SlideShare uma empresa Scribd logo
Genética MolecularGenética Molecular
1 E1 E
Prof. César Milani
Determinação das característicasDeterminação das características
genéticasgenéticas
Código Genético
 AS INFORMAÇÕES PARA A FABRICAÇÃOAS INFORMAÇÕES PARA A FABRICAÇÃO
DE PROTEÍNAS ESTÃO ARMAZENADASDE PROTEÍNAS ESTÃO ARMAZENADAS
NO DNA – CROMOSSOMOS ( CÓDIGONO DNA – CROMOSSOMOS ( CÓDIGO
GENÉTICO)GENÉTICO)
GenesGenes
Genes - regiões dos cromossomos
(pedaços interligados do DNA), que
contém instruções para a produção de
proteínas.
Genes
Características dos seres
vivos
Estrutura das proteínas
Sequência de bases
nitrogenadas
Como os genesComo os genes
são escritos?são escritos?
DNA RNA
Adenina
Guanina
Citosina
Timina Uracila
Púricas
Pirimídicas
 Os nucleotídeosOs nucleotídeos
vão sendovão sendo
interligados,interligados,
formando umaformando uma
longa fita.longa fita.
CÓDON
Conjunto de 3 nucleotídeos
( 3 bases)
Pontes de HidrogênioPontes de Hidrogênio
(Unindo os filamentos)(Unindo os filamentos)
DNADNA
 Ácido Desoxirribonucléico.Ácido Desoxirribonucléico.
 Molécula deMolécula de fita duplafita dupla formando umaformando uma dupladupla
hélicehélice
 As fitas estão unidas pelasAs fitas estão unidas pelas ligações deligações de
HidrogênioHidrogênio
 A = TA = T
 C = GC = G
DNA Duplicação DNA DNA
REPLICAÇÃO OU AUTODUPLICAÇÃO DO DNA
DNA POLIMERASEDNA POLIMERASE
Enzima que une os novos nucleotídeosEnzima que une os novos nucleotídeos
HELICASE
DNA POLIMERASE
Replicação do DNAReplicação do DNA
-CRESCIMENTO - REPOSIÇÃO CELULAR
-CÉLULAS REPRODUTIVAS
RNARNA
 Ácido RibonucléicoÁcido Ribonucléico
 Molécula deMolécula de fita simplesfita simples
 É dividido em:É dividido em:
 RNA mensageiro (RNA mensageiro (RNAmRNAm))
 RNA transportador (RNA transportador (RNAtRNAt))
 RNA ribossômico (RNA ribossômico (RNArRNAr))
DNA Transcrição DNA RNA
RNA??
RNA
POLIMERASE
RNAm  O RNA mensageiro contém a “mensagem” -
o código transcrito a partir do DNA - para a síntese
das proteínas. Cada conjunto de três nucleotídeos no
RNAm é chamado de CÓDON.
RNAt  O RNA transportador está presente no
citoplasma e é responsável pelo transporte dos
aminoácidos até os ribossomos para a síntese protéica.
No RNAt existe uma seqüência de nucleotídeos
correspondente ao códon chamada de ANTICÓDON.
RNAr  O RNA ribossômico ou ribossomal faz parte
da estrutura dos ribossomos e participa do processo de
tradução dos códons para construção das proteínas.
Tipos de RNA
O FUNCIONAMENTOO FUNCIONAMENTO
DE UM GENE.DE UM GENE.
1E – AULA 21E – AULA 2
RNAm - TRANSCRIÇÃORNAm - TRANSCRIÇÃO
Leva a informaçãoLeva a informação da sequência protéica a serda sequência protéica a ser
formada, do núcleo para o citoplasma, ondeformada, do núcleo para o citoplasma, onde
ocorre a tradução. Ele contém uma sequênciaocorre a tradução. Ele contém uma sequência
de trincas correspondente a uma das fitas dode trincas correspondente a uma das fitas do
DNA.DNA.
Cada trinca (três nucleotídeos) no RNAm éCada trinca (três nucleotídeos) no RNAm é
denominadadenominada códoncódon e corresponde a ume corresponde a um
aminoácido na proteína que irá se formar.aminoácido na proteína que irá se formar.
TranscriçãoTranscrição
 Processo pelo qual uma molécula de RNA éProcesso pelo qual uma molécula de RNA é
produzida usando como molde o DNA.produzida usando como molde o DNA.
1 códon  3 nucleotídeos no RNAm
7 códons  21 nucleotídeos
RNAt - TRADUÇÃORNAt - TRADUÇÃO
Levam os aminoácidosLevam os aminoácidos para o RNAm durantepara o RNAm durante
o processo de síntese protéica. Apresentam, emo processo de síntese protéica. Apresentam, em
uma determinada região, uma trinca deuma determinada região, uma trinca de
nucleotídeos que se destaca, denominadanucleotídeos que se destaca, denominada
anticódonanticódon..
É através do anticódon que o RNAt reconhece oÉ através do anticódon que o RNAt reconhece o
local do RNAm onde deve ser colocado olocal do RNAm onde deve ser colocado o
aminoácido por ele transportado. Cada RNAtaminoácido por ele transportado. Cada RNAt
carrega umcarrega um aminoácido específicoaminoácido específico, de acordo, de acordo
com o anticódon que possui.com o anticódon que possui.
Anticódon
Sítio de
ligação ao
aminoácido
U A CU A C
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
• Quando o RNAm chega ao
citoplasma, ele se associa ao
ribossomo.
• Nessa organela existem 2 espaços
onde entram os RNAt com
aminoácidos específicos.
• somente os RNAt que têm
seqüência do anti-códon
complementar à seqüência do
códon .
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
• Uma enzima presente na
subunidade maior do ribossomo
realiza a ligação peptídica entre os
aminoácidos.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A
• O RNAt “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A G A A
• O ribossomo agora se desloca a
distância de 1 códon.
• o espaço vazio é preenchido por
um outro RNAt com seqüência do
anti-códon complementar à
seqüência do códon.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A G A A
• Uma enzima presente na
subunidade maior do ribossomo
realiza a ligação peptídica entre os
aminoácidos.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
G A A
• O RNAt “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
• O assim o ribossomo vai se
deslocando ao longo do RNAm e os
aminoácidos são ligados.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
G G G
Códon de
terminação
• Quando o ribossomo passa por um
códon de terminação nenhum RNAt
entra no ribossomo, porque na célula
não existem RNAt com seqüências
complementares aos códons de
terminação.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
G G G
• Então o ribossomo se solta do
RNAm, a proteína recém formada é
liberada e o RNAm é degradado.
 Código genético é universalCódigo genético é universal  
O código genético é dito universal pelo fato mesmaO código genético é dito universal pelo fato mesma
trinca codificar o mesmo aminoácido em qualquertrinca codificar o mesmo aminoácido em qualquer
organismo. Em alguns casos certas trincas são maisorganismo. Em alguns casos certas trincas são mais
eficientemente utilizadas. eficientemente utilizadas. 
*As diferenças entre os seres vivos devem-se aos*As diferenças entre os seres vivos devem-se aos
diferentes genes, que fabricam proteínas diferentes.diferentes genes, que fabricam proteínas diferentes.
 Código genético éCódigo genético é
degeneradodegenerado  
O código genético é dito degenerado pelo fato deO código genético é dito degenerado pelo fato de
existir, para um determinado aminoácido, mais deexistir, para um determinado aminoácido, mais de
uma trinca de nucleotídeos para codificá-lo.uma trinca de nucleotídeos para codificá-lo.
Ex: A glicina é codificada por GGG, GGC, GGA eEx: A glicina é codificada por GGG, GGC, GGA e
GGU.GGU.
IMPORTÂNCIAIMPORTÂNCIA: Estratégia de defesa do organismo: Estratégia de defesa do organismo
contra mutações.contra mutações.
Ex: câncer.Ex: câncer.
TRANSCRIPTASE REVERSATRANSCRIPTASE REVERSA
 Enzima - RetrovírusEnzima - Retrovírus
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
(DNA RECOMBINANTE)(DNA RECOMBINANTE)
 O O plasmídioplasmídio é o material genético circular não é o material genético circular não
ligado ao cromossomo que fica espalhado peloligado ao cromossomo que fica espalhado pelo
hialoplasma das bactérias. Ele sofre o mesmohialoplasma das bactérias. Ele sofre o mesmo
processo do DNA dos cromossomos deprocesso do DNA dos cromossomos de
transcrição e tradução, além de, se multiplicar atranscrição e tradução, além de, se multiplicar a
cada divisão celular, passando uma cópia paracada divisão celular, passando uma cópia para
cada célula “filha”.cada célula “filha”.
Importância dos Microrganismos e das
Enzimas na Engenharia Genética
As células animais e vegetais usualmente não
podem ser cultivadas para produção de compostos
específicos – estas perdem a habilidade de síntese quando
são isoladas e cultivadas em laboratório. Também , o
cultivo de células de tecido em laboratório é dispendioso e
requer meios complexos altamente enriquecidos.
Uso de microrganismosUso de microrganismos – medicina: altamente
empregado, pois evita muitos dos problemas associados
com a obtenção de compostos importantes (insulina, etc.).
As bactérias que carregam os genes para os mais diversos
compostos, podem ser cultivadas indefinidamente.
Por meio da introdução de genes estranhos em
microrganismos, é possível desenvolver cepas que
oferecem novas soluções para problemas diversos, como
poluição, escassez de alimento e energia , controle de
doenças e até mesmo terapia gênica.
ENZIMASENZIMAS: fundamental para a tecnologia do DNA
recombinante.
•Endonucleases de restrição: apresentam papel
fundamental, clivando o DNA em seqüências
específicas, gerando um conjunto de fragmentos
menores.
•DNA ligase: os fragmentos separados para serem
clonados podem ser unidos a um vetor de clonagem
apropriado usando a DNA ligase.
Assim, o vetor recombinante é introduzido numaAssim, o vetor recombinante é introduzido numa
célula hospedeira que o “clona”, a medida que a célulacélula hospedeira que o “clona”, a medida que a célula
realiza muitas gerações de divisões celulares.realiza muitas gerações de divisões celulares.
OS GENES NÃO SÃOOS GENES NÃO SÃO
CONTÍNUOS!CONTÍNUOS!
HETEROGÊNEO
NUCLEAR
OS TESTES DE DNAOS TESTES DE DNA
 A molécula de DNA, pode sofrer alteraçõesA molécula de DNA, pode sofrer alterações
(mutações), com a substituição de certos nucleotídeos(mutações), com a substituição de certos nucleotídeos
por outros diferentes. As mutações são mais toleradaspor outros diferentes. As mutações são mais toleradas
quando acontecem em regiões não codificantes doquando acontecem em regiões não codificantes do
DNA. Muitas vezes, as mutações tornam-se estáveis,DNA. Muitas vezes, as mutações tornam-se estáveis,
sendo transmitidas aos descendentes. Como é muitosendo transmitidas aos descendentes. Como é muito
grande a variação no número e no tipo de mutaçõesgrande a variação no número e no tipo de mutações
estáveis do DNA (polimorfismo genético), é possívelestáveis do DNA (polimorfismo genético), é possível
identificar uma pessoa com base no seu padrão deidentificar uma pessoa com base no seu padrão de
polimorfismo.polimorfismo.
OS TESTES DE DNAOS TESTES DE DNA
MUTAÇÕES GÊNICASMUTAÇÕES GÊNICAS
 Uma alteração em qualquer ponto da sequênciaUma alteração em qualquer ponto da sequência
de nucleotídeos é uma mutação gênica.de nucleotídeos é uma mutação gênica.
 Causas:Causas:
Agentes Físicos - RadiaçõesAgentes Físicos - Radiações
Agentes Químicos – Produtos químicosAgentes Químicos – Produtos químicos
Agentes Biológicos - VírusAgentes Biológicos - Vírus
Célula ProcarionteCélula Procarionte
Célula VegetalCélula Vegetal
  
Célula AnimalCélula Animal
VirusVirus
O que é DNA?O que é DNA?
DNADNA
DeoxiriboNucleic AcidDeoxiriboNucleic Acid
ácido deoxiribonucléicoácido deoxiribonucléico
ácido desoxiribonucléicoácido desoxiribonucléico
ADNADN
DNADNA
DNA é um ácido nucléicoDNA é um ácido nucléico
composto de duas cadeiascomposto de duas cadeias
antiparalelasantiparalelas
complementares.complementares.
Os nucleotídeos sãoOs nucleotídeos são
compostos de um grupocompostos de um grupo
fosfato, uma pentose efosfato, uma pentose e
uma base nitrogenadauma base nitrogenada
DNADNA
O DNA tem quatro bases nitrogenadas.O DNA tem quatro bases nitrogenadas.
 Duas são chamadas purinasDuas são chamadas purinas
 Adenina (Adenina ( AA ), Guanina (), Guanina ( GG ))
 Duas são pirimidinasDuas são pirimidinas
 Citosina (Citosina ( CC ), Timina (), Timina ( TT ))
DNADNA
Essas quatro bases são ligadas em um padrãoEssas quatro bases são ligadas em um padrão
repetitivo por pontes de hidrogênio entre asrepetitivo por pontes de hidrogênio entre as
bases nitrogenadasbases nitrogenadas
A ligação de duas cadeias complementares éA ligação de duas cadeias complementares é
chamada de HIBRIDIZAÇÃO.chamada de HIBRIDIZAÇÃO.
A ligação entre nucleotídeos é do tipo fosfodiesterA ligação entre nucleotídeos é do tipo fosfodiester
Estrutura do DNAEstrutura do DNA
 Dupla HéliceDupla Hélice
 Watson and CrickWatson and Crick
(1953)(1953)
 AntiparalelasAntiparalelas
 PareamentoPareamento
Complementar deComplementar de
Bases Nitrogenadas:Bases Nitrogenadas:
AA TT
GG CC
Rosalind FranklinRosalind Franklin
(1920-1953)(1920-1953)
 Using X-ray techniques took pictures of DNAUsing X-ray techniques took pictures of DNA
and discovered the double helix shape of DNA.and discovered the double helix shape of DNA.
 Died of cancer due to unknown harmful affectsDied of cancer due to unknown harmful affects
of X-rayof X-ray
James Watson and Francis CrickJames Watson and Francis Crick
3’5’
3’5’
Como vemos o DNA?Como vemos o DNA?
MOMO MEME
CromossomosCromossomos
Cromossômos metafásicos
250 milhões de pares de bases
50 milhões de pares de bases
Homem 3.200.000.000 bases
Rato 3.000.000.000 bases
Drosophila 160.000.000 bases
Arabidopsis 135.000.000 bases
S. cerevisae 13.000.000 bases
X. fastidiosa 2.679.572 bases
H. influenzae 1.830.000 bases
M. pneumoniae 810.000 bases
HTLV-II 8.952 bases
TAMANHO DO GENOMA
Genoma Humano
Genoma NuclearGenoma Nuclear
3.200.000.000 nt3.200.000.000 nt
30.000 - 40.000 genes30.000 - 40.000 genes
Genoma MitocondrialGenoma Mitocondrial
16.600 nt16.600 nt
37 genes37 genes
GENE: Seqüência de DNA que codifica um RNA funcional
GenesGenes
Gene – regiões do cromossomo
– codificam proteinas
DNA -> RNA-> proteina
O que é RNA?O que é RNA?
RNARNA
RiboNucleic AcidRiboNucleic Acid
Ácido ribonucléicoÁcido ribonucléico
ARNARN
RNARNA
RNA X DNARNA X DNA
Estrutura do RNAEstrutura do RNA
 O Nucleotídeo de RNA contém:O Nucleotídeo de RNA contém:
 Base Nitrogenadas:Base Nitrogenadas:
 A,C,G e U (não contém T)A,C,G e U (não contém T)
 RiboseRibose
 FosfatoFosfato
 Fita SimplesFita Simples
DNA X RNADNA X RNA
RNAm  O RNA mensageiro é formado no núcleo e
contém a “mensagem” - o código transcrito a partir
do DNA - para a síntese das proteínas. Cada conjunto
de três nucleotídeos no RNAm é chamado de
CÓDON.
RNAt  O RNA transportador está presente no
citoplasma e é responsável pelo transporte dos
aminoácidos até os ribossomos para a síntese protéica.
No RNAt existe uma seqüência de nucleotídeos
correspondente ao códon chamada de ANTI-
CÓDON.
RNAr  O RNA ribossômico ou ribossomal faz parte
da estrutura dos ribossomos e participa do processo de
tradução dos códons para construção das proteínas.
Tipos de RNA
GenesGenes
Gene – regiões do cromossomo
– codificam proteinas
DNA -> RNA-> proteina
GenesGenes
Gene – regiões do cromossomo
– codificam proteinas
DNA -> RNA-> proteina
Genes
Características físicas ou
bioquímicas observáveis
Genes
Características físicas ou
bioquímicas observáveis
Estrutura das proteínas
Genes
Características físicas ou
bioquímicas observáveis
Estrutura das proteínas
Seqüência de bases
nitrogenadas
ConceitosConceitos
 Genótipo -Genótipo - constituição genética do indivíduo,constituição genética do indivíduo,
ou seja, aos genes que ele possuiou seja, aos genes que ele possui
 FenótipoFenótipo - características apresentadas por um- características apresentadas por um
indivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas eindivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas e
comportamentaiscomportamentais
 Gene e ambienteGene e ambiente
Como o gene gera proteína?Como o gene gera proteína?
DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULARDOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULAR
DNA -> RNA-> proteinaDNA -> RNA-> proteina
Diferença em proteínas levam a diferenças entreDiferença em proteínas levam a diferenças entre
indivíduosindivíduos
ARQUIVO DE INSTRUÇÕES
CODIFICADAS
MENSAGEM
SUBSTÂNCIA ATIVA EFETOR
Replicação do DNAReplicação do DNA
DNA
RNA
TranscriçãoTranscrição
A TraduçãoA Tradução
RNA
Proteína
Replicação do DNAReplicação do DNA
 Auto-duplicação do material genéticoAuto-duplicação do material genético
 mantendo assim o padrão de herançamantendo assim o padrão de herança
 Semi- conservativaSemi- conservativa
 DescontínuaDescontínua
5’ 3’5’ 3’
 DNA polimeraseDNA polimerase
 enzima quebra asenzima quebra as
ligações de pontes deligações de pontes de
hidrogênio para replicarhidrogênio para replicar
DNADNA
 RNA polimeraseRNA polimerase
 enzima quebra asenzima quebra as
ligações de pontes deligações de pontes de
hidrogênio para formarhidrogênio para formar
RNARNA
 DNA->RNA->ProteinaDNA->RNA->Proteina
TranscriçãoTranscrição
 A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita
de mRNAde mRNA
 Fita dupla de DNA:Fita dupla de DNA:
 5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’
3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
TranscriçãoTranscrição
 A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita
de mRNAde mRNA
5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’
3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
TranscriçãoTranscrição
 A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita
de mRNAde mRNA
5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’
5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’
3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
RNA
 DNADNA …ATC GGC TAG CTA GCG TAG CGA⇒…ATC GGC TAG CTA GCG TAG CGA⇒
TGC AAA TTT AAA TAT ATG…TGC AAA TTT AAA TAT ATG…
 RNAmRNAm …UAG CCG AUC GAU CGC AUC GCU⇒…UAG CCG AUC GAU CGC AUC GCU⇒
ACG UUU AAA UUU AUA UAC…ACG UUU AAA UUU AUA UAC…
 CODÓNSCODÓNS …[UAG][CCG][AUC][GAU][CGC]⇒…[UAG][CCG][AUC][GAU][CGC]⇒
[AUC][GCU][ACG][UUU][AAA][UUU][AUA][UAC][AUC][GCU][ACG][UUU][AAA][UUU][AUA][UAC]
……
4 bases, combinadas 3 a 3
4x4x4 = 64 códigos
CODIFICAÇÃO
4 Bases: A T G
C 20 Aminoácidos
Sinal de término
Sinal de início
4 bases, 3 a 3
4x4x4 = 64
códigos
U C A G
Phe Ser TyrTyr CysCys U
Phe Ser TyrTyr CysCys C
U Leu Ser A
Leu Ser Trp G
Leu ProPro His Arg U
Leu ProPro His Arg C
C Leu ProPro Gln Arg A
Leu ProPro Gln Arg G
Ile ThrThr Asn Ser U
Ile ThrThr Asn Ser C
A Ile ThrThr LysLys Arg A
MetMet ThrThr Lys Arg G
Val Ala AspAsp GlyGly U
Val Ala AspAsp GlyGly C
G Val Ala Glu GlyGly A
Val Ala Glu GlyGly G
1a.
2a. 3a.
aa aa aa aa aa aa aa aa
Proteína
CTC ATT GTG CTT GAA TTT TTG GTG
DNA
GAG UAA CAC GAA CUU AAA AAC CAC
mRNA
TraduçãoTradução
 A tradução é um processo que ocorre no citoplasma daA tradução é um processo que ocorre no citoplasma da
célula, no qual a mensagem trazida pela fita de mRNA écélula, no qual a mensagem trazida pela fita de mRNA é
traduzida em uma seqüência de aminoácidos.traduzida em uma seqüência de aminoácidos.
5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’
5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’
3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
RNA
TraduçãoTradução
 CódonsCódons
 5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’
RNA
TraduçãoTradução
Ile - Phe - Arg -Leu-Gln-Val ProteínaIle - Phe - Arg -Leu-Gln-Val Proteína
 5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’ RNA
TraduçãoTradução
A genética molecular   1 e

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
mainamgar
 
II. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicosII. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicos
Rebeca Vale
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
profatatiana
 
Transcrição e tradução
Transcrição e traduçãoTranscrição e tradução
Probabilidade genética
Probabilidade genética Probabilidade genética
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
Kennet1
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
Gisele A. Barbosa
 
Organização do cromossomo/DNA
Organização do cromossomo/DNAOrganização do cromossomo/DNA
Organização do cromossomo/DNA
Jaqueline Almeida
 
Classificação biológica
Classificação biológicaClassificação biológica
Classificação biológica
Elisa Margarita Orlandi
 
Ribossomos
RibossomosRibossomos
Aula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecularAula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecular
Kristian Wessman
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
Gov. Estado do Paraná
 
Replicação do DNA
Replicação do DNAReplicação do DNA
Replicação do DNA
Jaqueline Almeida
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Bio
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
ingridavilez
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
profatatiana
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de ProteínasAula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
Jaqueline Almeida
 

Mais procurados (20)

Núcleo celular
Núcleo celularNúcleo celular
Núcleo celular
 
II. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicosII. 3 Os ácidos nucléicos
II. 3 Os ácidos nucléicos
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Transcrição e tradução
Transcrição e traduçãoTranscrição e tradução
Transcrição e tradução
 
Probabilidade genética
Probabilidade genética Probabilidade genética
Probabilidade genética
 
Conceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de GenéticaConceitos básicos de Genética
Conceitos básicos de Genética
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
Organização do cromossomo/DNA
Organização do cromossomo/DNAOrganização do cromossomo/DNA
Organização do cromossomo/DNA
 
Classificação biológica
Classificação biológicaClassificação biológica
Classificação biológica
 
Ribossomos
RibossomosRibossomos
Ribossomos
 
Aula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecularAula - introdução à genética molecular
Aula - introdução à genética molecular
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Replicação do DNA
Replicação do DNAReplicação do DNA
Replicação do DNA
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 
Biotecnologia
BiotecnologiaBiotecnologia
Biotecnologia
 
Ciclos Biogeoquímicos
Ciclos BiogeoquímicosCiclos Biogeoquímicos
Ciclos Biogeoquímicos
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de ProteínasAula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
Aula de Biologia Molecular sobre Síntese de Proteínas
 

Semelhante a A genética molecular 1 e

áCidos nucléicos o código da vida und 3
áCidos nucléicos  o código da vida und 3áCidos nucléicos  o código da vida und 3
áCidos nucléicos o código da vida und 3
César Milani
 
Bases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedadeBases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedade
Herivelto Carlotto
 
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
Mário Samico Samico
 
Dna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínasDna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínas
César Milani
 
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptxaula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
Larissa Paiva
 
RNA
RNARNA
Natureza do material genético
Natureza do material genético Natureza do material genético
Natureza do material genético
URCA
 
Ácidos Nucleicos
Ácidos Nucleicos  Ácidos Nucleicos
Ácidos Nucleicos
CristinaBrandao
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
César Milani
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
Biologia Celular: Dogma Central de Biologia
Biologia Celular: Dogma Central de BiologiaBiologia Celular: Dogma Central de Biologia
Biologia Celular: Dogma Central de Biologia
natboy51
 
1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio
Ionara Urrutia Moura
 
Metabolismo de controle II Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
Metabolismo de controle II   Síntese de proteínas - aulas 21 a 24Metabolismo de controle II   Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
Metabolismo de controle II Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
Alpha Colégio e Vestibulares
 
áCidos nucleicos dna e rna
áCidos nucleicos  dna e rnaáCidos nucleicos  dna e rna
áCidos nucleicos dna e rna
SONALI NASCIMENTO
 
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 20121 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
CotucaAmbiental
 
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptxUnid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
HellendosAnjos
 
Aula dna 2015
Aula dna 2015Aula dna 2015
Aula dna 2015
Andre Luiz Nascimento
 
Aula3 sintese prtn
Aula3 sintese prtnAula3 sintese prtn
Aula3 sintese prtn
Adila Trubat
 
Dna, rna, síntese protéica
Dna, rna, síntese protéicaDna, rna, síntese protéica
Dna, rna, síntese protéica
Larissa Yamazaki
 
Genoma Humano.pptx
Genoma Humano.pptxGenoma Humano.pptx
Genoma Humano.pptx
NivaldoJnior16
 

Semelhante a A genética molecular 1 e (20)

áCidos nucléicos o código da vida und 3
áCidos nucléicos  o código da vida und 3áCidos nucléicos  o código da vida und 3
áCidos nucléicos o código da vida und 3
 
Bases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedadeBases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedade
 
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
17 09 16 aula 4 e 5 genetica sexta e sabado
 
Dna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínasDna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínas
 
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptxaula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
 
RNA
RNARNA
RNA
 
Natureza do material genético
Natureza do material genético Natureza do material genético
Natureza do material genético
 
Ácidos Nucleicos
Ácidos Nucleicos  Ácidos Nucleicos
Ácidos Nucleicos
 
AULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃOAULÃO PAS - REVISÃO
AULÃO PAS - REVISÃO
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
 
Biologia Celular: Dogma Central de Biologia
Biologia Celular: Dogma Central de BiologiaBiologia Celular: Dogma Central de Biologia
Biologia Celular: Dogma Central de Biologia
 
1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio
 
Metabolismo de controle II Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
Metabolismo de controle II   Síntese de proteínas - aulas 21 a 24Metabolismo de controle II   Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
Metabolismo de controle II Síntese de proteínas - aulas 21 a 24
 
áCidos nucleicos dna e rna
áCidos nucleicos  dna e rnaáCidos nucleicos  dna e rna
áCidos nucleicos dna e rna
 
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 20121 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
 
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptxUnid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
Unid. 6 - GENÉTICA - Tema 1 - Bases da Genética - 9º ano.pptx
 
Aula dna 2015
Aula dna 2015Aula dna 2015
Aula dna 2015
 
Aula3 sintese prtn
Aula3 sintese prtnAula3 sintese prtn
Aula3 sintese prtn
 
Dna, rna, síntese protéica
Dna, rna, síntese protéicaDna, rna, síntese protéica
Dna, rna, síntese protéica
 
Genoma Humano.pptx
Genoma Humano.pptxGenoma Humano.pptx
Genoma Humano.pptx
 

Mais de César Milani

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
César Milani
 
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdfBIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
César Milani
 
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdfAUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
César Milani
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
César Milani
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
César Milani
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
César Milani
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
César Milani
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
César Milani
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
César Milani
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
César Milani
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
César Milani
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
César Milani
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
César Milani
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
César Milani
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
César Milani
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
César Milani
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
César Milani
 

Mais de César Milani (20)

ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdfÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
ÁGUA E SAIS MINERAIS.pdf
 
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdfBIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
BIOTECNOLOGIA - APLICAÇÕES CONHECIMENT GENÉTICO.pdf
 
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdfAUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
AUSENCIA DOM E GRUPOS SANG.pdf
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdfSISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
SISTEMA RESPIRATÓRIO.pdf
 
2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf2a Lei de Mendel.pdf
2a Lei de Mendel.pdf
 
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdfÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
ÁCIDOS NUCLEICOS.pdf
 
ÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOSÁCIDOS NUCLÉICOS
ÁCIDOS NUCLÉICOS
 
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIACÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
CÉLULAS TRONCO E EMBRIOLOGIA
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
 
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentaçãoEmbriogênese - Tipos de ovos e segmentação
Embriogênese - Tipos de ovos e segmentação
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Núcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínasNúcleo celular e Síntese de proteínas
Núcleo celular e Síntese de proteínas
 
Revestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membranaRevestimentos e transporte atraves da membrana
Revestimentos e transporte atraves da membrana
 
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOSPOLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
POLIALELÍSMO - GRUPOS SANGUÍNEOS
 
Roteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirãoRoteiro estudos terceirão
Roteiro estudos terceirão
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
ÁCIDOS NUCLEICOS-PARTE 1
 

A genética molecular 1 e

  • 1. Genética MolecularGenética Molecular 1 E1 E Prof. César Milani
  • 2. Determinação das característicasDeterminação das características genéticasgenéticas Código Genético
  • 3.  AS INFORMAÇÕES PARA A FABRICAÇÃOAS INFORMAÇÕES PARA A FABRICAÇÃO DE PROTEÍNAS ESTÃO ARMAZENADASDE PROTEÍNAS ESTÃO ARMAZENADAS NO DNA – CROMOSSOMOS ( CÓDIGONO DNA – CROMOSSOMOS ( CÓDIGO GENÉTICO)GENÉTICO)
  • 4. GenesGenes Genes - regiões dos cromossomos (pedaços interligados do DNA), que contém instruções para a produção de proteínas.
  • 5.
  • 6. Genes Características dos seres vivos Estrutura das proteínas Sequência de bases nitrogenadas
  • 7. Como os genesComo os genes são escritos?são escritos?
  • 9.  Os nucleotídeosOs nucleotídeos vão sendovão sendo interligados,interligados, formando umaformando uma longa fita.longa fita. CÓDON Conjunto de 3 nucleotídeos ( 3 bases)
  • 10. Pontes de HidrogênioPontes de Hidrogênio (Unindo os filamentos)(Unindo os filamentos)
  • 11. DNADNA  Ácido Desoxirribonucléico.Ácido Desoxirribonucléico.  Molécula deMolécula de fita duplafita dupla formando umaformando uma dupladupla hélicehélice  As fitas estão unidas pelasAs fitas estão unidas pelas ligações deligações de HidrogênioHidrogênio  A = TA = T  C = GC = G
  • 12. DNA Duplicação DNA DNA REPLICAÇÃO OU AUTODUPLICAÇÃO DO DNA
  • 13. DNA POLIMERASEDNA POLIMERASE Enzima que une os novos nucleotídeosEnzima que une os novos nucleotídeos HELICASE DNA POLIMERASE
  • 14. Replicação do DNAReplicação do DNA -CRESCIMENTO - REPOSIÇÃO CELULAR -CÉLULAS REPRODUTIVAS
  • 15.
  • 16. RNARNA  Ácido RibonucléicoÁcido Ribonucléico  Molécula deMolécula de fita simplesfita simples  É dividido em:É dividido em:  RNA mensageiro (RNA mensageiro (RNAmRNAm))  RNA transportador (RNA transportador (RNAtRNAt))  RNA ribossômico (RNA ribossômico (RNArRNAr))
  • 17. DNA Transcrição DNA RNA RNA?? RNA POLIMERASE
  • 18. RNAm  O RNA mensageiro contém a “mensagem” - o código transcrito a partir do DNA - para a síntese das proteínas. Cada conjunto de três nucleotídeos no RNAm é chamado de CÓDON. RNAt  O RNA transportador está presente no citoplasma e é responsável pelo transporte dos aminoácidos até os ribossomos para a síntese protéica. No RNAt existe uma seqüência de nucleotídeos correspondente ao códon chamada de ANTICÓDON. RNAr  O RNA ribossômico ou ribossomal faz parte da estrutura dos ribossomos e participa do processo de tradução dos códons para construção das proteínas. Tipos de RNA
  • 19. O FUNCIONAMENTOO FUNCIONAMENTO DE UM GENE.DE UM GENE. 1E – AULA 21E – AULA 2
  • 20. RNAm - TRANSCRIÇÃORNAm - TRANSCRIÇÃO Leva a informaçãoLeva a informação da sequência protéica a serda sequência protéica a ser formada, do núcleo para o citoplasma, ondeformada, do núcleo para o citoplasma, onde ocorre a tradução. Ele contém uma sequênciaocorre a tradução. Ele contém uma sequência de trincas correspondente a uma das fitas dode trincas correspondente a uma das fitas do DNA.DNA. Cada trinca (três nucleotídeos) no RNAm éCada trinca (três nucleotídeos) no RNAm é denominadadenominada códoncódon e corresponde a ume corresponde a um aminoácido na proteína que irá se formar.aminoácido na proteína que irá se formar.
  • 21. TranscriçãoTranscrição  Processo pelo qual uma molécula de RNA éProcesso pelo qual uma molécula de RNA é produzida usando como molde o DNA.produzida usando como molde o DNA.
  • 22. 1 códon  3 nucleotídeos no RNAm 7 códons  21 nucleotídeos
  • 23. RNAt - TRADUÇÃORNAt - TRADUÇÃO Levam os aminoácidosLevam os aminoácidos para o RNAm durantepara o RNAm durante o processo de síntese protéica. Apresentam, emo processo de síntese protéica. Apresentam, em uma determinada região, uma trinca deuma determinada região, uma trinca de nucleotídeos que se destaca, denominadanucleotídeos que se destaca, denominada anticódonanticódon.. É através do anticódon que o RNAt reconhece oÉ através do anticódon que o RNAt reconhece o local do RNAm onde deve ser colocado olocal do RNAm onde deve ser colocado o aminoácido por ele transportado. Cada RNAtaminoácido por ele transportado. Cada RNAt carrega umcarrega um aminoácido específicoaminoácido específico, de acordo, de acordo com o anticódon que possui.com o anticódon que possui.
  • 25. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • Quando o RNAm chega ao citoplasma, ele se associa ao ribossomo. • Nessa organela existem 2 espaços onde entram os RNAt com aminoácidos específicos. • somente os RNAt que têm seqüência do anti-códon complementar à seqüência do códon .
  • 26. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • Uma enzima presente na subunidade maior do ribossomo realiza a ligação peptídica entre os aminoácidos.
  • 27. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • O RNAt “vazio” volta para o citoplasma para se ligar a outro aminoácido.
  • 28. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • O ribossomo agora se desloca a distância de 1 códon. • o espaço vazio é preenchido por um outro RNAt com seqüência do anti-códon complementar à seqüência do códon.
  • 29. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • Uma enzima presente na subunidade maior do ribossomo realiza a ligação peptídica entre os aminoácidos.
  • 30. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • O RNAt “vazio” volta para o citoplasma para se ligar a outro aminoácido. • O assim o ribossomo vai se deslocando ao longo do RNAm e os aminoácidos são ligados.
  • 31. A U G U U U C U U G A C C C C U G A G G G Códon de terminação • Quando o ribossomo passa por um códon de terminação nenhum RNAt entra no ribossomo, porque na célula não existem RNAt com seqüências complementares aos códons de terminação.
  • 32. A U G U U U C U U G A C C C C U G A G G G • Então o ribossomo se solta do RNAm, a proteína recém formada é liberada e o RNAm é degradado.
  • 33.
  • 34.  Código genético é universalCódigo genético é universal   O código genético é dito universal pelo fato mesmaO código genético é dito universal pelo fato mesma trinca codificar o mesmo aminoácido em qualquertrinca codificar o mesmo aminoácido em qualquer organismo. Em alguns casos certas trincas são maisorganismo. Em alguns casos certas trincas são mais eficientemente utilizadas. eficientemente utilizadas.  *As diferenças entre os seres vivos devem-se aos*As diferenças entre os seres vivos devem-se aos diferentes genes, que fabricam proteínas diferentes.diferentes genes, que fabricam proteínas diferentes.
  • 35.
  • 36.  Código genético éCódigo genético é degeneradodegenerado   O código genético é dito degenerado pelo fato deO código genético é dito degenerado pelo fato de existir, para um determinado aminoácido, mais deexistir, para um determinado aminoácido, mais de uma trinca de nucleotídeos para codificá-lo.uma trinca de nucleotídeos para codificá-lo. Ex: A glicina é codificada por GGG, GGC, GGA eEx: A glicina é codificada por GGG, GGC, GGA e GGU.GGU. IMPORTÂNCIAIMPORTÂNCIA: Estratégia de defesa do organismo: Estratégia de defesa do organismo contra mutações.contra mutações. Ex: câncer.Ex: câncer.
  • 37. TRANSCRIPTASE REVERSATRANSCRIPTASE REVERSA  Enzima - RetrovírusEnzima - Retrovírus
  • 38. ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA (DNA RECOMBINANTE)(DNA RECOMBINANTE)  O O plasmídioplasmídio é o material genético circular não é o material genético circular não ligado ao cromossomo que fica espalhado peloligado ao cromossomo que fica espalhado pelo hialoplasma das bactérias. Ele sofre o mesmohialoplasma das bactérias. Ele sofre o mesmo processo do DNA dos cromossomos deprocesso do DNA dos cromossomos de transcrição e tradução, além de, se multiplicar atranscrição e tradução, além de, se multiplicar a cada divisão celular, passando uma cópia paracada divisão celular, passando uma cópia para cada célula “filha”.cada célula “filha”.
  • 39.
  • 40.
  • 41. Importância dos Microrganismos e das Enzimas na Engenharia Genética As células animais e vegetais usualmente não podem ser cultivadas para produção de compostos específicos – estas perdem a habilidade de síntese quando são isoladas e cultivadas em laboratório. Também , o cultivo de células de tecido em laboratório é dispendioso e requer meios complexos altamente enriquecidos. Uso de microrganismosUso de microrganismos – medicina: altamente empregado, pois evita muitos dos problemas associados com a obtenção de compostos importantes (insulina, etc.). As bactérias que carregam os genes para os mais diversos compostos, podem ser cultivadas indefinidamente.
  • 42. Por meio da introdução de genes estranhos em microrganismos, é possível desenvolver cepas que oferecem novas soluções para problemas diversos, como poluição, escassez de alimento e energia , controle de doenças e até mesmo terapia gênica. ENZIMASENZIMAS: fundamental para a tecnologia do DNA recombinante. •Endonucleases de restrição: apresentam papel fundamental, clivando o DNA em seqüências específicas, gerando um conjunto de fragmentos menores. •DNA ligase: os fragmentos separados para serem clonados podem ser unidos a um vetor de clonagem apropriado usando a DNA ligase. Assim, o vetor recombinante é introduzido numaAssim, o vetor recombinante é introduzido numa célula hospedeira que o “clona”, a medida que a célulacélula hospedeira que o “clona”, a medida que a célula realiza muitas gerações de divisões celulares.realiza muitas gerações de divisões celulares.
  • 43. OS GENES NÃO SÃOOS GENES NÃO SÃO CONTÍNUOS!CONTÍNUOS! HETEROGÊNEO NUCLEAR
  • 44. OS TESTES DE DNAOS TESTES DE DNA  A molécula de DNA, pode sofrer alteraçõesA molécula de DNA, pode sofrer alterações (mutações), com a substituição de certos nucleotídeos(mutações), com a substituição de certos nucleotídeos por outros diferentes. As mutações são mais toleradaspor outros diferentes. As mutações são mais toleradas quando acontecem em regiões não codificantes doquando acontecem em regiões não codificantes do DNA. Muitas vezes, as mutações tornam-se estáveis,DNA. Muitas vezes, as mutações tornam-se estáveis, sendo transmitidas aos descendentes. Como é muitosendo transmitidas aos descendentes. Como é muito grande a variação no número e no tipo de mutaçõesgrande a variação no número e no tipo de mutações estáveis do DNA (polimorfismo genético), é possívelestáveis do DNA (polimorfismo genético), é possível identificar uma pessoa com base no seu padrão deidentificar uma pessoa com base no seu padrão de polimorfismo.polimorfismo.
  • 45. OS TESTES DE DNAOS TESTES DE DNA
  • 46. MUTAÇÕES GÊNICASMUTAÇÕES GÊNICAS  Uma alteração em qualquer ponto da sequênciaUma alteração em qualquer ponto da sequência de nucleotídeos é uma mutação gênica.de nucleotídeos é uma mutação gênica.  Causas:Causas: Agentes Físicos - RadiaçõesAgentes Físicos - Radiações Agentes Químicos – Produtos químicosAgentes Químicos – Produtos químicos Agentes Biológicos - VírusAgentes Biológicos - Vírus
  • 47.
  • 52. O que é DNA?O que é DNA? DNADNA DeoxiriboNucleic AcidDeoxiriboNucleic Acid ácido deoxiribonucléicoácido deoxiribonucléico ácido desoxiribonucléicoácido desoxiribonucléico ADNADN
  • 53. DNADNA DNA é um ácido nucléicoDNA é um ácido nucléico composto de duas cadeiascomposto de duas cadeias antiparalelasantiparalelas complementares.complementares. Os nucleotídeos sãoOs nucleotídeos são compostos de um grupocompostos de um grupo fosfato, uma pentose efosfato, uma pentose e uma base nitrogenadauma base nitrogenada
  • 54.
  • 55. DNADNA O DNA tem quatro bases nitrogenadas.O DNA tem quatro bases nitrogenadas.  Duas são chamadas purinasDuas são chamadas purinas  Adenina (Adenina ( AA ), Guanina (), Guanina ( GG ))  Duas são pirimidinasDuas são pirimidinas  Citosina (Citosina ( CC ), Timina (), Timina ( TT ))
  • 56. DNADNA Essas quatro bases são ligadas em um padrãoEssas quatro bases são ligadas em um padrão repetitivo por pontes de hidrogênio entre asrepetitivo por pontes de hidrogênio entre as bases nitrogenadasbases nitrogenadas A ligação de duas cadeias complementares éA ligação de duas cadeias complementares é chamada de HIBRIDIZAÇÃO.chamada de HIBRIDIZAÇÃO. A ligação entre nucleotídeos é do tipo fosfodiesterA ligação entre nucleotídeos é do tipo fosfodiester
  • 57.
  • 58. Estrutura do DNAEstrutura do DNA  Dupla HéliceDupla Hélice  Watson and CrickWatson and Crick (1953)(1953)  AntiparalelasAntiparalelas  PareamentoPareamento Complementar deComplementar de Bases Nitrogenadas:Bases Nitrogenadas: AA TT GG CC
  • 59. Rosalind FranklinRosalind Franklin (1920-1953)(1920-1953)  Using X-ray techniques took pictures of DNAUsing X-ray techniques took pictures of DNA and discovered the double helix shape of DNA.and discovered the double helix shape of DNA.  Died of cancer due to unknown harmful affectsDied of cancer due to unknown harmful affects of X-rayof X-ray
  • 60. James Watson and Francis CrickJames Watson and Francis Crick
  • 61.
  • 63. Como vemos o DNA?Como vemos o DNA? MOMO MEME
  • 64.
  • 65.
  • 68.
  • 69. 250 milhões de pares de bases 50 milhões de pares de bases
  • 70. Homem 3.200.000.000 bases Rato 3.000.000.000 bases Drosophila 160.000.000 bases Arabidopsis 135.000.000 bases S. cerevisae 13.000.000 bases X. fastidiosa 2.679.572 bases H. influenzae 1.830.000 bases M. pneumoniae 810.000 bases HTLV-II 8.952 bases TAMANHO DO GENOMA
  • 71. Genoma Humano Genoma NuclearGenoma Nuclear 3.200.000.000 nt3.200.000.000 nt 30.000 - 40.000 genes30.000 - 40.000 genes Genoma MitocondrialGenoma Mitocondrial 16.600 nt16.600 nt 37 genes37 genes
  • 72. GENE: Seqüência de DNA que codifica um RNA funcional
  • 73. GenesGenes Gene – regiões do cromossomo – codificam proteinas DNA -> RNA-> proteina
  • 74. O que é RNA?O que é RNA? RNARNA RiboNucleic AcidRiboNucleic Acid Ácido ribonucléicoÁcido ribonucléico ARNARN
  • 76. RNA X DNARNA X DNA
  • 77. Estrutura do RNAEstrutura do RNA  O Nucleotídeo de RNA contém:O Nucleotídeo de RNA contém:  Base Nitrogenadas:Base Nitrogenadas:  A,C,G e U (não contém T)A,C,G e U (não contém T)  RiboseRibose  FosfatoFosfato  Fita SimplesFita Simples
  • 78. DNA X RNADNA X RNA
  • 79.
  • 80.
  • 81. RNAm  O RNA mensageiro é formado no núcleo e contém a “mensagem” - o código transcrito a partir do DNA - para a síntese das proteínas. Cada conjunto de três nucleotídeos no RNAm é chamado de CÓDON. RNAt  O RNA transportador está presente no citoplasma e é responsável pelo transporte dos aminoácidos até os ribossomos para a síntese protéica. No RNAt existe uma seqüência de nucleotídeos correspondente ao códon chamada de ANTI- CÓDON. RNAr  O RNA ribossômico ou ribossomal faz parte da estrutura dos ribossomos e participa do processo de tradução dos códons para construção das proteínas. Tipos de RNA
  • 82. GenesGenes Gene – regiões do cromossomo – codificam proteinas DNA -> RNA-> proteina
  • 83. GenesGenes Gene – regiões do cromossomo – codificam proteinas DNA -> RNA-> proteina
  • 85. Genes Características físicas ou bioquímicas observáveis Estrutura das proteínas
  • 86. Genes Características físicas ou bioquímicas observáveis Estrutura das proteínas Seqüência de bases nitrogenadas
  • 87. ConceitosConceitos  Genótipo -Genótipo - constituição genética do indivíduo,constituição genética do indivíduo, ou seja, aos genes que ele possuiou seja, aos genes que ele possui  FenótipoFenótipo - características apresentadas por um- características apresentadas por um indivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas eindivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas e comportamentaiscomportamentais  Gene e ambienteGene e ambiente
  • 88.
  • 89. Como o gene gera proteína?Como o gene gera proteína? DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULARDOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA MOLECULAR DNA -> RNA-> proteinaDNA -> RNA-> proteina Diferença em proteínas levam a diferenças entreDiferença em proteínas levam a diferenças entre indivíduosindivíduos
  • 94.
  • 95. Replicação do DNAReplicação do DNA  Auto-duplicação do material genéticoAuto-duplicação do material genético  mantendo assim o padrão de herançamantendo assim o padrão de herança  Semi- conservativaSemi- conservativa  DescontínuaDescontínua
  • 96.
  • 97.
  • 98. 5’ 3’5’ 3’  DNA polimeraseDNA polimerase  enzima quebra asenzima quebra as ligações de pontes deligações de pontes de hidrogênio para replicarhidrogênio para replicar DNADNA  RNA polimeraseRNA polimerase  enzima quebra asenzima quebra as ligações de pontes deligações de pontes de hidrogênio para formarhidrogênio para formar RNARNA  DNA->RNA->ProteinaDNA->RNA->Proteina
  • 99. TranscriçãoTranscrição  A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita de mRNAde mRNA  Fita dupla de DNA:Fita dupla de DNA:  5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’ 3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
  • 100. TranscriçãoTranscrição  A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita de mRNAde mRNA 5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’ 3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’
  • 101. TranscriçãoTranscrição  A mensagem genética é passada do DNA para uma fitaA mensagem genética é passada do DNA para uma fita de mRNAde mRNA 5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’ 5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’ 3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’ RNA
  • 102.  DNADNA …ATC GGC TAG CTA GCG TAG CGA⇒…ATC GGC TAG CTA GCG TAG CGA⇒ TGC AAA TTT AAA TAT ATG…TGC AAA TTT AAA TAT ATG…  RNAmRNAm …UAG CCG AUC GAU CGC AUC GCU⇒…UAG CCG AUC GAU CGC AUC GCU⇒ ACG UUU AAA UUU AUA UAC…ACG UUU AAA UUU AUA UAC…  CODÓNSCODÓNS …[UAG][CCG][AUC][GAU][CGC]⇒…[UAG][CCG][AUC][GAU][CGC]⇒ [AUC][GCU][ACG][UUU][AAA][UUU][AUA][UAC][AUC][GCU][ACG][UUU][AAA][UUU][AUA][UAC] ……
  • 103. 4 bases, combinadas 3 a 3 4x4x4 = 64 códigos CODIFICAÇÃO 4 Bases: A T G C 20 Aminoácidos Sinal de término Sinal de início
  • 104. 4 bases, 3 a 3 4x4x4 = 64 códigos U C A G Phe Ser TyrTyr CysCys U Phe Ser TyrTyr CysCys C U Leu Ser A Leu Ser Trp G Leu ProPro His Arg U Leu ProPro His Arg C C Leu ProPro Gln Arg A Leu ProPro Gln Arg G Ile ThrThr Asn Ser U Ile ThrThr Asn Ser C A Ile ThrThr LysLys Arg A MetMet ThrThr Lys Arg G Val Ala AspAsp GlyGly U Val Ala AspAsp GlyGly C G Val Ala Glu GlyGly A Val Ala Glu GlyGly G 1a. 2a. 3a.
  • 105.
  • 106. aa aa aa aa aa aa aa aa Proteína CTC ATT GTG CTT GAA TTT TTG GTG DNA GAG UAA CAC GAA CUU AAA AAC CAC mRNA
  • 107. TraduçãoTradução  A tradução é um processo que ocorre no citoplasma daA tradução é um processo que ocorre no citoplasma da célula, no qual a mensagem trazida pela fita de mRNA écélula, no qual a mensagem trazida pela fita de mRNA é traduzida em uma seqüência de aminoácidos.traduzida em uma seqüência de aminoácidos. 5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’5’ ATCTTTAGGCTACAGGT 3’ 5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGU3’ 3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’3’ TAGAAATCCGATGTCCA 5’ RNA
  • 108. TraduçãoTradução  CódonsCódons  5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’ RNA
  • 109.
  • 110. TraduçãoTradução Ile - Phe - Arg -Leu-Gln-Val ProteínaIle - Phe - Arg -Leu-Gln-Val Proteína  5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’5’ AUCUUUAGGCUACAGGUC3’ RNA