SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
66 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com
Resgatar a Humanidade
Texto e Fotos_Alcide Gonçalves [Arquiteta paisagista] e Jorge Moreira [Ambientalista e Investigador]
Se um dia a humanidade for capaz de aproveitar novamente a energia do fogo,
se a humanidade for capaz de capturar novamente a energia do amor,
então, pela segunda vez na história do mundo, teremos descoberto o fogo
Teilhard de Chardin
No dia em que o homem compreender que é filho da Natureza,
irmão dos bichos, da terra, dos pássaros do céu e dos peixes do mar,
nesse dia compreenderá a própria insignificância.
Será mais humano, mais simples e solidário.
Pablo Picasso
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com 67
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
Todas as espécies, incluindo a Homo sapiens. Na verdade, não
estaríamos cá sem o papel das outras espécies, tanto no que
concerne a nível evolutivo, como ecológico. Não conseguiría-
mos existir e viver sem o contributo delas. Faz sentido! Mas a
palavra ‘terra’ também significa chão, solo, território, região de
origem, nação, ou o próprio planeta Terra. Neste contexto, a
Humanidade pode também ser considerada toda a Terra - a
nossa grande Mãe. Há um traço de familiaridade cósmica.
Quando olhamos a Terra do espaço, estamos a observar,
não só o lar da Humanidade, como a própria Humanidade e
as suas mais nobres qualidades. Defender a Humanidade é,
assim, defender a Terra e todos os seres que nela habitam. É
ter princípios baseados numa ética abrangente que inclua as
qualidades patentes na humanidade: bondade e compaixão
para com todos os seres da Terra. É defender rios, montanhas,
florestas e outros lares dos seres da Terra. A Humanidade está
no florescimento das qualidades que suportam a vida na Terra.
A biodiversidade e a diminuição da vida
selvagem
A biodiversidade não é só a diversidade de espécies que
existem numa determinada área, região ou até no Planeta
inteiro. Ela envolve três níveis organizacionais que a com-
põem: a) diversidade genética - soma de toda a informação
genética contida nos genes dos organismos; b) diversidade
de espécies - conjunto de indivíduos com as mesmas carac-
terísticas genéticas e linhagem evolutiva, que possam gerar
descendentes férteis em condições normais; e c) diversidade
ecológica - universo dinâmico formado por comunidades de
seres vivos, mais o meio inorgânico que interage com a vida
e os processos que suportam os ecossistemas, que no seu
conjunto, formam uma unidade funcional. Como seres huma-
nos encontramo-nos incluídos nesta definição complexa da
biodiversidade. Temos o nosso património genético particular,
que determina as nossas características biológicas, mas esse
património é fruto de uma evolução filogenética e, portanto,
todas as espécies, incluindo a Homo sapiens, partilham um
ancestral comum. De igual modo, fazemos parte de muitos
dos ecossistemas terrestres e interagimos praticamente com
todos eles. Contudo, essa interação nem sempre é positiva.
Na verdade arrasamos com uma quantidade colossal deles
só para promover algumas atividades humanas, muitas delas
desnecessárias ou com outras alternativas mais sustentáveis
e saudáveis. Recentemente, os cientistas das Universidades
de Sydney e Queensland, conjuntamente com a Academia
Chinesa da Agricultura, realizaram uma metanálise a relatórios
anteriormente publicados, e chegaram a uma conclusão no
mínimo, catastrófica.
Os investigadores relembram que os insetos são a base
estrutural do funcionamento de quase todos os ciclos de
todos os ecossistemas no nosso planeta. Os dados são
preocupantes - as populações de insetos estão em declínio
Antes da última Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre
Alterações Climáticas (COP24), que decorreu em dezembro
passado, em Katowice, na Polónia, foi divulgado em Incheon,
Coreia do Sul, um documento de 400 páginas realizado por
centenas de investigadores que, resumidamente, dizia que só
tínhamos 12 anos para salvar o planeta ou, melhor dizendo,
para salvar a Humanidade.
O documento tem como base 6000 estudos e alerta para
cenários catastróficos evidentes, que uma eventual ultrapassa-
gem do limite de 1,5o
Celsius de temperatura média, já a partir
de 2030, caso não haja uma redução maciça das emissões de
gases de efeito estufa.
Um documento anterior de especialistas, publicado na revista
científica Nature, em 2017, batizado de Missão 2020 e liderado
pela diplomata Christiana Figueres, ex-secretária-executiva da
Convenção do Clima das Nações Unidas, dava só 3 anos, a
partir dessa data, para resolvermos o problema climático. 2020
era a data crítica para o futuro do clima.
Se as emissões continuassem a subir além dessa data, os
objetivos do Acordo de Paris (COP21) tornar-se-iam inalcan-
çáveis. Precisamente na última cimeira pelo clima, a COP24, o
Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, susten-
tado pelos diversos estudos científicos publicados, fez um apelo
dramático: perder esta oportunidade poria em causa a nossa
última oportunidade para deter as alterações climáticas. Não só
seria imoral, como suicida. (...) É uma questão de vida ou morte.
Mas, mesmo com todas estas advertências e cenários, pouco
mais se avançou nessa cimeira do que um conjunto de regras
para aplicar no terreno relativamente às decisões alcançadas
em Paris. A um ano de 2020 e a uma década de 2030, con-
tinuamos reféns de nós próprios na resolução dos problemas
que colocam o nosso futuro e de muitas outras espécies em ris-
co, e só estamos a falar relativamente às alterações climáticas.
Não podemos esquecer que outros temas, como a diminuição
dramática da fauna e flora a nível mundial, causará também um
enorme impacto para a Humanidade. Precisamos de resgatar a
nossa humanidade para salvarmos a Humanidade.
O que é a Humanidade?
A palavra ‘humanidade’ deriva do latim’ humanitas’ e ‘hu-
manitatis’, que significa cultura, civilização, natureza humana,
carácter, sentimento, bondade, benevolência, cortesia e
compaixão. Trata-se de uma palavra que exprime uma série de
qualidades nobres, que residem profundamente no coração do
ser humano.
Mas, esta palavra, significa também um conjunto de seres
humanos, sendo ‘humanos’, relativo ao homem, que por sua
vez é derivado de ‘homo’, relacionado como ‘humus’, terra.
Curioso! Quando vamos à raiz das coisas, acabamos por
perceber que a Humanidade é simultaneamente um conjunto
de qualidades e seres da terra. Isto sugere, que no sentido lato,
todos os seres da terra podem ser considerados Humanidade.
68 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com
acentuado um pouco por todo o mundo. A perda ronda 2,5%
ao ano, sendo as razões bem conhecidas: agroquímicos,
monoculturas, proliferação de exóticas invasoras, excesso
de área urbanizada, poluição e as alterações climáticas. Um
dos cientistas envolvidos na metanálise, Don Sands, chama
a atenção que a vida dos seres humanos pode sofrer “um
impacto incomensurável” se os insetos desaparecerem. Em
causa está toda a cadeia trófica, cuja a base da alimentação
é consituida pelo insetos, assim como aquelas espécies que
dependem deles para a polinização. O desaparecimento dos
insetos está a causar um impacto em toda a vida. Cerca de
80% das plantas selvagens usam insetos para difundirem as
suas sementes e necessitam dos nutrientes processados no
solo, onde os insetos têm também um papel fundamental.
Muitos répteis e anfíbios estão a sofrer as consequências
desta perda e cerca de 60% dos pássaros utilizam-nos na
sua aliementação. Esta é uma das razões para a diminuição
drástica das suas populações.
Nas últimas três décadas, o número de aves nas zonas rurais
dos países da União Europeia teve um decréscimo de 55%. Em
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
Portugal, temos poucos dados concretos, contudo, a SPEA
alerta para a diminuição das populações da rola-brava e do
picanço barreteiro, que só numa década, entre 2004 e 2014,
registou-se um decréscimo respetivamente de 54% e 65%.
No caso das espécies cinegéticas, como a rola-brava, para
além dos fatores atrás descritos, acrescenta-se a caça, como
elemento perturbador. Mas a hecatombe não se fica por aqui.
Segundo um estudo realizado por uma equipa de cientistas das
Universidades de Aarhus, na Dinamarca, e de Gotemburgo, na
Suécia, publicado na revista PNAS - Proceedings of the National
Academy of Sciences of the United States of America, a perda
nos mamíferos até 2070 levará cerca de cinco milhões de anos
a recuperar. E nem as espécies carismáticas, que possuem
geralmente um estatuto especial de conservação, resistem.
Segundo um estudo do Instituto de Ciência Weizmann de Israel
e do Instituto de Tecnologia da Califórnia dos Estados Unidos,
os seres humanos representam 0,01% dos seres vivos mas
mataram 83% dos mamíferos. A sexta extinção em massa é
uma infeliz realidade e com ela parte da nossa (H)humanidade
também se desvanece.
70 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
Como podemos parar este cenário de
destruição da vida na Terra?
Muita reflexão já foi feita, mas talvez não com a profundidade
devida. É verdade que precisamos de políticas verdadeiramente
sustentáveis, uma espécie de ecologia económica que salvasse o
planeta. Exemplos disso nascem quase todos os dias: a Alemanha
vai fechar as dezenas de centrais a carvão e nucleres, a União Eu-
ropeia declara o fim da venda de plásticos de uso único, um pouco
por todo o lado se verifica a abertura exponencial de mercados
biológicos e a granel.
Contudo, não chega ter boas intenções para reduzir o consumo,
as emissões, a poluição ou a destruição da Natureza. Precisamos
de rever as forças antropogênicas que estão por detrás de tama-
nha (auto)destruição. Precisamos de olhar bem para dentro nós
para percebermos onde se encontra a nossa humanidade, de
re-descobrir que somos o Planeta e que só estaremos bem se
tudo e todos estiverem em harmonia. É um trabalho que a Ecologia
Profunda intitula de Auto-Realização - uma consciência desperta,
que ultrapassa as barreiras redutoras do ego, para se tornar cada
vez mais consciente do todo, ou como disse Krishnamurti, de uma
mente em que o eu está totalmente ausente. Este filósofo fala-nos
também do Auto-Conhecimento, e não há Auto-Realização sem
Auto-Conhecimento.
Sri Ramana Maharshi (1879-1950), filósofo Hindu e um dos
maiores representantes da sabedoria milenar da Índia do século
XX, diz-nos que a Auto-Realização é o maior serviço que podemos
prestar ao mundo.
Encontramos esta mesma ideia nas várias culturas e antigas
tradições espirituais.
Se mergulharmos no pensamento grego, à entrada do Oráculo
de Delfos, esse lugar sagrado, morada há 2500 anos de sacerdo-
tes e sacerdotisas, cuja função era a de ligar os Deuses e a Huma-
nidade, a frase aí inscrita, é semelhante em significado filosófico ao
ensinamento de Sri Ramana Maharshi: Conhece-te a ti mesmo.
Na filosofia taoísta, voltamos a encontrar esta mesma ideia,
como máxima a alcançar para compreendermos o universo (ou o
mundo) através da descoberta em nós do nosso Sol, Lua, estrelas,
os nossos rios, vales e montanhas, em tudo semelhante aos
elementos da Natureza e seus processos. Somos o microcosmos
do macrocosmos e como tal temos todas essas representações
gravadas nas nossas células.
Mas não precisaremos de ser ou nos tornar zen, yogis (yogini
fem.), faquir ou monge, professar o taoísmo, o budismo, ou qual-
quer outra religião, porque encontramos em todas as grandes
sabedorias, crenças, culturas ancestrais ou expressões artísticas
este legado, e esta ideia nuclear assentes numa única fonte: a
Natureza.
Por isso, resgatar a Humanidade é resgatar a Natureza, o am-
biente habitável em nós, o qual cada um terá que ser húmus – solo
(terra) e fertilizante, em simultâneo.
Leonardo Boff, numa linguagem mais científica refere o seguinte:
a existência de Gaia e a nossa própria vida estão ligadas inegavel-
mente ao fato de pertencermos a um sol de luminosidade média,
a 150 milhões de km de distância da Terra, situado na periferia de
uma galáxia espiral média. O tipo de biosfera existente bem como
a estruturação biológica observada nos ecossistemas só podem
desenvolver-se sob determinadas exigências. Concretamente isto
significa que, nós, seja como Terra, seja como pessoas humanas,
embora situados num canto irrisório de nosso sistema galáctico e
O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com 71
Opinião
AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
universal, temos a ver com o todo. O todo conspirou para que nós
existíssemos e tivéssemos chegado até aqui (in ‘Saber Cuidar -
Ética do humano - compaixão pela terra’, pp.75).
Este seria, segundo o autor, o quinto grande ato da estruturação
do teatro cósmico, do qual somos co-autores, pelo que só pode-
remos entender o ser humano-Terra, se o conectarmos com todo
esse processo universal.
Os japoneses, na delicada e maravilhosa arte do arranjo floral
(ikebana), para que o principiante ou o praticante possa atingir a
mestria nesta arte tem que alcançar o requisito principal das dez
virtudes - a união com o “coração da flor” e o “coração universal”.
Segundo esta tradição artística, é neste escutar (sentir) que se
desenvolve uma corrente eterna de amor, que brota do coração
da flor para o coração humano, flui para o coração universal e
transborda de volta. Herrygel, G. explica que para o japonês a vida
é uma unidade ininterrupta, proveniente de uma raíz comum.
É nesta dimensão metafísica ou espiritual, que o ser humano
necessita procurar a solução para responder à pergunta “como
podemos parar a destruição da vida na Terra?”.
Ao dizê-lo, estamos a ser totalmente pragmáticos e não estamos
a usar de falso moralismo e, caso se duvide, poderemos tentar
responder a outra questão com todo o pragmatismo científico
que caracteriza o discurso moderno das sociedades ocidentais
e industrializadas: onde nos têm levado os acordos das cimeiras
mundiais, directivas europeias, campanhas de sensibilização
pro ambiente? Certamente que a resposta não é desprovida de
resultados mas a cada passo verificamos que em vez de reduzir-
mos e.g. as emissões de carbono para os valores mínimos (não
os ótimos!), alcançarmos as metas para a reciclagem, travarmos o
consumo, entre muitas outros objectivos do desenvolvimento sus-
tentável, continuamos a assistir à extinção de espécies, à poluição
dos oceanos, ao decréscimo de efectivos nos ecossistemas e à
delapidação de forma global das condições da vida.
Seria muito fácil elencar uma série de medidas de protecção e
salvaguarda para a vida selvagem, para preservar o planeta, o que
quer que seja o nosso foco, aliás o que por si só não é original,
nem resolve. As próprias leis, directivas-quadro, regulamentos, etc,
também contemplam ações positivas para que possamos levar a
cabo muitos objectivos pretendidos na defesa ambiental, contudo
não surte os efeitos esperados e.g. quanto à determinação de
comportamentos ambientais do indivíduo!
Parece já não nos resta grande espaço para ludibriar as nossas
ações pois elas espelham-nos. Isto empurra-nos cada vez mais
para a necessidade de nos Auto-realizarmos como nos refere o
Mestre Sri Ramana Maharshi. Ele explica que Realização não é
aquisição de nada novo nem é uma nova faculdade. É só a remo-
ção de toda a camuflagem e que tudo o que é necessário para
realizar o Eu (Self) é simplesmente sossegar a mente. Sossegar a
mente é parar com o consumismo e a exploração. É fazer com que
as qualidades patentes na nossa humanidade possam despertar
numa nova Humanidade.
Be still!
líder em tecnologia
solar térmica
www.canalcentro.pt IMPORTADOR EXCLUSIVO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicasA era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicasJorge Moreira
 
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demaisA Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demaisJorge Moreira
 
Aula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambientalAula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambientalMarcelo Gomes
 
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade  3 ano- prof reginaldoBiodiversidade  3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldostjamesmkt
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade pptguest7b65ee
 
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estar
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estarOnde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estar
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estarJorge Moreira
 
Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.netolimask89
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicoselonvila
 
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015Clovis Gurski
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologiaelonvila
 
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)David Quintino
 

Mais procurados (19)

A era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicasA era das catástrofes antrópicas
A era das catástrofes antrópicas
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
Introdução a gestão para sustentabilidade [2014]
 
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demaisA Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais
A Ciência (que) quer salvar a Humanidade – porque em breve será tarde demais
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Aula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambientalAula 1 ciência ambiental
Aula 1 ciência ambiental
 
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade  3 ano- prof reginaldoBiodiversidade  3 ano- prof reginaldo
Biodiversidade 3 ano- prof reginaldo
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Biodiversidade ppt
Biodiversidade pptBiodiversidade ppt
Biodiversidade ppt
 
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estar
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estarOnde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estar
Onde é que nos encontramos para aonde estamos a ir e onde devemos estar
 
Biodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicosBiodiversidade e aspectos biológicos
Biodiversidade e aspectos biológicos
 
Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.Slide de biodiversidade iury souza.
Slide de biodiversidade iury souza.
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicosCiências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos
 
Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)Biodiversidade 4 (1)
Biodiversidade 4 (1)
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015
Introduçao a Ciência do Ambiente - Engenharia Civil 2015
 
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - EcologiaCiências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
Ciências do Ambiente - Cap 1.2 - Ecologia
 
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)
Conservação Da Biodiversidade (Ecologia)
 

Semelhante a Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março 2019

Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambientejopob
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental-
 
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sintese
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sinteseA Problemática dos Transgenicos_Licao-sintese
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sinteseJoão Soares
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaHelio Cruz
 
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdfNÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdfFaga1939
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisHenrique Mark
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisHenrique Mark
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisHenrique Mark
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxMrcioHenrique50
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraAdriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacionalAdriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacionalAdriana Paulon
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisHenrique Mark
 

Semelhante a Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março 2019 (20)

Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
 
Rcman35
Rcman35Rcman35
Rcman35
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Sustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafioSustentabilidade - mito ou desafio
Sustentabilidade - mito ou desafio
 
Sustentabilidade mito ou desafio
Sustentabilidade   mito ou desafioSustentabilidade   mito ou desafio
Sustentabilidade mito ou desafio
 
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sintese
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sinteseA Problemática dos Transgenicos_Licao-sintese
A Problemática dos Transgenicos_Licao-sintese
 
A lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologiaA lei de conservação e a ecologia
A lei de conservação e a ecologia
 
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdfNÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
NÃO HÁ MOTIVOS PARA COMEMORAR HOJE O DIA INTERNACIONAL DA MÃE TERRA.pdf
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Meio ambiente questoes
Meio ambiente questoesMeio ambiente questoes
Meio ambiente questoes
 
Meio ambiente questoes
Meio ambiente questoesMeio ambiente questoes
Meio ambiente questoes
 
Seminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientaisSeminario sobre questoes ambientais
Seminario sobre questoes ambientais
 
Ciências7
Ciências7Ciências7
Ciências7
 

Mais de Jorge Moreira

Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOCDa cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOCJorge Moreira
 
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...Jorge Moreira
 
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne NaessTvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne NaessJorge Moreira
 
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta AutóctoneA «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta AutóctoneJorge Moreira
 
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284Jorge Moreira
 
O Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta ThunbergO Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta ThunbergJorge Moreira
 
Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I Jorge Moreira
 
Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279Jorge Moreira
 
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...Jorge Moreira
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Jorge Moreira
 
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271Jorge Moreira
 
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270Jorge Moreira
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Jorge Moreira
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Jorge Moreira
 
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018Jorge Moreira
 
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018Jorge Moreira
 
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Jorge Moreira
 
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20Jorge Moreira
 
Incêndios florestais tragédia, insensibilidade e irresponsabilidade
Incêndios florestais   tragédia, insensibilidade e irresponsabilidadeIncêndios florestais   tragédia, insensibilidade e irresponsabilidade
Incêndios florestais tragédia, insensibilidade e irresponsabilidadeJorge Moreira
 
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...Jorge Moreira
 

Mais de Jorge Moreira (20)

Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOCDa cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
Da cidade distópica à utopia possível - Jorge Moreira - Prisma.SOC
 
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
Pensar a Humanidade e as Redes através da Teia da Vida, Revista Cescontexto 3...
 
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne NaessTvergastein: A cabana de Arne Naess
Tvergastein: A cabana de Arne Naess
 
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta AutóctoneA «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
A «Floresta» em Portugal Porquê uma Aliança pela Floresta Autóctone
 
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
Estado do Ambiente - uma retrospetiva de 2019 - O Instalador 284
 
O Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta ThunbergO Sonho de Greta Thunberg
O Sonho de Greta Thunberg
 
Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I Educação para a emergência ecológica I
Educação para a emergência ecológica I
 
Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279Flores silvestres - O instalador 279
Flores silvestres - O instalador 279
 
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
Reutilização, Reparação e Reciclagem de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos,...
 
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
Resíduos Urbanos: um problema com valor acrescentado, Alcide Gonçalves e Jorg...
 
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
A Vida no Centro do Universo, Revista o instalador 271
 
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
Decrescimento – Crescer no Essencial, Jorge Moreira, Revista O Instalador 270
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
 
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
Colóquio Vita Contemplativa - Mãe Natureza, Terra Viva Ecosofia, Ecologia Pro...
 
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
O nosso dia de Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, maio 2018
 
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
A Vida dos Rios da Vida, Jorge Moreira, Revista O Instalador, Abril 2018
 
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
Práticas sustentáveis e escolhas éticas, Jorge Moreira, Revista o Instalador ...
 
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
Floresta autoctone - A Natureza esta viva, Revista eco123, nº 20
 
Incêndios florestais tragédia, insensibilidade e irresponsabilidade
Incêndios florestais   tragédia, insensibilidade e irresponsabilidadeIncêndios florestais   tragédia, insensibilidade e irresponsabilidade
Incêndios florestais tragédia, insensibilidade e irresponsabilidade
 
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...
Direitos da natureza: o simples direito à existência, de Alcide Gonçalves e J...
 

Último

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfHELLEN CRISTINA
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024LorenaRocha85
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...atendimento93
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdfHELLEN CRISTINA
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 

Último (14)

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdf
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 

Resgatar a Humanidade, Alcide Gonçalves e Jorge Moreira, O Instalador, março 2019

  • 1. 66 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com Resgatar a Humanidade Texto e Fotos_Alcide Gonçalves [Arquiteta paisagista] e Jorge Moreira [Ambientalista e Investigador] Se um dia a humanidade for capaz de aproveitar novamente a energia do fogo, se a humanidade for capaz de capturar novamente a energia do amor, então, pela segunda vez na história do mundo, teremos descoberto o fogo Teilhard de Chardin No dia em que o homem compreender que é filho da Natureza, irmão dos bichos, da terra, dos pássaros do céu e dos peixes do mar, nesse dia compreenderá a própria insignificância. Será mais humano, mais simples e solidário. Pablo Picasso Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS
  • 2. O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com 67 Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS Todas as espécies, incluindo a Homo sapiens. Na verdade, não estaríamos cá sem o papel das outras espécies, tanto no que concerne a nível evolutivo, como ecológico. Não conseguiría- mos existir e viver sem o contributo delas. Faz sentido! Mas a palavra ‘terra’ também significa chão, solo, território, região de origem, nação, ou o próprio planeta Terra. Neste contexto, a Humanidade pode também ser considerada toda a Terra - a nossa grande Mãe. Há um traço de familiaridade cósmica. Quando olhamos a Terra do espaço, estamos a observar, não só o lar da Humanidade, como a própria Humanidade e as suas mais nobres qualidades. Defender a Humanidade é, assim, defender a Terra e todos os seres que nela habitam. É ter princípios baseados numa ética abrangente que inclua as qualidades patentes na humanidade: bondade e compaixão para com todos os seres da Terra. É defender rios, montanhas, florestas e outros lares dos seres da Terra. A Humanidade está no florescimento das qualidades que suportam a vida na Terra. A biodiversidade e a diminuição da vida selvagem A biodiversidade não é só a diversidade de espécies que existem numa determinada área, região ou até no Planeta inteiro. Ela envolve três níveis organizacionais que a com- põem: a) diversidade genética - soma de toda a informação genética contida nos genes dos organismos; b) diversidade de espécies - conjunto de indivíduos com as mesmas carac- terísticas genéticas e linhagem evolutiva, que possam gerar descendentes férteis em condições normais; e c) diversidade ecológica - universo dinâmico formado por comunidades de seres vivos, mais o meio inorgânico que interage com a vida e os processos que suportam os ecossistemas, que no seu conjunto, formam uma unidade funcional. Como seres huma- nos encontramo-nos incluídos nesta definição complexa da biodiversidade. Temos o nosso património genético particular, que determina as nossas características biológicas, mas esse património é fruto de uma evolução filogenética e, portanto, todas as espécies, incluindo a Homo sapiens, partilham um ancestral comum. De igual modo, fazemos parte de muitos dos ecossistemas terrestres e interagimos praticamente com todos eles. Contudo, essa interação nem sempre é positiva. Na verdade arrasamos com uma quantidade colossal deles só para promover algumas atividades humanas, muitas delas desnecessárias ou com outras alternativas mais sustentáveis e saudáveis. Recentemente, os cientistas das Universidades de Sydney e Queensland, conjuntamente com a Academia Chinesa da Agricultura, realizaram uma metanálise a relatórios anteriormente publicados, e chegaram a uma conclusão no mínimo, catastrófica. Os investigadores relembram que os insetos são a base estrutural do funcionamento de quase todos os ciclos de todos os ecossistemas no nosso planeta. Os dados são preocupantes - as populações de insetos estão em declínio Antes da última Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP24), que decorreu em dezembro passado, em Katowice, na Polónia, foi divulgado em Incheon, Coreia do Sul, um documento de 400 páginas realizado por centenas de investigadores que, resumidamente, dizia que só tínhamos 12 anos para salvar o planeta ou, melhor dizendo, para salvar a Humanidade. O documento tem como base 6000 estudos e alerta para cenários catastróficos evidentes, que uma eventual ultrapassa- gem do limite de 1,5o Celsius de temperatura média, já a partir de 2030, caso não haja uma redução maciça das emissões de gases de efeito estufa. Um documento anterior de especialistas, publicado na revista científica Nature, em 2017, batizado de Missão 2020 e liderado pela diplomata Christiana Figueres, ex-secretária-executiva da Convenção do Clima das Nações Unidas, dava só 3 anos, a partir dessa data, para resolvermos o problema climático. 2020 era a data crítica para o futuro do clima. Se as emissões continuassem a subir além dessa data, os objetivos do Acordo de Paris (COP21) tornar-se-iam inalcan- çáveis. Precisamente na última cimeira pelo clima, a COP24, o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres, susten- tado pelos diversos estudos científicos publicados, fez um apelo dramático: perder esta oportunidade poria em causa a nossa última oportunidade para deter as alterações climáticas. Não só seria imoral, como suicida. (...) É uma questão de vida ou morte. Mas, mesmo com todas estas advertências e cenários, pouco mais se avançou nessa cimeira do que um conjunto de regras para aplicar no terreno relativamente às decisões alcançadas em Paris. A um ano de 2020 e a uma década de 2030, con- tinuamos reféns de nós próprios na resolução dos problemas que colocam o nosso futuro e de muitas outras espécies em ris- co, e só estamos a falar relativamente às alterações climáticas. Não podemos esquecer que outros temas, como a diminuição dramática da fauna e flora a nível mundial, causará também um enorme impacto para a Humanidade. Precisamos de resgatar a nossa humanidade para salvarmos a Humanidade. O que é a Humanidade? A palavra ‘humanidade’ deriva do latim’ humanitas’ e ‘hu- manitatis’, que significa cultura, civilização, natureza humana, carácter, sentimento, bondade, benevolência, cortesia e compaixão. Trata-se de uma palavra que exprime uma série de qualidades nobres, que residem profundamente no coração do ser humano. Mas, esta palavra, significa também um conjunto de seres humanos, sendo ‘humanos’, relativo ao homem, que por sua vez é derivado de ‘homo’, relacionado como ‘humus’, terra. Curioso! Quando vamos à raiz das coisas, acabamos por perceber que a Humanidade é simultaneamente um conjunto de qualidades e seres da terra. Isto sugere, que no sentido lato, todos os seres da terra podem ser considerados Humanidade.
  • 3. 68 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com acentuado um pouco por todo o mundo. A perda ronda 2,5% ao ano, sendo as razões bem conhecidas: agroquímicos, monoculturas, proliferação de exóticas invasoras, excesso de área urbanizada, poluição e as alterações climáticas. Um dos cientistas envolvidos na metanálise, Don Sands, chama a atenção que a vida dos seres humanos pode sofrer “um impacto incomensurável” se os insetos desaparecerem. Em causa está toda a cadeia trófica, cuja a base da alimentação é consituida pelo insetos, assim como aquelas espécies que dependem deles para a polinização. O desaparecimento dos insetos está a causar um impacto em toda a vida. Cerca de 80% das plantas selvagens usam insetos para difundirem as suas sementes e necessitam dos nutrientes processados no solo, onde os insetos têm também um papel fundamental. Muitos répteis e anfíbios estão a sofrer as consequências desta perda e cerca de 60% dos pássaros utilizam-nos na sua aliementação. Esta é uma das razões para a diminuição drástica das suas populações. Nas últimas três décadas, o número de aves nas zonas rurais dos países da União Europeia teve um decréscimo de 55%. Em Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS Portugal, temos poucos dados concretos, contudo, a SPEA alerta para a diminuição das populações da rola-brava e do picanço barreteiro, que só numa década, entre 2004 e 2014, registou-se um decréscimo respetivamente de 54% e 65%. No caso das espécies cinegéticas, como a rola-brava, para além dos fatores atrás descritos, acrescenta-se a caça, como elemento perturbador. Mas a hecatombe não se fica por aqui. Segundo um estudo realizado por uma equipa de cientistas das Universidades de Aarhus, na Dinamarca, e de Gotemburgo, na Suécia, publicado na revista PNAS - Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, a perda nos mamíferos até 2070 levará cerca de cinco milhões de anos a recuperar. E nem as espécies carismáticas, que possuem geralmente um estatuto especial de conservação, resistem. Segundo um estudo do Instituto de Ciência Weizmann de Israel e do Instituto de Tecnologia da Califórnia dos Estados Unidos, os seres humanos representam 0,01% dos seres vivos mas mataram 83% dos mamíferos. A sexta extinção em massa é uma infeliz realidade e com ela parte da nossa (H)humanidade também se desvanece.
  • 4. 70 O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS Como podemos parar este cenário de destruição da vida na Terra? Muita reflexão já foi feita, mas talvez não com a profundidade devida. É verdade que precisamos de políticas verdadeiramente sustentáveis, uma espécie de ecologia económica que salvasse o planeta. Exemplos disso nascem quase todos os dias: a Alemanha vai fechar as dezenas de centrais a carvão e nucleres, a União Eu- ropeia declara o fim da venda de plásticos de uso único, um pouco por todo o lado se verifica a abertura exponencial de mercados biológicos e a granel. Contudo, não chega ter boas intenções para reduzir o consumo, as emissões, a poluição ou a destruição da Natureza. Precisamos de rever as forças antropogênicas que estão por detrás de tama- nha (auto)destruição. Precisamos de olhar bem para dentro nós para percebermos onde se encontra a nossa humanidade, de re-descobrir que somos o Planeta e que só estaremos bem se tudo e todos estiverem em harmonia. É um trabalho que a Ecologia Profunda intitula de Auto-Realização - uma consciência desperta, que ultrapassa as barreiras redutoras do ego, para se tornar cada vez mais consciente do todo, ou como disse Krishnamurti, de uma mente em que o eu está totalmente ausente. Este filósofo fala-nos também do Auto-Conhecimento, e não há Auto-Realização sem Auto-Conhecimento. Sri Ramana Maharshi (1879-1950), filósofo Hindu e um dos maiores representantes da sabedoria milenar da Índia do século XX, diz-nos que a Auto-Realização é o maior serviço que podemos prestar ao mundo. Encontramos esta mesma ideia nas várias culturas e antigas tradições espirituais. Se mergulharmos no pensamento grego, à entrada do Oráculo de Delfos, esse lugar sagrado, morada há 2500 anos de sacerdo- tes e sacerdotisas, cuja função era a de ligar os Deuses e a Huma- nidade, a frase aí inscrita, é semelhante em significado filosófico ao ensinamento de Sri Ramana Maharshi: Conhece-te a ti mesmo. Na filosofia taoísta, voltamos a encontrar esta mesma ideia, como máxima a alcançar para compreendermos o universo (ou o mundo) através da descoberta em nós do nosso Sol, Lua, estrelas, os nossos rios, vales e montanhas, em tudo semelhante aos elementos da Natureza e seus processos. Somos o microcosmos do macrocosmos e como tal temos todas essas representações gravadas nas nossas células. Mas não precisaremos de ser ou nos tornar zen, yogis (yogini fem.), faquir ou monge, professar o taoísmo, o budismo, ou qual- quer outra religião, porque encontramos em todas as grandes sabedorias, crenças, culturas ancestrais ou expressões artísticas este legado, e esta ideia nuclear assentes numa única fonte: a Natureza. Por isso, resgatar a Humanidade é resgatar a Natureza, o am- biente habitável em nós, o qual cada um terá que ser húmus – solo (terra) e fertilizante, em simultâneo. Leonardo Boff, numa linguagem mais científica refere o seguinte: a existência de Gaia e a nossa própria vida estão ligadas inegavel- mente ao fato de pertencermos a um sol de luminosidade média, a 150 milhões de km de distância da Terra, situado na periferia de uma galáxia espiral média. O tipo de biosfera existente bem como a estruturação biológica observada nos ecossistemas só podem desenvolver-se sob determinadas exigências. Concretamente isto significa que, nós, seja como Terra, seja como pessoas humanas, embora situados num canto irrisório de nosso sistema galáctico e
  • 5. O Instalador Março 2019 www.oinstalador.com 71 Opinião AMBIENTE E ENERGIAS RENOVÁVEIS universal, temos a ver com o todo. O todo conspirou para que nós existíssemos e tivéssemos chegado até aqui (in ‘Saber Cuidar - Ética do humano - compaixão pela terra’, pp.75). Este seria, segundo o autor, o quinto grande ato da estruturação do teatro cósmico, do qual somos co-autores, pelo que só pode- remos entender o ser humano-Terra, se o conectarmos com todo esse processo universal. Os japoneses, na delicada e maravilhosa arte do arranjo floral (ikebana), para que o principiante ou o praticante possa atingir a mestria nesta arte tem que alcançar o requisito principal das dez virtudes - a união com o “coração da flor” e o “coração universal”. Segundo esta tradição artística, é neste escutar (sentir) que se desenvolve uma corrente eterna de amor, que brota do coração da flor para o coração humano, flui para o coração universal e transborda de volta. Herrygel, G. explica que para o japonês a vida é uma unidade ininterrupta, proveniente de uma raíz comum. É nesta dimensão metafísica ou espiritual, que o ser humano necessita procurar a solução para responder à pergunta “como podemos parar a destruição da vida na Terra?”. Ao dizê-lo, estamos a ser totalmente pragmáticos e não estamos a usar de falso moralismo e, caso se duvide, poderemos tentar responder a outra questão com todo o pragmatismo científico que caracteriza o discurso moderno das sociedades ocidentais e industrializadas: onde nos têm levado os acordos das cimeiras mundiais, directivas europeias, campanhas de sensibilização pro ambiente? Certamente que a resposta não é desprovida de resultados mas a cada passo verificamos que em vez de reduzir- mos e.g. as emissões de carbono para os valores mínimos (não os ótimos!), alcançarmos as metas para a reciclagem, travarmos o consumo, entre muitas outros objectivos do desenvolvimento sus- tentável, continuamos a assistir à extinção de espécies, à poluição dos oceanos, ao decréscimo de efectivos nos ecossistemas e à delapidação de forma global das condições da vida. Seria muito fácil elencar uma série de medidas de protecção e salvaguarda para a vida selvagem, para preservar o planeta, o que quer que seja o nosso foco, aliás o que por si só não é original, nem resolve. As próprias leis, directivas-quadro, regulamentos, etc, também contemplam ações positivas para que possamos levar a cabo muitos objectivos pretendidos na defesa ambiental, contudo não surte os efeitos esperados e.g. quanto à determinação de comportamentos ambientais do indivíduo! Parece já não nos resta grande espaço para ludibriar as nossas ações pois elas espelham-nos. Isto empurra-nos cada vez mais para a necessidade de nos Auto-realizarmos como nos refere o Mestre Sri Ramana Maharshi. Ele explica que Realização não é aquisição de nada novo nem é uma nova faculdade. É só a remo- ção de toda a camuflagem e que tudo o que é necessário para realizar o Eu (Self) é simplesmente sossegar a mente. Sossegar a mente é parar com o consumismo e a exploração. É fazer com que as qualidades patentes na nossa humanidade possam despertar numa nova Humanidade. Be still! líder em tecnologia solar térmica www.canalcentro.pt IMPORTADOR EXCLUSIVO