SlideShare uma empresa Scribd logo
ESPAÇO RURAL / ESPAÇO URBANO   (pág. 75 a 79) Espaço Urbano ≠ Espaço Rural
Espaço onde a ocupação do solo é predominantemente agrícola (terras de cultura, pastagens e bosques), a habitação é geralmente unifamiliar e a população activa dedica-se sobretudo a actividades agrícolas, mas não exclui outras actividades não agrícolas que aqui  também se inserem. Espaço Rural
Espaço densamente ocupado e elevado índice de construção. Grande concentração de actividades dos sectores secundário e sobretudo do terciário. Espaço Urbano
A oposição Espaço Rural/ Espaço Urbano
A oposição Espaço Rural / Espaço Urbano : A ocupação do solo; As actividades económicas dominantes; A concentração populacional; A Dinâmica populacional; As deslocações diárias; A Acessibilidade;
A ocupação do solo Urbano Áreas residenciais; Comércio e Serviços; Indústria; Equipamentos Sociais e Culturais; Infra-estruturas de transportes Rural Agricultura;  Pecuária; Floresta.
As actividades económicas dominantes Urbano Sector  Secundário e Terciário  Rural Sector Primário.
A Dinâmica populacional  Urbano Áreas em crescimento demográfico e  com forte atracção populacional:  motores de crescimento económico, de competitividade e de emprego.  Rural Áreas com perda de população  (êxodo rural) e mais envelhecidas.
A concentração populacional Urbano População numerosa e Densidade elevada: Locais com população superior a 5000 habitantes ou com  densidade  > a 500 hab. por Km2.  Rural Fraca densidade populacional com construções baixas e unifamiliares.
As deslocações diárias Urbano Movimentos pendulares muito intenso   Rural Fracas deslocações Pendulares.
A Acessibilidade Urbano Rede de transportes e de comunicações muito densa Lugares de  boa acessibilidade Rural Redes de transporte e comunicações precárias e insuficientes. Fraca acessibilidade
RURAL / URBANO distinção difícil… A distinção dos dois espaços é cada vez mais difícil , pois o aumento da população, o desenvolvimento da indústria e dos transportes levaram à expansão da cidade para fora dos antigos limites; diversificaram-se as trocas cidade/campo e muitas áreas rurais começaram a apresentar uma diversificação profissional  e funcional. A difusão da informação também contribuiu para uniformizar os modos de vida.
RURAL / URBANO distinção difícil … Há pouco mais de um séc. a maioria da população vivia em núcleos reduzidos, vinculados a uma economia agrária. Hoje o espaço urbano, principalmente no litoral a Norte de Sines e no Algarve, tornou-se um contínuo, não havendo já uma distinção nítida ente o espaço ainda rural e o espaço já urbanizado. O crescimento urbano : com a  expansão dos subúrbios e a difusão  da indústria (onde o modo de vida rural e urbano se justapõem), os dois espaços  uniformizam-se cada vez mais, graças também, à acção dos meios de comunicação social. É, assim cada vez mais difícil a delimitação dos dois espaços (urbano e rural).
CIDADE não há definição universal… Apesar de todos nós termos uma noção de cidade (às quais associamos um conjunto de características)  não lhe corresponde uma definição rigorosa e muito menos com aceitação universal ; o que explica as dificuldades sempre que precisamos de utilizar com algum rigor este conceito. A principal razão para a falta desta definição   são os  critérios  utilizados que variam de país para país e têm  evoluído ao longo dos tempos.
As definições de Cidade Há algumas variações de significados oficiais do que chamamos  cidade. Isto porque os critérios utilizados pelos administradores urbanos são diferentes do ponto de vista jurídico ou socioeconómico/espacial. Vejamos a seguir alguns exemplos   Suíça – 10.000 hab. Venezuela – 2.500 Hab . Senegal – 10.000 Hab . Índia  -  5 mil hab. ou mais, uma densidade maior do que 390 habitantes por Km2 e pelo menos 75% da população empregada em atividades não-agrícolas” Em Portugal, até 1980, exigiam-se 10 mil hab. ou, não os tendo, fosse sede de distrito. Isto deixava de fora muitas povoações com esses estatuto há centenas de anos
CIDADE critérios mais utilizados para a definir Critério demográfico : ( Pop. Absoluta...; densidade) ... Mas  qualquer que seja o valor mínimo  a partir do qual se considera cidade (embora muito variável de país para país, e dentro do mesmo país variável ao longo do tempo)  há sempre situações de excepção , seja por questões históricas que hoje são irrelevantes, seja porque há povoações que têm o n° de habitantes mas faltam-lhes muitas características que lhes permitam uma vida própria.., e capacidade de dinamização dos espaços envolventes.  (ex muitos subúrbios das grandes cidades = cidades dormitório)
CIDADE critérios mais utilizados para a definir Critério Funcional  — Actividades a que a pop. se dedica e influência da cidade sobre as áreas envolventes. Por ex. muitos países exigem que não trabalhem no sector primário mais de 25% da população.... valor que não pode ser aplicado indistintamente nos países desenvolvidos e nos países em vias de desenvolvimento.
CIDADE critérios mais utilizados para a definir -  Critério Jurídico-administrativo : Cidades definidas por decisão legislativa (ex. Capitais de distrito); vontade régia para incentivar o povoamento, recompensa por serviços prestados ou garantir a defesa das regiões de fronteira — Guarda, Beja, Tavira; Pinhel - Reconhecimento de uma função religiosa — Miranda do Douro, Portalegre)
CIDADE critérios mais utilizados para a definir É, assim,  necessário utilizar  simultaneamente   vários critérios  ( critérios mistos ), que tenham a ver com a sua influência económica, político-administrativa e sociocultural, sobre a região que a envolve Devido à dificuldade em definir cidade é cada vez mais habitual utilizar a expressão  «centro urbano»,  com um significado mais lato do que o de cidade, podendo referir-se a aglomerados urbanos sem essa categoria administrativa (ex. vila)
AS ÁREAS URBANAS São frequentemente utilizados como sinónimos mas, há cidades que não são centros urbanos e estes não são necessariamente cidade. Centro Urbano Cidade ≠
Centro Urbano e Cidade Uma  cidade  é uma categoria atribuída por ser uma entidade político administrativa ou por esta  lhe ter sido atribuída por forma honorífica, por no passado histórico ter havido um motivo que o justificou, ainda que essa mesma entidade, actualmente não cumpra os critérios de definição de cidade. Centro urbano  são os locais com população superior a 5000 habitantes ou com densidade superior a 500 habitantes por Km2.
Como definir cidade? Em Portugal Como é difícil adoptar um critério uniforme, em Portugal foi legislado  (Lei 11/82)   conjugando os três critérios e fazendo  diferença entre vila e cidade. Actualmente em Portugal   para ser  vila ,   uma  povoação,  tem de ter mais de 3000 eleitores em aglomerado populacional contínuo e que possua pelo menos metade do seguinte equipamento colectivo:
Como definir vila? Em Portugal •  posto de assistência médica; farmácia; • casa do Povo, de espectáculos, centro cultural ou outras actividades; • transportes públicos colectivos; estação dos CTT; • estabelecimentos comerciais e de hotelaria; • estabelecimento que ministre escolaridade obrigatória; • agência bancária.
Como definir cidade? Em Portugal Para ser cidade , uma vila, tem de ter, pelo menos, 8000 eleitores em aglomerado populacional contínuo e possuir pelo menos metade dos seguintes equipamentos colectivos
Como definir cidade? Em Portugal •  instalações hospitalares com serviço de permanência; •  farmácias; •  corporação de bombeiros; •  casa de espectáculos e centro cultural; •  museu e biblioteca;
Como definir cidade? Em Portugal •  instalações de hotelaria; •  estabelecimentos de ensino preparatório e secundário; •  estabelecimentos de ensino pré-primário e infantários; •  parques ou jardins públicos. •  transportes públicos, urbanos e suburbanos;
Como definir cidade? Em Portugal Para prevenir determinadas situações especiais legislou-se também que: Importantes razões de natureza histórica, cultural e arquitectónica  poderão justificar uma ponderação diferente dos requisitos enumerados anteriormente. Nos últimos anos muitas vilas têm sido elevadas a cidade sem reunirem os requisitos necessários e onde parece que  a ponderação é muito influenciada pela preocupação em satisfazer políticos locais...
CIDADE - CONCLUSÃO A cidade é fundamentalmente  um centro terciário, lugar onde se procede à troca de produtos e ideias, onde aumentam os contactos entre pessoas e instituições, se concentram os locais de convívio e diversão, se procura a escola e se vai ao hospital, se encontra o conhecimento e o apoio técnico necessários à maioria das actividades económicas. Fonte: Teresa Barata Salgueiro — A cidade em Portugal, Edições Afrontamento, 1992
Não há duas cidades iguais por isso também não há uma definição universal No entanto há características comuns…
Características de cidades Actividades Económicas Serviços Comércio Indústria Elementos Sociais Grande concentração de demográfica  Grande densidade de construção Elementos Morfológicos Aspectos  arquitectónicos Infra-estruturas de transporte Jardins e Parques Transportes Rodoviário Ferroviário
Características de cidades Densa ocupação humana  (Pop. Total e Dens. Populacional) Elevado índice de construção  (edifícios altos e concentrados); Grande concentração de actividades económicas: serviços  (administrativos, sociais e políticos)  e comércio; Elevado nº de equipamentos sociais e culturais de lazer e educação; Bem servidas de transporte e comunicação; Elevado fluxo de trânsito e de pessoas.
Hong Kong
Rio de Janeiro -  Favela
Toronto
Xangai
S. Paulo
Nova Iorque
Miranda do Douro
Mértola
Beja
Porto
Lisboa
Evolução da Taxa de Urbanização em Portugal 65% Taxa de urbanização:  % de população urbana em  relação à total – reflecte  a tendência de concentração da população nas áreas urbanas.
Taxa de Urbanização na UE dos Quinze, 2003 A taxa de urbanização em Portugal aumentou, significativamente, o que se deve, sobretudo, à alteração do método de cálculo da população urbana. Actualmente, o Sistema Estatístico Nacional considera urbanos, além das cidades, os locais com  população superior a 5000 habitantes  ou com  densidade superior a 500 habitantes por Km2.   Apesar desta alteração, em Portugal a taxa de urbanização é ainda das mais baixas da União Europeia dos Quinze.
Actividades 1- Analisar os mapas da pág. 78 e responder às duas questões 2- Analisar os gráficos da pág. 79 e responder às duas questões 3- Fazer a ficha 15 do Caderno de actividades

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Raffaella Ergün
 
As Cidades Cbd
As Cidades CbdAs Cidades Cbd
As Cidades Cbd
Maria Adelaide
 
FunçãO Residenciial
FunçãO ResidenciialFunçãO Residenciial
FunçãO Residenciial
Ministério da Educação
 
A organização das áreas urbanas
A organização das áreas urbanasA organização das áreas urbanas
A organização das áreas urbanas
Ilda Bicacro
 
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Mariana Costa
 
áReas funcionais
áReas funcionaisáReas funcionais
áReas funcionais
Pocarolas
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Idalina Leite
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
bruno oliveira
 
Cidades médias
Cidades  médiasCidades  médias
Cidades médias
Idalina Leite
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
713773
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Os diferentes tipos de plantas das cidades
Os diferentes tipos de plantas das cidadesOs diferentes tipos de plantas das cidades
Os diferentes tipos de plantas das cidades
rmmpr
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
Ilda Bicacro
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
cattonia
 
A Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana NacionalA Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana Nacional
Maria Adelaide
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
Ilda Bicacro
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)
Idalina Leite
 

Mais procurados (20)

Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
 
As Cidades Cbd
As Cidades CbdAs Cidades Cbd
As Cidades Cbd
 
FunçãO Residenciial
FunçãO ResidenciialFunçãO Residenciial
FunçãO Residenciial
 
A organização das áreas urbanas
A organização das áreas urbanasA organização das áreas urbanas
A organização das áreas urbanas
 
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.Região agrária do Ribatejo e Oeste.
Região agrária do Ribatejo e Oeste.
 
áReas funcionais
áReas funcionaisáReas funcionais
áReas funcionais
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
 
Cidades médias
Cidades  médiasCidades  médias
Cidades médias
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º anoAs áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
As áreas metropolitanas de Lisboa e Porto - Geografia 11º ano
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
Os diferentes tipos de plantas das cidades
Os diferentes tipos de plantas das cidadesOs diferentes tipos de plantas das cidades
Os diferentes tipos de plantas das cidades
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
A Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana NacionalA Rede Urbana Nacional
A Rede Urbana Nacional
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)
 

Destaque

Areas urbanas
Areas urbanasAreas urbanas
Areas urbanas
manjosp
 
Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)
Fátima Cunha Lopes
 
Centros urbanos
Centros urbanosCentros urbanos
Centros urbanos
Keila Luiza
 
A OrganizaçãO Das áReas Urbanas
A OrganizaçãO Das áReas UrbanasA OrganizaçãO Das áReas Urbanas
A OrganizaçãO Das áReas Urbanas
Maria Adelaide
 
Ge teste 1_11ºpnaesrp
Ge teste 1_11ºpnaesrpGe teste 1_11ºpnaesrp
Ge teste 1_11ºpnaesrp
Geografias Geo
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
Gonçalo Paiva
 

Destaque (6)

Areas urbanas
Areas urbanasAreas urbanas
Areas urbanas
 
Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)Funções urbanas (2)
Funções urbanas (2)
 
Centros urbanos
Centros urbanosCentros urbanos
Centros urbanos
 
A OrganizaçãO Das áReas Urbanas
A OrganizaçãO Das áReas UrbanasA OrganizaçãO Das áReas Urbanas
A OrganizaçãO Das áReas Urbanas
 
Ge teste 1_11ºpnaesrp
Ge teste 1_11ºpnaesrpGe teste 1_11ºpnaesrp
Ge teste 1_11ºpnaesrp
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 

Semelhante a 1 Urbano Rural Cidade

áReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrpáReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrp
Geografias Geo
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
Ministério da Educação
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
geofixe11b
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
geofixe11b
 
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
Idalina Leite
 
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTEÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
abarros
 
áReas de fixação da população
áReas de fixação da populaçãoáReas de fixação da população
áReas de fixação da população
Paula Tomaz
 
Módulo 5 Parte I
Módulo 5   Parte IMódulo 5   Parte I
Módulo 5 Parte I
abarros
 
apontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdfapontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdf
Silvia Couto
 
9º Ano_Aula nº2
9º Ano_Aula nº29º Ano_Aula nº2
9º Ano_Aula nº2
Idalina Leite
 
Espaço urbano
Espaço urbanoEspaço urbano
Espaço urbano
Luiz Carvalheira Junior
 
Cidades (blog)
Cidades (blog)Cidades (blog)
Cidades (blog)
Rosária Zamith
 
A diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugaresA diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugares
Mayjö .
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
Anderson Silva
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
GabriellyReis7
 
As Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de CidadesAs Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de Cidades
Macroplan
 
Urbanização 2011
Urbanização 2011Urbanização 2011
Urbanização 2011
alfredo1ssa
 
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aulawww.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
Vídeo Aulas Apoio
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
Professora Verônica Santos
 
Aula 2 urbanização
Aula 2   urbanizaçãoAula 2   urbanização

Semelhante a 1 Urbano Rural Cidade (20)

áReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrpáReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrp
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
 
1 urbano rural_cidade
1  urbano rural_cidade1  urbano rural_cidade
1 urbano rural_cidade
 
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
 
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTEÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
ÁREAS RURAIS E ÁREAS URBANAS 1ª PARTE
 
áReas de fixação da população
áReas de fixação da populaçãoáReas de fixação da população
áReas de fixação da população
 
Módulo 5 Parte I
Módulo 5   Parte IMódulo 5   Parte I
Módulo 5 Parte I
 
apontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdfapontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdf
 
9º Ano_Aula nº2
9º Ano_Aula nº29º Ano_Aula nº2
9º Ano_Aula nº2
 
Espaço urbano
Espaço urbanoEspaço urbano
Espaço urbano
 
Cidades (blog)
Cidades (blog)Cidades (blog)
Cidades (blog)
 
A diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugaresA diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugares
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
 
As Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de CidadesAs Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de Cidades
 
Urbanização 2011
Urbanização 2011Urbanização 2011
Urbanização 2011
 
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aulawww.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
www.centroapoio.com - Geografia - Urbanização - Vídeo Aula
 
Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
Aula 2 urbanização
Aula 2   urbanizaçãoAula 2   urbanização
Aula 2 urbanização
 

Mais de Ministério da Educação

2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
Ministério da Educação
 
renda locativa áreas funcionais lugar central
 renda locativa áreas funcionais lugar central renda locativa áreas funcionais lugar central
renda locativa áreas funcionais lugar central
Ministério da Educação
 
1.1.àreas funcionais renda l ocativa
1.1.àreas funcionais renda l ocativa1.1.àreas funcionais renda l ocativa
1.1.àreas funcionais renda l ocativa
Ministério da Educação
 
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
Ministério da Educação
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solar
Ministério da Educação
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
Ministério da Educação
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
Ministério da Educação
 
Revisões para o teste
Revisões para o testeRevisões para o teste
Revisões para o teste
Ministério da Educação
 
4 a política regional e de coesão
4 a política regional e de coesão4 a política regional e de coesão
4 a política regional e de coesão
Ministério da Educação
 
3 política ambiental
3 política ambiental3 política ambiental
3 política ambiental
Ministério da Educação
 
2 preparação do alrgamento aos peco
2 preparação do alrgamento aos peco2 preparação do alrgamento aos peco
2 preparação do alrgamento aos peco
Ministério da Educação
 
1 enquadramento histórico alargamento_desafios e oportunidades
1 enquadramento histórico  alargamento_desafios e oportunidades1 enquadramento histórico  alargamento_desafios e oportunidades
1 enquadramento histórico alargamento_desafios e oportunidades
Ministério da Educação
 
Termas Felgueira
Termas FelgueiraTermas Felgueira
Termas Felgueira
Ministério da Educação
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Grupo Da Nair
Grupo Da NairGrupo Da Nair
Turismo Rura L Grupo Da Catia
Turismo Rura L Grupo Da CatiaTurismo Rura L Grupo Da Catia
Turismo Rura L Grupo Da Catia
Ministério da Educação
 
Turismo Pp Grupo Da Carolina
Turismo Pp Grupo Da CarolinaTurismo Pp Grupo Da Carolina
Turismo Pp Grupo Da Carolina
Ministério da Educação
 
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 BGrupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
Ministério da Educação
 
RevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O TesteRevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O Teste
Ministério da Educação
 
2 A Agua Um Recurso A Preservar
2 A Agua   Um Recurso A Preservar2 A Agua   Um Recurso A Preservar
2 A Agua Um Recurso A Preservar
Ministério da Educação
 

Mais de Ministério da Educação (20)

2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
2 factores que_fazem_variar_a_radiacao_solar
 
renda locativa áreas funcionais lugar central
 renda locativa áreas funcionais lugar central renda locativa áreas funcionais lugar central
renda locativa áreas funcionais lugar central
 
1.1.àreas funcionais renda l ocativa
1.1.àreas funcionais renda l ocativa1.1.àreas funcionais renda l ocativa
1.1.àreas funcionais renda l ocativa
 
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
7 a pac 1_e a agricultura portuguesa
 
Valorização da radiação solar
Valorização da radiação solarValorização da radiação solar
Valorização da radiação solar
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
 
4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
 
Revisões para o teste
Revisões para o testeRevisões para o teste
Revisões para o teste
 
4 a política regional e de coesão
4 a política regional e de coesão4 a política regional e de coesão
4 a política regional e de coesão
 
3 política ambiental
3 política ambiental3 política ambiental
3 política ambiental
 
2 preparação do alrgamento aos peco
2 preparação do alrgamento aos peco2 preparação do alrgamento aos peco
2 preparação do alrgamento aos peco
 
1 enquadramento histórico alargamento_desafios e oportunidades
1 enquadramento histórico  alargamento_desafios e oportunidades1 enquadramento histórico  alargamento_desafios e oportunidades
1 enquadramento histórico alargamento_desafios e oportunidades
 
Termas Felgueira
Termas FelgueiraTermas Felgueira
Termas Felgueira
 
Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
 
Grupo Da Nair
Grupo Da NairGrupo Da Nair
Grupo Da Nair
 
Turismo Rura L Grupo Da Catia
Turismo Rura L Grupo Da CatiaTurismo Rura L Grupo Da Catia
Turismo Rura L Grupo Da Catia
 
Turismo Pp Grupo Da Carolina
Turismo Pp Grupo Da CarolinaTurismo Pp Grupo Da Carolina
Turismo Pp Grupo Da Carolina
 
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 BGrupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
Grupo Mariajoao Ines Christina Melissa E Mafalda 11 B
 
RevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O TesteRevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O Teste
 
2 A Agua Um Recurso A Preservar
2 A Agua   Um Recurso A Preservar2 A Agua   Um Recurso A Preservar
2 A Agua Um Recurso A Preservar
 

1 Urbano Rural Cidade

  • 1. ESPAÇO RURAL / ESPAÇO URBANO (pág. 75 a 79) Espaço Urbano ≠ Espaço Rural
  • 2. Espaço onde a ocupação do solo é predominantemente agrícola (terras de cultura, pastagens e bosques), a habitação é geralmente unifamiliar e a população activa dedica-se sobretudo a actividades agrícolas, mas não exclui outras actividades não agrícolas que aqui também se inserem. Espaço Rural
  • 3. Espaço densamente ocupado e elevado índice de construção. Grande concentração de actividades dos sectores secundário e sobretudo do terciário. Espaço Urbano
  • 4. A oposição Espaço Rural/ Espaço Urbano
  • 5. A oposição Espaço Rural / Espaço Urbano : A ocupação do solo; As actividades económicas dominantes; A concentração populacional; A Dinâmica populacional; As deslocações diárias; A Acessibilidade;
  • 6. A ocupação do solo Urbano Áreas residenciais; Comércio e Serviços; Indústria; Equipamentos Sociais e Culturais; Infra-estruturas de transportes Rural Agricultura; Pecuária; Floresta.
  • 7. As actividades económicas dominantes Urbano Sector Secundário e Terciário Rural Sector Primário.
  • 8. A Dinâmica populacional Urbano Áreas em crescimento demográfico e com forte atracção populacional: motores de crescimento económico, de competitividade e de emprego. Rural Áreas com perda de população (êxodo rural) e mais envelhecidas.
  • 9. A concentração populacional Urbano População numerosa e Densidade elevada: Locais com população superior a 5000 habitantes ou com densidade > a 500 hab. por Km2. Rural Fraca densidade populacional com construções baixas e unifamiliares.
  • 10. As deslocações diárias Urbano Movimentos pendulares muito intenso Rural Fracas deslocações Pendulares.
  • 11. A Acessibilidade Urbano Rede de transportes e de comunicações muito densa Lugares de boa acessibilidade Rural Redes de transporte e comunicações precárias e insuficientes. Fraca acessibilidade
  • 12. RURAL / URBANO distinção difícil… A distinção dos dois espaços é cada vez mais difícil , pois o aumento da população, o desenvolvimento da indústria e dos transportes levaram à expansão da cidade para fora dos antigos limites; diversificaram-se as trocas cidade/campo e muitas áreas rurais começaram a apresentar uma diversificação profissional e funcional. A difusão da informação também contribuiu para uniformizar os modos de vida.
  • 13. RURAL / URBANO distinção difícil … Há pouco mais de um séc. a maioria da população vivia em núcleos reduzidos, vinculados a uma economia agrária. Hoje o espaço urbano, principalmente no litoral a Norte de Sines e no Algarve, tornou-se um contínuo, não havendo já uma distinção nítida ente o espaço ainda rural e o espaço já urbanizado. O crescimento urbano : com a expansão dos subúrbios e a difusão da indústria (onde o modo de vida rural e urbano se justapõem), os dois espaços uniformizam-se cada vez mais, graças também, à acção dos meios de comunicação social. É, assim cada vez mais difícil a delimitação dos dois espaços (urbano e rural).
  • 14. CIDADE não há definição universal… Apesar de todos nós termos uma noção de cidade (às quais associamos um conjunto de características) não lhe corresponde uma definição rigorosa e muito menos com aceitação universal ; o que explica as dificuldades sempre que precisamos de utilizar com algum rigor este conceito. A principal razão para a falta desta definição são os critérios utilizados que variam de país para país e têm evoluído ao longo dos tempos.
  • 15. As definições de Cidade Há algumas variações de significados oficiais do que chamamos cidade. Isto porque os critérios utilizados pelos administradores urbanos são diferentes do ponto de vista jurídico ou socioeconómico/espacial. Vejamos a seguir alguns exemplos Suíça – 10.000 hab. Venezuela – 2.500 Hab . Senegal – 10.000 Hab . Índia - 5 mil hab. ou mais, uma densidade maior do que 390 habitantes por Km2 e pelo menos 75% da população empregada em atividades não-agrícolas” Em Portugal, até 1980, exigiam-se 10 mil hab. ou, não os tendo, fosse sede de distrito. Isto deixava de fora muitas povoações com esses estatuto há centenas de anos
  • 16. CIDADE critérios mais utilizados para a definir Critério demográfico : ( Pop. Absoluta...; densidade) ... Mas qualquer que seja o valor mínimo a partir do qual se considera cidade (embora muito variável de país para país, e dentro do mesmo país variável ao longo do tempo) há sempre situações de excepção , seja por questões históricas que hoje são irrelevantes, seja porque há povoações que têm o n° de habitantes mas faltam-lhes muitas características que lhes permitam uma vida própria.., e capacidade de dinamização dos espaços envolventes. (ex muitos subúrbios das grandes cidades = cidades dormitório)
  • 17. CIDADE critérios mais utilizados para a definir Critério Funcional — Actividades a que a pop. se dedica e influência da cidade sobre as áreas envolventes. Por ex. muitos países exigem que não trabalhem no sector primário mais de 25% da população.... valor que não pode ser aplicado indistintamente nos países desenvolvidos e nos países em vias de desenvolvimento.
  • 18. CIDADE critérios mais utilizados para a definir - Critério Jurídico-administrativo : Cidades definidas por decisão legislativa (ex. Capitais de distrito); vontade régia para incentivar o povoamento, recompensa por serviços prestados ou garantir a defesa das regiões de fronteira — Guarda, Beja, Tavira; Pinhel - Reconhecimento de uma função religiosa — Miranda do Douro, Portalegre)
  • 19. CIDADE critérios mais utilizados para a definir É, assim, necessário utilizar simultaneamente vários critérios ( critérios mistos ), que tenham a ver com a sua influência económica, político-administrativa e sociocultural, sobre a região que a envolve Devido à dificuldade em definir cidade é cada vez mais habitual utilizar a expressão «centro urbano», com um significado mais lato do que o de cidade, podendo referir-se a aglomerados urbanos sem essa categoria administrativa (ex. vila)
  • 20. AS ÁREAS URBANAS São frequentemente utilizados como sinónimos mas, há cidades que não são centros urbanos e estes não são necessariamente cidade. Centro Urbano Cidade ≠
  • 21. Centro Urbano e Cidade Uma cidade é uma categoria atribuída por ser uma entidade político administrativa ou por esta lhe ter sido atribuída por forma honorífica, por no passado histórico ter havido um motivo que o justificou, ainda que essa mesma entidade, actualmente não cumpra os critérios de definição de cidade. Centro urbano são os locais com população superior a 5000 habitantes ou com densidade superior a 500 habitantes por Km2.
  • 22. Como definir cidade? Em Portugal Como é difícil adoptar um critério uniforme, em Portugal foi legislado (Lei 11/82) conjugando os três critérios e fazendo diferença entre vila e cidade. Actualmente em Portugal para ser vila , uma povoação, tem de ter mais de 3000 eleitores em aglomerado populacional contínuo e que possua pelo menos metade do seguinte equipamento colectivo:
  • 23. Como definir vila? Em Portugal • posto de assistência médica; farmácia; • casa do Povo, de espectáculos, centro cultural ou outras actividades; • transportes públicos colectivos; estação dos CTT; • estabelecimentos comerciais e de hotelaria; • estabelecimento que ministre escolaridade obrigatória; • agência bancária.
  • 24. Como definir cidade? Em Portugal Para ser cidade , uma vila, tem de ter, pelo menos, 8000 eleitores em aglomerado populacional contínuo e possuir pelo menos metade dos seguintes equipamentos colectivos
  • 25. Como definir cidade? Em Portugal • instalações hospitalares com serviço de permanência; • farmácias; • corporação de bombeiros; • casa de espectáculos e centro cultural; • museu e biblioteca;
  • 26. Como definir cidade? Em Portugal • instalações de hotelaria; • estabelecimentos de ensino preparatório e secundário; • estabelecimentos de ensino pré-primário e infantários; • parques ou jardins públicos. • transportes públicos, urbanos e suburbanos;
  • 27. Como definir cidade? Em Portugal Para prevenir determinadas situações especiais legislou-se também que: Importantes razões de natureza histórica, cultural e arquitectónica poderão justificar uma ponderação diferente dos requisitos enumerados anteriormente. Nos últimos anos muitas vilas têm sido elevadas a cidade sem reunirem os requisitos necessários e onde parece que a ponderação é muito influenciada pela preocupação em satisfazer políticos locais...
  • 28. CIDADE - CONCLUSÃO A cidade é fundamentalmente um centro terciário, lugar onde se procede à troca de produtos e ideias, onde aumentam os contactos entre pessoas e instituições, se concentram os locais de convívio e diversão, se procura a escola e se vai ao hospital, se encontra o conhecimento e o apoio técnico necessários à maioria das actividades económicas. Fonte: Teresa Barata Salgueiro — A cidade em Portugal, Edições Afrontamento, 1992
  • 29. Não há duas cidades iguais por isso também não há uma definição universal No entanto há características comuns…
  • 30. Características de cidades Actividades Económicas Serviços Comércio Indústria Elementos Sociais Grande concentração de demográfica Grande densidade de construção Elementos Morfológicos Aspectos arquitectónicos Infra-estruturas de transporte Jardins e Parques Transportes Rodoviário Ferroviário
  • 31. Características de cidades Densa ocupação humana (Pop. Total e Dens. Populacional) Elevado índice de construção (edifícios altos e concentrados); Grande concentração de actividades económicas: serviços (administrativos, sociais e políticos) e comércio; Elevado nº de equipamentos sociais e culturais de lazer e educação; Bem servidas de transporte e comunicação; Elevado fluxo de trânsito e de pessoas.
  • 33. Rio de Janeiro - Favela
  • 40. Beja
  • 41. Porto
  • 43. Evolução da Taxa de Urbanização em Portugal 65% Taxa de urbanização: % de população urbana em relação à total – reflecte a tendência de concentração da população nas áreas urbanas.
  • 44. Taxa de Urbanização na UE dos Quinze, 2003 A taxa de urbanização em Portugal aumentou, significativamente, o que se deve, sobretudo, à alteração do método de cálculo da população urbana. Actualmente, o Sistema Estatístico Nacional considera urbanos, além das cidades, os locais com população superior a 5000 habitantes ou com densidade superior a 500 habitantes por Km2. Apesar desta alteração, em Portugal a taxa de urbanização é ainda das mais baixas da União Europeia dos Quinze.
  • 45. Actividades 1- Analisar os mapas da pág. 78 e responder às duas questões 2- Analisar os gráficos da pág. 79 e responder às duas questões 3- Fazer a ficha 15 do Caderno de actividades