Arroyo2

1.419 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
60
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arroyo2

  1. 1. Ciclos de desenvolvimento Humano e Formação de Educadores Texto de Miguel G. Arroyo Apresentado por Noemi da Silva Cruz – Estudante do curso de Pedagogia – FEBF - UERJ 2° período.
  2. 2. Os sistemas de ciclos privilegiam o que é mais significativo em cada período de formação do sujeito,considerando os saberes e valores que os alunos levam consigo para o espaço escolar.
  3. 3. Ciclos de Desenvolvimento Humano e Formação de Educadores <ul><li>A organização da escola da escola em ciclos está se tornando realidade nas redes públicas; </li></ul><ul><li>No art.23 da LDB; </li></ul><ul><li>“ A educação básica poderá organizar-se em séries anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de períodos de estudos, grupos não-seriados, com base na idade na competência e em outros critérios, ou por forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo de aprendizagem assim o recomendar.” </li></ul><ul><li>Lei de nº.9394/96 </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Um dos motivos para a implantação dos ciclos no ensino fundamental foi a necessidade de amenizar ou até resolver o problema de evasão e da repetência,desta forma contribuir para melhoria da qualidade do ensino público. </li></ul><ul><li>O processo de ensino – aprendizagem deve ser contínuo e sem retrocesso e desenvolver – se por meio de metodologia que contemplasse esses princípios,como também no processo de avaliação ; </li></ul>
  5. 5. Perrenoud,distingue três conceitos para os ciclos. ( 2002b,p37) <ul><li>O 1° ciclo de estudos – É definida como uma série de etapas anuais com programas do mesmo tipo,com grades horárias e divisões disciplinares; </li></ul><ul><li>O 2° ciclo de aprendizagem – Tem a mesma caracterisca ao ciclo de estudo , com diferença posta em relação ao sistema de promoção ou seja proíbe a repetência no interior do ciclo exceto no último ano; </li></ul><ul><li>O 3° ciclo de plurianuais – A repetição perde o sentido, pois o aluno tem um período,conforme a duração do ciclo para alcançar os objetivos; </li></ul><ul><li>Nessa relação de espaço- tempo, o monitoramento está ,nas mãos dos professores,que em princípio,trabalham em equipe. </li></ul>
  6. 6. Questionando a concepção precedente de formação <ul><li>A concepção de educação precedente polariza a vida em dois tempos: </li></ul><ul><li>1º aprender e a fazer; ( teoria e prática) </li></ul><ul><li>2º formação e a ação; ( trabalho intelectual e o manual) </li></ul><ul><li>Essa mesma concepção tem inspirado a pensar na formação e qualificação dos professores. </li></ul><ul><li>A ideia de que toda inovação ou melhoria educativa precisa de longos cursos e de alto custo; </li></ul><ul><li>Na organização dos ciclos superamos,a equipe de coordenação pedagógica planeja ações e montam equipes de qualificação para previamente dar cursos. </li></ul>
  7. 7. Como definir o perfil de educador <ul><li>Educadores considerados como super – heróis.Onde temos que dar conta das novas competências, conteúdos,técnicas e incumbências que nos são atribuídas. </li></ul><ul><li>Essa tradição pedagógica e a demanda pelos avanços da sociedade do conhecimento ,da informática e das tecnologias nos leva a repensar e reformular os currículos,onde cada vez mais exige profissionais competentes. </li></ul>
  8. 8. O permanente no ofício de mestre <ul><li>Cada educador dificilmente consegue fugir de ethos , estilos, culturas,práticas,identidades que têm uma longa história do professor como agente social; </li></ul><ul><li>O ofício de mestre ,se confundiu e ainda se confunde com outros ofícios próximos e presentes em todas as culturas; </li></ul><ul><li>Os condutores da infância, os pedagogos iniciadores nas culturas, nos saberes,valores, métodos e crenças; </li></ul><ul><li>São os socializadores, formadores de hábitos e condutas e sim sistematizadores do conhecimento. </li></ul>
  9. 9. Concepções de ciclo que deformam <ul><li>Nessas concepções de ciclos,pouco há de mudança no perfil de professores,apenas algumas sensibilidades e habilidades novas que podem ser adquiridas em cursos de treinamento antes na implementação desses ciclos; </li></ul><ul><li>Tivemos e temos inúmeras reformas no sistema escolar. Em conseqüência disto o perfil de educador e as propostas para a formação pouco tem mudado nas últimas décadas. </li></ul><ul><li>Algumas escolas só troca a nomenclatura, não contribuindo para a construção da formação do desenvolvimento humano; </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Um recuo a estrutura escolar preexistente onde se segue os velhos blocos, que podemos ver lá na LDB de nº. 5692/71; </li></ul><ul><li>O currículo para 1ª - 4ª série (1º ciclo) </li></ul><ul><li>O currículo para 5ª - 8ª série ( 2º ciclo) </li></ul><ul><li>Formação de professores para: </li></ul><ul><li>Séries iniciais </li></ul><ul><li>Para 5ª- 8ª </li></ul><ul><li>O ensino médio </li></ul>
  11. 11. Requalificando dimensões permanentes de nosso ofício <ul><li>No art.22 da LDB: “ Que a educação básica tem por finalidade,desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.” </li></ul><ul><li>Está garantido por lei o direito a educação e sua finalidade tem como pleno desenvolvimento humano; </li></ul><ul><li>Não podemos classificar a escola organizada em ciclo como: </li></ul><ul><li>Amontoados de séries, </li></ul><ul><li>Ou um recurso utilizado para facilitar o fluxo escolar; </li></ul>
  12. 12. <ul><li>E sim, organizar o trabalho em : </li></ul><ul><li>Tempo- espaço; </li></ul><ul><li>Saberes </li></ul><ul><li>Experiências de socialização; </li></ul><ul><li>De maneira respeitosa para que o desenvolvimento humano seja positivo.A medida que valores e saberes são levados pelos alunos. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>“ ...ao princípio de uma avaliação voltada ao futuro ,os regimes não-seriados visam ao acompanhamento longitudinal dos alunos, a sua progressão contínua de uma série para outra,por ciclos de formação ou por idade, respeitando ritmos e interesses individuas, sem deixar de perseguir a aprendizagem máxima possível de todos os alunos.” </li></ul><ul><li>Hoffmann,Jussara-2008 p.22 </li></ul>

×