SlideShare uma empresa Scribd logo
Lições Adultos Missionários
Lição 4 - A saga de Jonas 18 a 25 de julho
❉ Sábado - “Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo
contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo Lhe é aceitável”. At 10:34, 35.
“Na história de Nínive há uma lição que vocês devem estudar cuidadosamente. [...] Devem conhecer seus
deveres para com o semelhante, ignorante e corrompido, que necessita de sua ajuda”. (Cristo Triunfante [MM
2002], p. 171).
A igreja é o instrumento apontado por Deus para a salvação das pessoas. Foi organizada para servir, e sua
missão é levar o evangelho ao mundo. Desde o princípio tem sido plano de Deus que, por meio de Sua igreja
seja refletida para o mundo Sua plenitude e suficiência. Aos membros da igreja, a quem Ele chamou das
trevas para Sua maravilhosa luz, compete manifestar Sua glória. A igreja é a depositária das riquezas da graça
de Cristo; e pela igreja será, a seu tempo manifesta, mesmo aos “principados e potestades nos Céus” (Ef 3:10),
a final e ampla demonstração do amor de Deus. (Atos dos Apóstolos, p. 9).
O Senhor não faz acepção de pessoas nem de lugares. Sua obra é um grande todo. Sua verdade tem que ser
proclamada a toda nação, tribo, língua e povo. E, à medida que novos campos são alcançados e o povo aceita
a verdade, é necessário edificar casas de culto e edifícios escolares, bem como se devem suprir outros
recursos […]
A obra do Senhor em novos territórios tem que ser levada avante, a uma feliz realização. Os planos de Deus
têm que ser seguidos, e não as inclinações dos que desejariam reunir todas as vantagens possíveis na região
sobre que superintendem, ao passo que se esquecem de que outras partes da vinha do Senhor se acham
inteiramente destituídas dessas vantagens. (Obreiros Evangélicos, p. 456).
❉ Domingo - O profeta falho Ano Bíblico: Ec 5–8
● 1. O que 2 Reis 14:25 fala sobre Jonas? Sob que perspectiva ele é apresentado?
2Rs 14:25, (kja); 25 Restabeleceu as fronteiras de Israel, desde a entrada de Hamate, no Norte, até o mar da
Arabá, o mar Morto, no Sul, tudo conforme Yahweh, o SENHOR Deus de Israel, havia prometido por
intermédio do seu servo, o profeta Jonas, filho do profeta Amitai, de Gate-Héfer.
► 1. Diz que ele era um servo de Deus, um profeta cuja predição a respeito de Jeroboão se cumpriu, e que era
da cidade de Gate-Hefer, cidade cujo território posteriormente passou a pertencer à Galileia.
Jonah: (Heb Yonah, "pomba"; em latim Ionas, "pomba").
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
Profeta do reino do norte de Israel, cujo ministério pode ocorrer antes ou durante a primeira parte do reinado
de Jeroboão II (c 793 aC 753 aC), cerca de aproximadamente 2 séculos após a morte de Salomão e da divisão
do reino (c 931 aC). Ele era o filho de Amitai (1 Jon:. 1), e sua casa era Gate-Hefer (expressão hebraica que
significa “lagar na poça d’água”) na Galiléia (2 Reis 14:25). Fora da informação dada no livro de Jonas, a
única coisa que sabe sobre ele é que em algum momento durante o reinado de Jeroboão, ou antes, previu a
restauração da fronteira norte de Israel (v 25).
● 2. Leia Jonas 1:1-3, 9-12; 3:3-10; 2:1-9. Que quadro esses versos apresentam sobre Jonas, quanto aos
aspectos bons e aos ruins?
Jn 1:1-3, (JFA-RC); 1 E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: 2 Levanta-te, vai à
grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. 3 E Jonas se levantou para
fugir de diante da face do SENHOR para Társis; e, descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis;
pagou, pois, a sua passagem e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, de diante da face do
SENHOR.
Jn 1:9-12, (JFA-RC); 9 E ele lhes disse: Eu sou hebreu e temo ao SENHOR, o Deus do céu, que fez o mar e a
terra seca. 10 Então, os homens se encheram de grande temor e lhe disseram: Por que fizeste tu isso? Pois
sabiam os homens que fugia de diante do SENHOR, porque ele lho tinha declarado. 11 E disseram-lhe: Que te
faremos nós, para que o mar se acalme? Por que o mar se elevava e engrossava cada vez mais. 12 E ele lhes
disse: Levantai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que, por minha causa, vos
sobreveio esta grande tempestade.
Jn 3:3-10, (JFA-RC); 3 E levantou-se Jonas e foi a Nínive, segundo a palavra do SENHOR; era, pois, Nínive
uma grande cidade, de três dias de caminho. 4 E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e
pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. 5 E os homens de Nínive creram em Deus, e
proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até ao menor. 6 Porque esta palavra
chegou ao rei de Nínive, e levantou-se do seu trono, e tirou de si as suas vestes, e cobriu-se de pano de saco, e
assentou-se sobre a cinza. 7 E fez uma proclamação, que se divulgou em Nínive, por mandado do rei e dos
seus grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes
dê pasto, nem bebam água. 8 Mas os homens e os animais estarão cobertos de panos de saco, e clamarão
fortemente a Deus, e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos. 9
Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não
pereçamos? 10 E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu
do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.
Jn 2:1-10, (JFA-RC); 1 E orou Jonas ao SENHOR, seu Deus, das entranhas do peixe. 2 E disse: Na minha
angústia, clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz. 3
Porque tu me lançaste no profundo, no coração dos mares, e a corrente me cercou; todas as tuas ondas e as
tuas vagas têm passado por cima de mim. 4 E eu disse: Lançado estou de diante dos teus olhos; todavia,
tornarei a ver o templo da tua santidade. 5 As águas me cercaram até à alma, o abismo me rodeou, e as algas se
enrolaram na minha cabeça. 6 Eu desci até aos fundamentos dos montes; os ferrolhos da terra correram-se
sobre mim para sempre; mas tu livraste a minha vida da perdição, ó SENHOR, meu Deus. 7 Quando
desfalecia em mim a minha alma, eu me lembrei do SENHOR; e entrou a ti a minha oração, no templo da tua
santidade. 8 Os que observam as vaidades vãs deixam a sua própria misericórdia. 9 Mas eu te oferecerei
sacrifício com a voz do agradecimento; o que votei pagarei; do SENHOR vem a salvação. 10 Falou, pois, o
SENHOR ao peixe, e ele vomitou a Jonas na terra.
► 2. Aspectos ruins: Jonas desprezou os ninivitas, foi rebelde diante da ordem de Deus e fugiu da missão
porque desejava o mal para os assírios; aspectos bons: admitiu seu erro diante dos marinheiros, declarou sua fé
em Deus, enfrentou as consequências de seus atos, ao pedir que o jogassem ao mar, humilhou-se no ventre do
peixe e se dispôs a cumprir a ordem de Deus.
A caneta da Inspiração, fiel à sua tarefa, nos conta os pecados em que caíram Noé, Ló, Moisés, Abraão,
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
Davi e Salomão, e que mesmo o forte espírito de Elias sucumbiu ante a tentação durante sua terrível prova. A
desobediência de Jonas e a idolatria de Israel são fielmente relatadas. A negação de Cristo por parte de Pedro,
a discussão afiada entre Paulo e Barnabé, as falhas e fraquezas dos profetas e dos apóstolos – tudo é exposto
pelo Espírito Santo, que retira o véu do coração humano. Ali se acha diante de nós a vida dos cristãos, com
todas as suas faltas e loucuras, que servem de lição a todas as gerações que os seguem. Se tivessem sido
isentos de fraquezas, teriam sido mais que humanos, e nossa natureza pecaminosa se desesperaria por nunca
atingir tal grau de excelência. Mas, vendo onde eles lutaram e caíram, onde se animaram outra vez e
venceram pela graça de Deus, somos animados e induzidos a avançar e passar por cima dos obstáculos que a
natureza degenerada coloca em nosso caminho. (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 12).
❉ Segunda - Um dos primeiros missionários Ano Bíblico: Ec 9–12
● 3. Leia Jonas 1:3-17. Que lições podemos obter dessa impressionante narrativa?
Jn 1:3-17, (NVI); 3 Mas Jonas fugiu da presença do Senhor, dirigindo-se para Társis. Desceu à cidade de Jope,
onde encontrou um navio que se destinava àquele porto. Depois de pagar a passagem, embarcou para Társis,
para fugir do Senhor. 4 O Senhor, porém, fez soprar um forte vento sobre o mar, e caiu uma tempestade tão
violenta que o barco ameaçava arrebentar-se. 5 Todos os marinheiros ficaram com medo e cada um clamava
ao seu próprio deus. E atiraram as cargas ao mar para tornar mais leve o navio. Enquanto isso, Jonas, que tinha
descido para o porão e se deitado, dormia profundamente. 6 O capitão dirigiu-se a ele e disse: "Como você
pode ficar aí dormindo? Levante-se e clame ao seu deus! Talvez ele tenha piedade de nós e não morramos". 7
Então os marinheiros combinaram entre si: "Vamos tirar sortes para descobrir quem é o responsável por esta
desgraça que se abateu sobre nós". Tiraram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. 8 Por isso lhe perguntaram:
"Diga-nos, quem é o responsável por esta calamidade? Qual é a sua profissão? De onde você vem? Qual é a
sua terra? A que povo você pertence? " 9 Ele respondeu: "Eu sou hebreu, adorador do Senhor, o Deus dos
céus, que fez o mar e a terra". 10 Com isso eles ficaram apavorados e perguntaram: "O que foi que você fez? ",
pois sabiam que Jonas estava fugindo do Senhor, porque ele já lhes tinha dito. 11 Visto que o mar estava cada
vez mais agitado, eles lhe perguntaram: "O que devemos fazer com você, para que o mar se acalme? " 12
Respondeu ele: "Peguem-me e joguem-me ao mar, e ele se acalmará. Pois eu sei que é por minha causa que
esta violenta tempestade caiu sobre vocês". 13 Ao invés disso, os homens se esforçaram ao máximo para
remar de volta à terra. Mas não conseguiram, porque o mar tinha ficado ainda mais violento. 14 Então eles
clamaram ao Senhor: "Senhor, nós suplicamos, não nos deixes morrer por tirarmos a vida deste homem. Não
caia sobre nós a culpa de matar um inocente, porque tu, ó Senhor, fizeste o que desejavas". 15 Então, pegaram
Jonas e o lançaram ao mar enfurecido, e este se aquietou. 16 Ao verem isso, os homens adoraram ao Senhor
com temor, oferecendo-lhe sacrifício e fazendo-lhe votos. 17 Então o Senhor fez com que um grande peixe
engolisse Jonas, e ele ficou dentro do peixe três dias e três noites.
► 3. Não podemos fugir do Senhor, e mesmo que tentemos fazer isso, Ele irá atrás de nós e dirigirá os
acontecimentos de forma que possa nos salvar. Deus amava e queria salvar tanto Jonas quanto os ninivitas.
Embora ímpia como se havia tornado, Nínive não estava inteiramente entregue ao mal. Aquele que “está
vendo a todos os filhos dos homens” (Sl 33:13), […] viu na cidade muitos que estavam procurando alguma
coisa melhor e mais elevada. […] Deus Se revelou a eles de maneira inconfundível, a fim de levá-los, se
possível, ao arrependimento.
O instrumento escolhido para essa obra foi o profeta Jonas. […] Se o profeta tivesse obedecido sem
questionar, teriam sido poupadas muitas experiências amargas e ele teria sido grandemente abençoado.
Entretanto, na hora do desespero de Jonas o Senhor não Se afastou dele. Por meio de uma série de provas e
estranhas providências, a confiança do profeta em Deus e em Seu infinito poder para salvar devia ser revivida
[…]
Uma vez mais o servo de Deus foi comissionado para advertir Nínive. … Entrando na cidade, Jonas
começou a pregar “contra ela” a mensagem: “Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.” De rua em rua,
ele ia fazendo soar a nota de advertência.
A mensagem não foi em vão. O clamor que soava através das ruas da ímpia cidade ia passando de boca
em boca, até que todos os habitantes tivessem ouvido o assustador anúncio. O Espírito de Deus imprimiu a
mensagem em cada coração, e levou multidões a tremer por causa de seus pecados, e a se arrependerem em
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
profunda humilhação. […] Sua condenação foi evitada. O Deus de Israel foi exaltado e honrado através do
mundo pagão, e Sua lei foi reverenciada. Não seria senão muitos anos mais tarde que Nínive devia cair presa
das nações vizinhas por causa do seu esquecimento de Deus e jactancioso orgulho […] A lição é para os
mensageiros de Deus hoje, quando as cidades das nações se encontram tão verdadeiramente em necessidade
do conhecimento dos atributos e propósitos do verdadeiro Deus, como os ninivitas do passado. […] De acordo
com os ensinamentos das Sagradas Escrituras, a única cidade que permanece é aquela cujo artífice e construtor
é Deus. […] O Senhor Jesus está convidando os seres humanos a se empenharem com santificada ambição no
sentido de assegurarem a herança imortal. (Vidas que Falam [MM 1971], p. 230).
Que ninguém suponha que, tendo sido usado como instrumento do Senhor, seja por isso todo-suficiente. O
Senhor emprega homens e os honra dando-lhes Sua sabedoria enquanto são fiéis e não acumulam glória para
si mesmos. Aqueles que se excluem das mãos do Senhor e se julgam capazes de realizar a obra não são
guiados pelo Seu Espírito, mas por “outro espírito”. Satanás se introduz e eles mudam de líder. Então ocorre a
esperteza e sutileza do ardil da serpente. (Olhando Para o Alto [MM 1983], p. 129).
❉ Terça - No ventre do grande peixe Ano Bíblico: Ct 1–4
● 4. Leia Mateus 12:40. Como Jesus tomou a história de Jonas e a aplicou a Si mesmo? Leia também Jo 2:19-
22.
Mt 12:40-41, (NVI); 40 Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre de um grande peixe,
assim o Filho do homem ficará três dias e três noites no coração da terra. 41 Os homens de Nínive se
levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e
agora está aqui o que é maior do que Jonas.
► 4. Como Jonas esteve “sepultado” no ventre do peixe durante três dias, mas depois “ressurgiu” ao ser
vomitado na praia, Cristo ficaria sepultado e depois ressuscitaria.
“E suspirando profundamente em Seu espírito, disse: ‘Por que pede esta geração um sinal? Nenhum sinal
lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas.’” Como Jonas havia estado três dias e três noites no ventre da
baleia, Cristo havia de estar o mesmo tempo “no seio da Terra”. E como a pregação de Jonas tinha sido o
sinal para os ninivitas, assim era a pregação de Cristo para Sua geração. Mas que contraste na recepção da
palavra! O povo da grande nação pagã tremeu ao ouvir a advertência de Deus. Reis e nobres se humilharam;
os exaltados e os humildes clamaram juntamente ao Deus do Céu, e Sua misericórdia lhes foi assegurada. “Os
ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração”, disse Cristo, “e a condenarão, porque se arrependeram com a
pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas” (Mt 12:40, 41).
[…] Os guias judaicos olhavam com cruel indiferença para o sofrimento humano. Em muitos casos, seu
egoísmo e opressão haviam causado a dor que Jesus aliviava. Assim, Seus milagres eram um opróbrio para
eles.
O que levava os judeus a rejeitar a obra do Salvador, era a mais alta demonstração de Seu caráter divino. A
maior significação de Seus milagres manifesta-se no fato de serem feitos para benefício da humanidade. A
mais alta prova de que veio de Deus, é revelar Sua vida o caráter divino. Ele fez as obras e falou as palavras de
Deus. Tal vida é o maior de todos os milagres. (O Desejado de Todas as Nações, p. 406, 407).
O povo quer um sinal, como nos dias de Cristo. Então o Senhor lhes disse que nenhum sinal lhes seria dado.
O sinal que deve ser manifestado agora e sempre é a atuação do Espírito Santo na mente do instrutor, para
tornar a Palavra o mais eficaz possível. A Palavra de Deus não é uma teoria morta, seca, mas espírito e vida.
(Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 95).
“Uma vida coerente em Cristo é grande milagre. Na pregação da Palavra de Deus, o sinal que se deve
manifestar agora e sempre é a presença do Espírito Santo a fim de tornar a Palavra uma força regeneradora
para os que a ouvem. Esse é o testemunho de Deus perante o mundo quanto à divina missão de Seu Filho”. (O
Desejado de Todas as Nações, p. 407).
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
❉ Quarta - A geração de Nínive Ano Bíblico: Ct 5–8
● 5. Leia Jonas 3. Que grande mensagem é encontrada nesse capítulo, à luz da obra de alcançar pessoas e do
evangelismo?
Jn 3:1-10, (NVI); 1 A palavra do Senhor veio a Jonas pela segunda vez com esta ordem: 2 "Vá à grande cidade
de Nínive e pregue contra ela a mensagem que eu vou dar a você". 3 E Jonas obedeceu à palavra do Senhor e
foi para Nínive. Era uma cidade muito grande; demorava-se três dias para percorrê-la. 4 Jonas entrou na
cidade e a percorreu durante um dia, proclamando: "Daqui a quarenta dias Nínive será destruída". 5 Os
ninivitas creram em Deus. Proclamaram jejum, e todos eles, do maior ao menor, vestiram-se de pano de saco.
6 Quando as notícias chegaram ao rei de Nínive, ele se levantou do trono, tirou o manto real, vestiu-se de pano
de saco e sentou-se sobre cinza. 7 Então fez uma proclamação em Nínive: "Por decreto do rei e de seus
nobres: Não é permitido a nenhum homem ou animal, bois ou ovelhas provar coisa alguma; não comam nem
bebam! 8 Cubram-se de pano de saco, homens e animais. E todos clamem a Deus com todas as suas forças.
Deixem os maus caminhos e a violência. 9 Talvez Deus se arrependa e abandone a sua ira, e não sejamos
destruídos". 10 Deus viu o que eles fizeram e como abandonaram os seus maus caminhos. Então Deus se
arrependeu e não os destruiu como tinha ameaçado.
► 5. Devemos ir até as pessoas e proclamar a elas a mensagem de Deus, que inclui tanto Suas promessas de
misericórdia quanto Suas advertências de juízos.
Assim como a pregação de Jonas foi um sinal para os ninivitas, a pregação de Cristo foi um sinal para Sua
geração. Mas que contraste na recepção da palavra! Embora em face de indiferença e de escárnio, o Salvador
trabalhou sempre, até concluir Sua missão.
A lição é para os mensageiros de Deus hoje, quando as cidades das nações encontram-se tão
verdadeiramente em necessidade do conhecimento dos atributos e propósitos do verdadeiro Deus, como os
ninivitas do passado. Os embaixadores de Cristo devem apontar aos homens o mundo mais nobre, que tem
sido em grande parte perdido de vista. De acordo com os ensinamentos das Sagradas Escrituras, a única
cidade que permanece é aquela cujo artífice e construtor é Deus. Com os olhos da fé os homens podem
contemplar o limiar do Céu, iluminado com a glória do Deus vivo. Por intermédio de Seus servos
ministradores o Senhor Jesus está convidando os homens a que se empenhem com santificada ambição no
sentido de assegurarem a herança imortal. Apela para eles a fim de que acumulem tesouros junto ao trono de
Deus. (Profetas e Reis, p. 274).
Com infalível exatidão, o Infinito ainda ajusta conta com as nações. Enquanto Sua misericórdia é oferecida,
com chamados para o arrependimento, essa conta permanece aberta. Mas quando as cifras alcançam certo
montante que Deus tem prefixado, o ministério de Sua ira começa e a conta é encerrada. Cessa a divina
paciência. A misericórdia não mais pleiteia em seu benefício. (Ibid., p. 364).
❉ Quinta - O lamento de Jonas Ano Bíblico: Is 1–4
Sendo que rei e nobres, com todo o povo, grandes e pequenos, "se arrependeram com a pregação de Jonas"
(Mat. 12:41), e uniram-se em clamar ao Deus do Céu, Sua misericórdia foi-lhes assegurada. "Deus viu as
obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus Se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria,
e não o fez." Jon. 3:10. Sua condenação foi evitada; o Deus de Israel fora exaltado e honrado através do
mundo pagão, e Sua lei foi reverenciada. Não seria senão muitos anos mais tarde que Nínive devia cair presa
das nações vizinhas por causa do seu esquecimento de Deus e jactancioso orgulho.
Quando Jonas viu o propósito de Deus de poupar a cidade que, não obstante sua impiedade, tinha sido
levada a se arrepender em saco e cinzas, devia ter sido o primeiro a se alegrar com a estupenda graça de
Deus; mas ao contrário disto, ele permitiu que sua mente se demorasse sobre a possibilidade de ser
considerado um falso profeta. Cioso de sua reputação, ele perdeu de vista o valor infinitamente maior das
almas nessa cidade infortunada.
A compaixão mostrada por Deus para com os arrependidos ninivitas desgostou "Jonas extremamente... e
ficou todo ressentido". "Não foi isso o que eu disse", argumentou ele com o Senhor, "estando ainda na minha
terra? Por isso me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus piedoso, e misericordioso, longânimo,
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
e grande em benignidade, e que Te arrependes do mal." Jon. 4:1 e 2.
Uma vez mais ele se rendeu a sua inclinação de questionar e duvidar, e uma vez mais foi oprimido com o
desencorajamento. Perdendo de vista os interesses dos outros, e sentindo como se melhor lhe fora morrer do
que viver para ver a cidade poupada, em seu descontentamento exclamou: "Ó Senhor, tira-me a minha vida,
porque melhor me é morrer do que viver".
"É razoável esse teu ressentimento?" o Senhor inquiriu. "Então Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente
da cidade; e ali fez uma cabana, e se assentou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria. E fez o
Senhor Deus nascer uma aboboreira, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça,
a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira." Jon. 4:3-6.
Então o Senhor deu a Jonas uma lição objetiva. Ele "enviou um bicho, no dia seguinte ao subir da alva, o qual
feriu a aboboreira, e esta se secou. E aconteceu que, aparecendo o Sol, Deus mandou um vento calmoso
oriental, e o Sol feriu a cabeça de Jonas; e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo:
Melhor me é morrer do que viver".
De novo Deus Se dirige a Seu profeta: "É acaso razoável que assim te enfades por causa da aboboreira? E
ele disse: É justo que me enfade a ponto de desejar a morte".
"E disse o Senhor: Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que numa
noite nasceu, e numa noite pereceu. E não hei de Eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão
mais de cento e vinte mil homens, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e
também muitos animais?" Jon. 4:7-11.
Confuso, humilhado e incapaz de compreender o propósito de Deus em poupar Nínive, Jonas havia, não
obstante cumprido a comissão que lhe fora dada de advertir a grande cidade; e embora o acontecimento
predito não se tivesse realizado, a mensagem de advertência não era de ninguém menos que de Deus. E ela
cumpriu o propósito que Deus lhe designara. A glória de Sua graça fora revelada entre os pagãos. Os que
havia muito estavam assentados "nas trevas e sombra da morte, presos em aflição e em ferro", "clamaram ao
Senhor na sua angústia, e Ele os livrou das suas necessidades. Tirou-os das trevas e sombra da morte, e
quebrou as suas prisões. ... Enviou a Sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição". Sal. 107:10, 13,
14 e 20. Profetas e Reis, pp. 270-273.
● 6. Leia Jonas 4:10, 11. O que esses versos ensinam sobre o caráter de Deus em contraste com a natureza
humana pecaminosa? Por que devemos ficar felizes pelo fato de Deus ser nosso juiz supremo, e não algum ser
humano?
Jn 4:10-11, (BLTT-09); 10 E disse o SENHOR: Tu tiveste compaixão da aboboreira, na qual não laboraste,
nem a fizeste crescer, que numa noite nasceu, e numa noite pereceu; 11 E não hei Eu de ter compaixão da
grande cidade de Nínive, em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a mão
direita deles e a mão esquerda deles, e há também muitos animais?
► 6. Enquanto Jonas estava envolvido com questões egoístas, Deus Se compadecia dos habitantes da cidade e
desejava salvá-los.
Deus ligou a Si nosso coração por inúmeras provas no Céu e na Terra. Pelas obras da natureza, e os mais
profundos e ternos laços terrestres que o coração humano pode imaginar, Ele procurou revelar-Se a nós. No
entanto, estas coisas só muito imperfeitamente representam Seu amor. Apesar de todas essas provas, o inimigo
do bem cegou o espírito das pessoas, de maneira que foram levadas a olhar para Deus com temor,
considerando-O severo e inexorável. Satanás levou o ser humano a imaginar Deus como um Ser cujo
principal atributo fosse a justiça severa – um rigoroso juiz, e credor exigente e cruel. Representou o Criador
como um ser que espreita desconfiado, procurando discernir os erros e pecados das pessoas, para que possa
trazer juízos sobre elas. Foi para dissipar essa densa sombra, revelando ao mundo o infinito amor de Deus,
que Jesus desceu para viver entre os homens.
O Filho de Deus veio do Céu para revelar o Pai. “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que
está no seio do Pai, Este O fez conhecer” (Jo 1:18). “Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém
conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho O quiser revelar” (Mt 11:27) […]
Descrevendo Sua missão terrestre, disse Jesus: “O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para
evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar
vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos” (Lc 4:18 e 19). Essa foi Sua obra. Andava fazendo o bem,
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
curando os oprimidos por Satanás. Havia aldeias inteiras onde não existia mais nenhuma casa em que se
ouvissem lamentos de enfermo, porque Jesus por elas havia passado e curado os doentes. Sua obra dava
testemunho de Sua unção divina. Amor, misericórdia e compaixão se patenteavam em cada ato de Sua vida.
Seu coração palpitava com terna simpatia pelos filhos dos homens. Revestiu-Se da natureza humana para
poder atingir as necessidades da humanidade. Os mais pobres e humildes não receavam aproximar-se dEle.
Mesmo as criancinhas se sentiam atraídas para Ele. Gostavam de subir-Lhe aos joelhos e contemplar-Lhe o
rosto pensativo, que refletia bondade e amor. (Caminho a Cristo, p. 10-12).
[…] Quão pouco, porém, os discípulos professos revelam desse amor compassivo de Cristo! Quando
alguém comete uma falta, outros frequentemente tomam a liberdade de agravar tanto quanto possível o caso.
Indivíduos que provavelmente cometem faltas da mesma gravidade, embora com personalidades diferentes,
ousam tratar seu irmão com cruel severidade. Faltas cometidas por ignorância, inadvertência ou fraqueza,
são transformadas em pecados propositais e premeditados. E quando alguns chegam a apostatar, há os que,
cruzando os braços, solenemente declaram: “Eu não disse? Sabia perfeitamente que com essa gente não se
podia contar.” Desse modo, adotam a atitude de Satanás, e em seu espírito rejubilam porque suas malignas
suposições se provam certas.
É natural encontrarmos, nos que são jovens e inexperientes, grandes imperfeições que devemos estar
dispostos a suportar. Cristo nos ordenou restaurar os que são espiritualmente fracos, e nos torna responsáveis
se, pela nossa conduta, forem levados ao desânimo, desespero e ruína. A menos que cultivemos diariamente a
preciosa planta do amor, corremos o risco de nos tornar mesquinhos, apáticos, intolerantes e críticos, sendo
considerados justos, quando estamos longe de ser aceitos aos olhos de Deus. Alguns são indelicados, ríspidos
e severos. São como as cascas encrespadas das castanhas, ferem ao mais leve toque, e causam dano
incalculável porque representam mal nosso amoroso Salvador.
Temos de atingir um padrão mais elevado ou seremos indignos do nome de cristãos. Devemos cultivar o
espírito que Cristo manifestou em Seu esforço para salvar os que erram. Esses Lhe são tão estimados como
nós […] Se pudéssemos ver isso em sua plena realidade, quanto nosso zelo seria incentivado e nossos
esforços redobrados para atingir essas pessoas que estão necessitando de nosso auxílio, orações, compaixão
e amor! (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 605, 606).
❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Is 5–7
“O livro de Jonas é muito significativo para se entender a base bíblica para a missão, porque trata da comissão
de Deus para Seu povo com relação aos povos gentios e, assim, serve como passo preparatório para a
comissão missionária do Novo Testamento. Mas é também importante para se obter um vislumbre da profunda
resistência que essa comissão encontra por parte do próprio servo que Yahweh escolheu para executar Sua
obra mundial” (J. Verkuyl, Contemporary Missiology [Missiologia contemporânea], Grand Rapids, Mich.:
Wm. B. Eerdmans Pub. Co., 1978, p. 96).
A mesma missão dada a Jonas, de ir e pregar, é dada por Deus a todos os Seus filhos: “Ordenou-nos: ‘Ide por
todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura’ (Mc 16:15). Quantas vezes, porém, nosso coração sucumbe
e falta-nos a fé, ao vermos que a necessidade é muito grande, e que os meios em nossas mãos são muito
limitados! Como André, ao olhar os cinco pães de cevada e os dois peixinhos, exclamamos: ‘Que é isso para
tantos?’ (Jo 6:9). Hesitamos frequentemente, não dispostos a dar tudo o que temos, temendo gastar e ser gastos
por outros. Mas Jesus nos manda: ‘Dai-lhes vós de comer’ (Mt 14:16). Sua ordem é uma promessa; e em seu
apoio está o mesmo poder que alimentou a multidão junto ao mar”. (Ellen G. White, O Desejado de Todas as
Nações, p. 369).
“Não é um milagre que possamos ser libertados do cativeiro de Satanás? A inimizade contra Satanás não é
natural ao coração humano; é implantada pela graça de Deus. Quando a pessoa dominada por uma vontade
obstinada e má é posta em liberdade, e se entrega de todo o coração à influência dos divinos instrumentos
celestiais, opera-se um milagre; assim também é quando alguém que esteve sob o poder de forte ilusão chega a
compreender a verdade moral. Toda vez que uma pessoa se converte e aprende a amar a Deus e guardar Seus
mandamentos, cumpre-se a promessa feita por Ele: ‘E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um
espírito novo’ (Ez 36:26). A mudança do coração humano, a transformação do caráter, é um milagre que
revela um Salvador sempre vivo, atuando para salvar pessoas”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 407).
Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Sobrevivencia Em Tempos de Crise
A Sobrevivencia Em Tempos de CriseA Sobrevivencia Em Tempos de Crise
A Sobrevivencia Em Tempos de Crise
Márcio Martins
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Promessas+de+vitorias
Promessas+de+vitoriasPromessas+de+vitorias
Promessas+de+vitorias
Mauricio Gonçalves
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGR
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGRLição 7 – A crise continua + Textos_GGR
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
8) principio do fim a besta e a prostituta
8) principio do fim   a besta e a prostituta8) principio do fim   a besta e a prostituta
8) principio do fim a besta e a prostituta
Jean Jorge Silva
 
A visão de joão, por robert murray m’cheyne
A visão de joão, por robert murray m’cheyneA visão de joão, por robert murray m’cheyne
A visão de joão, por robert murray m’cheyne
Deusdete Soares
 
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual - John Owen
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual  - John OwenO pecado e julgamento de esterilidade espiritual  - John Owen
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual - John Owen
Silvio Dutra
 
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
Jean Jorge Silva
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
Eduardo Sousa Gomes
 
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos   apocalipse de eliasEvangelhos apócrifos   apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Alan Cruz
 
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISLIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
Andrew Guimarães
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
Val Dias
 
Livro de Ddaniel cap 3 - Fornalha ardente
Livro de Ddaniel cap 3 -  Fornalha ardenteLivro de Ddaniel cap 3 -  Fornalha ardente
Livro de Ddaniel cap 3 - Fornalha ardente
Francisco Sousa
 
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGRLição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
Gerson G. Ramos
 
Os juizos de deus atraves dos tempos
Os juizos de deus atraves dos temposOs juizos de deus atraves dos tempos
Os juizos de deus atraves dos tempos
Eduardo Sousa Gomes
 
Pobre e ainda rico
Pobre e ainda ricoPobre e ainda rico
Pobre e ainda rico
Silvio Dutra
 
A sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de criseA sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de crise
Celso Napoleon
 

Mais procurados (20)

A Sobrevivencia Em Tempos de Crise
A Sobrevivencia Em Tempos de CriseA Sobrevivencia Em Tempos de Crise
A Sobrevivencia Em Tempos de Crise
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Promessas+de+vitorias
Promessas+de+vitoriasPromessas+de+vitorias
Promessas+de+vitorias
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGR
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGRLição 7 – A crise continua + Textos_GGR
Lição 7 – A crise continua + Textos_GGR
 
8) principio do fim a besta e a prostituta
8) principio do fim   a besta e a prostituta8) principio do fim   a besta e a prostituta
8) principio do fim a besta e a prostituta
 
A visão de joão, por robert murray m’cheyne
A visão de joão, por robert murray m’cheyneA visão de joão, por robert murray m’cheyne
A visão de joão, por robert murray m’cheyne
 
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual - John Owen
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual  - John OwenO pecado e julgamento de esterilidade espiritual  - John Owen
O pecado e julgamento de esterilidade espiritual - John Owen
 
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
4) Escatologia Princípio do Fim - A Volta de Jesus
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
 
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos   apocalipse de eliasEvangelhos apócrifos   apocalipse de elias
Evangelhos apócrifos apocalipse de elias
 
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISLIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
 
Livro de Ddaniel cap 3 - Fornalha ardente
Livro de Ddaniel cap 3 -  Fornalha ardenteLivro de Ddaniel cap 3 -  Fornalha ardente
Livro de Ddaniel cap 3 - Fornalha ardente
 
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGRLição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
Lição 412016 - Conflito e crise: os juízes + textos_GGR
 
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
❉ Respostas 1 - O chamado profético de Jeremias_GGR
 
Os juizos de deus atraves dos tempos
Os juizos de deus atraves dos temposOs juizos de deus atraves dos tempos
Os juizos de deus atraves dos tempos
 
Pobre e ainda rico
Pobre e ainda ricoPobre e ainda rico
Pobre e ainda rico
 
A sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de criseA sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de crise
 

Semelhante a ❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR

Jonas
JonasJonas
Jonas
JNR
 
11 jonas
11   jonas11   jonas
11 jonas
PIB Penha
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas Martins Olímpio
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Ebd Brasil
 
Escatologia cap. 01
Escatologia cap. 01Escatologia cap. 01
Escatologia cap. 01
Welem C Lourenço
 
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Gerson G. Ramos
 
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiLição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Antonio Fernandes
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Fernando Chapeiro
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
jesmioma
 
Jonas um profeta ás avessas
Jonas  um profeta ás avessasJonas  um profeta ás avessas
Jonas um profeta ás avessas
Marcos Nascimento
 
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
Missao de jonas
Missao de jonasMissao de jonas
Missao de jonas
Igreja de Deus
 
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
Gerson G. Ramos
 
PPT Sermão GYD 2024.pptx
PPT Sermão GYD                 2024.pptxPPT Sermão GYD                 2024.pptx
PPT Sermão GYD 2024.pptx
tecnologiconatan
 
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
PIB Penha
 
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
Gerson G. Ramos
 
Atitudes corretas em grandes decisões
Atitudes corretas em grandes decisõesAtitudes corretas em grandes decisões
Atitudes corretas em grandes decisões
Tiago Silveira
 
O deserto 11
O deserto 11O deserto 11
O deserto 11
Rômulo Martins
 

Semelhante a ❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR (20)

Jonas
JonasJonas
Jonas
 
11 jonas
11   jonas11   jonas
11 jonas
 
Jonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia DivinaJonas - A Misericórdia Divina
Jonas - A Misericórdia Divina
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
 
Escatologia cap. 01
Escatologia cap. 01Escatologia cap. 01
Escatologia cap. 01
 
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
Ansioso para perdoar_Lição original com textos_622013
 
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o SinaiLição 6   A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
Lição 6 A Peregrinação de Israel no Deserto até o Sinai
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 
Jonas um profeta ás avessas
Jonas  um profeta ás avessasJonas  um profeta ás avessas
Jonas um profeta ás avessas
 
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
 
Missao de jonas
Missao de jonasMissao de jonas
Missao de jonas
 
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
❉ Respostas 10 – A destruição de Jerusalém_GGR
 
PPT Sermão GYD 2024.pptx
PPT Sermão GYD                 2024.pptxPPT Sermão GYD                 2024.pptx
PPT Sermão GYD 2024.pptx
 
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano A
 
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
13 - panorama do AT - Obadias^J Jonas e Miqueias.pptx
 
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
 
Atitudes corretas em grandes decisões
Atitudes corretas em grandes decisõesAtitudes corretas em grandes decisões
Atitudes corretas em grandes decisões
 
O deserto 11
O deserto 11O deserto 11
O deserto 11
 

Mais de Gerson G. Ramos

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 

Último

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 

Último (12)

Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 

❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR

  • 1. Lições Adultos Missionários Lição 4 - A saga de Jonas 18 a 25 de julho ❉ Sábado - “Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo Lhe é aceitável”. At 10:34, 35. “Na história de Nínive há uma lição que vocês devem estudar cuidadosamente. [...] Devem conhecer seus deveres para com o semelhante, ignorante e corrompido, que necessita de sua ajuda”. (Cristo Triunfante [MM 2002], p. 171). A igreja é o instrumento apontado por Deus para a salvação das pessoas. Foi organizada para servir, e sua missão é levar o evangelho ao mundo. Desde o princípio tem sido plano de Deus que, por meio de Sua igreja seja refletida para o mundo Sua plenitude e suficiência. Aos membros da igreja, a quem Ele chamou das trevas para Sua maravilhosa luz, compete manifestar Sua glória. A igreja é a depositária das riquezas da graça de Cristo; e pela igreja será, a seu tempo manifesta, mesmo aos “principados e potestades nos Céus” (Ef 3:10), a final e ampla demonstração do amor de Deus. (Atos dos Apóstolos, p. 9). O Senhor não faz acepção de pessoas nem de lugares. Sua obra é um grande todo. Sua verdade tem que ser proclamada a toda nação, tribo, língua e povo. E, à medida que novos campos são alcançados e o povo aceita a verdade, é necessário edificar casas de culto e edifícios escolares, bem como se devem suprir outros recursos […] A obra do Senhor em novos territórios tem que ser levada avante, a uma feliz realização. Os planos de Deus têm que ser seguidos, e não as inclinações dos que desejariam reunir todas as vantagens possíveis na região sobre que superintendem, ao passo que se esquecem de que outras partes da vinha do Senhor se acham inteiramente destituídas dessas vantagens. (Obreiros Evangélicos, p. 456). ❉ Domingo - O profeta falho Ano Bíblico: Ec 5–8 ● 1. O que 2 Reis 14:25 fala sobre Jonas? Sob que perspectiva ele é apresentado? 2Rs 14:25, (kja); 25 Restabeleceu as fronteiras de Israel, desde a entrada de Hamate, no Norte, até o mar da Arabá, o mar Morto, no Sul, tudo conforme Yahweh, o SENHOR Deus de Israel, havia prometido por intermédio do seu servo, o profeta Jonas, filho do profeta Amitai, de Gate-Héfer. ► 1. Diz que ele era um servo de Deus, um profeta cuja predição a respeito de Jeroboão se cumpriu, e que era da cidade de Gate-Hefer, cidade cujo território posteriormente passou a pertencer à Galileia. Jonah: (Heb Yonah, "pomba"; em latim Ionas, "pomba"). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 2. Profeta do reino do norte de Israel, cujo ministério pode ocorrer antes ou durante a primeira parte do reinado de Jeroboão II (c 793 aC 753 aC), cerca de aproximadamente 2 séculos após a morte de Salomão e da divisão do reino (c 931 aC). Ele era o filho de Amitai (1 Jon:. 1), e sua casa era Gate-Hefer (expressão hebraica que significa “lagar na poça d’água”) na Galiléia (2 Reis 14:25). Fora da informação dada no livro de Jonas, a única coisa que sabe sobre ele é que em algum momento durante o reinado de Jeroboão, ou antes, previu a restauração da fronteira norte de Israel (v 25). ● 2. Leia Jonas 1:1-3, 9-12; 3:3-10; 2:1-9. Que quadro esses versos apresentam sobre Jonas, quanto aos aspectos bons e aos ruins? Jn 1:1-3, (JFA-RC); 1 E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: 2 Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim. 3 E Jonas se levantou para fugir de diante da face do SENHOR para Társis; e, descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, de diante da face do SENHOR. Jn 1:9-12, (JFA-RC); 9 E ele lhes disse: Eu sou hebreu e temo ao SENHOR, o Deus do céu, que fez o mar e a terra seca. 10 Então, os homens se encheram de grande temor e lhe disseram: Por que fizeste tu isso? Pois sabiam os homens que fugia de diante do SENHOR, porque ele lho tinha declarado. 11 E disseram-lhe: Que te faremos nós, para que o mar se acalme? Por que o mar se elevava e engrossava cada vez mais. 12 E ele lhes disse: Levantai-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade. Jn 3:3-10, (JFA-RC); 3 E levantou-se Jonas e foi a Nínive, segundo a palavra do SENHOR; era, pois, Nínive uma grande cidade, de três dias de caminho. 4 E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida. 5 E os homens de Nínive creram em Deus, e proclamaram um jejum, e vestiram-se de panos de saco, desde o maior até ao menor. 6 Porque esta palavra chegou ao rei de Nínive, e levantou-se do seu trono, e tirou de si as suas vestes, e cobriu-se de pano de saco, e assentou-se sobre a cinza. 7 E fez uma proclamação, que se divulgou em Nínive, por mandado do rei e dos seus grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes dê pasto, nem bebam água. 8 Mas os homens e os animais estarão cobertos de panos de saco, e clamarão fortemente a Deus, e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos. 9 Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? 10 E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez. Jn 2:1-10, (JFA-RC); 1 E orou Jonas ao SENHOR, seu Deus, das entranhas do peixe. 2 E disse: Na minha angústia, clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz. 3 Porque tu me lançaste no profundo, no coração dos mares, e a corrente me cercou; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado por cima de mim. 4 E eu disse: Lançado estou de diante dos teus olhos; todavia, tornarei a ver o templo da tua santidade. 5 As águas me cercaram até à alma, o abismo me rodeou, e as algas se enrolaram na minha cabeça. 6 Eu desci até aos fundamentos dos montes; os ferrolhos da terra correram-se sobre mim para sempre; mas tu livraste a minha vida da perdição, ó SENHOR, meu Deus. 7 Quando desfalecia em mim a minha alma, eu me lembrei do SENHOR; e entrou a ti a minha oração, no templo da tua santidade. 8 Os que observam as vaidades vãs deixam a sua própria misericórdia. 9 Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento; o que votei pagarei; do SENHOR vem a salvação. 10 Falou, pois, o SENHOR ao peixe, e ele vomitou a Jonas na terra. ► 2. Aspectos ruins: Jonas desprezou os ninivitas, foi rebelde diante da ordem de Deus e fugiu da missão porque desejava o mal para os assírios; aspectos bons: admitiu seu erro diante dos marinheiros, declarou sua fé em Deus, enfrentou as consequências de seus atos, ao pedir que o jogassem ao mar, humilhou-se no ventre do peixe e se dispôs a cumprir a ordem de Deus. A caneta da Inspiração, fiel à sua tarefa, nos conta os pecados em que caíram Noé, Ló, Moisés, Abraão, Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 3. Davi e Salomão, e que mesmo o forte espírito de Elias sucumbiu ante a tentação durante sua terrível prova. A desobediência de Jonas e a idolatria de Israel são fielmente relatadas. A negação de Cristo por parte de Pedro, a discussão afiada entre Paulo e Barnabé, as falhas e fraquezas dos profetas e dos apóstolos – tudo é exposto pelo Espírito Santo, que retira o véu do coração humano. Ali se acha diante de nós a vida dos cristãos, com todas as suas faltas e loucuras, que servem de lição a todas as gerações que os seguem. Se tivessem sido isentos de fraquezas, teriam sido mais que humanos, e nossa natureza pecaminosa se desesperaria por nunca atingir tal grau de excelência. Mas, vendo onde eles lutaram e caíram, onde se animaram outra vez e venceram pela graça de Deus, somos animados e induzidos a avançar e passar por cima dos obstáculos que a natureza degenerada coloca em nosso caminho. (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 12). ❉ Segunda - Um dos primeiros missionários Ano Bíblico: Ec 9–12 ● 3. Leia Jonas 1:3-17. Que lições podemos obter dessa impressionante narrativa? Jn 1:3-17, (NVI); 3 Mas Jonas fugiu da presença do Senhor, dirigindo-se para Társis. Desceu à cidade de Jope, onde encontrou um navio que se destinava àquele porto. Depois de pagar a passagem, embarcou para Társis, para fugir do Senhor. 4 O Senhor, porém, fez soprar um forte vento sobre o mar, e caiu uma tempestade tão violenta que o barco ameaçava arrebentar-se. 5 Todos os marinheiros ficaram com medo e cada um clamava ao seu próprio deus. E atiraram as cargas ao mar para tornar mais leve o navio. Enquanto isso, Jonas, que tinha descido para o porão e se deitado, dormia profundamente. 6 O capitão dirigiu-se a ele e disse: "Como você pode ficar aí dormindo? Levante-se e clame ao seu deus! Talvez ele tenha piedade de nós e não morramos". 7 Então os marinheiros combinaram entre si: "Vamos tirar sortes para descobrir quem é o responsável por esta desgraça que se abateu sobre nós". Tiraram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. 8 Por isso lhe perguntaram: "Diga-nos, quem é o responsável por esta calamidade? Qual é a sua profissão? De onde você vem? Qual é a sua terra? A que povo você pertence? " 9 Ele respondeu: "Eu sou hebreu, adorador do Senhor, o Deus dos céus, que fez o mar e a terra". 10 Com isso eles ficaram apavorados e perguntaram: "O que foi que você fez? ", pois sabiam que Jonas estava fugindo do Senhor, porque ele já lhes tinha dito. 11 Visto que o mar estava cada vez mais agitado, eles lhe perguntaram: "O que devemos fazer com você, para que o mar se acalme? " 12 Respondeu ele: "Peguem-me e joguem-me ao mar, e ele se acalmará. Pois eu sei que é por minha causa que esta violenta tempestade caiu sobre vocês". 13 Ao invés disso, os homens se esforçaram ao máximo para remar de volta à terra. Mas não conseguiram, porque o mar tinha ficado ainda mais violento. 14 Então eles clamaram ao Senhor: "Senhor, nós suplicamos, não nos deixes morrer por tirarmos a vida deste homem. Não caia sobre nós a culpa de matar um inocente, porque tu, ó Senhor, fizeste o que desejavas". 15 Então, pegaram Jonas e o lançaram ao mar enfurecido, e este se aquietou. 16 Ao verem isso, os homens adoraram ao Senhor com temor, oferecendo-lhe sacrifício e fazendo-lhe votos. 17 Então o Senhor fez com que um grande peixe engolisse Jonas, e ele ficou dentro do peixe três dias e três noites. ► 3. Não podemos fugir do Senhor, e mesmo que tentemos fazer isso, Ele irá atrás de nós e dirigirá os acontecimentos de forma que possa nos salvar. Deus amava e queria salvar tanto Jonas quanto os ninivitas. Embora ímpia como se havia tornado, Nínive não estava inteiramente entregue ao mal. Aquele que “está vendo a todos os filhos dos homens” (Sl 33:13), […] viu na cidade muitos que estavam procurando alguma coisa melhor e mais elevada. […] Deus Se revelou a eles de maneira inconfundível, a fim de levá-los, se possível, ao arrependimento. O instrumento escolhido para essa obra foi o profeta Jonas. […] Se o profeta tivesse obedecido sem questionar, teriam sido poupadas muitas experiências amargas e ele teria sido grandemente abençoado. Entretanto, na hora do desespero de Jonas o Senhor não Se afastou dele. Por meio de uma série de provas e estranhas providências, a confiança do profeta em Deus e em Seu infinito poder para salvar devia ser revivida […] Uma vez mais o servo de Deus foi comissionado para advertir Nínive. … Entrando na cidade, Jonas começou a pregar “contra ela” a mensagem: “Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.” De rua em rua, ele ia fazendo soar a nota de advertência. A mensagem não foi em vão. O clamor que soava através das ruas da ímpia cidade ia passando de boca em boca, até que todos os habitantes tivessem ouvido o assustador anúncio. O Espírito de Deus imprimiu a mensagem em cada coração, e levou multidões a tremer por causa de seus pecados, e a se arrependerem em Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 4. profunda humilhação. […] Sua condenação foi evitada. O Deus de Israel foi exaltado e honrado através do mundo pagão, e Sua lei foi reverenciada. Não seria senão muitos anos mais tarde que Nínive devia cair presa das nações vizinhas por causa do seu esquecimento de Deus e jactancioso orgulho […] A lição é para os mensageiros de Deus hoje, quando as cidades das nações se encontram tão verdadeiramente em necessidade do conhecimento dos atributos e propósitos do verdadeiro Deus, como os ninivitas do passado. […] De acordo com os ensinamentos das Sagradas Escrituras, a única cidade que permanece é aquela cujo artífice e construtor é Deus. […] O Senhor Jesus está convidando os seres humanos a se empenharem com santificada ambição no sentido de assegurarem a herança imortal. (Vidas que Falam [MM 1971], p. 230). Que ninguém suponha que, tendo sido usado como instrumento do Senhor, seja por isso todo-suficiente. O Senhor emprega homens e os honra dando-lhes Sua sabedoria enquanto são fiéis e não acumulam glória para si mesmos. Aqueles que se excluem das mãos do Senhor e se julgam capazes de realizar a obra não são guiados pelo Seu Espírito, mas por “outro espírito”. Satanás se introduz e eles mudam de líder. Então ocorre a esperteza e sutileza do ardil da serpente. (Olhando Para o Alto [MM 1983], p. 129). ❉ Terça - No ventre do grande peixe Ano Bíblico: Ct 1–4 ● 4. Leia Mateus 12:40. Como Jesus tomou a história de Jonas e a aplicou a Si mesmo? Leia também Jo 2:19- 22. Mt 12:40-41, (NVI); 40 Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre de um grande peixe, assim o Filho do homem ficará três dias e três noites no coração da terra. 41 Os homens de Nínive se levantarão no juízo com esta geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e agora está aqui o que é maior do que Jonas. ► 4. Como Jonas esteve “sepultado” no ventre do peixe durante três dias, mas depois “ressurgiu” ao ser vomitado na praia, Cristo ficaria sepultado e depois ressuscitaria. “E suspirando profundamente em Seu espírito, disse: ‘Por que pede esta geração um sinal? Nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas.’” Como Jonas havia estado três dias e três noites no ventre da baleia, Cristo havia de estar o mesmo tempo “no seio da Terra”. E como a pregação de Jonas tinha sido o sinal para os ninivitas, assim era a pregação de Cristo para Sua geração. Mas que contraste na recepção da palavra! O povo da grande nação pagã tremeu ao ouvir a advertência de Deus. Reis e nobres se humilharam; os exaltados e os humildes clamaram juntamente ao Deus do Céu, e Sua misericórdia lhes foi assegurada. “Os ninivitas ressurgirão no juízo com esta geração”, disse Cristo, “e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas” (Mt 12:40, 41). […] Os guias judaicos olhavam com cruel indiferença para o sofrimento humano. Em muitos casos, seu egoísmo e opressão haviam causado a dor que Jesus aliviava. Assim, Seus milagres eram um opróbrio para eles. O que levava os judeus a rejeitar a obra do Salvador, era a mais alta demonstração de Seu caráter divino. A maior significação de Seus milagres manifesta-se no fato de serem feitos para benefício da humanidade. A mais alta prova de que veio de Deus, é revelar Sua vida o caráter divino. Ele fez as obras e falou as palavras de Deus. Tal vida é o maior de todos os milagres. (O Desejado de Todas as Nações, p. 406, 407). O povo quer um sinal, como nos dias de Cristo. Então o Senhor lhes disse que nenhum sinal lhes seria dado. O sinal que deve ser manifestado agora e sempre é a atuação do Espírito Santo na mente do instrutor, para tornar a Palavra o mais eficaz possível. A Palavra de Deus não é uma teoria morta, seca, mas espírito e vida. (Mensagens Escolhidas, v. 2, p. 95). “Uma vida coerente em Cristo é grande milagre. Na pregação da Palavra de Deus, o sinal que se deve manifestar agora e sempre é a presença do Espírito Santo a fim de tornar a Palavra uma força regeneradora para os que a ouvem. Esse é o testemunho de Deus perante o mundo quanto à divina missão de Seu Filho”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 407). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 5. ❉ Quarta - A geração de Nínive Ano Bíblico: Ct 5–8 ● 5. Leia Jonas 3. Que grande mensagem é encontrada nesse capítulo, à luz da obra de alcançar pessoas e do evangelismo? Jn 3:1-10, (NVI); 1 A palavra do Senhor veio a Jonas pela segunda vez com esta ordem: 2 "Vá à grande cidade de Nínive e pregue contra ela a mensagem que eu vou dar a você". 3 E Jonas obedeceu à palavra do Senhor e foi para Nínive. Era uma cidade muito grande; demorava-se três dias para percorrê-la. 4 Jonas entrou na cidade e a percorreu durante um dia, proclamando: "Daqui a quarenta dias Nínive será destruída". 5 Os ninivitas creram em Deus. Proclamaram jejum, e todos eles, do maior ao menor, vestiram-se de pano de saco. 6 Quando as notícias chegaram ao rei de Nínive, ele se levantou do trono, tirou o manto real, vestiu-se de pano de saco e sentou-se sobre cinza. 7 Então fez uma proclamação em Nínive: "Por decreto do rei e de seus nobres: Não é permitido a nenhum homem ou animal, bois ou ovelhas provar coisa alguma; não comam nem bebam! 8 Cubram-se de pano de saco, homens e animais. E todos clamem a Deus com todas as suas forças. Deixem os maus caminhos e a violência. 9 Talvez Deus se arrependa e abandone a sua ira, e não sejamos destruídos". 10 Deus viu o que eles fizeram e como abandonaram os seus maus caminhos. Então Deus se arrependeu e não os destruiu como tinha ameaçado. ► 5. Devemos ir até as pessoas e proclamar a elas a mensagem de Deus, que inclui tanto Suas promessas de misericórdia quanto Suas advertências de juízos. Assim como a pregação de Jonas foi um sinal para os ninivitas, a pregação de Cristo foi um sinal para Sua geração. Mas que contraste na recepção da palavra! Embora em face de indiferença e de escárnio, o Salvador trabalhou sempre, até concluir Sua missão. A lição é para os mensageiros de Deus hoje, quando as cidades das nações encontram-se tão verdadeiramente em necessidade do conhecimento dos atributos e propósitos do verdadeiro Deus, como os ninivitas do passado. Os embaixadores de Cristo devem apontar aos homens o mundo mais nobre, que tem sido em grande parte perdido de vista. De acordo com os ensinamentos das Sagradas Escrituras, a única cidade que permanece é aquela cujo artífice e construtor é Deus. Com os olhos da fé os homens podem contemplar o limiar do Céu, iluminado com a glória do Deus vivo. Por intermédio de Seus servos ministradores o Senhor Jesus está convidando os homens a que se empenhem com santificada ambição no sentido de assegurarem a herança imortal. Apela para eles a fim de que acumulem tesouros junto ao trono de Deus. (Profetas e Reis, p. 274). Com infalível exatidão, o Infinito ainda ajusta conta com as nações. Enquanto Sua misericórdia é oferecida, com chamados para o arrependimento, essa conta permanece aberta. Mas quando as cifras alcançam certo montante que Deus tem prefixado, o ministério de Sua ira começa e a conta é encerrada. Cessa a divina paciência. A misericórdia não mais pleiteia em seu benefício. (Ibid., p. 364). ❉ Quinta - O lamento de Jonas Ano Bíblico: Is 1–4 Sendo que rei e nobres, com todo o povo, grandes e pequenos, "se arrependeram com a pregação de Jonas" (Mat. 12:41), e uniram-se em clamar ao Deus do Céu, Sua misericórdia foi-lhes assegurada. "Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus Se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez." Jon. 3:10. Sua condenação foi evitada; o Deus de Israel fora exaltado e honrado através do mundo pagão, e Sua lei foi reverenciada. Não seria senão muitos anos mais tarde que Nínive devia cair presa das nações vizinhas por causa do seu esquecimento de Deus e jactancioso orgulho. Quando Jonas viu o propósito de Deus de poupar a cidade que, não obstante sua impiedade, tinha sido levada a se arrepender em saco e cinzas, devia ter sido o primeiro a se alegrar com a estupenda graça de Deus; mas ao contrário disto, ele permitiu que sua mente se demorasse sobre a possibilidade de ser considerado um falso profeta. Cioso de sua reputação, ele perdeu de vista o valor infinitamente maior das almas nessa cidade infortunada. A compaixão mostrada por Deus para com os arrependidos ninivitas desgostou "Jonas extremamente... e ficou todo ressentido". "Não foi isso o que eu disse", argumentou ele com o Senhor, "estando ainda na minha terra? Por isso me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus piedoso, e misericordioso, longânimo, Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 6. e grande em benignidade, e que Te arrependes do mal." Jon. 4:1 e 2. Uma vez mais ele se rendeu a sua inclinação de questionar e duvidar, e uma vez mais foi oprimido com o desencorajamento. Perdendo de vista os interesses dos outros, e sentindo como se melhor lhe fora morrer do que viver para ver a cidade poupada, em seu descontentamento exclamou: "Ó Senhor, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver". "É razoável esse teu ressentimento?" o Senhor inquiriu. "Então Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da cidade; e ali fez uma cabana, e se assentou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria. E fez o Senhor Deus nascer uma aboboreira, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira." Jon. 4:3-6. Então o Senhor deu a Jonas uma lição objetiva. Ele "enviou um bicho, no dia seguinte ao subir da alva, o qual feriu a aboboreira, e esta se secou. E aconteceu que, aparecendo o Sol, Deus mandou um vento calmoso oriental, e o Sol feriu a cabeça de Jonas; e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver". De novo Deus Se dirige a Seu profeta: "É acaso razoável que assim te enfades por causa da aboboreira? E ele disse: É justo que me enfade a ponto de desejar a morte". "E disse o Senhor: Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que numa noite nasceu, e numa noite pereceu. E não hei de Eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão mais de cento e vinte mil homens, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?" Jon. 4:7-11. Confuso, humilhado e incapaz de compreender o propósito de Deus em poupar Nínive, Jonas havia, não obstante cumprido a comissão que lhe fora dada de advertir a grande cidade; e embora o acontecimento predito não se tivesse realizado, a mensagem de advertência não era de ninguém menos que de Deus. E ela cumpriu o propósito que Deus lhe designara. A glória de Sua graça fora revelada entre os pagãos. Os que havia muito estavam assentados "nas trevas e sombra da morte, presos em aflição e em ferro", "clamaram ao Senhor na sua angústia, e Ele os livrou das suas necessidades. Tirou-os das trevas e sombra da morte, e quebrou as suas prisões. ... Enviou a Sua palavra, e os sarou, e os livrou da sua destruição". Sal. 107:10, 13, 14 e 20. Profetas e Reis, pp. 270-273. ● 6. Leia Jonas 4:10, 11. O que esses versos ensinam sobre o caráter de Deus em contraste com a natureza humana pecaminosa? Por que devemos ficar felizes pelo fato de Deus ser nosso juiz supremo, e não algum ser humano? Jn 4:10-11, (BLTT-09); 10 E disse o SENHOR: Tu tiveste compaixão da aboboreira, na qual não laboraste, nem a fizeste crescer, que numa noite nasceu, e numa noite pereceu; 11 E não hei Eu de ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a mão direita deles e a mão esquerda deles, e há também muitos animais? ► 6. Enquanto Jonas estava envolvido com questões egoístas, Deus Se compadecia dos habitantes da cidade e desejava salvá-los. Deus ligou a Si nosso coração por inúmeras provas no Céu e na Terra. Pelas obras da natureza, e os mais profundos e ternos laços terrestres que o coração humano pode imaginar, Ele procurou revelar-Se a nós. No entanto, estas coisas só muito imperfeitamente representam Seu amor. Apesar de todas essas provas, o inimigo do bem cegou o espírito das pessoas, de maneira que foram levadas a olhar para Deus com temor, considerando-O severo e inexorável. Satanás levou o ser humano a imaginar Deus como um Ser cujo principal atributo fosse a justiça severa – um rigoroso juiz, e credor exigente e cruel. Representou o Criador como um ser que espreita desconfiado, procurando discernir os erros e pecados das pessoas, para que possa trazer juízos sobre elas. Foi para dissipar essa densa sombra, revelando ao mundo o infinito amor de Deus, que Jesus desceu para viver entre os homens. O Filho de Deus veio do Céu para revelar o Pai. “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, Este O fez conhecer” (Jo 1:18). “Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho O quiser revelar” (Mt 11:27) […] Descrevendo Sua missão terrestre, disse Jesus: “O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos” (Lc 4:18 e 19). Essa foi Sua obra. Andava fazendo o bem, Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  • 7. curando os oprimidos por Satanás. Havia aldeias inteiras onde não existia mais nenhuma casa em que se ouvissem lamentos de enfermo, porque Jesus por elas havia passado e curado os doentes. Sua obra dava testemunho de Sua unção divina. Amor, misericórdia e compaixão se patenteavam em cada ato de Sua vida. Seu coração palpitava com terna simpatia pelos filhos dos homens. Revestiu-Se da natureza humana para poder atingir as necessidades da humanidade. Os mais pobres e humildes não receavam aproximar-se dEle. Mesmo as criancinhas se sentiam atraídas para Ele. Gostavam de subir-Lhe aos joelhos e contemplar-Lhe o rosto pensativo, que refletia bondade e amor. (Caminho a Cristo, p. 10-12). […] Quão pouco, porém, os discípulos professos revelam desse amor compassivo de Cristo! Quando alguém comete uma falta, outros frequentemente tomam a liberdade de agravar tanto quanto possível o caso. Indivíduos que provavelmente cometem faltas da mesma gravidade, embora com personalidades diferentes, ousam tratar seu irmão com cruel severidade. Faltas cometidas por ignorância, inadvertência ou fraqueza, são transformadas em pecados propositais e premeditados. E quando alguns chegam a apostatar, há os que, cruzando os braços, solenemente declaram: “Eu não disse? Sabia perfeitamente que com essa gente não se podia contar.” Desse modo, adotam a atitude de Satanás, e em seu espírito rejubilam porque suas malignas suposições se provam certas. É natural encontrarmos, nos que são jovens e inexperientes, grandes imperfeições que devemos estar dispostos a suportar. Cristo nos ordenou restaurar os que são espiritualmente fracos, e nos torna responsáveis se, pela nossa conduta, forem levados ao desânimo, desespero e ruína. A menos que cultivemos diariamente a preciosa planta do amor, corremos o risco de nos tornar mesquinhos, apáticos, intolerantes e críticos, sendo considerados justos, quando estamos longe de ser aceitos aos olhos de Deus. Alguns são indelicados, ríspidos e severos. São como as cascas encrespadas das castanhas, ferem ao mais leve toque, e causam dano incalculável porque representam mal nosso amoroso Salvador. Temos de atingir um padrão mais elevado ou seremos indignos do nome de cristãos. Devemos cultivar o espírito que Cristo manifestou em Seu esforço para salvar os que erram. Esses Lhe são tão estimados como nós […] Se pudéssemos ver isso em sua plena realidade, quanto nosso zelo seria incentivado e nossos esforços redobrados para atingir essas pessoas que estão necessitando de nosso auxílio, orações, compaixão e amor! (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 605, 606). ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Is 5–7 “O livro de Jonas é muito significativo para se entender a base bíblica para a missão, porque trata da comissão de Deus para Seu povo com relação aos povos gentios e, assim, serve como passo preparatório para a comissão missionária do Novo Testamento. Mas é também importante para se obter um vislumbre da profunda resistência que essa comissão encontra por parte do próprio servo que Yahweh escolheu para executar Sua obra mundial” (J. Verkuyl, Contemporary Missiology [Missiologia contemporânea], Grand Rapids, Mich.: Wm. B. Eerdmans Pub. Co., 1978, p. 96). A mesma missão dada a Jonas, de ir e pregar, é dada por Deus a todos os Seus filhos: “Ordenou-nos: ‘Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura’ (Mc 16:15). Quantas vezes, porém, nosso coração sucumbe e falta-nos a fé, ao vermos que a necessidade é muito grande, e que os meios em nossas mãos são muito limitados! Como André, ao olhar os cinco pães de cevada e os dois peixinhos, exclamamos: ‘Que é isso para tantos?’ (Jo 6:9). Hesitamos frequentemente, não dispostos a dar tudo o que temos, temendo gastar e ser gastos por outros. Mas Jesus nos manda: ‘Dai-lhes vós de comer’ (Mt 14:16). Sua ordem é uma promessa; e em seu apoio está o mesmo poder que alimentou a multidão junto ao mar”. (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 369). “Não é um milagre que possamos ser libertados do cativeiro de Satanás? A inimizade contra Satanás não é natural ao coração humano; é implantada pela graça de Deus. Quando a pessoa dominada por uma vontade obstinada e má é posta em liberdade, e se entrega de todo o coração à influência dos divinos instrumentos celestiais, opera-se um milagre; assim também é quando alguém que esteve sob o poder de forte ilusão chega a compreender a verdade moral. Toda vez que uma pessoa se converte e aprende a amar a Deus e guardar Seus mandamentos, cumpre-se a promessa feita por Ele: ‘E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo’ (Ez 36:26). A mudança do coração humano, a transformação do caráter, é um milagre que revela um Salvador sempre vivo, atuando para salvar pessoas”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 407). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com