Preparação para o teste intermédio (11º)

8.008 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.008
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.225
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
412
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preparação para o teste intermédio (11º)

  1. 1. Preparação para a Prova Intermédia/Exame
  2. 2. O trematol é um veneno metabólico que tem a sua origem nas raízes da cobra branca. Quando as vacas comem esta planta aumenta a concentra-ção do trematol no leite. Este veneno provoca inibição nas enzimas hepáti-cas que convertem o ácido láctico em outros compostos metabólicos. Explica por que razão o exercício físico intenso aumenta os sintomas de envenenamento por trematol. Explica por que razão o pH do sangue de um indivíduo que consu-miu leite envenenado sofre um decréscimo. Nuno Correia 2010/11 2
  3. 3. Alguns microrganismos tanto fazem a respiração aeróbia como a fermenta-ção. Realizou-se uma experiência em que colónias de uma bactéria foram colocadas em tubos de ensaio com quantidades crescentes de glicose. Os tubos da série A foram fechados, para não permitir a entrada de ar; os tubos da série B foram deixados abertos. Os resultados observados ao fim de algum tempo estão resumidos no quadro. Nuno Correia 2010/11 3
  4. 4.  Identifica o processo metabólico desenvolvido pelas bactérias da série A e da série B. Refere as diferenças entre os resultados da série A e os da série B. Apresenta uma explicação para as diferenças referidas na questão anterior. Explica a diferença entre os resultados dos cinco tubos da série A. Nuno Correia 2010/11 4
  5. 5. Nuno Correia 2010/11 5
  6. 6. Nuno Correia 2010/11 6
  7. 7. Nuno Correia 2010/11 7
  8. 8. Nuno Correia 2010/11 8
  9. 9. Nuno Correia 2010/11 9
  10. 10. Nos basidiomicetos, quando micélios de sexos diferentes se encontram, as suas hifas fundem-se e formam um micélio com células binucleadas ou dicarióticas. Essas mesmas hifas organizam-se de maneira compacta, formando um corpo de frutificação denominado basidiocarpo - o cogumelo. Nuno Correia 2010/11 10
  11. 11. Nuno Correia 2010/11 11
  12. 12. Os fungos são organismos_____que obtêm a_____indispensável(eis) ao seu metabolismo a partir de compostos orgânicos. (A) quimioautotróficos [...] matéria (B) quimioheterotróficos [...] matéria (C) quimioautotróficos [...] energia e matéria (D) quimioheterotróficos [...] matéria e energia Nuno Correia 2010/11 12
  13. 13. No ciclo de vida dos basidiomicetos predomina a ________ a meiose é ____. haplofase [...] pré-espórica haplofase [...] pós-zigótica diplofase [...] pré-espórica diplofase [...] pós-zigótica Nuno Correia 2010/11 13
  14. 14. O micélio dicariótico é formado por uma rede de hifas ramificadas o que confere aos fungos uma elevada relação área / volume, facilitando a aquisição de alimento. Estas hifas são constituídas por células____e produzem enzimas hidrolíticas que participam na digestão_____. (A) eucarióticas [...] extracorporal (B) eucarióticas [...] intracorporal (C) procarióticas [...] extracorporal (D) procarióticas [...] intracorporal Nuno Correia 2010/11 14
  15. 15. Em alguns fungos existem, dependendo das condições ambientais, fenómenos de reprodução assexuada e sexuada. A formação de esporos na reprodução assexuada ocorre em esporângios (hifas verticais que revelam especialização). Nestas estruturas ocorre______e a existência de permite a estabilidade do património genético.a) mitose [...] replicação semiconservativa do DNAb) mitose [...] ascensão polar dos cromossomas homólogosc) meiose [...] replicação semiconservativa do DNAd) meiose[...]ascensão polar dos cromossomas Nuno Correia 2010/11 15
  16. 16. Muitos fungos produzem substâncias denominadas ciclopéptidos, capazes de inibir a síntese de mRNA nas células musculares do miocárdio, Basta a ingestão de um único corpo de frutificação (cogumelo) do basidiomiceto Amanita phalloides, por exemplo, para causar a morte de uma pessoa. Este cogumelo apresenta semelhanças morfológicas com espécies de cogumelos comestíveis. Explique por que razão é muito frequente a morte de pessoas por ingestão acidental de cogumelos da espécie Amanita phalloides. Nuno Correia 2010/11 16
  17. 17. Analise as afirmações relativas ao ciclo da matéria.Seleccione a opção que evidencia a sequência temporal dos acontecimentos, segundo uma relação causa-efeito, iniciando pelo pape! exercido pelos fungos.a) Ingestão de matéria orgânicab) Inserção de material mineral no meio abiótico.c) Transformação de matéria mineral em matéria orgânica.d) Microconsumidores transformam excrementos de cadáveres em matéria inorgânica.e) Acumulação de matéria orgânica em tecidos dos produtores Nuno Correia 2010/11 17
  18. 18.  Ciclos de vidaExiste uma forma de reprodução que simula a sexuada, mas que se inclui na assexuada apesar de implicar a existência de óvulos. Trata- se da partenogénese, observável muitas vezes em plantas e animais como pulgões e dáfnias. Estes, são pequenos crustáceos de água doce que medem poucos milímetros e durante o Verão só existem maioritariamente sob a forma de indivíduos fêmeas. Nascem de óvulos de casca fina não fecundados e no final do verão a ultima geração destes óvulos originam machos e fêmeas portadores de gónadas que acasalando originam ovos de casca espessa. Passam por um estado de vida latente durante o Inverno até à primavera seguinte. Ao romperem-se, cada ovo origina uma fêmea que por partenogénese assegura uma rápida multiplicação de indivíduos durante o verão. Assim as dáfnias, ao alternarem a reprodução sexuada com a reprodução assexuada, asseguram as recombinações génicas periódicas , preservando , desta forma as suas possibilidades de adaptação ao ambiente. Nuno Correia 2010/11 18
  19. 19. 1. A partenogénese constitui um fenómeno de reprodução____de indivíduos, a partir de ovos____.a) assexuada (...) fecundadosb) assexuada,(...) não fecundadosc) sexuada (...) fecundadosd) sexuada (...) não fecundados Nuno Correia 2010/11 19
  20. 20. No final do Verão, os indivíduos resultantes por partenogénese são____e desenvolveram-se por ____a partir do ovo____.a) diplóides (...) mitose (...) não fecundadob) haplóides (...) mitose (...) não fecundadoc) haplóides (...) meiose (...) fecundadod) diplóides (...) meiose (...) não fecundado Nuno Correia 2010/11 20
  21. 21. 4. Analise as afirmações e seleccione as verdadeiras e as falsas.a) Na multiplicação por partenogénese das dáfnias ocorrem recombinações genicas.b) Na multiplicação por partenogénese ocorre segregação de homólogos nas células em divisão.c) No ciclo de vida das dáfnias ocorre alternância de fases nucleares.d) A existência de reprodução sexuada e assexuada no ciclo de vida dos animais é mais comum do que no ciclo de vida das plantas.e) As alternâncias no tipo de reprodução durante ò ciclo de vida das dáfnias relacionam-se com as condições ambientais.f) No caso das dáfnias a reprodução por cariogamia ocorre no Outono.g) O Inverno é um período de tempo propício à reprodução sexuada.h) A população de dáfnias que se desenvolvem pôr partenogénese estão de um modo geral, bem adaptadas a alterações ambientais.i) Nas células das dáfnias assexuadas existem cromossomas homólogos. Nuno Correia 2010/11 21
  22. 22. 6. Coloque por ordem os seguintes fenómenos relativos a um processo reprodutivo, por via sexuada, deve começar por A.A. CariogamiaB. crossing-overC. Desenvolvimento de novo serD. Disjunção aleatória de cromossomasE. formação de gâmetasF. formação de células haplóidesG. desenvolvimento de dáfnias por partenogénese Nuno Correia 2010/11 22
  23. 23. Explique em que medida o ciclo de vida deste animal, alternando a reprodução sexuada, com a reprodução assexuada, contribui para a preservação da espécie. Nuno Correia 2010/11 23
  24. 24. Com base no gráfico referente às espécies de caranguejos A e B, indique qual a espécie que:1. mantém o seu meio interno sempre isotónico em relação ao meio externo. Nuno Correia 2010/11 24
  25. 25. o se adaptará melhor a viver num habitat de estuário de rio (percentagem de concentração de sal inferior a 2,5). Fundamente a resposta dada na questão anterior. Nuno Correia 2010/11 25
  26. 26.  Uma rã imobilizada numa gaiola de arame foi imersa num banho de água, de modo que só a boca e as narinas ficassem expostas ao ar. A água foi coberta com uma camada de óleo. Foi determinada a quantidade total do oxigénio consumido pela rã em duas situações diferentes (água agitada e água não agitada). Foram efectuados seis registos das concentrações de oxigénio na água do banho, os quais estão representados no gráfico da figura. Nuno Correia 2010/11 26
  27. 27.  em que situação (água agitada e não agitada) a rã consumiu mais oxigénio. se a rede de capilares da rã transporta mais ou menos oxigénio quando a água está agitada. Sugira qual a importância que pode ter, em termos respiratórios, o movimento do corpo dos anfíbios na água. Relacione a estrutura do coração da rã com a capacidade energética deste animal. Nuno Correia 2010/11 27
  28. 28. Nuno Correia 2010/11 28
  29. 29. Nuno Correia 2010/11 29
  30. 30. Na figura estão representadas graficamente as curvas de absorção e de transpiração de uma árvore, durante um período de 24 horas. Nuno Correia 2010/11 30
  31. 31. Utilizando os dados do gráfico da figura, indique qual o intervalo de tempo em que a planta perdeu mais água do que absorveu. Nuno Correia 2010/11 31
  32. 32. Na figura estão representadas graficamente as curvas de absorção e de transpiração de uma árvore, durante um período de 24 horas. Tendo em atenção os dados do gráfico, faça corresponder V (de Verdadeiro) ou F (de Falso) a cada uma das letras da afirmações seguintes.a) A partir das 15 horas, as células estomáticas tornam-se mais flácidas.b) O diâmetro do tronco da árvore pode aumentar depois das 18 horas.c) A absorção registada é nula às 22 horas.d) A absorção é consequência da transpiração. Fundamente a resposta dada na pergunta anterior relativamente à afirmação B. Nuno Correia 2010/11 32
  33. 33. As afirmações seguintes referem-se a uma possível explicação para o transporte de água e de sais minerais no interior de uma planta. Coloque por ordem as letras que as representam, de modo a reconstituir a sequência cronológica dos acontecimentos.A. A água acumula-se no cilindro central.B. Gera-se um gradiente de pressão osmótica entre as células epidérmicas e as células do xilema.C. A pressão de turgescência no interior dos elementos de vaso provoca a ascensão da água.D. O transporte de sais minerais da solução do solo para as células epidérmicas e das célu-las do córtex para o cilindro central ocorre à custa de energia metabólica.E. A água desloca-se a favor dos gradientes de concentração, através da zona cortical, até ao cilindro central. Nuno Correia 2010/11 33
  34. 34. Faça corresponder V (afirmação verdadeira) ou F (afirmação falsa) a cada uma das letras que identificam as afirmações seguintes, relativas ao transporte de seiva bruta em Angiospérmicas.a) De acordo com a teoria da tensão-coesão, o movimento de água ao longo do xilema efectua-se à custa de energia metabólica.b) A adesão da água às paredes dos elementos de vaso contribui para a manutenção de uma coluna contínua de seiva bruta.c) O transporte activo de sais minerais para o interior da raiz provoca uma diminuição da absorção de água.d) O movimento da seiva bruta é determinado pela diferença de potencial de água.e) O aumento do potencial de soluto nos elementos de vaso provoca a entrada de água para o seu interior.f) A plasmólise das células-guarda provoca um aumento da quantidade de água absorvida pela planta.g) A água perdida por transpiração é substituída pela água que é absorvida a partir do solo.h) O aumento da humidade atmosférica dificulta a perda de água por transpiração. Nuno Correia 2010/11 34
  35. 35.  Relacionea disponibilidade de oxigénio no solo com a capacidade de manutenção da pressão radicular. Nuno Correia 2010/11 35
  36. 36. Se uma folha de uma planta for exposta ao ar seco, será de esperar que:a) a abertura dos seus estornas não se altere.b) os estomas abram dentro de algum tempo.c) os estomas só abram se a folha for colocada à luz.d) os estomas se fechem dentro de pouco tempo. Nuno Correia 2010/11 36
  37. 37. O gráfico seguinte representa as alterações da concentração do açúcar em várias estruturas do algodoeiro, em diferentes horas do dia.  Identifique cada uma das curvas do gráfico que corresponde, respectivamente, à concentra-ção do açúcar no xilema e no floema. Nuno Correia 2010/11 37
  38. 38. Durante o dia, os estornas abrem à medida que aumenta a intensidade luminosa; tal facto explica-se porque:a) aumenta a transpiração da planta.b) diminui a pressão osmótica nas células estomáticas.c) o calor dos raios solares faz aumentar a respiração da folha.d) aumenta a turgescência das células de guarda.e) a pressão exercida pelas paredes das células de guarda diminui. Nuno Correia 2010/11 38
  39. 39. Nuno Correia 2010/11 39
  40. 40. Nuno Correia 2010/11 40
  41. 41. Nuno Correia 2010/11 41
  42. 42. Nuno Correia 2010/11 42
  43. 43. Nuno Correia 2010/11 43
  44. 44. Nuno Correia 2010/11 44
  45. 45. Nuno Correia 2010/11 45
  46. 46. Nuno Correia 2010/11 46
  47. 47. Nuno Correia 2010/11 47
  48. 48. Nuno Correia 2010/11 48
  49. 49. Nuno Correia 2010/11 49
  50. 50. Nuno Correia 2010/11 50

×