para praticar suas culturas e religiões. Pintura de John Gast. Título: Progresso Americano (1872)
  • 3. O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA 4- O movimento abolicionista Aconteceu durante o século XIX As ideias eram divulgadas através de charges, artigos, passeatas e comícios. 5- Quem eram os abolicionistas? • José do Patrocínio (jornalista, orador e abolicionista, ocupou a cadeira 21 na Academia Brasileira de Letras) • Luís Gama ( ex-escravo, conseguiu liberdade para vários escravos) 6- O que a Guerra do Paraguai tem a ver com a Abolição? Oficiais do exército viam com simpatia os negros que lutaram ao lado deles nos campos de batalha. 7- Pressão externa e interna para que D. Pedro II acabasse com a escravidão no Brasil
  • 4. EXEMPLOS DE ABOLICIONISTAS José do Patrocínio Luís Gama
  • 5. O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA 8- O imperador aboliu a escravidão de forma LENTA E GRADUAL (Leis) • Lei do Ventre Livre (28/09/1871) - os filhos de escravas nascidos a partir daquela data seriam livre (até 8 anos de idade a criança ficaria sob a autoridade do senhor • Lei do Sexagenário (28/09/1885) - declarava livres os escravos com mais de 60 anos • Lei Áurea (13/05/1888) - declarou extinta a escravidão no Brasil
  • 6. O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA 9- A vida dos libertos • Não receberam terras para plantar • Não receberam ajuda do governo • Alguns ficaram nas fazendas em troca de baixos salários e parte da colheita • Alguns foram para a cidade em busca de emprego • Os empresário priorizavam os imigrantes europeus • Os libertos ficaram com os piores salários • Muitos foram morar em morros ou cortiços • Poucos conseguiram ascender socialmente
  • 7. O PROCESSO DE ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA CURIOSIDADE! 10-O CEARÁ FOI A PRIMEIRA PROVÍNCIA DO BRASIL E ABOLIR A ESCRAVIDÃO 25/03/1884 Museu do Negro Liberto - Redenção
  • 8. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA Manifesto Republicano feito por fazendeiros do oeste paulista e profissionais liberais ( 1870- "Somos da América e queremos ser americanos") Os outros países da América já haviam abolido a escravatura 1873- Foi fundado o PRP - Partido Republicano Paulista 11- O movimento republicano dividido em 2 grupos Quintino Bocaiúva ( jornalista) - queria a República por via eleitoral Antônio da Silva Jardim (advogado) - queria a revolução popular 12- O movimento republicano ganhou força - 1880 Foram fundados clubes e jornais republicanos em todo país Os comícios de Silva Jardim atraíam muitas pessoas 13- A Questão Militar Foram punidos dois oficiais do Exército ( tenente-coronel Sena Madureira e o coronel Cunha Matos Foram punidos por denunciar corrupção e ficar do lado da abolição Marechal Deodoro da Fonseca se negou a punir Sena Madureira Marechal Deodoro foi demitido do cargo de comandante das armas do RS Deodoro e Sena Madureira viajaram ao RJ (recebidos com festa por oficiais. Ex: Major Benjamin Constant) 09/11/1889- Benjamin Constant pediu poder aos militares
  • 9. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA 14- a Proclamação da República • Com a Lei Áurea, os fazendeiros do Vale do Paraíba e do Nordeste se sentiram traídos, pois foram obrigados a libertas seus escravos • Os fazendeiros ingressaram no PRP - Partido Republicano Paulista • A classe média queria mais participação política • Os militares simpatizavam com a República • Marechal Deodoro + Quintino Bocaiúva = derrubar a Monarquia • 15/11/1889 - foi dado um golpe, Marechal Deodoro da Fonseca (com seus soldados) encerrou o período monárquico no Brasil. • O Brasil passou a ter uma nova bandeira com o lema ORDEM E PROGRESSO (positivista) 15- A República da Espada (1889-1894) : governada por militares • 15/11/1889 - Governo Provisório - Marechal Deodoro da Fonseca • Deodoro fez uma reforma financeira e aprovou a 1ª Constituição Republicana do Brasil • Rui Barbosa (ministro da fazenda)autorizou emissão de dinheiro para empréstimos a empresários • Muitos usaram o dinheiro para fundar empresas fantasmas • Vendiam ações das empresas falsas na Bolsa de Valores • Os acionistas descobriram que compraram ações falsas • Investidores perderam seu dinheiro, empresas antigas faliram e a inflação aumentou
  • 10. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA
  • 11. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA 16- A Primeira Constituição da República (fevereiro de 1891) - características • Federalismo - os estados brasileiros teriam autonomia • Haveria 3 poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário • A Igreja Católica foi separada do Estado (registro civil de nascimento, casamento e óbito) 17- Quem poderia votar? • maiores de 21 anos, • brasileiros , • alfabetizados, • não poderiam ser soldados ou membros do clero 18- O governo de Deodoro da Fonseca • Eleito indiretamente (sem participação popular) • Vice: Floriano Peixoto - oposição a Deodoro • Parlamentares votaram a limitação de poderes de Deodoro • Encilhamento: foi a forma como ficou conhecida a crise financeira ocorrida no Brasil a partir de 1890 decorrente da política econômica do governo provisório do Marechal Deodoro da Fonseca. • Deodoro mandou fechar o Congresso ( novembro de 1891) • Primeira Revolta da Armada: Militares da Marinha ameaçaram bombardear o RJ se Deodoro não renunciasse. • Deodoro renunciou e assumiu Floriano Peixoto
  • 12. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA 19- O governo de Floriano Peixoto ( o Marechal de Ferro) • Reabriu o Congresso • Formou o ministério com cafeicultores de SP • Reduziu aluguéis e preços de alguns alimentos (carne, feijão, pão e batata) • Conquistou popularidade • Seus adversários (generais do Exército) exigiam sua renúncia • Floriano aposentou os generais • Segunda Revolta da Armada (1893): a Marinha se manifesta contra Floriano e bombardeia o RJ com tiros de canhão • A Marinha exigia a saída de Floriano • Floriano venceu a Marinha com ajuda de cafeicultores e soldados do Exército • Surge o Florianismo (o povo deveria ser fiel a Floriano Peixoto) Floriano Peixoto
  • 13. O PROCESSO QUE CONDUZIU À REPÚBLICA 20- A Revolução Federalista – RS • Guerra civil por conta de disputa partidária • PRR - Partido Republicano Rio-Grandense - líder: Júlio de Castilhos (positivista) • PF - Partido Federalista - líder: Gaspar de Silveira Martins • PRR (pica-paus) X PF (maragatos) • A guerra atingiu Santa Catarina e Paraná • Morreram milhares de pessoas • Venceram os pica-paus (PRR) 1895 - Castilhismo • Quando Floriano deixou o poder, a República já estava consolidada.
  • 14. POR HOJE É SÓ JOVENS! Profª Isabel Aguiar