SlideShare uma empresa Scribd logo
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
LIÇÃO 6 O Papel da Igreja na Comunidade
Jesus Se misturava com as pessoas 30 de julho a 6 de agosto de 2016
❉ Sábado à tarde
VERSO PARA MEMORIZAR: “Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para O ouvir. E
murmuravam os fariseus e os escribas, dizendo: Este recebe pecadores e come com eles”. Lc 15:1, 2.
Congregando-se os "publicanos e pecadores" em volta de Cristo, os rabinos exprimiram seu desagrado. "Este
recebe pecadores", disseram, "e come com eles." Luc. 15:1 e 2. Por esta acusação insinuaram que Cristo tinha
prazer em associar-se com os pecadores e vis, e era insensível à sua impiedade. Os rabinos ficaram
desapontados com Jesus. Por que era que Aquele que pretendia ter tão elevado caráter não Se relacionava com
eles, e não seguia seus métodos de ensino? Por que andava tão despretensiosamente, atuando entre todas as
classes? Se fosse profeta verdadeiro, diziam, estaria em harmonia com eles e trataria os publicanos e
pecadores com a indiferença que mereciam. Irritava a esses guardiões da sociedade, que Aquele com quem
tinham constantes disputas, cuja pureza de vida os aterrorizava e condenava, Se relacionasse em aparente
simpatia com os párias da sociedade. Não Lhe aprovavam os métodos. Consideravam-se muito ilustrados,
cultos e preeminentemente religiosos; mas o exemplo de Cristo lhes desmascarou o egoísmo.
Enfadava-os também que os que manifestavam unicamente desprezo aos rabinos, e nunca eram vistos nas
sinagogas, se agregassem ao redor de Jesus e, com atenção arrebatada, Lhe escutassem as palavras. Os
escribas e fariseus sentiam-se reprovados naquela presença pura; mas como se podia dar que os publicanos e
pecadores se sentissem atraídos a Jesus? Não sabiam que a explicação estava justamente nas palavras que
pronunciaram, como insultuosa acusação: "Este recebe pecadores." Luc. 15:2. As pessoas que iam ter com
Jesus sentiam em Sua presença que mesmo para elas havia escape do abismo do pecado. Os fariseus para elas
só tinham escárnio e condenação; Cristo, porém, as saudava como filhos de Deus, que na verdade se afastaram
da casa paterna, mas não foram esquecidas pelo coração do Pai. Justamente sua miséria e pecados os tornavam
tanto mais o objeto de Sua compaixão. Quanto mais dEle se haviam desviado, tanto mais ardoroso o desejo e
maior o sacrifício para salvá-los. Tudo isto os mestres de Israel podiam ter estudado no Sagrado Volume de
que se gloriavam ser os guardas e expositores. Não escrevera Davi - Davi que caíra em pecado mortal:
"Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o Teu servo"? Sal. 119:176. Não revelara Miquéias o amor de
Deus aos pecadores, dizendo: "Quem, ó Deus, é semelhante a Ti, que perdoas a iniquidade e que Te esqueces
da rebelião do restante da Tua herança? O Senhor não retém a Sua ira para sempre, porque tem prazer na
benignidade." Miq. 7:18. Parábolas de Jesus, pp. 185-186.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
❉ Domingo, 31 de julho - Êxito unicamente pelos métodos de Cristo
Mt 9:35-36, (ACF 1753); 35 E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e
pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 36 E, vendo as
multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm
pastor.
Que vida ocupada foi a de Cristo! Diariamente Ele podia ser visto entrando na habitação humilde dos
necessitados e tristes, falando de esperança ao abatido e de paz ao aflito. Os pobres e sofredores recebiam a
maior parte de Sua atenção. As crianças O amavam. Eram atraídas para Ele por Sua pronta simpatia. Com Sua
palavra simples e amorável Ele solucionava muitos problemas que surgiam entre elas. Não raro tomava-as em
Seus braços e falava com elas de maneira a conquistar-lhes o coração. ...
Humilde, gentil, terno e compassivo, Ele safa fazendo o bem, alimentando os famintos, erguendo o abatido,
confortando os tristes. Ninguém que a Ele viesse em busca de auxílio saía desapontado. ... Ele viveu a vida
que quer que vivam todos os que creem Nele. Sua comida e bebida era fazer a vontade de Seu Pai. A todos que
a Ele vinham buscar ajuda Ele comunicava fé, esperança e vida. Aonde quer que fosse levava bênção.
Beneficência Social, pág. 116.
Unicamente os métodos de Cristo trarão verdadeiro êxito ao nos aproximarmos do povo. O Salvador Se
misturava com os homens como uma pessoa que lhes desejava o bem. Manifestava compaixão por eles,
ministrava-lhes às necessidades e conquistava-lhes a confiança. Ordenava então: ‘Segue-Me’. A Ciência do
Bom Viver, p. 143.
► Pergunta.1. Em quais aspectos o Filho de Deus Se misturou conosco? Mt 1:22, 23; Jo 1:14
Mt 1:22-23, (ACF 1753); 22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo
profeta, que diz; 23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de
EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.
Jo 1:1-3, (ACF 1753); 1 NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele
estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Jo 1:14, (ACF 1753); 14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do
unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
► Resposta. 1. Tornou-se humano, Emanuel, Deus conosco, misturado com a humanidade. Habitou entre nós e
viveu de modo semelhante ao nosso. Sem pecado, cheio de graça e verdade.
Os homens contemplaram pela primeira vez a Cristo como um bebê, como uma criancinha. … Quanto mais
pensamos sobre o ato de Cristo tornar-se um bebê aqui na Terra, tanto mais admirável isso parece ser. Como
pode suceder que a indefesa criancinha na manjedoura de Belém ainda é o divino Filho de Deus? Conquanto
não possamos compreendê-lo, podemos crer que Aquele que criou os mundos, por nossa causa tornou-se um
indefeso bebê. Embora fosse mais elevado do que qualquer dos anjos, embora fosse tão grande como o Pai
sobre o trono do Céu, Ele tornou-se um conosco. Nele Deus e o homem passaram a ser um, e é neste fato que
encontramos a esperança de nossa raça decaída. Olhando para Cristo na carne, olhamos para Deus na
humanidade, e vemos Nele o resplendor da glória divina, a expressa imagem de Deus, o Pai. Mensagens
Escolhidas, vol. 3, págs. 127 e 128.
O Soberano do Universo não estava só em Sua obra de beneficência. Tinha um companheiro - um cooperador
que poderia apreciar Seus propósitos, e participar de Sua alegria ao dar felicidade aos seres criados. "No
princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus."
João 1:1 e 2. Cristo, o Verbo, o Unigênito de Deus, era um com o eterno Pai - um em natureza, caráter,
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
propósito - o único ser que poderia penetrar em todos os conselhos e propósitos de Deus. "E o Seu nome será:
Maravilhoso Conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade, Príncipe da paz." Isa. 9:6.
O Pai operou por Seu Filho na criação de todos os seres celestiais. "Porque nEle foram criadas todas as
coisas... sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para
Ele." Col. 1:16. Os anjos são ministros de Deus, radiantes pela luz que sempre flui de Sua presença, e rápidos
no vôo para executarem Sua vontade. Mas o Filho, o Ungido de Deus, "a expressa imagem de Sua pessoa", o
"resplendor da Sua glória", "sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder" (Heb. 1:3), tem a
supremacia sobre todos eles. Patriarcas e Profetas, págs. 34.
❉ Segunda, 1º de agosto - Perdido e achado
Em Lucas 15:3-32, Jesus contou três parábolas em resposta direta à acusação dos fariseus e doutores da lei de
que Ele recebia pecadores e comia com eles. Lc 15:2.
► Pergunta. 2. Leia as passagens seguintes e note a essência da resposta de Jesus a essas acusações:
Lc 15:1-2, (ACF 1753); 1 E CHEGAVAM-SE a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. 2 E os fariseus
e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles.
A parábola da ovelha perdida
Lc 15:3-7, (ACF 1753); 3 E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: 4 Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas,
e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-
la? 5 E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso; 6 E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos,
dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. 7 Digo-vos que assim haverá
alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não
necessitam de arrependimento.
A moeda perdida
Lc 15:8-10, (ACF 1753); 8 Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a
candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? 9 E achando-a, convoca as amigas e vizinhas,
dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. 10 Assim vos digo que há alegria diante dos
anjos de Deus por um pecador que se arrepende.
O filho perdido
Lc 15:11-32, (ACF 1753); 11 E disse: Um certo homem tinha dois filhos; 12 E o mais moço deles disse ao pai:
Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. 13 E, poucos dias depois, o filho
mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo
dissolutamente. 14 E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer
necessidades. 15 E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a
apascentar porcos. 16 E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe
dava nada. 17 E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui
pereço de fome! 18 Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; 19
Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. 20 E, levantando-se, foi para
seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-
lhe ao pescoço e o beijou. 21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser
chamado teu filho. 22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e
ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; 23 E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e
alegremo-nos; 24 Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
começaram a alegrar-se. 25 E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa,
ouviu a música e as danças. 26 E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27 E ele lhe disse:
Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. 28 Mas ele se indignou, e não
queria entrar. 29 E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos
anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus
amigos; 30 Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro
cevado. 31 E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; 32 Mas era justo
alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-
se.
❉ Cada parábola começa com algo perdido e termina com uma comemoração. A comemoração expressa o
amor de Deus por nós e Seu profundo interesse em nossa salvação. LES.
► Resposta. 2. Jesus, o bom Pastor, Se alegrou ao encontrar a ovelha perdida, que simboliza os pecadores. Os
fariseus eram maus pastores, que desprezavam e oprimiam os pecadores. Assim também, a mulher que se
alegrou pela moeda reencontrada representa a alegria divina ao encontrar os perdidos. O Pai Se alegra com o
retorno do filho perdido e o recebe com amor e perdão, ao contrário do irmão mais velho, que representa os
fariseus.
O Senhor está a fazer aos errantes, aos fracos e aos temerosos, e até àqueles que apostataram da verdade, um
chamado especial para voltarem totalmente ao aprisco. Mas muitos ainda não aprenderam que têm o especial
dever de ir em busca dessas ovelhas perdidas. Os fariseus murmuravam porque Jesus recebeu publicanos e
comuns pecadores e comeu com eles. Na sua auto-justiça, desprezaram aqueles pobres pecadores que
alegremente ouviram as palavras de Jesus. Para repreender este espírito por parte dos escribas e dos fariseus, e
para deixar uma lição impressionante para todos, o Senhor deu a parábola da ovelha perdida. Repare, em
especial, nos seguintes pontos:
As noventa e nove ovelhas foram deixadas, e é feita uma busca diligente pela ovelha que se perdera. Todo o
esforço foi feito em favor dessa infeliz ovelha. Assim deveriam os esforços da Igreja ser dirigidos
em favor dos membros que estão a desviar-se do rebanho de Cristo. E eles têm andado distantes? Não esperem
que eles voltem para os ajudarem, mas saiam à procura deles. …
A igreja que se empenha com êxito nesta obra é uma igreja feliz. O homem ou a mulher cujo coração se
comove de compaixão e amor pelos que erram, e que trabalham para trazê-los de volta ao redil do grande
Pastor, estão envolvidos numa bendita obra. …
A igreja ou pessoa que se exime de levar as cargas dos outros, que se encerra em si mesma, há de sofrer em
breve de enfraquecimento espiritual. É o trabalho que conserva o homem vigoroso. Trabalho espiritual, labutas
e levar as cargas uns dos outros, eis o que há de dar vigor à Igreja de Cristo. – Life Sketches of Ellen G. White,
pp. 187 e 188.
Cada pecador que Cristo salvou é chamado a atuar no Seu nome pela salvação dos perdidos. Essa obra fora
negligenciada em Israel. Não é também hoje negligenciada pelos que professam ser seguidores de Cristo?
Quantos afastados, caro Leitor, procurou e trouxe ao redil? Reconhece que despreza os que Cristo procura,
quando se desvia dos que parecem pouco promissores e não atraentes? Exatamente no momento em que se
esquiva deles, podem eles carecer muito da sua compaixão. Em cada assembleia de culto, há os que anseiam
descanso e paz. Podem parecer como se vivessem indiferentemente, mas não são insensíveis à influência do
Espírito Santo. Muitos deles podem ser ganhos para Cristo.
Se a ovelha perdida não for trazida de volta ao aprisco, vagueia até perecer. E muitas almas descem à ruína
pela falta de uma mão estendida para salvá-las. Estes errantes podem aparentar ser endurecidos e indiferentes,
mas se tivessem tido os mesmos privilégios que outros tiveram, poderiam ter revelado muito maior nobreza de
caráter e maior talento para utilidade. Os anjos compadecem-se desses errantes. Eles choram, enquanto os
olhos humanos estão secos e os corações cerrados à compaixão.
Oh, que falta de profunda e tocante simpatia pelos tentados e errantes! Oh, se houvesse mais do espírito de
Cristo e menos, muito menos, do próprio eu! – Parábolas de Jesus, pp. 191 e 192.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
❉ Terça, 2 de agosto - Comendo com pecadores
► Pergunta. 3. Leia Mateus 9:10-13. Que lição importante devemos aprender com a resposta de Jesus aos Seus
críticos? Os 6:6
Mt 9:10-13, (ACF 1753); 10 E aconteceu que, estando ele em casa sentado à mesa, chegaram muitos publicanos
e pecadores, e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos. 11 E os fariseus, vendo isto, disseram aos
seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? 12 Jesus, porém, ouvindo,
disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. 13 Ide, porém, e aprendei o que
significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores,
ao arrependimento.
► Resposta. 3. Em lugar da crítica, os fariseus deveriam ter elogiado Jesus por Sua misericórdia, assim como
um médico deve ser reconhecido por curar doentes. Jesus não podia ajudar quem se considerava “são” e
“justo”.
"Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?" indagaram os invejosos rabis. Mat. 9:11.
Jesus não esperou que os discípulos respondessem à acusação, mas replicou Ele próprio: "Não necessitam de
médico os sãos, mas sim os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não
sacrifício. Porque Eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento." Mat. 9:12 e 13. Os
fariseus pretendiam ser espiritualmente sãos e portanto, não necessitados de médico, ao passo que
consideravam os publicanos e gentios como perecendo das moléstias da alma. Não era, pois, Sua obra, como
médico, procurar a própria classe que Lhe necessitava o auxílio? Conquanto os fariseus presumissem tanto de
si, encontravam-se na verdade em piores condições que aqueles a quem desprezavam. Os publicanos eram
menos hipócritas e presunçosos, estando assim mais aptos a receber a influência da verdade. Jesus disse aos
rabis: "Ide, ... e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício." Mat. 9:13. Mostrou assim que,
ao passo que pretendiam ser expositores da Palavra de Deus, lhe ignoravam por completo o espírito.
Os fariseus calaram-se por algum tempo, mas apenas se tornaram mais decididos em sua inimizade.
Procuraram em seguida os discípulos de João Batista, e buscaram pô-los contra o Salvador. Esses fariseus não
haviam aceito a missão do Batista. Apontaram-lhe escarnecedoramente à vida de abstinência, aos hábitos
simples, à vestimenta ordinária, e o declararam fanático. Como lhes denunciasse a hipocrisia, resistiram-lhe às
palavras, e procuraram suscitar o povo contra ele. O Espírito de Deus movera o coração desses
escarnecedores, convencendo-os do pecado; mas rejeitaram o conselho de Deus, e declararam que João estava
possesso do diabo.
Ora, quando Jesus veio, misturando-se com o povo, comendo e bebendo à mesa deles, acusaram-no de
comilão e beberrão. Os próprios que faziam essas acusações, eram culpados. Como Deus é mal representado, e
revestido por Satanás de seus próprios atributos, assim os mensageiros do Senhor eram desfigurados por esses
homens maldosos. O Desejado de Todas as Nações, pp. 275-276.
► Pergunta. 4. Jesus estava reclinado à mesa, comendo na companhia daqueles que a sociedade julgava
indesejáveis. Que tipo de pessoas sua cultura considera “indesejáveis”?
Mt 9:11, (ACF 1753); 11 E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre
com os publicanos e pecadores?
► Resposta. 4. Pessoas diferentes de nós em relação à religião, lugar de nascimento, condição financeira, nível
intelectual e estilo de vida.
Quanto mais uma pessoa vê do caráter de Deus, tanto mais humilde ela se torna, e tanto menos se estima a si
mesma. Isto é na verdade a prova de que ela contempla a Deus, de que se encontra em união com Jesus Cristo.
A menos que sejamos mansos e humildes, não podemos, na verdade, pretender possuir nenhuma visão do
caráter divino.
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
Os homens podem pensar que possuem aptidões superiores. Seus talentos admiráveis, o grande saber, a
eloquência, atividade e zelo, podem deslumbrar os olhos, deleitar a fantasia e despertar a admiração dos que
não podem ler para além da superfície; mas a menos que a humildade e a modéstia se ache ligada a esses
outros dons, manifestar-se-ão exaltação e glorificação próprias. A menos que cada qualidade seja consagrada
ao Senhor, a menos que aqueles a quem Ele confiou dons busquem a graça que, unicamente, pode tornar esses
talentos aceitáveis a Deus, eles são considerados pelo Senhor... como servos inúteis. Carta 87, 1896. Filhos e
Filhas de Deus, MM 1856, p. 68.
Há milhares a cometer o mesmo erro dos fariseus a quem Cristo reprovou no banquete de Mateus. Em lugar de
abandonar certa ideia nutrida, ou rejeitar algum ídolo de opinião, muitos recusam a verdade descida do Pai da
luz. Confiam em si mesmos, e dependem da própria sabedoria, e não compreendem sua pobreza espiritual.
Insistem em ser salvos por alguma maneira em que realizem alguma obra importante. Quando veem que não
há nenhum modo de introduzirem o eu na obra, rejeitam a salvação provida.
Uma religião legal nunca poderá conduzir almas a Cristo; pois é destituída de amor e de Cristo. Jejuar ou orar
quando imbuídos de um espírito de justificação própria, é uma abominação aos olhos de Deus. A solene
assembleia para o culto, a rotina das cerimônias religiosas, a humilhação externa, o sacrifício imposto,
mostram que o que pratica essas coisas se considera justo, e com títulos ao Céu, mas tudo é engano. Nossas
próprias obras jamais poderão comprar a salvação.
Como foi nos dias de Cristo, assim se dá agora; os fariseus não conhecem sua necessidade espiritual. A eles se
dirige a mensagem: "como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um
desgraçado, e miserável, e pobre, e cego e nu; aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para
que te enriqueças, e vestidos brancos para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez." Apoc. 3:17 e
18. Fé e amor são o ouro provado no fogo. Mas no caso de muitos se obscureceu o brilho do ouro, e perdeu-se
o tesouro precioso. A justiça de Cristo é para eles um vestido sem uso, uma fonte intata. A esses é dito: "Tenho,
porém, contra ti que deixaste a tua primeira caridade. Lembra-te pois de onde caíste, e arrepende-te, e pratica
as primeiras obras; quando não, brevemente a ti verei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te
arrependeres." Apoc. 2:4 e 5. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração
quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus." Sal. 51:17. O homem se deve esvaziar do próprio eu,
antes de ser, no mais amplo sentido, um crente em Jesus. Quando se renuncia ao eu, então o Senhor pode
tornar o homem uma nova criatura. Novos odres podem conter o vinho novo. O amor de Cristo há de animar o
crente de uma vida nova. Naquele que contempla o autor e consumador de nossa fé, o caráter de Cristo se há
de manifestar. O Desejado de Todas as Nações, p. 280.
❉ Quarta, 3 de agosto - Sabedoria ao se misturar com as pessoas
Mt 5:13-14, (ACF 1753); 13 Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para
nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se
pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
► Pergunta. 5. Em que aspecto não devemos nos misturar com o mundo? Gn 13:5-13; 19:12-26; Nm 25:1-3;
1Jo 2:16
Gn 13:5-13, (ACF 1753); 5 E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas. 6 E não tinha
capacidade a terra para poderem habitar juntos; porque os seus bens eram muitos; de maneira que não podiam
habitar juntos. 7 E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os
cananeus e os perizeus habitavam então na terra. 8 E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e
entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. 9 Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois,
aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a
esquerda. 10 E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes
do SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do
Egito, quando se entra em Zoar. 11 Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
para o oriente, e apartaram-se um do outro. 12 Habitou Abrão na terra de Canaã e Ló habitou nas
cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma. 13 Ora, eram maus os homens de Sodoma, e
grandes pecadores contra o SENHOR.
Gn 19:12-26, (ACF 1753); 12 Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus
filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar; 13 Porque nós vamos destruir
este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do SENHOR, e o SENHOR nos enviou a
destruí-lo. 14 Então saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse:
Levantai-vos, saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Foi tido porém por zombador
aos olhos de seus genros. 15 E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua
mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade. 16 Ele, porém,
demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas,
sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade. 17 E aconteceu que,
tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina;
escapa lá para o monte, para que não pereças. 18 E Ló disse-lhe: Ora, não, meu Senhor! 19 Eis que agora o teu
servo tem achado graça aos teus olhos, e engrandeceste a tua misericórdia que a mim me fizeste, para guardar
a minha alma em vida; mas eu não posso escapar no monte, para que porventura não me apanhe este mal, e eu
morra. 20 Eis que agora aquela cidade está perto, para fugir para lá, e é pequena; ora, deixe-me escapar para lá
(não é pequena?), para que minha alma viva. 21 E disse-lhe: Eis aqui, tenho-te aceitado também neste negócio,
para não destruir aquela cidade, de que falaste; 22 Apressa-te, escapa-te para ali; porque nada poderei fazer,
enquanto não tiveres ali chegado. Por isso se chamou o nome da cidade Zoar. 23 Saiu o sol sobre a terra,
quando Ló entrou em Zoar. 24 Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre
Sodoma e Gomorra; 25 E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas
cidades, e o que nascia da terra. 26 E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal.
Nm 25:1-3, (ACF 1753); 1 E ISRAEL deteve-se em Sitim e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos
moabitas. 2 Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu, e inclinou-se aos
seus deuses. 3 Juntando-se, pois, Israel a Baal-Peor, a ira do SENHOR se acendeu contra Israel.
1Jo 2:16, (ACF 1753); 16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos
olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas
aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
► Resposta. 6. Obedecer e desenvolver a própria salvação com temor e tremor, permitindo que Deus opere em
nós o querer e o realizar, segundo a Sua boa vontade; fazer tudo sem murmurações nem contendas, para que
nos tornemos irrepreensíveis e sinceros no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandecemos
como luzeiros no mundo.
Pois bem, os professos cristãos se recusarão a se associar aos não convertidos, evitando qualquer comunicação
com eles? Não! Devem estar com eles no mundo, mas não ser do mundo, não para participar de seus caminhos
nem para ser impressionados por eles, nem para ter o coração aberto para seus costumes e práticas. Suas
relações de amizade devem ter o propósito de atrair outros para Cristo. Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 231.
Quando o princípio do amor está implantado no coração, quando o homem está renovado segundo a imagem
Daquele que o criou, a promessa do Novo Concerto é cumprida: “Porei as minhas leis nos seus corações, e as
escreverei nas suas mentes.” Hebreus 10:16. E se a Lei estiver escrita no coração, não modelará ela a vida? A
obediência – o serviço e a lealdade de amor – é o verdadeiro sinal do discipulado. Assim diz a Escritura: “Este
é o amor de Deus; que guardemos os seus mandamentos.” “Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os
seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” I João 5:3; 2:4. Em vez de desobrigar o homem da
obediência, é a fé, e somente a fé, que nos torna participantes da graça de Cristo, a qual nos capacita a prestar
obediência.
Não ganhamos a salvação pela nossa obediência; pois a salvação é a dádiva gratuita de Deus, que deve ser
recebida pela fé. Mas a obediência é o fruto da fé. “E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos
pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com
conheceu.” I João 3:56. Aqui está o verdadeiro teste. Se permanecermos em Cristo, se o amor de Deus habitar
em nós, os nossos sentimentos, pensamentos, propósitos e ações estarão em harmonia com a vontade de Deus,
tal como está expressa nos preceitos da Sua santa Lei. Aos Pés de Cristo, pp. 68-70. (Ed. P. SerVir).
❉ Quinta, 4 de agosto - No meio de uma geração corrupta
► Pergunta. 6. Leia Filipenses 2:12-15. Quais princípios devemos praticar ao cumprir o chamado para
alcançar as pessoas e ao mesmo tempo evitar a apostasia?
Fp 2:12-15, (ACF 1753); 12 De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha
presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e
tremor; 13 Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. 14
Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; 15 Para que sejais irrepreensíveis e sinceros,
filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis
como astros no mundo;
É desígnio de Deus manifestar por meio de Seu povo os princípios de Seu reino. A fim de que lhes seja
possível revelar esses princípios na vida e no caráter, Ele deseja separá-los dos costumes, hábitos e práticas do
mundo. ... Contemplando a bondade, a misericórdia, a justiça e o amor de Deus revelados em Sua igreja, deve
o mundo ver a representação de Seu caráter. E, quando a lei divina for assim exemplificada na vida, o próprio
mundo reconhecerá a superioridade dos que amam, temem e servem a Deus, sobre todos os outros povos do
mundo.
Os adventistas, acima de todos os povos, devem ser modelos de piedade, puros de coração e de linguagem.
Foram-lhes confiadas as mais solenes verdades já confiadas a mortais. Toda dotação de graça, poder e
eficiência lhes foi liberalmente proporcionada. Eles aguardam a próxima volta de Cristo nas nuvens do céu.
Darem eles ao mundo a impressão de que sua fé não exerce poder dominante em sua vida, é desonrar
grandemente a Deus. Em razão do crescente poder das tentações de Satanás, os tempos em que vivemos se
acham plenos de perigo para os filhos de Deus, e cumpre-nos aprender continuamente do grande Mestre, de
modo a dar todo passo com segurança e em justiça. Assombrosas cenas estão se desdobrando diante de nós; e
em tal tempo, é preciso que a vida do professo povo de Deus seja um testemunho vivo, de modo que o mundo
veja que, neste século, quando o mal espalha-se por toda parte, ainda existe um povo que põe de lado a própria
vontade para realizar a vontade de Deus - povo em cujo coração e vida se acha escrita a Sua lei. ...
Seus pensamentos devem ser puros; suas palavras, nobres e próprias para elevar. A religião de Cristo deve
entretecer-se em tudo quanto eles façam ou digam. Devem ser um povo purificado e santo, comunicando luz a
todos com quem se puserem em contato. É Seu intento que, exemplificando esse povo a verdade na própria
vida, seja na Terra um louvor. A graça de Cristo é suficiente para efetuar isso. Conselhos aos Pais, Professores
e Estudantes, págs. 321 e 322.
Devemos educar o nosso coração para ser piedoso, gentil, terno, cheio de perdão e compaixão. Embora
deixemos de lado toda a vaidade, toda a conversação tola, ridícula e zombadora, não devemos tornar-nos
insensíveis, antipáticos e insociáveis. Minha Consagração Hoje (Meditações Matinais, 1989/1953), p. 183.
O exemplo dos seguidores de Cristo em Antioquia deve ser uma inspiração para todos os crentes que vivem
hoje nas grandes cidades do mundo. Embora esteja no plano de Deus que obreiros escolhidos, consagrados e
com talento, sejam colocados em importantes centros de população para realizar conferências públicas, é
também da Sua vontade que os membros da Igreja, que vivem nessas cidades, usem os talentos que Deus lhes
deu, trabalhando em favor dos outros. Estão guardadas grandes bênçãos para os que respondem, sem reservas,
ao chamado de Deus. Quando esses obreiros se empenharem na salvação de almas para Jesus, verificarão que
muitos, que nunca teriam sido alcançados de outra forma, estão prontos a responder a um esforço pessoal
inteligente. Atos dos Apóstolos, p. 115. (Ed. P. SerVir).
Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
Pastor Robson Colaço
 
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRRespostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Gerson G. Ramos
 
Linguagem do amor
Linguagem do amorLinguagem do amor
Linguagem do amor
Eduardo Sousa Gomes
 
Culto de páscoa
Culto de páscoaCulto de páscoa
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textosPedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
Gerson G. Ramos
 
Antes que seja tarde demais - E-book
Antes que seja tarde demais  - E-bookAntes que seja tarde demais  - E-book
Antes que seja tarde demais - E-book
Sammis Reachers
 
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Gerson G. Ramos
 
A cruz, o sacerdócio de jesus e
A cruz, o sacerdócio de jesus eA cruz, o sacerdócio de jesus e
A cruz, o sacerdócio de jesus e
Eduardo Sousa Gomes
 
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaicaLivro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
Flavio Souza
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
Eduardo Sousa Gomes
 
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRLição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Gerson G. Ramos
 
A graça que nos sustenta
A graça que nos sustentaA graça que nos sustenta
A graça que nos sustenta
SEMINÁRIO BATISTA RENASCER -SABER
 
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
Gerson G. Ramos
 
A evangelização urbana e suas estrategias lição 5
A evangelização urbana e suas estrategias    lição 5A evangelização urbana e suas estrategias    lição 5
A evangelização urbana e suas estrategias lição 5
Flavio Luz
 
Evangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas EstratégiasEvangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas Estratégias
Márcio Martins
 
0 trabalho e atributos l 4
0 trabalho e atributos l 4  0 trabalho e atributos l 4
0 trabalho e atributos l 4
Flavio Luz
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Gerson G. Ramos
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
RODRIGO FERREIRA
 
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Ailton da Silva
 
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGRQuem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais procurados (20)

Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
 
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRRespostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Respostas_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
 
Linguagem do amor
Linguagem do amorLinguagem do amor
Linguagem do amor
 
Culto de páscoa
Culto de páscoaCulto de páscoa
Culto de páscoa
 
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textosPedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
Pedro e os gentios_Liç_Orig_932015 + textos
 
Antes que seja tarde demais - E-book
Antes que seja tarde demais  - E-bookAntes que seja tarde demais  - E-book
Antes que seja tarde demais - E-book
 
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
 
A cruz, o sacerdócio de jesus e
A cruz, o sacerdócio de jesus eA cruz, o sacerdócio de jesus e
A cruz, o sacerdócio de jesus e
 
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaicaLivro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
Livro de Gálatas traduzido direto da peshita aramaica
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
 
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGRLição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
Lição_1022016_Jesus em Jerusalém_GGR
 
A graça que nos sustenta
A graça que nos sustentaA graça que nos sustenta
A graça que nos sustenta
 
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
Evangelho eterno_Lição_original com textos_1342014
 
A evangelização urbana e suas estrategias lição 5
A evangelização urbana e suas estrategias    lição 5A evangelização urbana e suas estrategias    lição 5
A evangelização urbana e suas estrategias lição 5
 
Evangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas EstratégiasEvangelização Urbana e suas Estratégias
Evangelização Urbana e suas Estratégias
 
0 trabalho e atributos l 4
0 trabalho e atributos l 4  0 trabalho e atributos l 4
0 trabalho e atributos l 4
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
 
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A superioridade de Jesus em relação a Moisés
 
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGRQuem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
 

Destaque

Presentación de UBD (Universal Backup Device) en español
Presentación de UBD (Universal Backup Device) en españolPresentación de UBD (Universal Backup Device) en español
Presentación de UBD (Universal Backup Device) en español
Brad Jensen
 
Estudo adicional 312014
Estudo adicional 312014Estudo adicional 312014
Estudo adicional 312014
Gerson G. Ramos
 
Cassandra Introduction & Features
Cassandra Introduction & FeaturesCassandra Introduction & Features
Cassandra Introduction & Features
Phil Peace
 
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disat
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disatMarzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disat
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disatimartini
 
Au royaume du costa rica les colibris sont rois
Au royaume du costa rica les colibris sont roisAu royaume du costa rica les colibris sont rois
Au royaume du costa rica les colibris sont rois
Robert Morin
 
Scottish Culture
Scottish CultureScottish Culture
Scottish Culture
Marcus McGowan
 

Destaque (6)

Presentación de UBD (Universal Backup Device) en español
Presentación de UBD (Universal Backup Device) en españolPresentación de UBD (Universal Backup Device) en español
Presentación de UBD (Universal Backup Device) en español
 
Estudo adicional 312014
Estudo adicional 312014Estudo adicional 312014
Estudo adicional 312014
 
Cassandra Introduction & Features
Cassandra Introduction & FeaturesCassandra Introduction & Features
Cassandra Introduction & Features
 
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disat
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disatMarzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disat
Marzocchi le caratteristiche-principali_del_bambino_disat
 
Au royaume du costa rica les colibris sont rois
Au royaume du costa rica les colibris sont roisAu royaume du costa rica les colibris sont rois
Au royaume du costa rica les colibris sont rois
 
Scottish Culture
Scottish CultureScottish Culture
Scottish Culture
 

Semelhante a Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR

Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
Como ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGRComo ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGR
Gerson G. Ramos
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Gerson G. Ramos
 
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotosLivro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
aloisio de carvalho
 
Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo      Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
Gerson G. Ramos
 
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso SenhorArrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
SamuelAnjos13
 
Chegou a hora
Chegou a horaChegou a hora
Chegou a Hora - Pr Jonatan Conceicao
Chegou a Hora -  Pr Jonatan ConceicaoChegou a Hora -  Pr Jonatan Conceicao
Chegou a Hora - Pr Jonatan Conceicao
Zafnat Panea
 
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
Gerson G. Ramos
 
Livreto ieq-20161103
Livreto ieq-20161103Livreto ieq-20161103
Livreto ieq-20161103
JONATAS VELOSO
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
ParoquiaDeSaoPedro
 
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
NeyCardoso4
 
Deus na história da humanidade
Deus na história da humanidadeDeus na história da humanidade
Deus na história da humanidade
Edilson Gomes
 
A primeira vinda de Jesus_122015_GGR
A primeira vinda de Jesus_122015_GGRA primeira vinda de Jesus_122015_GGR
A primeira vinda de Jesus_122015_GGR
Gerson G. Ramos
 
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
José Lima
 
Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014
Gerson G. Ramos
 
Exaltai O (EX) - MM
Exaltai O (EX) - MMExaltai O (EX) - MM
Exaltai O (EX) - MM
Gérson Fagundes da Cunha
 
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENORLUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
Projeto Preparar um Povo
 

Semelhante a Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR (20)

Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
 
Como ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGRComo ser salvo_532014_GGR
Como ser salvo_532014_GGR
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
 
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotosLivro o ultimo_dia_-_com_fotos
Livro o ultimo_dia_-_com_fotos
 
Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo      Um ministério perpétuo
Um ministério perpétuo
 
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
❉ Respostas_812016_Companheiros de armas_GGR
 
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
❉ Respostas_122016_Filho de Davi_GGR
 
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso SenhorArrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
Arrebatamento de Cristo Jesus nosso Senhor
 
Chegou a hora
Chegou a horaChegou a hora
Chegou a hora
 
Chegou a Hora - Pr Jonatan Conceicao
Chegou a Hora -  Pr Jonatan ConceicaoChegou a Hora -  Pr Jonatan Conceicao
Chegou a Hora - Pr Jonatan Conceicao
 
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
 
Livreto ieq-20161103
Livreto ieq-20161103Livreto ieq-20161103
Livreto ieq-20161103
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Dezemb...
 
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
 
Deus na história da humanidade
Deus na história da humanidadeDeus na história da humanidade
Deus na história da humanidade
 
A primeira vinda de Jesus_122015_GGR
A primeira vinda de Jesus_122015_GGRA primeira vinda de Jesus_122015_GGR
A primeira vinda de Jesus_122015_GGR
 
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano CLeituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
Leituras: 4° Domingo do Tempo Comum - Ano C
 
Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014Discipulado das crianças_Respostas_412014
Discipulado das crianças_Respostas_412014
 
Exaltai O (EX) - MM
Exaltai O (EX) - MMExaltai O (EX) - MM
Exaltai O (EX) - MM
 
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENORLUZ MAIOR E LUZ MENOR
LUZ MAIOR E LUZ MENOR
 

Mais de Gerson G. Ramos

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRLição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGRLição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGRRespostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGRLição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGRRespostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGRLição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais de Gerson G. Ramos (19)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRRespostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRLição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Lição_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
 
Lição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGRLição_1122016_eventos finais_GGR
Lição_1122016_eventos finais_GGR
 
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGRRespostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Respostas_22016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
 
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGRLição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
Lição_922016_Ídolos da alma e outras lições de Jesus_GGR
 
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGRRespostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Respostas_822016_Pedro e a Rocha_GGR
 
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGRLição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
Lição_822016_Pedro e a Rocha_GGR
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 

Último (12)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 

Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR

  • 1. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com LIÇÃO 6 O Papel da Igreja na Comunidade Jesus Se misturava com as pessoas 30 de julho a 6 de agosto de 2016 ❉ Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: “Aproximavam-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para O ouvir. E murmuravam os fariseus e os escribas, dizendo: Este recebe pecadores e come com eles”. Lc 15:1, 2. Congregando-se os "publicanos e pecadores" em volta de Cristo, os rabinos exprimiram seu desagrado. "Este recebe pecadores", disseram, "e come com eles." Luc. 15:1 e 2. Por esta acusação insinuaram que Cristo tinha prazer em associar-se com os pecadores e vis, e era insensível à sua impiedade. Os rabinos ficaram desapontados com Jesus. Por que era que Aquele que pretendia ter tão elevado caráter não Se relacionava com eles, e não seguia seus métodos de ensino? Por que andava tão despretensiosamente, atuando entre todas as classes? Se fosse profeta verdadeiro, diziam, estaria em harmonia com eles e trataria os publicanos e pecadores com a indiferença que mereciam. Irritava a esses guardiões da sociedade, que Aquele com quem tinham constantes disputas, cuja pureza de vida os aterrorizava e condenava, Se relacionasse em aparente simpatia com os párias da sociedade. Não Lhe aprovavam os métodos. Consideravam-se muito ilustrados, cultos e preeminentemente religiosos; mas o exemplo de Cristo lhes desmascarou o egoísmo. Enfadava-os também que os que manifestavam unicamente desprezo aos rabinos, e nunca eram vistos nas sinagogas, se agregassem ao redor de Jesus e, com atenção arrebatada, Lhe escutassem as palavras. Os escribas e fariseus sentiam-se reprovados naquela presença pura; mas como se podia dar que os publicanos e pecadores se sentissem atraídos a Jesus? Não sabiam que a explicação estava justamente nas palavras que pronunciaram, como insultuosa acusação: "Este recebe pecadores." Luc. 15:2. As pessoas que iam ter com Jesus sentiam em Sua presença que mesmo para elas havia escape do abismo do pecado. Os fariseus para elas só tinham escárnio e condenação; Cristo, porém, as saudava como filhos de Deus, que na verdade se afastaram da casa paterna, mas não foram esquecidas pelo coração do Pai. Justamente sua miséria e pecados os tornavam tanto mais o objeto de Sua compaixão. Quanto mais dEle se haviam desviado, tanto mais ardoroso o desejo e maior o sacrifício para salvá-los. Tudo isto os mestres de Israel podiam ter estudado no Sagrado Volume de que se gloriavam ser os guardas e expositores. Não escrevera Davi - Davi que caíra em pecado mortal: "Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o Teu servo"? Sal. 119:176. Não revelara Miquéias o amor de Deus aos pecadores, dizendo: "Quem, ó Deus, é semelhante a Ti, que perdoas a iniquidade e que Te esqueces da rebelião do restante da Tua herança? O Senhor não retém a Sua ira para sempre, porque tem prazer na benignidade." Miq. 7:18. Parábolas de Jesus, pp. 185-186. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 2. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com ❉ Domingo, 31 de julho - Êxito unicamente pelos métodos de Cristo Mt 9:35-36, (ACF 1753); 35 E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 36 E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Que vida ocupada foi a de Cristo! Diariamente Ele podia ser visto entrando na habitação humilde dos necessitados e tristes, falando de esperança ao abatido e de paz ao aflito. Os pobres e sofredores recebiam a maior parte de Sua atenção. As crianças O amavam. Eram atraídas para Ele por Sua pronta simpatia. Com Sua palavra simples e amorável Ele solucionava muitos problemas que surgiam entre elas. Não raro tomava-as em Seus braços e falava com elas de maneira a conquistar-lhes o coração. ... Humilde, gentil, terno e compassivo, Ele safa fazendo o bem, alimentando os famintos, erguendo o abatido, confortando os tristes. Ninguém que a Ele viesse em busca de auxílio saía desapontado. ... Ele viveu a vida que quer que vivam todos os que creem Nele. Sua comida e bebida era fazer a vontade de Seu Pai. A todos que a Ele vinham buscar ajuda Ele comunicava fé, esperança e vida. Aonde quer que fosse levava bênção. Beneficência Social, pág. 116. Unicamente os métodos de Cristo trarão verdadeiro êxito ao nos aproximarmos do povo. O Salvador Se misturava com os homens como uma pessoa que lhes desejava o bem. Manifestava compaixão por eles, ministrava-lhes às necessidades e conquistava-lhes a confiança. Ordenava então: ‘Segue-Me’. A Ciência do Bom Viver, p. 143. ► Pergunta.1. Em quais aspectos o Filho de Deus Se misturou conosco? Mt 1:22, 23; Jo 1:14 Mt 1:22-23, (ACF 1753); 22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; 23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. Jo 1:1-3, (ACF 1753); 1 NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Jo 1:14, (ACF 1753); 14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. ► Resposta. 1. Tornou-se humano, Emanuel, Deus conosco, misturado com a humanidade. Habitou entre nós e viveu de modo semelhante ao nosso. Sem pecado, cheio de graça e verdade. Os homens contemplaram pela primeira vez a Cristo como um bebê, como uma criancinha. … Quanto mais pensamos sobre o ato de Cristo tornar-se um bebê aqui na Terra, tanto mais admirável isso parece ser. Como pode suceder que a indefesa criancinha na manjedoura de Belém ainda é o divino Filho de Deus? Conquanto não possamos compreendê-lo, podemos crer que Aquele que criou os mundos, por nossa causa tornou-se um indefeso bebê. Embora fosse mais elevado do que qualquer dos anjos, embora fosse tão grande como o Pai sobre o trono do Céu, Ele tornou-se um conosco. Nele Deus e o homem passaram a ser um, e é neste fato que encontramos a esperança de nossa raça decaída. Olhando para Cristo na carne, olhamos para Deus na humanidade, e vemos Nele o resplendor da glória divina, a expressa imagem de Deus, o Pai. Mensagens Escolhidas, vol. 3, págs. 127 e 128. O Soberano do Universo não estava só em Sua obra de beneficência. Tinha um companheiro - um cooperador que poderia apreciar Seus propósitos, e participar de Sua alegria ao dar felicidade aos seres criados. "No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus." João 1:1 e 2. Cristo, o Verbo, o Unigênito de Deus, era um com o eterno Pai - um em natureza, caráter, Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 3. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com propósito - o único ser que poderia penetrar em todos os conselhos e propósitos de Deus. "E o Seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus forte, Pai da eternidade, Príncipe da paz." Isa. 9:6. O Pai operou por Seu Filho na criação de todos os seres celestiais. "Porque nEle foram criadas todas as coisas... sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele." Col. 1:16. Os anjos são ministros de Deus, radiantes pela luz que sempre flui de Sua presença, e rápidos no vôo para executarem Sua vontade. Mas o Filho, o Ungido de Deus, "a expressa imagem de Sua pessoa", o "resplendor da Sua glória", "sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder" (Heb. 1:3), tem a supremacia sobre todos eles. Patriarcas e Profetas, págs. 34. ❉ Segunda, 1º de agosto - Perdido e achado Em Lucas 15:3-32, Jesus contou três parábolas em resposta direta à acusação dos fariseus e doutores da lei de que Ele recebia pecadores e comia com eles. Lc 15:2. ► Pergunta. 2. Leia as passagens seguintes e note a essência da resposta de Jesus a essas acusações: Lc 15:1-2, (ACF 1753); 1 E CHEGAVAM-SE a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. 2 E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores, e come com eles. A parábola da ovelha perdida Lc 15:3-7, (ACF 1753); 3 E ele lhes propôs esta parábola, dizendo: 4 Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá- la? 5 E achando-a, a põe sobre os seus ombros, gostoso; 6 E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. 7 Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. A moeda perdida Lc 15:8-10, (ACF 1753); 8 Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? 9 E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. 10 Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. O filho perdido Lc 15:11-32, (ACF 1753); 11 E disse: Um certo homem tinha dois filhos; 12 E o mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E ele repartiu por eles a fazenda. 13 E, poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14 E, havendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades. 15 E foi, e chegou-se a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos, a apascentar porcos. 16 E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. 17 E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18 Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; 19 Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. 20 E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se- lhe ao pescoço e o beijou. 21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho. 22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; 23 E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; 24 Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 4. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com começaram a alegrar-se. 25 E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. 26 E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. 27 E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo. 28 Mas ele se indignou, e não queria entrar. 29 E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos; 30 Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado. 31 E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas; 32 Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou- se. ❉ Cada parábola começa com algo perdido e termina com uma comemoração. A comemoração expressa o amor de Deus por nós e Seu profundo interesse em nossa salvação. LES. ► Resposta. 2. Jesus, o bom Pastor, Se alegrou ao encontrar a ovelha perdida, que simboliza os pecadores. Os fariseus eram maus pastores, que desprezavam e oprimiam os pecadores. Assim também, a mulher que se alegrou pela moeda reencontrada representa a alegria divina ao encontrar os perdidos. O Pai Se alegra com o retorno do filho perdido e o recebe com amor e perdão, ao contrário do irmão mais velho, que representa os fariseus. O Senhor está a fazer aos errantes, aos fracos e aos temerosos, e até àqueles que apostataram da verdade, um chamado especial para voltarem totalmente ao aprisco. Mas muitos ainda não aprenderam que têm o especial dever de ir em busca dessas ovelhas perdidas. Os fariseus murmuravam porque Jesus recebeu publicanos e comuns pecadores e comeu com eles. Na sua auto-justiça, desprezaram aqueles pobres pecadores que alegremente ouviram as palavras de Jesus. Para repreender este espírito por parte dos escribas e dos fariseus, e para deixar uma lição impressionante para todos, o Senhor deu a parábola da ovelha perdida. Repare, em especial, nos seguintes pontos: As noventa e nove ovelhas foram deixadas, e é feita uma busca diligente pela ovelha que se perdera. Todo o esforço foi feito em favor dessa infeliz ovelha. Assim deveriam os esforços da Igreja ser dirigidos em favor dos membros que estão a desviar-se do rebanho de Cristo. E eles têm andado distantes? Não esperem que eles voltem para os ajudarem, mas saiam à procura deles. … A igreja que se empenha com êxito nesta obra é uma igreja feliz. O homem ou a mulher cujo coração se comove de compaixão e amor pelos que erram, e que trabalham para trazê-los de volta ao redil do grande Pastor, estão envolvidos numa bendita obra. … A igreja ou pessoa que se exime de levar as cargas dos outros, que se encerra em si mesma, há de sofrer em breve de enfraquecimento espiritual. É o trabalho que conserva o homem vigoroso. Trabalho espiritual, labutas e levar as cargas uns dos outros, eis o que há de dar vigor à Igreja de Cristo. – Life Sketches of Ellen G. White, pp. 187 e 188. Cada pecador que Cristo salvou é chamado a atuar no Seu nome pela salvação dos perdidos. Essa obra fora negligenciada em Israel. Não é também hoje negligenciada pelos que professam ser seguidores de Cristo? Quantos afastados, caro Leitor, procurou e trouxe ao redil? Reconhece que despreza os que Cristo procura, quando se desvia dos que parecem pouco promissores e não atraentes? Exatamente no momento em que se esquiva deles, podem eles carecer muito da sua compaixão. Em cada assembleia de culto, há os que anseiam descanso e paz. Podem parecer como se vivessem indiferentemente, mas não são insensíveis à influência do Espírito Santo. Muitos deles podem ser ganhos para Cristo. Se a ovelha perdida não for trazida de volta ao aprisco, vagueia até perecer. E muitas almas descem à ruína pela falta de uma mão estendida para salvá-las. Estes errantes podem aparentar ser endurecidos e indiferentes, mas se tivessem tido os mesmos privilégios que outros tiveram, poderiam ter revelado muito maior nobreza de caráter e maior talento para utilidade. Os anjos compadecem-se desses errantes. Eles choram, enquanto os olhos humanos estão secos e os corações cerrados à compaixão. Oh, que falta de profunda e tocante simpatia pelos tentados e errantes! Oh, se houvesse mais do espírito de Cristo e menos, muito menos, do próprio eu! – Parábolas de Jesus, pp. 191 e 192. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 5. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com ❉ Terça, 2 de agosto - Comendo com pecadores ► Pergunta. 3. Leia Mateus 9:10-13. Que lição importante devemos aprender com a resposta de Jesus aos Seus críticos? Os 6:6 Mt 9:10-13, (ACF 1753); 10 E aconteceu que, estando ele em casa sentado à mesa, chegaram muitos publicanos e pecadores, e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos. 11 E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? 12 Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. 13 Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento. ► Resposta. 3. Em lugar da crítica, os fariseus deveriam ter elogiado Jesus por Sua misericórdia, assim como um médico deve ser reconhecido por curar doentes. Jesus não podia ajudar quem se considerava “são” e “justo”. "Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores?" indagaram os invejosos rabis. Mat. 9:11. Jesus não esperou que os discípulos respondessem à acusação, mas replicou Ele próprio: "Não necessitam de médico os sãos, mas sim os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque Eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento." Mat. 9:12 e 13. Os fariseus pretendiam ser espiritualmente sãos e portanto, não necessitados de médico, ao passo que consideravam os publicanos e gentios como perecendo das moléstias da alma. Não era, pois, Sua obra, como médico, procurar a própria classe que Lhe necessitava o auxílio? Conquanto os fariseus presumissem tanto de si, encontravam-se na verdade em piores condições que aqueles a quem desprezavam. Os publicanos eram menos hipócritas e presunçosos, estando assim mais aptos a receber a influência da verdade. Jesus disse aos rabis: "Ide, ... e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício." Mat. 9:13. Mostrou assim que, ao passo que pretendiam ser expositores da Palavra de Deus, lhe ignoravam por completo o espírito. Os fariseus calaram-se por algum tempo, mas apenas se tornaram mais decididos em sua inimizade. Procuraram em seguida os discípulos de João Batista, e buscaram pô-los contra o Salvador. Esses fariseus não haviam aceito a missão do Batista. Apontaram-lhe escarnecedoramente à vida de abstinência, aos hábitos simples, à vestimenta ordinária, e o declararam fanático. Como lhes denunciasse a hipocrisia, resistiram-lhe às palavras, e procuraram suscitar o povo contra ele. O Espírito de Deus movera o coração desses escarnecedores, convencendo-os do pecado; mas rejeitaram o conselho de Deus, e declararam que João estava possesso do diabo. Ora, quando Jesus veio, misturando-se com o povo, comendo e bebendo à mesa deles, acusaram-no de comilão e beberrão. Os próprios que faziam essas acusações, eram culpados. Como Deus é mal representado, e revestido por Satanás de seus próprios atributos, assim os mensageiros do Senhor eram desfigurados por esses homens maldosos. O Desejado de Todas as Nações, pp. 275-276. ► Pergunta. 4. Jesus estava reclinado à mesa, comendo na companhia daqueles que a sociedade julgava indesejáveis. Que tipo de pessoas sua cultura considera “indesejáveis”? Mt 9:11, (ACF 1753); 11 E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? ► Resposta. 4. Pessoas diferentes de nós em relação à religião, lugar de nascimento, condição financeira, nível intelectual e estilo de vida. Quanto mais uma pessoa vê do caráter de Deus, tanto mais humilde ela se torna, e tanto menos se estima a si mesma. Isto é na verdade a prova de que ela contempla a Deus, de que se encontra em união com Jesus Cristo. A menos que sejamos mansos e humildes, não podemos, na verdade, pretender possuir nenhuma visão do caráter divino. Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 6. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com Os homens podem pensar que possuem aptidões superiores. Seus talentos admiráveis, o grande saber, a eloquência, atividade e zelo, podem deslumbrar os olhos, deleitar a fantasia e despertar a admiração dos que não podem ler para além da superfície; mas a menos que a humildade e a modéstia se ache ligada a esses outros dons, manifestar-se-ão exaltação e glorificação próprias. A menos que cada qualidade seja consagrada ao Senhor, a menos que aqueles a quem Ele confiou dons busquem a graça que, unicamente, pode tornar esses talentos aceitáveis a Deus, eles são considerados pelo Senhor... como servos inúteis. Carta 87, 1896. Filhos e Filhas de Deus, MM 1856, p. 68. Há milhares a cometer o mesmo erro dos fariseus a quem Cristo reprovou no banquete de Mateus. Em lugar de abandonar certa ideia nutrida, ou rejeitar algum ídolo de opinião, muitos recusam a verdade descida do Pai da luz. Confiam em si mesmos, e dependem da própria sabedoria, e não compreendem sua pobreza espiritual. Insistem em ser salvos por alguma maneira em que realizem alguma obra importante. Quando veem que não há nenhum modo de introduzirem o eu na obra, rejeitam a salvação provida. Uma religião legal nunca poderá conduzir almas a Cristo; pois é destituída de amor e de Cristo. Jejuar ou orar quando imbuídos de um espírito de justificação própria, é uma abominação aos olhos de Deus. A solene assembleia para o culto, a rotina das cerimônias religiosas, a humilhação externa, o sacrifício imposto, mostram que o que pratica essas coisas se considera justo, e com títulos ao Céu, mas tudo é engano. Nossas próprias obras jamais poderão comprar a salvação. Como foi nos dias de Cristo, assim se dá agora; os fariseus não conhecem sua necessidade espiritual. A eles se dirige a mensagem: "como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego e nu; aconselho-te que de Mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestidos brancos para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez." Apoc. 3:17 e 18. Fé e amor são o ouro provado no fogo. Mas no caso de muitos se obscureceu o brilho do ouro, e perdeu-se o tesouro precioso. A justiça de Cristo é para eles um vestido sem uso, uma fonte intata. A esses é dito: "Tenho, porém, contra ti que deixaste a tua primeira caridade. Lembra-te pois de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti verei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres." Apoc. 2:4 e 5. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus." Sal. 51:17. O homem se deve esvaziar do próprio eu, antes de ser, no mais amplo sentido, um crente em Jesus. Quando se renuncia ao eu, então o Senhor pode tornar o homem uma nova criatura. Novos odres podem conter o vinho novo. O amor de Cristo há de animar o crente de uma vida nova. Naquele que contempla o autor e consumador de nossa fé, o caráter de Cristo se há de manifestar. O Desejado de Todas as Nações, p. 280. ❉ Quarta, 3 de agosto - Sabedoria ao se misturar com as pessoas Mt 5:13-14, (ACF 1753); 13 Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; ► Pergunta. 5. Em que aspecto não devemos nos misturar com o mundo? Gn 13:5-13; 19:12-26; Nm 25:1-3; 1Jo 2:16 Gn 13:5-13, (ACF 1753); 5 E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas. 6 E não tinha capacidade a terra para poderem habitar juntos; porque os seus bens eram muitos; de maneira que não podiam habitar juntos. 7 E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os perizeus habitavam então na terra. 8 E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. 9 Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda. 10 E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar. 11 Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 7. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com para o oriente, e apartaram-se um do outro. 12 Habitou Abrão na terra de Canaã e Ló habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma. 13 Ora, eram maus os homens de Sodoma, e grandes pecadores contra o SENHOR. Gn 19:12-26, (ACF 1753); 12 Então disseram aqueles homens a Ló: Tens alguém mais aqui? Teu genro, e teus filhos, e tuas filhas, e todos quantos tens nesta cidade, tira-os fora deste lugar; 13 Porque nós vamos destruir este lugar, porque o seu clamor tem aumentado diante da face do SENHOR, e o SENHOR nos enviou a destruí-lo. 14 Então saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Foi tido porém por zombador aos olhos de seus genros. 15 E ao amanhecer os anjos apertaram com Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui estão, para que não pereças na injustiça desta cidade. 16 Ele, porém, demorava-se, e aqueles homens lhe pegaram pela mão, e pela mão de sua mulher e de suas duas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso, e tiraram-no, e puseram-no fora da cidade. 17 E aconteceu que, tirando-os fora, disse: Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti, e não pares em toda esta campina; escapa lá para o monte, para que não pereças. 18 E Ló disse-lhe: Ora, não, meu Senhor! 19 Eis que agora o teu servo tem achado graça aos teus olhos, e engrandeceste a tua misericórdia que a mim me fizeste, para guardar a minha alma em vida; mas eu não posso escapar no monte, para que porventura não me apanhe este mal, e eu morra. 20 Eis que agora aquela cidade está perto, para fugir para lá, e é pequena; ora, deixe-me escapar para lá (não é pequena?), para que minha alma viva. 21 E disse-lhe: Eis aqui, tenho-te aceitado também neste negócio, para não destruir aquela cidade, de que falaste; 22 Apressa-te, escapa-te para ali; porque nada poderei fazer, enquanto não tiveres ali chegado. Por isso se chamou o nome da cidade Zoar. 23 Saiu o sol sobre a terra, quando Ló entrou em Zoar. 24 Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; 25 E destruiu aquelas cidades e toda aquela campina, e todos os moradores daquelas cidades, e o que nascia da terra. 26 E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal. Nm 25:1-3, (ACF 1753); 1 E ISRAEL deteve-se em Sitim e o povo começou a prostituir-se com as filhas dos moabitas. 2 Elas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu, e inclinou-se aos seus deuses. 3 Juntando-se, pois, Israel a Baal-Peor, a ira do SENHOR se acendeu contra Israel. 1Jo 2:16, (ACF 1753); 16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. ► Resposta. 6. Obedecer e desenvolver a própria salvação com temor e tremor, permitindo que Deus opere em nós o querer e o realizar, segundo a Sua boa vontade; fazer tudo sem murmurações nem contendas, para que nos tornemos irrepreensíveis e sinceros no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandecemos como luzeiros no mundo. Pois bem, os professos cristãos se recusarão a se associar aos não convertidos, evitando qualquer comunicação com eles? Não! Devem estar com eles no mundo, mas não ser do mundo, não para participar de seus caminhos nem para ser impressionados por eles, nem para ter o coração aberto para seus costumes e práticas. Suas relações de amizade devem ter o propósito de atrair outros para Cristo. Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 231. Quando o princípio do amor está implantado no coração, quando o homem está renovado segundo a imagem Daquele que o criou, a promessa do Novo Concerto é cumprida: “Porei as minhas leis nos seus corações, e as escreverei nas suas mentes.” Hebreus 10:16. E se a Lei estiver escrita no coração, não modelará ela a vida? A obediência – o serviço e a lealdade de amor – é o verdadeiro sinal do discipulado. Assim diz a Escritura: “Este é o amor de Deus; que guardemos os seus mandamentos.” “Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade.” I João 5:3; 2:4. Em vez de desobrigar o homem da obediência, é a fé, e somente a fé, que nos torna participantes da graça de Cristo, a qual nos capacita a prestar obediência. Não ganhamos a salvação pela nossa obediência; pois a salvação é a dádiva gratuita de Deus, que deve ser recebida pela fé. Mas a obediência é o fruto da fé. “E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 8. Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comDúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.com conheceu.” I João 3:56. Aqui está o verdadeiro teste. Se permanecermos em Cristo, se o amor de Deus habitar em nós, os nossos sentimentos, pensamentos, propósitos e ações estarão em harmonia com a vontade de Deus, tal como está expressa nos preceitos da Sua santa Lei. Aos Pés de Cristo, pp. 68-70. (Ed. P. SerVir). ❉ Quinta, 4 de agosto - No meio de uma geração corrupta ► Pergunta. 6. Leia Filipenses 2:12-15. Quais princípios devemos praticar ao cumprir o chamado para alcançar as pessoas e ao mesmo tempo evitar a apostasia? Fp 2:12-15, (ACF 1753); 12 De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; 13 Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. 14 Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; 15 Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; É desígnio de Deus manifestar por meio de Seu povo os princípios de Seu reino. A fim de que lhes seja possível revelar esses princípios na vida e no caráter, Ele deseja separá-los dos costumes, hábitos e práticas do mundo. ... Contemplando a bondade, a misericórdia, a justiça e o amor de Deus revelados em Sua igreja, deve o mundo ver a representação de Seu caráter. E, quando a lei divina for assim exemplificada na vida, o próprio mundo reconhecerá a superioridade dos que amam, temem e servem a Deus, sobre todos os outros povos do mundo. Os adventistas, acima de todos os povos, devem ser modelos de piedade, puros de coração e de linguagem. Foram-lhes confiadas as mais solenes verdades já confiadas a mortais. Toda dotação de graça, poder e eficiência lhes foi liberalmente proporcionada. Eles aguardam a próxima volta de Cristo nas nuvens do céu. Darem eles ao mundo a impressão de que sua fé não exerce poder dominante em sua vida, é desonrar grandemente a Deus. Em razão do crescente poder das tentações de Satanás, os tempos em que vivemos se acham plenos de perigo para os filhos de Deus, e cumpre-nos aprender continuamente do grande Mestre, de modo a dar todo passo com segurança e em justiça. Assombrosas cenas estão se desdobrando diante de nós; e em tal tempo, é preciso que a vida do professo povo de Deus seja um testemunho vivo, de modo que o mundo veja que, neste século, quando o mal espalha-se por toda parte, ainda existe um povo que põe de lado a própria vontade para realizar a vontade de Deus - povo em cujo coração e vida se acha escrita a Sua lei. ... Seus pensamentos devem ser puros; suas palavras, nobres e próprias para elevar. A religião de Cristo deve entretecer-se em tudo quanto eles façam ou digam. Devem ser um povo purificado e santo, comunicando luz a todos com quem se puserem em contato. É Seu intento que, exemplificando esse povo a verdade na própria vida, seja na Terra um louvor. A graça de Cristo é suficiente para efetuar isso. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, págs. 321 e 322. Devemos educar o nosso coração para ser piedoso, gentil, terno, cheio de perdão e compaixão. Embora deixemos de lado toda a vaidade, toda a conversação tola, ridícula e zombadora, não devemos tornar-nos insensíveis, antipáticos e insociáveis. Minha Consagração Hoje (Meditações Matinais, 1989/1953), p. 183. O exemplo dos seguidores de Cristo em Antioquia deve ser uma inspiração para todos os crentes que vivem hoje nas grandes cidades do mundo. Embora esteja no plano de Deus que obreiros escolhidos, consagrados e com talento, sejam colocados em importantes centros de população para realizar conferências públicas, é também da Sua vontade que os membros da Igreja, que vivem nessas cidades, usem os talentos que Deus lhes deu, trabalhando em favor dos outros. Estão guardadas grandes bênçãos para os que respondem, sem reservas, ao chamado de Deus. Quando esses obreiros se empenharem na salvação de almas para Jesus, verificarão que muitos, que nunca teriam sido alcançados de outra forma, estão prontos a responder a um esforço pessoal inteligente. Atos dos Apóstolos, p. 115. (Ed. P. SerVir). Apoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosApoie esse ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos