SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
1. CARACTERÍSTICASGERAISDOPERÍODOCOLONIAL
• COLÔNIA DE EXPLORAÇÃO (FORNECIMENTO DE GÊNEROS
INEXISTENTES NA EUROPA).
• MONOCULTURA.
• AGROEXPORTAÇÃO.
• LATIFÚNDIO.
• ESCRAVISMO.
• PACTO COLONIAL (MONOPÓLIO DE COMÉRCIO DA METRÓPOLE
SOBRE A COLÔNIA).
OPACTOCOLONIAL
COLÔNIA METRÓPOLEMONOPÓLIO
Consumo de manufaturas
Envio de matéria-prima
2- OPERÍODOPRÉ-COLONIAL(1500– 1530/1532/1534):
• BRASIL em 2º plano: comércio com as índias + ausência de metais preciosos.
• Envio de expedições:
- De reconhecimento exploradoras:
1- Gaspar de Lemos (1501-1502): deu nome aos acidentes geográficos (Ilha de
São Vicente, Cabo de São Roque, Rio São Francisco, Ilha de São Sebastião,
etc.)
2- Gonçalo Coelho (1503- 1504): Foi organizada em função de um contrato
assinado entre o rei de Portugal e um grupo de comerciantes de Lisboa, entre os
quais se destacava o rico Fernão de Noronha. O contrato permitia aos
comerciantes extrair o pau-brasil, mediante o pagamento de tributos à Coroa
Portuguesa e o compromisso de:
1. enviar seis navios anualmente ao Brasil para explorar até trezentas léguas do
seu litoral;
2. construir feitorias destinadas à proteção do litoral, mantendo-as pelo prazo de
três anos.
• 1516-1520 – Expedições guarda-costas ou também
chamadas de expedições policiadoras: Para conter o intenso
contrabando francês do pau-brasil, foram organizadas as
expedições guarda-costas. Essas expedições foram
comandadas por Cristovão Jacques e tinham um caráter
basicamente militar, pois sua missão era aprisionar os navios
franceses que sem pagar tributos à coroa portuguesa, retiravam
enormes quantidades de pau-brasil do nosso litoral. O resultado
alcançado por essas expedições foi pouco significativo. A grande
extensão da costa brasileira tornava impossível policiá-la
integralmente e impedir o tráfico por contrabandistas
Ciclo do Pau-brasil (caesalpinia echinata)
• Sua exploração se estendia do RN ao RJ, com ocorrências em trechos de
GO e MG
- Fabricação de tintura para tecidos e construção de móveis e navios
- Exploração nômade e predatória.
- Escambo com índios.
- Construção de feitorias
ESCAMBO
PAU-BRASIL
NOMES DO BRASIL
•- PINDORAMA : NOME DE NOSSA TERRA ATRIBUÍDO POR ALGUMAS TRIBOS INDÍGENAS. EM
TUPI-GUARANI SIGNIFICA TERRA DAS PALMEIRAS. ESSE NOME FOI MAIS USADO NO
PERÍODO ANTERIOR À CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL (1500).
•- TERRA DE VERA CRUZ (DE 1500 A 1501): NOME PROVISÓRIO DE REFERÊNCIA CRISTÃ.
•- TERRA DE SANTA CRUZ (DE 1501 A 1503): NOME PROVISÓRIO DE REFERÊNCIA CRISTÃ.
•- BRASIL (DE 1503 A 1824): NOME DADO PELOS PORTUGUESES EM FUNÇÃO DA GRANDE
QUANTIDADE DE ÁRVORES DE PAU-BRASIL EXISTENTES NA REGIÃO DO LITORAL
BRASILEIRO. A PALAVRA BRASIL DERIVA DE BRASA, POIS ESTA ÁRVORE POSSUI UMA SEIVA
AVERMELHADA, COR DE BRASA.
•- IMPÉRIO DO BRASIL (1824 A 1891): APÓS A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL (1822), D.PEDRO I
ORDENOU A ELABORAÇÃO DE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO. NESTA, PROMULGADA EM 1824,
FICOU DEFINIDO O NOVO NOME DO PAÍS, FAZENDO REFERÊNCIA AO SISTEMA IMPERIAL DE
GOVERNO.
•- ESTADOS UNIDOS DO BRASIL (1891 A 1969): COM A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA, O
NOME DE NOSSO PAÍS MUDOU NOVAMENTE, POIS ERA NECESSÁRIO RETIRAR A
REFERÊNCIA AOS SISTEMA MONÁRQUICO. A EXPRESSÃO "ESTADOS UNIDOS" REFORÇAVA A
UNIDADE TERRITORIAL E O SISTEMA FEDERATIVO.
•- REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL (1969 ATÉ OS DIAS DE HOJE): O NOME DO PAÍS FOI
ALTERADO NA CONSTITUIÇÃO DE 1969, REFORÇANDO ASSIM O TERMO QUE FAZ
REFERÊNCIA AO SISTEMA REPUBLICANO
• Colonização:
• Medo de perder as terras para invasores.
• Decadência do comércio com as Índias.
• Esperança de encontrar metais preciosos ( Espanha
havia encontrado ouro nas suas colônias)
1530? 1532? 1534?
1530 – Portugal envia para o Brasil a expedição de Martim Afonso de
Souza.
Objetivo: Proteger a costa da colônia, fundar vilas e fortificações no
litoral e iniciar o cultivo de cana de açúcar
1532 – Martim Afonso fundou o primeiro núcleo colonial, a vila de São
Vicente (SP).
Iniciou o cultivo da cana de açúcar e mandou construir o primeiro
engenho
1534 – A Coroa portuguesa introduziu no Brasil o sistema de
capitanias.
Objetivo: ocupar as terras que pertenciam a Portugal, segundo o
Tratado de Tordesilhas
Para povoar o Brasil, o rei dom João III, decidiu em 1534, implantar:
As capitanias hereditárias:
15 lotes horizontais de terra entregues pelo rei a membros da corte de sua
confiança.
Carta de doação: documento que concedia a posse da terra.
Capitão donatário – aquele que recebe um dos lotes de terra.
•Carta foral: direitos e deveres dos donatários.
• Direitos – aplicar a justiça, escravizar índios e doar sesmarias
• Deveres – fundar povoados, cobrar impostos e defender o território.
•Privilégios metropolitanos:
• 100% sobre o pau brasil.
• 100% sobre as drogas do sertão.
• 20% sobre metais preciosos.
• 10% sobre a produção agrícola.
• Motivos para a aplicação deste tipo de organização:
• Por já havia testado essa forma administração em suas ilhas do
atlântico.
• Transferência de despesas para particulares (por não gastava
nada).
• Fracasso: falta de recursos e de interesse e/ou inexperiência dos
donatários + distância excessiva da metrópole + invasões
estrangeiras + o relacionamento hostil entre portugueses e
indígenas.
• Exceções: Pernambuco e São Vicente.
Pernambuco foi favorecida pela produção açucareira e São
Vicente por receber ajuda financeira da Coroa portuguesa.
AS CAPITANIAS
HEREDITÁRIAS:
GOVERNO-GERAL (1548 – 1808)
• Funções:
- Militares: comando e defesa militar da colônia;
- Administrativas: relacionamento com os governadores das
capitanias e controle dos assuntos ligados às finanças;
- Judiciárias: direito de nomear funcionários da justiça e alterar
penas:
- Eclesiásticas: indicar sacerdotes para as paróquias
OS GOVERNOS GERAIS (1548)
• Correção de erros das capitanias .
• Centralização administrativa.
• Cargos auxiliares: ouvidor-mor (justiça), provedor-mor (tesouro –
cobrança de impostos), capitão-mor (defesa da colônia).
Tomé de Souza (1549 – 1553): Salvador (capital), doação de
sesmarias, criação de engenhos, criação do primeiro bispado do
Brasil, vinda de jesuítas, de funcionários, soldados, degredados,etc.
Duarte da Costa (1553 – 1558): atritos entre colonos e jesuítas, bispo
e governador, atritos com índios, invasão de franceses ao RJ;
Mem de Sá (1558 – 1572): restabelecimento da paz interna e
expulsão de franceses do RJ.
• AS CÂMARAS MUNICIPAIS:
• INSTÂNCIAS DE PODER LOCAL.
• HOMENS BONS (HOMENS BRANCOS E RICOS
PROPRIETÁRIOS DE TERRA).
• ADIVISÃO DACO LÔ NIA:
• 1573 – 1578
• GRANDE EXTENSÃO
TERRITORIAL.
• PERIGO DE INVASÕES.
• BRASIL DO NORTE
(SALVADOR*).
• BRASIL DO SUL (RIO DE
JANEIRO*).
• 1602 – 1612
* = capitais
• 1621 – 1675
• ESTADODO BRASIL
(SALVADOR* ).
• ESTADODO MARANHÃO
(SÃOLUÍS* ).
* = CAPITAIS
• AS INVASÕ ES FRANCESAS:
• NÃO RECONHECIMENTO DO TRATADO DE
TORDESILHAS.
• CONTRABANDO E PIRATARIA.
• FRANÇA ANTÁRTICA (RJ – 1555 – 1567).
• FUGA DE HUGUENOTES PERSEGUIDOS.
• CAPITÃO VILLEGAIGNON (LÍDER FRANCÊS).
• ESTÁCIO DE SÁ – SOBRINHO DE MEM DE SÁ,
RESPONSÁVEL PELA EXPULSÃO DOS FRANCESES
DO RJ, COM A AJUDA DOS ÍNDIOS TAMOIOS E
TEMEMINÓS.
• FRANÇA EQUINOCIAL (MA 1612 – 1615).
• UNIÃO IBÉRICA – ENFRAQUECIMENTO DE POR.
• EMPREENDIMENTO OFICIAL DA COROA FRANCESA.
• FUNDAÇÃO DE SÃO LUÍS.
• EXPULSOS POR COLIGAÇÃO LUSO-ESPANHOLA.
• AS INVASÕ ES INGLESAS:
• ATAQUES DE PIRATAS E CORSÁRIOS.
• SOBRETUDO DURANTE A UNIÃO IBÉRICA.
• CIDADES LITORÂNEAS (SANTOS E RECIFE).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides - As Grandes Navegações
Slides -  As Grandes NavegaçõesSlides -  As Grandes Navegações
Slides - As Grandes NavegaçõesLeonardo Lira
 
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptdmflores21
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestantejosepinho
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completoKerol Brombal
 
Origem do homem americano
Origem do homem americanoOrigem do homem americano
Origem do homem americanoFabiana Tonsis
 
28 reforma protestante e contra reforma
28   reforma protestante e contra reforma28   reforma protestante e contra reforma
28 reforma protestante e contra reformaCarla Freitas
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalAlinnie Moreira
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraNívia Sales
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasPaulo Alexandre
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaFabiana Tonsis
 

Mais procurados (20)

Brasil expansão territorial
Brasil expansão territorialBrasil expansão territorial
Brasil expansão territorial
 
Slides - As Grandes Navegações
Slides -  As Grandes NavegaçõesSlides -  As Grandes Navegações
Slides - As Grandes Navegações
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
Pré vestibular Murialdo - aula Europa medieval.
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Uniao iberica slide
Uniao iberica slideUniao iberica slide
Uniao iberica slide
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo3 brasil colônia completo
3 brasil colônia completo
 
Origem do homem americano
Origem do homem americanoOrigem do homem americano
Origem do homem americano
 
28 reforma protestante e contra reforma
28   reforma protestante e contra reforma28   reforma protestante e contra reforma
28 reforma protestante e contra reforma
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
 
Expansão Marítima
Expansão MarítimaExpansão Marítima
Expansão Marítima
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Monarquias Nacionais
Monarquias NacionaisMonarquias Nacionais
Monarquias Nacionais
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 

Destaque

I spit on your grave - analysis
I spit on your grave - analysisI spit on your grave - analysis
I spit on your grave - analysisLauren Wood
 
Photography and photographic practice evaluation
Photography and photographic practice evaluationPhotography and photographic practice evaluation
Photography and photographic practice evaluationRobyn Collinson
 
AGL Chicago 2013 panel presentations
AGL Chicago 2013 panel presentationsAGL Chicago 2013 panel presentations
AGL Chicago 2013 panel presentationsSharpe_Smith
 
Nizona presentation
Nizona presentationNizona presentation
Nizona presentationNg Ahp
 
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidah
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidahPsikologi kepribadian hierarchy of needs wahidah
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidahwahidatulislamiyah
 
Psikologi Perkembangan_Fase Pre Natal
Psikologi Perkembangan_Fase Pre NatalPsikologi Perkembangan_Fase Pre Natal
Psikologi Perkembangan_Fase Pre Natalwahidatulislamiyah
 
profile pandawa fm
profile pandawa fmprofile pandawa fm
profile pandawa fmEko Susilo
 
Ethnic corporate event for the Tatneft company
Ethnic corporate event for the Tatneft companyEthnic corporate event for the Tatneft company
Ethnic corporate event for the Tatneft companyBig Jack Event Agency
 
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, Chicago
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, ChicagoJames Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, Chicago
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, ChicagoSharpe_Smith
 
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, il
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, ilNate power point presentation for agl regional conference in chicago, il
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, ilSharpe_Smith
 
Portfolio Frank Hooijer - march 2013
Portfolio Frank Hooijer - march 2013Portfolio Frank Hooijer - march 2013
Portfolio Frank Hooijer - march 2013frankhooijer
 
Graphic narrative evidence template(1)
Graphic narrative evidence template(1)Graphic narrative evidence template(1)
Graphic narrative evidence template(1)Robyn Collinson
 
Tutorial para realizar un reporte1111
Tutorial para realizar un reporte1111Tutorial para realizar un reporte1111
Tutorial para realizar un reporte1111monserratricocruz
 
Boston conference slides final
Boston conference slides finalBoston conference slides final
Boston conference slides finalSharpe_Smith
 
Atlantis the club - jisc
Atlantis  the club - jiscAtlantis  the club - jisc
Atlantis the club - jiscTEN NEWS
 

Destaque (20)

I spit on your grave - analysis
I spit on your grave - analysisI spit on your grave - analysis
I spit on your grave - analysis
 
Photography and photographic practice evaluation
Photography and photographic practice evaluationPhotography and photographic practice evaluation
Photography and photographic practice evaluation
 
Civic education
Civic educationCivic education
Civic education
 
AGL Chicago 2013 panel presentations
AGL Chicago 2013 panel presentationsAGL Chicago 2013 panel presentations
AGL Chicago 2013 panel presentations
 
Nizona presentation
Nizona presentationNizona presentation
Nizona presentation
 
Stadium grand opening
Stadium grand opening Stadium grand opening
Stadium grand opening
 
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidah
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidahPsikologi kepribadian hierarchy of needs wahidah
Psikologi kepribadian hierarchy of needs wahidah
 
Representation
RepresentationRepresentation
Representation
 
Psikologi Perkembangan_Fase Pre Natal
Psikologi Perkembangan_Fase Pre NatalPsikologi Perkembangan_Fase Pre Natal
Psikologi Perkembangan_Fase Pre Natal
 
profile pandawa fm
profile pandawa fmprofile pandawa fm
profile pandawa fm
 
Ethnic corporate event for the Tatneft company
Ethnic corporate event for the Tatneft companyEthnic corporate event for the Tatneft company
Ethnic corporate event for the Tatneft company
 
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, Chicago
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, ChicagoJames Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, Chicago
James Carlini Keynote Address, AGL Regional Conference, Chicago
 
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, il
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, ilNate power point presentation for agl regional conference in chicago, il
Nate power point presentation for agl regional conference in chicago, il
 
Portfolio Frank Hooijer - march 2013
Portfolio Frank Hooijer - march 2013Portfolio Frank Hooijer - march 2013
Portfolio Frank Hooijer - march 2013
 
Graphic narrative evidence template(1)
Graphic narrative evidence template(1)Graphic narrative evidence template(1)
Graphic narrative evidence template(1)
 
Tutorial para realizar un reporte1111
Tutorial para realizar un reporte1111Tutorial para realizar un reporte1111
Tutorial para realizar un reporte1111
 
Treatment
TreatmentTreatment
Treatment
 
Boston conference slides final
Boston conference slides finalBoston conference slides final
Boston conference slides final
 
Rs
RsRs
Rs
 
Atlantis the club - jisc
Atlantis  the club - jiscAtlantis  the club - jisc
Atlantis the club - jisc
 

Semelhante a Características do período colonial brasileiro

Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...FabioGuimaraes10
 
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaCap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaGustavo Cuin
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02eebcjn
 
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no Brasil
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no BrasilA Administração colonial Portuguesa Portuguesa no Brasil
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no BrasilJoão Medeiros
 
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdf
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdfBRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdf
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdfKelianeCastro3
 
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil ColôniaDaniel Alves Bronstrup
 

Semelhante a Características do período colonial brasileiro (20)

Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
 
Período pre colonial e inicio da colonização brasileira
Período pre colonial e inicio da colonização brasileiraPeríodo pre colonial e inicio da colonização brasileira
Período pre colonial e inicio da colonização brasileira
 
Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.Colonização do Brasil.
Colonização do Brasil.
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
 
Hist br am_colonial
Hist br am_colonialHist br am_colonial
Hist br am_colonial
 
Brasil colonia 1
Brasil colonia 1Brasil colonia 1
Brasil colonia 1
 
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesaCap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
Cap. 1 cap 12 1º ano ocupação portuguesa
 
Colonização do Brasil
Colonização do BrasilColonização do Brasil
Colonização do Brasil
 
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
Hist 3-aula012011-110710164412-phpapp02
 
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no Brasil
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no BrasilA Administração colonial Portuguesa Portuguesa no Brasil
A Administração colonial Portuguesa Portuguesa no Brasil
 
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdf
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdfBRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdf
BRASIL-COLÔNIA-SLIDES.pdf
 
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01História   brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
História brasil colônia-estrutura política_administrativa_econômica_resumo 01
 
2 america portuguesa
2 america portuguesa2 america portuguesa
2 america portuguesa
 
BRASIL COLONIAL.ppt
BRASIL COLONIAL.pptBRASIL COLONIAL.ppt
BRASIL COLONIAL.ppt
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
Brasil colônia 2014
Brasil colônia 2014Brasil colônia 2014
Brasil colônia 2014
 
Atividades Brasil pré-colonial
Atividades Brasil pré-colonialAtividades Brasil pré-colonial
Atividades Brasil pré-colonial
 
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia3ão -  aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
3ão - aulas 1 e 2 - 1 C - Brasil Colônia
 
Brasil colonial
Brasil colonial Brasil colonial
Brasil colonial
 

Mais de Rose Vital

Revoltas República Velha
Revoltas República VelhaRevoltas República Velha
Revoltas República VelhaRose Vital
 
Revolução Russa
Revolução Russa Revolução Russa
Revolução Russa Rose Vital
 
Abertura da br 364
Abertura da br 364Abertura da br 364
Abertura da br 364Rose Vital
 
Era vargas estado novo
Era vargas   estado novoEra vargas   estado novo
Era vargas estado novoRose Vital
 
Era vargas governo constitucional
Era vargas   governo constitucionalEra vargas   governo constitucional
Era vargas governo constitucionalRose Vital
 
Era vargas governo provisório
Era vargas   governo provisórioEra vargas   governo provisório
Era vargas governo provisórioRose Vital
 
Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Rose Vital
 
Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Rose Vital
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundialRose Vital
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialRose Vital
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colôniaRose Vital
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundialRose Vital
 

Mais de Rose Vital (12)

Revoltas República Velha
Revoltas República VelhaRevoltas República Velha
Revoltas República Velha
 
Revolução Russa
Revolução Russa Revolução Russa
Revolução Russa
 
Abertura da br 364
Abertura da br 364Abertura da br 364
Abertura da br 364
 
Era vargas estado novo
Era vargas   estado novoEra vargas   estado novo
Era vargas estado novo
 
Era vargas governo constitucional
Era vargas   governo constitucionalEra vargas   governo constitucional
Era vargas governo constitucional
 
Era vargas governo provisório
Era vargas   governo provisórioEra vargas   governo provisório
Era vargas governo provisório
 
Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)Ditadura parte 2 (1)
Ditadura parte 2 (1)
 
Ditadura parte 1
Ditadura parte 1Ditadura parte 1
Ditadura parte 1
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 

Características do período colonial brasileiro

  • 1.
  • 2. 1. CARACTERÍSTICASGERAISDOPERÍODOCOLONIAL • COLÔNIA DE EXPLORAÇÃO (FORNECIMENTO DE GÊNEROS INEXISTENTES NA EUROPA). • MONOCULTURA. • AGROEXPORTAÇÃO. • LATIFÚNDIO. • ESCRAVISMO. • PACTO COLONIAL (MONOPÓLIO DE COMÉRCIO DA METRÓPOLE SOBRE A COLÔNIA).
  • 3. OPACTOCOLONIAL COLÔNIA METRÓPOLEMONOPÓLIO Consumo de manufaturas Envio de matéria-prima
  • 4. 2- OPERÍODOPRÉ-COLONIAL(1500– 1530/1532/1534): • BRASIL em 2º plano: comércio com as índias + ausência de metais preciosos. • Envio de expedições: - De reconhecimento exploradoras: 1- Gaspar de Lemos (1501-1502): deu nome aos acidentes geográficos (Ilha de São Vicente, Cabo de São Roque, Rio São Francisco, Ilha de São Sebastião, etc.) 2- Gonçalo Coelho (1503- 1504): Foi organizada em função de um contrato assinado entre o rei de Portugal e um grupo de comerciantes de Lisboa, entre os quais se destacava o rico Fernão de Noronha. O contrato permitia aos comerciantes extrair o pau-brasil, mediante o pagamento de tributos à Coroa Portuguesa e o compromisso de: 1. enviar seis navios anualmente ao Brasil para explorar até trezentas léguas do seu litoral; 2. construir feitorias destinadas à proteção do litoral, mantendo-as pelo prazo de três anos.
  • 5. • 1516-1520 – Expedições guarda-costas ou também chamadas de expedições policiadoras: Para conter o intenso contrabando francês do pau-brasil, foram organizadas as expedições guarda-costas. Essas expedições foram comandadas por Cristovão Jacques e tinham um caráter basicamente militar, pois sua missão era aprisionar os navios franceses que sem pagar tributos à coroa portuguesa, retiravam enormes quantidades de pau-brasil do nosso litoral. O resultado alcançado por essas expedições foi pouco significativo. A grande extensão da costa brasileira tornava impossível policiá-la integralmente e impedir o tráfico por contrabandistas
  • 6. Ciclo do Pau-brasil (caesalpinia echinata) • Sua exploração se estendia do RN ao RJ, com ocorrências em trechos de GO e MG - Fabricação de tintura para tecidos e construção de móveis e navios - Exploração nômade e predatória. - Escambo com índios. - Construção de feitorias
  • 9. NOMES DO BRASIL •- PINDORAMA : NOME DE NOSSA TERRA ATRIBUÍDO POR ALGUMAS TRIBOS INDÍGENAS. EM TUPI-GUARANI SIGNIFICA TERRA DAS PALMEIRAS. ESSE NOME FOI MAIS USADO NO PERÍODO ANTERIOR À CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL (1500). •- TERRA DE VERA CRUZ (DE 1500 A 1501): NOME PROVISÓRIO DE REFERÊNCIA CRISTÃ. •- TERRA DE SANTA CRUZ (DE 1501 A 1503): NOME PROVISÓRIO DE REFERÊNCIA CRISTÃ. •- BRASIL (DE 1503 A 1824): NOME DADO PELOS PORTUGUESES EM FUNÇÃO DA GRANDE QUANTIDADE DE ÁRVORES DE PAU-BRASIL EXISTENTES NA REGIÃO DO LITORAL BRASILEIRO. A PALAVRA BRASIL DERIVA DE BRASA, POIS ESTA ÁRVORE POSSUI UMA SEIVA AVERMELHADA, COR DE BRASA. •- IMPÉRIO DO BRASIL (1824 A 1891): APÓS A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL (1822), D.PEDRO I ORDENOU A ELABORAÇÃO DE UMA NOVA CONSTITUIÇÃO. NESTA, PROMULGADA EM 1824, FICOU DEFINIDO O NOVO NOME DO PAÍS, FAZENDO REFERÊNCIA AO SISTEMA IMPERIAL DE GOVERNO. •- ESTADOS UNIDOS DO BRASIL (1891 A 1969): COM A PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA, O NOME DE NOSSO PAÍS MUDOU NOVAMENTE, POIS ERA NECESSÁRIO RETIRAR A REFERÊNCIA AOS SISTEMA MONÁRQUICO. A EXPRESSÃO "ESTADOS UNIDOS" REFORÇAVA A UNIDADE TERRITORIAL E O SISTEMA FEDERATIVO. •- REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL (1969 ATÉ OS DIAS DE HOJE): O NOME DO PAÍS FOI ALTERADO NA CONSTITUIÇÃO DE 1969, REFORÇANDO ASSIM O TERMO QUE FAZ REFERÊNCIA AO SISTEMA REPUBLICANO
  • 10. • Colonização: • Medo de perder as terras para invasores. • Decadência do comércio com as Índias. • Esperança de encontrar metais preciosos ( Espanha havia encontrado ouro nas suas colônias)
  • 11. 1530? 1532? 1534? 1530 – Portugal envia para o Brasil a expedição de Martim Afonso de Souza. Objetivo: Proteger a costa da colônia, fundar vilas e fortificações no litoral e iniciar o cultivo de cana de açúcar 1532 – Martim Afonso fundou o primeiro núcleo colonial, a vila de São Vicente (SP). Iniciou o cultivo da cana de açúcar e mandou construir o primeiro engenho 1534 – A Coroa portuguesa introduziu no Brasil o sistema de capitanias. Objetivo: ocupar as terras que pertenciam a Portugal, segundo o Tratado de Tordesilhas
  • 12. Para povoar o Brasil, o rei dom João III, decidiu em 1534, implantar: As capitanias hereditárias: 15 lotes horizontais de terra entregues pelo rei a membros da corte de sua confiança. Carta de doação: documento que concedia a posse da terra. Capitão donatário – aquele que recebe um dos lotes de terra. •Carta foral: direitos e deveres dos donatários. • Direitos – aplicar a justiça, escravizar índios e doar sesmarias • Deveres – fundar povoados, cobrar impostos e defender o território. •Privilégios metropolitanos: • 100% sobre o pau brasil. • 100% sobre as drogas do sertão. • 20% sobre metais preciosos. • 10% sobre a produção agrícola.
  • 13. • Motivos para a aplicação deste tipo de organização: • Por já havia testado essa forma administração em suas ilhas do atlântico. • Transferência de despesas para particulares (por não gastava nada). • Fracasso: falta de recursos e de interesse e/ou inexperiência dos donatários + distância excessiva da metrópole + invasões estrangeiras + o relacionamento hostil entre portugueses e indígenas. • Exceções: Pernambuco e São Vicente. Pernambuco foi favorecida pela produção açucareira e São Vicente por receber ajuda financeira da Coroa portuguesa.
  • 15.
  • 16.
  • 17. GOVERNO-GERAL (1548 – 1808) • Funções: - Militares: comando e defesa militar da colônia; - Administrativas: relacionamento com os governadores das capitanias e controle dos assuntos ligados às finanças; - Judiciárias: direito de nomear funcionários da justiça e alterar penas: - Eclesiásticas: indicar sacerdotes para as paróquias
  • 18. OS GOVERNOS GERAIS (1548) • Correção de erros das capitanias . • Centralização administrativa. • Cargos auxiliares: ouvidor-mor (justiça), provedor-mor (tesouro – cobrança de impostos), capitão-mor (defesa da colônia). Tomé de Souza (1549 – 1553): Salvador (capital), doação de sesmarias, criação de engenhos, criação do primeiro bispado do Brasil, vinda de jesuítas, de funcionários, soldados, degredados,etc. Duarte da Costa (1553 – 1558): atritos entre colonos e jesuítas, bispo e governador, atritos com índios, invasão de franceses ao RJ; Mem de Sá (1558 – 1572): restabelecimento da paz interna e expulsão de franceses do RJ.
  • 19.
  • 20.
  • 21. • AS CÂMARAS MUNICIPAIS: • INSTÂNCIAS DE PODER LOCAL. • HOMENS BONS (HOMENS BRANCOS E RICOS PROPRIETÁRIOS DE TERRA).
  • 22.
  • 23. • ADIVISÃO DACO LÔ NIA: • 1573 – 1578 • GRANDE EXTENSÃO TERRITORIAL. • PERIGO DE INVASÕES. • BRASIL DO NORTE (SALVADOR*). • BRASIL DO SUL (RIO DE JANEIRO*). • 1602 – 1612 * = capitais
  • 24. • 1621 – 1675 • ESTADODO BRASIL (SALVADOR* ). • ESTADODO MARANHÃO (SÃOLUÍS* ). * = CAPITAIS
  • 25. • AS INVASÕ ES FRANCESAS: • NÃO RECONHECIMENTO DO TRATADO DE TORDESILHAS. • CONTRABANDO E PIRATARIA. • FRANÇA ANTÁRTICA (RJ – 1555 – 1567). • FUGA DE HUGUENOTES PERSEGUIDOS. • CAPITÃO VILLEGAIGNON (LÍDER FRANCÊS). • ESTÁCIO DE SÁ – SOBRINHO DE MEM DE SÁ, RESPONSÁVEL PELA EXPULSÃO DOS FRANCESES DO RJ, COM A AJUDA DOS ÍNDIOS TAMOIOS E TEMEMINÓS.
  • 26. • FRANÇA EQUINOCIAL (MA 1612 – 1615). • UNIÃO IBÉRICA – ENFRAQUECIMENTO DE POR. • EMPREENDIMENTO OFICIAL DA COROA FRANCESA. • FUNDAÇÃO DE SÃO LUÍS. • EXPULSOS POR COLIGAÇÃO LUSO-ESPANHOLA. • AS INVASÕ ES INGLESAS: • ATAQUES DE PIRATAS E CORSÁRIOS. • SOBRETUDO DURANTE A UNIÃO IBÉRICA. • CIDADES LITORÂNEAS (SANTOS E RECIFE).