SlideShare uma empresa Scribd logo
O que é o Dispensacionalismo? O
Dispensacionalismo é Bíblico?
Resposta: O Dispensacionalismo é um sistema teológico que
apresenta duas distinções básicas: (1) Uma interpretação
consistentemente literal das Escrituras, em particular da profecia
bíblica. (2) A distinção entre Israel e a Igreja no programa de
Deus.
(1) Os Dispensacionalistas afirmam que seu princípio
hermenêutico é o da interpretação literal. “Interpretação Literal”
significa dar a cada palavra o significado que corriqueiramente
teria no uso cotidiano. Símbolos e figuras de linguagem, neste
método, são todos interpretados de forma simples e óbvia, e de
forma alguma se opõem à interpretação literal. Mesmo os
simbolismos e falas figurativas possuem em sua base significados
literais.
Há pelo menos três razões para ser esta a melhor maneira de ver
as Escrituras. Primeiro, filosoficamente, o propósito da
linguagem parece exigir que nós a interpretemos literalmente. A
linguagem foi dada por Deus para o propósito da capacidade de
comunicação com o homem. A segunda razão é bíblica. Toda a
profecia sobre Jesus Cristo no Velho Testamento foi literalmente
cumprida. O nascimento, ministério, morte e ressurreição de
Jesus ocorreram todos exatamente e literalmente como preditos
pelo Velho Testamento. Não há nenhum cumprimento não literal
destas profecias no Novo Testamento. Isto fortemente aponta
para o método literal. Se a interpretação literal não for usada no
estudo das Escrituras, não haverá um padrão objetivo pelo qual
se possa compreender a Bíblia. Cada pessoa seria capaz de
interpretar a Bíblia do jeito que quisesse. A interpretação bíblica
se degeneraria em “o que essa passagem me diz...” ao invés de
“a Bíblia diz...” Infelizmente, este já é um caso comum em muito
do que chamam de interpretação bíblica nos dias de hoje.
(2) A Teologia Dispensacionalista acredita que há dois povos
distintos de Deus: Israel e a Igreja. Os Dispensacionalistas
acreditam que a salvação foi sempre pela fé (Em Deus no Velho
Testamento; especificamente em Deus o Filho no Novo
Testamento). Os Dispensacionalistas afirmam que a Igreja não
substituiu Israel no programa de Deus e que as promessas do
Velho Testamento a Israel não foram transferidas para a Igreja.
Eles crêem que as promessas que Deus fez a Israel (por terra,
muitos descendentes e bênçãos) no Velho Testamento serão
cumpridas no período de 1000 anos de que fala Apocalipse 20.
Eles crêem que da mesma forma que Deus concentra sua
atenção na igreja nesta era, Ele novamente, no futuro,
concentrará Sua atenção em Israel (Romanos 9-11).
Usando como base este sistema, os Dispensacionalistas
entendem que a Bíblia seja organizada em sete dispensações:
Inocência (Gênesis 1:1- 3-7), Consciência (Gênesis 3:8- 8:22),
Governo Humano (Gênesis 9:1 – 11:32), Promessa (Gênesis 12:1
– Êxodo 19:25), Lei (Êxodo 20:1 – Atos 2:4), Graça (Atos 2:4 –
Apocalipse 20:3) e o Reino Milenar (Apocalipse 20:4 – 20:6). Mais
uma vez, estas dispensações não são caminhos para a salvação,
mas maneiras pelas quais Deus interage com o homem. O
Dispensacionalismo, como um sistema, resulta em uma
interpretação pré-milenar da Segunda Vinda de Cristo, e
geralmente uma interpretação pré-tribulacional do
Arrebatamento.
Dispensação da Graça. No decurso deste período (que inclui o
presente), a responsabilidade do homem é aceitar o dom da
justiça de Deus. Essa era terminará com o homem rejeitando o
dom gracioso de Deus, rejeição essa que leva à tribulação. A
dispensação da graça está descrita de Atos 2.1 a Apocalipse
19.21. Como dispensação, a graça começa com a morte e
ressurreição de Cristo (Romanos 3.24-26; 4.24,25). O ponto de
prova já não é a obediência legal como à condição de salvação,
mas aceitar ou rejeitar a Cristo, tendo as boas obras como fruto
da salvação. Duração 1900 anos. Limitação: desde a descida do
Espírito Santo a descida de Cristo (2ª volta).
DISPENSAÇÃO DA GRAÇA
A dispensação da Lei fracassou porque o homem foi muito débil
para guardar todas as leis justas de Deus.
A Palavra diz que era possível obedecer todas as leis, pois Cristo
fez o que nenhum outro conseguiu fazer. Mesmo que fosse
possível, parece que Deus não esperava que alguém as
obedecesse, exceto Seu Filho porque em Gálatas 3.24 diz que a
lei tinha como propósito, convencer ou ensinar ao homem sua
necessidade de um Salvador como Jesus Cristo. Ao começar essa
dispensação da Graça, podemos dizer que, ”A lei foi boa, porém
a Graça é melhor".
I. A sexta dispensação se chama Da. “GRAÇA" porque foi o
principio do
“favor imerecido de Deus ao homem".
A. Começou na Cruz do Calvário.
B. Terminará com a vinda de Cristo em glória. O anticristo será
destruído e terá inicio o reino de Cristo.
C. Duração: Neste ano (2013) a Dispensação da Graça tem
mais ou menos 1983 anos.
II. CIRCUNSTÂNCIAS FAVORAVEIS.
A. O próprio Cristo começou esta dispensação. Ele foi à voz de
Deus ao homem (Hebreus 1.1-3).
B. Ele logrou a obra da redenção que Deus lhe havia
encarregado (João 17.1-5)
C. Ele destruiu todas as obras do Diabo ao fazer obras maiores
sobre o poder do diabo.
D. Ele trouxe a liberdade pelo Evangelho
E. Ele estabeleceu uma igreja e a revestiu com poder para
continuar a obra que Ele começou. Mateus 8.17; l8. l8;
João 14.16; Atos 1.1-2; 2.1-4.
F. Com uma igreja vitoriosa, todo o mundo pode ouvir,
atreves dela, e obter ou ao menos buscar o evangelho.
Assim que Deus tornou mais fácil, para esta geração, o
fazer sua vontade. Porém o homem, como nas
dispensações anteriores está fracassando ao não aproveitar
a gloriosa oportunidade de ser redimido, nascido de novo,
recreado em Cristo, onde ele pode ter a vitória completa
sobre a carne, o mundo, e o diabo, e onde ele pode ter a
retidão que a lei requer, cumpridos nele por meio do
Espírito Santo (Romanos 8.1-13; João 3.5; Tito 3.5).
III. A PROVA
A prova desta dispensação é a mesma da dispensação da
Promessa.
1. Separação do mundo pecaminoso.
2. Uma fé em Jesus Cristo que opera obediência a
Ele (Romanos 1.5; 16.26; Mateus 38.19; Marcos
16.15-18; Atos 1.8; Hebreus. 11.6).
A Salvação é para todos, porem ele abençoará unicamente aos
que crêem e recebam a Cristo como um Salvador pessoas.
(Marcos 16.15-17; João 1.12; Atos. 2.38-39; Romanos 10.10).
IV. O PROPOSISTO DESTA DISPENSAÇÃO
O propósito desta dispensação não é a conversão do todo o
mundo como alguns crêen (porque nem todos crerão), porém
o ”chamar" de fora ou tomar deles a um povo para Seu nome
(Atos 15.13-18). A palavra grega "eklesia" traduzida
“igreja" realmente quer dizer” assembléia “ou” congregação “do
povo chamado de fora. A maioria do povo ou massas, não será
salva durante esta dispensação. Apocalipses 9.20-21; 16.9,11.
Porque a humanidade entrará numa apostasia e em pecado no
fim do século, como nunca se viu antes na historia do mundo. (II
Tessalonicenses 2. l0-12; Mateus 24.15-26; Apocalipses 13.l-8,
l0).
O meio de alcançar este propósito será a pregação do
evangelho, ”que é poder de Deus para salvação de todo aquele
que crer...”.
Na dispensação da Inocência, o homem tinha que obedecer ao
mandamento de Deus; na da Consciência ele tinha que obedecer
às determinações de sua própria consciência, o oferecer
sacrifícios com fé no Salvador vindouro; na da Promessa ele tinha
que aceitar as promessas de Deus por fé e também oferecer
sacrifícios com a fé colocada no Salvador vindouro; y na da Lei ele
tinha que obedecer a lei que incluía oferecer sacrifícios com fé no
Salvador vindouro; porém na dispensação da Graça tem que
crer e receber ao próprio Salvador que já veio apenas isso.
V. O FRACASSO
A. O primeiro fracasso foi à rejeição de Jesus pelos Judeus.
Tiveram uma gloriosa oportunidade depois do Calvário,
mas também a recusaram (Atos 3.19-26).
B. A apostasia da igreja visível (II Timóteo 3.1-8).
I. O JUÍZO OU CASTIGO.
O fim desta dispensação será o juízo de Deus sobre todos os
incrédulos e nações durante a Grande Tribulação e o reino do
anticristo.
A segunda vinda de Cristo a terra com Seus santos concluirá o
período da Grande Tribulação e dará começo à dispensação do
Reino ou do Milênio.
A Dispensação da Graça se caracteriza por duas coisas
importantes: A manifestação do Espírito Santo, e o inicio do
ministério da IGREJA.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Éder Tomé
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Márcio Martins
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Francelia Carvalho Oliveira
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
Márcio Martins
 
Lição 12 - O Mundo Vindouro
Lição 12 - O Mundo VindouroLição 12 - O Mundo Vindouro
Lição 12 - O Mundo Vindouro
Éder Tomé
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
Respirando Deus
 
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃOLIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Lição 12 - Perseverando na Fé
Lição 12 - Perseverando na FéLição 12 - Perseverando na Fé
Lição 12 - Perseverando na Fé
Éder Tomé
 
A Grande Tribulação
A Grande TribulaçãoA Grande Tribulação
A Grande Tribulação
Márcio Martins
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A Conversão
Jonathan Anderson
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
RODRIGO FERREIRA
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Suny Geentilal
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
Pedro no Piel
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
Márcio Martins
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
ADMILTON SOARES
 
Pecado
PecadoPecado
Pecado
UEPB
 
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
O Chamado de Deus
O Chamado de DeusO Chamado de Deus
O Chamado de Deus
Fabiano EducarCristão
 

Mais procurados (20)

Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
 
Lição 12 - O Mundo Vindouro
Lição 12 - O Mundo VindouroLição 12 - O Mundo Vindouro
Lição 12 - O Mundo Vindouro
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
 
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃOLIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
LIÇÃO 08 - A GRANDE TRIBULAÇÃO
 
Lição 12 - Perseverando na Fé
Lição 12 - Perseverando na FéLição 12 - Perseverando na Fé
Lição 12 - Perseverando na Fé
 
A Grande Tribulação
A Grande TribulaçãoA Grande Tribulação
A Grande Tribulação
 
A Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A ConversãoA Doutrina da Salvação - A Conversão
A Doutrina da Salvação - A Conversão
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
 
Pecado
PecadoPecado
Pecado
 
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
EBD CPAD lições bíblicas 1°trimestre 2016 lição 1 Escatologia , o estudo das ...
 
O Chamado de Deus
O Chamado de DeusO Chamado de Deus
O Chamado de Deus
 

Destaque

Ressurreição parte 2
Ressurreição parte 2Ressurreição parte 2
Ressurreição parte 2
Jose Costa
 
Recriação_Resumo_Lição_1312013
Recriação_Resumo_Lição_1312013Recriação_Resumo_Lição_1312013
Recriação_Resumo_Lição_1312013
Gerson G. Ramos
 
Ressurreição parte 1
Ressurreição parte 1Ressurreição parte 1
Ressurreição parte 1
Jose Costa
 
As Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
As Evidências da Ressurreição de Jesus CristoAs Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
As Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
icfbrooklin
 
10 a restituição da filiação divina
10 a restituição da filiação divina10 a restituição da filiação divina
10 a restituição da filiação divina
Josenilton Pinheiro Pinheiro
 
Jovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - VocaçãoJovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - Vocação
uriank
 
Sistemas de águas interiores
Sistemas de águas interioresSistemas de águas interiores
Sistemas de águas interiores
🔵Dalvania Pinho Domingues
 
Pastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocaçãoPastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocação
ETENAC - Escola Teológica Nova Aliança em Cristo
 
Semana didatica livre arbitrio vs predestinação
Semana didatica livre arbitrio vs predestinaçãoSemana didatica livre arbitrio vs predestinação
Semana didatica livre arbitrio vs predestinação
Tomás Camba
 
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
Janaina Alves
 
A criação dos céus e da terra
A criação dos céus e da terraA criação dos céus e da terra
A criação dos céus e da terra
Ailton da Silva
 
Ressurreição
RessurreiçãoRessurreição
Ressurreição
Dókimos Aprovado
 
Disciplina na igreja
Disciplina na igrejaDisciplina na igreja
Lição 13 A Ressurreição de Cristo
Lição 13   A Ressurreição de CristoLição 13   A Ressurreição de Cristo
Lição 13 A Ressurreição de Cristo
Wander Sousa
 
Régua Cronológica de Eventos Escatológicos
Régua Cronológica de Eventos EscatológicosRégua Cronológica de Eventos Escatológicos
Régua Cronológica de Eventos Escatológicos
Carlos Almeida
 
O mistério das dispensações
O mistério das dispensaçõesO mistério das dispensações
O mistério das dispensações
Regiana Batista
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Robson Rocha
 
A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
Adenísio dos Reis
 
02 A Dispensacao Inocencia
02 A Dispensacao Inocencia02 A Dispensacao Inocencia
02 A Dispensacao Inocencia
bxxp
 
As Dispensações Bíblicas
As Dispensações BíblicasAs Dispensações Bíblicas
As Dispensações Bíblicas
portaltestemunho
 

Destaque (20)

Ressurreição parte 2
Ressurreição parte 2Ressurreição parte 2
Ressurreição parte 2
 
Recriação_Resumo_Lição_1312013
Recriação_Resumo_Lição_1312013Recriação_Resumo_Lição_1312013
Recriação_Resumo_Lição_1312013
 
Ressurreição parte 1
Ressurreição parte 1Ressurreição parte 1
Ressurreição parte 1
 
As Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
As Evidências da Ressurreição de Jesus CristoAs Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
As Evidências da Ressurreição de Jesus Cristo
 
10 a restituição da filiação divina
10 a restituição da filiação divina10 a restituição da filiação divina
10 a restituição da filiação divina
 
Jovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - VocaçãoJovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - Vocação
 
Sistemas de águas interiores
Sistemas de águas interioresSistemas de águas interiores
Sistemas de águas interiores
 
Pastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocaçãoPastorado, profissão ou vocação
Pastorado, profissão ou vocação
 
Semana didatica livre arbitrio vs predestinação
Semana didatica livre arbitrio vs predestinaçãoSemana didatica livre arbitrio vs predestinação
Semana didatica livre arbitrio vs predestinação
 
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
Apresentação - O Conceito de Bioma Deve Ser Modificado - Economia da Natureza...
 
A criação dos céus e da terra
A criação dos céus e da terraA criação dos céus e da terra
A criação dos céus e da terra
 
Ressurreição
RessurreiçãoRessurreição
Ressurreição
 
Disciplina na igreja
Disciplina na igrejaDisciplina na igreja
Disciplina na igreja
 
Lição 13 A Ressurreição de Cristo
Lição 13   A Ressurreição de CristoLição 13   A Ressurreição de Cristo
Lição 13 A Ressurreição de Cristo
 
Régua Cronológica de Eventos Escatológicos
Régua Cronológica de Eventos EscatológicosRégua Cronológica de Eventos Escatológicos
Régua Cronológica de Eventos Escatológicos
 
O mistério das dispensações
O mistério das dispensaçõesO mistério das dispensações
O mistério das dispensações
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
 
02 A Dispensacao Inocencia
02 A Dispensacao Inocencia02 A Dispensacao Inocencia
02 A Dispensacao Inocencia
 
As Dispensações Bíblicas
As Dispensações BíblicasAs Dispensações Bíblicas
As Dispensações Bíblicas
 

Semelhante a O que é o Dispensacionalismo!

Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptxEstudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
JoseAugustoDomingos
 
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Aula de gálatas e romanos   04-05-2015Aula de gálatas e romanos   04-05-2015
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Francilene Santos
 
Apostila do novo testamento
Apostila do novo testamentoApostila do novo testamento
Apostila do novo testamento
HALAINDELON PEREIRA
 
Dispensações
DispensaçõesDispensações
Dispensações
Edison Junior
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
Vandeir Monteiro Mendes
 
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
MiltonCesarAquino
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
Filipi Rosálio da Silva
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
Filipi Rosálio da Silva
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
Filipi Rosálio da Silva
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
Cristobal Avalos Rojas
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
Cristobal Avalos Rojas
 
Escatologia bíblica
Escatologia bíblicaEscatologia bíblica
Escatologia bíblica
Marcos Kinho
 
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Claudio Marcio
 
Estudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminsterEstudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminster
Eli Vieira
 
Apostila de Evangelismo das igrejas.docx
Apostila de Evangelismo das igrejas.docxApostila de Evangelismo das igrejas.docx
Apostila de Evangelismo das igrejas.docx
FernandaGomes457249
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Quenia Damata
 
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da IgrejaLição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Éder Tomé
 
2016 3 tri lição 12 profecias de salvação e esperança
2016 3 tri lição 12   profecias de salvação e esperança2016 3 tri lição 12   profecias de salvação e esperança
2016 3 tri lição 12 profecias de salvação e esperança
boasnovassena
 

Semelhante a O que é o Dispensacionalismo! (20)

Teologia do Pacto
Teologia do PactoTeologia do Pacto
Teologia do Pacto
 
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptxEstudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
Estudos Escatológicos - Seminário Escatológico- Modulo '1.pptx
 
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Aula de gálatas e romanos   04-05-2015Aula de gálatas e romanos   04-05-2015
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
 
Apostila do novo testamento
Apostila do novo testamentoApostila do novo testamento
Apostila do novo testamento
 
Dispensações
DispensaçõesDispensações
Dispensações
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
 
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
A DOUTRINA DA CRIAÇÃO.A Constatação de um princípio claramente definido, tant...
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
 
Filipi mensagem
Filipi   mensagemFilipi   mensagem
Filipi mensagem
 
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME III - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao) (1)
 
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
O reino de deus na pregação de jesus (correcao)
 
Escatologia bíblica
Escatologia bíblicaEscatologia bíblica
Escatologia bíblica
 
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
 
Estudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminsterEstudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminster
 
Apostila de Evangelismo das igrejas.docx
Apostila de Evangelismo das igrejas.docxApostila de Evangelismo das igrejas.docx
Apostila de Evangelismo das igrejas.docx
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da IgrejaLição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
 
2016 3 tri lição 12 profecias de salvação e esperança
2016 3 tri lição 12   profecias de salvação e esperança2016 3 tri lição 12   profecias de salvação e esperança
2016 3 tri lição 12 profecias de salvação e esperança
 

Mais de Jorge Henrique R de Araujo

Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
Jorge Henrique R de Araujo
 
A nossa incredulidade!
A nossa incredulidade!A nossa incredulidade!
A nossa incredulidade!
Jorge Henrique R de Araujo
 
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor 1 samuel 1
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor   1 samuel 1Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor   1 samuel 1
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor 1 samuel 1
Jorge Henrique R de Araujo
 
Vença o sofrimento com Jesus!
Vença o sofrimento com Jesus!Vença o sofrimento com Jesus!
Vença o sofrimento com Jesus!
Jorge Henrique R de Araujo
 
O Falso Profeta Hananias!
O Falso Profeta Hananias!O Falso Profeta Hananias!
O Falso Profeta Hananias!
Jorge Henrique R de Araujo
 
As Bodas do cordeiro!
As Bodas do cordeiro!As Bodas do cordeiro!
As Bodas do cordeiro!
Jorge Henrique R de Araujo
 
Amós 5
Amós 5Amós 5
Adoração
AdoraçãoAdoração
A Unidade de Cristo!
A Unidade de Cristo!A Unidade de Cristo!
A Unidade de Cristo!
Jorge Henrique R de Araujo
 
A onde esta o meu coração
A onde esta o meu coraçãoA onde esta o meu coração
A onde esta o meu coração
Jorge Henrique R de Araujo
 
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
Jorge Henrique R de Araujo
 
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
Jorge Henrique R de Araujo
 
A Cura junto ao tanque de Betesda
A Cura junto ao tanque de BetesdaA Cura junto ao tanque de Betesda
A Cura junto ao tanque de Betesda
Jorge Henrique R de Araujo
 
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
Jorge Henrique R de Araujo
 
Falsas Igrejas!
Falsas Igrejas! Falsas Igrejas!
Falsas Igrejas!
Jorge Henrique R de Araujo
 
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
Jorge Henrique R de Araujo
 
Nicolau Maquiavel
Nicolau MaquiavelNicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel
Jorge Henrique R de Araujo
 
Max weber
Max weberMax weber
Sementes!
Sementes!Sementes!
Cazuza já afirmava
Cazuza já afirmavaCazuza já afirmava
Cazuza já afirmava
Jorge Henrique R de Araujo
 

Mais de Jorge Henrique R de Araujo (20)

Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
Devemos contribuir na obra e no reino de deus com excelência(1)
 
A nossa incredulidade!
A nossa incredulidade!A nossa incredulidade!
A nossa incredulidade!
 
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor 1 samuel 1
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor   1 samuel 1Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor   1 samuel 1
Suportando as palavras negativas para alcançar as bênçãos do senhor 1 samuel 1
 
Vença o sofrimento com Jesus!
Vença o sofrimento com Jesus!Vença o sofrimento com Jesus!
Vença o sofrimento com Jesus!
 
O Falso Profeta Hananias!
O Falso Profeta Hananias!O Falso Profeta Hananias!
O Falso Profeta Hananias!
 
As Bodas do cordeiro!
As Bodas do cordeiro!As Bodas do cordeiro!
As Bodas do cordeiro!
 
Amós 5
Amós 5Amós 5
Amós 5
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
A Unidade de Cristo!
A Unidade de Cristo!A Unidade de Cristo!
A Unidade de Cristo!
 
A onde esta o meu coração
A onde esta o meu coraçãoA onde esta o meu coração
A onde esta o meu coração
 
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
A glória de Cristo e a firmeza das Escrituras!
 
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
A Desobediência dos filhos de Deus 1 samuel 2. 12.36 (3)
 
A Cura junto ao tanque de Betesda
A Cura junto ao tanque de BetesdaA Cura junto ao tanque de Betesda
A Cura junto ao tanque de Betesda
 
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
Mostrar a situação real do pecador diante de Deus!
 
Falsas Igrejas!
Falsas Igrejas! Falsas Igrejas!
Falsas Igrejas!
 
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
Revendo nossos conceitos sobre Discipulado!
 
Nicolau Maquiavel
Nicolau MaquiavelNicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel
 
Max weber
Max weberMax weber
Max weber
 
Sementes!
Sementes!Sementes!
Sementes!
 
Cazuza já afirmava
Cazuza já afirmavaCazuza já afirmava
Cazuza já afirmava
 

Último

1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 

Último (20)

1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 

O que é o Dispensacionalismo!

  • 1. O que é o Dispensacionalismo? O Dispensacionalismo é Bíblico? Resposta: O Dispensacionalismo é um sistema teológico que apresenta duas distinções básicas: (1) Uma interpretação consistentemente literal das Escrituras, em particular da profecia bíblica. (2) A distinção entre Israel e a Igreja no programa de Deus. (1) Os Dispensacionalistas afirmam que seu princípio hermenêutico é o da interpretação literal. “Interpretação Literal” significa dar a cada palavra o significado que corriqueiramente teria no uso cotidiano. Símbolos e figuras de linguagem, neste método, são todos interpretados de forma simples e óbvia, e de forma alguma se opõem à interpretação literal. Mesmo os simbolismos e falas figurativas possuem em sua base significados literais. Há pelo menos três razões para ser esta a melhor maneira de ver as Escrituras. Primeiro, filosoficamente, o propósito da linguagem parece exigir que nós a interpretemos literalmente. A linguagem foi dada por Deus para o propósito da capacidade de comunicação com o homem. A segunda razão é bíblica. Toda a profecia sobre Jesus Cristo no Velho Testamento foi literalmente cumprida. O nascimento, ministério, morte e ressurreição de Jesus ocorreram todos exatamente e literalmente como preditos pelo Velho Testamento. Não há nenhum cumprimento não literal destas profecias no Novo Testamento. Isto fortemente aponta
  • 2. para o método literal. Se a interpretação literal não for usada no estudo das Escrituras, não haverá um padrão objetivo pelo qual se possa compreender a Bíblia. Cada pessoa seria capaz de interpretar a Bíblia do jeito que quisesse. A interpretação bíblica se degeneraria em “o que essa passagem me diz...” ao invés de “a Bíblia diz...” Infelizmente, este já é um caso comum em muito do que chamam de interpretação bíblica nos dias de hoje. (2) A Teologia Dispensacionalista acredita que há dois povos distintos de Deus: Israel e a Igreja. Os Dispensacionalistas acreditam que a salvação foi sempre pela fé (Em Deus no Velho Testamento; especificamente em Deus o Filho no Novo Testamento). Os Dispensacionalistas afirmam que a Igreja não substituiu Israel no programa de Deus e que as promessas do Velho Testamento a Israel não foram transferidas para a Igreja. Eles crêem que as promessas que Deus fez a Israel (por terra, muitos descendentes e bênçãos) no Velho Testamento serão cumpridas no período de 1000 anos de que fala Apocalipse 20. Eles crêem que da mesma forma que Deus concentra sua atenção na igreja nesta era, Ele novamente, no futuro, concentrará Sua atenção em Israel (Romanos 9-11). Usando como base este sistema, os Dispensacionalistas entendem que a Bíblia seja organizada em sete dispensações: Inocência (Gênesis 1:1- 3-7), Consciência (Gênesis 3:8- 8:22), Governo Humano (Gênesis 9:1 – 11:32), Promessa (Gênesis 12:1 – Êxodo 19:25), Lei (Êxodo 20:1 – Atos 2:4), Graça (Atos 2:4 – Apocalipse 20:3) e o Reino Milenar (Apocalipse 20:4 – 20:6). Mais uma vez, estas dispensações não são caminhos para a salvação, mas maneiras pelas quais Deus interage com o homem. O Dispensacionalismo, como um sistema, resulta em uma
  • 3. interpretação pré-milenar da Segunda Vinda de Cristo, e geralmente uma interpretação pré-tribulacional do Arrebatamento. Dispensação da Graça. No decurso deste período (que inclui o presente), a responsabilidade do homem é aceitar o dom da justiça de Deus. Essa era terminará com o homem rejeitando o dom gracioso de Deus, rejeição essa que leva à tribulação. A dispensação da graça está descrita de Atos 2.1 a Apocalipse 19.21. Como dispensação, a graça começa com a morte e ressurreição de Cristo (Romanos 3.24-26; 4.24,25). O ponto de prova já não é a obediência legal como à condição de salvação, mas aceitar ou rejeitar a Cristo, tendo as boas obras como fruto da salvação. Duração 1900 anos. Limitação: desde a descida do Espírito Santo a descida de Cristo (2ª volta). DISPENSAÇÃO DA GRAÇA A dispensação da Lei fracassou porque o homem foi muito débil para guardar todas as leis justas de Deus. A Palavra diz que era possível obedecer todas as leis, pois Cristo fez o que nenhum outro conseguiu fazer. Mesmo que fosse possível, parece que Deus não esperava que alguém as obedecesse, exceto Seu Filho porque em Gálatas 3.24 diz que a lei tinha como propósito, convencer ou ensinar ao homem sua necessidade de um Salvador como Jesus Cristo. Ao começar essa dispensação da Graça, podemos dizer que, ”A lei foi boa, porém a Graça é melhor". I. A sexta dispensação se chama Da. “GRAÇA" porque foi o principio do
  • 4. “favor imerecido de Deus ao homem". A. Começou na Cruz do Calvário. B. Terminará com a vinda de Cristo em glória. O anticristo será destruído e terá inicio o reino de Cristo. C. Duração: Neste ano (2013) a Dispensação da Graça tem mais ou menos 1983 anos. II. CIRCUNSTÂNCIAS FAVORAVEIS. A. O próprio Cristo começou esta dispensação. Ele foi à voz de Deus ao homem (Hebreus 1.1-3). B. Ele logrou a obra da redenção que Deus lhe havia encarregado (João 17.1-5) C. Ele destruiu todas as obras do Diabo ao fazer obras maiores sobre o poder do diabo. D. Ele trouxe a liberdade pelo Evangelho E. Ele estabeleceu uma igreja e a revestiu com poder para continuar a obra que Ele começou. Mateus 8.17; l8. l8; João 14.16; Atos 1.1-2; 2.1-4. F. Com uma igreja vitoriosa, todo o mundo pode ouvir, atreves dela, e obter ou ao menos buscar o evangelho. Assim que Deus tornou mais fácil, para esta geração, o fazer sua vontade. Porém o homem, como nas dispensações anteriores está fracassando ao não aproveitar a gloriosa oportunidade de ser redimido, nascido de novo, recreado em Cristo, onde ele pode ter a vitória completa sobre a carne, o mundo, e o diabo, e onde ele pode ter a
  • 5. retidão que a lei requer, cumpridos nele por meio do Espírito Santo (Romanos 8.1-13; João 3.5; Tito 3.5). III. A PROVA A prova desta dispensação é a mesma da dispensação da Promessa. 1. Separação do mundo pecaminoso. 2. Uma fé em Jesus Cristo que opera obediência a Ele (Romanos 1.5; 16.26; Mateus 38.19; Marcos 16.15-18; Atos 1.8; Hebreus. 11.6). A Salvação é para todos, porem ele abençoará unicamente aos que crêem e recebam a Cristo como um Salvador pessoas. (Marcos 16.15-17; João 1.12; Atos. 2.38-39; Romanos 10.10). IV. O PROPOSISTO DESTA DISPENSAÇÃO O propósito desta dispensação não é a conversão do todo o mundo como alguns crêen (porque nem todos crerão), porém o ”chamar" de fora ou tomar deles a um povo para Seu nome (Atos 15.13-18). A palavra grega "eklesia" traduzida “igreja" realmente quer dizer” assembléia “ou” congregação “do povo chamado de fora. A maioria do povo ou massas, não será salva durante esta dispensação. Apocalipses 9.20-21; 16.9,11. Porque a humanidade entrará numa apostasia e em pecado no fim do século, como nunca se viu antes na historia do mundo. (II Tessalonicenses 2. l0-12; Mateus 24.15-26; Apocalipses 13.l-8, l0). O meio de alcançar este propósito será a pregação do evangelho, ”que é poder de Deus para salvação de todo aquele que crer...”.
  • 6. Na dispensação da Inocência, o homem tinha que obedecer ao mandamento de Deus; na da Consciência ele tinha que obedecer às determinações de sua própria consciência, o oferecer sacrifícios com fé no Salvador vindouro; na da Promessa ele tinha que aceitar as promessas de Deus por fé e também oferecer sacrifícios com a fé colocada no Salvador vindouro; y na da Lei ele tinha que obedecer a lei que incluía oferecer sacrifícios com fé no Salvador vindouro; porém na dispensação da Graça tem que crer e receber ao próprio Salvador que já veio apenas isso. V. O FRACASSO A. O primeiro fracasso foi à rejeição de Jesus pelos Judeus. Tiveram uma gloriosa oportunidade depois do Calvário, mas também a recusaram (Atos 3.19-26). B. A apostasia da igreja visível (II Timóteo 3.1-8). I. O JUÍZO OU CASTIGO. O fim desta dispensação será o juízo de Deus sobre todos os incrédulos e nações durante a Grande Tribulação e o reino do anticristo. A segunda vinda de Cristo a terra com Seus santos concluirá o período da Grande Tribulação e dará começo à dispensação do Reino ou do Milênio. A Dispensação da Graça se caracteriza por duas coisas importantes: A manifestação do Espírito Santo, e o inicio do ministério da IGREJA.