SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
De que forma os pais podem influenciar a personalidade do filho
       desde a gestação?

Os caminhos da afectividade, que são permeados pela rejeição e sentimento de
culpa, vivenciados numa gravidez indesejada, influenciam no vínculo mãe-filho,
tendo o feto, o bebé e o filho participação importante no desencadeamento e
intensificação dessa a partir da forma como a mãe interpreta seus comportamentos.
Assim, constatou-se que não apenas o trauma do nascimento marca
inconscientemente o indivíduo para sempre, como também o modo como o feto
percebe suas experiências pré-natais, vão se constituir no modelo das vivências
emocionais no decorrer de sua vida aérea e, mais imediatamente, na primeira
infância.
Podemos então dizer que, certamente, a vida psíquica não se inicia com o
nascimento, porém é uma continuidade da vida intra-uterina.
Desta feita, a visão que se tinha de que o útero era um lugar silencioso, pois os
ruídos externos não chegavam até ele e que o feto era um ser passivo,
completamente dependente, foi derrubada ante o desenvolvimento tecnológico e
psicanalítico.
Sabe-se, inclusive, que as atividades executadas por ele não são sem sentido.
Por sua vez, a visão de útero também se modificou, pois o feto escuta a voz materna
e paterna, os sons internos e viscerais da mãe.
Muito mais que tudo isto, foi a compreensão adquirida que o feto sofre com a
influência das emoções maternas e que o levam a participar na manutenção e
determinação do final da gravidez, seja prematuramente, através do aborto ou
gravidez a termo.
Diante disto, se o nível de angústia e ansiedade da gestante tiver intensidade
muito elevada ou mesmo se sofrer traumas emocionais ou stress, crônico ou agudo,
há de desencadear grande sofrimento fetal, marcando-o profundamente, podendo
mesmo acarretar problemas orgânicos e psíquicos, com decréscimo de seu
desenvolvimento físico.
Apesar de não haver conexão direta entre o sistema nervoso materno e fetal,
emoções como ira, medo e ansiedade fazem com que o sistema nervoso autônomo
materno liberte certas substâncias químicas na corrente sanguínea, alterando a
composição do sangue materno e que, transpondo a barreira placentária
modificarão a bioquímica do ambiente intra-uterino onde está se desenvolvendo o
feto.

Na busca do alívio das tensões, desenvolvem-se mecanismos psíquicos de defesa e
que são expressos através de movimentações hiperativas do corpo. São reações
parecidas com as do recém-nascido em sofrimento que se contorce, grita, chora,
esperneia, para livrar-se do que lhe causa desespero. Ou, ao contrário, se a situação
estressante torna-se crônica, o feto "substitui" o mecanismo de defesa que não
percebe mais como aliviador de tensão, e ocorre a diminuição das atividades
motoras ou hipoatividade, que sugere a possibilidade de depressão e de decréscimo
de energia vital.
Enquanto durar o distúrbio emocional da gestante, a atividade fetal continuará a
um nível elevado. Se forem distúrbios breves, geralmente o aumento da
irritabilidade fetal durará algumas horas.

Sendo o feto e o bebê a mesma pessoa, as características de personalidade, de
comportamento, de preferências e respostas do feto mantêm-se na vida pós-natal.
Ao reviver situações estressantes semelhantes às da vida fetal, inconscientemente
buscará o mesmo padrão de comportamento que apresentava na vida intra-
uterina, para o alívio das tensões.

Acredita-se, atualmente, que por meio de sinais materno-filiais, é firmado um
compromisso entre a mãe e a criança e que desencadeia o trabalho de parto.
Assim, se o feto encontra-se em contínuo e profundo sofrimento, percebido por ele
como ameaça de morte ou de aniquilamento, envia uma mensagem avisando-a que
não podendo suportar por mais tempo, vai ser necessária a separação.
Deste modo, pode ocorrer o parto prematuro através de problemas com a placenta,
por ser o lugar das trocas entre a mãe e seu filho, na quantidade do líqüido
amniótico, hipertensão arterial e outras ocorrências. As ameaças de aborto
também são compreendidas de formas diversas, porém sempre ligadas à história
da gestante, do casal e do filho.

Estas experiências são percebidas pelo feto como catastróficas, verdadeiras
ameaças de morte e depressivas.

A grande freqüência de sono durante a vida fetal demonstra a presença de
depressão psíquica e imobilidade física, que acarreta um desenvolvimento
inadequado dos músculos, podendo levar à hipotonia, que é o rebaixamento do
tônus muscular.

Assim, a movimentação do feto é um fator importantíssimo que transmite como a
gravidez está se processando e oferece elementos valiosíssimos sobre seu estado
emocional.

Daí ressaltarmos a importância das emoções maternas no período da gestação e o
quanto é primordial o ambiente imediato como rede de apoio, segurança e
continente das angústias e ansiedades maternas.

Deste modo, a qualidade do vínculo entre os parceiros, no momento da concepção e
durante a gravidez, é fundamental para o equilíbrio da relação mãe-bebê, uma vez
que o feto consegue captar os estados afetivos maternos tanto os de felicidade,
tranqüilidade e satisfação quanto os de choques emocionais, ansiedades, raiva,
depressão e stress.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebêExpectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
gisa_legal
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
pradolpho
 

Mais procurados (20)

Maternidade com óvulos doados
Maternidade com óvulos doadosMaternidade com óvulos doados
Maternidade com óvulos doados
 
Artigo sobre gestação
Artigo sobre gestaçãoArtigo sobre gestação
Artigo sobre gestação
 
Disturbios Psíquicos: Gravidez e Puerpério
Disturbios Psíquicos: Gravidez e PuerpérioDisturbios Psíquicos: Gravidez e Puerpério
Disturbios Psíquicos: Gravidez e Puerpério
 
Progesterona, gestação e aborto de repetição
Progesterona, gestação e aborto de repetiçãoProgesterona, gestação e aborto de repetição
Progesterona, gestação e aborto de repetição
 
A gravidez nos homens
A gravidez nos homensA gravidez nos homens
A gravidez nos homens
 
Apresentação Empoderando as Mulheres. Psicologia Perinatal. As Deusas na Gest...
Apresentação Empoderando as Mulheres. Psicologia Perinatal. As Deusas na Gest...Apresentação Empoderando as Mulheres. Psicologia Perinatal. As Deusas na Gest...
Apresentação Empoderando as Mulheres. Psicologia Perinatal. As Deusas na Gest...
 
Famc3adlia
Famc3adliaFamc3adlia
Famc3adlia
 
Qual a melhor altura para engravidar?
Qual a melhor altura para engravidar?Qual a melhor altura para engravidar?
Qual a melhor altura para engravidar?
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 10
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 10Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 10
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Psicologia Jurídica - 10
 
Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebêExpectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
Expectativas e sentimentos da gestante em relação ao seu bebê
 
Variação genética do crescimento de infantil juvenil-adolescentes em estatura
Variação genética do crescimento de infantil juvenil-adolescentes em estaturaVariação genética do crescimento de infantil juvenil-adolescentes em estatura
Variação genética do crescimento de infantil juvenil-adolescentes em estatura
 
CRESCIMENTO E BAIXA ESTATURA E IMPLICAÇÕES NO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA.
CRESCIMENTO E BAIXA ESTATURA E IMPLICAÇÕES NO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA.CRESCIMENTO E BAIXA ESTATURA E IMPLICAÇÕES NO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA.
CRESCIMENTO E BAIXA ESTATURA E IMPLICAÇÕES NO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA.
 
A família e o amor familiar
A família e o amor familiarA família e o amor familiar
A família e o amor familiar
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
E fólio a daniel romeiro nº 1502088 t2
 
Família nos dias de hoje
Família nos dias de hojeFamília nos dias de hoje
Família nos dias de hoje
 
PUÉRPERA: cuidado com a sua saúde mental - Temos que falar sobre isso
PUÉRPERA: cuidado com a sua saúde mental - Temos que falar sobre isso PUÉRPERA: cuidado com a sua saúde mental - Temos que falar sobre isso
PUÉRPERA: cuidado com a sua saúde mental - Temos que falar sobre isso
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
A família empreendedora dos filhos
A família empreendedora dos filhosA família empreendedora dos filhos
A família empreendedora dos filhos
 
Aula 03 Acompanhamento PsicolóGico Dos Casais
Aula 03   Acompanhamento PsicolóGico Dos CasaisAula 03   Acompanhamento PsicolóGico Dos Casais
Aula 03 Acompanhamento PsicolóGico Dos Casais
 

Destaque

1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
1   o inato e o adquirido as crianças selvagens1   o inato e o adquirido as crianças selvagens
1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
Micas Cullen
 
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
7   erikson e o desenvolvimento psicossocial7   erikson e o desenvolvimento psicossocial
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
Micas Cullen
 
3 desenvolvimento atipico
3   desenvolvimento atipico3   desenvolvimento atipico
3 desenvolvimento atipico
Micas Cullen
 
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
4   o desenvolvimento infantil e adolescente4   o desenvolvimento infantil e adolescente
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
Micas Cullen
 
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
Micas Cullen
 
10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem
Micas Cullen
 
14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés
Micas Cullen
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
Micas Cullen
 
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
Micas Cullen
 
13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget
Micas Cullen
 
2 crianças sobredotadas
2   crianças sobredotadas2   crianças sobredotadas
2 crianças sobredotadas
Micas Cullen
 
5 a afectividade entre mãe e bebé
5   a afectividade entre mãe e bebé5   a afectividade entre mãe e bebé
5 a afectividade entre mãe e bebé
Micas Cullen
 
As relações interpessoais questões chave
As relações interpessoais   questões chaveAs relações interpessoais   questões chave
As relações interpessoais questões chave
Marcelo Anjos
 
Processos relacionais e grupais roteiro
Processos relacionais e grupais   roteiroProcessos relacionais e grupais   roteiro
Processos relacionais e grupais roteiro
Marcelo Anjos
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
Marcelo Anjos
 
O que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocionalO que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocional
Marcelo Anjos
 
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacionalDossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
Marcelo Anjos
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoal
Marcelo Anjos
 

Destaque (20)

1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
1   o inato e o adquirido as crianças selvagens1   o inato e o adquirido as crianças selvagens
1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
 
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
7   erikson e o desenvolvimento psicossocial7   erikson e o desenvolvimento psicossocial
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
3 desenvolvimento atipico
3   desenvolvimento atipico3   desenvolvimento atipico
3 desenvolvimento atipico
 
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
4   o desenvolvimento infantil e adolescente4   o desenvolvimento infantil e adolescente
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
 
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
 
8 adolescente
8   adolescente8   adolescente
8 adolescente
 
10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem
 
14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
 
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
 
13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget
 
2 crianças sobredotadas
2   crianças sobredotadas2   crianças sobredotadas
2 crianças sobredotadas
 
5 a afectividade entre mãe e bebé
5   a afectividade entre mãe e bebé5   a afectividade entre mãe e bebé
5 a afectividade entre mãe e bebé
 
As relações interpessoais questões chave
As relações interpessoais   questões chaveAs relações interpessoais   questões chave
As relações interpessoais questões chave
 
Processos relacionais e grupais roteiro
Processos relacionais e grupais   roteiroProcessos relacionais e grupais   roteiro
Processos relacionais e grupais roteiro
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
 
O que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocionalO que é a inteligência emocional
O que é a inteligência emocional
 
Cognição social
Cognição socialCognição social
Cognição social
 
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacionalDossier interactivo   inovação e desenvolvimento organizacional
Dossier interactivo inovação e desenvolvimento organizacional
 
A comunicação interpessoal
A comunicação interpessoalA comunicação interpessoal
A comunicação interpessoal
 

Semelhante a 12 - Gestação e personalidade

Reminiscências e Conflitos Psicológicos
Reminiscências e Conflitos PsicológicosReminiscências e Conflitos Psicológicos
Reminiscências e Conflitos Psicológicos
ield
 
Dgs promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
Dgs   promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)Dgs   promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
Dgs promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
Joana Leitão
 
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da menteFolder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
Camila Esteves
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
Paula de Almeida
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
grupo5AP
 

Semelhante a 12 - Gestação e personalidade (20)

Amamentação e sexualidade - novo documento científico da SBP
Amamentação e sexualidade - novo documento científico da SBP Amamentação e sexualidade - novo documento científico da SBP
Amamentação e sexualidade - novo documento científico da SBP
 
Sexualidade & Amamentação
Sexualidade & Amamentação Sexualidade & Amamentação
Sexualidade & Amamentação
 
Aspectos físicos e psicológicos da gravidez
Aspectos físicos e psicológicos da gravidezAspectos físicos e psicológicos da gravidez
Aspectos físicos e psicológicos da gravidez
 
PSICOMOTRICIDADE NA UTI NEONATAL: RELATO DE UMA PRÁTICA EM UMA MATERNIDADE PÚ...
PSICOMOTRICIDADE NA UTI NEONATAL: RELATO DE UMA PRÁTICA EM UMA MATERNIDADE PÚ...PSICOMOTRICIDADE NA UTI NEONATAL: RELATO DE UMA PRÁTICA EM UMA MATERNIDADE PÚ...
PSICOMOTRICIDADE NA UTI NEONATAL: RELATO DE UMA PRÁTICA EM UMA MATERNIDADE PÚ...
 
Reminiscências e Conflitos Psicológicos
Reminiscências e Conflitos PsicológicosReminiscências e Conflitos Psicológicos
Reminiscências e Conflitos Psicológicos
 
Um toque de amor
Um toque de amorUm toque de amor
Um toque de amor
 
Dgs promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
Dgs   promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)Dgs   promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
Dgs promoção da saude mental na gravidez e primeira infancia(1)
 
Aleitamento materno edesenvolvimento psicologico da criança
Aleitamento materno edesenvolvimento psicologico da criançaAleitamento materno edesenvolvimento psicologico da criança
Aleitamento materno edesenvolvimento psicologico da criança
 
Psicologi 5 GRUPO.pptx
Psicologi 5 GRUPO.pptxPsicologi 5 GRUPO.pptx
Psicologi 5 GRUPO.pptx
 
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da menteFolder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
Folder - Gestação: cuidados do corpo e da mente
 
Sentimentos e emoções vivenciados durante.pptx
Sentimentos e emoções vivenciados durante.pptxSentimentos e emoções vivenciados durante.pptx
Sentimentos e emoções vivenciados durante.pptx
 
Nathalia Belletato em entrevista sobre estresse materno
Nathalia Belletato em entrevista sobre estresse maternoNathalia Belletato em entrevista sobre estresse materno
Nathalia Belletato em entrevista sobre estresse materno
 
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho2.1  desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
2.1 desenvolvimento sócio-afectivo-interacção mãefilho
 
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vidaA importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
A importância da relação de vinculação, nos primeiros anos de vida
 
O GENESIS DO CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL É PARCEIRO DA COGNIÇÃO
O GENESIS DO CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL É PARCEIRO DA COGNIÇÃOO GENESIS DO CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL É PARCEIRO DA COGNIÇÃO
O GENESIS DO CRESCIMENTO INFANTO JUVENIL É PARCEIRO DA COGNIÇÃO
 
6. depressão pós-parto_pronto
6. depressão pós-parto_pronto6. depressão pós-parto_pronto
6. depressão pós-parto_pronto
 
O genesis do crescimento infanto juvenil é parceiro da cognição
O genesis do crescimento infanto juvenil é parceiro da cogniçãoO genesis do crescimento infanto juvenil é parceiro da cognição
O genesis do crescimento infanto juvenil é parceiro da cognição
 
Saude emocional pré-natal
Saude emocional pré-natalSaude emocional pré-natal
Saude emocional pré-natal
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Cartilha Sintomas em Bebês
Cartilha Sintomas em BebêsCartilha Sintomas em Bebês
Cartilha Sintomas em Bebês
 

Mais de Micas Cullen

16 - Relações precoces
16 - Relações precoces16 - Relações precoces
16 - Relações precoces
Micas Cullen
 
Como te vês a ti próprio
Como te vês a ti próprioComo te vês a ti próprio
Como te vês a ti próprio
Micas Cullen
 
A importancia da psicologia na actualidade
A importancia da psicologia na actualidadeA importancia da psicologia na actualidade
A importancia da psicologia na actualidade
Micas Cullen
 
Filme voando sobre um ninho de cucos
Filme   voando sobre um ninho de cucosFilme   voando sobre um ninho de cucos
Filme voando sobre um ninho de cucos
Micas Cullen
 
Brainstorming o que é a psicologia
Brainstorming   o que é a psicologiaBrainstorming   o que é a psicologia
Brainstorming o que é a psicologia
Micas Cullen
 
06 psicologia na_actualidade
06 psicologia na_actualidade06 psicologia na_actualidade
06 psicologia na_actualidade
Micas Cullen
 

Mais de Micas Cullen (17)

Aptidões sociais
Aptidões sociaisAptidões sociais
Aptidões sociais
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Infância
InfânciaInfância
Infância
 
Adultos
AdultosAdultos
Adultos
 
Idosos
IdososIdosos
Idosos
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
16 - Relações precoces
16 - Relações precoces16 - Relações precoces
16 - Relações precoces
 
Como te vês a ti próprio
Como te vês a ti próprioComo te vês a ti próprio
Como te vês a ti próprio
 
A importancia da psicologia na actualidade
A importancia da psicologia na actualidadeA importancia da psicologia na actualidade
A importancia da psicologia na actualidade
 
Filme voando sobre um ninho de cucos
Filme   voando sobre um ninho de cucosFilme   voando sobre um ninho de cucos
Filme voando sobre um ninho de cucos
 
Brainstorming o que é a psicologia
Brainstorming   o que é a psicologiaBrainstorming   o que é a psicologia
Brainstorming o que é a psicologia
 
12 sintese d..
12 sintese d..12 sintese d..
12 sintese d..
 
09 como te_v..
09 como te_v..09 como te_v..
09 como te_v..
 
10 actividad..
10 actividad..10 actividad..
10 actividad..
 
08 sintese d..
08 sintese d..08 sintese d..
08 sintese d..
 
07 resumo -_..
07 resumo -_..07 resumo -_..
07 resumo -_..
 
06 psicologia na_actualidade
06 psicologia na_actualidade06 psicologia na_actualidade
06 psicologia na_actualidade
 

12 - Gestação e personalidade

  • 1. De que forma os pais podem influenciar a personalidade do filho desde a gestação? Os caminhos da afectividade, que são permeados pela rejeição e sentimento de culpa, vivenciados numa gravidez indesejada, influenciam no vínculo mãe-filho, tendo o feto, o bebé e o filho participação importante no desencadeamento e intensificação dessa a partir da forma como a mãe interpreta seus comportamentos. Assim, constatou-se que não apenas o trauma do nascimento marca inconscientemente o indivíduo para sempre, como também o modo como o feto percebe suas experiências pré-natais, vão se constituir no modelo das vivências emocionais no decorrer de sua vida aérea e, mais imediatamente, na primeira infância. Podemos então dizer que, certamente, a vida psíquica não se inicia com o nascimento, porém é uma continuidade da vida intra-uterina. Desta feita, a visão que se tinha de que o útero era um lugar silencioso, pois os ruídos externos não chegavam até ele e que o feto era um ser passivo, completamente dependente, foi derrubada ante o desenvolvimento tecnológico e psicanalítico. Sabe-se, inclusive, que as atividades executadas por ele não são sem sentido. Por sua vez, a visão de útero também se modificou, pois o feto escuta a voz materna e paterna, os sons internos e viscerais da mãe. Muito mais que tudo isto, foi a compreensão adquirida que o feto sofre com a influência das emoções maternas e que o levam a participar na manutenção e determinação do final da gravidez, seja prematuramente, através do aborto ou gravidez a termo. Diante disto, se o nível de angústia e ansiedade da gestante tiver intensidade muito elevada ou mesmo se sofrer traumas emocionais ou stress, crônico ou agudo, há de desencadear grande sofrimento fetal, marcando-o profundamente, podendo mesmo acarretar problemas orgânicos e psíquicos, com decréscimo de seu desenvolvimento físico. Apesar de não haver conexão direta entre o sistema nervoso materno e fetal, emoções como ira, medo e ansiedade fazem com que o sistema nervoso autônomo materno liberte certas substâncias químicas na corrente sanguínea, alterando a composição do sangue materno e que, transpondo a barreira placentária modificarão a bioquímica do ambiente intra-uterino onde está se desenvolvendo o feto. Na busca do alívio das tensões, desenvolvem-se mecanismos psíquicos de defesa e que são expressos através de movimentações hiperativas do corpo. São reações parecidas com as do recém-nascido em sofrimento que se contorce, grita, chora, esperneia, para livrar-se do que lhe causa desespero. Ou, ao contrário, se a situação estressante torna-se crônica, o feto "substitui" o mecanismo de defesa que não percebe mais como aliviador de tensão, e ocorre a diminuição das atividades motoras ou hipoatividade, que sugere a possibilidade de depressão e de decréscimo de energia vital.
  • 2. Enquanto durar o distúrbio emocional da gestante, a atividade fetal continuará a um nível elevado. Se forem distúrbios breves, geralmente o aumento da irritabilidade fetal durará algumas horas. Sendo o feto e o bebê a mesma pessoa, as características de personalidade, de comportamento, de preferências e respostas do feto mantêm-se na vida pós-natal. Ao reviver situações estressantes semelhantes às da vida fetal, inconscientemente buscará o mesmo padrão de comportamento que apresentava na vida intra- uterina, para o alívio das tensões. Acredita-se, atualmente, que por meio de sinais materno-filiais, é firmado um compromisso entre a mãe e a criança e que desencadeia o trabalho de parto. Assim, se o feto encontra-se em contínuo e profundo sofrimento, percebido por ele como ameaça de morte ou de aniquilamento, envia uma mensagem avisando-a que não podendo suportar por mais tempo, vai ser necessária a separação. Deste modo, pode ocorrer o parto prematuro através de problemas com a placenta, por ser o lugar das trocas entre a mãe e seu filho, na quantidade do líqüido amniótico, hipertensão arterial e outras ocorrências. As ameaças de aborto também são compreendidas de formas diversas, porém sempre ligadas à história da gestante, do casal e do filho. Estas experiências são percebidas pelo feto como catastróficas, verdadeiras ameaças de morte e depressivas. A grande freqüência de sono durante a vida fetal demonstra a presença de depressão psíquica e imobilidade física, que acarreta um desenvolvimento inadequado dos músculos, podendo levar à hipotonia, que é o rebaixamento do tônus muscular. Assim, a movimentação do feto é um fator importantíssimo que transmite como a gravidez está se processando e oferece elementos valiosíssimos sobre seu estado emocional. Daí ressaltarmos a importância das emoções maternas no período da gestação e o quanto é primordial o ambiente imediato como rede de apoio, segurança e continente das angústias e ansiedades maternas. Deste modo, a qualidade do vínculo entre os parceiros, no momento da concepção e durante a gravidez, é fundamental para o equilíbrio da relação mãe-bebê, uma vez que o feto consegue captar os estados afetivos maternos tanto os de felicidade, tranqüilidade e satisfação quanto os de choques emocionais, ansiedades, raiva, depressão e stress.