SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
Bíblia
Sagrada
   Velho
Testamento

    Jonas




 virtualbooks.com.br



          1
Capítulo 1

1 A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amitai, nestes
termos:
2 Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus
oráculos, porque sua iniqüidade chegou até a minha presença.
3 Jonas pôs-se a caminho, mas na direção de Társis, para fugir do
Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para
Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais
passageiros para Társis, longe da face do Senhor.
4 O Senhor, porém, fez vir sobre o mar um vento impetuoso e levantou
no mar uma tempestade tão grande que a embarcação ameaçava
espedaçar-se.
5 Aterrorizados, os marinheiros puseram-se a invocar cada qual o seu
deus, e atiraram no mar a carga do navio para aliviarem-no. Entretanto,
Jonas tinha descido ao porão do navio e, deitando-se ali, dormia
profundamente.
6 Veio o capitão e o despertou: Dorminhoco! Que estás fazendo aqui?
Levanta-te e invoca o teu Deus, para ver se ele se lembra talvez de nós
e nos livre da morte.
7 Em seguida disseram os marinheiros entre si: Vinde e tiremos à sorte
para sabermos quem é a causa deste mal. Lançaram a sorte e esta caiu
sobre Jonas.
8 E perguntaram-lhe: Tu, por quem nos acontecem estes males, dize-
nos qual é a tua profissão? De onde vens? A que país e a que raça
pertences?
9 Sou hebreu, respondeu ele. Adoro o Senhor, Deus dos céus, que criou
o mar e todos os continentes.
10 Ficaram então aqueles homens possuídos de grande temor, e
disseram-lhe: Por que fizeste isto? Pois tinham compreendido, pela
própria declaração de Jonas, que este fugia para escapar à ordem do
Senhor.
11 E disseram-lhe: Que te havemos de fazer para que o mar se acalme
em torno de nós? Porque o mar tornava-se cada vez mais ameaçador.
12 Tomai-me, disse Jonas, e lançai-me às águas, e o mar se acalmará.
Reconheço que sou eu a causa desta terrível tempestade que vos
sobreveio.
13 Os homens remavam para ver se conseguiam ganhar a costa, mas
em vão, porque o mar se embravecia cada vez mais contra eles.
14 Então invocaram o Senhor: Senhor, disseram eles, não nos façais
perecer por causa da vida deste homem, nem nos torneis responsáveis
pela vida deste homem que não nos fez mal algum. Vós, ó Senhor,
fizestes como foi do vosso agrado.


                                    2
15 E, pegando em Jonas, lançaram-no às ondas, e a fúria do mar se
acalmou.
16 Tomada de profundo sentimento de temor para com o Senhor, a
tripulação ofereceu-lhe um sacrifício, acompanhado de votos.


Capítulo 2

1 O Senhor fez que ali se encontrasse um grande peixe para engolir
Jonas, e este esteve três dias e três noites no ventre do peixe.
2 Do fundo das entranhas do peixe, Jonas fez esta prece ao Senhor, seu
Deus:
3 Em minha aflição, invoquei o Senhor, e ele ouviu-me. Do meio da
morada dos mortos, clamei a vós, e ouvistes minha voz.
4 Lançastes-me no abismo, no meio das águas e as ondas me
envolviam. Todas as vossas vagas e todas as vossas ondas passavam
sobre mim.
5 E eu já dizia: fui rejeitado de diante de vossos olhos. Acaso me será
dado ainda rever vosso santo templo?!
6 As águas envolviam-me até a garganta, o abismo me cercava. As
algas envolviam-me a cabeça.
7 Eu tinha descido até as raízes das montanhas, até a terra cujos
ferrolhos eternos (se fecharam) sobre mim.
8 Quando desfalecia a minha vida, pensei no Senhor; minha oração
chegou a vós, no vosso santo templo.
9 Os que servem a ídolos vãos abandonam a fonte das graças.
10 Eu, porém, oferecerei um sacrifício com cânticos de louvor, e
cumprirei o voto que fiz. Do Senhor vem a salvação.
11 Então o Senhor ordenou ao peixe, e este vomitou Jonas na praia.


Capítulo 3

1 A palavra do Senhor foi dirigida pela segunda vez a Jonas nestes
termos:
2 Vai a Nínive, a grande cidade, e faze-lhe conhecer a mensagem que te
ordenei.
3 Jonas pôs-se a caminho e foi a Nínive, segundo a ordem do Senhor.
Nínive era, diante de Deus, uma grande cidade: eram precisos três dias
para percorrê-la.
4 Jonas foi pela cidade durante todo um dia, pregando: Daqui a
quarenta dias Nínive será destruída.
5 Os ninivitas creram (nessa mensagem) de Deus, e proclamaram um
jejum, vestindo-se de sacos desde o maior até o menor.


                                   3
6 A notícia chegou ao conhecimento do rei de Nínive; ele levantou-se do
seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza.
7 Em seguida, foi publicado pela cidade, por ordem do rei e dos
príncipes, este decreto: Fica proibido aos homens e aos animais, tanto
do gado maior como do menor, comer o que quer que seja, assim como
pastar ou beber.
8 Homens e animais se cobrirão de sacos. Todos clamem a Deus, em
alta voz; deixe cada um o seu mau caminho e converta-se da violência
que há em suas mãos.
9 Quem sabe, Deus se arrependerá, acalmará o ardor de sua cólera e
deixará de nos perder!
10 Diante de uma tal atitude, vendo como renunciavam aos seus maus
caminhos, Deus arrependeu-se do mal que resolvera fazer-lhes, e não o
executou.


Capítulo 4

1 Jonas ficou profundamente indignado com isso e, muito irritado,
dirigiu ao Senhor esta prece: Ah, Senhor, era bem isto que eu dizia
quando estava ainda na minha terra! É por isso que eu tentei esquivar-
me, fugindo para Társis,
2 porque sabia que sois um Deus clemente e misericordioso, de coração
grande, de muita benignidade e compaixão pelos nossos males.
3 Agora, Senhor, toma a minha alma, porque me é melhor a morte que
a vida.
4 O Senhor respondeu-lhe: (Julgas que) tens razão para te afligires
assim?
5 Então saiu Jonas da cidade e fixou-se a oriente da mesma cidade. Fez
uma cabana para si e lá permaneceu, à sombra, esperando para ver o
que aconteceria à cidade.
6 O Senhor Deus fez crescer um pé de mamona, que se levantou acima
de Jonas, para fazer sombra à sua cabeça e curá-lo de seu mau humor.
Jonas alegrou-se grandemente com aquela mamoneira.
7 Mas, no dia seguinte, ao romper da manhã, mandou Deus um verme
que roeu a raiz da mamona, e esta secou.
8 Quando o sol se levantou, Deus fez soprar um vento ardente do
oriente, e o sol dardejou seus raios sobre a cabeça de Jonas, de forma
que o profeta, desfalecido, desejou a morte, dizendo: Prefiro a morte à
vida.
9 O Senhor disse a Jonas: (Julgas que) fazes bem em te irritares por
causa de uma planta? Jonas respondeu: Sim, tenho razão de me irar até
a morte.
10 Tiveste compaixão de um arbusto, replicou-lhe o Senhor, pelo qual


                                   4
nada fizeste, que não fizeste crescer, que nasceu numa noite e numa
noite morreu.
11 E então, não hei de ter compaixão da grande cidade de Nínive, onde
há mais de cento e vinte mil seres humanos, que não sabem discernir
entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e uma inumerável
multidão de animais?...




                                  5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Ebd Brasil
 
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovadosDeserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
Marcos De Oliveira Leite
 
11 11 14 jeremias 1 - pr alcenir
11 11 14  jeremias 1 - pr alcenir11 11 14  jeremias 1 - pr alcenir
11 11 14 jeremias 1 - pr alcenir
rf_bio
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Paulo Dias Nogueira
 

Mais procurados (20)

Profeta Jonas
Profeta JonasProfeta Jonas
Profeta Jonas
 
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divinaLição 6 – jonas – a misericórdia divina
Lição 6 – jonas – a misericórdia divina
 
38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas
 
Assuma o seu Destino
Assuma o seu DestinoAssuma o seu Destino
Assuma o seu Destino
 
11 jonas
11   jonas11   jonas
11 jonas
 
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovadosDeserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
Deserto uma escola para muitos,onde poucos são aprovados
 
Estudos no Livro de Jonas (Cap 3)
Estudos no Livro de Jonas   (Cap 3)Estudos no Livro de Jonas   (Cap 3)
Estudos no Livro de Jonas (Cap 3)
 
Estudos no Livro de Jonas (Introdução)
Estudos no Livro de Jonas (Introdução)Estudos no Livro de Jonas (Introdução)
Estudos no Livro de Jonas (Introdução)
 
O livro de jonas
O livro de jonasO livro de jonas
O livro de jonas
 
7 ajustes no caminho da conquista
7 ajustes no caminho da conquista7 ajustes no caminho da conquista
7 ajustes no caminho da conquista
 
Livro de Jonas
Livro de JonasLivro de Jonas
Livro de Jonas
 
11 11 14 jeremias 1 - pr alcenir
11 11 14  jeremias 1 - pr alcenir11 11 14  jeremias 1 - pr alcenir
11 11 14 jeremias 1 - pr alcenir
 
"Boas Novas que anunciam a paz"
"Boas Novas que anunciam a paz""Boas Novas que anunciam a paz"
"Boas Novas que anunciam a paz"
 
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 2 - A oração ...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 2 - A oração ...[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 2 - A oração ...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 2 - A oração ...
 
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
Mesmo no deserto Deus não nos abandona (Êxodo 17.1-7)
 
Teo at 3 credo historico
Teo at 3   credo historicoTeo at 3   credo historico
Teo at 3 credo historico
 
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
A provisão de Deus em tempos difíceis - Lição 02 - 4ºTrimestre de 2016
 
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos DificeisA Provisão de Deus em Tempos Dificeis
A Provisão de Deus em Tempos Dificeis
 
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEISLIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
LIÇÃO 2 - A PROVISÃO DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS
 
Desejo Sepulcral
Desejo SepulcralDesejo Sepulcral
Desejo Sepulcral
 

Semelhante a Jonas

Milagres 3 milagres na caminhada
Milagres 3   milagres na caminhadaMilagres 3   milagres na caminhada
Milagres 3 milagres na caminhada
Miriã Luz
 
Vigília da Imaculada Conceição
Vigília da Imaculada ConceiçãoVigília da Imaculada Conceição
Vigília da Imaculada Conceição
JMVSobreiro
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Fernando Chapeiro
 

Semelhante a Jonas (20)

O livro de jonas
O livro de jonasO livro de jonas
O livro de jonas
 
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
 
A saga de Jonas_Liç_original_432015 + textos
A saga de Jonas_Liç_original_432015 + textosA saga de Jonas_Liç_original_432015 + textos
A saga de Jonas_Liç_original_432015 + textos
 
Jonas e o Grande Peixe
Jonas e o Grande PeixeJonas e o Grande Peixe
Jonas e o Grande Peixe
 
Milagres 3 milagres na caminhada
Milagres 3   milagres na caminhadaMilagres 3   milagres na caminhada
Milagres 3 milagres na caminhada
 
Isaias 7
Isaias 7Isaias 7
Isaias 7
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
TransformaçõEs
TransformaçõEsTransformaçõEs
TransformaçõEs
 
Vigília da Imaculada Conceição
Vigília da Imaculada ConceiçãoVigília da Imaculada Conceição
Vigília da Imaculada Conceição
 
Ansioso para perdoar_Resumo_622013
Ansioso para perdoar_Resumo_622013Ansioso para perdoar_Resumo_622013
Ansioso para perdoar_Resumo_622013
 
Evangelhosapcrifos apocalipsedebaruch-131016174051-phpapp01
Evangelhosapcrifos apocalipsedebaruch-131016174051-phpapp01Evangelhosapcrifos apocalipsedebaruch-131016174051-phpapp01
Evangelhosapcrifos apocalipsedebaruch-131016174051-phpapp01
 
Salmo 65 a 67
Salmo 65 a 67Salmo 65 a 67
Salmo 65 a 67
 
Salmo 66
Salmo 66Salmo 66
Salmo 66
 
3° dom da quaresma Ano C
3° dom da quaresma   Ano C3° dom da quaresma   Ano C
3° dom da quaresma Ano C
 
Salmo 107
Salmo 107Salmo 107
Salmo 107
 
O deserto 11
O deserto 11O deserto 11
O deserto 11
 
Ofício das trevas
Ofício das trevasOfício das trevas
Ofício das trevas
 
Isaias 3
Isaias 3Isaias 3
Isaias 3
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 
Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011Voz da Paróquia - Outubro 2011
Voz da Paróquia - Outubro 2011
 

Mais de JNR

Ainda tomaremos um cafe juntos
Ainda tomaremos um cafe juntosAinda tomaremos um cafe juntos
Ainda tomaremos um cafe juntos
JNR
 
O voo
O vooO voo
O voo
JNR
 
Compromisso
CompromissoCompromisso
Compromisso
JNR
 
7 encontro propaganda, promoção e rp
7 encontro propaganda, promoção e rp7 encontro propaganda, promoção e rp
7 encontro propaganda, promoção e rp
JNR
 
O voo
O vooO voo
O voo
JNR
 
Tormentas
TormentasTormentas
Tormentas
JNR
 
Sapatos sujos
Sapatos sujosSapatos sujos
Sapatos sujos
JNR
 
O misterio das coisas
O misterio das coisasO misterio das coisas
O misterio das coisas
JNR
 
é Loucura
é Loucuraé Loucura
é Loucura
JNR
 
Amizade jb
Amizade jbAmizade jb
Amizade jb
JNR
 
Caminhos e escolhas
Caminhos e escolhasCaminhos e escolhas
Caminhos e escolhas
JNR
 
Ciclos em nossas vidas
Ciclos em nossas vidasCiclos em nossas vidas
Ciclos em nossas vidas
JNR
 
A felicidade e uma viagem e nao um destino
A felicidade e uma viagem e nao um destinoA felicidade e uma viagem e nao um destino
A felicidade e uma viagem e nao um destino
JNR
 
O amor e o tempo
O amor e o tempoO amor e o tempo
O amor e o tempo
JNR
 
Avos
AvosAvos
Avos
JNR
 
Relacionamentos
RelacionamentosRelacionamentos
Relacionamentos
JNR
 
A coragem e a vontade
A coragem e a vontadeA coragem e a vontade
A coragem e a vontade
JNR
 
O amor e o tempo
O amor e o tempoO amor e o tempo
O amor e o tempo
JNR
 
Caminhos e escolhas
Caminhos e escolhasCaminhos e escolhas
Caminhos e escolhas
JNR
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
JNR
 

Mais de JNR (20)

Ainda tomaremos um cafe juntos
Ainda tomaremos um cafe juntosAinda tomaremos um cafe juntos
Ainda tomaremos um cafe juntos
 
O voo
O vooO voo
O voo
 
Compromisso
CompromissoCompromisso
Compromisso
 
7 encontro propaganda, promoção e rp
7 encontro propaganda, promoção e rp7 encontro propaganda, promoção e rp
7 encontro propaganda, promoção e rp
 
O voo
O vooO voo
O voo
 
Tormentas
TormentasTormentas
Tormentas
 
Sapatos sujos
Sapatos sujosSapatos sujos
Sapatos sujos
 
O misterio das coisas
O misterio das coisasO misterio das coisas
O misterio das coisas
 
é Loucura
é Loucuraé Loucura
é Loucura
 
Amizade jb
Amizade jbAmizade jb
Amizade jb
 
Caminhos e escolhas
Caminhos e escolhasCaminhos e escolhas
Caminhos e escolhas
 
Ciclos em nossas vidas
Ciclos em nossas vidasCiclos em nossas vidas
Ciclos em nossas vidas
 
A felicidade e uma viagem e nao um destino
A felicidade e uma viagem e nao um destinoA felicidade e uma viagem e nao um destino
A felicidade e uma viagem e nao um destino
 
O amor e o tempo
O amor e o tempoO amor e o tempo
O amor e o tempo
 
Avos
AvosAvos
Avos
 
Relacionamentos
RelacionamentosRelacionamentos
Relacionamentos
 
A coragem e a vontade
A coragem e a vontadeA coragem e a vontade
A coragem e a vontade
 
O amor e o tempo
O amor e o tempoO amor e o tempo
O amor e o tempo
 
Caminhos e escolhas
Caminhos e escolhasCaminhos e escolhas
Caminhos e escolhas
 
Muitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestresMuitas vidas muitos mestres
Muitas vidas muitos mestres
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (8)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

Jonas

  • 1. Bíblia Sagrada Velho Testamento Jonas virtualbooks.com.br 1
  • 2. Capítulo 1 1 A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, filho de Amitai, nestes termos: 2 Levanta-te, vai a Nínive, a grande cidade, e profere contra ela os teus oráculos, porque sua iniqüidade chegou até a minha presença. 3 Jonas pôs-se a caminho, mas na direção de Társis, para fugir do Senhor. Desceu a Jope, onde encontrou um navio que partia para Társis; pagou a passagem e embarcou nele para ir com os demais passageiros para Társis, longe da face do Senhor. 4 O Senhor, porém, fez vir sobre o mar um vento impetuoso e levantou no mar uma tempestade tão grande que a embarcação ameaçava espedaçar-se. 5 Aterrorizados, os marinheiros puseram-se a invocar cada qual o seu deus, e atiraram no mar a carga do navio para aliviarem-no. Entretanto, Jonas tinha descido ao porão do navio e, deitando-se ali, dormia profundamente. 6 Veio o capitão e o despertou: Dorminhoco! Que estás fazendo aqui? Levanta-te e invoca o teu Deus, para ver se ele se lembra talvez de nós e nos livre da morte. 7 Em seguida disseram os marinheiros entre si: Vinde e tiremos à sorte para sabermos quem é a causa deste mal. Lançaram a sorte e esta caiu sobre Jonas. 8 E perguntaram-lhe: Tu, por quem nos acontecem estes males, dize- nos qual é a tua profissão? De onde vens? A que país e a que raça pertences? 9 Sou hebreu, respondeu ele. Adoro o Senhor, Deus dos céus, que criou o mar e todos os continentes. 10 Ficaram então aqueles homens possuídos de grande temor, e disseram-lhe: Por que fizeste isto? Pois tinham compreendido, pela própria declaração de Jonas, que este fugia para escapar à ordem do Senhor. 11 E disseram-lhe: Que te havemos de fazer para que o mar se acalme em torno de nós? Porque o mar tornava-se cada vez mais ameaçador. 12 Tomai-me, disse Jonas, e lançai-me às águas, e o mar se acalmará. Reconheço que sou eu a causa desta terrível tempestade que vos sobreveio. 13 Os homens remavam para ver se conseguiam ganhar a costa, mas em vão, porque o mar se embravecia cada vez mais contra eles. 14 Então invocaram o Senhor: Senhor, disseram eles, não nos façais perecer por causa da vida deste homem, nem nos torneis responsáveis pela vida deste homem que não nos fez mal algum. Vós, ó Senhor, fizestes como foi do vosso agrado. 2
  • 3. 15 E, pegando em Jonas, lançaram-no às ondas, e a fúria do mar se acalmou. 16 Tomada de profundo sentimento de temor para com o Senhor, a tripulação ofereceu-lhe um sacrifício, acompanhado de votos. Capítulo 2 1 O Senhor fez que ali se encontrasse um grande peixe para engolir Jonas, e este esteve três dias e três noites no ventre do peixe. 2 Do fundo das entranhas do peixe, Jonas fez esta prece ao Senhor, seu Deus: 3 Em minha aflição, invoquei o Senhor, e ele ouviu-me. Do meio da morada dos mortos, clamei a vós, e ouvistes minha voz. 4 Lançastes-me no abismo, no meio das águas e as ondas me envolviam. Todas as vossas vagas e todas as vossas ondas passavam sobre mim. 5 E eu já dizia: fui rejeitado de diante de vossos olhos. Acaso me será dado ainda rever vosso santo templo?! 6 As águas envolviam-me até a garganta, o abismo me cercava. As algas envolviam-me a cabeça. 7 Eu tinha descido até as raízes das montanhas, até a terra cujos ferrolhos eternos (se fecharam) sobre mim. 8 Quando desfalecia a minha vida, pensei no Senhor; minha oração chegou a vós, no vosso santo templo. 9 Os que servem a ídolos vãos abandonam a fonte das graças. 10 Eu, porém, oferecerei um sacrifício com cânticos de louvor, e cumprirei o voto que fiz. Do Senhor vem a salvação. 11 Então o Senhor ordenou ao peixe, e este vomitou Jonas na praia. Capítulo 3 1 A palavra do Senhor foi dirigida pela segunda vez a Jonas nestes termos: 2 Vai a Nínive, a grande cidade, e faze-lhe conhecer a mensagem que te ordenei. 3 Jonas pôs-se a caminho e foi a Nínive, segundo a ordem do Senhor. Nínive era, diante de Deus, uma grande cidade: eram precisos três dias para percorrê-la. 4 Jonas foi pela cidade durante todo um dia, pregando: Daqui a quarenta dias Nínive será destruída. 5 Os ninivitas creram (nessa mensagem) de Deus, e proclamaram um jejum, vestindo-se de sacos desde o maior até o menor. 3
  • 4. 6 A notícia chegou ao conhecimento do rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza. 7 Em seguida, foi publicado pela cidade, por ordem do rei e dos príncipes, este decreto: Fica proibido aos homens e aos animais, tanto do gado maior como do menor, comer o que quer que seja, assim como pastar ou beber. 8 Homens e animais se cobrirão de sacos. Todos clamem a Deus, em alta voz; deixe cada um o seu mau caminho e converta-se da violência que há em suas mãos. 9 Quem sabe, Deus se arrependerá, acalmará o ardor de sua cólera e deixará de nos perder! 10 Diante de uma tal atitude, vendo como renunciavam aos seus maus caminhos, Deus arrependeu-se do mal que resolvera fazer-lhes, e não o executou. Capítulo 4 1 Jonas ficou profundamente indignado com isso e, muito irritado, dirigiu ao Senhor esta prece: Ah, Senhor, era bem isto que eu dizia quando estava ainda na minha terra! É por isso que eu tentei esquivar- me, fugindo para Társis, 2 porque sabia que sois um Deus clemente e misericordioso, de coração grande, de muita benignidade e compaixão pelos nossos males. 3 Agora, Senhor, toma a minha alma, porque me é melhor a morte que a vida. 4 O Senhor respondeu-lhe: (Julgas que) tens razão para te afligires assim? 5 Então saiu Jonas da cidade e fixou-se a oriente da mesma cidade. Fez uma cabana para si e lá permaneceu, à sombra, esperando para ver o que aconteceria à cidade. 6 O Senhor Deus fez crescer um pé de mamona, que se levantou acima de Jonas, para fazer sombra à sua cabeça e curá-lo de seu mau humor. Jonas alegrou-se grandemente com aquela mamoneira. 7 Mas, no dia seguinte, ao romper da manhã, mandou Deus um verme que roeu a raiz da mamona, e esta secou. 8 Quando o sol se levantou, Deus fez soprar um vento ardente do oriente, e o sol dardejou seus raios sobre a cabeça de Jonas, de forma que o profeta, desfalecido, desejou a morte, dizendo: Prefiro a morte à vida. 9 O Senhor disse a Jonas: (Julgas que) fazes bem em te irritares por causa de uma planta? Jonas respondeu: Sim, tenho razão de me irar até a morte. 10 Tiveste compaixão de um arbusto, replicou-lhe o Senhor, pelo qual 4
  • 5. nada fizeste, que não fizeste crescer, que nasceu numa noite e numa noite morreu. 11 E então, não hei de ter compaixão da grande cidade de Nínive, onde há mais de cento e vinte mil seres humanos, que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e uma inumerável multidão de animais?... 5