SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
Aula de Correcção
Teste de Biologia 11
 Explica a morte do rato na etapa 1 da experiência.
 Explica a razão da sobrevivência do rato na etapa 2 da experiência.
 Explica a razão da sobrevivência do rato na etapa 3 da experiência.
 Conclui acerca da morte do rato na etapa 4 da experiência
2 Nuno Correia 2010/11
Selecciona a opção que, considerando as informações dos gráficos da figura , permite afirmar correctamente que...
 os mRNAs transcritos antes da adição do antibiótico B são traduzidos.
 diminuição da síntese de proteínas resulta da inibição da duplicação do DNA.
 os dois antibióticos -A e B - actuam sobre o mesmo alvo.
 o antibióticoA impede a síntese de novas moléculas de mRNA.
Justifica a resposta dada à questão anterior.
3 Nuno Correia 2010/11
Faz corresponder S (sim) ou N (não) a cada uma das letras que identificam as afirmações
seguintes, de acordo com a análise dos gráficos da figura.
 O antibióticoA inibe a formação de mRNA.
 O antibióticoA inibe a síntese proteica.
 O antibiótico B inibe a síntese de pré-RNAm.
 Os antibióticosA e B inibem a síntese proteica.
 O antibiótico B inibe a síntese de codões.
 O antibióticoA actua de forma a inibir a síntese de DNA.
 O antibiótico B actua no núcleo.
4 Nuno Correia 2010/11
A penicilina é um antibiótico usado para combater infecções bacterianas.
Actua de forma específica impedindo apenas a síntese de moléculas que
constituem a parede celular das bactérias. Deste modo, as bactérias
vêem-se privadas das suas paredes celulares acabando por morrer por
choque osmótico.
 Explique o facto de a penicilina destruir as células
bacterianas e, em simultâneo, preservar as células humanas.
5 Nuno Correia 2010/11
Classifica em verdadeiras (V) e falsas (F) as afirmações seguintes,
relativas à transferência de informação genética.
A. Uma proteína que contenha 500 aminoácidos tem de ser codificada por um RNA
mensageiro contendo, no mínimo, 1500 nucleótidos.
B. Um único aminoácido pode ser codificado por mais de um codão,
mas o mesmo codão não pode codificar dois aminoácidos diferentes.
C.A sequência dos codões no RNA mensageiro determina a sequência dos
aminoácidos de uma proteína.
D.A síntese de proteínas nos organismos procarióticos e eucarióticos acontece nos
ribossomas.
E.A informação genética, geralmente, flui no sentido DNA-RNA-proteína.
F. Na duplicação do DNA, como na síntese do RNA, as duas cadeias do DNA são
usadas como molde.
G.As mutações são consideradas fontes primárias de variabilidade.
H.A sequência dos codões no RNA de transferência determina a sequência dos
aminoácidos de uma proteína.
L.A tradução do RNAm é efectuada segundo a ordem dos intrões.
6 Nuno Correia 2010/11
Em relação ao código genético, foram feitas as seguintes afirmações:
 Cada tripleto de bases azotadas de uma cadeia do DNA corresponde a um aminoácido.
 O RNAm contém as informações para as proteínas que devem ser sintetizadas.
 O RNAm, de acordo com o anticodão que possui, liga-se a um aminoácido específico.
 Vários aminoácidos são codificados por um tripleto de nucleótidos.
Transcreve a opção que as avalia correctamente.
A. I e II são verdadeiras; III e IV são falsas.
B. I e IV são verdadeiras; II e III são falsas.
C. II e III são verdadeiras; l e IV são falsas.
D. II e IV são verdadeiras; l e III são falsas.
7 Nuno Correia 2010/11
Nuno Correia 2010/118
Nuno Correia 2010/119
Nuno Correia 2010/1110
Comenta a frase seguinte: "O código genético não é
ambíguo".
11 Nuno Correia 2010/11
Observe o gráfico seguinte cujas curvas podem traduzir a distância dos
cromossomas-irmãos aos pólos do fuso mitótico e a distância entre os
centrómeros desses cromossomas-irmãos, numa célula ao longo da
anáfase.
12 Nuno Correia 2010/11
 Indique qual a curva do gráfico que traduz correctamente a variação da
distância:
a) dos cromossomas-irmaos aos pólos do fuso mitótico da célula ao longo da anáfase;
b) entre os centrómeros dos cromossomas-irmãos.
 Justifique a sua resposta para a alínea a).
13 Nuno Correia 2010/11
A vimblastina é um quimioterápico usado no tratamento de pacientes
com cancro. Sabendo que essa substância impede a formação dos
microtúbulos do fuso mitótico, explique a sua aplicação no
tratamento de cancros.
14 Nuno Correia 2010/11
O Echizen kurage é uma medusa gigante, venenosa e pertencente ao Filo dos
Cnidária, sendo conhecida como a "medusa de Nomura". Esta pesa cerca de
200 quilos estando a proliferar no Mar do Japão e a destruir a principal fonte de
abastecimento alimentar e rendimento do país, a pesca. Desconhecem-se as
razões que levaram à sua rápida multiplicação nos últimos meses, mas o
problema tornou-se tão grave que os governos do Japão, China e Coreia do Sul
têm-se reunido para discutir possíveis estratégias para controlar a invasão. No
Japão foi formada uma comissão contra as medusas e os pescadores têm
trabalhado em tecnologias para manter estes predadores longe das suas redes.
"Quando se despedaça uma surgem muitas mais para tomar o seu lugar", dizem
os pescadores em desespero depois de serem forçados a parar a pesca do
salmão, na época que costuma render lucros substanciais.
O problema foi revelado pela primeira vez no final do Verão, quando pescadores,
envolvidos na captura de anchovas, salmões e outras espécies, começaram a
descobrir nas suas redes um número anormalmente elevado de medusas
gigantes. Alguns cientistas apontam como causas o aquecimento global, que é
mais favorável à reprodução das medusas, ou as intensas chuvas na China
durante o Verão, que empurraram uma quantidade elevada de nutrientes para as
águas do Japão e fizeram proliferar o plâncton que serve de alimento a estes
seres. No entanto, novos estudos que estão a ser feitos revelam que uma das
"soluções" que foi encontrada pelos pescadores para a morte das medusas pode
estar a agravar o problema. Estes projectaram redes com fios finos e cortantes e
com uma malhagem que permite a libertação dos peixes, mas aprisionam as
medusas, cortando-as em fatias.
15 Nuno Correia 2010/11
Echizen kurage
http://www.youtube.com/watch?v=yaC4Mietew0&feature=related
Seleccione a alternativa que completa correctamente os espaços da seguinte afirmação.
Com o aumento da temperatura global, as águas mais quentes tornam-se um ambiente favorável às medusas e estas
passam a proliferar, geralmente, por reprodução_____________ que é um processo que permite
formar________________descendentes.As redes dos pescadores permitem a reprodução do
tipo________________
(A) assexuada (...) mais lentamente (...) gemulação.
(B) sexuada (...) mais rapidamente (...) partenogénese.
(C) assexuada (...) mais rapidamente (...) fragmentação.
(D) sexuada (...) mais lentamente (...) multiplicação vegetativa.
Seleccione a alternativa que completa correctamente os espaços da seguinte afirmação.
No tipo.de reprodução promovida pelas redes montadas pelos pescadores intervêm divisões do tipo
._____________e os descendentes designam-se_____________
(A) mitose (...) clones.
(B) meiose (...) clones.
(C) mitose (...) gomos.
(D) meiose (...) gomos.
http://www.youtube.com/watch?v=mFWO0hzzjQM&feature=related
16 Nuno Correia 2010/11
 Explique a frase do texto: "Quando se despedaça uma
surgem muitas mais para tomar o seu lugar."
17 Nuno Correia 2010/11
18 Nuno Correia 2010/11
Nuno Correia 2010/1119
 Aurelia aurita é, provavelmente, a medusa
mais frequente nas costas europeias. Este
animal passa pela forma juvenil chamada éfira
cuja organização do corpo é mais simples do
que a forma adulta – a medusa. As medusas
podem ser encontradas em grandes grupos
ou, isoladamente, nadando activamente ou
simplesmente sendo arrastadas pelas
correntes. Os pólipos têm a capacidade de,
por gemulação, originar novos pólipos e, por
estrobilação1, originar novas éfiras.
A estrobilação é um processo de reprodução em
que o pólipo se divide transversalmente em
inúmeras éfiras que, crescendo, se
diferenciam em medusas. Os tentáculos das
medusas rodeiam a boca e apresentam células
urticantes que podem desencadear, nos
humanos, fortes reacções alérgicas com ardor
e vermelhidão na pele.
1Estrobilação – forma de reprodução assexuada
Nuno Correia 2010/1120
Gemulação
Nuno Correia 2010/1121
Esporulação
Nuno Correia 2010/1122
Partenogénese
Nuno Correia 2010/1123
O gráfico seguinte representa variações quantitativas no
teor do DNA nuclear durante acontecimentos envolvendo
divisões celulares e fecundação numa espécie de ratos.
24 Nuno Correia 2010/11
 Os intervalos C-D, L-M e P-Q correspondem, respectivamente, a fases
em que ocorrem a...
 (A)... replicação de DNA, meiose II e mitose.
 (B)... meiose l, meiose II e replicação de DNA.
 (C)... mitose, meiose l e fecundação.
 (D)... replicação de DNA, meiose l e meiose II.
 (E) ... mitose, meiose II e fecundação.
(Seleccione a opção correcta.)
25 Nuno Correia 2010/11
Sabendo que uma célula somática do rato do esquema tem 40 cromossomas, classifique
como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmações:
(A) Cada célula do rato que passe do intervaloA-H dá origem a 8 células com informação genética
semelhante.
(B) Cada célula do rato, depois de passar pelo intervalo C-D, passa a ser haplóide.
(C) Uma célula que passe pelo intervalo L-M dá origem a dois núcleos haplóides, em que cada uma
possui 20 cromossomas e 40 cromatídios.
(D)As células que se encontram em O e P são haplóides.
(E)As células que se encontram em R são diplóides.
(F) Uma célula em F apresenta os cromossomas com dois cromatídios.
26 Nuno Correia 2010/11
Em relação ao processo meiótico, é correcto afirmar que...
(A) ... o crossing-over pode ocorrer entre cromossomas não
homólogos.
(B) ... o produto final da meiose é igual a duas células-filhas com a
metade da quantidade de DNA da célula-mãe.
(C) ... não ocorre a formação de placa equatorial durante a metáfase
l e a metáfase II.
(D) ... a divisão equacional da meiose é caracterizada pela formação
de pontos de quiasmas onde pode ocorrer troca de porções de
cromatina entre cromossomas homólogos.
(E) ... os cromossomas homólogos separam-se durante a anáfase l e,
durante a anáfase II, separam-se os cromatídios
27 Nuno Correia 2010/11
Variabilidade e meiose
Nuno Correia 2010/1128
Analise as associações feitas em relação às diferentes fases de divisão da célula
por meiose.
I.Anáfase l - Cromossomas atingem o máximo de encurtamento e atingem os pólos da
célula com clivagem dos centrómeros.
II. Prófase l - Formação de díadas cromossómicas com possibilidade de permuta de
informação genética entre cromossomas homólogos.
III. Metáfase l - Os cromossomas estão alinhados na zona equatorial da célula e unidos pelos
pontos de quiasmas.
IV.Telófase l - Em cada um dos pólos das células-filhas encontra-se o mesmo número de
cromossomas da célula-mãe.
V. Metáfase II - Cromossomas encontram-se em ascensão polar.
VI.Telófase II - Cada uma das células formadas apresenta cromossomas geneticamente
diferentes e com um único cromatídio cada.
Seleccione a alternativa cujas associações feitas estão correctas.
(A) II, III,VI.
(B) II, IV,VI.
(C) II, III,V.
(D) l, III,V.
(E) l,V,VI
29 Nuno Correia 2010/11
Nuno Correia 2010/1130
Espécies que realizam normalmente a reprodução assexuada
tendem, quando sob stress ambiental, a recorrer à reprodução
sexuada. Seleccione a opção que apresenta a vantagem que
justifica essa mudança no processo da reprodução.
(A) Maior dispêndio energético na produção de gâmetas.
(B) Maior produção de clones que permite uma dispersão da espécie mais
rápida.
(C) Maior aumento do número de descendentes a cada ciclo reprodutivo.
(D)Aumento da variabilidade genética na descendência.
(E)Aumento da velocidade de reposição da população.
5.5.1. Justifique a opção que seleccionou.
31 Nuno Correia 2010/11
Nuno Correia 2010/1132
 O albinismo é uma doença comum em animais e plantas.
Explique porque razão não é possível encontrar plantas
portadoras da referida mutação?
33 Nuno Correia 2010/11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaJosé Luís Alves
 
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICAFT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICAsandranascimento
 
Teste de Biologia (2º Teste) - correcção
Teste de Biologia (2º Teste) - correcçãoTeste de Biologia (2º Teste) - correcção
Teste de Biologia (2º Teste) - correcçãoIsaura Mourão
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosAna Castro
 
Teste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º anoTeste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º anoJosé Luís Alves
 
1.Sistemas de Classificação
1.Sistemas de Classificação1.Sistemas de Classificação
1.Sistemas de Classificaçãoguestbd7d9
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercíciosNuno Correia
 
Exposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo IIExposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo IIMaria Góis
 
Experiência de griffith e avery
Experiência de griffith e averyExperiência de griffith e avery
Experiência de griffith e averyCecilferreira
 
Teste 1 versão ii
Teste 1 versão iiTeste 1 versão ii
Teste 1 versão iijoseeira
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccJosé Luís Alves
 
Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021Vanda Sirgado
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosacnlx
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFelisbela da Silva
 
Experiência de meselson e stahl
Experiência de meselson e stahlExperiência de meselson e stahl
Experiência de meselson e stahlCecilferreira
 
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)Isaura Mourão
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoHelena Coutinho
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardenteHelena Coutinho
 
Bg 11 experiências de hershey e chase
Bg 11   experiências de hershey e chaseBg 11   experiências de hershey e chase
Bg 11 experiências de hershey e chaseNuno Correia
 

Mais procurados (20)

Teste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese ProteicaTeste BG - Síntese Proteica
Teste BG - Síntese Proteica
 
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICAFT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
FT5 - EVOLUÇÃO BIOLÓGICA
 
Teste de Biologia (2º Teste) - correcção
Teste de Biologia (2º Teste) - correcçãoTeste de Biologia (2º Teste) - correcção
Teste de Biologia (2º Teste) - correcção
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercícios
 
Teste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º anoTeste Biologia e Geologia 11º ano
Teste Biologia e Geologia 11º ano
 
1.Sistemas de Classificação
1.Sistemas de Classificação1.Sistemas de Classificação
1.Sistemas de Classificação
 
Biologia 11 evolução - exercícios
Biologia 11   evolução - exercíciosBiologia 11   evolução - exercícios
Biologia 11 evolução - exercícios
 
Exposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo IIExposição/Confirmação - Capítulo II
Exposição/Confirmação - Capítulo II
 
Experiência de griffith e avery
Experiência de griffith e averyExperiência de griffith e avery
Experiência de griffith e avery
 
Alvaro de campos
Alvaro de camposAlvaro de campos
Alvaro de campos
 
Teste 1 versão ii
Teste 1 versão iiTeste 1 versão ii
Teste 1 versão ii
 
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º ccTeste avaliação Biologia Geologia 11º cc
Teste avaliação Biologia Geologia 11º cc
 
Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosa
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9º
 
Experiência de meselson e stahl
Experiência de meselson e stahlExperiência de meselson e stahl
Experiência de meselson e stahl
 
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)
Ficha de Exercícios - Unidade 5 (DNA e Síntese Proteica)
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Bg 11 experiências de hershey e chase
Bg 11   experiências de hershey e chaseBg 11   experiências de hershey e chase
Bg 11 experiências de hershey e chase
 

Destaque

Bg 11 mitose (exercícios)
Bg 11   mitose (exercícios)Bg 11   mitose (exercícios)
Bg 11 mitose (exercícios)Nuno Correia
 
Geologia 11 ambientes sedimentares
Geologia 11   ambientes sedimentaresGeologia 11   ambientes sedimentares
Geologia 11 ambientes sedimentaresNuno Correia
 
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)Biologia 11 (1º Teste 1º Período)
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)Isaura Mourão
 
Preparação para exame classificação de woese
Preparação para exame   classificação de woesePreparação para exame   classificação de woese
Preparação para exame classificação de woeseNuno Correia
 
Exercícios divisão celular meiose e mitose
Exercícios divisão celular meiose e mitoseExercícios divisão celular meiose e mitose
Exercícios divisão celular meiose e mitoseIsabel Lopes
 
Biologia e geologia teste intermédio
Biologia e geologia   teste intermédioBiologia e geologia   teste intermédio
Biologia e geologia teste intermédioNuno Correia
 
Preparação para exame sistemas de classificação
Preparação para exame   sistemas de classificaçãoPreparação para exame   sistemas de classificação
Preparação para exame sistemas de classificaçãoNuno Correia
 
Preparação para exame evolução por fusão
Preparação para exame   evolução por fusãoPreparação para exame   evolução por fusão
Preparação para exame evolução por fusãoNuno Correia
 
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)Nuno Correia
 
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
Geologia 11   rochas sedimentares  - quimiogénciasGeologia 11   rochas sedimentares  - quimiogéncias
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogénciasNuno Correia
 
Biologia 11 (origem e evolução colónias)
Biologia 11 (origem e evolução   colónias)Biologia 11 (origem e evolução   colónias)
Biologia 11 (origem e evolução colónias)Nuno Correia
 
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)Nuno Correia
 
Preparação para exame woese
Preparação para exame   woesePreparação para exame   woese
Preparação para exame woeseNuno Correia
 
Exercícios de rochas sedimentares
Exercícios de rochas sedimentaresExercícios de rochas sedimentares
Exercícios de rochas sedimentaresNuno Correia
 
Geologia 11 rochas sedimentares biogénicas
Geologia 11   rochas sedimentares biogénicasGeologia 11   rochas sedimentares biogénicas
Geologia 11 rochas sedimentares biogénicasNuno Correia
 
Bg 11 preparação para o teste de avaliação de biologia - exercícios
Bg 11   preparação para o teste de avaliação de biologia - exercíciosBg 11   preparação para o teste de avaliação de biologia - exercícios
Bg 11 preparação para o teste de avaliação de biologia - exercíciosNuno Correia
 
Ti inf teste_bg11_dez2013
Ti inf teste_bg11_dez2013Ti inf teste_bg11_dez2013
Ti inf teste_bg11_dez2013margaridabt
 
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)Isaura Mourão
 

Destaque (20)

Bg 11 mitose (exercícios)
Bg 11   mitose (exercícios)Bg 11   mitose (exercícios)
Bg 11 mitose (exercícios)
 
Geologia 11 ambientes sedimentares
Geologia 11   ambientes sedimentaresGeologia 11   ambientes sedimentares
Geologia 11 ambientes sedimentares
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Ppe 1
Ppe 1Ppe 1
Ppe 1
 
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)Biologia 11 (1º Teste 1º Período)
Biologia 11 (1º Teste 1º Período)
 
Preparação para exame classificação de woese
Preparação para exame   classificação de woesePreparação para exame   classificação de woese
Preparação para exame classificação de woese
 
Exercícios divisão celular meiose e mitose
Exercícios divisão celular meiose e mitoseExercícios divisão celular meiose e mitose
Exercícios divisão celular meiose e mitose
 
Biologia e geologia teste intermédio
Biologia e geologia   teste intermédioBiologia e geologia   teste intermédio
Biologia e geologia teste intermédio
 
Preparação para exame sistemas de classificação
Preparação para exame   sistemas de classificaçãoPreparação para exame   sistemas de classificação
Preparação para exame sistemas de classificação
 
Preparação para exame evolução por fusão
Preparação para exame   evolução por fusãoPreparação para exame   evolução por fusão
Preparação para exame evolução por fusão
 
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
 
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
Geologia 11   rochas sedimentares  - quimiogénciasGeologia 11   rochas sedimentares  - quimiogéncias
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
 
Biologia 11 (origem e evolução colónias)
Biologia 11 (origem e evolução   colónias)Biologia 11 (origem e evolução   colónias)
Biologia 11 (origem e evolução colónias)
 
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)Biologia 11 (origem e evolução   endossimbiose)
Biologia 11 (origem e evolução endossimbiose)
 
Preparação para exame woese
Preparação para exame   woesePreparação para exame   woese
Preparação para exame woese
 
Exercícios de rochas sedimentares
Exercícios de rochas sedimentaresExercícios de rochas sedimentares
Exercícios de rochas sedimentares
 
Geologia 11 rochas sedimentares biogénicas
Geologia 11   rochas sedimentares biogénicasGeologia 11   rochas sedimentares biogénicas
Geologia 11 rochas sedimentares biogénicas
 
Bg 11 preparação para o teste de avaliação de biologia - exercícios
Bg 11   preparação para o teste de avaliação de biologia - exercíciosBg 11   preparação para o teste de avaliação de biologia - exercícios
Bg 11 preparação para o teste de avaliação de biologia - exercícios
 
Ti inf teste_bg11_dez2013
Ti inf teste_bg11_dez2013Ti inf teste_bg11_dez2013
Ti inf teste_bg11_dez2013
 
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
Ficha de Trabalho nr 1 - Experiência de Frederick Griffith (resolução)
 

Semelhante a Aula de Biologia sobre Medusas Gigantes

Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologiaemanuel
 
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoes
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoesLista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoes
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoesIonara Urrutia Moura
 
45865588 nucleo-e-divisao-exercicios
45865588 nucleo-e-divisao-exercicios45865588 nucleo-e-divisao-exercicios
45865588 nucleo-e-divisao-exerciciosFlávia Oliveira
 
1S- Exercícios divisão celular 70 questoes- respondida
1S- Exercícios divisão celular   70 questoes- respondida1S- Exercícios divisão celular   70 questoes- respondida
1S- Exercícios divisão celular 70 questoes- respondidaIonara Urrutia Moura
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)Nuno Correia
 
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdf
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdfTeste de Avaliação 11.º Ano 2.pdf
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdfRui Magalhães
 
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014Ionara Urrutia Moura
 
1S Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...
1S  Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...1S  Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...
1S Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...Ionara Urrutia Moura
 
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)Isaura Mourão
 
Apostila divisão celular
Apostila divisão celularApostila divisão celular
Apostila divisão celularLilianm11
 
Lista biologia famema e famerp - com respostas
Lista biologia famema e famerp  - com respostasLista biologia famema e famerp  - com respostas
Lista biologia famema e famerp - com respostasJames Martins
 
Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...
Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...
Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...Ionara Urrutia Moura
 
Ciclos de Vida.doc
Ciclos de Vida.docCiclos de Vida.doc
Ciclos de Vida.docRosaMedina98
 

Semelhante a Aula de Biologia sobre Medusas Gigantes (20)

Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologia
 
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoes
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoesLista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoes
Lista de exercicios_divisao_celular_-_70_questoes
 
lista de estatistica
lista de estatisticalista de estatistica
lista de estatistica
 
45865588 nucleo-e-divisao-exercicios
45865588 nucleo-e-divisao-exercicios45865588 nucleo-e-divisao-exercicios
45865588 nucleo-e-divisao-exercicios
 
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - BiologiaAulão ACAFE 2013 - Biologia
Aulão ACAFE 2013 - Biologia
 
ciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exerciciosciclos de vida - exercicios
ciclos de vida - exercicios
 
1S- Exercícios divisão celular 70 questoes- respondida
1S- Exercícios divisão celular   70 questoes- respondida1S- Exercícios divisão celular   70 questoes- respondida
1S- Exercícios divisão celular 70 questoes- respondida
 
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
Bg 11   síntese proteica (exercícios)Bg 11   síntese proteica (exercícios)
Bg 11 síntese proteica (exercícios)
 
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdf
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdfTeste de Avaliação 11.º Ano 2.pdf
Teste de Avaliação 11.º Ano 2.pdf
 
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014Lista respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular  setembro  2014
Lista respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular setembro 2014
 
Biologia obj
Biologia objBiologia obj
Biologia obj
 
1S Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...
1S  Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...1S  Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...
1S Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celul...
 
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)
Teste de Biologia (2º Teste) - Biologia 11 (correcção)
 
Exercícios recup 1 s _3bim
Exercícios  recup   1 s _3bimExercícios  recup   1 s _3bim
Exercícios recup 1 s _3bim
 
Exercícios recup 1 s _3bim
Exercícios  recup   1 s _3bimExercícios  recup   1 s _3bim
Exercícios recup 1 s _3bim
 
Apostila divisão celular
Apostila divisão celularApostila divisão celular
Apostila divisão celular
 
Lista biologia famema e famerp - com respostas
Lista biologia famema e famerp  - com respostasLista biologia famema e famerp  - com respostas
Lista biologia famema e famerp - com respostas
 
Projeto cesgranrio
Projeto cesgranrioProjeto cesgranrio
Projeto cesgranrio
 
Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...
Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...Lista de exercícios respondida  ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...
Lista de exercícios respondida ácidos nucléicos , nucleo e divisão celular -...
 
Ciclos de Vida.doc
Ciclos de Vida.docCiclos de Vida.doc
Ciclos de Vida.doc
 

Mais de Nuno Correia

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1Nuno Correia
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações ClimáticasNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celularNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoralNuno Correia
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipoNuno Correia
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonasNuno Correia
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontaisNuno Correia
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasiaNuno Correia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismoNuno Correia
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentesNuno Correia
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidadeNuno Correia
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimasNuno Correia
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insularesNuno Correia
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentesNuno Correia
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Nuno Correia
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)Nuno Correia
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Nuno Correia
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Nuno Correia
 

Mais de Nuno Correia (20)

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações Climáticas
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celular
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoral
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipo
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonas
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontais
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismo
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentes
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimas
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentes
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)
 

Último

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 

Último (20)

Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 

Aula de Biologia sobre Medusas Gigantes

  • 1. Aula de Correcção Teste de Biologia 11
  • 2.  Explica a morte do rato na etapa 1 da experiência.  Explica a razão da sobrevivência do rato na etapa 2 da experiência.  Explica a razão da sobrevivência do rato na etapa 3 da experiência.  Conclui acerca da morte do rato na etapa 4 da experiência 2 Nuno Correia 2010/11
  • 3. Selecciona a opção que, considerando as informações dos gráficos da figura , permite afirmar correctamente que...  os mRNAs transcritos antes da adição do antibiótico B são traduzidos.  diminuição da síntese de proteínas resulta da inibição da duplicação do DNA.  os dois antibióticos -A e B - actuam sobre o mesmo alvo.  o antibióticoA impede a síntese de novas moléculas de mRNA. Justifica a resposta dada à questão anterior. 3 Nuno Correia 2010/11
  • 4. Faz corresponder S (sim) ou N (não) a cada uma das letras que identificam as afirmações seguintes, de acordo com a análise dos gráficos da figura.  O antibióticoA inibe a formação de mRNA.  O antibióticoA inibe a síntese proteica.  O antibiótico B inibe a síntese de pré-RNAm.  Os antibióticosA e B inibem a síntese proteica.  O antibiótico B inibe a síntese de codões.  O antibióticoA actua de forma a inibir a síntese de DNA.  O antibiótico B actua no núcleo. 4 Nuno Correia 2010/11
  • 5. A penicilina é um antibiótico usado para combater infecções bacterianas. Actua de forma específica impedindo apenas a síntese de moléculas que constituem a parede celular das bactérias. Deste modo, as bactérias vêem-se privadas das suas paredes celulares acabando por morrer por choque osmótico.  Explique o facto de a penicilina destruir as células bacterianas e, em simultâneo, preservar as células humanas. 5 Nuno Correia 2010/11
  • 6. Classifica em verdadeiras (V) e falsas (F) as afirmações seguintes, relativas à transferência de informação genética. A. Uma proteína que contenha 500 aminoácidos tem de ser codificada por um RNA mensageiro contendo, no mínimo, 1500 nucleótidos. B. Um único aminoácido pode ser codificado por mais de um codão, mas o mesmo codão não pode codificar dois aminoácidos diferentes. C.A sequência dos codões no RNA mensageiro determina a sequência dos aminoácidos de uma proteína. D.A síntese de proteínas nos organismos procarióticos e eucarióticos acontece nos ribossomas. E.A informação genética, geralmente, flui no sentido DNA-RNA-proteína. F. Na duplicação do DNA, como na síntese do RNA, as duas cadeias do DNA são usadas como molde. G.As mutações são consideradas fontes primárias de variabilidade. H.A sequência dos codões no RNA de transferência determina a sequência dos aminoácidos de uma proteína. L.A tradução do RNAm é efectuada segundo a ordem dos intrões. 6 Nuno Correia 2010/11
  • 7. Em relação ao código genético, foram feitas as seguintes afirmações:  Cada tripleto de bases azotadas de uma cadeia do DNA corresponde a um aminoácido.  O RNAm contém as informações para as proteínas que devem ser sintetizadas.  O RNAm, de acordo com o anticodão que possui, liga-se a um aminoácido específico.  Vários aminoácidos são codificados por um tripleto de nucleótidos. Transcreve a opção que as avalia correctamente. A. I e II são verdadeiras; III e IV são falsas. B. I e IV são verdadeiras; II e III são falsas. C. II e III são verdadeiras; l e IV são falsas. D. II e IV são verdadeiras; l e III são falsas. 7 Nuno Correia 2010/11
  • 11. Comenta a frase seguinte: "O código genético não é ambíguo". 11 Nuno Correia 2010/11
  • 12. Observe o gráfico seguinte cujas curvas podem traduzir a distância dos cromossomas-irmãos aos pólos do fuso mitótico e a distância entre os centrómeros desses cromossomas-irmãos, numa célula ao longo da anáfase. 12 Nuno Correia 2010/11
  • 13.  Indique qual a curva do gráfico que traduz correctamente a variação da distância: a) dos cromossomas-irmaos aos pólos do fuso mitótico da célula ao longo da anáfase; b) entre os centrómeros dos cromossomas-irmãos.  Justifique a sua resposta para a alínea a). 13 Nuno Correia 2010/11
  • 14. A vimblastina é um quimioterápico usado no tratamento de pacientes com cancro. Sabendo que essa substância impede a formação dos microtúbulos do fuso mitótico, explique a sua aplicação no tratamento de cancros. 14 Nuno Correia 2010/11
  • 15. O Echizen kurage é uma medusa gigante, venenosa e pertencente ao Filo dos Cnidária, sendo conhecida como a "medusa de Nomura". Esta pesa cerca de 200 quilos estando a proliferar no Mar do Japão e a destruir a principal fonte de abastecimento alimentar e rendimento do país, a pesca. Desconhecem-se as razões que levaram à sua rápida multiplicação nos últimos meses, mas o problema tornou-se tão grave que os governos do Japão, China e Coreia do Sul têm-se reunido para discutir possíveis estratégias para controlar a invasão. No Japão foi formada uma comissão contra as medusas e os pescadores têm trabalhado em tecnologias para manter estes predadores longe das suas redes. "Quando se despedaça uma surgem muitas mais para tomar o seu lugar", dizem os pescadores em desespero depois de serem forçados a parar a pesca do salmão, na época que costuma render lucros substanciais. O problema foi revelado pela primeira vez no final do Verão, quando pescadores, envolvidos na captura de anchovas, salmões e outras espécies, começaram a descobrir nas suas redes um número anormalmente elevado de medusas gigantes. Alguns cientistas apontam como causas o aquecimento global, que é mais favorável à reprodução das medusas, ou as intensas chuvas na China durante o Verão, que empurraram uma quantidade elevada de nutrientes para as águas do Japão e fizeram proliferar o plâncton que serve de alimento a estes seres. No entanto, novos estudos que estão a ser feitos revelam que uma das "soluções" que foi encontrada pelos pescadores para a morte das medusas pode estar a agravar o problema. Estes projectaram redes com fios finos e cortantes e com uma malhagem que permite a libertação dos peixes, mas aprisionam as medusas, cortando-as em fatias. 15 Nuno Correia 2010/11 Echizen kurage http://www.youtube.com/watch?v=yaC4Mietew0&feature=related
  • 16. Seleccione a alternativa que completa correctamente os espaços da seguinte afirmação. Com o aumento da temperatura global, as águas mais quentes tornam-se um ambiente favorável às medusas e estas passam a proliferar, geralmente, por reprodução_____________ que é um processo que permite formar________________descendentes.As redes dos pescadores permitem a reprodução do tipo________________ (A) assexuada (...) mais lentamente (...) gemulação. (B) sexuada (...) mais rapidamente (...) partenogénese. (C) assexuada (...) mais rapidamente (...) fragmentação. (D) sexuada (...) mais lentamente (...) multiplicação vegetativa. Seleccione a alternativa que completa correctamente os espaços da seguinte afirmação. No tipo.de reprodução promovida pelas redes montadas pelos pescadores intervêm divisões do tipo ._____________e os descendentes designam-se_____________ (A) mitose (...) clones. (B) meiose (...) clones. (C) mitose (...) gomos. (D) meiose (...) gomos. http://www.youtube.com/watch?v=mFWO0hzzjQM&feature=related 16 Nuno Correia 2010/11
  • 17.  Explique a frase do texto: "Quando se despedaça uma surgem muitas mais para tomar o seu lugar." 17 Nuno Correia 2010/11
  • 18. 18 Nuno Correia 2010/11
  • 19. Nuno Correia 2010/1119  Aurelia aurita é, provavelmente, a medusa mais frequente nas costas europeias. Este animal passa pela forma juvenil chamada éfira cuja organização do corpo é mais simples do que a forma adulta – a medusa. As medusas podem ser encontradas em grandes grupos ou, isoladamente, nadando activamente ou simplesmente sendo arrastadas pelas correntes. Os pólipos têm a capacidade de, por gemulação, originar novos pólipos e, por estrobilação1, originar novas éfiras. A estrobilação é um processo de reprodução em que o pólipo se divide transversalmente em inúmeras éfiras que, crescendo, se diferenciam em medusas. Os tentáculos das medusas rodeiam a boca e apresentam células urticantes que podem desencadear, nos humanos, fortes reacções alérgicas com ardor e vermelhidão na pele. 1Estrobilação – forma de reprodução assexuada
  • 24. O gráfico seguinte representa variações quantitativas no teor do DNA nuclear durante acontecimentos envolvendo divisões celulares e fecundação numa espécie de ratos. 24 Nuno Correia 2010/11
  • 25.  Os intervalos C-D, L-M e P-Q correspondem, respectivamente, a fases em que ocorrem a...  (A)... replicação de DNA, meiose II e mitose.  (B)... meiose l, meiose II e replicação de DNA.  (C)... mitose, meiose l e fecundação.  (D)... replicação de DNA, meiose l e meiose II.  (E) ... mitose, meiose II e fecundação. (Seleccione a opção correcta.) 25 Nuno Correia 2010/11
  • 26. Sabendo que uma célula somática do rato do esquema tem 40 cromossomas, classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmações: (A) Cada célula do rato que passe do intervaloA-H dá origem a 8 células com informação genética semelhante. (B) Cada célula do rato, depois de passar pelo intervalo C-D, passa a ser haplóide. (C) Uma célula que passe pelo intervalo L-M dá origem a dois núcleos haplóides, em que cada uma possui 20 cromossomas e 40 cromatídios. (D)As células que se encontram em O e P são haplóides. (E)As células que se encontram em R são diplóides. (F) Uma célula em F apresenta os cromossomas com dois cromatídios. 26 Nuno Correia 2010/11
  • 27. Em relação ao processo meiótico, é correcto afirmar que... (A) ... o crossing-over pode ocorrer entre cromossomas não homólogos. (B) ... o produto final da meiose é igual a duas células-filhas com a metade da quantidade de DNA da célula-mãe. (C) ... não ocorre a formação de placa equatorial durante a metáfase l e a metáfase II. (D) ... a divisão equacional da meiose é caracterizada pela formação de pontos de quiasmas onde pode ocorrer troca de porções de cromatina entre cromossomas homólogos. (E) ... os cromossomas homólogos separam-se durante a anáfase l e, durante a anáfase II, separam-se os cromatídios 27 Nuno Correia 2010/11
  • 28. Variabilidade e meiose Nuno Correia 2010/1128
  • 29. Analise as associações feitas em relação às diferentes fases de divisão da célula por meiose. I.Anáfase l - Cromossomas atingem o máximo de encurtamento e atingem os pólos da célula com clivagem dos centrómeros. II. Prófase l - Formação de díadas cromossómicas com possibilidade de permuta de informação genética entre cromossomas homólogos. III. Metáfase l - Os cromossomas estão alinhados na zona equatorial da célula e unidos pelos pontos de quiasmas. IV.Telófase l - Em cada um dos pólos das células-filhas encontra-se o mesmo número de cromossomas da célula-mãe. V. Metáfase II - Cromossomas encontram-se em ascensão polar. VI.Telófase II - Cada uma das células formadas apresenta cromossomas geneticamente diferentes e com um único cromatídio cada. Seleccione a alternativa cujas associações feitas estão correctas. (A) II, III,VI. (B) II, IV,VI. (C) II, III,V. (D) l, III,V. (E) l,V,VI 29 Nuno Correia 2010/11
  • 31. Espécies que realizam normalmente a reprodução assexuada tendem, quando sob stress ambiental, a recorrer à reprodução sexuada. Seleccione a opção que apresenta a vantagem que justifica essa mudança no processo da reprodução. (A) Maior dispêndio energético na produção de gâmetas. (B) Maior produção de clones que permite uma dispersão da espécie mais rápida. (C) Maior aumento do número de descendentes a cada ciclo reprodutivo. (D)Aumento da variabilidade genética na descendência. (E)Aumento da velocidade de reposição da população. 5.5.1. Justifique a opção que seleccionou. 31 Nuno Correia 2010/11
  • 33.  O albinismo é uma doença comum em animais e plantas. Explique porque razão não é possível encontrar plantas portadoras da referida mutação? 33 Nuno Correia 2010/11