SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
Baixar para ler offline
TEXTO DO DIA
"E haverá um tabernáculo para sombra contra o
calor do dia, e para refúgio e esconderijo contra a
tempestade e contra a chuva."
(Is 4.6)
SÍNTESE
Após o juízo divino avassalador, se estabelecerá um
período de muita justiça, glória e beleza, em que o
"renovo do Senhor", Cristo, promoverá um período
de bênçãos, proteção e prosperidade.
TEXTO BÍBLICO
Isaías 4.2-6
2 Naquele dia, o Renovo do Senhor será cheio de beleza e de
glória; e o fruto da terra, excelente e formoso para os que
escaparem de Israel.
3 E será que aquele que ficar em Sião e que permanecer em
Jerusalém será chamado santo: todo aquele que estiver inscrito
entre os vivos em Jerusalém.
4 Quando o Senhor lavar a imundícia das filhas de Sião e limpar
o sangue de Jerusalém do meio dela, com o espírito de justiça e
com o espírito de ardor,
5 criará o Senhor sobre toda a habitação do monte de Sião e
sobre as suas congregações uma nuvem de dia, e uma fumaça,
e um resplendor de fogo chamejante de noite; porque sobre
toda a glória haverá proteção.
6 E haverá um tabernáculo para sombra contra o calor do dia, e
para refúgio e esconderijo contra a tempestade e contra a
chuva.
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
• Deus executa juízo com amor para purificar e ensinar seu
povo que erra no exercício do livre arbítrio.
• Apesar do juízo de Deus sobre seu povo, o que prevalece
é seu imenso amor, misericórdia e cuidado (Is 4.5).
• Deus age com justiça e equidade e jamais deixará seu
povo entregue ao sofrimento, demonstrando assim a
grandeza dEle purificando, salvando e curando.
I - O JUÍZO DE DEUS
1. As causas do juízo de Deus
• Deus alertou contra a corrupção dos governantes e a
violência. Questões econômicas e sociais que promoviam
a injustiça, foram denunciadas e advertidas as seguintes
práticas:
• a substituição do Senhor pelas riquezas;
• a ganância;
• o suborno recebido pelo juiz;
• a exploração dos trabalhadores para a manutenção do luxo no
palácio, do rei, da corte e do Templo;
• a concentração de riquezas nas mãos de poucos;
• o empobrecimento da população;
• a administração fraudulenta;
• a impunidade e a opressão.
2. Como um Deus bom pode agir com juízo
• Existem pessoas que não compreendem como um Deus
de amor pode agir em juízo.
• O juízo de Deus se manifesta sempre que se viola o
princípio de justiça estabelecido por Ele.
• O próprio ser mano se expõe ao juízo de Deus .
• Israel recebeu o juízo devido sua arrogância e
autossuficiência, desprezo pela provisão de Deus, prática
de injustiças com os pobres, os órfãos e as viúvas.
3. A justiça estabelecida com juízo
• O retorno da justiça somente seria possível por meio do
juízo rigoroso do Justo Juiz.
• A purificação de toda a sujeira e derramamento de
sangue (Is 4.4).
• Somente assim o povo estaria protegido.
• Contextualização/aplicação – A igreja:
• como um arauto de justiça não deve se omitir dos meios
públicos, políticos e da justiça social. Não pode compactuar
com políticas injustiças e corruptas.
• deve ocupar seu espaço na sociedade e se posicionar de forma
profética e justa (sem corrupção e negligência).
APLICAÇÃO PRÁTICA
Como você tem se comportando diante dos necessários
juízos de Deus em sua vida?
Nossas ações tem suas consequências. Por isso, plante o
que você quer colher!
PENSE
Apesar da existência do juízo de Deus, a
nossa relação de obediência a Ele não deve
se basear no medo de sua punição, mas sim
no amor que nos constrange a ser fiéis à sua
Palavra e vontade sublime, entendendo-as
como o melhor caminho possível para as
nossas vidas
PONTO IMPORTANTE
Na teologia bíblica cristã, o juízo de Deus não
se origina por uma intenção malévola de
Deus. O juízo surge por consequência de
nossos pecados, de nossa transgressão ao
modelo de vida estabelecido por Deus.
II - A GLÓRIA DO
RENOVO DO SENHOR
1. O Renovo do Senhor para Israel
• No texto de Isaias em estudo, o renovo se refere ao
período posterior ao exílio babilônico.
• Interpretação oficial assembleiana: esse acontecimento é
tipo para um evento escatológico e apocalíptico (assista o
vídeo para maiores detalhes:
www.natalinodasneves.blogspot.com.br).
• quando Israel estará novamente sitiada e será liberta
milagrosamente quando reconhecer e aceitar a Cristo
como o enviado de Deus.
• Interpretação pré-tribulacionista e milenial literal:
período final da grande tribulação; cerco à Israel liderado
pelo anticristo; vinda de Jesus em Glória acompanhado
com a igreja para julgar as nações inimigas de Israel.
2. O Renovo do Senhor para a Igreja
• Se Israel tivesse rejeitado a Cristo, a igreja de hoje não
existiria?
• Com isso todos os que estão em Cristo são chamados de
santos (Is 4.3; 1Co 1.2).
• Crentes vivificados em Cristo, o doador da vida (Mt
20.28; Jo 3.15-16; 4.14; 5.24).
• Os justificados que vivem em santificação são renovados
constantemente por Cristo. Somente assim, pode-se
enfrentar as adversidades e se manter firme nas
promessas.
3. Cristo, o provedor de bênçãos para os salvos
• Por meio de Cristo, há abundante provisão para todos os
salvos:
• salvação em Cristo (Lc 3.6);
• libertação do pecado (Rm 8.21). Situações de aflição e
angústia?;
• Perdão completo para a culpa (Mt 26.28; Lc 24.47);
• Renovação da mente (Rm 1.1-2; 4.23);
• Transformação de glória em glória (2 Co 3.18);
• cura para o corpo físico (Mt 4.23).
APLICAÇÃO PRÁTICA
Você tem buscado a renovação espiritual permanente em
sua vida?
Você tem sido grato pela vida renovada pela graça em
Cristo?
PENSE
Em Cristo começamos a experimentar a glória
de Deus em nossas vidas. Apesar de não ser
de maneira plena, quando estamos em Jesus
iniciamos a preparação para viver a glória
eterna. Estar em Jesus é ter a garantia de que
iremos experimentar a glória de Deus de
maneira plena.
PONTO IMPORTANTE
O objetivo final do juízo é sempre a
renovação do bem-estar do povo de Deus e a
manifestação da glória do Deus Altíssimo.
Deus julga porque quer restabelecer a ordem
da sua criação.
III - A PROTEÇÃO DO
SENHOR
1. A proteção do Senhor para Israel
• O profeta lembra o povo do cuidado de Deus na travessia
do deserto e reafirma sua proteção continuada.
• O povo enquanto caminhava no deserto teve vários
desafios.
• Deus não promete ausência de desafios e adversidades,
mas promete a sua presença e proteção durante os esses
momentos.
AP - Cuidado com os abusos de pregadores que querem
fazer “favor” para Deus, com promessas inconsequentes!
2. A proteção do Senhor para os salvos
• Jesus afirmou que aqueles que vivessem em seu Reino
(Lc 8.1; 16.16; 17.20-21) que se estabelece nos corações,
experimentariam antecipadamente as realidades desse
Reino (Rm 14.17).
• Jesus não prometeu uma vida fácil: "no mundo tereis
aflições; mas, tende bom ânimo; eu venci o mundo" (Jo
16.33).
• A provisão divina como uma nuvem que protege do calor
escaldante das aflições da vida.
• “Fogo” na Bíblia, na grande maioria das citações, fala de
purificação.
APLICAÇÃO PRÁTICA
Você se sente protegido por Deus mesmo nas aflições?
Não cobre de Deus a ausência de tribulação, mas confie e
agradeça a Sua presença em todos os momentos de sua
vida?
PENSE
Apesar da proteção que Jesus dá para as
nossas vidas, isso não significa que Ele nos
isenta de qualquer situação difícil. Só
teremos total transformação e descanso na
manifestação plena do reinado futuro de
Jesus.
PONTO IMPORTANTE
A vinda do Messias remete à promessa de
um renovo e cuidado de Deus pelo seu povo
apesar de seus pecados. É símbolo de que
Deus não desiste do seu povo ainda que este
abandone seus caminhos. Deus sempre volta
a ter compaixão.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Nesta lição nos aprendemos que:
1. O juízo de Deus se manifesta sempre que se viola o
princípio de justiça estabelecido por Ele.
2. Os justificados que vivem em santificação são renovados
constantemente por Cristo.
3. Deus não promete ausência de desafios e adversidades,
mas promete a sua presença e proteção durante os
esses momentos.
Subsídios
bibliográficos
"Cristo é chamado Renovo de Jeová, plantado pelo seu poder e
florescido para seu louvor. O Evangelho é fruto do renovo de Jeová.
Todas as graças e consolações do Evangelho brotam de Cristo. É
chamado fruto da terra porque surge neste mundo e é adequado para
o estado presente. Será uma boa prova de que somos diferentes
daqueles simplesmente chamados Israel, se formos levados a ver toda
a beleza em Cristo, e na santidade. [...].
Através do juízo da providência de Deus, os pecadores são destruídos
e consumidos; porém, pelo Espírito da graça são transformados e
convertidos. O Espírito atua aqui como Espírito de juízo, ilumina a
mente e convence a consciência; também como Espírito que queima,
vivifica e fortalece os afetos, e faz com que os homens sejam afetados
zelosamente em uma boa obra. Um amor ardente por Cristo e por
vidas humanas, e o zelo contra o pecado, levarão os homens de modo
resoluto a obras que tirem a incredulidade de Jacó. Toda a aflição
serve para os crentes como forno para purificá-los da escória; a
influência convincente, poderosa e iluminadora do Espírito Santo
desarraiga paulatinamente as suas luxurias e os torna santos como Ele
é Santo" (HENRY, Matthew. Comentário Bíblico. 1.ed. Rio de Janeiro:
CPAD, 2002.p. 563).
HORA DA REVISÃO
1. Que significado tinha a coluna de nuvem e fogo para o povo de Israel?
R) Proteção, conforto e consolo.
2. Por que Deus enviou juízo para o seu povo?
R) Porque o povo que não deveria agir de forma contrária ao seu amor.
3. Por que um Deus bom pode agir com juízo?
R) Porque quando se viola o princípio de justiça estabelecido por Ele, se viola
Seu próprio amor, ou seja, a própria criatura humana se expõe ao juízo de
Deus.
4. Qual o propósito do juízo de Deus sobre Israel?
R) Deus lavaria e purificaria toda a sujeira e limparia Jerusalém da culpa de
sangue inocente derramado; para isso enviaria seu Espírito de justiça e seu
Espírito purificador através do juízo.
5. A quem o profeta se refere quando escreve sobre o renovo do Senhor?
R) Está se referindo ao Messias, ao Cristo.
Referências
REFERÊNCIAS
ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Fundamentos Bíblicos de um
Autêntico Avivamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
ARAUJO, Israel de. Dicionário do Movimento Pentecostal. 1ed. Rio de
Janeiro: CPAD, 2007.
Comentário Bíblico Beacon. Vol 4. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
CROATTO, J. S. Isaías. Vol I: 1-39. O profeta da justiça e da fidelidade.
Petrópolis: Vozes, 1989.
FEINBERG, Charles L. Os profetas menores. São Paulo: Vida, 1988.
LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Isaias: eis-me aqui, envia-me a mim. 3º
Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016.
REFERÊNCIAS
MERRILL, H. Eugene. História de Israel no Antigo Testamento: O reino
de sacerdotes que Deus colocou entre as nações. 12.ed. Rio de
Janeiro: CPAD, 2013.
NAKANOSE, Shigeyuki; PEDRO, Enilda de Paula. Como ler o Primeiro
Isaías (Is 1-39). São Paulo: Paulus, 2002.
RENDTORFF, Rolf. Antigo Testamento: uma introdução. Santo André-
SP: Academia Cristã, 2009.
RENOVATO, Elinaldo. O Final de Todas as Coisas: Esperança e Glória
para os Salvos. Rio de Janeiro: CPAD, 2015.
SCHOKEL, Alonso Luís; SICRE. José Luís. Os profetas. São Paulo: Paulus,
2004.
SICRE, José Luís. Profetismo em Israel. Petrópolis: Vozes, 1996.
SILVA, Airton José. A voz necessária: encontro com os profetas do
século VIII a.C. São Paulo: Paulus, 1998.
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 8409 8094

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de IsaíasLição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de IsaíasMaxsuel Aquino
 
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHORNatalino das Neves Neves
 
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Lição 05- Predições de   Juízo e GlóriaLição 05- Predições de   Juízo e Glória
Lição 05- Predições de Juízo e GlóriaMaxsuel Aquino
 
Lição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de IsaíasLição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de IsaíasMaxsuel Aquino
 
Lição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias MessiânicasLição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias MessiânicasMaxsuel Aquino
 
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémLição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémMaxsuel Aquino
 
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIANatalino das Neves Neves
 
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáLição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáMaxsuel Aquino
 
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDORNatalino das Neves Neves
 
Lição 1 jeremias, do começo ao fim
Lição 1   jeremias, do começo ao fimLição 1   jeremias, do começo ao fim
Lição 1 jeremias, do começo ao fimandujarpr
 
2 renovacao espiritual isaias
2 renovacao espiritual isaias2 renovacao espiritual isaias
2 renovacao espiritual isaiasMarçal Santos
 
O chamado de jeremias
O chamado de jeremiasO chamado de jeremias
O chamado de jeremiasUFES
 
Lição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaLição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaMaxsuel Aquino
 
Introdução ao Livro de Isaías
Introdução ao Livro de IsaíasIntrodução ao Livro de Isaías
Introdução ao Livro de IsaíasRobson Santana
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...José Carlos Polozi
 
Panorama do AT - Isaías
Panorama do AT - IsaíasPanorama do AT - Isaías
Panorama do AT - IsaíasRespirando Deus
 

Mais procurados (20)

Lição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de IsaíasLição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
 
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR
2016 3 TRI LBJ LIÇÃO 3 - O DIA DO SENHOR
 
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Lição 05- Predições de   Juízo e GlóriaLição 05- Predições de   Juízo e Glória
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
 
Lição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de IsaíasLição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
 
Lição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias MessiânicasLição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
 
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémLição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
 
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 11 - PROFECIAS DA CONSUMAÇÃO DA HISTÓRIA
 
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáLição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
2016 3 TRI LIÇÃO 13 - PROMESSAS A RESPEITO DO MESSIAS COMO SERVO SOFREDOR
 
Lição 1 jeremias, do começo ao fim
Lição 1   jeremias, do começo ao fimLição 1   jeremias, do começo ao fim
Lição 1 jeremias, do começo ao fim
 
Profetas Maiores
Profetas MaioresProfetas Maiores
Profetas Maiores
 
2 renovacao espiritual isaias
2 renovacao espiritual isaias2 renovacao espiritual isaias
2 renovacao espiritual isaias
 
Jeremias LiçãO 2
Jeremias LiçãO 2Jeremias LiçãO 2
Jeremias LiçãO 2
 
O chamado de jeremias
O chamado de jeremiasO chamado de jeremias
O chamado de jeremias
 
Lição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaLição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da História
 
Introdução ao Livro de Isaías
Introdução ao Livro de IsaíasIntrodução ao Livro de Isaías
Introdução ao Livro de Isaías
 
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
[EBD Maranata] Revista Profecias | Lição 6 - Profetas Maiores e Menores | 08/...
 
Jeremias LiçãO 1
Jeremias LiçãO 1Jeremias LiçãO 1
Jeremias LiçãO 1
 
Panorama do AT - Isaías
Panorama do AT - IsaíasPanorama do AT - Isaías
Panorama do AT - Isaías
 

Destaque

Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoProf. Robson Santos
 
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...Lincoln Silva
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadAndrew Guimarães
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICAErberson Pinheiro
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaErberson Pinheiro
 

Destaque (7)

Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
 
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...
EBD - Lições bíblicas para classe de juvenis, na revista 3, do ano 1 do currí...
 
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpadLição bíblica 4º trim 2016 cpad
Lição bíblica 4º trim 2016 cpad
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
 
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 

Semelhante a 2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA

A maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusA maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusLuiz Ferreira
 
A maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusA maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusLuiz Ferreira
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraLuis Carlos Oliveira
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxKARINEVONEYVIEIRABAR
 
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdf
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdfCOMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdf
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdfNelson Pereira
 
A manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoA manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoAilton da Silva
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
15. regeneração
15. regeneração15. regeneração
15. regeneraçãopohlos
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Sergio Schmidt
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Silvio Dutra
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoEduardo Sousa Gomes
 
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Pedro Siena
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11Joel Silva
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11Joel Oliveira
 
Apostila treinamento
Apostila treinamentoApostila treinamento
Apostila treinamentoJoao Rumpel
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09Joel Silva
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteRicardo Gondim
 

Semelhante a 2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA (20)

A maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusA maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deus
 
A maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deusA maravilhosa proteção dos anjos de deus
A maravilhosa proteção dos anjos de deus
 
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos OliveiraA Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
A Maravilhosa Graça de Deus | Luis Carlos Oliveira
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
 
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdf
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdfCOMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdf
COMO SERÁ O TRIBUNAL DE CRISTO .pdf
 
A manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da SalvaçãoA manifestação da Graça da Salvação
A manifestação da Graça da Salvação
 
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015Lição 13    a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
Lição 13 a manifestação da graça da salvação 3º trimestre de 2015
 
15. regeneração
15. regeneração15. regeneração
15. regeneração
 
Justificação estudo
Justificação estudoJustificação estudo
Justificação estudo
 
Aplicação da redenção
Aplicação da redençãoAplicação da redenção
Aplicação da redenção
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
 
Fome sede
Fome sedeFome sede
Fome sede
 
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 113º trimestre 2015 juvenis lição 11
3º trimestre 2015 juvenis lição 11
 
Apostila treinamento
Apostila treinamentoApostila treinamento
Apostila treinamento
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 

Último (20)

atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 

2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO DO DIA "E haverá um tabernáculo para sombra contra o calor do dia, e para refúgio e esconderijo contra a tempestade e contra a chuva." (Is 4.6)
  • 4. SÍNTESE Após o juízo divino avassalador, se estabelecerá um período de muita justiça, glória e beleza, em que o "renovo do Senhor", Cristo, promoverá um período de bênçãos, proteção e prosperidade.
  • 6. 2 Naquele dia, o Renovo do Senhor será cheio de beleza e de glória; e o fruto da terra, excelente e formoso para os que escaparem de Israel. 3 E será que aquele que ficar em Sião e que permanecer em Jerusalém será chamado santo: todo aquele que estiver inscrito entre os vivos em Jerusalém. 4 Quando o Senhor lavar a imundícia das filhas de Sião e limpar o sangue de Jerusalém do meio dela, com o espírito de justiça e com o espírito de ardor, 5 criará o Senhor sobre toda a habitação do monte de Sião e sobre as suas congregações uma nuvem de dia, e uma fumaça, e um resplendor de fogo chamejante de noite; porque sobre toda a glória haverá proteção. 6 E haverá um tabernáculo para sombra contra o calor do dia, e para refúgio e esconderijo contra a tempestade e contra a chuva.
  • 8. INTRODUÇÃO • Deus executa juízo com amor para purificar e ensinar seu povo que erra no exercício do livre arbítrio. • Apesar do juízo de Deus sobre seu povo, o que prevalece é seu imenso amor, misericórdia e cuidado (Is 4.5). • Deus age com justiça e equidade e jamais deixará seu povo entregue ao sofrimento, demonstrando assim a grandeza dEle purificando, salvando e curando.
  • 9. I - O JUÍZO DE DEUS
  • 10. 1. As causas do juízo de Deus • Deus alertou contra a corrupção dos governantes e a violência. Questões econômicas e sociais que promoviam a injustiça, foram denunciadas e advertidas as seguintes práticas: • a substituição do Senhor pelas riquezas; • a ganância; • o suborno recebido pelo juiz; • a exploração dos trabalhadores para a manutenção do luxo no palácio, do rei, da corte e do Templo; • a concentração de riquezas nas mãos de poucos; • o empobrecimento da população; • a administração fraudulenta; • a impunidade e a opressão.
  • 11. 2. Como um Deus bom pode agir com juízo • Existem pessoas que não compreendem como um Deus de amor pode agir em juízo. • O juízo de Deus se manifesta sempre que se viola o princípio de justiça estabelecido por Ele. • O próprio ser mano se expõe ao juízo de Deus . • Israel recebeu o juízo devido sua arrogância e autossuficiência, desprezo pela provisão de Deus, prática de injustiças com os pobres, os órfãos e as viúvas.
  • 12. 3. A justiça estabelecida com juízo • O retorno da justiça somente seria possível por meio do juízo rigoroso do Justo Juiz. • A purificação de toda a sujeira e derramamento de sangue (Is 4.4). • Somente assim o povo estaria protegido. • Contextualização/aplicação – A igreja: • como um arauto de justiça não deve se omitir dos meios públicos, políticos e da justiça social. Não pode compactuar com políticas injustiças e corruptas. • deve ocupar seu espaço na sociedade e se posicionar de forma profética e justa (sem corrupção e negligência).
  • 13. APLICAÇÃO PRÁTICA Como você tem se comportando diante dos necessários juízos de Deus em sua vida? Nossas ações tem suas consequências. Por isso, plante o que você quer colher!
  • 14. PENSE Apesar da existência do juízo de Deus, a nossa relação de obediência a Ele não deve se basear no medo de sua punição, mas sim no amor que nos constrange a ser fiéis à sua Palavra e vontade sublime, entendendo-as como o melhor caminho possível para as nossas vidas
  • 15. PONTO IMPORTANTE Na teologia bíblica cristã, o juízo de Deus não se origina por uma intenção malévola de Deus. O juízo surge por consequência de nossos pecados, de nossa transgressão ao modelo de vida estabelecido por Deus.
  • 16. II - A GLÓRIA DO RENOVO DO SENHOR
  • 17. 1. O Renovo do Senhor para Israel • No texto de Isaias em estudo, o renovo se refere ao período posterior ao exílio babilônico. • Interpretação oficial assembleiana: esse acontecimento é tipo para um evento escatológico e apocalíptico (assista o vídeo para maiores detalhes: www.natalinodasneves.blogspot.com.br). • quando Israel estará novamente sitiada e será liberta milagrosamente quando reconhecer e aceitar a Cristo como o enviado de Deus. • Interpretação pré-tribulacionista e milenial literal: período final da grande tribulação; cerco à Israel liderado pelo anticristo; vinda de Jesus em Glória acompanhado com a igreja para julgar as nações inimigas de Israel.
  • 18. 2. O Renovo do Senhor para a Igreja • Se Israel tivesse rejeitado a Cristo, a igreja de hoje não existiria? • Com isso todos os que estão em Cristo são chamados de santos (Is 4.3; 1Co 1.2). • Crentes vivificados em Cristo, o doador da vida (Mt 20.28; Jo 3.15-16; 4.14; 5.24). • Os justificados que vivem em santificação são renovados constantemente por Cristo. Somente assim, pode-se enfrentar as adversidades e se manter firme nas promessas.
  • 19. 3. Cristo, o provedor de bênçãos para os salvos • Por meio de Cristo, há abundante provisão para todos os salvos: • salvação em Cristo (Lc 3.6); • libertação do pecado (Rm 8.21). Situações de aflição e angústia?; • Perdão completo para a culpa (Mt 26.28; Lc 24.47); • Renovação da mente (Rm 1.1-2; 4.23); • Transformação de glória em glória (2 Co 3.18); • cura para o corpo físico (Mt 4.23).
  • 20. APLICAÇÃO PRÁTICA Você tem buscado a renovação espiritual permanente em sua vida? Você tem sido grato pela vida renovada pela graça em Cristo?
  • 21. PENSE Em Cristo começamos a experimentar a glória de Deus em nossas vidas. Apesar de não ser de maneira plena, quando estamos em Jesus iniciamos a preparação para viver a glória eterna. Estar em Jesus é ter a garantia de que iremos experimentar a glória de Deus de maneira plena.
  • 22. PONTO IMPORTANTE O objetivo final do juízo é sempre a renovação do bem-estar do povo de Deus e a manifestação da glória do Deus Altíssimo. Deus julga porque quer restabelecer a ordem da sua criação.
  • 23. III - A PROTEÇÃO DO SENHOR
  • 24. 1. A proteção do Senhor para Israel • O profeta lembra o povo do cuidado de Deus na travessia do deserto e reafirma sua proteção continuada. • O povo enquanto caminhava no deserto teve vários desafios. • Deus não promete ausência de desafios e adversidades, mas promete a sua presença e proteção durante os esses momentos. AP - Cuidado com os abusos de pregadores que querem fazer “favor” para Deus, com promessas inconsequentes!
  • 25. 2. A proteção do Senhor para os salvos • Jesus afirmou que aqueles que vivessem em seu Reino (Lc 8.1; 16.16; 17.20-21) que se estabelece nos corações, experimentariam antecipadamente as realidades desse Reino (Rm 14.17). • Jesus não prometeu uma vida fácil: "no mundo tereis aflições; mas, tende bom ânimo; eu venci o mundo" (Jo 16.33). • A provisão divina como uma nuvem que protege do calor escaldante das aflições da vida. • “Fogo” na Bíblia, na grande maioria das citações, fala de purificação.
  • 26. APLICAÇÃO PRÁTICA Você se sente protegido por Deus mesmo nas aflições? Não cobre de Deus a ausência de tribulação, mas confie e agradeça a Sua presença em todos os momentos de sua vida?
  • 27. PENSE Apesar da proteção que Jesus dá para as nossas vidas, isso não significa que Ele nos isenta de qualquer situação difícil. Só teremos total transformação e descanso na manifestação plena do reinado futuro de Jesus.
  • 28. PONTO IMPORTANTE A vinda do Messias remete à promessa de um renovo e cuidado de Deus pelo seu povo apesar de seus pecados. É símbolo de que Deus não desiste do seu povo ainda que este abandone seus caminhos. Deus sempre volta a ter compaixão.
  • 30. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nos aprendemos que: 1. O juízo de Deus se manifesta sempre que se viola o princípio de justiça estabelecido por Ele. 2. Os justificados que vivem em santificação são renovados constantemente por Cristo. 3. Deus não promete ausência de desafios e adversidades, mas promete a sua presença e proteção durante os esses momentos.
  • 32. "Cristo é chamado Renovo de Jeová, plantado pelo seu poder e florescido para seu louvor. O Evangelho é fruto do renovo de Jeová. Todas as graças e consolações do Evangelho brotam de Cristo. É chamado fruto da terra porque surge neste mundo e é adequado para o estado presente. Será uma boa prova de que somos diferentes daqueles simplesmente chamados Israel, se formos levados a ver toda a beleza em Cristo, e na santidade. [...]. Através do juízo da providência de Deus, os pecadores são destruídos e consumidos; porém, pelo Espírito da graça são transformados e convertidos. O Espírito atua aqui como Espírito de juízo, ilumina a mente e convence a consciência; também como Espírito que queima, vivifica e fortalece os afetos, e faz com que os homens sejam afetados zelosamente em uma boa obra. Um amor ardente por Cristo e por vidas humanas, e o zelo contra o pecado, levarão os homens de modo resoluto a obras que tirem a incredulidade de Jacó. Toda a aflição serve para os crentes como forno para purificá-los da escória; a influência convincente, poderosa e iluminadora do Espírito Santo desarraiga paulatinamente as suas luxurias e os torna santos como Ele é Santo" (HENRY, Matthew. Comentário Bíblico. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002.p. 563).
  • 33. HORA DA REVISÃO 1. Que significado tinha a coluna de nuvem e fogo para o povo de Israel? R) Proteção, conforto e consolo. 2. Por que Deus enviou juízo para o seu povo? R) Porque o povo que não deveria agir de forma contrária ao seu amor. 3. Por que um Deus bom pode agir com juízo? R) Porque quando se viola o princípio de justiça estabelecido por Ele, se viola Seu próprio amor, ou seja, a própria criatura humana se expõe ao juízo de Deus. 4. Qual o propósito do juízo de Deus sobre Israel? R) Deus lavaria e purificaria toda a sujeira e limparia Jerusalém da culpa de sangue inocente derramado; para isso enviaria seu Espírito de justiça e seu Espírito purificador através do juízo. 5. A quem o profeta se refere quando escreve sobre o renovo do Senhor? R) Está se referindo ao Messias, ao Cristo.
  • 35. REFERÊNCIAS ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Fundamentos Bíblicos de um Autêntico Avivamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. ARAUJO, Israel de. Dicionário do Movimento Pentecostal. 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. Comentário Bíblico Beacon. Vol 4. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. CROATTO, J. S. Isaías. Vol I: 1-39. O profeta da justiça e da fidelidade. Petrópolis: Vozes, 1989. FEINBERG, Charles L. Os profetas menores. São Paulo: Vida, 1988. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Isaias: eis-me aqui, envia-me a mim. 3º Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016.
  • 36. REFERÊNCIAS MERRILL, H. Eugene. História de Israel no Antigo Testamento: O reino de sacerdotes que Deus colocou entre as nações. 12.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013. NAKANOSE, Shigeyuki; PEDRO, Enilda de Paula. Como ler o Primeiro Isaías (Is 1-39). São Paulo: Paulus, 2002. RENDTORFF, Rolf. Antigo Testamento: uma introdução. Santo André- SP: Academia Cristã, 2009. RENOVATO, Elinaldo. O Final de Todas as Coisas: Esperança e Glória para os Salvos. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. SCHOKEL, Alonso Luís; SICRE. José Luís. Os profetas. São Paulo: Paulus, 2004. SICRE, José Luís. Profetismo em Israel. Petrópolis: Vozes, 1996. SILVA, Airton José. A voz necessária: encontro com os profetas do século VIII a.C. São Paulo: Paulus, 1998.
  • 37. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094