SlideShare uma empresa Scribd logo
QUINHENTISMO
No Brasil
01
Introdução
Brasil, século XVI
 O Quinhentismo representa a primeira manifestação literária no
Brasil que também ficou conhecida como "literatura de
informação“;
 É um período literário que reúne relatos de viagem com
características informativas e descritivas. São textos que
descrevem as terras descobertas pelos portugueses no século
XVI, desde a fauna, a flora e o povo;
 O Quinhentismo brasileiro ocorreu paralelo ao Classicismo
português e o nome do período refere-se a data de início: 1500;
Contexto Histórico
Com a chegada dos portugueses
em território brasileiro em 1500, as
terras encontradas foram relatadas
pelos escrivães que
acompanhavam os navios.
Assim, a literatura de informação
foi produzida pelos viajantes no
início do século XVI, no período do
Descobrimento do Brasil e das
Grandes navegações.
Além disso, os jesuítas,
responsáveis por catequizarem
os índios, criaram uma nova
categoria de textos que fizeram
parte do quinhentismo: a
“literatura de catequese”.
Os principais cronistas desse
período são: Pero Vaz de
Caminha, Pero Magalhães
Gândavo, Padre manuel da
Nóbrega e Padre José de
Anchieta.
Características do Quinhentismo
•Crônicas de informação ou crônicas de viagem;
• Textos de caráter documental e religioso;
• Uso de uma linguagem simples;
• Descrição e exaltação à terra;
• Uso exagerado de adjetivos e superlativos;
• Literatura pedagógica: poesia didática e teatro
pedagógico
02
Autores e Obras
Autor
Biografia
Escrivão-mor da esquadra liderada
por Pedro Álvares Cabral, Pero Vaz
de Caminha, escritor e vereador
português, registrou suas primeiras
impressões acerca das terras
brasileiras. Fez isso por meio da
"Carta de Achamento do Brasil"
datada de 1.º de maio de 1500.
Portugal
1450-1500
A Carta de Pero Vaz
de Caminha, escrita
para o Rei de
Portugal, D. Manuel, é
considerada o marco
inicial da Literatura
Brasileira, visto ser o
primeiro documento
escrito sobre a história
do Brasil.
Seu conteúdo aborda
os primeiros contatos
dos lusitanos com os
indígenas brasileiros,
bem como as
informações e
impressões sobre a
descoberta das novas
terras.
Pero Vaz de Caminha
Autor
Biografia
José de Anchieta foi historiador, gramático,
poeta, teatrólogo e um padre jesuíta espanhol.
No Brasil, ele teve a função de catequizar os
índios sendo um defensor desse povo contra os
abusos dos colonizadores portugueses.
Dessa maneira, ele aprendeu a língua tupi e
desenvolveu a primeira gramática da língua
indígena, chamada de "Língua Geral".
Espanha
1534-1497
Suas principais
obras são "Arte
de gramática da
língua mais
usada na costa
do Brasil" (1595)
e "Poema à
virgem".
A obra do Padre
José de Anchieta
só foi totalmente
publicada no
Brasil na
segunda metade
do século XX.
Pe. José de
Anchieta
Autor
Biografia
Pero de Magalhães foi gramático, professor, historiador e
cronista português. Ficou conhecido pelos relatos que fez sobre a
fauna, a flora e a dimensão das terras brasileiras em seu livro
“História da província de Santa Cruz a que vulgarmente
chamamos de Brasil”.
Além dos animais distintos e das plantas exóticas, ele descreve
sobre os povos indígenas e a descoberta do Brasil por Pedro
Álvares Cabral. Outra obra que merece destaque é “O Tratado da
Terra do Brasil” (1576).
Portugal
1540-
1580
Pero de Magalhães Gândavo
Autor
Biografia
Padre Manuel da Nóbrega foi um
jesuíta português e chefe da
primeira missão jesuítica à
América: Armada de Tomé de
Sousa (1549). Participou da
primeira missa realizada no Brasil
e da fundação das cidades de
Salvador e Rio de Janeiro.
Portugal
1517-1570
Seu trabalho no Brasil
foi de catequizar os
índios e suas obras que
merecem destaque
são:
• “Informação da Terra
do Brasil” (1549);
• “Diálogo sobre a
conversão do gentio”
(1557);
• “Tratado contra a
Antropofagia” (1559).
Pe. Manuel da
Nóbrega
03. Literatura de
Catequese
A Literatura de Catequese está diretamente relacionado a
chegada dos padres jesuítas ao Brasil, após o descobrimento
da terra pelas navegações de Pedro Alvares Cabral.
Também chamado de Literatura dos Jesuítas, a literatura de
catequese corresponde a segunda fase do movimento literário
quinhentista. Ou seja, foi o período de 1500, com o
descobrimento do Brasil, que se deu início aos escritos e textos
da literatura brasileira.
O que foi a literatura de
catequese?
● A literatura de catequese se tratava da
conversão dos índios para a cultura do
homem branco. Ou seja, fazer com que
os índios fossem catequizados à
religião e a cultura do cristianismo,
predominante em Portugal.
● Havia dois pontos em relação a
catequização dos índios: o lado bom
era que os jesuítas protegiam os
índios, e até agregavam a cultura
indígena com a do homem branco. O
lado ruim era que houve apenas a
proteção dos índios, e esqueceram
outro grupo que veio para o Brasil
forçadamente, os africanos.
● Os textos da literatura de catequese
tinham o caráter didático e pedagógico
voltados para a moral religiosa cristã,
com temas pautadas a trechos e
passagens da bíblia, com encenações
da vida de Jesus e dos santos. Esse
estilo também foi marcado pela poesia
didática e linguagem de fácil
entendimento e simples. E tinha o
intuito de pregar o senso moral aos
índios, fundamentados no cristianismo.
● Entre os principais autores da
literatura de catequeses, três se
destacaram na missão de
catequização: Fernão Cardim, Padre
04 - final
A Carta de Pero Vaz de
Caminha
A Carta de Caminha é considerada o primeiro
documento redigido no Brasil e, por esse motivo, é
o marco literário do País. Ele faz parte da primeira
manifestação literária pertencente ao movimento do
Quinhentismo.
A “Carta de Pero Vaz de Caminha” ou “Carta
a el-Rei Dom Manoel sobre o achamento do
Brasil” foi um documento escrito pelo escrivão
português Pero Vaz de Caminha.
A Carta de Pero Vaz de Caminha
Sobre o seu conteúdo, foi uma carta redigida para o rei, de
modo a comunicar-lhe o descobrimento das novas terras.
O deslumbramento dos europeus em relação à descoberta do
“Novo Mundo” é bem evidente nos registros feitos por Caminha.
Na Carta ele descreve suas impressões sobre o território que
viria a ser chamado de Brasil.
Ele documenta a composição física à primeira vista do território.
Além disso, narra o episódio do desembarque dos portugueses
na praia, o primeiro encontro entre os índios e os colonizadores,
e a primeira missa realizada no Brasil.
Conteúdo da carta
“Ali veríeis galantes, pintados de preto e
vermelho, e quartejados, assim pelos
corpos como pelas pernas, que, certo,
assim pareciam bem. Também andavam
entre eles quatro ou cinco mulheres, novas,
que assim nuas, não pareciam mal. Entre
elas andava uma, com uma coxa, do joelho
até o quadril e a nádega, toda tingida
daquela tintura preta; e todo o resto da sua
cor natural. Outra trazia ambos os joelhos
com as curvas assim tintas, e também os
colos dos pés; e suas vergonhas tão nuas,
e com tanta inocência assim descobertas,
que não havia nisso desvergonha
nenhuma.”
Trechos da carta
“Todos andam rapados até por cima das
orelhas; assim mesmo de sobrancelhas e
pestanas. Trazem todos as testas, de fonte
a fonte, tintas de tintura preta, que parece
uma fita preta da largura de dois dedos.”
Créditos para:
Geovanna Goulart (n°. 12)
Maria Clara (n°. 22)
Matheus Willian (n°. 24)
Sharay Simão (n°. 31)
Thiago Luiz (n°. 34)
Turma Elô 211 – ETEJLN – 2022
Fim da apresentação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.
AyandraGomes17
 
Aula sobre o arcadismo
Aula sobre o arcadismoAula sobre o arcadismo
Aula sobre o arcadismo
Elizabeth Vicente da Silva
 
Quinhentismo i
Quinhentismo iQuinhentismo i
Quinhentismo i
Nádia França
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
Edina Costa
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Naldinho Amorim
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Ana Paula Brisolar
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
Estudante
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
colveromachado
 
Barroco
Barroco   Barroco
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
Pedro Andrade
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
Gleidson Luis
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
7 de Setembro
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
Ana Paula Brisolar
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Humanismo -slides
Humanismo  -slidesHumanismo  -slides
Humanismo -slides
Aparecida Mallagoli
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
Andriane Cursino
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
Andréia Peixoto
 
3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog
Luciene Gomes
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
Bruna Wagner
 

Mais procurados (20)

Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.Quinhentismo/ Literatura de informação.
Quinhentismo/ Literatura de informação.
 
Aula sobre o arcadismo
Aula sobre o arcadismoAula sobre o arcadismo
Aula sobre o arcadismo
 
Quinhentismo i
Quinhentismo iQuinhentismo i
Quinhentismo i
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literatura de informação
Literatura de informaçãoLiteratura de informação
Literatura de informação
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Barroco
Barroco   Barroco
Barroco
 
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
Literatura Brasileira [Quinhentismo, Barroco, Arcadismo]
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Humanismo -slides
Humanismo  -slidesHumanismo  -slides
Humanismo -slides
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
 
3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog3ª fase do modernismo blog
3ª fase do modernismo blog
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
 

Semelhante a quinhentismo no brasil.pptx

Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Estampa Cia
 
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptxAPRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
MickSousa1
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Andriane Cursino
 
1D - Literatura informativa e jesuitica
1D - Literatura informativa e jesuitica1D - Literatura informativa e jesuitica
1D - Literatura informativa e jesuitica
Gabriel Alves
 
O Quinhentismo
O QuinhentismoO Quinhentismo
O Quinhentismo
hsjval
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
FERNANDO ERNO
 
Aula de quinhentismo
Aula de quinhentismoAula de quinhentismo
Aula de quinhentismo
Dan Negreiros
 
Quinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-HumanismoQuinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-Humanismo
Adriel Henrique
 
Autores do Quinhentismo
Autores do QuinhentismoAutores do Quinhentismo
Autores do Quinhentismo
Karina Moreira
 
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
lukinha01
 
Origens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.pptOrigens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.ppt
MichellyMadalena1
 
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.pptorigens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
MarcosAndr619069
 
Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02
ma.no.el.ne.ves
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
Sebastião Herodes
 
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptxLiteratura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
AlessandroMoreira47
 
Literatura 05-07
Literatura 05-07Literatura 05-07
Literatura 05-07
Maira Matos
 
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Julia Maldonado Garcia
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
ProfCharlesChristie
 
Cronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimentoCronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimento
Laboratório de Informática
 
Cronistas do Descobrimento
Cronistas do DescobrimentoCronistas do Descobrimento
Cronistas do Descobrimento
Laboratório de Informática
 

Semelhante a quinhentismo no brasil.pptx (20)

Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptxAPRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
APRESENTAÇÃO_Quinhentismo.pptx
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
1D - Literatura informativa e jesuitica
1D - Literatura informativa e jesuitica1D - Literatura informativa e jesuitica
1D - Literatura informativa e jesuitica
 
O Quinhentismo
O QuinhentismoO Quinhentismo
O Quinhentismo
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Aula de quinhentismo
Aula de quinhentismoAula de quinhentismo
Aula de quinhentismo
 
Quinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-HumanismoQuinhentismo-Humanismo
Quinhentismo-Humanismo
 
Autores do Quinhentismo
Autores do QuinhentismoAutores do Quinhentismo
Autores do Quinhentismo
 
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
Literaturadeinformao 100813150537-phpapp02
 
Origens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.pptOrigens da literatura brasileira.ppt
Origens da literatura brasileira.ppt
 
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.pptorigens-da-literatura-brasileira 201.ppt
origens-da-literatura-brasileira 201.ppt
 
Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02Revisando o quinhentismo, 02
Revisando o quinhentismo, 02
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptxLiteratura Brasileira do século XVI.pptx
Literatura Brasileira do século XVI.pptx
 
Literatura 05-07
Literatura 05-07Literatura 05-07
Literatura 05-07
 
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
Literatura - Quinhentismo Brasileiro.
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Cronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimentoCronistas do descobrimento
Cronistas do descobrimento
 
Cronistas do Descobrimento
Cronistas do DescobrimentoCronistas do Descobrimento
Cronistas do Descobrimento
 

Último

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

quinhentismo no brasil.pptx

  • 3. Brasil, século XVI  O Quinhentismo representa a primeira manifestação literária no Brasil que também ficou conhecida como "literatura de informação“;  É um período literário que reúne relatos de viagem com características informativas e descritivas. São textos que descrevem as terras descobertas pelos portugueses no século XVI, desde a fauna, a flora e o povo;  O Quinhentismo brasileiro ocorreu paralelo ao Classicismo português e o nome do período refere-se a data de início: 1500;
  • 4. Contexto Histórico Com a chegada dos portugueses em território brasileiro em 1500, as terras encontradas foram relatadas pelos escrivães que acompanhavam os navios. Assim, a literatura de informação foi produzida pelos viajantes no início do século XVI, no período do Descobrimento do Brasil e das Grandes navegações. Além disso, os jesuítas, responsáveis por catequizarem os índios, criaram uma nova categoria de textos que fizeram parte do quinhentismo: a “literatura de catequese”. Os principais cronistas desse período são: Pero Vaz de Caminha, Pero Magalhães Gândavo, Padre manuel da Nóbrega e Padre José de Anchieta.
  • 5. Características do Quinhentismo •Crônicas de informação ou crônicas de viagem; • Textos de caráter documental e religioso; • Uso de uma linguagem simples; • Descrição e exaltação à terra; • Uso exagerado de adjetivos e superlativos; • Literatura pedagógica: poesia didática e teatro pedagógico
  • 7. Autor Biografia Escrivão-mor da esquadra liderada por Pedro Álvares Cabral, Pero Vaz de Caminha, escritor e vereador português, registrou suas primeiras impressões acerca das terras brasileiras. Fez isso por meio da "Carta de Achamento do Brasil" datada de 1.º de maio de 1500. Portugal 1450-1500 A Carta de Pero Vaz de Caminha, escrita para o Rei de Portugal, D. Manuel, é considerada o marco inicial da Literatura Brasileira, visto ser o primeiro documento escrito sobre a história do Brasil. Seu conteúdo aborda os primeiros contatos dos lusitanos com os indígenas brasileiros, bem como as informações e impressões sobre a descoberta das novas terras. Pero Vaz de Caminha
  • 8. Autor Biografia José de Anchieta foi historiador, gramático, poeta, teatrólogo e um padre jesuíta espanhol. No Brasil, ele teve a função de catequizar os índios sendo um defensor desse povo contra os abusos dos colonizadores portugueses. Dessa maneira, ele aprendeu a língua tupi e desenvolveu a primeira gramática da língua indígena, chamada de "Língua Geral". Espanha 1534-1497 Suas principais obras são "Arte de gramática da língua mais usada na costa do Brasil" (1595) e "Poema à virgem". A obra do Padre José de Anchieta só foi totalmente publicada no Brasil na segunda metade do século XX. Pe. José de Anchieta
  • 9. Autor Biografia Pero de Magalhães foi gramático, professor, historiador e cronista português. Ficou conhecido pelos relatos que fez sobre a fauna, a flora e a dimensão das terras brasileiras em seu livro “História da província de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos de Brasil”. Além dos animais distintos e das plantas exóticas, ele descreve sobre os povos indígenas e a descoberta do Brasil por Pedro Álvares Cabral. Outra obra que merece destaque é “O Tratado da Terra do Brasil” (1576). Portugal 1540- 1580 Pero de Magalhães Gândavo
  • 10. Autor Biografia Padre Manuel da Nóbrega foi um jesuíta português e chefe da primeira missão jesuítica à América: Armada de Tomé de Sousa (1549). Participou da primeira missa realizada no Brasil e da fundação das cidades de Salvador e Rio de Janeiro. Portugal 1517-1570 Seu trabalho no Brasil foi de catequizar os índios e suas obras que merecem destaque são: • “Informação da Terra do Brasil” (1549); • “Diálogo sobre a conversão do gentio” (1557); • “Tratado contra a Antropofagia” (1559). Pe. Manuel da Nóbrega
  • 12. A Literatura de Catequese está diretamente relacionado a chegada dos padres jesuítas ao Brasil, após o descobrimento da terra pelas navegações de Pedro Alvares Cabral. Também chamado de Literatura dos Jesuítas, a literatura de catequese corresponde a segunda fase do movimento literário quinhentista. Ou seja, foi o período de 1500, com o descobrimento do Brasil, que se deu início aos escritos e textos da literatura brasileira.
  • 13. O que foi a literatura de catequese? ● A literatura de catequese se tratava da conversão dos índios para a cultura do homem branco. Ou seja, fazer com que os índios fossem catequizados à religião e a cultura do cristianismo, predominante em Portugal. ● Havia dois pontos em relação a catequização dos índios: o lado bom era que os jesuítas protegiam os índios, e até agregavam a cultura indígena com a do homem branco. O lado ruim era que houve apenas a proteção dos índios, e esqueceram outro grupo que veio para o Brasil forçadamente, os africanos. ● Os textos da literatura de catequese tinham o caráter didático e pedagógico voltados para a moral religiosa cristã, com temas pautadas a trechos e passagens da bíblia, com encenações da vida de Jesus e dos santos. Esse estilo também foi marcado pela poesia didática e linguagem de fácil entendimento e simples. E tinha o intuito de pregar o senso moral aos índios, fundamentados no cristianismo. ● Entre os principais autores da literatura de catequeses, três se destacaram na missão de catequização: Fernão Cardim, Padre
  • 14. 04 - final A Carta de Pero Vaz de Caminha
  • 15. A Carta de Caminha é considerada o primeiro documento redigido no Brasil e, por esse motivo, é o marco literário do País. Ele faz parte da primeira manifestação literária pertencente ao movimento do Quinhentismo. A “Carta de Pero Vaz de Caminha” ou “Carta a el-Rei Dom Manoel sobre o achamento do Brasil” foi um documento escrito pelo escrivão português Pero Vaz de Caminha. A Carta de Pero Vaz de Caminha
  • 16. Sobre o seu conteúdo, foi uma carta redigida para o rei, de modo a comunicar-lhe o descobrimento das novas terras. O deslumbramento dos europeus em relação à descoberta do “Novo Mundo” é bem evidente nos registros feitos por Caminha. Na Carta ele descreve suas impressões sobre o território que viria a ser chamado de Brasil. Ele documenta a composição física à primeira vista do território. Além disso, narra o episódio do desembarque dos portugueses na praia, o primeiro encontro entre os índios e os colonizadores, e a primeira missa realizada no Brasil. Conteúdo da carta
  • 17. “Ali veríeis galantes, pintados de preto e vermelho, e quartejados, assim pelos corpos como pelas pernas, que, certo, assim pareciam bem. Também andavam entre eles quatro ou cinco mulheres, novas, que assim nuas, não pareciam mal. Entre elas andava uma, com uma coxa, do joelho até o quadril e a nádega, toda tingida daquela tintura preta; e todo o resto da sua cor natural. Outra trazia ambos os joelhos com as curvas assim tintas, e também os colos dos pés; e suas vergonhas tão nuas, e com tanta inocência assim descobertas, que não havia nisso desvergonha nenhuma.” Trechos da carta “Todos andam rapados até por cima das orelhas; assim mesmo de sobrancelhas e pestanas. Trazem todos as testas, de fonte a fonte, tintas de tintura preta, que parece uma fita preta da largura de dois dedos.”
  • 18. Créditos para: Geovanna Goulart (n°. 12) Maria Clara (n°. 22) Matheus Willian (n°. 24) Sharay Simão (n°. 31) Thiago Luiz (n°. 34) Turma Elô 211 – ETEJLN – 2022 Fim da apresentação.