SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
ABERTURA DA BR 364
Sua origem se dá em Limeira no Estado de SP, e vai até a cidade de Mâncio Lima no Estado do
AC
ABERTURA DA BR-364
• Foi imaginada por Roquette Pinto em 1916;
• No dia 13 de janeiro de 1945, o então governador do Território do
Guaporé, Aluízio Ferreira, criou a 2ª Companhia Independente, que
tinha a missão de construir a rodovia no rastro da linha telegráfica
de Rondon que ligaria Porto Velho à Vilhena.
ABERTURA DA BR-364
• Objetivo: era necessária para o povoamento e colonização da área.
• Problemas em decorrência da ausência de uma rodovia:
 Distância e isolamento, devido a precariedade dos meios de transporte
e comunicação
Dificuldade pra escoar a produção dos produtos nativos
(castanha,couro, madeira, etc)
ABERTURA DA BR-364
• Inicia a abertura da rodovia Amazonas-Mato Grosso, saindo de Porto
Velho
• Primeira tentativa: 09/07/1945 - sob o comando do capitão
engenheiro Ênio Pinheiro, chegou o primeiro grupo de homens para
construir a estrada. Dois anos mais tarde, a companhia dava por
encerrada as atividades, com apenas 55 quilômetros explorados e o
desaparecimento de um de seus homens mais ilustres, o tenente
Fernando Gomes de Oliveira.
O RECOMEÇO
• 15 de março de 1960 - Durante uma reunião de governadores com o Presidente
da República, o então governador do Território, Paulo Leal, demonstrou a
necessidade de reiniciar a construção da BR-029. Juscelino Kubitschek,
empolgado com uma série de recortes de jornais e mapas levados pelo
governador, ordenou ao DNER – Departamento Nacional de Estradas de
Rodagem – a imediata execução dos trabalhos. A meta era inaugurar a rodovia no
final do mesmo ano.
Paulo Nunes Leal, Governador de Rondônia em 1960: Sr. Presidente!
JK: Diga Paulo!
PL: O Sr. já ligou Brasília ao Centro-Sul, ao Nordeste e a Belém. Por
que o Sr. não faz o outro braço da cruz, ligando Brasília ao Acre?
JK: Uai, Paulo! E pode?
PL: Pode, Sr. Presidente! Mas é negócio pra homem!
JK: Então vai ser!
A ABERTURA DA BR
• No dia 03 de janeiro de 1961, chegava à
Porto Velho a primeira leva de construtores
da BR-29 para realizar em 9 meses e 14
dias a desmatação, terraplanagem,
permitindo em época de verão realizar em
30 horas uma viagem de Cuiabá à Porto
Velho.
INAUGURAÇÃO
• 13 de janeiro de 1961
• Presidente Juscelino Kubitschek
A CARAVANA FORD
 Uma equipe de motoristas e mecânicos do governo além de particulares, levou 59
dias de São Paulo a Porto Velho , conduzindo uma caravana de carros da Ford.
Beberam água de tambores, comendo conserva, enfrentando lama. Quando chovia
bebiam água coletada nos caminhões ao mesmo tempo em que se banhavam na
chuva, procurando mitigar o calor sufocante.
 Festa ao chegarem.
A PAVIMENTAÇÃO
• Quando Rondônia alcançou sua autonomia, transformando-se em Estado, em 1981 apenas o trecho
Ariquemes/Porto Velho, com 192 quilômetros, era asfaltado.
• Ao chegar à Porto Velho par tomar posse como governador do Território, Jorge Teixeira de Oliveira
estabeleceu metas de trabalho, entre elas a pavimentação da BR-364.
• Depois de várias viagens e contatos com autoridades ligadas ao Território, conseguiu que fossem
assinados, pelo ministro Eliseu Resende, na presença do então presidente João Baptista Figueiredo,
19 contratos para a pavimentação da BR-364, rodovia Cuiabá-Porto Velho, no trecho que vai de
Cáceres, no Mato Grosso, a Ariquemes, numa extensão de 1.040 quilômetros.
CONSEQUÊNCIAS
• Abastecimento de Porto Velho e do Território e os Estados vizinhos.
• Surto de desenvolvimento da agricultura e da criação de gado;
• Ocasionou um grande movimento migratório com destino à região, base
para o povoamento
MANUTENÇÃO E CONCLUSÃO DA RODOVIA
• Em 1966 o 5º batalhão de engenharia e construção assumiu as obras;
• Ao 5º BR-364 e deve-se também a construção do trecho da BR 425, ligando
Porto Velho a Guajará-Mirim , que veio substituir a EFMM, desativada em
1972.
ABERTURA DA BR-364 Ligou Rondônia ao resto do país
ABERTURA DA BR-364 Ligou Rondônia ao resto do país

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaFabricio Profeta
 
Expansão Maritima
Expansão MaritimaExpansão Maritima
Expansão Maritimaeiprofessor
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesajoana71
 
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroCap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroAcácio Netto
 
Apresentação região norte
Apresentação região norteApresentação região norte
Apresentação região norteNaty Arantes
 
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da África
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da ÁfricaHistória e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da África
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da ÁfricaMario Filho
 
Formação do território brasileiro
Formação do território brasileiroFormação do território brasileiro
Formação do território brasileiroAEntrudeiranaEscola
 
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundoIngleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundoEdenilson Morais
 
Geografia de rondonia
Geografia de rondoniaGeografia de rondonia
Geografia de rondoniarosanelma
 
Territórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundoTerritórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundoJosé Itapicuru
 
O continente europeu
O continente europeuO continente europeu
O continente europeuflaviocosac
 
A Colonização da América
A Colonização da AméricaA Colonização da América
A Colonização da AméricaGabriel Caseiro
 

Mais procurados (20)

Europa aspectos gerais
Europa aspectos geraisEuropa aspectos gerais
Europa aspectos gerais
 
A Crise na Ucrânia
A Crise na UcrâniaA Crise na Ucrânia
A Crise na Ucrânia
 
Apostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondoniaApostila historia e_geografia-rondonia
Apostila historia e_geografia-rondonia
 
Expansão Maritima
Expansão MaritimaExpansão Maritima
Expansão Maritima
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
China
ChinaChina
China
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiroCap. 6 - O espaço agrário brasileiro
Cap. 6 - O espaço agrário brasileiro
 
Apresentação região norte
Apresentação região norteApresentação região norte
Apresentação região norte
 
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da África
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da ÁfricaHistória e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da África
História e Cultura Africana - Aula 2 - Colonização da África
 
Formação do território brasileiro
Formação do território brasileiroFormação do território brasileiro
Formação do território brasileiro
 
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundoIngleses, franceses e holandeses no novo mundo
Ingleses, franceses e holandeses no novo mundo
 
Geografia de rondonia
Geografia de rondoniaGeografia de rondonia
Geografia de rondonia
 
Territórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundoTerritórios e nações do mundo
Territórios e nações do mundo
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
 
O continente europeu
O continente europeuO continente europeu
O continente europeu
 
A população européia
A população européiaA população européia
A população européia
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
 
A Colonização da América
A Colonização da AméricaA Colonização da América
A Colonização da América
 

Semelhante a ABERTURA DA BR-364 Ligou Rondônia ao resto do país

Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo Amaro
Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo AmaroProjeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo Amaro
Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo AmaroKelly Ruas
 
Conhecimentos Regionais - RO
Conhecimentos Regionais - ROConhecimentos Regionais - RO
Conhecimentos Regionais - ROIareli Mangueira
 
Estrada de ferro. madeira mamoré ro
Estrada de ferro. madeira mamoré  roEstrada de ferro. madeira mamoré  ro
Estrada de ferro. madeira mamoré roG. Gomes
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaQuatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaANTONIO INACIO FERRAZ
 
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e biorigin
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e bioriginsanta lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e biorigin
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e bioriginAntonio Inácio Ferraz
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaQuatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaANTONIO INACIO FERRAZ
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138ANTONIO INACIO FERRAZ
 
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...Antonio Inácio Ferraz
 
Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Lidiane Vieira
 
Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Lidiane Vieira
 

Semelhante a ABERTURA DA BR-364 Ligou Rondônia ao resto do país (17)

História de Rondonópolis
História de RondonópolisHistória de Rondonópolis
História de Rondonópolis
 
Efmm
EfmmEfmm
Efmm
 
Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo Amaro
Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo AmaroProjeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo Amaro
Projeto FICTÍCIO do Monotrilho - Jd. Ângela à Santo Amaro
 
Conhecimentos Regionais - RO
Conhecimentos Regionais - ROConhecimentos Regionais - RO
Conhecimentos Regionais - RO
 
EFMM.docx
EFMM.docxEFMM.docx
EFMM.docx
 
Marise
MariseMarise
Marise
 
História de curitibanos
História de curitibanosHistória de curitibanos
História de curitibanos
 
História de Sinop
História de SinopHistória de Sinop
História de Sinop
 
Estrada de ferro. madeira mamoré ro
Estrada de ferro. madeira mamoré  roEstrada de ferro. madeira mamoré  ro
Estrada de ferro. madeira mamoré ro
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaQuatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
 
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e biorigin
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e bioriginsanta lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e biorigin
santa lina, empresa José Giorgi, Quatá, Zilor e biorigin
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulistaQuatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia digital do oeste paulista
 
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia
Quatá sp antonio inacio ferraz- enciclopédia
 
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138
Quatsp antonioinacioferraz enciclopdiadigitaldooestepaulista 151213190138
 
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...
SANTA LINA E EMPRESA JOSÉ GIORGI S/A-ANTONIO INACIO FERRAZ, TÉCNICO EM ELETRO...
 
Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3
 
Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3Estrada de ferro noroeste3
Estrada de ferro noroeste3
 

Mais de Rose Vital

Revoltas República Velha
Revoltas República VelhaRevoltas República Velha
Revoltas República VelhaRose Vital
 
Revolução Russa
Revolução Russa Revolução Russa
Revolução Russa Rose Vital
 
Era vargas estado novo
Era vargas   estado novoEra vargas   estado novo
Era vargas estado novoRose Vital
 
Era vargas governo constitucional
Era vargas   governo constitucionalEra vargas   governo constitucional
Era vargas governo constitucionalRose Vital
 
Era vargas governo provisório
Era vargas   governo provisórioEra vargas   governo provisório
Era vargas governo provisórioRose Vital
 
Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Rose Vital
 
Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Rose Vital
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundialRose Vital
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialRose Vital
 
Brasil pré colonial
Brasil pré colonialBrasil pré colonial
Brasil pré colonialRose Vital
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colôniaRose Vital
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundialRose Vital
 

Mais de Rose Vital (12)

Revoltas República Velha
Revoltas República VelhaRevoltas República Velha
Revoltas República Velha
 
Revolução Russa
Revolução Russa Revolução Russa
Revolução Russa
 
Era vargas estado novo
Era vargas   estado novoEra vargas   estado novo
Era vargas estado novo
 
Era vargas governo constitucional
Era vargas   governo constitucionalEra vargas   governo constitucional
Era vargas governo constitucional
 
Era vargas governo provisório
Era vargas   governo provisórioEra vargas   governo provisório
Era vargas governo provisório
 
Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)
 
Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Ditadura parte 1
Ditadura parte 1
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Brasil pré colonial
Brasil pré colonialBrasil pré colonial
Brasil pré colonial
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 

Último

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 

ABERTURA DA BR-364 Ligou Rondônia ao resto do país

  • 2. Sua origem se dá em Limeira no Estado de SP, e vai até a cidade de Mâncio Lima no Estado do AC
  • 3. ABERTURA DA BR-364 • Foi imaginada por Roquette Pinto em 1916; • No dia 13 de janeiro de 1945, o então governador do Território do Guaporé, Aluízio Ferreira, criou a 2ª Companhia Independente, que tinha a missão de construir a rodovia no rastro da linha telegráfica de Rondon que ligaria Porto Velho à Vilhena.
  • 4.
  • 5. ABERTURA DA BR-364 • Objetivo: era necessária para o povoamento e colonização da área. • Problemas em decorrência da ausência de uma rodovia:  Distância e isolamento, devido a precariedade dos meios de transporte e comunicação Dificuldade pra escoar a produção dos produtos nativos (castanha,couro, madeira, etc)
  • 6. ABERTURA DA BR-364 • Inicia a abertura da rodovia Amazonas-Mato Grosso, saindo de Porto Velho • Primeira tentativa: 09/07/1945 - sob o comando do capitão engenheiro Ênio Pinheiro, chegou o primeiro grupo de homens para construir a estrada. Dois anos mais tarde, a companhia dava por encerrada as atividades, com apenas 55 quilômetros explorados e o desaparecimento de um de seus homens mais ilustres, o tenente Fernando Gomes de Oliveira.
  • 7. O RECOMEÇO • 15 de março de 1960 - Durante uma reunião de governadores com o Presidente da República, o então governador do Território, Paulo Leal, demonstrou a necessidade de reiniciar a construção da BR-029. Juscelino Kubitschek, empolgado com uma série de recortes de jornais e mapas levados pelo governador, ordenou ao DNER – Departamento Nacional de Estradas de Rodagem – a imediata execução dos trabalhos. A meta era inaugurar a rodovia no final do mesmo ano.
  • 8. Paulo Nunes Leal, Governador de Rondônia em 1960: Sr. Presidente! JK: Diga Paulo! PL: O Sr. já ligou Brasília ao Centro-Sul, ao Nordeste e a Belém. Por que o Sr. não faz o outro braço da cruz, ligando Brasília ao Acre? JK: Uai, Paulo! E pode? PL: Pode, Sr. Presidente! Mas é negócio pra homem! JK: Então vai ser!
  • 9. A ABERTURA DA BR • No dia 03 de janeiro de 1961, chegava à Porto Velho a primeira leva de construtores da BR-29 para realizar em 9 meses e 14 dias a desmatação, terraplanagem, permitindo em época de verão realizar em 30 horas uma viagem de Cuiabá à Porto Velho.
  • 10.
  • 11. INAUGURAÇÃO • 13 de janeiro de 1961 • Presidente Juscelino Kubitschek
  • 12.
  • 13. A CARAVANA FORD  Uma equipe de motoristas e mecânicos do governo além de particulares, levou 59 dias de São Paulo a Porto Velho , conduzindo uma caravana de carros da Ford. Beberam água de tambores, comendo conserva, enfrentando lama. Quando chovia bebiam água coletada nos caminhões ao mesmo tempo em que se banhavam na chuva, procurando mitigar o calor sufocante.  Festa ao chegarem.
  • 14.
  • 15. A PAVIMENTAÇÃO • Quando Rondônia alcançou sua autonomia, transformando-se em Estado, em 1981 apenas o trecho Ariquemes/Porto Velho, com 192 quilômetros, era asfaltado. • Ao chegar à Porto Velho par tomar posse como governador do Território, Jorge Teixeira de Oliveira estabeleceu metas de trabalho, entre elas a pavimentação da BR-364. • Depois de várias viagens e contatos com autoridades ligadas ao Território, conseguiu que fossem assinados, pelo ministro Eliseu Resende, na presença do então presidente João Baptista Figueiredo, 19 contratos para a pavimentação da BR-364, rodovia Cuiabá-Porto Velho, no trecho que vai de Cáceres, no Mato Grosso, a Ariquemes, numa extensão de 1.040 quilômetros.
  • 16. CONSEQUÊNCIAS • Abastecimento de Porto Velho e do Território e os Estados vizinhos. • Surto de desenvolvimento da agricultura e da criação de gado; • Ocasionou um grande movimento migratório com destino à região, base para o povoamento
  • 17. MANUTENÇÃO E CONCLUSÃO DA RODOVIA • Em 1966 o 5º batalhão de engenharia e construção assumiu as obras; • Ao 5º BR-364 e deve-se também a construção do trecho da BR 425, ligando Porto Velho a Guajará-Mirim , que veio substituir a EFMM, desativada em 1972.