SlideShare uma empresa Scribd logo
18/05/2015 1
marcio_cpq@hotmailcom
coitinho_19@hotmail.com
Escola Bíblica Quadrangular
18/05/2015 2
18/05/2015 3
2 Coríntios
Recapitulando
18/05/2015
4
PROPÓSITO: Paulo escreveu esta epístola a três classes de
pessoas em Corinto.
(1) Primeiro, escreveu para encorajar a maioria da igreja que lhe
era fiel, como seu pai espiritual.
(2) Escreveu para contestar e desmascarar os falsos apóstolos
que continuavam a difamá-lo, para enfraquecer sua autoridade,
o seu apostolado e distorcer a sua mensagem.
(3) Escreveu, também, para repreender a minoria na igreja
influenciada por seus oponentes e que não acatavam a sua
autoridade e correção.
2 Coríntios visou a preparar a igreja como um todo, para sua
visita iminente.
2Co 7:16
2Co 1:12-15,
2Co 13:1-7
2Co 12:19-20
18/05/2015
5
2Co 2:13A carta foi escrita na Macedônia.
1Co 4:17Enviou Timóteo para cuidar da Igreja.
2Co 2:12-13Tentou encontrar Tito para ter notícias da Igreja.
1Co 5:9Haviam outras cartas.
2Co 1:3-11O Cristão pode ficar abatido.
2Co 1:3
Paulo chama atenção da Igreja para 03 fatos:
 Se Lembrar do que Deus é para Nós;
 Deus permite a Tribulação para nossa melhora;
 Lembrar do que Deus faz através de Nós.
2Co 1:8-11
2Co 1:12-14
Recapitulando – Cap. 1
Recapitulando – Cap. 2
18/05/2015
6
Paulo se desculpa da carta anterior.
2Co 2:7Perdão para o pecador.
2Co 2:8Acolher o pecador.
2Co 2:9Obedientes para mudar a conduta.
2Co 2:10-11Para que o diabo não tenha vantagem.
2Co 2:1-4
2Co 7:10
Tristeza segundo Deus produz salvação e a tristeza do
mundo gera a morte.
Capítulo 3
2 Coríntios 3:1-11
18/05/2015
7
Havia um conhecimento da parte dos coríntios acerca de Paulo,
que substituía qualquer documento comprobatório de seu
apostolado.
 Paulo fundou a igreja;
 Começaram a se reunir nas casas;
 Paulo envia obreiros para doutrinarem a igreja;
At 18:1,8-11
At 18:7
A prova de sua aprovação apostólica era a própria existência da
igreja coríntia (v.2).
A maior e melhor recomendação que um servo de Cristo pode ter é
a evidência do seu ministério no coração e na vida daqueles que
foram por ele alcançados para o Senhor Jesus.
Paulo justifica sua autorrecomendação (1,2)
1Co 4:17 At 18:5
Capítulo 3
A confiança na Nova Aliança (4-11)
18/05/2015
8
18/05/2015 9
Após fazer a defesa de sua autorrecomendação perante os
coríntios, Paulo faz uma comparação da lei escrita em tábuas de
pedra, pelo próprio Deus, a compara à nova lei, o novo
pacto, predito pelos profetas, que afirmaram que Deus a
escreveria no coração do seu povo.
Os dois pactos são provenientes de Deus, mas o segundo é
superior, porque veio mediante a pessoa de Jesus Cristo, que
consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato
sacrificial
Capítulo 3
A confiança na Nova Aliança (4-11)
Ex 31:18
Jr 31:31-34
Hb 7:27-28, 12:24
18/05/2015
10
Paulo mostra aos coríntios que o “velho pacto” tinha em seu
conteúdo a sentença de morte sobre o moralmente culpado, por
isso, a Antiga Aliança era da “letra”: gravado com letras em pedras
A Nova Aliança é do “Espírito”, e ministrada por Ele (v.8), pois é
um ministério da justiça (v.9), o qual vivifica (v.6) e é permanente
(v.11). A Antiga Aliança era de condenação; a nova é de justiça e
salvação (v.9). O Antigo Pacto veio por Moisés; o novo veio por
Cristo.
Capítulo 3
A distinção entre as duas Alianças (6-11)
Vamos trabalhar!!!!
18/05/2015 11
• - Serão formados 3 Grupos na Classe;
• - Cada Grupo terá um líder;
• - Cada Grupo deverá relatar o que compreendeu em 2 Co 3:6
• - Cada Grupo deverá relatar sobre 2 Co 3:7
• - Apresentação para a Classe do que foi elaborado pelo Grupo;
 OBS: Todos devem participar e compartilhar seu conhecimento.
18/05/2015
12
Por muito tempo, a má interpretação desse texto provocou receio
quanto ao estudo secular e mesmo o teológico. Entretanto, como
já ficou claro, tal passagem não se refere ao estudo, mas à
aplicabilidade das sanções, sentenças e penalidades da lei
mosaica que, contrastava-se com o Novo Concerto, o qual tem
como propósito único vivificar e absolver.
No seu contexto, esta linha de 2 Coríntios 3:6 expressa um
contraste importante entre a impropriedade do sistema do Velho
Testamento e a suficiência de Cristo para nos salvar do pecado. A
"letra" representa o "ministério da morte, gravado com letras em
pedras" que foi dado aos israelitas através de Moisés. O “Espírito”
representa a nova aliança de Cristo, revelada através do Espírito
Santo e escrita em nossos corações.
Capítulo 3
A “letra” que mata (3-6)
13
A glória do Antigo Pacto era passageira porque trazia à tona a
realidade do pecado, sua maldição e condenação. O Novo Pacto
demonstrou outra característica da glória de Deus, o seu poder
misericordioso para salvar e dar vida. A glória do Primeiro
Concerto revelou o ministério da morte, porque condenava e
amaldiçoava todo aquele que não cumpria a lei, mas a glória do
Segundo Concerto revelou o ministério da vida e da graça de
Deus. Por isso, a glória do evangelho é superior à da lei.
Quando Paulo usa a figura da glória resplandecente da face de
Moisés, ele reforça o fato de que tal glória teve que ser coberta
com véu e que se desvaneceu com o tempo, portanto, era
transitória. Porém, a glória da Nova Aliança manifestou-se
descoberta, sem véu, porque Cristo a revelou no Calvário. Trata-se
da liberdade que temos mediante a obra expiatória de Cristo.
Capítulo 3
A Glória da Nova Aliança (7-18)
Conclusão
Veja que a velha aliança foi um código de leis escritos em
tábuas de pedra, fora de nós. A nova aliança é a própria Palavra
de Deus escrita em nossos corações; ou seja, dentro de nós. A
velha aliança gravada com letras em pedra é chamada por Paulo
de ministério de morte. Isso porque a lei revela o pecado, mas
não a tira.
A lei condena, mas não absolve. O ministério do Espírito - a nova
aliança, sob a qual os pecados são perdoados para nunca mais
serem lembrados; é um ministério que traz vida, porque na nova
aliança o pecador é substituído por Cristo, e em Cristo, ele
recebe o perdão dos seus pecados. Cristo morreu a nossa morte,
para vivermos a sua vida. O ministério do Espírito é aplicar em
nós os benefícios da redenção de Cristo.
DICIONÁRIO
18/05/2015 15
Carta de Recomendação: Era hábito dos judeus que viajavam com frequência,
levarem cartas de recomendação para que, assim, ao chegar a lugares onde não
eram conhecidos, pudessem ser hospedados durante o período em que ali
estivessem. Imagine o fundador da igreja, conhecido de todos, ter de cumprir a
exigência de ser portador de “cartas de recomendação”, apenas para satisfazer o
espírito opositor que dominava alguns judeus-cristãos, que estavam com dúvidas
acerca da autenticidade do seu apostolado! Algo injustificável.
Antiga Aliança, ou Antigo Concerto é a Lei de Moisés. Já sabemos que a Lei
governou o relacionamento entre os israelitas e o Senhor até a vinda de nosso
Salvador Jesus Cristo. Paulo nos ensina que a Lei nunca foi um caminho para a
salvação, pois Deus já havia predito um novo Concerto com Israel. Somente o Novo
Concerto é capaz de oferecer perdão e um novo coração. O Novo Concerto não
estaria registrado em pedras, mas gravado nos corações de judeus e gentios.
18/05/2015 16
Bibliografia
Bíblia Português, Bíblia de Estudo Pentecostal, Sociedade Bíblica do
Brasil, São Paulo, 1995.
Site Estudantes da Bíblia - , acessado em 09/05/2015
http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2010/2010_01_
04.htm
Site Sombra do Onipotente, acessado em 16/05/2015
http://sombradoonipotente.blogspot.com.br/2012/05/o-brilho-no-
rosto-de-moises.html
OBRIGADO : : Márcio José Pereira
: : Ebenézer “Até aqui nos ajudou o Senhor.
João 13:17- Se sabeis estas coisas, bem-
aventurados sois se as fizerdes.
DEUS ABENÇOE MUITO VOCÊS!!
TAMU JUNTU!!!!
18/05/2015 17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
UEPB
 
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Sandro Manuel
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
melquisedeque Chagas
 
Comentário Bíblico de Romanos
Comentário Bíblico de RomanosComentário Bíblico de Romanos
Comentário Bíblico de Romanos
Ricardo Gondim
 
Aula Jonatas 29: A morte de João Batista
Aula Jonatas 29: A morte de João BatistaAula Jonatas 29: A morte de João Batista
Aula Jonatas 29: A morte de João Batista
Andre Nascimento
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
Respirando Deus
 
Aula 2 1 Coríntios
Aula 2   1 CoríntiosAula 2   1 Coríntios
Aula 2 1 Coríntios
Pastor W. Costa
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
Egmon Pereira
 
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diáriaA Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
Daniel Junior
 
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Nehemias Santos
 
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Daniel Junior
 
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
Daniel Junior
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
UEPB
 
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
leniogravacoes
 
Colossenses - Introdução e parte 01
Colossenses - Introdução e parte 01Colossenses - Introdução e parte 01
Colossenses - Introdução e parte 01
Daniel M Junior
 
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
Márcio Pereira
 
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser SantosEstudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
JUERP
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
Paulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em CorintoPaulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em Corinto
guest985a0e
 

Mais procurados (20)

Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
Desvendando o Apocalipse as sete igrejas 1
 
Livro De Romanos
Livro De RomanosLivro De Romanos
Livro De Romanos
 
Comentário Bíblico de Romanos
Comentário Bíblico de RomanosComentário Bíblico de Romanos
Comentário Bíblico de Romanos
 
Aula Jonatas 29: A morte de João Batista
Aula Jonatas 29: A morte de João BatistaAula Jonatas 29: A morte de João Batista
Aula Jonatas 29: A morte de João Batista
 
Panorama do NT - Tito
Panorama do NT - TitoPanorama do NT - Tito
Panorama do NT - Tito
 
Aula 2 1 Coríntios
Aula 2   1 CoríntiosAula 2   1 Coríntios
Aula 2 1 Coríntios
 
As Cartas de Paulo
As Cartas de PauloAs Cartas de Paulo
As Cartas de Paulo
 
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diáriaA Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
A Igreja em Corinto: Realidade espiritual x Vivência diária
 
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
Lição 9 - Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses.
 
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
Estudo Bíblico 1 Coríntios - Estudo 3 (power point)
 
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)1 Tessalonicenses (Estudo 1)
1 Tessalonicenses (Estudo 1)
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
 
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
COMENTARIO BIBLICO-2 tessalonicenses (moody)
 
Colossenses - Introdução e parte 01
Colossenses - Introdução e parte 01Colossenses - Introdução e parte 01
Colossenses - Introdução e parte 01
 
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
 
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser SantosEstudo 01 - Chamados Para Ser Santos
Estudo 01 - Chamados Para Ser Santos
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
 
Paulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em CorintoPaulo e a Igreja em Corinto
Paulo e a Igreja em Corinto
 

Destaque

2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espírito
2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espírito2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espírito
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espírito
Escola Bíblica Ministério Missões
 
Cartas paulinas I
Cartas paulinas ICartas paulinas I
Cartas paulinas I
Adalto Junior
 
Corintios
CorintiosCorintios
Corintios
glenisson
 
O Bom Perfume De Cristo
O Bom Perfume De CristoO Bom Perfume De Cristo
O Bom Perfume De Cristo
Evaldo Beranger
 
2 coríntios (moody)
2 coríntios (moody)2 coríntios (moody)
2 coríntios (moody)
leniogravacoes
 
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
Com quantos Cs se constrói uma igreja - ConvívioCom quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
Clinton César
 
OPERAÇÃO ICEBERG
OPERAÇÃO ICEBERGOPERAÇÃO ICEBERG
OPERAÇÃO ICEBERG
Projeto Preparar um Povo
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Rodrigo F Menegatti
 
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Uma Igreja Para Recordar
Uma Igreja Para RecordarUma Igreja Para Recordar
Uma Igreja Para Recordar
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Destaque (11)

2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espírito
2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espírito2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espírito
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espírito
 
Cartas paulinas I
Cartas paulinas ICartas paulinas I
Cartas paulinas I
 
Corintios
CorintiosCorintios
Corintios
 
O Bom Perfume De Cristo
O Bom Perfume De CristoO Bom Perfume De Cristo
O Bom Perfume De Cristo
 
2 coríntios (moody)
2 coríntios (moody)2 coríntios (moody)
2 coríntios (moody)
 
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
Com quantos Cs se constrói uma igreja - ConvívioCom quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
Com quantos Cs se constrói uma igreja - Convívio
 
OPERAÇÃO ICEBERG
OPERAÇÃO ICEBERGOPERAÇÃO ICEBERG
OPERAÇÃO ICEBERG
 
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia Apresentação 2 Coríntios - Teologia
Apresentação 2 Coríntios - Teologia
 
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios10. 2a. epístola de paulo aos corintios
10. 2a. epístola de paulo aos corintios
 
Uma Igreja Para Recordar
Uma Igreja Para RecordarUma Igreja Para Recordar
Uma Igreja Para Recordar
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 

Semelhante a 2a. Coríntios Capítulo 3 - Ministério da Graça.

IBADEP BASICO - EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
IBADEP BASICO -  EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS  AULA2 - 1 e 2 CORINTIOSIBADEP BASICO -  EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS  AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
IBADEP BASICO - EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
Rubens Sohn
 
o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
 o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
ELBA GOMES QUIRINO MENEZES LEAL
 
Apostila do novo testamento
Apostila do novo testamentoApostila do novo testamento
Apostila do novo testamento
HALAINDELON PEREIRA
 
6 galatas.pptx
6 galatas.pptx6 galatas.pptx
6 galatas.pptx
PIB Penha - SP
 
NT III EPISTOLA.pdf
NT III EPISTOLA.pdfNT III EPISTOLA.pdf
NT III EPISTOLA.pdf
robsonferreirapintos
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
Joel Silva
 
Católicos
CatólicosCatólicos
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Éder Tomé
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Quenia Damata
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Éder Tomé
 
O que é o Dispensacionalismo!
O que é o Dispensacionalismo!O que é o Dispensacionalismo!
O que é o Dispensacionalismo!
Jorge Henrique R de Araujo
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento
Construção Edificações
 
TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
 TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016  TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
Elias Farias
 
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptxLIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
Encerramento do ano_da_fe-(web)
Encerramento do ano_da_fe-(web)Encerramento do ano_da_fe-(web)
Encerramento do ano_da_fe-(web)
António Rodrigues
 
Lição 07 artigo
Lição 07   artigoLição 07   artigo
Lição 07 artigo
Carlos Franco Almeida
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)
Deusdete Soares
 
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptxSlide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
JooSalaroli
 

Semelhante a 2a. Coríntios Capítulo 3 - Ministério da Graça. (20)

IBADEP BASICO - EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
IBADEP BASICO -  EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS  AULA2 - 1 e 2 CORINTIOSIBADEP BASICO -  EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS  AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
IBADEP BASICO - EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS AULA2 - 1 e 2 CORINTIOS
 
o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
 o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
o legalismo estava tomando conta da religião judaica na época de paulo
 
Apostila do novo testamento
Apostila do novo testamentoApostila do novo testamento
Apostila do novo testamento
 
6 galatas.pptx
6 galatas.pptx6 galatas.pptx
6 galatas.pptx
 
NT III EPISTOLA.pdf
NT III EPISTOLA.pdfNT III EPISTOLA.pdf
NT III EPISTOLA.pdf
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
 
Católicos
CatólicosCatólicos
Católicos
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
 
O que é o Dispensacionalismo!
O que é o Dispensacionalismo!O que é o Dispensacionalismo!
O que é o Dispensacionalismo!
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Teologia do Pacto
 
Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento Livro bibliologia novo testamento
Livro bibliologia novo testamento
 
TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
 TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016  TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
TODAS AS LIÇÕES DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016
 
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptxLIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
LIÇÃO 2 JOVENS AÇÃO DE GRAÇAS PELA IGREJA DE CORINTO .pptx
 
Encerramento do ano_da_fe-(web)
Encerramento do ano_da_fe-(web)Encerramento do ano_da_fe-(web)
Encerramento do ano_da_fe-(web)
 
Lição 07 artigo
Lição 07   artigoLição 07   artigo
Lição 07 artigo
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)
 
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptxSlide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
Slide Licao 3 - 2T - 2022 - BETEL.pptx
 

Mais de Márcio Pereira

Aula inicial 2019 vivendo em unidade
Aula inicial 2019   vivendo em unidadeAula inicial 2019   vivendo em unidade
Aula inicial 2019 vivendo em unidade
Márcio Pereira
 
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos CristãosCompromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
Márcio Pereira
 
Jonas o Profeta Desobediente
Jonas o Profeta DesobedienteJonas o Profeta Desobediente
Jonas o Profeta Desobediente
Márcio Pereira
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
Márcio Pereira
 
Aprendendo algumas lições com neemias
Aprendendo algumas lições com neemiasAprendendo algumas lições com neemias
Aprendendo algumas lições com neemias
Márcio Pereira
 
2 Dízimos e Ofertas
2 Dízimos e Ofertas 2 Dízimos e Ofertas
2 Dízimos e Ofertas
Márcio Pereira
 
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
Márcio Pereira
 
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
Márcio Pereira
 
Profeta Elias
Profeta EliasProfeta Elias
Profeta Elias
Márcio Pereira
 
Apostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de IsraelApostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de Israel
Márcio Pereira
 
Os 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons MinisteriaisOs 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons Ministeriais
Márcio Pereira
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Márcio Pereira
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida EspiritualEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
Márcio Pereira
 
Lição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons EspirituaisLição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons Espirituais
Márcio Pereira
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Deus é culpado?
Deus é culpado?Deus é culpado?
Deus é culpado?
Márcio Pereira
 
Lição 5 - Somos Templo
Lição 5 - Somos TemploLição 5 - Somos Templo
Lição 5 - Somos Templo
Márcio Pereira
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obrasEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
Márcio Pereira
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da IgrejaEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Márcio Pereira
 

Mais de Márcio Pereira (20)

Aula inicial 2019 vivendo em unidade
Aula inicial 2019   vivendo em unidadeAula inicial 2019   vivendo em unidade
Aula inicial 2019 vivendo em unidade
 
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos CristãosCompromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
Compromisso com Deus - Direitos e Deveres dos Cristãos
 
Jonas o Profeta Desobediente
Jonas o Profeta DesobedienteJonas o Profeta Desobediente
Jonas o Profeta Desobediente
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
 
Aprendendo algumas lições com neemias
Aprendendo algumas lições com neemiasAprendendo algumas lições com neemias
Aprendendo algumas lições com neemias
 
2 Dízimos e Ofertas
2 Dízimos e Ofertas 2 Dízimos e Ofertas
2 Dízimos e Ofertas
 
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
2 Coríntios-Capítulo 6- jugo desigual
 
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
2Co Capítulo 4 - Vasos de Barro
 
Profeta Elias
Profeta EliasProfeta Elias
Profeta Elias
 
Apostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de IsraelApostasia do reino de Israel
Apostasia do reino de Israel
 
Os 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons MinisteriaisOs 05 Dons Ministeriais
Os 05 Dons Ministeriais
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida EspiritualEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 16 - Vida Espiritual
 
Lição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons EspirituaisLição 12 - Dons Espirituais
Lição 12 - Dons Espirituais
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
 
Deus é culpado?
Deus é culpado?Deus é culpado?
Deus é culpado?
 
Lição 5 - Somos Templo
Lição 5 - Somos TemploLição 5 - Somos Templo
Lição 5 - Somos Templo
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obrasEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 4 - O fundamento e as obras
 
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da IgrejaEstudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
Estudo Epístola 1 Coríntios – Lição 1 - A Importância da Unidade da Igreja
 

Último

DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (18)

DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

2a. Coríntios Capítulo 3 - Ministério da Graça.

  • 4. Recapitulando 18/05/2015 4 PROPÓSITO: Paulo escreveu esta epístola a três classes de pessoas em Corinto. (1) Primeiro, escreveu para encorajar a maioria da igreja que lhe era fiel, como seu pai espiritual. (2) Escreveu para contestar e desmascarar os falsos apóstolos que continuavam a difamá-lo, para enfraquecer sua autoridade, o seu apostolado e distorcer a sua mensagem. (3) Escreveu, também, para repreender a minoria na igreja influenciada por seus oponentes e que não acatavam a sua autoridade e correção. 2 Coríntios visou a preparar a igreja como um todo, para sua visita iminente. 2Co 7:16 2Co 1:12-15, 2Co 13:1-7 2Co 12:19-20
  • 5. 18/05/2015 5 2Co 2:13A carta foi escrita na Macedônia. 1Co 4:17Enviou Timóteo para cuidar da Igreja. 2Co 2:12-13Tentou encontrar Tito para ter notícias da Igreja. 1Co 5:9Haviam outras cartas. 2Co 1:3-11O Cristão pode ficar abatido. 2Co 1:3 Paulo chama atenção da Igreja para 03 fatos:  Se Lembrar do que Deus é para Nós;  Deus permite a Tribulação para nossa melhora;  Lembrar do que Deus faz através de Nós. 2Co 1:8-11 2Co 1:12-14 Recapitulando – Cap. 1
  • 6. Recapitulando – Cap. 2 18/05/2015 6 Paulo se desculpa da carta anterior. 2Co 2:7Perdão para o pecador. 2Co 2:8Acolher o pecador. 2Co 2:9Obedientes para mudar a conduta. 2Co 2:10-11Para que o diabo não tenha vantagem. 2Co 2:1-4 2Co 7:10 Tristeza segundo Deus produz salvação e a tristeza do mundo gera a morte.
  • 7. Capítulo 3 2 Coríntios 3:1-11 18/05/2015 7 Havia um conhecimento da parte dos coríntios acerca de Paulo, que substituía qualquer documento comprobatório de seu apostolado.  Paulo fundou a igreja;  Começaram a se reunir nas casas;  Paulo envia obreiros para doutrinarem a igreja; At 18:1,8-11 At 18:7 A prova de sua aprovação apostólica era a própria existência da igreja coríntia (v.2). A maior e melhor recomendação que um servo de Cristo pode ter é a evidência do seu ministério no coração e na vida daqueles que foram por ele alcançados para o Senhor Jesus. Paulo justifica sua autorrecomendação (1,2) 1Co 4:17 At 18:5
  • 8. Capítulo 3 A confiança na Nova Aliança (4-11) 18/05/2015 8
  • 9. 18/05/2015 9 Após fazer a defesa de sua autorrecomendação perante os coríntios, Paulo faz uma comparação da lei escrita em tábuas de pedra, pelo próprio Deus, a compara à nova lei, o novo pacto, predito pelos profetas, que afirmaram que Deus a escreveria no coração do seu povo. Os dois pactos são provenientes de Deus, mas o segundo é superior, porque veio mediante a pessoa de Jesus Cristo, que consumou todas as coisas do Antigo Pacto, em um único ato sacrificial Capítulo 3 A confiança na Nova Aliança (4-11) Ex 31:18 Jr 31:31-34 Hb 7:27-28, 12:24
  • 10. 18/05/2015 10 Paulo mostra aos coríntios que o “velho pacto” tinha em seu conteúdo a sentença de morte sobre o moralmente culpado, por isso, a Antiga Aliança era da “letra”: gravado com letras em pedras A Nova Aliança é do “Espírito”, e ministrada por Ele (v.8), pois é um ministério da justiça (v.9), o qual vivifica (v.6) e é permanente (v.11). A Antiga Aliança era de condenação; a nova é de justiça e salvação (v.9). O Antigo Pacto veio por Moisés; o novo veio por Cristo. Capítulo 3 A distinção entre as duas Alianças (6-11)
  • 11. Vamos trabalhar!!!! 18/05/2015 11 • - Serão formados 3 Grupos na Classe; • - Cada Grupo terá um líder; • - Cada Grupo deverá relatar o que compreendeu em 2 Co 3:6 • - Cada Grupo deverá relatar sobre 2 Co 3:7 • - Apresentação para a Classe do que foi elaborado pelo Grupo;  OBS: Todos devem participar e compartilhar seu conhecimento.
  • 12. 18/05/2015 12 Por muito tempo, a má interpretação desse texto provocou receio quanto ao estudo secular e mesmo o teológico. Entretanto, como já ficou claro, tal passagem não se refere ao estudo, mas à aplicabilidade das sanções, sentenças e penalidades da lei mosaica que, contrastava-se com o Novo Concerto, o qual tem como propósito único vivificar e absolver. No seu contexto, esta linha de 2 Coríntios 3:6 expressa um contraste importante entre a impropriedade do sistema do Velho Testamento e a suficiência de Cristo para nos salvar do pecado. A "letra" representa o "ministério da morte, gravado com letras em pedras" que foi dado aos israelitas através de Moisés. O “Espírito” representa a nova aliança de Cristo, revelada através do Espírito Santo e escrita em nossos corações. Capítulo 3 A “letra” que mata (3-6)
  • 13. 13 A glória do Antigo Pacto era passageira porque trazia à tona a realidade do pecado, sua maldição e condenação. O Novo Pacto demonstrou outra característica da glória de Deus, o seu poder misericordioso para salvar e dar vida. A glória do Primeiro Concerto revelou o ministério da morte, porque condenava e amaldiçoava todo aquele que não cumpria a lei, mas a glória do Segundo Concerto revelou o ministério da vida e da graça de Deus. Por isso, a glória do evangelho é superior à da lei. Quando Paulo usa a figura da glória resplandecente da face de Moisés, ele reforça o fato de que tal glória teve que ser coberta com véu e que se desvaneceu com o tempo, portanto, era transitória. Porém, a glória da Nova Aliança manifestou-se descoberta, sem véu, porque Cristo a revelou no Calvário. Trata-se da liberdade que temos mediante a obra expiatória de Cristo. Capítulo 3 A Glória da Nova Aliança (7-18)
  • 14. Conclusão Veja que a velha aliança foi um código de leis escritos em tábuas de pedra, fora de nós. A nova aliança é a própria Palavra de Deus escrita em nossos corações; ou seja, dentro de nós. A velha aliança gravada com letras em pedra é chamada por Paulo de ministério de morte. Isso porque a lei revela o pecado, mas não a tira. A lei condena, mas não absolve. O ministério do Espírito - a nova aliança, sob a qual os pecados são perdoados para nunca mais serem lembrados; é um ministério que traz vida, porque na nova aliança o pecador é substituído por Cristo, e em Cristo, ele recebe o perdão dos seus pecados. Cristo morreu a nossa morte, para vivermos a sua vida. O ministério do Espírito é aplicar em nós os benefícios da redenção de Cristo.
  • 15. DICIONÁRIO 18/05/2015 15 Carta de Recomendação: Era hábito dos judeus que viajavam com frequência, levarem cartas de recomendação para que, assim, ao chegar a lugares onde não eram conhecidos, pudessem ser hospedados durante o período em que ali estivessem. Imagine o fundador da igreja, conhecido de todos, ter de cumprir a exigência de ser portador de “cartas de recomendação”, apenas para satisfazer o espírito opositor que dominava alguns judeus-cristãos, que estavam com dúvidas acerca da autenticidade do seu apostolado! Algo injustificável. Antiga Aliança, ou Antigo Concerto é a Lei de Moisés. Já sabemos que a Lei governou o relacionamento entre os israelitas e o Senhor até a vinda de nosso Salvador Jesus Cristo. Paulo nos ensina que a Lei nunca foi um caminho para a salvação, pois Deus já havia predito um novo Concerto com Israel. Somente o Novo Concerto é capaz de oferecer perdão e um novo coração. O Novo Concerto não estaria registrado em pedras, mas gravado nos corações de judeus e gentios.
  • 16. 18/05/2015 16 Bibliografia Bíblia Português, Bíblia de Estudo Pentecostal, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 1995. Site Estudantes da Bíblia - , acessado em 09/05/2015 http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2010/2010_01_ 04.htm Site Sombra do Onipotente, acessado em 16/05/2015 http://sombradoonipotente.blogspot.com.br/2012/05/o-brilho-no- rosto-de-moises.html
  • 17. OBRIGADO : : Márcio José Pereira : : Ebenézer “Até aqui nos ajudou o Senhor. João 13:17- Se sabeis estas coisas, bem- aventurados sois se as fizerdes. DEUS ABENÇOE MUITO VOCÊS!! TAMU JUNTU!!!! 18/05/2015 17

Notas do Editor

  1. TER CORAÇÃO DE ADORADOR – LOUVAR A DEUS É TÃO TRANSFORMADOR QUANTO ORAR.
  2. Deus sabe separar o pecado do pecador, não.
  3. O QUE’SERIA ESSA CARTA DE RECOMENDAÇÃO? A recomendação requerida (3.1). Era hábito dos judeus que viajavam com frequência, levarem cartas de recomendação para que, assim, ao chegar a lugares onde não eram conhecidos, pudessem ser hospedados durante o período em que ali estivessem. Imagine o fundador da igreja, conhecido de todos, ter de cumprir a exigência de ser portador de “cartas de recomendação”, apenas para satisfazer o espírito opositor que dominava alguns judeus-cristãos, que estavam com dúvidas acerca da autenticidade do seu apostolado! Algo injustificável. Como conseguem falar mal do Pastor?
  4. Antiga Aliança, ou Antigo Concerto é a Lei de Moisés. Já sabemos que a Lei governou o relacionamento entre os israelitas e o Senhor até a vinda de nosso Salvador Jesus Cristo. Paulo nos ensina que a Lei nunca foi um caminho para a salvação, pois Deus já havia predito um novo Concerto com Israel. Somente o Novo Concerto é capaz de oferecer perdão e um novo coração. O Novo Concerto não estaria registrado em pedras, mas gravado nos corações de judeus e gentios. Salmos 32:1-5 Bem-Aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Selá. Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. Selá. Davi estava completamente ciente da natureza do dom gratuito de Deus da salvação, e Paulo deixa isso claro para nós quando ele descreve o conhecimento que Davi tinha a este respeito: Romanos 4:6-8 Hebreus 11:13 Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Esses crentes da antiguidade certamente sabiam que suas boas obras não poderia salvá-los Era como se os santos do Antigo Testamento tivessem suas contas "penduradas" no armazém para serem pagas algum dia. Só que eles não sabiam como essas contas ou cédulas seriam pagas, mas precisavam crer que Deus daria um jeito, caso contrário estariam confiando em sua própria capacidade, o que não é fé. Então veio Cristo e riscou a cédula ou a conta dos pecados. Heb 9:15 E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna.
  5. Jeremias 31:31-34 Ler novamente 6-11
  6. Moisés quando desceu do monte, Arão e o resto do povo estavam fazendo uma festa para adorar o bezerro de ouro e ele espatifou as tábuas da lei no chão. Ex 32:21-24 – Desculpa – primeira vez Moisés subiu ao Monte Sinai para falar com Deus e ficou quarenta dias e quarenta noites, sem comer e sem beber, foi quando ele recebeu do Senhor os dez mandamentos. Isso da segunda vez, porque Deus teve que escrever tudo de novo, Tempo com Deus: 34:2, Intimidade: 34:3 Nova oportunidade: 34:4 Humilhação - Temor: 34:8 Pede perdão – 34:9 – Paralelo Pai nosso. Único Deus: 34:14 Julgo desigual: 34:15 Tempo com Deus: 34:28 Brilho da presença de Deus: 34:29-30 O brilho de Deus em sua vida é visto por todos, ainda que você mesmo (tal como Moisés) não saiba que seu rosto brilha e é este brilho e o seu testemunho que atraem as pessoas para Jesus. Existem dois tipos de cristãos: os que deixam a luz de Jesus refletir em sua vida (espelhos) e os que não deixam a luz passar em suas vidas (buraco negro).
  7. A Graça não apenas tira o homem do inferno, mas tira o inferno do homem.