SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ

Assunto: Literatura informativa e jesuítica
Tema: O Quinhentismo no Brasil
Alunos e números:Dafne Beatriz Sousa Santos- no 6
Danilo Souza Silva- no 7
Gabriel Alves da Silva- no 12
Gabriel Vieira Rodrigues - no 13
Série:1o ano D do Ensino médio
Professora: Maria Piedade Teodoro Silva
Disciplina: Língua Portuguesa

Jacareí, 13 de novembro de 2013.
I.

INTRODUÇÃO

Essa pesquisa tem o objetivo de conhecer os primórdios de nossa Literatura e
perceber suas influencias nos dias de hoje, buscando entender o que foi e
como ocorreu a Literatura Informativa Jesuítica na era quinhentista. A Literatura
Informativa e Jesuítica foi formada a partir do momento de colonização no novo
Brasil. Os primeiros textos escritos no Brasil foram feitos com objetivo de
documentar, precisamente, a chegada dos Portugueses ao Brasil são
informação que os viajantes relataram sobre a natureza e os homens nativos
do Brasil: são informações que os viajantes relataram sobre a natureza e os
homens nativos do Brasil. Assim nasce a Literatura Informativa. Nessa época,
também estava se expandindo a Igreja Católica, ou seja, a fé crista. Padre Jose
de Anchieta um dos principais fundadores da Literatura Jesuítica, que
utilizaram a literatura a fim de catequisar e moralizar os costumes,
principalmente dos nativos brasileiros.
A literatura dessa época, por meio de crônicas, relatava viagens ultramarinas,
“As Grandes Navegações portuguesas“, e as fantasias e aventuras que os
portugueses passaram durante as viagens.
Nos anos de 1500, com As Grandes navegações, a tripulação de Pedro
Alvares Cabral descobre um “Novo Mundo”, o Brasil. Com essa descoberta e o
encontro com os nativos ocorrem vários estranhamentos entre os portugueses
e os brasileiros e então Pero Vaz de Caminha, cronista, nos escreve a carta a
“El-Rei D.Manuel” descrevendo a viagem que eles fizeram e como eram os
brasileiros da época e descrevendo a aparência desse novo mundo, então
assim nasce à literatura de informação, e com a chegada dos jesuítas inicia-se
a Literatura Jesuítica.
ll. ORIGENS DA LITERATURA BRASILEIRA

1. Origens

As manifestações literárias que ocorreram durante o Quinhentismo no Brasil,
não podem ser consideradas exatamente como literatura, já que tinham uma
função mais documental do que literária, também podem ser consideradas
como “literatura de viagem”, apesar de usada como documento, esses escritos
se

deixam

influenciar

por

crença

e

fantasias

que

cada

tripulante

acreditavacomo, sereias e monstros marinhos.

2.Certidão de nascimento do Brasil

Na Carta, Pero Vaz descreve os índios como “Eram pardos, todos nus, sem
coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. Nas mãos traziam arcos com
suas setas. Vinham todos rijos sobre o batel, e Nicolau Coelho lhe fez sinal
para que pousassem os arcos, e pousaram.” (BOSI, 2006).
Pero Vaz fica impressionado com a nova terra, maravilhado com tamanha
riqueza natural, e descreve isso em sua Carta:
De ponta a ponta e toda praia... muito chã e muito formosa. [...]
Nela ate agora não podemos saber que haja ouro nem prata...
Porem a terra em si e de muito bons ares frescos e temperados
como de Entre-Douro-e-Minho [...] Aguas são muitas e infinitas.
E em tal maneira e graciosa que, querendo-a aproveitar dar-se a
nela tudo por causa das aguas que tem!
Porém, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será
salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que
Vossa Alteza em ela deve lançar. (BARRETO, 2011)
3. Características da literatura informativa

Um dos primeiros escritos do Brasil foram documentos de caráter informativo
referentes àterra, clima, as condições gerais de vida e as atividades
colonizadoras. Foi graças a esses retratos iniciais da terra descoberta que mais
tarde artistas puderam levar nossas letras a uma posição de autonomia.
A literatura informativa tinha uma função de informar ao rei sobre as viagens
dos portugueses nas “Grandes Navegações”, também pode ser chamada de
“literatura de viagem”. Tinham mais função informativa do que como literatura
propriamente dita.
As cartas informativas eram escritas geralmente por cronistas da época, ou
viajantes presentes no local, que se deixavam influenciar por crenças e culturas
em suas cartas.

4. Literatura jesuítica

Na época quinhentista, a literatura também era usada com objetivo de
catequizar os nativos e também os próprios portugueses, por isso chamado
então de Literatura jesuítica.Os principais jesuítas dessa época eram: Manoel
de Nobrega, Fernão de Cardim, dando destaque maior pela relevância como
poeta e escritor, José de Anchieta.

5. Padre José de Anchieta: a literatura a favor da Igreja
Anchieta era mais dedicado ao interessa português, que era catequizar e
expandir a fé cristã, o Catolicismo. Além de ser contra as torturas e a
escravização dos nativos e outros colonizadores. Depois de ter chegado, em
1533, Anchieta foi o primeiro a aprender o tupi-guarani, para atuar como
interprete entre os nativos e os europeus.
As peças escritas por Anchieta eram moralizantes e de temática bíblica, e
conseguiam aproximar e catequizar os nativos indígenas e propagar sua fé; já
as poesias de Anchieta seguiam a arte medieval, raramente, dialoga com o
Classicismo. A maioria de seus poemas utilizaram linguagens simples e
redondilhas (versos de 5 a 7 silabas poéticas).
Jose de Anchieta, então foi o primeiro poeta do Brasil, criou a gramática tupiguarani. Os nativos o chamavam de “Grande Piahy (supremo pajé branco)”.
Além de ser o criador e iniciador de nosso teatro.
Um exemplo de poesia religiosa de José de Anchieta é “Do Santíssimo
Sacramento”:
Ó que pão, ó que comida.
Ó que divino manjar
Se nos da no Santo altar
Cada dia!

Este da vida imortal,
Este mata toda fome,
Porque é fogo gastador
Que com seu divino amor
Tudo abrasa.

6. Características da literatura religiosa

A produção literária do Quinhentismo melhora consideravelmente a partir do
sec. XVI, com a chegada dos jesuítas. Seus textos com fortes traços de cultura
medieval representa manifestação de uma cultura mais organizada, seja pelo
cultivo de gêneros como poesia e teatro, ou pela cultura dos membros da
Companhia de Jesus.
Um exemplo de poesia religiosa seria “Em Deus, meu Criador” de José de
Anchieta.
Não há coisa segura.
Tudo quanto se vê
Se vai passando.
A vida não tem dura.
O bem se vai gastando
Toda criatura
Passa voando.

Contente assim, Minh „alma,
Do doce amor de Deus
Toda ferida
O mundo deixa em calma,
Buscando a outra vida,
Na qual deseja ser
Absorvida.

7. Influências da Literatura Informativa e Jesuítica nos dias atuais

Atualmente, pode se considerar que todo tipo de arte literária, como poemas,
teatros, crônicas, ou qualquer outro tipo de literatura, tiveram influencias da
literatura informativa e jesuítica, já que esses foram os primórdios de nossa
literatura, o começo da evolução literária brasileira; porém são nas crônicas
jornalísticas, tão apreciadas pelos brasileiros que se percebe a influencia dos
primeiros relatos feitos no Brasil, como a Carta de Caminha. Já a poesia
religiosa de Anchieta continua fazendo escolas, pois, hoje, se percebe vários
religiosos e leigos lançando cd‟s para catequisar e moralizar costumes, como
Padre Fabio de Mello, Padre Marcelo Rossi, além de cantores gospels, como,
Thales Roberto, Regis Danezi e Aline Barros.
III.CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nessa pesquisa, vimos que, com as Grandes Navegações, no século XV, os
portugueses acharam um “Novo Mundo”, o Brasil. Com os estranhamentos,
conflitos e a admiração da beleza natural dessa nova terra, Pero Vaz de
Caminha revela tal admiração em sua Carta, considerada a primeira escritura
produzida no Brasil, assim nasce a Literatura Informativa.
Em 1533, com a chegada dos jesuítas, e, principalmente, de José de Anchieta,
poeta e escritor mais influente da época, usa-se a literatura católica ou jesuítica
para moralizar e catequisar nativos e os próprios portugueses e colonizadores,
com a intenção de ampliar a fé cristã.Literatura jesuítica foi feita para
catequizar os nativos, assim pode ser definida.
Concluindo, pudemos notar as influencias dessas manifestações literárias em
nossa cultura atual, e também adquirimos conhecimento da literatura
Informativa e Jesuítica, entendendo oque foi e como ocorreu, alémde notar
suas consequências no Brasil Colônia: na catequese e na moralização dos
costumes.Atingimos, portanto, os objetivos da pesquisa a partirde responder
aos nossos questionamentosnesse estudo.
IV. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARRETO, Ricardo Gonçalves. Ser protagonista. São Paulo:SM Edições, 2010.
MAIA, João Domingues. Português especial. São Paulo: Ática,2003.
BOSI, Alfredo. Historia concisa da literatura brasileira São Paulo: Cultrix, 2006.
CANDORE, Luís Agostinho. Curso pratico de Português literatura gramatica e
interação. São Paulo: Ática, 1998.
CEREJA, Willian Roberto e MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português:
Linguagem volume único Ensino Médio. São Paulo: Atual, 2005.
FARACO, Carlos Alberto. Português: língua e cultura. Curitiba: Base, 2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Autores do Quinhentismo
Autores do QuinhentismoAutores do Quinhentismo
Autores do Quinhentismo
Karina Moreira
 
Cap06 quinhentismo
Cap06 quinhentismoCap06 quinhentismo
Cap06 quinhentismo
whybells
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
Elizabeth Vicente da Silva
 
Quinhentismo - Literatura de Informação
Quinhentismo - Literatura de InformaçãoQuinhentismo - Literatura de Informação
Quinhentismo - Literatura de Informação
Colégio Santa Luzia
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Sebastião Herodes
 
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Julia Maldonado Garcia
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Josi Motta
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
Estudante
 
Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.
AyandraGomes17
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
colveromachado
 
Aula 1 quinhentismo
Aula 1  quinhentismoAula 1  quinhentismo
Aula 1 quinhentismo
LIRIANY CORREIA COSTA
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Andriane Cursino
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Ana Paula Brisolar
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Izabel Antunes
 
Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0
José Ricardo Lima
 
Quinhentismo brasileiro
Quinhentismo brasileiroQuinhentismo brasileiro
Quinhentismo brasileiro
Gabriella Lima
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Estampa Cia
 
Quinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-HumanismoQuinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-Humanismo
Adriel Henrique
 
Quinhentismo by trabalho da hora
Quinhentismo by trabalho da horaQuinhentismo by trabalho da hora
Quinhentismo by trabalho da hora
Douglas Maga
 

Mais procurados (20)

Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
 
Autores do Quinhentismo
Autores do QuinhentismoAutores do Quinhentismo
Autores do Quinhentismo
 
Cap06 quinhentismo
Cap06 quinhentismoCap06 quinhentismo
Cap06 quinhentismo
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
 
Quinhentismo - Literatura de Informação
Quinhentismo - Literatura de InformaçãoQuinhentismo - Literatura de Informação
Quinhentismo - Literatura de Informação
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
 
Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Aula 1 quinhentismo
Aula 1  quinhentismoAula 1  quinhentismo
Aula 1 quinhentismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0Quinhentismo no Brasil 2.0
Quinhentismo no Brasil 2.0
 
Quinhentismo brasileiro
Quinhentismo brasileiroQuinhentismo brasileiro
Quinhentismo brasileiro
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Quinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-HumanismoQuinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-Humanismo
 
Quinhentismo by trabalho da hora
Quinhentismo by trabalho da horaQuinhentismo by trabalho da hora
Quinhentismo by trabalho da hora
 

Destaque

Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Daniel Brito
 
Barroco e arcadismo no Brasil
Barroco e arcadismo no BrasilBarroco e arcadismo no Brasil
Barroco e arcadismo no Brasil
Diana Oitabem
 
Resumo: Barroco e Arcadismo
Resumo: Barroco e ArcadismoResumo: Barroco e Arcadismo
Resumo: Barroco e Arcadismo
William Santos
 
Barroco e-arcadismo-no-brasil
Barroco e-arcadismo-no-brasilBarroco e-arcadismo-no-brasil
Barroco e-arcadismo-no-brasil
joelson1
 
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
Italo Delavechia
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Fernando Augusto
 
Trabalho de literatura barroco e arcadismo
Trabalho de literatura   barroco e arcadismoTrabalho de literatura   barroco e arcadismo
Trabalho de literatura barroco e arcadismo
Lucascese
 
Brasil: Século XVI
Brasil: Século XVIBrasil: Século XVI
Brasil: Século XVI
Max Rodrigues
 
Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
Andre Guerra
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Walace Cestari
 
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° anoProva de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA
 
Resumo Literatura
Resumo LiteraturaResumo Literatura
Resumo Literatura
Larissa Lima
 
Poemas indigenas
Poemas indigenasPoemas indigenas
Poemas indigenas
Mavi Cruz Reyes
 
Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
rosangelajoao
 
Revisão 4º bimestre - 1º ensino médio
Revisão    4º bimestre - 1º ensino médioRevisão    4º bimestre - 1º ensino médio
Revisão 4º bimestre - 1º ensino médio
Gustavo Cuin
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
Cláudia Heloísa
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
FERNANDO ERNO
 
Farsa de Inês Pereira
Farsa de Inês PereiraFarsa de Inês Pereira
Farsa de Inês Pereira
letraseleitores
 

Destaque (18)

Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Barroco e arcadismo no Brasil
Barroco e arcadismo no BrasilBarroco e arcadismo no Brasil
Barroco e arcadismo no Brasil
 
Resumo: Barroco e Arcadismo
Resumo: Barroco e ArcadismoResumo: Barroco e Arcadismo
Resumo: Barroco e Arcadismo
 
Barroco e-arcadismo-no-brasil
Barroco e-arcadismo-no-brasilBarroco e-arcadismo-no-brasil
Barroco e-arcadismo-no-brasil
 
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
LITERATURA INFORMATIVA E JESUÍTICA
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Trabalho de literatura barroco e arcadismo
Trabalho de literatura   barroco e arcadismoTrabalho de literatura   barroco e arcadismo
Trabalho de literatura barroco e arcadismo
 
Brasil: Século XVI
Brasil: Século XVIBrasil: Século XVI
Brasil: Século XVI
 
Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° anoProva de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
 
Resumo Literatura
Resumo LiteraturaResumo Literatura
Resumo Literatura
 
Poemas indigenas
Poemas indigenasPoemas indigenas
Poemas indigenas
 
Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
 
Revisão 4º bimestre - 1º ensino médio
Revisão    4º bimestre - 1º ensino médioRevisão    4º bimestre - 1º ensino médio
Revisão 4º bimestre - 1º ensino médio
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Farsa de Inês Pereira
Farsa de Inês PereiraFarsa de Inês Pereira
Farsa de Inês Pereira
 

Semelhante a 1D - Literatura informativa e jesuitica

quinhentismo no brasil.pptx
quinhentismo no brasil.pptxquinhentismo no brasil.pptx
quinhentismo no brasil.pptx
Maria192272
 
O Quinhentismo
O QuinhentismoO Quinhentismo
O Quinhentismo
hsjval
 
Literatura 05-07
Literatura 05-07Literatura 05-07
Literatura 05-07
Maira Matos
 
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptxAPRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
MickSousa1
 
Origens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.pptOrigens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.ppt
MichellyMadalena1
 
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.pptorigens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
MarcosAndr619069
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Dimas Junior
 
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
lukinha01
 
Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02
ma.no.el.ne.ves
 
Jornalismo literário no brasil
Jornalismo literário no brasilJornalismo literário no brasil
Jornalismo literário no brasil
1960RobertoNicolato
 
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptxLiteratura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
AlessandroMoreira47
 
A missão evangelizadora
A missão evangelizadoraA missão evangelizadora
A missão evangelizadora
Dulce Gomes
 
Quinhentismo..ppt
Quinhentismo..pptQuinhentismo..ppt
Quinhentismo..ppt
RICKzn
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
ProfCharlesChristie
 
Cronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimentoCronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimento
Laboratório de Informática
 
Quinhentismo e barroco 2011
Quinhentismo e barroco 2011Quinhentismo e barroco 2011
Quinhentismo e barroco 2011
BriefCase
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
grupodepaisceb
 
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
profninciateixeira
 
Quinhentismo (2012)
Quinhentismo (2012)Quinhentismo (2012)
Quinhentismo (2012)
escolavaldirfernandes
 
Mapa Conceitual Quinhentismo
Mapa Conceitual QuinhentismoMapa Conceitual Quinhentismo
Mapa Conceitual Quinhentismo
Paula Meyer Piagentini
 

Semelhante a 1D - Literatura informativa e jesuitica (20)

quinhentismo no brasil.pptx
quinhentismo no brasil.pptxquinhentismo no brasil.pptx
quinhentismo no brasil.pptx
 
O Quinhentismo
O QuinhentismoO Quinhentismo
O Quinhentismo
 
Literatura 05-07
Literatura 05-07Literatura 05-07
Literatura 05-07
 
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptxAPRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
 
Origens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.pptOrigens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.ppt
 
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.pptorigens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
 
Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02
 
Jornalismo literário no brasil
Jornalismo literário no brasilJornalismo literário no brasil
Jornalismo literário no brasil
 
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptxLiteratura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
 
A missão evangelizadora
A missão evangelizadoraA missão evangelizadora
A missão evangelizadora
 
Quinhentismo..ppt
Quinhentismo..pptQuinhentismo..ppt
Quinhentismo..ppt
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Cronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimentoCronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimento
 
Quinhentismo e barroco 2011
Quinhentismo e barroco 2011Quinhentismo e barroco 2011
Quinhentismo e barroco 2011
 
Chegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no BrasilChegada do Espiritismo no Brasil
Chegada do Espiritismo no Brasil
 
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
19219-Texto do artigo-85960-3-10-20150721.pdf
 
Quinhentismo (2012)
Quinhentismo (2012)Quinhentismo (2012)
Quinhentismo (2012)
 
Mapa Conceitual Quinhentismo
Mapa Conceitual QuinhentismoMapa Conceitual Quinhentismo
Mapa Conceitual Quinhentismo
 

Mais de Gabriel Alves

Sequência de Fibonacci - 3º ano C
Sequência de Fibonacci - 3º ano CSequência de Fibonacci - 3º ano C
Sequência de Fibonacci - 3º ano C
Gabriel Alves
 
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João CruzSequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
Gabriel Alves
 
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmasApresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
Gabriel Alves
 
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
Gabriel Alves
 
Movimento Literário Realismo -
Movimento Literário Realismo - Movimento Literário Realismo -
Movimento Literário Realismo -
Gabriel Alves
 
Memórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubasMemórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubas
Gabriel Alves
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Gabriel Alves
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Gabriel Alves
 
O Teorema do Papagaio 1D
O Teorema do Papagaio 1DO Teorema do Papagaio 1D
O Teorema do Papagaio 1D
Gabriel Alves
 

Mais de Gabriel Alves (9)

Sequência de Fibonacci - 3º ano C
Sequência de Fibonacci - 3º ano CSequência de Fibonacci - 3º ano C
Sequência de Fibonacci - 3º ano C
 
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João CruzSequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
Sequencia de Fibonacci - 3º ano João Cruz
 
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmasApresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
Apresentação sobre o livro alice no país dos enigmas
 
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
Movimento Literário Realismo: A diferença do comportamento humano conforme a ...
 
Movimento Literário Realismo -
Movimento Literário Realismo - Movimento Literário Realismo -
Movimento Literário Realismo -
 
Memórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubasMemórias póstumas de brás cubas
Memórias póstumas de brás cubas
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
O Teorema do Papagaio 1D
O Teorema do Papagaio 1DO Teorema do Papagaio 1D
O Teorema do Papagaio 1D
 

1D - Literatura informativa e jesuitica

  • 1. ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR JOÃO CRUZ Assunto: Literatura informativa e jesuítica Tema: O Quinhentismo no Brasil Alunos e números:Dafne Beatriz Sousa Santos- no 6 Danilo Souza Silva- no 7 Gabriel Alves da Silva- no 12 Gabriel Vieira Rodrigues - no 13 Série:1o ano D do Ensino médio Professora: Maria Piedade Teodoro Silva Disciplina: Língua Portuguesa Jacareí, 13 de novembro de 2013.
  • 2. I. INTRODUÇÃO Essa pesquisa tem o objetivo de conhecer os primórdios de nossa Literatura e perceber suas influencias nos dias de hoje, buscando entender o que foi e como ocorreu a Literatura Informativa Jesuítica na era quinhentista. A Literatura Informativa e Jesuítica foi formada a partir do momento de colonização no novo Brasil. Os primeiros textos escritos no Brasil foram feitos com objetivo de documentar, precisamente, a chegada dos Portugueses ao Brasil são informação que os viajantes relataram sobre a natureza e os homens nativos do Brasil: são informações que os viajantes relataram sobre a natureza e os homens nativos do Brasil. Assim nasce a Literatura Informativa. Nessa época, também estava se expandindo a Igreja Católica, ou seja, a fé crista. Padre Jose de Anchieta um dos principais fundadores da Literatura Jesuítica, que utilizaram a literatura a fim de catequisar e moralizar os costumes, principalmente dos nativos brasileiros. A literatura dessa época, por meio de crônicas, relatava viagens ultramarinas, “As Grandes Navegações portuguesas“, e as fantasias e aventuras que os portugueses passaram durante as viagens. Nos anos de 1500, com As Grandes navegações, a tripulação de Pedro Alvares Cabral descobre um “Novo Mundo”, o Brasil. Com essa descoberta e o encontro com os nativos ocorrem vários estranhamentos entre os portugueses e os brasileiros e então Pero Vaz de Caminha, cronista, nos escreve a carta a “El-Rei D.Manuel” descrevendo a viagem que eles fizeram e como eram os brasileiros da época e descrevendo a aparência desse novo mundo, então assim nasce à literatura de informação, e com a chegada dos jesuítas inicia-se a Literatura Jesuítica.
  • 3. ll. ORIGENS DA LITERATURA BRASILEIRA 1. Origens As manifestações literárias que ocorreram durante o Quinhentismo no Brasil, não podem ser consideradas exatamente como literatura, já que tinham uma função mais documental do que literária, também podem ser consideradas como “literatura de viagem”, apesar de usada como documento, esses escritos se deixam influenciar por crença e fantasias que cada tripulante acreditavacomo, sereias e monstros marinhos. 2.Certidão de nascimento do Brasil Na Carta, Pero Vaz descreve os índios como “Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. Nas mãos traziam arcos com suas setas. Vinham todos rijos sobre o batel, e Nicolau Coelho lhe fez sinal para que pousassem os arcos, e pousaram.” (BOSI, 2006). Pero Vaz fica impressionado com a nova terra, maravilhado com tamanha riqueza natural, e descreve isso em sua Carta: De ponta a ponta e toda praia... muito chã e muito formosa. [...] Nela ate agora não podemos saber que haja ouro nem prata... Porem a terra em si e de muito bons ares frescos e temperados como de Entre-Douro-e-Minho [...] Aguas são muitas e infinitas. E em tal maneira e graciosa que, querendo-a aproveitar dar-se a nela tudo por causa das aguas que tem! Porém, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar. (BARRETO, 2011)
  • 4. 3. Características da literatura informativa Um dos primeiros escritos do Brasil foram documentos de caráter informativo referentes àterra, clima, as condições gerais de vida e as atividades colonizadoras. Foi graças a esses retratos iniciais da terra descoberta que mais tarde artistas puderam levar nossas letras a uma posição de autonomia. A literatura informativa tinha uma função de informar ao rei sobre as viagens dos portugueses nas “Grandes Navegações”, também pode ser chamada de “literatura de viagem”. Tinham mais função informativa do que como literatura propriamente dita. As cartas informativas eram escritas geralmente por cronistas da época, ou viajantes presentes no local, que se deixavam influenciar por crenças e culturas em suas cartas. 4. Literatura jesuítica Na época quinhentista, a literatura também era usada com objetivo de catequizar os nativos e também os próprios portugueses, por isso chamado então de Literatura jesuítica.Os principais jesuítas dessa época eram: Manoel de Nobrega, Fernão de Cardim, dando destaque maior pela relevância como poeta e escritor, José de Anchieta. 5. Padre José de Anchieta: a literatura a favor da Igreja Anchieta era mais dedicado ao interessa português, que era catequizar e expandir a fé cristã, o Catolicismo. Além de ser contra as torturas e a escravização dos nativos e outros colonizadores. Depois de ter chegado, em 1533, Anchieta foi o primeiro a aprender o tupi-guarani, para atuar como interprete entre os nativos e os europeus.
  • 5. As peças escritas por Anchieta eram moralizantes e de temática bíblica, e conseguiam aproximar e catequizar os nativos indígenas e propagar sua fé; já as poesias de Anchieta seguiam a arte medieval, raramente, dialoga com o Classicismo. A maioria de seus poemas utilizaram linguagens simples e redondilhas (versos de 5 a 7 silabas poéticas). Jose de Anchieta, então foi o primeiro poeta do Brasil, criou a gramática tupiguarani. Os nativos o chamavam de “Grande Piahy (supremo pajé branco)”. Além de ser o criador e iniciador de nosso teatro. Um exemplo de poesia religiosa de José de Anchieta é “Do Santíssimo Sacramento”: Ó que pão, ó que comida. Ó que divino manjar Se nos da no Santo altar Cada dia! Este da vida imortal, Este mata toda fome, Porque é fogo gastador Que com seu divino amor Tudo abrasa. 6. Características da literatura religiosa A produção literária do Quinhentismo melhora consideravelmente a partir do sec. XVI, com a chegada dos jesuítas. Seus textos com fortes traços de cultura medieval representa manifestação de uma cultura mais organizada, seja pelo cultivo de gêneros como poesia e teatro, ou pela cultura dos membros da Companhia de Jesus. Um exemplo de poesia religiosa seria “Em Deus, meu Criador” de José de Anchieta.
  • 6. Não há coisa segura. Tudo quanto se vê Se vai passando. A vida não tem dura. O bem se vai gastando Toda criatura Passa voando. Contente assim, Minh „alma, Do doce amor de Deus Toda ferida O mundo deixa em calma, Buscando a outra vida, Na qual deseja ser Absorvida. 7. Influências da Literatura Informativa e Jesuítica nos dias atuais Atualmente, pode se considerar que todo tipo de arte literária, como poemas, teatros, crônicas, ou qualquer outro tipo de literatura, tiveram influencias da literatura informativa e jesuítica, já que esses foram os primórdios de nossa literatura, o começo da evolução literária brasileira; porém são nas crônicas jornalísticas, tão apreciadas pelos brasileiros que se percebe a influencia dos primeiros relatos feitos no Brasil, como a Carta de Caminha. Já a poesia religiosa de Anchieta continua fazendo escolas, pois, hoje, se percebe vários religiosos e leigos lançando cd‟s para catequisar e moralizar costumes, como Padre Fabio de Mello, Padre Marcelo Rossi, além de cantores gospels, como, Thales Roberto, Regis Danezi e Aline Barros.
  • 7. III.CONSIDERAÇÕES FINAIS Nessa pesquisa, vimos que, com as Grandes Navegações, no século XV, os portugueses acharam um “Novo Mundo”, o Brasil. Com os estranhamentos, conflitos e a admiração da beleza natural dessa nova terra, Pero Vaz de Caminha revela tal admiração em sua Carta, considerada a primeira escritura produzida no Brasil, assim nasce a Literatura Informativa. Em 1533, com a chegada dos jesuítas, e, principalmente, de José de Anchieta, poeta e escritor mais influente da época, usa-se a literatura católica ou jesuítica para moralizar e catequisar nativos e os próprios portugueses e colonizadores, com a intenção de ampliar a fé cristã.Literatura jesuítica foi feita para catequizar os nativos, assim pode ser definida. Concluindo, pudemos notar as influencias dessas manifestações literárias em nossa cultura atual, e também adquirimos conhecimento da literatura Informativa e Jesuítica, entendendo oque foi e como ocorreu, alémde notar suas consequências no Brasil Colônia: na catequese e na moralização dos costumes.Atingimos, portanto, os objetivos da pesquisa a partirde responder aos nossos questionamentosnesse estudo.
  • 8. IV. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARRETO, Ricardo Gonçalves. Ser protagonista. São Paulo:SM Edições, 2010. MAIA, João Domingues. Português especial. São Paulo: Ática,2003. BOSI, Alfredo. Historia concisa da literatura brasileira São Paulo: Cultrix, 2006. CANDORE, Luís Agostinho. Curso pratico de Português literatura gramatica e interação. São Paulo: Ática, 1998. CEREJA, Willian Roberto e MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: Linguagem volume único Ensino Médio. São Paulo: Atual, 2005. FARACO, Carlos Alberto. Português: língua e cultura. Curitiba: Base, 2003.