SlideShare uma empresa Scribd logo
República Café com LeiteRepública Café com Leite
PolíticaPolítica
1894 - Prudente de Morais
1898 - Campos Sales
1902 - Rodrigues Alves
1906 - Afonso Pena (morreu durante o mandato)
1909 - Nilo Peçanha (vice de Afonso Pena, assumiu em seu lugar)
1910 - Marechal Hermes da Fonseca
1914 - Venceslau Brás
1918 - Rodrigues Alves (eleito, morreu de gripe espanhola, sem ter assumido
o cargo)
1918- Delfim Moreira (vice de Rodrigues Alves, assumiu em seu lugar).
1919 -Epitácio Pessoa
1922 -Artur Bernardes
1926 -Washington Luís (deposto pela revolução de 1930)
1930 - Júlio Prestes de Albuquerque (eleito presidente em 1930, não tomou
posse, impedido pela Revolução de 1930).
Política dos governadores:Política dos governadores:
 Começa com o governo de Campos SalesComeça com o governo de Campos Sales
(1898- 1902)(1898- 1902)
 Presidente apóia o governo dos estadosPresidente apóia o governo dos estados
 Governadores indicam os candidatos aGovernadores indicam os candidatos a
senadoressenadores
 Os senadores formam um imensa bancada deOs senadores formam um imensa bancada de
apoio ao presidente aprovando todas asapoio ao presidente aprovando todas as
propostas no congressopropostas no congresso
Coronelismo:Coronelismo:
 Herdeiros da Guarda NacionalHerdeiros da Guarda Nacional
 Elite agráriaElite agrária
 Manipulação de eleiçõesManipulação de eleições
 Voto de cabrestoVoto de cabresto
Comissão Verificadora de Poderes:Comissão Verificadora de Poderes:
 Legalizava os resultados das eleiçõesLegalizava os resultados das eleições
Economia:Economia:
 Expansão do mercado interno do final do século XIXExpansão do mercado interno do final do século XIX
 Tradição colonial de importação de manufaturasTradição colonial de importação de manufaturas
 Desequilíbrio da balança comercialDesequilíbrio da balança comercial
 Aumento das dívidas do governoAumento das dívidas do governo
 Funding Loan:Funding Loan: Renegociação da dívida, aquisiçãoRenegociação da dívida, aquisição
de novos empréstimos com bancos inglesesde novos empréstimos com bancos ingleses
 Consequências do Funding Loan:Consequências do Funding Loan:
 Cobrança de mais impostosCobrança de mais impostos
 Tentativa de aumento da produção internaTentativa de aumento da produção interna
Política de Valorização do café:Política de Valorização do café:
 Fazendeiro Comissário Ensacadores ExportadoresFazendeiro Comissário Ensacadores Exportadores
 Exportadores passam a negociar diretamente com osExportadores passam a negociar diretamente com os
cafeicultorescafeicultores
 Produção cafeeira crescia mais que o mercadoProdução cafeeira crescia mais que o mercado
Convênio de Taubaté (1906):Convênio de Taubaté (1906):
 Governos estaduais compram o excedente de café através deGovernos estaduais compram o excedente de café através de
empréstimos tomados com o governo federal.empréstimos tomados com o governo federal.
Movimentos de contestaçãoMovimentos de contestação
Canudos (1896-1897):Canudos (1896-1897):
 Casas de cunho religioso responsáveisCasas de cunho religioso responsáveis
pela assistência às populações carentes,pela assistência às populações carentes,
principalmente no Nordeste ganhamprincipalmente no Nordeste ganham
expressão no quadro social e acentuamexpressão no quadro social e acentuam
a exacerbação da religiosidade naa exacerbação da religiosidade na
região.região.
 O beato Antônio Conselheiro funda uma dessas casasO beato Antônio Conselheiro funda uma dessas casas
de assistência, o Arraial de Canudos.de assistência, o Arraial de Canudos.
 A comunidade de Canudos teve êxito e começou aA comunidade de Canudos teve êxito e começou a
incomodar os fazendeiros locais.incomodar os fazendeiros locais.
 Antônio Conselheiro é acusado pelos fazendeiros deAntônio Conselheiro é acusado pelos fazendeiros de
ser um monarquista .ser um monarquista .
 Os grandes fazendeiros da região, unindo-se à Igreja,Os grandes fazendeiros da região, unindo-se à Igreja,
iniciaram um forte grupo de pressão junto à Repúblicainiciaram um forte grupo de pressão junto à República
recém-instaurada.recém-instaurada.
 Os moradores de Canudos uniram-se na crença de umaOs moradores de Canudos uniram-se na crença de uma
salvação milagrosa que pouparia os humildessalvação milagrosa que pouparia os humildes
habitantes do sertão dos flagelos do clima e dahabitantes do sertão dos flagelos do clima e da
exclusão econômica e social.exclusão econômica e social.
 Três expedições militares contra Canudos saíram derrotadas,Três expedições militares contra Canudos saíram derrotadas,
inclusive uma comandada pelo Coronel Antônio Moreira César,inclusive uma comandada pelo Coronel Antônio Moreira César,
conhecido como "corta-cabeças"conhecido como "corta-cabeças"
 A derrota das tropas do Exército pelos canudenses nestasA derrota das tropas do Exército pelos canudenses nestas
primeiras expedições apavorou a opinião pública, que acabouprimeiras expedições apavorou a opinião pública, que acabou
exigindo a destruição do arraial, dando legitimidade aoexigindo a destruição do arraial, dando legitimidade ao
massacre de até vinte mil sertanejosmassacre de até vinte mil sertanejos
 A guerra terminou com a destruição total de Canudos, a degolaA guerra terminou com a destruição total de Canudos, a degola
de muitos prisioneiros de guerra, e o incêndio de todas as 5.200de muitos prisioneiros de guerra, e o incêndio de todas as 5.200
casas do arraial.casas do arraial.
Contestado (1912-1916):Contestado (1912-1916):
 Região de disputa territorial entreRegião de disputa territorial entre
os estados do Paraná e Santa Catarina.os estados do Paraná e Santa Catarina.
 Populações locais são expulsasPopulações locais são expulsas
para a construção de uma ferrovia,para a construção de uma ferrovia,
além da atividade madeireira quealém da atividade madeireira que
expandia.expandia.
 Reúnem-se em torno do líder JoséReúnem-se em torno do líder José
Maria, estabelecendo acampamentosMaria, estabelecendo acampamentos
IgualitáriosIgualitários
 Movimento massacradoMovimento massacrado
Cangaço:Cangaço:
 Banditismo SocialBanditismo Social: Movimento com similaridades no mundo: Movimento com similaridades no mundo
inteiro.inteiro.
 Glorificação da imagem de Padre CíceroGlorificação da imagem de Padre Cícero
 Através de práticas criminosas esses gruposAtravés de práticas criminosas esses grupos
constituíram um grupo social à margem dasconstituíram um grupo social à margem das
estruturas de poder e das relações sociaisestruturas de poder e das relações sociais
vigentes durante o tempo das oligarquias.vigentes durante o tempo das oligarquias.
De acordo com seus interesses, osDe acordo com seus interesses, os
cangaceiros estabeleciam alianças comcangaceiros estabeleciam alianças com
aqueles que oferecessem vantagensaqueles que oferecessem vantagens
econômicas ou proteção às suas atividades.econômicas ou proteção às suas atividades.
 O líder mais importante do movimento foi Virgulino FerreiraO líder mais importante do movimento foi Virgulino Ferreira
da Silva, o Lampião, que atuou entre 1920 e 1938.da Silva, o Lampião, que atuou entre 1920 e 1938.
 A decadência do cangaço tem grande ligação com oA decadência do cangaço tem grande ligação com o
estabelecimento do Estado Novo. A criação de órgãosestabelecimento do Estado Novo. A criação de órgãos
repressores mais atuantes e a desarticulação da influênciarepressores mais atuantes e a desarticulação da influência
exercida pelos grupos oligárquicos remanescentes podem serexercida pelos grupos oligárquicos remanescentes podem ser
apontadas como as possíveis razões para o fim desse movimentoapontadas como as possíveis razões para o fim desse movimento
Revoltas UrbanasRevoltas Urbanas
Greves:Greves:
 ““Questão social é caso de polícia” - Washington LuísQuestão social é caso de polícia” - Washington Luís
 Cresce o número de trabalhadores assalariados duranteCresce o número de trabalhadores assalariados durante
o períodoo período
 As condições de trabalho não eram boas e o governoAs condições de trabalho não eram boas e o governo
não dava qualquer tipo de apoio aos trabalhadoresnão dava qualquer tipo de apoio aos trabalhadores
 Forte influência do movimento anarquista, que invade oForte influência do movimento anarquista, que invade o
Brasil com a massa de imigrantes.Brasil com a massa de imigrantes.
 Organização de greves geraisOrganização de greves gerais
 Repressão por parte do governoRepressão por parte do governo
Revolta da Vacina (1904)Revolta da Vacina (1904)
 O Rio de Janeiro sofria com condições precárias deO Rio de Janeiro sofria com condições precárias de
higiene, uma onda de doenças invade a cidade.higiene, uma onda de doenças invade a cidade.
 Política de sanitarizaçãoPolítica de sanitarização
 Reurbanização, destruição dosReurbanização, destruição dos
cortiçoscortiços
 Vacinação ObrigatóriaVacinação Obrigatória
 A população se revolta com a vacinaçãoA população se revolta com a vacinação
 A revolta é reprimidaA revolta é reprimida
Revolta da Chibata (1910)Revolta da Chibata (1910)
 Os baixos cargos da marinha eram ocupados porOs baixos cargos da marinha eram ocupados por
homens muito pobres, normalmente mulatoshomens muito pobres, normalmente mulatos
 Castigos físicosCastigos físicos
 Líder: João CândidoLíder: João Cândido
 João Cândido ameaça bombardearJoão Cândido ameaça bombardear
o Rio de Janeiro, após dominar navios.o Rio de Janeiro, após dominar navios.
 O governo de Hermes da FonsecaO governo de Hermes da Fonseca
apazigua a situação e os líderes sãoapazigua a situação e os líderes são
punidos.punidos.
Movimento TenentistaMovimento Tenentista
 O tenentismo foi um movimento social de caráter político-militarO tenentismo foi um movimento social de caráter político-militar
que ocorreu no Brasil nas décadas de 1920 e 1930. Contou,que ocorreu no Brasil nas décadas de 1920 e 1930. Contou,
principalmente, com a participação de jovens tenentes doprincipalmente, com a participação de jovens tenentes do
exército.exército.
 Este movimento contestava o coronelismo. Embora tivessemEste movimento contestava o coronelismo. Embora tivessem
uma posição conservadora e autoritária, os tenentes defendiamuma posição conservadora e autoritária, os tenentes defendiam
reformas políticas e sociais. Queriam a moralidade política noreformas políticas e sociais. Queriam a moralidade política no
país e combatiam a corrupção.país e combatiam a corrupção.
O movimento tenentista defendia as seguintes mudanças:O movimento tenentista defendia as seguintes mudanças:
- Fim do voto de cabresto;- Fim do voto de cabresto;
- Reforma no sistema educacional público do país;- Reforma no sistema educacional público do país;
- Mudança no sistema de voto aberto para secreto;- Mudança no sistema de voto aberto para secreto;
 A revolta dos 18 do Forte de Copacabana:A revolta dos 18 do Forte de Copacabana:
 A Revolta do Forte de Copacabana, em 1922, foi o primeiroA Revolta do Forte de Copacabana, em 1922, foi o primeiro
movimento militar armado, que pretendeu tirar do poder asmovimento militar armado, que pretendeu tirar do poder as
elites tradicionaiselites tradicionais
 Havia no interior do exército forte disposição contra a posse doHavia no interior do exército forte disposição contra a posse do
presidente eleito Artur Bernardes, representante das elitespresidente eleito Artur Bernardes, representante das elites
tradicionais, criticado pelos militares. Dois episódios haviamtradicionais, criticado pelos militares. Dois episódios haviam
agravado as tensões mesmo antes da eleição: a prisão doagravado as tensões mesmo antes da eleição: a prisão do
Marechal Hermes da Fonseca, então Presidente do ClubeMarechal Hermes da Fonseca, então Presidente do Clube
Militar, e as "cartas falsas" que teriam sido escritas peloMilitar, e as "cartas falsas" que teriam sido escritas pelo
candidato à presidência Artur Bernardes e endereçadas aocandidato à presidência Artur Bernardes e endereçadas ao
político mineiro e Ministro da Marinha, Dr. Raul Soares -político mineiro e Ministro da Marinha, Dr. Raul Soares -
publicadas na imprensa, criticando os militares.publicadas na imprensa, criticando os militares.
 O movimento, que deveria se estender paraO movimento, que deveria se estender para
outras unidades militares, acabou seoutras unidades militares, acabou se
restringindo ao Forte de Copacabana.restringindo ao Forte de Copacabana.
 Os únicos sobreviventes foram SiqueiraOs únicos sobreviventes foram Siqueira
Campos e Eduardo Gomes, embora tivessemCampos e Eduardo Gomes, embora tivessem
ficado bastante feridosficado bastante feridos
Coluna Prestes (1935-1927):Coluna Prestes (1935-1927):
 Líder: Luís Carlos PrestesLíder: Luís Carlos Prestes
 Encabeçado por líderes tenentistas que empreenderam grandesEncabeçado por líderes tenentistas que empreenderam grandes
jornadas para o interior do país, procurando fazer insurgir ojornadas para o interior do país, procurando fazer insurgir o
povo contra o regime oligárquico vigentepovo contra o regime oligárquico vigente
 Em suas jornadas, que se estenderam em uma distância de porEm suas jornadas, que se estenderam em uma distância de por
volta de 25.000 quilômetros, a Coluna Prestes foi perseguidavolta de 25.000 quilômetros, a Coluna Prestes foi perseguida
pelas forças orientadas pelos governo, formada tanto porpelas forças orientadas pelos governo, formada tanto por
militares e policiais estaduais quanto por jagunços contratadosmilitares e policiais estaduais quanto por jagunços contratados
 Apesar de sua invencibilidade frente às tropas do governo, aApesar de sua invencibilidade frente às tropas do governo, a
Coluna não chegou a atingir seus objetivos de provocar aColuna não chegou a atingir seus objetivos de provocar a
rebelião popular generalizada no interior do país: o povo temiarebelião popular generalizada no interior do país: o povo temia
grandemente possíveis represálias do governo.grandemente possíveis represálias do governo.
 Com o fim das jornadas da Coluna pelos interior doCom o fim das jornadas da Coluna pelos interior do
país, muitos membros remanescentes aindapaís, muitos membros remanescentes ainda
prosseguiram sua luta contra os regimes oligárquicosprosseguiram sua luta contra os regimes oligárquicos
na Bolívia e no Paraguai.na Bolívia e no Paraguai.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)
Isaquel Silva
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Elaine Bogo Pavani
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
Marilia Pimentel
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
Edenilson Morais
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
Rodrigo Luiz
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
Isaquel Silva
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
Aulas de História
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
Daniel Alves Bronstrup
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
eiprofessor
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
dmflores21
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
ANDRÉA FERREIRA
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
João Medeiros
 
Povos nativos da América.
Povos nativos da América.Povos nativos da América.
Povos nativos da América.
Camila Brito
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
Edenilson Morais
 
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Jorge Marcos Oliveira
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasil
Lucas Degiovani
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Douglas Barraqui
 

Mais procurados (20)

A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
 
Povos nativos da América.
Povos nativos da América.Povos nativos da América.
Povos nativos da América.
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasil
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 

Destaque

Republica do-cafe-com-leite-aula-pronta
Republica do-cafe-com-leite-aula-prontaRepublica do-cafe-com-leite-aula-pronta
Republica do-cafe-com-leite-aula-pronta
Fabio Santos
 
Política do café com leite
Política do café com leitePolítica do café com leite
Política do café com leite
Pérysson Nogueira
 
República do café com leite
República do café com leiteRepública do café com leite
República do café com leite
Juliana Falcão
 
Republica do cafe com leite
Republica do cafe com leiteRepublica do cafe com leite
Republica do cafe com leite
Pérysson Nogueira
 
República do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
República do Café com Leite - Prof. Altair AguilarRepública do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
República do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Politica cafe com leite
Politica cafe com leitePolitica cafe com leite
Politica cafe com leite
Guilherme Quaresma
 
Politica brasileira - Prof. Altair Aguilar
Politica brasileira - Prof. Altair AguilarPolitica brasileira - Prof. Altair Aguilar
Politica brasileira - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das OligarquiasRepublica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Pérysson Nogueira
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
eiprofessor
 
Cangaço
CangaçoCangaço
Cangaço
John Fjv
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Yara Ribeiro
 
Crise da República Velha - Os anos 20
Crise da República Velha - Os anos 20Crise da República Velha - Os anos 20
Crise da República Velha - Os anos 20
Valéria Shoujofan
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Faustino dos Santos
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
Fabio Santos
 
Monet - Prof. Altair Aguilar
Monet - Prof. Altair AguilarMonet - Prof. Altair Aguilar
Monet - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A revolução do cangaço
A revolução do cangaçoA revolução do cangaço
A revolução do cangaço
Victor Said
 
Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)
João Marcelo
 
História do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
História do Cariri, Padre Cicero e o JuazeiroHistória do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
História do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
Wilton Silva
 
Design no Cangaço Wargame
Design no Cangaço WargameDesign no Cangaço Wargame
Design no Cangaço Wargame
Wandreson Souza
 
Canudos
CanudosCanudos
Canudos
ammfiles
 

Destaque (20)

Republica do-cafe-com-leite-aula-pronta
Republica do-cafe-com-leite-aula-prontaRepublica do-cafe-com-leite-aula-pronta
Republica do-cafe-com-leite-aula-pronta
 
Política do café com leite
Política do café com leitePolítica do café com leite
Política do café com leite
 
República do café com leite
República do café com leiteRepública do café com leite
República do café com leite
 
Republica do cafe com leite
Republica do cafe com leiteRepublica do cafe com leite
Republica do cafe com leite
 
República do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
República do Café com Leite - Prof. Altair AguilarRepública do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
República do Café com Leite - Prof. Altair Aguilar
 
Politica cafe com leite
Politica cafe com leitePolitica cafe com leite
Politica cafe com leite
 
Politica brasileira - Prof. Altair Aguilar
Politica brasileira - Prof. Altair AguilarPolitica brasileira - Prof. Altair Aguilar
Politica brasileira - Prof. Altair Aguilar
 
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das OligarquiasRepublica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
 
República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)República Velha (Espadas)
República Velha (Espadas)
 
Cangaço
CangaçoCangaço
Cangaço
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
Crise da República Velha - Os anos 20
Crise da República Velha - Os anos 20Crise da República Velha - Os anos 20
Crise da República Velha - Os anos 20
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
 
Monet - Prof. Altair Aguilar
Monet - Prof. Altair AguilarMonet - Prof. Altair Aguilar
Monet - Prof. Altair Aguilar
 
A revolução do cangaço
A revolução do cangaçoA revolução do cangaço
A revolução do cangaço
 
Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)Sedição de Juazeiro (1914)
Sedição de Juazeiro (1914)
 
História do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
História do Cariri, Padre Cicero e o JuazeiroHistória do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
História do Cariri, Padre Cicero e o Juazeiro
 
Design no Cangaço Wargame
Design no Cangaço WargameDesign no Cangaço Wargame
Design no Cangaço Wargame
 
Canudos
CanudosCanudos
Canudos
 

Semelhante a A república café com leite

República Velha 1
República Velha 1República Velha 1
República Velha 1
seixasmarianas
 
Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velha
msmanaus
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
Nelia Salles Nantes
 
Crise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da repúblicaCrise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da república
Rodrigo Luiz
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
Revotas coloniais
Revotas coloniaisRevotas coloniais
Revotas coloniais
Evanilde Chuva
 
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
Rafael Noronha
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Professora Natália de Oliveira
 
Brasil Republica
Brasil RepublicaBrasil Republica
Brasil Republica
Zeze Silva
 
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
Rariana Sousa
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
wladimir1aguiar
 
Movimentos Messiânicos
Movimentos MessiânicosMovimentos Messiânicos
Movimentos Messiânicos
Wilton Silva
 
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. MedeirosBrasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
João Medeiros
 
Problemas sociais na república velha
Problemas sociais na república velhaProblemas sociais na república velha
Problemas sociais na república velha
Prof.Marcio LHP
 
Regime militar2
Regime militar2Regime militar2
Regime militar2
Bruno E Geyse Ornelas
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasil
Rodrigo Luiz
 
Brasil República Velha
Brasil República VelhaBrasil República Velha
Brasil República Velha
Marcos Judice
 
brasil republica.pdf
brasil republica.pdfbrasil republica.pdf
brasil republica.pdf
rickelmysilva1
 

Semelhante a A república café com leite (20)

República Velha 1
República Velha 1República Velha 1
República Velha 1
 
Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velha
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
 
Crise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da repúblicaCrise do império e proclamação da república
Crise do império e proclamação da república
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
 
2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha2° ano - Brasil República Velha
2° ano - Brasil República Velha
 
Revotas coloniais
Revotas coloniaisRevotas coloniais
Revotas coloniais
 
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)Brasil: República Oligárquica   (estruturas e questões sociais e políticas)
Brasil: República Oligárquica (estruturas e questões sociais e políticas)
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
Brasil Republica
Brasil RepublicaBrasil Republica
Brasil Republica
 
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
Repvelhaatesuicidio 091210082146-phpapp01
 
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
Movimentossociaisnarepblicavelha1889 1930-130326111526-phpapp01
 
Movimentos Messiânicos
Movimentos MessiânicosMovimentos Messiânicos
Movimentos Messiânicos
 
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. MedeirosBrasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
Brasil Republicano: revoltas, lutas e conquistas. - Prof. Medeiros
 
Problemas sociais na república velha
Problemas sociais na república velhaProblemas sociais na república velha
Problemas sociais na república velha
 
Regime militar2
Regime militar2Regime militar2
Regime militar2
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasil
 
Brasil República Velha
Brasil República VelhaBrasil República Velha
Brasil República Velha
 
brasil republica.pdf
brasil republica.pdfbrasil republica.pdf
brasil republica.pdf
 

Mais de Isaquel Silva

Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
Maiores e menores médias por curso - UPE 2017Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
Isaquel Silva
 
UPE 2018 - Manual SSA 3
UPE 2018 - Manual SSA 3UPE 2018 - Manual SSA 3
UPE 2018 - Manual SSA 3
Isaquel Silva
 
UPE 2018 - Manual SSA 2
UPE 2018 - Manual SSA 2UPE 2018 - Manual SSA 2
UPE 2018 - Manual SSA 2
Isaquel Silva
 
UPE 2018 - Manual SSA 1
UPE 2018 - Manual SSA 1UPE 2018 - Manual SSA 1
UPE 2018 - Manual SSA 1
Isaquel Silva
 
A Nova República (1985 )
A Nova República (1985 )A Nova República (1985 )
A Nova República (1985 )
Isaquel Silva
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Isaquel Silva
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
Isaquel Silva
 
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
Isaquel Silva
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
Isaquel Silva
 
Conflitos Árabes-Israelenses
Conflitos Árabes-IsraelensesConflitos Árabes-Israelenses
Conflitos Árabes-Israelenses
Isaquel Silva
 
As instituições sociais
As instituições sociais As instituições sociais
As instituições sociais
Isaquel Silva
 
Estrutura e Organização Social
Estrutura e Organização Social Estrutura e Organização Social
Estrutura e Organização Social
Isaquel Silva
 
Brasil República
Brasil República  Brasil República
Brasil República
Isaquel Silva
 
Conflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médioConflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médio
Isaquel Silva
 
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
Isaquel Silva
 
A montagem do sistema colonial
A montagem do sistema colonialA montagem do sistema colonial
A montagem do sistema colonial
Isaquel Silva
 
A conquista da América
A conquista da América A conquista da América
A conquista da América
Isaquel Silva
 
Livro de sociologia do 6º ano 2017 - Tópico I
Livro de sociologia do 6º ano 2017    - Tópico ILivro de sociologia do 6º ano 2017    - Tópico I
Livro de sociologia do 6º ano 2017 - Tópico I
Isaquel Silva
 
Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985) Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985)
Isaquel Silva
 
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCOLISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
Isaquel Silva
 

Mais de Isaquel Silva (20)

Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
Maiores e menores médias por curso - UPE 2017Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
Maiores e menores médias por curso - UPE 2017
 
UPE 2018 - Manual SSA 3
UPE 2018 - Manual SSA 3UPE 2018 - Manual SSA 3
UPE 2018 - Manual SSA 3
 
UPE 2018 - Manual SSA 2
UPE 2018 - Manual SSA 2UPE 2018 - Manual SSA 2
UPE 2018 - Manual SSA 2
 
UPE 2018 - Manual SSA 1
UPE 2018 - Manual SSA 1UPE 2018 - Manual SSA 1
UPE 2018 - Manual SSA 1
 
A Nova República (1985 )
A Nova República (1985 )A Nova República (1985 )
A Nova República (1985 )
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
 
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
A crise de 1929 e o Nazi-Fascismo
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Conflitos Árabes-Israelenses
Conflitos Árabes-IsraelensesConflitos Árabes-Israelenses
Conflitos Árabes-Israelenses
 
As instituições sociais
As instituições sociais As instituições sociais
As instituições sociais
 
Estrutura e Organização Social
Estrutura e Organização Social Estrutura e Organização Social
Estrutura e Organização Social
 
Brasil República
Brasil República  Brasil República
Brasil República
 
Conflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médioConflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médio
 
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
A América Latina e os Estados Unidos no Século XIX
 
A montagem do sistema colonial
A montagem do sistema colonialA montagem do sistema colonial
A montagem do sistema colonial
 
A conquista da América
A conquista da América A conquista da América
A conquista da América
 
Livro de sociologia do 6º ano 2017 - Tópico I
Livro de sociologia do 6º ano 2017    - Tópico ILivro de sociologia do 6º ano 2017    - Tópico I
Livro de sociologia do 6º ano 2017 - Tópico I
 
Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985) Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985)
 
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCOLISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
LISTA DOS APROVADOS NO CONCURSO DA POLÍCIA MILITAR DE PERNAMBUCO
 

A república café com leite

  • 1. República Café com LeiteRepública Café com Leite
  • 2. PolíticaPolítica 1894 - Prudente de Morais 1898 - Campos Sales 1902 - Rodrigues Alves 1906 - Afonso Pena (morreu durante o mandato) 1909 - Nilo Peçanha (vice de Afonso Pena, assumiu em seu lugar) 1910 - Marechal Hermes da Fonseca 1914 - Venceslau Brás 1918 - Rodrigues Alves (eleito, morreu de gripe espanhola, sem ter assumido o cargo) 1918- Delfim Moreira (vice de Rodrigues Alves, assumiu em seu lugar). 1919 -Epitácio Pessoa 1922 -Artur Bernardes 1926 -Washington Luís (deposto pela revolução de 1930) 1930 - Júlio Prestes de Albuquerque (eleito presidente em 1930, não tomou posse, impedido pela Revolução de 1930).
  • 3. Política dos governadores:Política dos governadores:  Começa com o governo de Campos SalesComeça com o governo de Campos Sales (1898- 1902)(1898- 1902)  Presidente apóia o governo dos estadosPresidente apóia o governo dos estados  Governadores indicam os candidatos aGovernadores indicam os candidatos a senadoressenadores  Os senadores formam um imensa bancada deOs senadores formam um imensa bancada de apoio ao presidente aprovando todas asapoio ao presidente aprovando todas as propostas no congressopropostas no congresso
  • 4. Coronelismo:Coronelismo:  Herdeiros da Guarda NacionalHerdeiros da Guarda Nacional  Elite agráriaElite agrária  Manipulação de eleiçõesManipulação de eleições  Voto de cabrestoVoto de cabresto Comissão Verificadora de Poderes:Comissão Verificadora de Poderes:  Legalizava os resultados das eleiçõesLegalizava os resultados das eleições
  • 5. Economia:Economia:  Expansão do mercado interno do final do século XIXExpansão do mercado interno do final do século XIX  Tradição colonial de importação de manufaturasTradição colonial de importação de manufaturas  Desequilíbrio da balança comercialDesequilíbrio da balança comercial  Aumento das dívidas do governoAumento das dívidas do governo  Funding Loan:Funding Loan: Renegociação da dívida, aquisiçãoRenegociação da dívida, aquisição de novos empréstimos com bancos inglesesde novos empréstimos com bancos ingleses  Consequências do Funding Loan:Consequências do Funding Loan:  Cobrança de mais impostosCobrança de mais impostos  Tentativa de aumento da produção internaTentativa de aumento da produção interna
  • 6. Política de Valorização do café:Política de Valorização do café:  Fazendeiro Comissário Ensacadores ExportadoresFazendeiro Comissário Ensacadores Exportadores  Exportadores passam a negociar diretamente com osExportadores passam a negociar diretamente com os cafeicultorescafeicultores  Produção cafeeira crescia mais que o mercadoProdução cafeeira crescia mais que o mercado Convênio de Taubaté (1906):Convênio de Taubaté (1906):  Governos estaduais compram o excedente de café através deGovernos estaduais compram o excedente de café através de empréstimos tomados com o governo federal.empréstimos tomados com o governo federal.
  • 7. Movimentos de contestaçãoMovimentos de contestação Canudos (1896-1897):Canudos (1896-1897):  Casas de cunho religioso responsáveisCasas de cunho religioso responsáveis pela assistência às populações carentes,pela assistência às populações carentes, principalmente no Nordeste ganhamprincipalmente no Nordeste ganham expressão no quadro social e acentuamexpressão no quadro social e acentuam a exacerbação da religiosidade naa exacerbação da religiosidade na região.região.
  • 8.  O beato Antônio Conselheiro funda uma dessas casasO beato Antônio Conselheiro funda uma dessas casas de assistência, o Arraial de Canudos.de assistência, o Arraial de Canudos.  A comunidade de Canudos teve êxito e começou aA comunidade de Canudos teve êxito e começou a incomodar os fazendeiros locais.incomodar os fazendeiros locais.  Antônio Conselheiro é acusado pelos fazendeiros deAntônio Conselheiro é acusado pelos fazendeiros de ser um monarquista .ser um monarquista .  Os grandes fazendeiros da região, unindo-se à Igreja,Os grandes fazendeiros da região, unindo-se à Igreja, iniciaram um forte grupo de pressão junto à Repúblicainiciaram um forte grupo de pressão junto à República recém-instaurada.recém-instaurada.  Os moradores de Canudos uniram-se na crença de umaOs moradores de Canudos uniram-se na crença de uma salvação milagrosa que pouparia os humildessalvação milagrosa que pouparia os humildes habitantes do sertão dos flagelos do clima e dahabitantes do sertão dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social.exclusão econômica e social.
  • 9.  Três expedições militares contra Canudos saíram derrotadas,Três expedições militares contra Canudos saíram derrotadas, inclusive uma comandada pelo Coronel Antônio Moreira César,inclusive uma comandada pelo Coronel Antônio Moreira César, conhecido como "corta-cabeças"conhecido como "corta-cabeças"  A derrota das tropas do Exército pelos canudenses nestasA derrota das tropas do Exército pelos canudenses nestas primeiras expedições apavorou a opinião pública, que acabouprimeiras expedições apavorou a opinião pública, que acabou exigindo a destruição do arraial, dando legitimidade aoexigindo a destruição do arraial, dando legitimidade ao massacre de até vinte mil sertanejosmassacre de até vinte mil sertanejos  A guerra terminou com a destruição total de Canudos, a degolaA guerra terminou com a destruição total de Canudos, a degola de muitos prisioneiros de guerra, e o incêndio de todas as 5.200de muitos prisioneiros de guerra, e o incêndio de todas as 5.200 casas do arraial.casas do arraial.
  • 10. Contestado (1912-1916):Contestado (1912-1916):  Região de disputa territorial entreRegião de disputa territorial entre os estados do Paraná e Santa Catarina.os estados do Paraná e Santa Catarina.  Populações locais são expulsasPopulações locais são expulsas para a construção de uma ferrovia,para a construção de uma ferrovia, além da atividade madeireira quealém da atividade madeireira que expandia.expandia.  Reúnem-se em torno do líder JoséReúnem-se em torno do líder José Maria, estabelecendo acampamentosMaria, estabelecendo acampamentos IgualitáriosIgualitários  Movimento massacradoMovimento massacrado
  • 11. Cangaço:Cangaço:  Banditismo SocialBanditismo Social: Movimento com similaridades no mundo: Movimento com similaridades no mundo inteiro.inteiro.  Glorificação da imagem de Padre CíceroGlorificação da imagem de Padre Cícero  Através de práticas criminosas esses gruposAtravés de práticas criminosas esses grupos constituíram um grupo social à margem dasconstituíram um grupo social à margem das estruturas de poder e das relações sociaisestruturas de poder e das relações sociais vigentes durante o tempo das oligarquias.vigentes durante o tempo das oligarquias. De acordo com seus interesses, osDe acordo com seus interesses, os cangaceiros estabeleciam alianças comcangaceiros estabeleciam alianças com aqueles que oferecessem vantagensaqueles que oferecessem vantagens econômicas ou proteção às suas atividades.econômicas ou proteção às suas atividades.
  • 12.  O líder mais importante do movimento foi Virgulino FerreiraO líder mais importante do movimento foi Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, que atuou entre 1920 e 1938.da Silva, o Lampião, que atuou entre 1920 e 1938.  A decadência do cangaço tem grande ligação com oA decadência do cangaço tem grande ligação com o estabelecimento do Estado Novo. A criação de órgãosestabelecimento do Estado Novo. A criação de órgãos repressores mais atuantes e a desarticulação da influênciarepressores mais atuantes e a desarticulação da influência exercida pelos grupos oligárquicos remanescentes podem serexercida pelos grupos oligárquicos remanescentes podem ser apontadas como as possíveis razões para o fim desse movimentoapontadas como as possíveis razões para o fim desse movimento
  • 13. Revoltas UrbanasRevoltas Urbanas Greves:Greves:  ““Questão social é caso de polícia” - Washington LuísQuestão social é caso de polícia” - Washington Luís  Cresce o número de trabalhadores assalariados duranteCresce o número de trabalhadores assalariados durante o períodoo período  As condições de trabalho não eram boas e o governoAs condições de trabalho não eram boas e o governo não dava qualquer tipo de apoio aos trabalhadoresnão dava qualquer tipo de apoio aos trabalhadores  Forte influência do movimento anarquista, que invade oForte influência do movimento anarquista, que invade o Brasil com a massa de imigrantes.Brasil com a massa de imigrantes.  Organização de greves geraisOrganização de greves gerais  Repressão por parte do governoRepressão por parte do governo
  • 14. Revolta da Vacina (1904)Revolta da Vacina (1904)  O Rio de Janeiro sofria com condições precárias deO Rio de Janeiro sofria com condições precárias de higiene, uma onda de doenças invade a cidade.higiene, uma onda de doenças invade a cidade.  Política de sanitarizaçãoPolítica de sanitarização  Reurbanização, destruição dosReurbanização, destruição dos cortiçoscortiços  Vacinação ObrigatóriaVacinação Obrigatória  A população se revolta com a vacinaçãoA população se revolta com a vacinação  A revolta é reprimidaA revolta é reprimida
  • 15. Revolta da Chibata (1910)Revolta da Chibata (1910)  Os baixos cargos da marinha eram ocupados porOs baixos cargos da marinha eram ocupados por homens muito pobres, normalmente mulatoshomens muito pobres, normalmente mulatos  Castigos físicosCastigos físicos  Líder: João CândidoLíder: João Cândido  João Cândido ameaça bombardearJoão Cândido ameaça bombardear o Rio de Janeiro, após dominar navios.o Rio de Janeiro, após dominar navios.  O governo de Hermes da FonsecaO governo de Hermes da Fonseca apazigua a situação e os líderes sãoapazigua a situação e os líderes são punidos.punidos.
  • 16. Movimento TenentistaMovimento Tenentista  O tenentismo foi um movimento social de caráter político-militarO tenentismo foi um movimento social de caráter político-militar que ocorreu no Brasil nas décadas de 1920 e 1930. Contou,que ocorreu no Brasil nas décadas de 1920 e 1930. Contou, principalmente, com a participação de jovens tenentes doprincipalmente, com a participação de jovens tenentes do exército.exército.  Este movimento contestava o coronelismo. Embora tivessemEste movimento contestava o coronelismo. Embora tivessem uma posição conservadora e autoritária, os tenentes defendiamuma posição conservadora e autoritária, os tenentes defendiam reformas políticas e sociais. Queriam a moralidade política noreformas políticas e sociais. Queriam a moralidade política no país e combatiam a corrupção.país e combatiam a corrupção. O movimento tenentista defendia as seguintes mudanças:O movimento tenentista defendia as seguintes mudanças: - Fim do voto de cabresto;- Fim do voto de cabresto; - Reforma no sistema educacional público do país;- Reforma no sistema educacional público do país; - Mudança no sistema de voto aberto para secreto;- Mudança no sistema de voto aberto para secreto;
  • 17.  A revolta dos 18 do Forte de Copacabana:A revolta dos 18 do Forte de Copacabana:  A Revolta do Forte de Copacabana, em 1922, foi o primeiroA Revolta do Forte de Copacabana, em 1922, foi o primeiro movimento militar armado, que pretendeu tirar do poder asmovimento militar armado, que pretendeu tirar do poder as elites tradicionaiselites tradicionais  Havia no interior do exército forte disposição contra a posse doHavia no interior do exército forte disposição contra a posse do presidente eleito Artur Bernardes, representante das elitespresidente eleito Artur Bernardes, representante das elites tradicionais, criticado pelos militares. Dois episódios haviamtradicionais, criticado pelos militares. Dois episódios haviam agravado as tensões mesmo antes da eleição: a prisão doagravado as tensões mesmo antes da eleição: a prisão do Marechal Hermes da Fonseca, então Presidente do ClubeMarechal Hermes da Fonseca, então Presidente do Clube Militar, e as "cartas falsas" que teriam sido escritas peloMilitar, e as "cartas falsas" que teriam sido escritas pelo candidato à presidência Artur Bernardes e endereçadas aocandidato à presidência Artur Bernardes e endereçadas ao político mineiro e Ministro da Marinha, Dr. Raul Soares -político mineiro e Ministro da Marinha, Dr. Raul Soares - publicadas na imprensa, criticando os militares.publicadas na imprensa, criticando os militares.
  • 18.  O movimento, que deveria se estender paraO movimento, que deveria se estender para outras unidades militares, acabou seoutras unidades militares, acabou se restringindo ao Forte de Copacabana.restringindo ao Forte de Copacabana.  Os únicos sobreviventes foram SiqueiraOs únicos sobreviventes foram Siqueira Campos e Eduardo Gomes, embora tivessemCampos e Eduardo Gomes, embora tivessem ficado bastante feridosficado bastante feridos
  • 19. Coluna Prestes (1935-1927):Coluna Prestes (1935-1927):  Líder: Luís Carlos PrestesLíder: Luís Carlos Prestes  Encabeçado por líderes tenentistas que empreenderam grandesEncabeçado por líderes tenentistas que empreenderam grandes jornadas para o interior do país, procurando fazer insurgir ojornadas para o interior do país, procurando fazer insurgir o povo contra o regime oligárquico vigentepovo contra o regime oligárquico vigente  Em suas jornadas, que se estenderam em uma distância de porEm suas jornadas, que se estenderam em uma distância de por volta de 25.000 quilômetros, a Coluna Prestes foi perseguidavolta de 25.000 quilômetros, a Coluna Prestes foi perseguida pelas forças orientadas pelos governo, formada tanto porpelas forças orientadas pelos governo, formada tanto por militares e policiais estaduais quanto por jagunços contratadosmilitares e policiais estaduais quanto por jagunços contratados  Apesar de sua invencibilidade frente às tropas do governo, aApesar de sua invencibilidade frente às tropas do governo, a Coluna não chegou a atingir seus objetivos de provocar aColuna não chegou a atingir seus objetivos de provocar a rebelião popular generalizada no interior do país: o povo temiarebelião popular generalizada no interior do país: o povo temia grandemente possíveis represálias do governo.grandemente possíveis represálias do governo.
  • 20.  Com o fim das jornadas da Coluna pelos interior doCom o fim das jornadas da Coluna pelos interior do país, muitos membros remanescentes aindapaís, muitos membros remanescentes ainda prosseguiram sua luta contra os regimes oligárquicosprosseguiram sua luta contra os regimes oligárquicos na Bolívia e no Paraguai.na Bolívia e no Paraguai.