SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
Replicação do
Replicação do
D
D
e Síntese de
e Síntese de
PROTEÍNAS
PROTEÍNAS
JM
2
DNA
DNA DNA
DNA
RNA
RNA
RIBOSSOMO
RIBOSSOMO
PROTEÍNA
PROTEÍNA
(Transcrição)
(Tradução)
Replicação
Duplicação
Duplicação
3
DNA - Duplicação
Ocorre quando o DNA - original
s
DNAs geneticamente iguais.
Ação: DNA- polimerase
4
Duplicação
DNA - Matriz
F1 F2 F1
G
A
A
T
A
C
F2
C
T
T
A
T
G
F2’
C
T
T
A
T
G
F1’
G
A
A
T
A
C
5
DNA - Transcrição
O DNA é utilizado como molde
para a síntese de RNA
Ação: RNA - polimerase
6
A Transcrição do DNA
DNA
F1
A
T
C
G
T
A
F2
T
A
G
C
A
T
RNA - Polimerase
U
A
G
C
A
U
RNA
Nucleotídeos
• É a unidade formadora dos ácidos
nucléicos: DNA e RNA.
• É composto por um radical fosfato, uma
pentose (ribose  RNA e desoxirribose
DNA) e uma base nitrogenada (Adenina,
Guanina, Citosina, Timina e Uracila).
DNA RNA
Adenina
Guanina
Citosina
Timina Uracila
DNA
• Ácido Desoxirribonucléico.
• Molécula de fita dupla
fita dupla formando uma dupla
dupla
hélice
hélice
• As fitas estão unidas pelas ligações de
ligações de
Hidrogênio
Hidrogênio
• A = T
• C = G
Duplicação do DNA
• É a única molécula capaz de sofrer auto-
auto-
duplicação
duplicação.
• Ocorre durante a fase S
fase S da intérfase
intérfase.
• É do tipo semiconservativa
semiconservativa, pois cada
molécula nova apresenta uma das fitas
vinda da mãe e outra fita recém sintetizada.
DNA Duplicação DNA DNA
Replicação do DNA
Replicação do DNA é o processo de auto-duplicação do
material genético mantendo assim o padrão de herança ao
longo das gerações. A duplicação do DNA é explicada pela
teoria semi- conservativa.
Teoria semi-conservativa
Cada fita do DNA é duplicada formando uma fita híbrida,
isto é, a fita velha pareia com a fita nova formando um
novo DNA; de uma molécula de DNA formam-se duas
outras iguais a ela. Cada DNA recém formado possui uma
das cadeias da molécula mãe, por isso o nome semi-
conservativa
RNA
• Ácido Ribonucléico
• Molécula de fita simples
fita simples
• É dividido em:
RNA mensageiro (RNAm
RNAm)
RNA transportador (RNAt
RNAt)
RNA ribossômico (RNAr
RNAr)
A molécula do DNA vai-se abrindo ao meio,
por ação de uma enzima chamada DNA
polimerase. Essa enzima quebra as ligações
de pontes de hidrogênio existentes entre as
duas bases nitrogenadas das cadeias
complementares de nucleotídeos.
Ao mesmo tempo que o DNA polimerase vai
abrindo a molécula de DNA, outra enzima
chamada DNA ligase vai ligando um grupo de
nucleotídeos que se pareiam com os
nucleotídeos da molécula mãe.
Além da capacidade de duplicação o
DNA também é responsável pela
síntese de outro ácido nucléico muito
importante para a célula: ÁCIDO
RIBONUCLÉICO ou RNA.(transcrição)
Da mesma forma que o DNA, o RNA
também é uma molécula grande
formada por várias partes menores
chamadas nucleotídeos. Por isso diz-se
que tanto DNA como RNA são
polinucleotídeos.
RNAm
Leva a informação
Leva a informação da sequência proteica a
ser formada do núcleo para o citoplasma,
onde ocorre a tradução. Ele contém uma
sequência de trincas correspondente a uma
das fitas do DNA.
Cada trinca (três nucleotídeos) no RNAm é
denominada códon
códon e corresponde a um
aminoácido na proteína que irá se formar
1 códon  3 nucleotídeos no RNAm
7 códons  21 nucleotídeos
RNAt
Levam os aminoácidos
Levam os aminoácidos para o RNAm durante o
processo de síntese proteica. As moléculas de
RNAt apresentam, em uma determinada
região, uma trinca de nucleotídeos que se
destaca, denominada anticódon
anticódon.
É através do anticódon que o RNAt reconhece o
local do RNAm onde deve ser colocado o
aminoácido por ele transportado. Cada RNAt
carrega em aminoácido específico
aminoácido específico, de acordo
com o anticódon que possui
Dogma Central da Biologia
DNA RNA PROTEÍNA
T
T
Tr
r
ra
a
an
n
ns
s
sc
c
cr
r
ri
iiç
ç
çã
ã
ão
o
o T
T
Tr
r
ra
a
ad
d
du
u
uç
ç
çã
ã
ão
o
o
R
R
Re
e
ep
p
pl
lli
iic
c
ca
a
aç
ç
çã
ã
ão
o
o
A síntese proteica envolve as seguintes etapas: Transcrição e
Tradução
Transcrições
Processo que ocorre no núcleo da célula, no qual a mensagem genética é
passada do DNA para uma fita de mRNA, com auxílio da ação
catalítica da enzima RNA polimerase.
A informação do DNA é transcrita em uma sequência codificada do
mRNA, através do uso, com gabarito, de um filamento do DNA. Até
hoje, o mecanismo de seleção do filamento apropriado ainda é
desconhecido.
O mRNA transcrito solta-se do modelo de DNA e desloca-se do núcleo
para o citoplasma. Após o mRNA se desacoplar, as pontes de
hidrogênio que haviam-se desfeitas voltam-se a ligar.
Tradução
A tradução é um processo que ocorre no citoplasma da célula, no qual a
mensagem trazida pela fita de mRNA é traduzida em uma sequência de
aminoácidos.
O processo de tradução envolve as seguintes etapas:
1)Após terminada a transcrição do DNA, o RNAm sai do núcleo para o
citoplasma, levando a sequência de nucleotídeos que permitirá a
formação das proteínas.
2)Todas as células contêm um conjunto de RNA, os RNA
transportadores, que através da ligação de uma de suas extremidades
a um códon (uma trinca de nucleotídeo na molécula de RNAm), permite
o alinhamento dos aminoácidos de acordo com a sequência de
nucleotídeos do RNAm.
3)Um RNAt é responsável pelo transporte de um dos vinte aminoácidos
utilizados na síntese de proteínas. Cada um dos aminoácidos tem pelo
menos um tipo de RNAt a ele designado, e outros têm vários RNAt
Cada tipo de aminoácido é especificado quando
uma trinca de nucleotídeo na molécula (códon)
de RNAm pareia com a sequência de 3
nucleotídeos complementares do anti-códon de
um RNAt.
Como existe mais do que um RNAt para cada
aminoácido, ou que os aminoácidos podem ser
representados por mais de um códon, dizemos
que ocorreu degenerescência do código genético.
O Papel dos Ribossomos
Para assegurar que a síntese de proteínas ocorra de forma
precisa, é necessário um complexo aparato catalítico.
Os ribossomos são as estruturas responsáveis para que a
extremidade crescente de uma cadeia polipeptídica seja
mantida em sincronia com a molécula de RNAt, e que cada
códon do RNAm se encaixe precisamente com o anticódon
de uma molécula de RNAt.
Durante a fase de iniciação da síntese de proteína, as duas
subunidades do ribossomo se deslocam até o ponto exato de
RNAm onde a cadeia polipeptídica será iniciada.
É importante lembrar que os ribossomos deslocam ao longo
de uma molécula de RNAm.
Anti-códon
Sítio de
ligação ao
aminoácido
U A C
U A C
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
• Quando o RNAm chega ao
citoplasma, ele se associa ao
ribossomo.
• Nessa organela existem 2 espaços
onde entram os RNAt com
aminoácidos específicos.
• somente os RNAt que têm
sequência do anti-códon
complementar à sequência do
códon entram no ribossomo.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
• Uma enzima presente na
subunidade maior do ribossomo
realiza a ligação peptídica entre os
aminoácidos.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A
• O RNAt “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A G A A
• O ribossomo agora se desloca uma
distância de 1 códon.
• o espaço vazio é preenchido por
um outro RNAt com sequência do
anti-códon complementar à
sequência do códon.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C
A A A G A A
• Uma enzima presente na
subunidade maior do ribossomo
realiza a ligação peptídica entre os
aminoácidos.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
U A C A A A
G A A
• O RNAt “vazio” volta para o
citoplasma para se ligar a outro
aminoácido.
• e assim o ribossomo vai se
deslocando ao longo do RNAm e os
aminoácidos são ligados.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
G G G
Códon de
terminação
• Quando o ribossomo passa por um
códon de terminação nenhum RNAt
entra no ribossomo, porque na célula
não existem RNAt com sequências
complementares aos códons de
terminação.
A U G U U U C U U G A C C C C U G
A
G G G
• Então o ribossomo se solta do
RNAm, a proteína recém formada é
liberada e o RNAm é degradado.
Considerações Finais
• Uma proteína  + de 70 aminoácidos
ligados.
• 1 códon  3 nucleotídeos no RNAm
• 1 códon  1 aminoácido na proteína
• Nº de ligações peptídicas  Nº de
aminoácidos – (menos) 1.
• 1 anticódon  3 nucleotídeos no RNAt
• O anticódon é complementar ao códon
• Cada RNAt leva consigo apenas um tipo de
aminoácido  quem determina qual
aminoácido será transportado é o anticódon.
Considerações Finais

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Biologia Celular: Dogma Central de Biologia

Tradução - síntese proteica
Tradução - síntese proteicaTradução - síntese proteica
Tradução - síntese proteica
ceap
 
Resumo da materia_de_biologia_do_11oano
Resumo da materia_de_biologia_do_11oanoResumo da materia_de_biologia_do_11oano
Resumo da materia_de_biologia_do_11oano
silvia_lfr
 
Crescimento e renovação_celular
Crescimento e renovação_celularCrescimento e renovação_celular
Crescimento e renovação_celular
silvia_lfr
 
Metabolismo dos nucleotídeos
Metabolismo dos nucleotídeosMetabolismo dos nucleotídeos
Metabolismo dos nucleotídeos
Biomedicina
 
Bases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedadeBases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedade
Herivelto Carlotto
 
Síntese de proteínas
Síntese de proteínasSíntese de proteínas
Síntese de proteínas
letyap
 
Dna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínasDna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínas
César Milani
 

Semelhante a Biologia Celular: Dogma Central de Biologia (20)

1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio1 s äcidos nucleicos_maio
1 s äcidos nucleicos_maio
 
Tradução - síntese proteica
Tradução - síntese proteicaTradução - síntese proteica
Tradução - síntese proteica
 
Os ácidos nucleicos e a síntese de proteínas
Os ácidos nucleicos e a síntese de proteínasOs ácidos nucleicos e a síntese de proteínas
Os ácidos nucleicos e a síntese de proteínas
 
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 20121 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
1 s äcidos nucl[eicos_maio 2012
 
Síntese de Proteínas
Síntese de ProteínasSíntese de Proteínas
Síntese de Proteínas
 
Resumo da materia_de_biologia_do_11oano
Resumo da materia_de_biologia_do_11oanoResumo da materia_de_biologia_do_11oano
Resumo da materia_de_biologia_do_11oano
 
Crescimento e renovação_celular
Crescimento e renovação_celularCrescimento e renovação_celular
Crescimento e renovação_celular
 
ácidos nucléicos
ácidos nucléicosácidos nucléicos
ácidos nucléicos
 
Transcrição gênica
Transcrição gênicaTranscrição gênica
Transcrição gênica
 
Transcrição gênica
Transcrição gênicaTranscrição gênica
Transcrição gênica
 
Metabolismo dos nucleotídeos
Metabolismo dos nucleotídeosMetabolismo dos nucleotídeos
Metabolismo dos nucleotídeos
 
Acidosnucleicos
AcidosnucleicosAcidosnucleicos
Acidosnucleicos
 
Jjj
JjjJjj
Jjj
 
Bases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedadeBases genética da hereditariedade
Bases genética da hereditariedade
 
Síntese de proteínas
Síntese de proteínasSíntese de proteínas
Síntese de proteínas
 
Dna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínasDna e sintese proteínas
Dna e sintese proteínas
 
áCidos nucléicos 2011
áCidos nucléicos 2011áCidos nucléicos 2011
áCidos nucléicos 2011
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
 
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptxaula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
aula-4-nucleo-dogma-centra nucleo cel.pptx
 
Crescimento e Renovação Celular, Biologia // 11º ano
Crescimento e Renovação Celular, Biologia // 11º anoCrescimento e Renovação Celular, Biologia // 11º ano
Crescimento e Renovação Celular, Biologia // 11º ano
 

Biologia Celular: Dogma Central de Biologia

  • 1. Replicação do Replicação do D D e Síntese de e Síntese de PROTEÍNAS PROTEÍNAS JM
  • 3. 3 DNA - Duplicação Ocorre quando o DNA - original s DNAs geneticamente iguais. Ação: DNA- polimerase
  • 4. 4 Duplicação DNA - Matriz F1 F2 F1 G A A T A C F2 C T T A T G F2’ C T T A T G F1’ G A A T A C
  • 5. 5 DNA - Transcrição O DNA é utilizado como molde para a síntese de RNA Ação: RNA - polimerase
  • 6. 6 A Transcrição do DNA DNA F1 A T C G T A F2 T A G C A T RNA - Polimerase U A G C A U RNA
  • 7. Nucleotídeos • É a unidade formadora dos ácidos nucléicos: DNA e RNA. • É composto por um radical fosfato, uma pentose (ribose  RNA e desoxirribose DNA) e uma base nitrogenada (Adenina, Guanina, Citosina, Timina e Uracila).
  • 9. DNA • Ácido Desoxirribonucléico. • Molécula de fita dupla fita dupla formando uma dupla dupla hélice hélice • As fitas estão unidas pelas ligações de ligações de Hidrogênio Hidrogênio • A = T • C = G
  • 10. Duplicação do DNA • É a única molécula capaz de sofrer auto- auto- duplicação duplicação. • Ocorre durante a fase S fase S da intérfase intérfase. • É do tipo semiconservativa semiconservativa, pois cada molécula nova apresenta uma das fitas vinda da mãe e outra fita recém sintetizada.
  • 12. Replicação do DNA Replicação do DNA é o processo de auto-duplicação do material genético mantendo assim o padrão de herança ao longo das gerações. A duplicação do DNA é explicada pela teoria semi- conservativa. Teoria semi-conservativa Cada fita do DNA é duplicada formando uma fita híbrida, isto é, a fita velha pareia com a fita nova formando um novo DNA; de uma molécula de DNA formam-se duas outras iguais a ela. Cada DNA recém formado possui uma das cadeias da molécula mãe, por isso o nome semi- conservativa
  • 13.
  • 14. RNA • Ácido Ribonucléico • Molécula de fita simples fita simples • É dividido em: RNA mensageiro (RNAm RNAm) RNA transportador (RNAt RNAt) RNA ribossômico (RNAr RNAr)
  • 15. A molécula do DNA vai-se abrindo ao meio, por ação de uma enzima chamada DNA polimerase. Essa enzima quebra as ligações de pontes de hidrogênio existentes entre as duas bases nitrogenadas das cadeias complementares de nucleotídeos. Ao mesmo tempo que o DNA polimerase vai abrindo a molécula de DNA, outra enzima chamada DNA ligase vai ligando um grupo de nucleotídeos que se pareiam com os nucleotídeos da molécula mãe.
  • 16. Além da capacidade de duplicação o DNA também é responsável pela síntese de outro ácido nucléico muito importante para a célula: ÁCIDO RIBONUCLÉICO ou RNA.(transcrição) Da mesma forma que o DNA, o RNA também é uma molécula grande formada por várias partes menores chamadas nucleotídeos. Por isso diz-se que tanto DNA como RNA são polinucleotídeos.
  • 17. RNAm Leva a informação Leva a informação da sequência proteica a ser formada do núcleo para o citoplasma, onde ocorre a tradução. Ele contém uma sequência de trincas correspondente a uma das fitas do DNA. Cada trinca (três nucleotídeos) no RNAm é denominada códon códon e corresponde a um aminoácido na proteína que irá se formar
  • 18. 1 códon  3 nucleotídeos no RNAm 7 códons  21 nucleotídeos
  • 19. RNAt Levam os aminoácidos Levam os aminoácidos para o RNAm durante o processo de síntese proteica. As moléculas de RNAt apresentam, em uma determinada região, uma trinca de nucleotídeos que se destaca, denominada anticódon anticódon. É através do anticódon que o RNAt reconhece o local do RNAm onde deve ser colocado o aminoácido por ele transportado. Cada RNAt carrega em aminoácido específico aminoácido específico, de acordo com o anticódon que possui
  • 20. Dogma Central da Biologia DNA RNA PROTEÍNA T T Tr r ra a an n ns s sc c cr r ri iiç ç çã ã ão o o T T Tr r ra a ad d du u uç ç çã ã ão o o R R Re e ep p pl lli iic c ca a aç ç çã ã ão o o
  • 21. A síntese proteica envolve as seguintes etapas: Transcrição e Tradução Transcrições Processo que ocorre no núcleo da célula, no qual a mensagem genética é passada do DNA para uma fita de mRNA, com auxílio da ação catalítica da enzima RNA polimerase. A informação do DNA é transcrita em uma sequência codificada do mRNA, através do uso, com gabarito, de um filamento do DNA. Até hoje, o mecanismo de seleção do filamento apropriado ainda é desconhecido. O mRNA transcrito solta-se do modelo de DNA e desloca-se do núcleo para o citoplasma. Após o mRNA se desacoplar, as pontes de hidrogênio que haviam-se desfeitas voltam-se a ligar.
  • 22.
  • 23. Tradução A tradução é um processo que ocorre no citoplasma da célula, no qual a mensagem trazida pela fita de mRNA é traduzida em uma sequência de aminoácidos. O processo de tradução envolve as seguintes etapas: 1)Após terminada a transcrição do DNA, o RNAm sai do núcleo para o citoplasma, levando a sequência de nucleotídeos que permitirá a formação das proteínas. 2)Todas as células contêm um conjunto de RNA, os RNA transportadores, que através da ligação de uma de suas extremidades a um códon (uma trinca de nucleotídeo na molécula de RNAm), permite o alinhamento dos aminoácidos de acordo com a sequência de nucleotídeos do RNAm. 3)Um RNAt é responsável pelo transporte de um dos vinte aminoácidos utilizados na síntese de proteínas. Cada um dos aminoácidos tem pelo menos um tipo de RNAt a ele designado, e outros têm vários RNAt
  • 24. Cada tipo de aminoácido é especificado quando uma trinca de nucleotídeo na molécula (códon) de RNAm pareia com a sequência de 3 nucleotídeos complementares do anti-códon de um RNAt. Como existe mais do que um RNAt para cada aminoácido, ou que os aminoácidos podem ser representados por mais de um códon, dizemos que ocorreu degenerescência do código genético.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. O Papel dos Ribossomos Para assegurar que a síntese de proteínas ocorra de forma precisa, é necessário um complexo aparato catalítico. Os ribossomos são as estruturas responsáveis para que a extremidade crescente de uma cadeia polipeptídica seja mantida em sincronia com a molécula de RNAt, e que cada códon do RNAm se encaixe precisamente com o anticódon de uma molécula de RNAt. Durante a fase de iniciação da síntese de proteína, as duas subunidades do ribossomo se deslocam até o ponto exato de RNAm onde a cadeia polipeptídica será iniciada. É importante lembrar que os ribossomos deslocam ao longo de uma molécula de RNAm.
  • 30. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • Quando o RNAm chega ao citoplasma, ele se associa ao ribossomo. • Nessa organela existem 2 espaços onde entram os RNAt com aminoácidos específicos. • somente os RNAt que têm sequência do anti-códon complementar à sequência do códon entram no ribossomo.
  • 31. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • Uma enzima presente na subunidade maior do ribossomo realiza a ligação peptídica entre os aminoácidos.
  • 32. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A • O RNAt “vazio” volta para o citoplasma para se ligar a outro aminoácido.
  • 33. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • O ribossomo agora se desloca uma distância de 1 códon. • o espaço vazio é preenchido por um outro RNAt com sequência do anti-códon complementar à sequência do códon.
  • 34. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • Uma enzima presente na subunidade maior do ribossomo realiza a ligação peptídica entre os aminoácidos.
  • 35. A U G U U U C U U G A C C C C U G A U A C A A A G A A • O RNAt “vazio” volta para o citoplasma para se ligar a outro aminoácido. • e assim o ribossomo vai se deslocando ao longo do RNAm e os aminoácidos são ligados.
  • 36. A U G U U U C U U G A C C C C U G A G G G Códon de terminação • Quando o ribossomo passa por um códon de terminação nenhum RNAt entra no ribossomo, porque na célula não existem RNAt com sequências complementares aos códons de terminação.
  • 37. A U G U U U C U U G A C C C C U G A G G G • Então o ribossomo se solta do RNAm, a proteína recém formada é liberada e o RNAm é degradado.
  • 38. Considerações Finais • Uma proteína  + de 70 aminoácidos ligados. • 1 códon  3 nucleotídeos no RNAm • 1 códon  1 aminoácido na proteína • Nº de ligações peptídicas  Nº de aminoácidos – (menos) 1.
  • 39. • 1 anticódon  3 nucleotídeos no RNAt • O anticódon é complementar ao códon • Cada RNAt leva consigo apenas um tipo de aminoácido  quem determina qual aminoácido será transportado é o anticódon. Considerações Finais