SlideShare uma empresa Scribd logo
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                               BIOLOGIA
                              PRIMEIRA QUESTÃO


      Embora sejam sésseis, as plantas podem apresentar alguns movimentos em resposta
a estímulos externos, como o da planta carnívora dioneia, que consegue fechar rapidamente
os folíolos ao contato com um inseto. Outras plantas podem apresentar movimentos em
relação à gravidade e à luz, chamados tropismos.
      Proponha um experimento para saber se uma dada planta possui algum tipo de
tropismo, apresentando sua hipótese e como faria para confirmá-la.




                              SEGUNDA QUESTÃO

      Devido ao aumento do comércio exterior e ao deslocamento humano para fins de
negócios e turismo, o tráfego de aeronaves e embarcações entre países está cada vez mais
intenso. Juntamente com esses veículos, podem ser transportados, de forma não
intencional, animais, plantas e micro-organismos.


A) Animais transportados nessas condições são considerados animais exóticos invasores.
   Descreva dois problemas ambientais que podem ser causados por esses animais.

B) Descreva duas doenças causadas por micro-organismos que podem ser disseminadas
   pelos passageiros de aviões, trens, navios e outros veículos coletivos.




Biologia                                                                         Página 1
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                              TERCEIRA QUESTÃO

     O conhecimento científico acerca da sexualidade humana tem possibilitado às
pessoas controlar conscientemente a reprodução, seja por meio de métodos contraceptivos
permanentes (esterilização), seja por meio de métodos temporários.

A) Apresente e explique o funcionamento de um método contraceptivo permanente e de
   um método contraceptivo temporário.

B) Comente sobre os métodos contraceptivos que, além de evitarem a gravidez, também
   são eficientes na prevenção a doenças sexualmente transmissíveis.

C) Explique por que o coito interrompido e o método do ritmo ovulatório (tabelinha) são
   considerados de baixa eficácia.




                                QUARTA QUESTÃO


      A ideia de evolução proposta por Charles Darwin é considerada uma das mais
importantes revoluções intelectuais do século XIX. De acordo com a teoria darwinista, todos
os seres vivos descendem de ancestrais comuns e teriam evoluído por meio da seleção
natural.


A) Explique por que a análise de fósseis contribui com evidências sobre a evolução das
   espécies.

B) Explique por que os órgãos vestigiais como o apêndice do ser humano e as estruturas
   homólogas em diferentes animais (golfinho, cavalo, ave, morcego e o ser humano)
   podem ser consideradas evidências evolutivas.




Biologia                                                                          Página 2
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                     FÍSICA
                                PRIMEIRA QUESTÃO

     Um corpo em estado sólido possui massa de 500 g e recebe calor de um aquecedor,
cuja potência é de 20W. Nesse processo, a temperatura do corpo varia em função do
tempo, conforme indica o gráfico a seguir.




Considere 1 cal = 4 J.


A) Qual o calor específico do corpo sólido submetido a esse aquecimento?

B) Caso a mesma situação se repetisse, porém o material sólido fosse substituído por
   outro similar, com calor específico menor, o que ocorreria com o valor do ângulo a
   indicado no gráfico?




                               SEGUNDA QUESTÃO

      O circuito representado na figura abaixo mostra um gerador de força eletromotriz (E)
igual a 12 V e resistência interna (r) de 2 Ω, ligado a um receptor, de força contra-
eletromotriz (E´) de 8V e resistência interna (r´) de 4 Ω.




A) Calcule o valor da intensidade da corrente que percorre o circuito.

B) Nas condições dadas, qual o rendimento obtido pelo gerador e pelo receptor?

Física                                                                            Página 3
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva


                               TERCEIRA QUESTÃO


      Uma ambulância possui uma sirene que emite um som contínuo, originalmente, de
frequência 300 Hz. Esta mesma ambulância está trafegando por uma cidade com a sirene
ligada e, atrás dela, um motorista conduz seu carro na mesma direção e com a mesma
velocidade. Os dois veículos vão ao encontro de um pedestre, que está parado em um
cruzamento a algumas dezenas de metros à frente.

A) Ordene, de forma crescente, os valores da frequência original emitida pela sirene, da
   frequência percebida pelo motorista que trafega atrás da ambulância e daquela ouvida
   pelo pedestre parado na rua.

B) Do ponto de vista físico, explique por que a frequência do som é percebida pelos
   ouvidos do pedestre de forma alterada em relação à originalmente oriunda da fonte
   emissora.




                                QUARTA QUESTÃO

      No ponto C do esquema abaixo está localizado um cubo maciço e homogêneo de
madeira, cujas dimensões são: 50 cm de comprimento, 40 cm de largura e 20 cm de altura.
Ele está parado e em equilíbrio.




A) Calcule os valores das trações nos fios A e B.

B) Calcule os valores das trações nos fios A e B após o mesmo cubo ser mergulhado em
   um recipiente contendo 50 litros de água pura.


Dados: densidade da madeira: 1,5 g/cm3 e densidade da água: 1g/cm3.




Física                                                                          Página 4
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                     GEOGRAFIA
                                       PRIMEIRA QUESTÃO
     O euro vai mal. Registrou uma queda em relação ao dólar, valendo agora US$
     1,2696 [...] no dia 6 de maio, a moeda única europeia perdeu quatro centavos.
     Não é uma queda catastrófica. Ela agrada os exportadores, prejudicados com o
     vigor do euro em relação ao dólar ou ao iene. Mas na realidade o recuo da
     moeda é sinal da péssima saúde da União Europeia e da zona do euro [...]. A
     zona do euro, essa entidade cujo objetivo é reunir as economias discrepantes do
     Velho Continente, está dividida em duas zonas: ao norte, os "virtuosos" [...] que
     prosseguem sua marcha para a frente. Ao sul, os "estropiados" [...] todos em
     recessão.
              Disponível em: < http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-crise-europeia-esta-em-plena-forma-
                                                      874088,0.htm> Acesso em: jul. 2012 (fragmento adaptado).

      A recente crise na União Europeia arrasta-se desde os idos de 2008, tendo se
aprofundado em 2011 e seguindo cada vez mais forte em 2012. Sobre esta temática, faça o
que se pede.

A) Apresente e explique, pelo menos, duas causas da crise recente da União Europeia.

B) Cite dois países da União Europeia que se enquadram na definição de ―virtuoso‖ e dois
   que se enquadram na definição de ―estropiado‖, de acordo com o fragmento acima.

C) Exponha duas consequências da crise recente da União Europeia para os países
   ―estropiados‖ que enfrentam as maiores recessões.


                                       SEGUNDA QUESTÃO
     A conservação do solo se destaca na agenda da agricultura sustentável. Base
     da produção, é na fartura da terra que vinga a riqueza das plantas e dos animais,
     fornecendo alimentos, matérias-primas e, agora, energia renovável. Cuidar do
     solo significa garantir o futuro. O Dia Mundial da Conservação do Solo se
     comemora em 15 de abril. A data homenageia o nascimento, em 1881, do norte-
     americano Hugh Bennett, considerado o pai da conservação do solo. Um
     pioneiro.

        Francisco Graziano. Disponível em:< http://www.eagora.org.br/arquivo/Solo-tropical>. Acesso em: jun. 2012.


      A conservação dos solos, em especial os tropicais, mais susceptíveis a processos de
degradação, é tema importante dos debates sobre meio ambiente e sustentabilidade
planetária. Existem várias técnicas de conservação dos solos. Em solos tropicais a
conservação e as técnicas de manejo podem ser entendidas como mecânicas, vegetativas e
edáficas. As edáficas podem ser exemplificadas pelo controle das queimadas, rotação de
culturas, adubações e calagens e o plantio direto. Acerca das técnicas edáficas, responda:

A) Quais as vantagens do Plantio Direto em solos tropicais?

B) Em que consiste a técnica de rotação de culturas e como esta auxilia o aumento
   produtivo de gramíneas, cereais e outras culturas semelhantes?

C) De que maneira as queimadas podem reduzir a fertilidade dos solos?

Geografia                                                                                                     Página 5
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                         TERCEIRA QUESTÃO
      A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de
referência do Censo Demográfico 2010. A série de censos brasileiros mostra que a
população experimentou sucessivos aumentos em seu contingente, tendo crescido quase
vinte vezes desde o primeiro recenseamento realizado no Brasil, em 1872, quando tinha
9.930.478 habitantes, como representado na tabela abaixo.

                População e taxa média geométrica de crescimento anual – Brasil – 1872/2010
                                                                     Taxa média geométrica de
              Datas                     População residente
                                                                        crescimento anual (%)
           01/08/1872                                    9.930.478                              2,01
           31/12/1890                                   14.333.915                              1,98
           31/12/1900                                   17.438.434                              2,91
           01/09/1920                                   30.635.605                              1,49
           01/09/1940                                   41.165.289                              2,39
           01/07/1950                                   51.941.767                              2,99
           01/09/1060                                   70.070.458                              2,89
           01/09/1970                                   93.139.037                              2,48
           01/09/1980                                  119.002.706                              1,93
           01/09/1991                                  146.825.475                              1,64
                                                                                              (*)
           01/08/2000                                  169.799.170                              1,17
           01/08/2010                                  190.755.779
        Fonte: Recenseamento do Brasil 1872-1920. Rio de Janeiro: Diretoria Geral de Estatística, 1872-1930; e IBGE,
                                                                                     Censo Demográfico 1940/2010.
(*) Para obtenção da taxa no período 2000/2010, foram utilizadas as populações residentes em 2000 e 2010, sendo
     que, para este último ano, foi incluída a população estimada (2,8 milhões de habitantes) para os domicílios
     fechados.


      Sobre o crescimento populacional brasileiro e os dados apresentados pela tabela,
explique:

A) Os motivos que levaram às elevadas taxas de crescimento populacional nas décadas
   de 1940 a 1970.
B) Por que, a partir da década de 1980, o ritmo de crescimento populacional passou a
   apresentar redução em suas taxas.




Geografia                                                                                                       Página 6
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                     QUARTA QUESTÃO
     São Paulo – Rodízio municipal de veículos. A cidade tem restrição à circulação
     de veículos de segunda a sexta-feira das 7h às 10h e das 17h às 20h,
     determinada pelo último número da placa do veículo. Não circulam placas
     terminadas em 1 e 2 às segundas-feiras; 3 e 4 às terças-feiras; 5 e 6 às quartas-
     feiras; 7 e 8 às quintas-feiras e 9 e 0 às sextas-feiras.

      Disponível em:<http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/transportes/rodizio-municipal-de-veiculos>
                                                                   Acesso em: jul. 2012 (fragmento).

      O rodízio de veículos em São Paulo foi instituído, entre outros fatores, para diminuir o
tráfego de veículos, melhorando o trânsito e a qualidade do ar nos horários de maior
movimento. A qualidade do ar é comumente comprometida pelo excesso de poluição, que
atinge níveis críticos, principalmente quando ocorre o fenômeno meteorológico conhecido
como inversão térmica. Sobre esse fenômeno, faça o que se pede:

A) O que é inversão térmica e por que ela contribui para o aumento da concentração de
   poluentes na atmosfera urbana em grandes cidades como São Paulo?

B) Explique por que a inversão térmica ocorre principalmente nos meses de inverno e dias
   frios.




Geografia                                                                                         Página 7
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                       HISTÓRIA

                                      PRIMEIRA QUESTÃO
Texto 1

     Depois que o Estado ficou em estado de orfandade política devido à ausência e
     prisão de Fernando VII, os povos reassumiram o poder soberano. Ainda que seja
     verdade que a nação havia transmitido esse poder aos reis, sempre foi com um
     caráter reversível, não somente no caso de uma deficiência total, mas também
     no de uma deficiência momentânea e parcial.

              Fragmento do Regulamento da Divisão de Poderes, Buenos Aires, 1811. Apud PAMPLONA,
           Marco A. e MÄDER, Maria Elisa (orgs.). Revoluções de independências e nacionalismos nas
                           Américas. Região do Prata e do Chile. São Paulo: Paz e Terra, 2007, p. 251.



Texto 2

     Para sustentar a escravidão dos povos, não têm outro recurso que transformar
     em mérito o orgulho de seus sequazes e cobri-los de distinções que criam uma
     distância imensa entre o infeliz escravo e seu pretendido senhor. Essa é a
     origem dos títulos de condes, marqueses, barões, etc., que a corte da Espanha
     prodigalizava para duplicar o peso de seu cetro de ferro que gravitava sobre a
     inocente América. Longe de nós tão execráveis e odiosas preeminências; um
     povo livre não pode ver brilhar o vício diante da virtude. Estas considerações
     estimularam a Assembleia a expedir a seguinte LEI:

     A Assembleia Geral ordena a extinção de todos os títulos de condes, marqueses
     e barões no território das Províncias Unidas do Rio da Prata.

         O redator da Assembleia, n. 9. 29 de maio de 1813. In. PAMPLONA, Marco Antônio e MÄDER,
       Maria Elisa (orgs.) Revoluções de independências e nacionalismos nas Américas; regiões do
                                  Rio da Prata e Chile. São Paulo: Paz e Terra, 2007, p.110. (Adaptado)

Os textos apontam para ânimos distintos relativos ao processo de independência na
América espanhola.

A) Explique o contexto histórico europeu relacionado ao início do processo revolucionário
   na América espanhola.

B) Identifique as mudanças no processo de independência do Rio da Prata a partir dos
   documentos acima apresentados.




História                                                                                            Página 8
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                       SEGUNDA QUESTÃO
     A fatalidade das revoluções é que sem os exaltados não é possível fazê-las e
     com eles é impossível governar. Cada revolução subentende uma luta posterior
     e aliança de um dos aliados, quase sempre os exaltados, com os vencidos. A
     irritação dos exaltados [trouxe] a agitação federalista extrema, o perigo
     separatista, que durante a Regência [ameaçou] o país de norte a sul, a
     anarquização das províncias. [...] durante este prazo, que é o da madureza de
     uma geração, se o governo do país tivesse funcionado de modo satisfatório –
     bastava não produzir abalos insuportáveis –, a desnecessidade do elemento
     dinástico teria ficado amplamente demonstrada.

           NABUCO, Joaquim. Um Estadista do Império: Nabuco de Araújo, sua vida, suas opiniões, sua
              época. 2ed. São Paulo: Editora Nacional, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1936, p.21.



      Na obra Um Estadista do Império, escrita entre os anos de 1893 e 1894, Joaquim
Nabuco faz uma análise da história do Brasil Imperial. O trecho acima remete ao período
regencial (1831-1840) do país. Com base no texto e em seus conhecimentos, faça o que se
pede.


A) Explique como Joaquim Nabuco interpretou o período regencial no Brasil.

B) O período da Regência é citado por diversos autores, incluindo Nabuco, como o de uma
   experiência republicana federalista. Aponte duas razões pelas quais a Regência no
   Brasil ganhou essa interpretação.




História                                                                                               Página 9
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                      TERCEIRA QUESTÃO
Texto 1
     O ex-ditador Jorge Rafael Videla, 86, foi condenado ontem a 50 anos de prisão
     por conta do sequestro de bebês durante a última ditadura militar argentina
     (1976-1983). Pela primeira vez, a Justiça declara que houve um plano
     sistemático de sequestro de recém-nascidos, filhos de prisioneiros políticos. A
     nova abordagem permite considerar os crimes como de lesa-humanidade,
     podendo levar a novas detenções de outros envolvidos.

       Videla pega pena por sequestro de bebês. Matéria de Sylvia Colombo, Buenos Aires, In: Folha de
                                           São Paulo, sexta-feira, 06 de Julho de 2012. Disponível em:
      <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/52969-videla-pega-pena-por-sequestro-de-bebes.shtml>.
                                                                      Acesso em: jul. 2012. (adaptado).
Texto 2
     O Brasil foi denunciado na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da
     OEA (Organização dos Estados Americanos) por não apurar as circunstâncias
     da morte do jornalista Vladimir Herzog, assassinado nas dependências do
     Exército, em São Paulo, em 1975. Segundo a denúncia, o "Estado brasileiro não
     cumpriu seu dever de investigar, processar" e punir os responsáveis pela morte
     de Herzog.

           Brasil é denunciado na OEA por caso de Vladimir Herzog. Matéria de Lucas Ferraz, Brasília. In:
                                                  Folha de São Paulo 29/03/2012 -15h40. Disponível em:
              <http://www1.folha.uol.com.br/poder/1069003-brasil-e-denunciado-na-oea-por-caso-vladimir-
                                                                    herzog.shtml>. Acesso em: jul. 2012.

      Os textos acima apontam para diferentes atitudes dos atuais governos da Argentina e
do Brasil, frente aos crimes cometidos pelos agentes do aparelho repressor dos regimes
ditatoriais na América Latina, entre as décadas de 1960 e 1980. A publicação, no Brasil, da
Lei da Anistia, em 28 de Agosto de 1979, fundamenta esta diferença.

A) A quem a Lei da Anistia beneficiou no momento de sua publicação?

B) Hoje, no Brasil, em meio à instalação da Comissão Nacional da Verdade, duas posições
   opostas sobre a Lei da Anistia se destacam. Quais são estas posições?




História                                                                                            Página 10
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                      QUARTA QUESTÃO
Texto 1

     O governo Francês mandou cerca de mil ciganos de volta à Romênia e à
     Bulgária nas últimas semanas, como parte de medidas de combate ao crime e
     sob uma proposta de imigração. Sarkozy ligou os ciganos ao crime, chamando
     os campos em que alguns deles vivem de fontes de tráfico, exploração de
     crianças e prostituição. Em 2009, 10 mil romenos e búlgaros foram levados a
     seus países, segundo as autoridades francesas, no que Paris considera um
     programa de repatriação voluntária.

                             Reportagem da Folha de São Paulo, 15 de outubro de 2010. Disponível em:
           <http://www1.folha.uol.com.br/mundo/815027-apos-expulsoes-de-ciganos-franca-sinaliza-que-
                                       pode-adotar-leis-da-uniao-europeia.shtml>. Acesso em: jul. 2012.



Texto 2

     A chanceler Angela Merkel decretou a morte do multiculturalismo na Alemanha
     em um discurso no dia 17 de outubro. Merkel afirmou que foi uma ilusão pensar
     que imigrantes poderiam manter sua própria cultura e viver lado a lado com os
     alemães e que esse projeto "falhou completamente". Embora a chanceler tenha
     enfatizado que imigrantes são bem-vindos no país e que o Islã já é parte da
     cultura moderna da Alemanha, o discurso sobre o fim do multiculturalismo
     mostra Merkel tentando se posicionar um pouco mais perto de uma tendência
     que se espalha pela Europa: o aumento do poder dos partidos de extrema
     direita.

      FAGUNDES, Renan Dissenha. ―A escalada da extrema direita na Europa‖ in Revista Época. 25 de
         outubro de 2010. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI181892-
         15227,00-+ESCALADA+DA+EXTREMA+DIREITA+NA+EUROPA.html>. Acesso em: jul. 2012.



      Nas últimas décadas, os movimentos e partidos de ultradireita ganharam força na
Europa Ocidental por meio de discursos contra a presença de imigrantes. Associe as
implicações da economia globalizada com a intolerância retratada acima.




História                                                                                          Página 11
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

     LÍNGUA ESTRANGEIRA - ESPANHOL
             Entrevista con el presidente uruguayo José Pepe Mujica

"Entra Venezuela y equilibramos por fin a Brasil y Argentina"

El mandatario uruguayo había adelantado ya que para Uruguay era absolutamente
necesario el ingreso de otro país grande al Mercosur.

En una entrevista exclusiva concedida a ÚH y Telefuturo en su propia casa (una humilde
chacra enclavada al pie de un cerro a 13 kilómetros de Montevideo), el presidente uruguayo
José Pepe Mujica insistió en que era necesario incluir a Venezuela y a otros países grandes
en el Mercosur para equilibrar fuerzas con Brasil y Argentina. La conversación se desarrolló
el jueves en la mañana, antes de que se decidiera en el Mercosur la suspensión de
Paraguay como miembro y la inclusión de Venezuela, que hasta ayer no podía concretarse
precisamente por la oposición del Congreso paraguayo. Esta es la nota.

─ Hablando de perfeccionar el Mercosur, hasta hoy cada vez que algunos de los
socios grandes tienen problemas, los acuerdos se hacen flexibles. Si Argentina
necesita "dificultar" la importación, esos acuerdos se hacen todavía más endebles.
¿Es posible hablar de un Mercosur justo si no tenemos organismos supranacionales
que puedan obligar a todos los socios a respetar los acuerdos, independientemente
del tamaño de sus economías?

─ Esa es la situación ideal de derecho, pero no lo podemos lograr porque no tenemos una
situación política de hecho. Por eso dije que el Mercosur no estaba terminado. Hay que traer
socios más fuertes para que les equilibren a los otros socios más fuertes, si no nosotros
estamos soñando. ¿Cómo Uruguay y Paraguay van a equilibrar a Brasil y Argentina?, ¿con
qué? Necesitamos otros dos o más pingos de mayor porte que compliquen más el partido
para tener más peso y tener más variables. Esa es precisamente parte de la lucha por
Venezuela. Por Venezuela, por Perú, por otros países. Si no, estamos ahí nosotros dos
chiquitos dependiendo de dos grandotes. Tenemos que complicarle un poco más la vida a
los grandotes, pero eso se hace con masa no con declaraciones. Con declaraciones solo
conseguimos prensa y jeteamos y conseguimos grandes titulares, pero no perjudicamos a
nadie, porque no tenemos fuerza.

─ ¿Es una necedad creer que se puede negociar de igual a igual con Brasil y
Argentina?

─ Y lo peor que hay en alta política es no reconocer la realidad. Ese es el gran defecto,
soñar que la realidad tiene que ser como debería ser y no como es. Y la realidad es como
es. Y hay que moverse dentro de esa realidad. Lamentablemente yo no pude hablar con los
amigos paraguayos, yo creo que con Venezuela cometemos un error. Creo que hay mucho
prejuicio. Prejuicio que yo no tengo. Yo hablo con el presidente Santos de Colombia, por
ejemplo.

─ Mucha gente cree que el Mercosur ha sido un mal negocio para Uruguay y
Paraguay.

─ Mire, Mercosur tiene defectos en pila, pero menos mal que los tenemos, porque todo el
mundo dice que hay que abrirse con el mundo, pero el mundo no se abre con nosotros.
Porque el mundo es macanudo, pero macanudo para vendernos, para comprarnos no es tan
macanudo. Entonces, con todos los defectos que tiene el Mercosur, menos mal que lo
tenemos.
Língua Estrangeira - Espanhol                                                     Página 12
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

─Usted habla a menudo de que en el Mercosur hay que dar un margen mayor de
libertad, ¿a qué se refiere?

- A que si Paraguay quiere negociar con Perú o con Panamá, supongamos, y quiere
intercambiar tales o cuales artículos con ventaja arancelaria, el Mercosur tiene que
permitírselo. Y si Uruguay lo quiere hacer, también, y fuera del Mercosur. Es decir, mantener
las relaciones con el Mercosur, pero tener ventanas abiertas que nos permitan una mayor
diversificación de mercado. Yo voy a plantear eso. Eso vale para Paraguay, para Uruguay,
vale para cualquier país.

─ ¿Habla de la posibilidad de suscribir acuerdos de libre comercio con otros países?

─ No hablo de acuerdos totales. Por ejemplo, al Uruguay le convendría hacer con Perú un
acuerdo lácteo porque Perú es un gran comprador de arroz y leche; y al Uruguay le
convendría traer chapas de barcos del Perú, y para eso podemos hacer un acuerdo rápido,
un vamos y vamos, hasta ahí. Y así pueden surgir otros negocios. Pero, si nosotros
queremos hacer un acuerdo total hay que hacer un TLC (tratado de libre comercio) y
necesitamos como cinco años para eso.

─ ¿Cuál sería su pedido, concretamente?

- Yo lo que pido es poder abrir banderolas para que nuestras economías vayan funcionando.
Y en ese campo tenemos que pelear. Uruguay suscribió un acuerdo con México. Estamos
en el Mercosur, pero tenemos un acuerdito con México. No veo por qué otros países no
pueden hacer lo mismo. Porque si no el Mercosur es como una prisión. De allí no podemos
salir.

─¿Y le parece bien negociar un acuerdo comercial con China?, porque hasta ahora a
China solo le vendemos materia prima y con o sin acuerdo nos seguirán comprando
eso porque lo necesitan.

─ Y está bien que seamos vendedores de materia prima, pero necesitamos intercambiar
también valor agregado, porque si no nunca vamos a salir de la edad del cuero.

─ ¿Qué pasaría con un acuerdo comercial con China?

─ Si China entra hoy con la potencialidad que tiene chau, nos liquida. No nos quedará
ninguna industria, esa es la pura verdad. Esas son las cosas que tenemos que negociar. Les
tenemos que vender menos soja y más aceite. Estas negociaciones con China están apenas
en su etapa inicial. De todas formas, Paraguay no podrá por de pronto tomar parte de la
discusión ya que quedó fuera de todos los foros del Mercosur, luego de que ayer fuera
suspendido como socio.


                                                       Última hora, Uruguay. 30 de junio de 2012. (adaptado)

  Disponible en: <http://www.ultimahora.com/notas/541342-Entra-Venezuela-y---equilibramos-por-fin--a-Brasil-y-
                                                                                                 Argentina>.




Língua Estrangeira - Espanhol                                                                     Página 13
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva
RESPONDA A PRIMEIRA E SEGUNDA QUESTÃO EM ESPANHOL. RESPOSTAS EM
PORTUGUÊS NÃO SERÃO ACEITAS.



                                PRIMEIRA QUESTÃO


       De acuerdo con el presidente de Uruguay, José Pepe Mujica, ¿qué es necesario
para que los acuerdos entre los países del Mercosur no sean tan desiguales? Justifique su
respuesta.



                                SEGUNDA QUESTÃO


        Mujica dice ―yo creo que con Venezuela cometemos un error. Creo que hay mucho
prejuicio‖. Explique la motivación para esas declaraciones del presidente uruguayo.



RESPONDA A TERCEIRA E QUARTA QUESTÃO EM PORTUGUÊS. RESPOSTAS EM
ESPANHOL NÃO SERÃO ACEITAS.



                                TERCEIRA QUESTÃO


       En la entrevista, José Pepe Mujica afirma que ―el mundo es macanudo, pero
macanudo para vendernos, para comprarnos no es tan macanudo‖. Explique qué quiere
decir esa afirmación y qué valoración hace del Mercosur para Uruguay el presidente.




                                QUARTA QUESTÃO

      ¿A qué se refiere el presidente Mujica con las siguientes frases extraídas del texto?
―Porque si no el Mercosur es como una prisión‖ y ―porque si no nunca vamos a salir de la
edad del cuero‖. Justifique su respuesta.




Língua Estrangeira - Espanhol                                                      Página 14
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

          LÍNGUA ESTRANGEIRA - INGLÊS




Brussels sprouts: delicious or disgusting?   Getty Images/Justin Lightley




PEOPLE WHO HAVE a lot of papillae —                    groups that came into contact with a
the bumps on our tongue, most of which                 variety of plants would have, over time,
house our taste buds — often find flavors              developed a variety of receptors. People
overwhelming. They’re ―supertasters,‖ and              from malaria-infested parts of the world
as such they add cream to their coffee and             tend to carry a gene that makes them less
order food mild instead of spicy.                      sensitive to some bitter compounds,
Subtasters, on the other hand, have low                specifically those that contain cyanide.
papillae density and prefer their chicken              Researchers speculate that cyanide,
wings ―atomic.‖                                        ingested at low levels, fights malarial
                                                       parasites     while  leaving    the    host
Individual taste, however, isn’t simply
                                                       unscathed. Juyun Lim, a sensory scientist
about papillae; it also has to do with our
                                                       in Oregon State University’s Department
buds’ ability to detect different molecules.
                                                       of Food Science, says that we have a
Although our brains can recognize the
                                                       natural aversion to bitterness and certain
same five tastes — bitter, sweet, salty,
                                                       odors: ―Most people don’t like beer the first
sour and umami (savory) — the suite of
                                                       time they try it.‖
chemicals that can trigger those signals
varies from one person to the next.
                                                       ARE YOU A SUPERTASTER?
Alexander Bachmanov, a geneticist at
Monell Chemical Senses Center in                       To find out, put blue food coloring on your
Philadelphia, says that humans carry a                 tongue. Blue dye doesn’t stick to taste
range of 20 to 40 genes dedicated to bitter            papillae, so if your tongue doesn’t get very
taste receptors.                                       blue, you’re probably a supertaster. The
Different sensitivities to bitter tastes               bluer it gets, the greater the chance you
probably     arose     from      evolutionary          are a subtaster. More hot sauce!
pressures in different parts of the world.
Most toxic plants taste bitter, and nomadic

                                         Disponível em: < http://www.popsci.com/>. Acesso em: jun. 2012.

Língua Estrangeira - Inglês                                                                 Página 15
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva


RESPONDA A PRIMEIRA E SEGUNDA QUESTÃO EM INGLÊS. RESPOSTAS EM
PORTUGUÊS NÃO SERÃO ACEITAS.



                                PRIMEIRA QUESTÃO

       Why might some people not like beer the first time they try it?




                                SEGUNDA QUESTÃO

        Based on the text, what can one infer from the statement ―taste isn’t simply about
papillae‖?




RESPONDA A TERCEIRA E QUARTA QUESTÃO EM PORTUGUÊS. RESPOSTAS EM
INGLÊS NÃO SERÃO ACEITAS.



                                TERCEIRA QUESTÃO


       How can you find out what kind of taster you are?



                                 QUARTA QUESTÃO

        According to the text you have just read, is the statement below right or wrong?
Justify your answer accordingly.

                              ―A supertaster prefers spicy food‖




Língua Estrangeira - Inglês                                                          Página 16
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                                   REDAÇÃO
                               ORIENTAÇÃO GERAL

Leia com atenção todas as instruções.

A) Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até
   o fim e escolha aquela com que você tenha maior afinidade ou a que trata de assunto
   sobre o qual você tenha maior conhecimento.
B) Após a escolha de um dos gêneros, assinale sua opção no alto da folha de resposta e,
   ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado.
C) Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto
   da situação escolhida que você pretende abordar. Escreva o título no lugar apropriado
   na folha de prova.
D) Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da
   assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo,
   apelido, etc. na folha de prova.
E) Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-
   os.
F) Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.



ATENÇÃO: Se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas
          ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.


                                     SITUAÇÃO A

                                 Apagão nos transportes

                                                                            Leonardo Attuch

      Dois fatos, aparentemente distantes, desta semana que passou demonstraram que o
Brasil ainda não aprendeu a pensar diferente no que diz respeito a um dos grandes
problemas do século XXI: a mobilidade urbana. Na segunda-feira, com a crise europeia
batendo à porta, o governo federal anunciou novas medidas de estímulo à economia. E
repetiu uma velha fórmula: incentivos às montadoras para que, com o IPI menor, desovem
seus estoques. Dois dias depois, uma greve dos metroviários parou a cidade de São Paulo.
      A confusão generalizada serviu de pretexto para a exploração eleitoral do tema. Afinal,
São Paulo e o Brasil não podem parar.
      Hoje, há praticamente um consenso sobre o apagão dos transportes no Brasil.
Grandes metrópoles, e não apenas São Paulo, apresentam sérios problemas de mobilidade
urbana.
      E as políticas públicas, em vez de atenuar, reforçam o caos. Mais automóveis nas
ruas, mais obras de infraestrutura e, com o que sobra, algum estímulo ao transporte público,
com a construção de linhas de metrô e corredores de ônibus.
      Esse modelo, no entanto, se esgotou e não resolverá os problemas, por maiores que
sejam as verbas de um PAC da Mobilidade. É hora, mais do que nunca, de buscar soluções
inovadoras. Eis a pergunta que deve ser feita: por que, em pleno século XXI, as pessoas
ainda vão ao trabalho, e não é o trabalho que vai até elas? Será que não é mesmo possível
reorganizar as relações de trabalho na era da internet e da banda larga?
Redação                                                                            Página 17
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva
      Pois uma das grandes saídas para as metrópoles é o estímulo ao trabalho remoto.
Nos dias de hoje, seria plenamente possível reorganizar o espaço urbano, oferecendo
incentivos adequados ao setor privado. Por que não, por exemplo, reduzir impostos de
empresas que tenham a maior parte dos funcionários trabalhando remotamente e, portanto,
demandando menos serviços públicos? Por que não estimular a criação de escritórios
compartilhados, em vários pontos das grandes metrópoles, para que essas pessoas tenham
estações de trabalho, onde possam se conectar com seus colegas por Skype, e conviver
com gente de outras empresas? E mesmo nos casos onde o trabalho presencial é
necessário, pode-se estimular a contratação de pessoas que morem em regiões próximas.
      O Brasil está prestes a sediar a maior conferência ambiental dos últimos anos, mas o
modelo mental dos governos e das empresas ainda é do século passado. Vivemos ainda na
era do petróleo, do automóvel e da degradação das riquezas naturais e do espaço público.
Será que não é hora de mudar?
                                                             Istoé, 30 maio 2012, p. 50, ed. 2220.

Redija um TEXTO DE OPINIÃO, respondendo a pergunta abaixo:

       As pessoas devem ir ao trabalho ou o trabalho é que deve ir até elas no
                                   século XXI?


                                    SITUAÇÃO B
                                 Narcisismo no “Face”
                                                                            Luiz Felipe Pondé

        Cuidado! Quem tem muitos amigos no Face pode ter uma personalidade narcísica.
Personalidade narcísica não é alguém que se ama muito, é alguém muito carente.
        Faço parte do que o jornal britânico The Guardian chama de social media sceptics
(céticos em relação às mídias sociais) em um artigo dedicado a pesquisas sobre o lado
"sombrio" do Facebook.
        Ser um social media sceptic significa não crer nas maravilhas das mídias sociais.
Elas não mudam o mundo. Aliás, nem acredito na "história", sou daqueles que suspeitam
que a humanidade anda em círculos, somando avanços técnicos que respondem aos
pavores míticos atávicos: morte, sofrimento, solidão, insegurança, fome, sexo. Fazemos o
que podemos diante da opacidade do mundo e do tempo.
        As mídias sociais potencializam o que no humano é repetitivo, banal e angustiante:
nossa solidão e falta de afeto. Boas qualidades são raras e normalmente são tão tímidas
quanto a exposição pública.
        Em 1979, o historiador americano Christopher Lasch publicava seu best-seller
acadêmico A Cultura do Narcisismo, um livro essencial para pensarmos o comportamento
no final de século 20. Ali, o autor identificava o traço narcísico de nossa era: carência,
adolescência tardia, incapacidade de assumir a paternidade ou maternidade, pavor do
envelhecimento, enfim, uma alma ridiculamente infantil num corpo de adulto.
        Não estou aqui a menosprezar os medos humanos. Pelo contrário, o medo é meu
irmão gêmeo. Estou a dizer que a cultura do narcisismo se fez hegemônica gerando
personalidades que buscam o tempo todo ser amadas, reconhecidas, e que, portanto, são
incapazes de ver o "outro", apenas exigindo do mundo um amor incondicional.
        Segundo a pesquisa da Universidade de Western Illinois (EUA), discutida pelo
periódico britânico, "um senso de merecimento de respeito, desejo de manipulação e de tirar
vantagens dos outros" marca esses bebês grandes do mundo contemporâneo, que
assumem que seus vômitos são significativos o bastante para serem postados no Face.
        A pesquisa envolveu 294 estudantes da universidade em questão, entre 18 e 65
anos, e seus hábitos no Face. Além do senso de merecimento e desejo de manipulação já

Redação                                                                               Página 18
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva
mencionados, são traços "tóxicos" (como diz o artigo) da personalidade narcísica com
muitos amigos no Face a obsessão com a autoimagem, amizades superficiais, respostas
especialmente agressivas a supostas críticas feitas a ela, vidas guiadas por concepções
altamente subjetivas de mundo, vaidade doentia, senso de superioridade moral e tendências
exibicionistas grandiosas.
        Pessoas com tais traços são mais dadas a buscar reconhecimento social do que a
reconhecer os outros. São indivíduos cada vez mais plugados e cada vez mais solitários.
        Na sociedade contemporânea, a solidão é como uma epidemia fora de controle.

                                                              Folha de S. Paulo, 16 de abril de 2012.




                                   “Tecnodesinibição”

                                                                             Alexandre Hohagen

        Seu Benedito tem 79 anos de idade. Sofre do mal de Alzheimer. A doença, em seu
início, gera falhas esporádicas de memória que se repetem com frequência variável, sem
constância.
         Na semana passada, seu Benedito saiu de casa e não teve condições de voltar.
Continuou andando a esmo. Ao se dar conta do desaparecimento de seu pai, o filho
rapidamente acionou as autoridades e começou uma busca intensa nas imediações do
bairro onde mora a família, na zona leste paulistana.
        Foi quando o filho teve a ideia de compartilhar pelo Facebook a foto do pai, bem
como uma descrição de como ele estava vestido no dia em que desapareceu.
        Em menos de 24 horas, mais de 30 mil pessoas compartilharam a nota do filho e seu
Benedito foi encontrado em Itapevi, município vizinho a São Paulo.
        Em tempos de redes sociais, há muita discussão em relação à mudança de
comportamento das pessoas. Mudamos nosso comportamento social? Estamos diferentes?
Fazemos coisas que não fazíamos antes? Sim e não.
        Não, o nosso comportamento social não mudou. Continuamos pedindo conselhos,
confiando nas indicações de nossos amigos. Sim, estamos mais propensos a ter atitudes
que sempre foram difíceis de acontecer no nosso cotidiano.
        O exemplo do seu Benedito confirma isso. O comportamento social é o mesmo. O
que mudou foi a facilidade e o empowerment que as pessoas têm com novas tecnologias
sociais. As ferramentas encorajam e amplificam ações, em escala nunca antes vista.
        Imagine quantos cartazes colados nos muros seriam necessários para fazer com que
30 mil pessoas se conectassem com cada amigo para informar sobre o desaparecimento do
seu Benedito!
        Certamente milhares de pessoas que compartilharam a foto desse senhor não têm
ideia de quem ele seja. No entanto, a rapidez, o alcance e a facilidade de usar a rede social
para ajudar estimularam a atitude das pessoas. É o fenômeno da "tecnodesinibição", ou o
desejo de agir diferentemente do normal quando se está on-line.
        A "tecnodesinibição" é um fenômeno que acontece tanto para temas cotidianos e
pessoais como na maneira como nos relacionamos com qualquer outro assunto.
É também um desafio para a comunicação moderna. Consumidores, eleitores, clientes,
cidadãos estão cada vez mais propensos a compartilhar opiniões  positivas ou negativas 
e querendo contar histórias sobre as suas experiências.

                                              Folha de S. Paulo, 6 de outubro de 2011, B12, Mercado.

Com base nos dois textos, redija um EDITORIAL, posicionando-se acerca do efeito das
mídias sociais na vida dos indivíduos.


Redação                                                                                  Página 19
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva


                                     SITUAÇÃO C


                                   A glória da dirupção

                                                                                  Marion Strecker

       Uma palavra que vive seu tempo de glória é dirupção. Ou disruption, em inglês, termo
que vem sendo mal traduzido por ―disrupção" ou "disruptura", já que o verbo em português é
"diruir" ou "derruir", que significa "desmoronar".
       A palavra é dita com pompa e orgulho no Vale do Silício, na Universidade Stanford e
em toda a chamada nova economia. Mas causa terror nos que estão no outro campo
econômico, nas indústrias tradicionais e nos que acreditam no saber cumulativo.
       Poderíamos falar em "ruptura", mas outra tradução seria "ruína" ou "derrubada", já que
dirupção é uma ruptura feita à força. Traz noção de colapso, de descontinuidade, de
desorganização e de deslocamento.
       A internet causou e ainda causará muita dirupção. Dirupção é aquele momento em
que um comportamento é totalmente modificado, e o dinheiro muda de mãos. Começou
pelos correios, quando a internet introduziu o e-mail décadas atrás.
       Avançou na indústria da música e de jogos, alterando profundamente sua forma física,
seu sistema de produção, de marketing, de distribuição e de fruição.
       Está destruindo a receita de empresas jornalísticas, tornando a atividade muito mais
complexa, menos centralizada e menos profissional, dando poder de voz a todo cidadão e
transferindo publicidade para sites de busca, resumos e links.
       Modifica dramaticamente a indústria editorial e de entretenimento, embora Hollywood
ainda resista, já que a banda larga ainda não é tão larga nem tão acessível assim na nossa
sociedade global e móvel. Mas isso é questão de tempo.
       Espera-se que a próxima indústria a ser diruída pela internet seja a da educação [...].

                                       Folha de S. Paulo, 3 de maio de 2012, B12, Mercado. (adaptado)




Com base no texto, redija uma CARTA ARGUMENTATIVA ao Ministro de Educação,
apresentando seu posicionamento a respeito de prováveis efeitos da dirupção na educação.




Redação                                                                                   Página 20
Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva

                REDAÇÃO – FOLHA DE RASCUNHO
                       ESTE RASCUNHO NÃO SERÁ CORRIGIDO
                                                                           Número
Título da Redação:                                                         da linha

                                                                            01
                                                                            02
                                                                            03
                                                                            04
                                                                            05
                                                                            06
                                                                            07
                                                                            08
                                                                            09
                                                                            10
                                                                            11
                                                                            12
                                                                            13
                                                                            14
                                                                            15
                                                                            16
                                                                            17
                                                                            18
                                                                            19
                                                                            20
                                                                            21
                                                                            22
                                                                            23
                                                                            24
                                                                            25
                                                                            26
                                                                            27
                                                                            28
                                                                            29
                                                                            30
                                                                            31
                                                                            32
                                                                            33
                                                                            34
                                                                            35
                                                                            36




   Rascunho                                                    Página 21
1 dia vest 2 ufu 2012 2 fase

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aanciasSimulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliaçao de ciencias 6-ano
Avaliaçao de ciencias 6-anoAvaliaçao de ciencias 6-ano
Avaliaçao de ciencias 6-ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova Salto Ciências 9º ano
Prova Salto Ciências  9º anoProva Salto Ciências  9º ano
Prova Salto Ciências 9º ano
coordena
 
Prova SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º anoProva SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º ano
Patrícia Costa Grigório
 
Simulado 02 (ciências 9º ano)
Simulado 02 (ciências 9º ano)Simulado 02 (ciências 9º ano)
Simulado 02 (ciências 9º ano)
Marcio Leandro Legora
 
av_diagnostica_9ano_ciencias
av_diagnostica_9ano_cienciasav_diagnostica_9ano_ciencias
av_diagnostica_9ano_ciencias
EmyFigueiredo
 
Avaliação diagnóstica 6º ano
Avaliação diagnóstica   6º anoAvaliação diagnóstica   6º ano
Avaliação diagnóstica 6º ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Ava ciencias 8ano
Ava ciencias 8anoAva ciencias 8ano
Ava ciencias 8ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Enem - Questões de biologia
Enem -  Questões de biologia Enem -  Questões de biologia
Enem - Questões de biologia
retimi
 
Prova diagnóstica 7º ano ciencias
Prova diagnóstica 7º ano cienciasProva diagnóstica 7º ano ciencias
Prova diagnóstica 7º ano ciencias
Atividades Diversas Cláudia
 
Apostila de ciências
Apostila de ciênciasApostila de ciências
Apostila de ciências
Brenda Santana
 
Avaliação diagnóstica 8º ano
Avaliação diagnóstica   8º anoAvaliação diagnóstica   8º ano
Avaliação diagnóstica 8º ano
Atividades Diversas Cláudia
 
2ª p.d 2012 (ciências 5º ano)
2ª p.d   2012  (ciências 5º ano)2ª p.d   2012  (ciências 5º ano)
2ª p.d 2012 (ciências 5º ano)
Cidinha Paulo
 
1ª p.d (ciências - 5º ano)
1ª p.d    (ciências - 5º ano)1ª p.d    (ciências - 5º ano)
1ª p.d (ciências - 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do AmanhãProva 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
Leonardo Kaplan
 
Simulado 03 (ciências 5º ano)
Simulado 03 (ciências 5º ano)Simulado 03 (ciências 5º ano)
Simulado 03 (ciências 5º ano)
Cidinha Paulo
 
Testes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão aTestes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão a
Mina Covas
 

Mais procurados (17)

Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aanciasSimulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
Simulado prova-goic3a1s-7c2ba-ano-cic3aancias
 
Avaliaçao de ciencias 6-ano
Avaliaçao de ciencias 6-anoAvaliaçao de ciencias 6-ano
Avaliaçao de ciencias 6-ano
 
Prova Salto Ciências 9º ano
Prova Salto Ciências  9º anoProva Salto Ciências  9º ano
Prova Salto Ciências 9º ano
 
Prova SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º anoProva SME - Ciências 9º ano
Prova SME - Ciências 9º ano
 
Simulado 02 (ciências 9º ano)
Simulado 02 (ciências 9º ano)Simulado 02 (ciências 9º ano)
Simulado 02 (ciências 9º ano)
 
av_diagnostica_9ano_ciencias
av_diagnostica_9ano_cienciasav_diagnostica_9ano_ciencias
av_diagnostica_9ano_ciencias
 
Avaliação diagnóstica 6º ano
Avaliação diagnóstica   6º anoAvaliação diagnóstica   6º ano
Avaliação diagnóstica 6º ano
 
Ava ciencias 8ano
Ava ciencias 8anoAva ciencias 8ano
Ava ciencias 8ano
 
Enem - Questões de biologia
Enem -  Questões de biologia Enem -  Questões de biologia
Enem - Questões de biologia
 
Prova diagnóstica 7º ano ciencias
Prova diagnóstica 7º ano cienciasProva diagnóstica 7º ano ciencias
Prova diagnóstica 7º ano ciencias
 
Apostila de ciências
Apostila de ciênciasApostila de ciências
Apostila de ciências
 
Avaliação diagnóstica 8º ano
Avaliação diagnóstica   8º anoAvaliação diagnóstica   8º ano
Avaliação diagnóstica 8º ano
 
2ª p.d 2012 (ciências 5º ano)
2ª p.d   2012  (ciências 5º ano)2ª p.d   2012  (ciências 5º ano)
2ª p.d 2012 (ciências 5º ano)
 
1ª p.d (ciências - 5º ano)
1ª p.d    (ciências - 5º ano)1ª p.d    (ciências - 5º ano)
1ª p.d (ciências - 5º ano)
 
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do AmanhãProva 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
Prova 7º ano - 4º bimestre - 2010 - SME - Cientistas do Amanhã
 
Simulado 03 (ciências 5º ano)
Simulado 03 (ciências 5º ano)Simulado 03 (ciências 5º ano)
Simulado 03 (ciências 5º ano)
 
Testes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão aTestes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão a
 

Destaque

Fuvest+ +2010+redação
Fuvest+ +2010+redaçãoFuvest+ +2010+redação
Fuvest+ +2010+redação
professorathaishelena
 
Linhas pra imprimir
Linhas pra imprimirLinhas pra imprimir
Folha de redação
Folha de redaçãoFolha de redação
Folha de redação
ananiasdoamaral
 
Folha de-redação-enem
Folha de-redação-enemFolha de-redação-enem
Folha de-redação-enem
Mayra Souza
 
6 folha de redacao - emancipa
6   folha de redacao - emancipa6   folha de redacao - emancipa
6 folha de redacao - emancipa
danielyukio
 
91974 simuladoportuguesprotegido
91974 simuladoportuguesprotegido91974 simuladoportuguesprotegido
91974 simuladoportuguesprotegido
Sandra Dória
 
Folha pautada esaf
Folha pautada esafFolha pautada esaf
Folha pautada esaf
Políticos Jovens João Pessoa
 
Prova comentada ufrj(história)
Prova comentada ufrj(história)Prova comentada ufrj(história)
Prova comentada ufrj(história)
demervalm
 
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapa
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapaProposta de redação pas unb sub2008 3etapa
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapa
Sabrinna Rezende
 
Folha para trabalhos manuscritos
Folha para trabalhos manuscritosFolha para trabalhos manuscritos
Folha para trabalhos manuscritos
Mari Lopes
 
Modelo folha de respostas
Modelo folha de respostasModelo folha de respostas
Modelo folha de respostas
jeffersonbb
 
Folha de redação.
Folha de redação.Folha de redação.
Folha de redação.
Ajudar Pessoas
 
Carta pessoal
Carta pessoalCarta pessoal
Carta pessoal
Virginia Fortes
 

Destaque (13)

Fuvest+ +2010+redação
Fuvest+ +2010+redaçãoFuvest+ +2010+redação
Fuvest+ +2010+redação
 
Linhas pra imprimir
Linhas pra imprimirLinhas pra imprimir
Linhas pra imprimir
 
Folha de redação
Folha de redaçãoFolha de redação
Folha de redação
 
Folha de-redação-enem
Folha de-redação-enemFolha de-redação-enem
Folha de-redação-enem
 
6 folha de redacao - emancipa
6   folha de redacao - emancipa6   folha de redacao - emancipa
6 folha de redacao - emancipa
 
91974 simuladoportuguesprotegido
91974 simuladoportuguesprotegido91974 simuladoportuguesprotegido
91974 simuladoportuguesprotegido
 
Folha pautada esaf
Folha pautada esafFolha pautada esaf
Folha pautada esaf
 
Prova comentada ufrj(história)
Prova comentada ufrj(história)Prova comentada ufrj(história)
Prova comentada ufrj(história)
 
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapa
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapaProposta de redação pas unb sub2008 3etapa
Proposta de redação pas unb sub2008 3etapa
 
Folha para trabalhos manuscritos
Folha para trabalhos manuscritosFolha para trabalhos manuscritos
Folha para trabalhos manuscritos
 
Modelo folha de respostas
Modelo folha de respostasModelo folha de respostas
Modelo folha de respostas
 
Folha de redação.
Folha de redação.Folha de redação.
Folha de redação.
 
Carta pessoal
Carta pessoalCarta pessoal
Carta pessoal
 

Semelhante a 1 dia vest 2 ufu 2012 2 fase

2º ANO - SIMULADO MÓDULO 3 (2).pdf
2º ANO - SIMULADO  MÓDULO 3 (2).pdf2º ANO - SIMULADO  MÓDULO 3 (2).pdf
2º ANO - SIMULADO MÓDULO 3 (2).pdf
MITA18584
 
Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
Estude Mais
 
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptxQUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
BabiSoares4
 
Prova etapa1paes2013
Prova etapa1paes2013Prova etapa1paes2013
Prova etapa1paes2013
Wendel Freire
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
IvoneSilva83
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Guilherme Orlandi Goulart
 
QUESTOES APAC ENEM.pptx
QUESTOES APAC ENEM.pptxQUESTOES APAC ENEM.pptx
QUESTOES APAC ENEM.pptx
BabiSoares4
 
evolução atividades: questões para vestibular
evolução atividades: questões para vestibularevolução atividades: questões para vestibular
evolução atividades: questões para vestibular
leupaty
 
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Atividades Diversas Cláudia
 
Ex bg702-ee-2017
Ex bg702-ee-2017Ex bg702-ee-2017
Ex bg702-ee-2017
Duarte Grulha
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Adriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
Adriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
Adriana Paulon
 
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Jorge Moreira
 
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
Dweison Nunes
 
Questoes abertas
Questoes abertasQuestoes abertas
Questoes abertas
raahgma
 
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANOAULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
Anderson Feliciano
 
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docxT_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
cancela
 
8.simulado
8.simulado8.simulado
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdfSIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
Rubevaldoalvesamaral
 

Semelhante a 1 dia vest 2 ufu 2012 2 fase (20)

2º ANO - SIMULADO MÓDULO 3 (2).pdf
2º ANO - SIMULADO  MÓDULO 3 (2).pdf2º ANO - SIMULADO  MÓDULO 3 (2).pdf
2º ANO - SIMULADO MÓDULO 3 (2).pdf
 
Revisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enemRevisao de biologia para o enem
Revisao de biologia para o enem
 
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptxQUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
QUESTOES ENEM - UPRVI.pptx
 
Prova etapa1paes2013
Prova etapa1paes2013Prova etapa1paes2013
Prova etapa1paes2013
 
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdfBanco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
Banco de questões_ Fluxos de energia e de matéria nos ecossistemas.pdf
 
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
Revisão de Biologia #02 - Enem 2015
 
QUESTOES APAC ENEM.pptx
QUESTOES APAC ENEM.pptxQUESTOES APAC ENEM.pptx
QUESTOES APAC ENEM.pptx
 
evolução atividades: questões para vestibular
evolução atividades: questões para vestibularevolução atividades: questões para vestibular
evolução atividades: questões para vestibular
 
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
Simulado prova-goic3a1s-9c2ba-ano-cic3aancias1
 
Ex bg702-ee-2017
Ex bg702-ee-2017Ex bg702-ee-2017
Ex bg702-ee-2017
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março ...
 
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
Biologia - ecologia e sustentabilidade 2015
 
Questoes abertas
Questoes abertasQuestoes abertas
Questoes abertas
 
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANOAULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
AULÃO ENEM 2012 - PROFESSOR ANDERSON FELICIANO
 
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docxT_Diagnostico_SET._2022_23.docx
T_Diagnostico_SET._2022_23.docx
 
8.simulado
8.simulado8.simulado
8.simulado
 
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdfSIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
SIMULADO-NATUREZA-MARCO-COM-GABARITO-OFICIAL.pdf
 

Mais de davincipatos

Texto situaçãodospresídios sn
Texto situaçãodospresídios snTexto situaçãodospresídios sn
Texto situaçãodospresídios sn
davincipatos
 
Modulo 13 feudalismo
Modulo 13  feudalismoModulo 13  feudalismo
Modulo 13 feudalismo
davincipatos
 
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1  introducao ao estudo da sociedadeModulo 1  introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
davincipatos
 
1 dutra e 2º vargas
1 dutra e 2º vargas1 dutra e 2º vargas
1 dutra e 2º vargas
davincipatos
 
Modulos 14 e 15 cruzadas e renascimento comercial e urbano
Modulos 14 e 15   cruzadas e renascimento comercial e urbanoModulos 14 e 15   cruzadas e renascimento comercial e urbano
Modulos 14 e 15 cruzadas e renascimento comercial e urbano
davincipatos
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novo
davincipatos
 
Formação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeusFormação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeus
davincipatos
 
Rev gloriosa inglesa
Rev gloriosa inglesaRev gloriosa inglesa
Rev gloriosa inglesa
davincipatos
 
História da américa prof vitor
História da américa prof vitorHistória da américa prof vitor
História da américa prof vitor
davincipatos
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
davincipatos
 
Juscelino (2)
Juscelino (2)Juscelino (2)
Juscelino (2)
davincipatos
 
Governo jq
Governo jqGoverno jq
Governo jq
davincipatos
 
Dutra e 2º vargas
Dutra e 2º vargasDutra e 2º vargas
Dutra e 2º vargas
davincipatos
 
Primeira era vargas (2)
Primeira era vargas (2)Primeira era vargas (2)
Primeira era vargas (2)
davincipatos
 
Modulo 1 idade moderna 2013
Modulo 1   idade moderna 2013Modulo 1   idade moderna 2013
Modulo 1 idade moderna 2013
davincipatos
 
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMGEXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
davincipatos
 
Gabarito exercícios Informática - Prof. Everson
Gabarito exercícios Informática - Prof. EversonGabarito exercícios Informática - Prof. Everson
Gabarito exercícios Informática - Prof. Everson
davincipatos
 
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
davincipatos
 

Mais de davincipatos (18)

Texto situaçãodospresídios sn
Texto situaçãodospresídios snTexto situaçãodospresídios sn
Texto situaçãodospresídios sn
 
Modulo 13 feudalismo
Modulo 13  feudalismoModulo 13  feudalismo
Modulo 13 feudalismo
 
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1  introducao ao estudo da sociedadeModulo 1  introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
 
1 dutra e 2º vargas
1 dutra e 2º vargas1 dutra e 2º vargas
1 dutra e 2º vargas
 
Modulos 14 e 15 cruzadas e renascimento comercial e urbano
Modulos 14 e 15   cruzadas e renascimento comercial e urbanoModulos 14 e 15   cruzadas e renascimento comercial e urbano
Modulos 14 e 15 cruzadas e renascimento comercial e urbano
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novo
 
Formação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeusFormação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeus
 
Rev gloriosa inglesa
Rev gloriosa inglesaRev gloriosa inglesa
Rev gloriosa inglesa
 
História da américa prof vitor
História da américa prof vitorHistória da américa prof vitor
História da américa prof vitor
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Juscelino (2)
Juscelino (2)Juscelino (2)
Juscelino (2)
 
Governo jq
Governo jqGoverno jq
Governo jq
 
Dutra e 2º vargas
Dutra e 2º vargasDutra e 2º vargas
Dutra e 2º vargas
 
Primeira era vargas (2)
Primeira era vargas (2)Primeira era vargas (2)
Primeira era vargas (2)
 
Modulo 1 idade moderna 2013
Modulo 1   idade moderna 2013Modulo 1   idade moderna 2013
Modulo 1 idade moderna 2013
 
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMGEXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
EXERCÍCIOS COM GABARITO - THIAGO PMMG
 
Gabarito exercícios Informática - Prof. Everson
Gabarito exercícios Informática - Prof. EversonGabarito exercícios Informática - Prof. Everson
Gabarito exercícios Informática - Prof. Everson
 
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
2 dia vest 2 ufu 2012 2 fase
 

Último

CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 

1 dia vest 2 ufu 2012 2 fase

  • 1. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva BIOLOGIA PRIMEIRA QUESTÃO Embora sejam sésseis, as plantas podem apresentar alguns movimentos em resposta a estímulos externos, como o da planta carnívora dioneia, que consegue fechar rapidamente os folíolos ao contato com um inseto. Outras plantas podem apresentar movimentos em relação à gravidade e à luz, chamados tropismos. Proponha um experimento para saber se uma dada planta possui algum tipo de tropismo, apresentando sua hipótese e como faria para confirmá-la. SEGUNDA QUESTÃO Devido ao aumento do comércio exterior e ao deslocamento humano para fins de negócios e turismo, o tráfego de aeronaves e embarcações entre países está cada vez mais intenso. Juntamente com esses veículos, podem ser transportados, de forma não intencional, animais, plantas e micro-organismos. A) Animais transportados nessas condições são considerados animais exóticos invasores. Descreva dois problemas ambientais que podem ser causados por esses animais. B) Descreva duas doenças causadas por micro-organismos que podem ser disseminadas pelos passageiros de aviões, trens, navios e outros veículos coletivos. Biologia Página 1
  • 2. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva TERCEIRA QUESTÃO O conhecimento científico acerca da sexualidade humana tem possibilitado às pessoas controlar conscientemente a reprodução, seja por meio de métodos contraceptivos permanentes (esterilização), seja por meio de métodos temporários. A) Apresente e explique o funcionamento de um método contraceptivo permanente e de um método contraceptivo temporário. B) Comente sobre os métodos contraceptivos que, além de evitarem a gravidez, também são eficientes na prevenção a doenças sexualmente transmissíveis. C) Explique por que o coito interrompido e o método do ritmo ovulatório (tabelinha) são considerados de baixa eficácia. QUARTA QUESTÃO A ideia de evolução proposta por Charles Darwin é considerada uma das mais importantes revoluções intelectuais do século XIX. De acordo com a teoria darwinista, todos os seres vivos descendem de ancestrais comuns e teriam evoluído por meio da seleção natural. A) Explique por que a análise de fósseis contribui com evidências sobre a evolução das espécies. B) Explique por que os órgãos vestigiais como o apêndice do ser humano e as estruturas homólogas em diferentes animais (golfinho, cavalo, ave, morcego e o ser humano) podem ser consideradas evidências evolutivas. Biologia Página 2
  • 3. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva FÍSICA PRIMEIRA QUESTÃO Um corpo em estado sólido possui massa de 500 g e recebe calor de um aquecedor, cuja potência é de 20W. Nesse processo, a temperatura do corpo varia em função do tempo, conforme indica o gráfico a seguir. Considere 1 cal = 4 J. A) Qual o calor específico do corpo sólido submetido a esse aquecimento? B) Caso a mesma situação se repetisse, porém o material sólido fosse substituído por outro similar, com calor específico menor, o que ocorreria com o valor do ângulo a indicado no gráfico? SEGUNDA QUESTÃO O circuito representado na figura abaixo mostra um gerador de força eletromotriz (E) igual a 12 V e resistência interna (r) de 2 Ω, ligado a um receptor, de força contra- eletromotriz (E´) de 8V e resistência interna (r´) de 4 Ω. A) Calcule o valor da intensidade da corrente que percorre o circuito. B) Nas condições dadas, qual o rendimento obtido pelo gerador e pelo receptor? Física Página 3
  • 4. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva TERCEIRA QUESTÃO Uma ambulância possui uma sirene que emite um som contínuo, originalmente, de frequência 300 Hz. Esta mesma ambulância está trafegando por uma cidade com a sirene ligada e, atrás dela, um motorista conduz seu carro na mesma direção e com a mesma velocidade. Os dois veículos vão ao encontro de um pedestre, que está parado em um cruzamento a algumas dezenas de metros à frente. A) Ordene, de forma crescente, os valores da frequência original emitida pela sirene, da frequência percebida pelo motorista que trafega atrás da ambulância e daquela ouvida pelo pedestre parado na rua. B) Do ponto de vista físico, explique por que a frequência do som é percebida pelos ouvidos do pedestre de forma alterada em relação à originalmente oriunda da fonte emissora. QUARTA QUESTÃO No ponto C do esquema abaixo está localizado um cubo maciço e homogêneo de madeira, cujas dimensões são: 50 cm de comprimento, 40 cm de largura e 20 cm de altura. Ele está parado e em equilíbrio. A) Calcule os valores das trações nos fios A e B. B) Calcule os valores das trações nos fios A e B após o mesmo cubo ser mergulhado em um recipiente contendo 50 litros de água pura. Dados: densidade da madeira: 1,5 g/cm3 e densidade da água: 1g/cm3. Física Página 4
  • 5. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva GEOGRAFIA PRIMEIRA QUESTÃO O euro vai mal. Registrou uma queda em relação ao dólar, valendo agora US$ 1,2696 [...] no dia 6 de maio, a moeda única europeia perdeu quatro centavos. Não é uma queda catastrófica. Ela agrada os exportadores, prejudicados com o vigor do euro em relação ao dólar ou ao iene. Mas na realidade o recuo da moeda é sinal da péssima saúde da União Europeia e da zona do euro [...]. A zona do euro, essa entidade cujo objetivo é reunir as economias discrepantes do Velho Continente, está dividida em duas zonas: ao norte, os "virtuosos" [...] que prosseguem sua marcha para a frente. Ao sul, os "estropiados" [...] todos em recessão. Disponível em: < http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-crise-europeia-esta-em-plena-forma- 874088,0.htm> Acesso em: jul. 2012 (fragmento adaptado). A recente crise na União Europeia arrasta-se desde os idos de 2008, tendo se aprofundado em 2011 e seguindo cada vez mais forte em 2012. Sobre esta temática, faça o que se pede. A) Apresente e explique, pelo menos, duas causas da crise recente da União Europeia. B) Cite dois países da União Europeia que se enquadram na definição de ―virtuoso‖ e dois que se enquadram na definição de ―estropiado‖, de acordo com o fragmento acima. C) Exponha duas consequências da crise recente da União Europeia para os países ―estropiados‖ que enfrentam as maiores recessões. SEGUNDA QUESTÃO A conservação do solo se destaca na agenda da agricultura sustentável. Base da produção, é na fartura da terra que vinga a riqueza das plantas e dos animais, fornecendo alimentos, matérias-primas e, agora, energia renovável. Cuidar do solo significa garantir o futuro. O Dia Mundial da Conservação do Solo se comemora em 15 de abril. A data homenageia o nascimento, em 1881, do norte- americano Hugh Bennett, considerado o pai da conservação do solo. Um pioneiro. Francisco Graziano. Disponível em:< http://www.eagora.org.br/arquivo/Solo-tropical>. Acesso em: jun. 2012. A conservação dos solos, em especial os tropicais, mais susceptíveis a processos de degradação, é tema importante dos debates sobre meio ambiente e sustentabilidade planetária. Existem várias técnicas de conservação dos solos. Em solos tropicais a conservação e as técnicas de manejo podem ser entendidas como mecânicas, vegetativas e edáficas. As edáficas podem ser exemplificadas pelo controle das queimadas, rotação de culturas, adubações e calagens e o plantio direto. Acerca das técnicas edáficas, responda: A) Quais as vantagens do Plantio Direto em solos tropicais? B) Em que consiste a técnica de rotação de culturas e como esta auxilia o aumento produtivo de gramíneas, cereais e outras culturas semelhantes? C) De que maneira as queimadas podem reduzir a fertilidade dos solos? Geografia Página 5
  • 6. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva TERCEIRA QUESTÃO A população do Brasil alcançou a marca de 190.755.799 habitantes na data de referência do Censo Demográfico 2010. A série de censos brasileiros mostra que a população experimentou sucessivos aumentos em seu contingente, tendo crescido quase vinte vezes desde o primeiro recenseamento realizado no Brasil, em 1872, quando tinha 9.930.478 habitantes, como representado na tabela abaixo. População e taxa média geométrica de crescimento anual – Brasil – 1872/2010 Taxa média geométrica de Datas População residente crescimento anual (%) 01/08/1872 9.930.478 2,01 31/12/1890 14.333.915 1,98 31/12/1900 17.438.434 2,91 01/09/1920 30.635.605 1,49 01/09/1940 41.165.289 2,39 01/07/1950 51.941.767 2,99 01/09/1060 70.070.458 2,89 01/09/1970 93.139.037 2,48 01/09/1980 119.002.706 1,93 01/09/1991 146.825.475 1,64 (*) 01/08/2000 169.799.170 1,17 01/08/2010 190.755.779 Fonte: Recenseamento do Brasil 1872-1920. Rio de Janeiro: Diretoria Geral de Estatística, 1872-1930; e IBGE, Censo Demográfico 1940/2010. (*) Para obtenção da taxa no período 2000/2010, foram utilizadas as populações residentes em 2000 e 2010, sendo que, para este último ano, foi incluída a população estimada (2,8 milhões de habitantes) para os domicílios fechados. Sobre o crescimento populacional brasileiro e os dados apresentados pela tabela, explique: A) Os motivos que levaram às elevadas taxas de crescimento populacional nas décadas de 1940 a 1970. B) Por que, a partir da década de 1980, o ritmo de crescimento populacional passou a apresentar redução em suas taxas. Geografia Página 6
  • 7. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva QUARTA QUESTÃO São Paulo – Rodízio municipal de veículos. A cidade tem restrição à circulação de veículos de segunda a sexta-feira das 7h às 10h e das 17h às 20h, determinada pelo último número da placa do veículo. Não circulam placas terminadas em 1 e 2 às segundas-feiras; 3 e 4 às terças-feiras; 5 e 6 às quartas- feiras; 7 e 8 às quintas-feiras e 9 e 0 às sextas-feiras. Disponível em:<http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/transportes/rodizio-municipal-de-veiculos> Acesso em: jul. 2012 (fragmento). O rodízio de veículos em São Paulo foi instituído, entre outros fatores, para diminuir o tráfego de veículos, melhorando o trânsito e a qualidade do ar nos horários de maior movimento. A qualidade do ar é comumente comprometida pelo excesso de poluição, que atinge níveis críticos, principalmente quando ocorre o fenômeno meteorológico conhecido como inversão térmica. Sobre esse fenômeno, faça o que se pede: A) O que é inversão térmica e por que ela contribui para o aumento da concentração de poluentes na atmosfera urbana em grandes cidades como São Paulo? B) Explique por que a inversão térmica ocorre principalmente nos meses de inverno e dias frios. Geografia Página 7
  • 8. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva HISTÓRIA PRIMEIRA QUESTÃO Texto 1 Depois que o Estado ficou em estado de orfandade política devido à ausência e prisão de Fernando VII, os povos reassumiram o poder soberano. Ainda que seja verdade que a nação havia transmitido esse poder aos reis, sempre foi com um caráter reversível, não somente no caso de uma deficiência total, mas também no de uma deficiência momentânea e parcial. Fragmento do Regulamento da Divisão de Poderes, Buenos Aires, 1811. Apud PAMPLONA, Marco A. e MÄDER, Maria Elisa (orgs.). Revoluções de independências e nacionalismos nas Américas. Região do Prata e do Chile. São Paulo: Paz e Terra, 2007, p. 251. Texto 2 Para sustentar a escravidão dos povos, não têm outro recurso que transformar em mérito o orgulho de seus sequazes e cobri-los de distinções que criam uma distância imensa entre o infeliz escravo e seu pretendido senhor. Essa é a origem dos títulos de condes, marqueses, barões, etc., que a corte da Espanha prodigalizava para duplicar o peso de seu cetro de ferro que gravitava sobre a inocente América. Longe de nós tão execráveis e odiosas preeminências; um povo livre não pode ver brilhar o vício diante da virtude. Estas considerações estimularam a Assembleia a expedir a seguinte LEI: A Assembleia Geral ordena a extinção de todos os títulos de condes, marqueses e barões no território das Províncias Unidas do Rio da Prata. O redator da Assembleia, n. 9. 29 de maio de 1813. In. PAMPLONA, Marco Antônio e MÄDER, Maria Elisa (orgs.) Revoluções de independências e nacionalismos nas Américas; regiões do Rio da Prata e Chile. São Paulo: Paz e Terra, 2007, p.110. (Adaptado) Os textos apontam para ânimos distintos relativos ao processo de independência na América espanhola. A) Explique o contexto histórico europeu relacionado ao início do processo revolucionário na América espanhola. B) Identifique as mudanças no processo de independência do Rio da Prata a partir dos documentos acima apresentados. História Página 8
  • 9. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva SEGUNDA QUESTÃO A fatalidade das revoluções é que sem os exaltados não é possível fazê-las e com eles é impossível governar. Cada revolução subentende uma luta posterior e aliança de um dos aliados, quase sempre os exaltados, com os vencidos. A irritação dos exaltados [trouxe] a agitação federalista extrema, o perigo separatista, que durante a Regência [ameaçou] o país de norte a sul, a anarquização das províncias. [...] durante este prazo, que é o da madureza de uma geração, se o governo do país tivesse funcionado de modo satisfatório – bastava não produzir abalos insuportáveis –, a desnecessidade do elemento dinástico teria ficado amplamente demonstrada. NABUCO, Joaquim. Um Estadista do Império: Nabuco de Araújo, sua vida, suas opiniões, sua época. 2ed. São Paulo: Editora Nacional, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1936, p.21. Na obra Um Estadista do Império, escrita entre os anos de 1893 e 1894, Joaquim Nabuco faz uma análise da história do Brasil Imperial. O trecho acima remete ao período regencial (1831-1840) do país. Com base no texto e em seus conhecimentos, faça o que se pede. A) Explique como Joaquim Nabuco interpretou o período regencial no Brasil. B) O período da Regência é citado por diversos autores, incluindo Nabuco, como o de uma experiência republicana federalista. Aponte duas razões pelas quais a Regência no Brasil ganhou essa interpretação. História Página 9
  • 10. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva TERCEIRA QUESTÃO Texto 1 O ex-ditador Jorge Rafael Videla, 86, foi condenado ontem a 50 anos de prisão por conta do sequestro de bebês durante a última ditadura militar argentina (1976-1983). Pela primeira vez, a Justiça declara que houve um plano sistemático de sequestro de recém-nascidos, filhos de prisioneiros políticos. A nova abordagem permite considerar os crimes como de lesa-humanidade, podendo levar a novas detenções de outros envolvidos. Videla pega pena por sequestro de bebês. Matéria de Sylvia Colombo, Buenos Aires, In: Folha de São Paulo, sexta-feira, 06 de Julho de 2012. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mundo/52969-videla-pega-pena-por-sequestro-de-bebes.shtml>. Acesso em: jul. 2012. (adaptado). Texto 2 O Brasil foi denunciado na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos) por não apurar as circunstâncias da morte do jornalista Vladimir Herzog, assassinado nas dependências do Exército, em São Paulo, em 1975. Segundo a denúncia, o "Estado brasileiro não cumpriu seu dever de investigar, processar" e punir os responsáveis pela morte de Herzog. Brasil é denunciado na OEA por caso de Vladimir Herzog. Matéria de Lucas Ferraz, Brasília. In: Folha de São Paulo 29/03/2012 -15h40. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/poder/1069003-brasil-e-denunciado-na-oea-por-caso-vladimir- herzog.shtml>. Acesso em: jul. 2012. Os textos acima apontam para diferentes atitudes dos atuais governos da Argentina e do Brasil, frente aos crimes cometidos pelos agentes do aparelho repressor dos regimes ditatoriais na América Latina, entre as décadas de 1960 e 1980. A publicação, no Brasil, da Lei da Anistia, em 28 de Agosto de 1979, fundamenta esta diferença. A) A quem a Lei da Anistia beneficiou no momento de sua publicação? B) Hoje, no Brasil, em meio à instalação da Comissão Nacional da Verdade, duas posições opostas sobre a Lei da Anistia se destacam. Quais são estas posições? História Página 10
  • 11. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva QUARTA QUESTÃO Texto 1 O governo Francês mandou cerca de mil ciganos de volta à Romênia e à Bulgária nas últimas semanas, como parte de medidas de combate ao crime e sob uma proposta de imigração. Sarkozy ligou os ciganos ao crime, chamando os campos em que alguns deles vivem de fontes de tráfico, exploração de crianças e prostituição. Em 2009, 10 mil romenos e búlgaros foram levados a seus países, segundo as autoridades francesas, no que Paris considera um programa de repatriação voluntária. Reportagem da Folha de São Paulo, 15 de outubro de 2010. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/mundo/815027-apos-expulsoes-de-ciganos-franca-sinaliza-que- pode-adotar-leis-da-uniao-europeia.shtml>. Acesso em: jul. 2012. Texto 2 A chanceler Angela Merkel decretou a morte do multiculturalismo na Alemanha em um discurso no dia 17 de outubro. Merkel afirmou que foi uma ilusão pensar que imigrantes poderiam manter sua própria cultura e viver lado a lado com os alemães e que esse projeto "falhou completamente". Embora a chanceler tenha enfatizado que imigrantes são bem-vindos no país e que o Islã já é parte da cultura moderna da Alemanha, o discurso sobre o fim do multiculturalismo mostra Merkel tentando se posicionar um pouco mais perto de uma tendência que se espalha pela Europa: o aumento do poder dos partidos de extrema direita. FAGUNDES, Renan Dissenha. ―A escalada da extrema direita na Europa‖ in Revista Época. 25 de outubro de 2010. Disponível em: <http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI181892- 15227,00-+ESCALADA+DA+EXTREMA+DIREITA+NA+EUROPA.html>. Acesso em: jul. 2012. Nas últimas décadas, os movimentos e partidos de ultradireita ganharam força na Europa Ocidental por meio de discursos contra a presença de imigrantes. Associe as implicações da economia globalizada com a intolerância retratada acima. História Página 11
  • 12. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva LÍNGUA ESTRANGEIRA - ESPANHOL Entrevista con el presidente uruguayo José Pepe Mujica "Entra Venezuela y equilibramos por fin a Brasil y Argentina" El mandatario uruguayo había adelantado ya que para Uruguay era absolutamente necesario el ingreso de otro país grande al Mercosur. En una entrevista exclusiva concedida a ÚH y Telefuturo en su propia casa (una humilde chacra enclavada al pie de un cerro a 13 kilómetros de Montevideo), el presidente uruguayo José Pepe Mujica insistió en que era necesario incluir a Venezuela y a otros países grandes en el Mercosur para equilibrar fuerzas con Brasil y Argentina. La conversación se desarrolló el jueves en la mañana, antes de que se decidiera en el Mercosur la suspensión de Paraguay como miembro y la inclusión de Venezuela, que hasta ayer no podía concretarse precisamente por la oposición del Congreso paraguayo. Esta es la nota. ─ Hablando de perfeccionar el Mercosur, hasta hoy cada vez que algunos de los socios grandes tienen problemas, los acuerdos se hacen flexibles. Si Argentina necesita "dificultar" la importación, esos acuerdos se hacen todavía más endebles. ¿Es posible hablar de un Mercosur justo si no tenemos organismos supranacionales que puedan obligar a todos los socios a respetar los acuerdos, independientemente del tamaño de sus economías? ─ Esa es la situación ideal de derecho, pero no lo podemos lograr porque no tenemos una situación política de hecho. Por eso dije que el Mercosur no estaba terminado. Hay que traer socios más fuertes para que les equilibren a los otros socios más fuertes, si no nosotros estamos soñando. ¿Cómo Uruguay y Paraguay van a equilibrar a Brasil y Argentina?, ¿con qué? Necesitamos otros dos o más pingos de mayor porte que compliquen más el partido para tener más peso y tener más variables. Esa es precisamente parte de la lucha por Venezuela. Por Venezuela, por Perú, por otros países. Si no, estamos ahí nosotros dos chiquitos dependiendo de dos grandotes. Tenemos que complicarle un poco más la vida a los grandotes, pero eso se hace con masa no con declaraciones. Con declaraciones solo conseguimos prensa y jeteamos y conseguimos grandes titulares, pero no perjudicamos a nadie, porque no tenemos fuerza. ─ ¿Es una necedad creer que se puede negociar de igual a igual con Brasil y Argentina? ─ Y lo peor que hay en alta política es no reconocer la realidad. Ese es el gran defecto, soñar que la realidad tiene que ser como debería ser y no como es. Y la realidad es como es. Y hay que moverse dentro de esa realidad. Lamentablemente yo no pude hablar con los amigos paraguayos, yo creo que con Venezuela cometemos un error. Creo que hay mucho prejuicio. Prejuicio que yo no tengo. Yo hablo con el presidente Santos de Colombia, por ejemplo. ─ Mucha gente cree que el Mercosur ha sido un mal negocio para Uruguay y Paraguay. ─ Mire, Mercosur tiene defectos en pila, pero menos mal que los tenemos, porque todo el mundo dice que hay que abrirse con el mundo, pero el mundo no se abre con nosotros. Porque el mundo es macanudo, pero macanudo para vendernos, para comprarnos no es tan macanudo. Entonces, con todos los defectos que tiene el Mercosur, menos mal que lo tenemos. Língua Estrangeira - Espanhol Página 12
  • 13. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva ─Usted habla a menudo de que en el Mercosur hay que dar un margen mayor de libertad, ¿a qué se refiere? - A que si Paraguay quiere negociar con Perú o con Panamá, supongamos, y quiere intercambiar tales o cuales artículos con ventaja arancelaria, el Mercosur tiene que permitírselo. Y si Uruguay lo quiere hacer, también, y fuera del Mercosur. Es decir, mantener las relaciones con el Mercosur, pero tener ventanas abiertas que nos permitan una mayor diversificación de mercado. Yo voy a plantear eso. Eso vale para Paraguay, para Uruguay, vale para cualquier país. ─ ¿Habla de la posibilidad de suscribir acuerdos de libre comercio con otros países? ─ No hablo de acuerdos totales. Por ejemplo, al Uruguay le convendría hacer con Perú un acuerdo lácteo porque Perú es un gran comprador de arroz y leche; y al Uruguay le convendría traer chapas de barcos del Perú, y para eso podemos hacer un acuerdo rápido, un vamos y vamos, hasta ahí. Y así pueden surgir otros negocios. Pero, si nosotros queremos hacer un acuerdo total hay que hacer un TLC (tratado de libre comercio) y necesitamos como cinco años para eso. ─ ¿Cuál sería su pedido, concretamente? - Yo lo que pido es poder abrir banderolas para que nuestras economías vayan funcionando. Y en ese campo tenemos que pelear. Uruguay suscribió un acuerdo con México. Estamos en el Mercosur, pero tenemos un acuerdito con México. No veo por qué otros países no pueden hacer lo mismo. Porque si no el Mercosur es como una prisión. De allí no podemos salir. ─¿Y le parece bien negociar un acuerdo comercial con China?, porque hasta ahora a China solo le vendemos materia prima y con o sin acuerdo nos seguirán comprando eso porque lo necesitan. ─ Y está bien que seamos vendedores de materia prima, pero necesitamos intercambiar también valor agregado, porque si no nunca vamos a salir de la edad del cuero. ─ ¿Qué pasaría con un acuerdo comercial con China? ─ Si China entra hoy con la potencialidad que tiene chau, nos liquida. No nos quedará ninguna industria, esa es la pura verdad. Esas son las cosas que tenemos que negociar. Les tenemos que vender menos soja y más aceite. Estas negociaciones con China están apenas en su etapa inicial. De todas formas, Paraguay no podrá por de pronto tomar parte de la discusión ya que quedó fuera de todos los foros del Mercosur, luego de que ayer fuera suspendido como socio. Última hora, Uruguay. 30 de junio de 2012. (adaptado) Disponible en: <http://www.ultimahora.com/notas/541342-Entra-Venezuela-y---equilibramos-por-fin--a-Brasil-y- Argentina>. Língua Estrangeira - Espanhol Página 13
  • 14. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva RESPONDA A PRIMEIRA E SEGUNDA QUESTÃO EM ESPANHOL. RESPOSTAS EM PORTUGUÊS NÃO SERÃO ACEITAS. PRIMEIRA QUESTÃO De acuerdo con el presidente de Uruguay, José Pepe Mujica, ¿qué es necesario para que los acuerdos entre los países del Mercosur no sean tan desiguales? Justifique su respuesta. SEGUNDA QUESTÃO Mujica dice ―yo creo que con Venezuela cometemos un error. Creo que hay mucho prejuicio‖. Explique la motivación para esas declaraciones del presidente uruguayo. RESPONDA A TERCEIRA E QUARTA QUESTÃO EM PORTUGUÊS. RESPOSTAS EM ESPANHOL NÃO SERÃO ACEITAS. TERCEIRA QUESTÃO En la entrevista, José Pepe Mujica afirma que ―el mundo es macanudo, pero macanudo para vendernos, para comprarnos no es tan macanudo‖. Explique qué quiere decir esa afirmación y qué valoración hace del Mercosur para Uruguay el presidente. QUARTA QUESTÃO ¿A qué se refiere el presidente Mujica con las siguientes frases extraídas del texto? ―Porque si no el Mercosur es como una prisión‖ y ―porque si no nunca vamos a salir de la edad del cuero‖. Justifique su respuesta. Língua Estrangeira - Espanhol Página 14
  • 15. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva LÍNGUA ESTRANGEIRA - INGLÊS Brussels sprouts: delicious or disgusting? Getty Images/Justin Lightley PEOPLE WHO HAVE a lot of papillae — groups that came into contact with a the bumps on our tongue, most of which variety of plants would have, over time, house our taste buds — often find flavors developed a variety of receptors. People overwhelming. They’re ―supertasters,‖ and from malaria-infested parts of the world as such they add cream to their coffee and tend to carry a gene that makes them less order food mild instead of spicy. sensitive to some bitter compounds, Subtasters, on the other hand, have low specifically those that contain cyanide. papillae density and prefer their chicken Researchers speculate that cyanide, wings ―atomic.‖ ingested at low levels, fights malarial parasites while leaving the host Individual taste, however, isn’t simply unscathed. Juyun Lim, a sensory scientist about papillae; it also has to do with our in Oregon State University’s Department buds’ ability to detect different molecules. of Food Science, says that we have a Although our brains can recognize the natural aversion to bitterness and certain same five tastes — bitter, sweet, salty, odors: ―Most people don’t like beer the first sour and umami (savory) — the suite of time they try it.‖ chemicals that can trigger those signals varies from one person to the next. ARE YOU A SUPERTASTER? Alexander Bachmanov, a geneticist at Monell Chemical Senses Center in To find out, put blue food coloring on your Philadelphia, says that humans carry a tongue. Blue dye doesn’t stick to taste range of 20 to 40 genes dedicated to bitter papillae, so if your tongue doesn’t get very taste receptors. blue, you’re probably a supertaster. The Different sensitivities to bitter tastes bluer it gets, the greater the chance you probably arose from evolutionary are a subtaster. More hot sauce! pressures in different parts of the world. Most toxic plants taste bitter, and nomadic Disponível em: < http://www.popsci.com/>. Acesso em: jun. 2012. Língua Estrangeira - Inglês Página 15
  • 16. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva RESPONDA A PRIMEIRA E SEGUNDA QUESTÃO EM INGLÊS. RESPOSTAS EM PORTUGUÊS NÃO SERÃO ACEITAS. PRIMEIRA QUESTÃO Why might some people not like beer the first time they try it? SEGUNDA QUESTÃO Based on the text, what can one infer from the statement ―taste isn’t simply about papillae‖? RESPONDA A TERCEIRA E QUARTA QUESTÃO EM PORTUGUÊS. RESPOSTAS EM INGLÊS NÃO SERÃO ACEITAS. TERCEIRA QUESTÃO How can you find out what kind of taster you are? QUARTA QUESTÃO According to the text you have just read, is the statement below right or wrong? Justify your answer accordingly. ―A supertaster prefers spicy food‖ Língua Estrangeira - Inglês Página 16
  • 17. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva REDAÇÃO ORIENTAÇÃO GERAL Leia com atenção todas as instruções. A) Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha aquela com que você tenha maior afinidade ou a que trata de assunto sobre o qual você tenha maior conhecimento. B) Após a escolha de um dos gêneros, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero selecionado. C) Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar. Escreva o título no lugar apropriado na folha de prova. D) Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova. E) Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie- os. F) Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação. ATENÇÃO: Se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada. SITUAÇÃO A Apagão nos transportes Leonardo Attuch Dois fatos, aparentemente distantes, desta semana que passou demonstraram que o Brasil ainda não aprendeu a pensar diferente no que diz respeito a um dos grandes problemas do século XXI: a mobilidade urbana. Na segunda-feira, com a crise europeia batendo à porta, o governo federal anunciou novas medidas de estímulo à economia. E repetiu uma velha fórmula: incentivos às montadoras para que, com o IPI menor, desovem seus estoques. Dois dias depois, uma greve dos metroviários parou a cidade de São Paulo. A confusão generalizada serviu de pretexto para a exploração eleitoral do tema. Afinal, São Paulo e o Brasil não podem parar. Hoje, há praticamente um consenso sobre o apagão dos transportes no Brasil. Grandes metrópoles, e não apenas São Paulo, apresentam sérios problemas de mobilidade urbana. E as políticas públicas, em vez de atenuar, reforçam o caos. Mais automóveis nas ruas, mais obras de infraestrutura e, com o que sobra, algum estímulo ao transporte público, com a construção de linhas de metrô e corredores de ônibus. Esse modelo, no entanto, se esgotou e não resolverá os problemas, por maiores que sejam as verbas de um PAC da Mobilidade. É hora, mais do que nunca, de buscar soluções inovadoras. Eis a pergunta que deve ser feita: por que, em pleno século XXI, as pessoas ainda vão ao trabalho, e não é o trabalho que vai até elas? Será que não é mesmo possível reorganizar as relações de trabalho na era da internet e da banda larga? Redação Página 17
  • 18. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva Pois uma das grandes saídas para as metrópoles é o estímulo ao trabalho remoto. Nos dias de hoje, seria plenamente possível reorganizar o espaço urbano, oferecendo incentivos adequados ao setor privado. Por que não, por exemplo, reduzir impostos de empresas que tenham a maior parte dos funcionários trabalhando remotamente e, portanto, demandando menos serviços públicos? Por que não estimular a criação de escritórios compartilhados, em vários pontos das grandes metrópoles, para que essas pessoas tenham estações de trabalho, onde possam se conectar com seus colegas por Skype, e conviver com gente de outras empresas? E mesmo nos casos onde o trabalho presencial é necessário, pode-se estimular a contratação de pessoas que morem em regiões próximas. O Brasil está prestes a sediar a maior conferência ambiental dos últimos anos, mas o modelo mental dos governos e das empresas ainda é do século passado. Vivemos ainda na era do petróleo, do automóvel e da degradação das riquezas naturais e do espaço público. Será que não é hora de mudar? Istoé, 30 maio 2012, p. 50, ed. 2220. Redija um TEXTO DE OPINIÃO, respondendo a pergunta abaixo: As pessoas devem ir ao trabalho ou o trabalho é que deve ir até elas no século XXI? SITUAÇÃO B Narcisismo no “Face” Luiz Felipe Pondé Cuidado! Quem tem muitos amigos no Face pode ter uma personalidade narcísica. Personalidade narcísica não é alguém que se ama muito, é alguém muito carente. Faço parte do que o jornal britânico The Guardian chama de social media sceptics (céticos em relação às mídias sociais) em um artigo dedicado a pesquisas sobre o lado "sombrio" do Facebook. Ser um social media sceptic significa não crer nas maravilhas das mídias sociais. Elas não mudam o mundo. Aliás, nem acredito na "história", sou daqueles que suspeitam que a humanidade anda em círculos, somando avanços técnicos que respondem aos pavores míticos atávicos: morte, sofrimento, solidão, insegurança, fome, sexo. Fazemos o que podemos diante da opacidade do mundo e do tempo. As mídias sociais potencializam o que no humano é repetitivo, banal e angustiante: nossa solidão e falta de afeto. Boas qualidades são raras e normalmente são tão tímidas quanto a exposição pública. Em 1979, o historiador americano Christopher Lasch publicava seu best-seller acadêmico A Cultura do Narcisismo, um livro essencial para pensarmos o comportamento no final de século 20. Ali, o autor identificava o traço narcísico de nossa era: carência, adolescência tardia, incapacidade de assumir a paternidade ou maternidade, pavor do envelhecimento, enfim, uma alma ridiculamente infantil num corpo de adulto. Não estou aqui a menosprezar os medos humanos. Pelo contrário, o medo é meu irmão gêmeo. Estou a dizer que a cultura do narcisismo se fez hegemônica gerando personalidades que buscam o tempo todo ser amadas, reconhecidas, e que, portanto, são incapazes de ver o "outro", apenas exigindo do mundo um amor incondicional. Segundo a pesquisa da Universidade de Western Illinois (EUA), discutida pelo periódico britânico, "um senso de merecimento de respeito, desejo de manipulação e de tirar vantagens dos outros" marca esses bebês grandes do mundo contemporâneo, que assumem que seus vômitos são significativos o bastante para serem postados no Face. A pesquisa envolveu 294 estudantes da universidade em questão, entre 18 e 65 anos, e seus hábitos no Face. Além do senso de merecimento e desejo de manipulação já Redação Página 18
  • 19. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva mencionados, são traços "tóxicos" (como diz o artigo) da personalidade narcísica com muitos amigos no Face a obsessão com a autoimagem, amizades superficiais, respostas especialmente agressivas a supostas críticas feitas a ela, vidas guiadas por concepções altamente subjetivas de mundo, vaidade doentia, senso de superioridade moral e tendências exibicionistas grandiosas. Pessoas com tais traços são mais dadas a buscar reconhecimento social do que a reconhecer os outros. São indivíduos cada vez mais plugados e cada vez mais solitários. Na sociedade contemporânea, a solidão é como uma epidemia fora de controle. Folha de S. Paulo, 16 de abril de 2012. “Tecnodesinibição” Alexandre Hohagen Seu Benedito tem 79 anos de idade. Sofre do mal de Alzheimer. A doença, em seu início, gera falhas esporádicas de memória que se repetem com frequência variável, sem constância. Na semana passada, seu Benedito saiu de casa e não teve condições de voltar. Continuou andando a esmo. Ao se dar conta do desaparecimento de seu pai, o filho rapidamente acionou as autoridades e começou uma busca intensa nas imediações do bairro onde mora a família, na zona leste paulistana. Foi quando o filho teve a ideia de compartilhar pelo Facebook a foto do pai, bem como uma descrição de como ele estava vestido no dia em que desapareceu. Em menos de 24 horas, mais de 30 mil pessoas compartilharam a nota do filho e seu Benedito foi encontrado em Itapevi, município vizinho a São Paulo. Em tempos de redes sociais, há muita discussão em relação à mudança de comportamento das pessoas. Mudamos nosso comportamento social? Estamos diferentes? Fazemos coisas que não fazíamos antes? Sim e não. Não, o nosso comportamento social não mudou. Continuamos pedindo conselhos, confiando nas indicações de nossos amigos. Sim, estamos mais propensos a ter atitudes que sempre foram difíceis de acontecer no nosso cotidiano. O exemplo do seu Benedito confirma isso. O comportamento social é o mesmo. O que mudou foi a facilidade e o empowerment que as pessoas têm com novas tecnologias sociais. As ferramentas encorajam e amplificam ações, em escala nunca antes vista. Imagine quantos cartazes colados nos muros seriam necessários para fazer com que 30 mil pessoas se conectassem com cada amigo para informar sobre o desaparecimento do seu Benedito! Certamente milhares de pessoas que compartilharam a foto desse senhor não têm ideia de quem ele seja. No entanto, a rapidez, o alcance e a facilidade de usar a rede social para ajudar estimularam a atitude das pessoas. É o fenômeno da "tecnodesinibição", ou o desejo de agir diferentemente do normal quando se está on-line. A "tecnodesinibição" é um fenômeno que acontece tanto para temas cotidianos e pessoais como na maneira como nos relacionamos com qualquer outro assunto. É também um desafio para a comunicação moderna. Consumidores, eleitores, clientes, cidadãos estão cada vez mais propensos a compartilhar opiniões  positivas ou negativas  e querendo contar histórias sobre as suas experiências. Folha de S. Paulo, 6 de outubro de 2011, B12, Mercado. Com base nos dois textos, redija um EDITORIAL, posicionando-se acerca do efeito das mídias sociais na vida dos indivíduos. Redação Página 19
  • 20. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva SITUAÇÃO C A glória da dirupção Marion Strecker Uma palavra que vive seu tempo de glória é dirupção. Ou disruption, em inglês, termo que vem sendo mal traduzido por ―disrupção" ou "disruptura", já que o verbo em português é "diruir" ou "derruir", que significa "desmoronar". A palavra é dita com pompa e orgulho no Vale do Silício, na Universidade Stanford e em toda a chamada nova economia. Mas causa terror nos que estão no outro campo econômico, nas indústrias tradicionais e nos que acreditam no saber cumulativo. Poderíamos falar em "ruptura", mas outra tradução seria "ruína" ou "derrubada", já que dirupção é uma ruptura feita à força. Traz noção de colapso, de descontinuidade, de desorganização e de deslocamento. A internet causou e ainda causará muita dirupção. Dirupção é aquele momento em que um comportamento é totalmente modificado, e o dinheiro muda de mãos. Começou pelos correios, quando a internet introduziu o e-mail décadas atrás. Avançou na indústria da música e de jogos, alterando profundamente sua forma física, seu sistema de produção, de marketing, de distribuição e de fruição. Está destruindo a receita de empresas jornalísticas, tornando a atividade muito mais complexa, menos centralizada e menos profissional, dando poder de voz a todo cidadão e transferindo publicidade para sites de busca, resumos e links. Modifica dramaticamente a indústria editorial e de entretenimento, embora Hollywood ainda resista, já que a banda larga ainda não é tão larga nem tão acessível assim na nossa sociedade global e móvel. Mas isso é questão de tempo. Espera-se que a próxima indústria a ser diruída pela internet seja a da educação [...]. Folha de S. Paulo, 3 de maio de 2012, B12, Mercado. (adaptado) Com base no texto, redija uma CARTA ARGUMENTATIVA ao Ministro de Educação, apresentando seu posicionamento a respeito de prováveis efeitos da dirupção na educação. Redação Página 20
  • 21. Processo Seletivo UFU/2012/2 – 1ª Prova Discursiva REDAÇÃO – FOLHA DE RASCUNHO ESTE RASCUNHO NÃO SERÁ CORRIGIDO Número Título da Redação: da linha 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 Rascunho Página 21