Doenças

317 visualizações

Publicada em

Doenças

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
317
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Doenças

  1. 1. CATAPORA A catapora, ou varicela, é uma doença viral, causada pelo Herpesvirus varicellae, e que se manifesta com maior frequência em crianças. Na maioria das vezes, apresenta-se de forma benigna e as pessoas acometidas tendem a apresentar cansaço, dor de cabeça, febre e perda de apetite. O mais característico, no entanto, é o surgimento de pequenas feridas de cor avermelhada e número variável, que costumam se manifestar no tronco, rosto, membros e, em alguns casos, nas mucosas. Logo, essas lesões evoluem para bolhas com líquido e, em cerca de cinco dias, começam a cicatrizar. A transmissão se dá por meio de gotículas ou secreções nasais contendo o vírus, mesmo que os sintomas ainda não tenham surgido. Além disso, a secreção das feridas também é contaminante, até mesmo quando já formaram as “casquinhas”. Há, também, a possibilidade de transmissão de mãe para filho, durante a gestação. já que não existem medidas que provoquem a expulsão do vírus do organismo. Em hipótese alguma a pessoa deve se automedicar, é importante que os pacientes permaneçam em casa, de repouso, por pelo menos uma semana, para evitar que outras pessoas sejam afetadas. Entretanto, por permanecer, de forma latente, no organismo, o H. varicellae pode provocar a manifestação da herpes-zóster. Prevenção: A prevenção da catapora é através da vacina. A vacinação com 2 doses de vacina para varicela previne a doença na maioria das pessoas. Em casos de surtos evite aglomerações e principalmente contato com infectados. DENGUE Ela é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti fêmea, portadora do vírus dessa doença.Esse animal, de hábitos diurnos e crepusculares, possui tamanho pequeno, com cerca de meio centímetro de comprimento. Sintomas: apresenta sintomas semelhantes aos da gripe, como febre alta, dores, cansaço e indisposição, além de vômitos, dores nas articulações e atrás dos olhos, e manchas vermelhas na pele. Tratamento: é importante que a pessoa ingira bastante água e procure auxílio médico o mais rápido possível. Como não existe tratamento específico, os profissionais da saúde se focam no controle dos sintomas e prevenção do quadro hemorrágico e demais complicações. Pessoas com problemas crônicos devem receber atenção especial. Prevenção: Não existem vacinas que previnam essa doença. Por esse motivo, as ações de controle da dengue são feitas com base no controle do mosquito transmissor. Não deixar água parada, cobrir reservatórios de água, chamar agentes de saúde para fazer a nebulização em sua rua. Hepatite A É uma doença infecciosa causada pelo vírus VHA, que atinge o fígado. Já existe na rede privada uma vacina contra o vírus da hepatite A, porém esta vacina é de custo elevado e, por conseguinte, é pouco acessível para a população. A ocorrência dessa doença é maior em locais com saneamento básico precário e atinge principalmente crianças, por ainda não terem noções de higiene. A transmissão do vírus da hepatite A se dá através de água e alimentos contaminados, e do contato direto com a pessoa infectada. O consumo de frutos do mar crus ou mal cozidos também pode ser uma fonte de contágio, Sintomas: é febre, mal-estar, fadiga, dores de cabeça, náuseas, dor abdominal e diarréias. Depois de alguns dias com a doença a pessoa pode apresentar icterícia (olhos e pele ficam amarelados), fezes de cor clara e urina de cor escura. Tratamento: Geralmente dois meses após a infecção a pessoa já está curada. A hepatite A não é uma doença considerada grave e não tem medicação específica para seu tratamento. O
  2. 2. médico prescreve remédios apenas para aliviar o desconforto causado pelos sintomas da doença. A pessoa infectada deve abolir o consumo de bebidas alcoólicas. Prevenção: Ingerir água filtrada ou fervida; Lavar bem as mãos antes das refeições; Lavar bem as mãos após ir ao banheiro; Não compartilhar alicates de unha ou outros objetos de uso pessoal; Lavar bem os alimentos com água tratada; Não ingerir alimentos ou água de procedência duvidosa; Vacinação. RAIVA A raiva é uma doença infecciosa viral que afeta, unicamente, animais mamíferos. Ela envolve o sistema nervoso central, levando a óbito em pouco tempo, caso o paciente não tome as providências necessárias logo após a exposição. O responsável por esta zoonose é um RNA vírus pertencente à família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus, presente na saliva do animal doente. Este, ao morder ou lamber mucosas ou regiões feridas, pode transmitir a raiva a outro indivíduo – inclusive humano. No caso da raiva humana, os cães são o principal reservatório da doença. Após o contato com seu novo hospedeiro, o vírus se multiplica e penetra no sistema nervoso, afetando cérebro, medula e cerebelo. SINTOMAS Mal estar, febre e dores de cabeça. Após estas manifestações, ansiedade, agitação, agressividade, confusão mental, paralisia, convulsões, espasmos musculares e dor ao deglutir. Em um prazo de aproximadamente dez dias, o indivíduo entra em coma e falece. PREVENÇÃO Dá-se, principalmente, pela vacinação anual de cães, gatos e animais de pasto. Métodos envolvendo o controle populacional de animais errantes e de morcegos e o uso da vacina preventiva em pessoas suscetíveis (biólogos, veterinários, camponeses) são outras formas de se evitar esta doença. TRATAMENTO Após um caso de contato suspeito, o indivíduo lave, apenas com água e sabão, a região que entrou em contato com o animal e procure assistência médica imediatamente, a fim de começar a receber as doses da vacina ou imunoglobulina humana anti-rábica. Importante que não se interrompa o tratamento. RUBÉOLA A rubéola, patologia viral (Rubella vírus), é uma doença infecto-contagiosa transmitida através do ar, quando um indivíduo contaminado emite, a partir das vias respiratórias, secreções nasais ou gotículas de saliva contendo o agente etiológico, também pode ocorrer pelo contato direto com uma pessoa doente, por exemplo, beijo com troca de fluidos salivares. Sintomas:podem ser confundidos com demais moléstias, sendo característico: baixo estado febril, inchaço dos nódulos linfáticos, dor nas articulações e presença de manchas avermelhadas na pele. Para um diagnóstico preciso é necessário um exame sorológico. Tratamento: o tratamento é feito com analgésicos e antitérmicos.
  3. 3. Prevenção: Obedecer criteriosamente as datas de vacinação no cartão das crianças: aos 12 meses tomar a dose única da SRC / tríplice viral (vacina contra sarampo, rubéola e caxumba), e com 4 a 6 anos tomar o reforço; - Adultos com idade entre 20 a 39 anos, devem ser vacinados. As mulheres devem ser vacinadas com antecedência de 6 meses antes de engravidar; Observação: a vacina contra rubéola não deve ser fornecida durante a gravidez. - Entre outras precauções, deve-se evitar o contato com pessoas doentes.

×