SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
1|   Apostila –Regeneração



                              REGENERAÇÃO

Todos os que quiserem entrar na cidade de Deus têm que, durante sua vida
terrestre, representar a Cristo em seu procedimento. Isto é o que os torna
mensageiros de Cristo, Suas testemunhas. Devem apresentar um claro, positivo
testemunho contra todas as más práticas, apontando aos pecadores o Cordeiro de
Deus, que tira o pecado do mundo. A todos os que O recebem, dá Ele poder para
tornarem-se filhos de Deus. A regeneração é o único caminho pelo qual
podemos entrar na cidade de Deus. É apertado, e estreita a porta pela qual
ali se entra, mas para ela devemos guiar homens, mulheres e crianças,
ensinando-lhes que para serem salvos precisam de coração novo e novo
espírito. Os velhos, hereditários traços de caráter têm que ser vencidos. Os
desejos naturais da alma têm que transformar-se. Todo engano, toda falsidade,
toda maledicência têm que ser postos de lado. A vida nova, que torna semelhantes
a Cristo homens e mulheres, é que deve ser vivida. (MM, Exaltai-O, 366)


Esforço físico e poder moral devem estar unidos em nossos esforços para
regeneração e reforma. Devemos procurar adquirir conhecimento tanto no
campo temporal como no espiritual, a fim de podermos comunicá-lo a outros.
Devemos procurar viver o evangelho em todos os seus ângulos, a fim de que
suas bênçãos temporais e espirituais sejam sentidas ao redor de nós. Testimonies,
vol. 6, pág. 189.


Realizam-se muitos esforços, gastam-se tempo, dinheiro e trabalho em
proporções quase ilimitadas, em empresas e instituições destinadas à
regeneração das vítimas dos maus hábitos. E ainda assim todos esses esforços
se tornam insuficientes para enfrentar tão grandes necessidades. Quão
insignificantes são os resultados! Quão poucos os que se regeneram para
sempre! (CBV, 351)


Apresento-vos o grande, o grandioso monumento de misericórdia e
regeneração, salvação e redenção - o Filho de Deus levantado na cruz do
Calvário. Este deve ser o assunto de todo discurso. Cristo declara: "E Eu, quando
for levantado da terra, todos atrairei a Mim." João 12:32. Manuscrito 70, 1901.
(MM, Cuidado de Deus, 37)
A p o s t i l a – R ege n er aç ão |2

Nicodemos fora ter com o Senhor pensando em entrar com Ele em discussão,
mas Jesus expôs-lhe os princípios fundamentais da verdade. Disse a Nicodemos:
Não é tanto de conhecimento teórico que precisas, mas de regeneração
espiritual. Não necessitas satisfazer tua curiosidade, mas ter um novo coração. É
mister que recebas nova vida de cima, antes de te ser possível apreciar as coisas
celestiais. Antes que se verifique essa mudança, tornando novas todas as coisas,
nenhum salvador proveito tem para ti o discutir comigo Minha autoridade ou
missão. (DTN 171)


Não havia escusa para a cegueira de Israel quanto à obra da regeneração. Pela
inspiração do Espírito Santo, escrevera Isaías: "Todos nós somos como o
imundo, e todas as nossas justiças como trapos de imundícia". Isa. 64:6. Davi
suplicara: "Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um
espírito reto". Sal. 51:10. E, por meio de Ezequiel, fora dada a promessa: "E vos
darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o
coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne. E porei dentro
de vós o Meu Espírito, e farei que andeis nos Meus estatutos, e guardeis os Meus
juízos, e os observeis". Ezeq. 36:26 e 27. (DTN, 174)


Descrevendo aos discípulos a obra oficial do Espírito Santo, Jesus procurou
inspirar-lhes a alegria e esperança que Lhe animavam o próprio coração.
Regozijava-Se Ele pelas abundantes medidas que providenciara para auxílio de
Sua igreja. O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele podia solicitar do
Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem
o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal
se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a
esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da
poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia
modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o
que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração
é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu
Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e
cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja. (DTN, 671)


Cristo veio para demonstrar o valor dos princípios divinos, revelando o seu
poder na regeneração da humanidade. Veio para ensinar como estes
princípios devem ser desenvolvidos e aplicados. (ED, 77)
3|   Apostila –Regeneração

O sacrifício de Cristo como expiação pelo pecado, é a grande verdade em torno
da qual se agrupam as outras. A fim de ser devidamente compreendida e
apreciada, toda verdade da Palavra de Deus, de Gênesis a Apocalipse, precisa
ser estudada à luz que dimana da cruz do Calvário. Apresento perante vós
o grande, magno monumento de misericórdia e regeneração, salvação e
redenção - o Filho de Deus erguido na cruz. Isto tem de ser o fundamento de
todo discurso feito por nossos pastores. (Obreiros Evangélicos, pág. 315.)


Ouvimos serem pregadas tantas coisas a respeito da conversão da pessoa que
não são verdade. Os homens são ensinados a pensar que se alguém se arrepende,
será perdoado, supondo que o arrependimento é o caminho e a porta para o Céu;
que há no arrependimento certo valor garantido que compre o perdão para ele.
Pode o homem arrepender-se por si mesmo? Não mais do que pode perdoar a si
próprio. Lágrimas, suspiros, resoluções - tudo isso constitui apenas o
apropriado exercício das faculdades que Deus concede ao homem e o ato de
afastar-se do pecado na regeneração de uma vida que é de Deus. Onde está o
mérito do homem para ganhar sua salvação ou para colocar diante de Deus algo
que seja valioso e excelente? Pode uma oferta de dinheiro, casas, terras, colocar-
vos na lista do merecimento? Impossível! (Fé e Obras, 25)


"Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Ora àquele que faz
qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a
dívida. Mas àquele que não pratica, mas crê nAquele que justifica o ímpio, a sua
fé lhe é imputada como justiça." Rom. 4:3-5. justiça é obediência à lei. A lei
requer justiça, e esta o pecador deve à lei; mas é ele incapaz de a apresentar. A
única maneira em que pode alcançar a justiça é pela fé. Pela fé pode ele
apresentar a Deus os méritos de Cristo, e o Senhor lança a obediência de Seu
Filho a crédito do pecador. A justiça de Cristo é aceita em lugar do fracasso do
homem, e Deus recebe, perdoa, justifica a pessoa arrependida e crente, trata-a
como se fosse justa, e ama-a tal qual ama Seu Filho. Assim é que a fé é imputada
como justiça; e a pessoa perdoada avança de graça em graça, de uma luz para luz
maior. Pode dizer, alegremente: "Não pelas obras de justiça que houvéssemos
feito, mas segundo a Sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da
regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente Ele
derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados
pela Sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna."
Tito 3:5-7. (Fé e Obras, 101)
A p o s t i l a – R ege n er aç ão |4

Cristo como a Cabeça da humanidade devia dar os mesmos passos que devíamos
dar. Se bem que não tivesse pecado, foi Ele nosso exemplo em satisfazer todas
as exigências para a redenção da humanidade. Ele carregou os pecados de todo o
mundo. Seu batismo devia abranger todo o mundo pecaminoso, o qual pelo
arrependimento e fé seria perdoado. "Mas quando apareceu a benignidade e
caridade de Deus, nosso Salvador, para com os homens; não pelas obras de
justiça que houvéssemos feito, mas segundo a Sua misericórdia, nos salvou pela
lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo; que abundantemente
Ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo
justificados pela Sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida
eterna. Fiel é a palavra e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem
em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas
aos homens." Tito 3:4-8. O homem foi de novo trazido ao favor de Deus pela
lavagem da regeneração. A lavagem foi o sepultamento com Cristo nas
águas à semelhança de Sua morte, representando que todos os que se
arrependem de terem transgredido a lei de Deus recebem a purificação e a
limpeza pela atuação do Espírito Santo. O batismo representa a verdadeira
conversão pela transformação do Espírito Santo. Manuscrito 57, 1900. (Fé Pela a
Qual Eu Vivo, 143)


Nessa visita Farel reconheceu a mão de Deus. Posto que Genebra houvesse
aceitado a fé reformada, precisava ainda ser ali efetuada uma grande obra. Não é
em grupos mas como indivíduos que os homens se convertem a Deus. A obra
de regeneração deve ser realizada no coração e consciência, pelo poder do
Espírito Santo, e não pelos decretos dos concílios. Ao passo que o povo de
Genebra repelia a autoridade de Roma, não se mostrava tão pronto para
renunciar aos vícios que haviam florescido sob o seu domínio. Estabelecer ali os
puros princípios do evangelho, e preparar esse povo para preencher dignamente
a posição a que a Providência parecia chamá-los, não era fácil tarefa. (GC, 233)


Uma vez mais, diante da grande destruição do mundo pelo fogo, há concessão
de um período de prova e teste. Os homens têm oportunidade de revelar se serão
ou não leais a Deus. Satanás está buscando levar homens em posições de
confiança a buscar a regeneração do mundo mediante planos de sua
própria imaginação. Tais homens desejam ser reformadores, mas falham
porque não operam nas linhas de Cristo. Poderão reformar a outros, quando não
podem reformar-se a si próprios? ... (MM, Olhando para o alto, 82)
5|   Apostila –Regeneração

"Aquele que não nascer de novo não pode ver o reino de Deus." João 3:3.
Conjeturará e imaginará, mas sem os olhos da fé, não pode ver o tesouro.
Cristo deu a Sua vida para nos assegurar esse tesouro inestimável; porém
sem regeneração pela fé em Seu sangue, não há remissão de pecados, nem
tesouro para alguém prestes a perecer. (PJ, 113)


                                 ATENÇÃO!

A resposta do Salvador comoveu o coração daqueles pescadores galileus. Cristo
mencionou honras que ultrapassavam seus mais altos sonhos. "Em verdade vos
digo que vós, que Me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do Homem
Se assentar no trono da Sua glória, também vos assentareis sobre doze
tronos, para julgar as doze tribos de Israel."(Mat. 19:28; Tito, 3: 15) E
acrescentou: "Ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai,
ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de Mim e do evangelho, que
não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães,
e filhos, e campos, com perseguições, e, no século futuro, a vida eterna." Mar.
10:29 e 30. (PJ, 395) Mat. 25: 31; Luc 22:28-30; Apoc 3: 21; 4: 4; 20: 4)

           "E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como
           ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do
           Senhor o galardão da herança." Col. 3:23 e 24. "E eis que
           cedo venho, e o Meu galardão está comigo para dar a
           cada um segundo a sua obra." Apoc. 22:12.


O caráter humano é depravado, deformado pelo pecado e muito diferente
do caráter do primeiro homem, quando acabou de ser formado pelas mãos
do Criador. Jesus quer tirar a deformidade e o pecado das pessoas, e dar-lhes,
em troca, a beleza e a excelência de Seu próprio caráter. Ele Se empenha em
renovar a alma pela verdade. O erro não pode realizar essa obra de regeneração;
precisamos ter, portanto, boa visão espiritual para discernir entre a verdade e a
falsidade, e para não cair na cilada do inimigo. Review and Herald, 24 de
novembro de 1885. (MM, RP, 57)


O Espírito é dado como agente de regeneração, para tornar eficaz a salvação
operada pela morte de nosso Redentor. O Espírito está constantemente
A p o s t i l a – R ege n er aç ão |6

buscando atrair a atenção dos homens para a grande oferta feita na cruz do
Calvário, a fim de desvendar ao mundo o amor de Deus, e abrir às almas
convictas as preciosidades das Escrituras. (Atos dos Apóstolos, págs. 51 e 52.)


"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as
obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas; porque Eu vou para Meu Pai."
João 14:12. Não queria Cristo dizer com isto que os discípulos fariam
maiores esforços do que os que Ele havia feito, mas que sua obra teria
maior amplitude. Ele não Se referiu meramente à operação de milagres,
mas a tudo quanto iria acontecer sob a influência do Espírito Santo. "Mas,
quando vier o Consolador", disse Ele, "que Eu da parte do Pai vos hei de enviar,
aquele Espírito de verdade que procede do Pai, Ele testificará de Mim. E vós
também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio." João 15:26 e 27.
(Atos dos Apóstolos, 22)


Devemos orar pela descida do Espírito Santo com tanto fervor quanto os
discípulos oraram no dia do Pentecoste. Se dEle necessitaram naquele tempo,
muito mais necessitamos nós agora. Trevas morais, como uma mortalha cobrem
a Terra. Toda espécie de falsas doutrinas, heresias e enganos satânicos estão
desviando a mente dos homens. Sem o Espírito e o poder de Deus será em vão
trabalharmos para apresentar a verdade. Testimonies, vol. 5, pág. 158. (Colp.
Evang. 104/105)


A luz resplandece das páginas sagradas em raios claros e gloriosos, mostrando-
nos a Deus, o Deus vivo, segundo é representado nas leis de Seu governo, na
criação do mundo, nos céus adornados por Ele. Seu poder deve ser
reconhecido como o único meio de remir o mundo de superstições
degradantes que são tão desonrosas para Deus e o homem. Todo estudante
da Bíblia que não somente se familiariza com a verdade revelada mediante
a educação do intelecto, mas também por meio de seu poder transformador
sobre o coração e o caráter, representará o caráter de Deus a nosso mundo
numa vida bem regulada e pela conversação piedosa. A exposição da Palavra
esclarece. A mente se expande, e é elevada e purificada. Muitos, porém, têm
seguido um modo de ação incompatível com o conhecimento da verdade e a
maravilhosa luz pela descida do Espírito Santo de maneira tão acentuada sobre
os corações em Battle Creek. Grande pecado e perda resultaram da negligência
de andar na luz do Céu. (FEC, 377/378)
7|   Apostila –Regeneração

Quando a verdade for vivida em sua simplicidade em toda parte, Deus atuará
por meio de Seus anjos, assim como atuou no dia de Pentecoste, e corações serão
transformados de forma que haja uma manifestação da influência da verdade
genuína, como é representada na descida do Espírito Santo. Special Testimonies
for the Church, Série B, n° 7, pág. 64. (MM, Maravilhosa Graça, 58)


O Espírito Santo desceria sobre aqueles que neste mundo amavam a Cristo.
Deste modo eles seriam habilitados, na glorificação de sua Cabeça e por
intermédio dEle, a receber toda dotação necessária para o cumprimento de
sua missão. O Doador da vida tinha em mãos não somente as chaves da morte,
mas todo um Céu de ricas bênçãos. Foi-Lhe dado todo o poder no Céu e na
Terra, e, tendo assumido Sua posição nas cortes celestiais, Ele poderia conferir
essas bênçãos a todos os que O recebessem. (MM, Cuidado de Deus, 284)


O Espírito de Deus está impressionando o coração dos homens, e os que são
sensíveis a Sua influência tornar-se-ão luzes no mundo. Em toda parte, eles
são vistos saindo para comunicar a outros a luz que receberam, como sucedeu
após a descida do Espírito Santo no dia de Pentecoste. E ao deixarem sua luz
brilhar, recebem mais e mais do poder do Espírito. A Terra é iluminada com a
glória de Deus. (MM, RP, 309)


"Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as
obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas; porque Eu vou para Meu Pai."
João 14:12. Não queria Cristo dizer com isto que os discípulos fariam maiores
esforços do que os que Ele havia feito, mas que sua obra teria maior amplitude.
Ele não Se referiu meramente à operação de milagres, mas a tudo quanto
iria acontecer sob a influência do Espírito Santo. "Mas, quando vier o
Consolador", disse Ele, "que Eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito
de verdade que procede do Pai, Ele testificará de Mim. E vós também testificareis,
pois estivestes comigo desde o princípio." João 15:26 e 27. (AA, 22)


Esta vinda é também predita pelo profeta Malaquias: "De repente virá ao
Seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo do concerto, a quem vós
desejais; eis que vem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:1. A vinda do Senhor
a Seu templo foi súbita, inesperada, para Seu povo. Não O buscaram ali.
Esperavam que viesse à Terra, "como labareda de fogo, tomando vingança dos
que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho". II Tess. 1:8.
A p o s t i l a – R ege n er aç ão |8

O povo, porém, ainda não estava preparado para encontrar-se com o Senhor.
Havia ainda uma obra de preparo a ser por eles cumprida. Ser-lhes-ia
proporcionada luz, dirigindo-lhes a mente ao templo de Deus, no Céu; e, ao
seguirem eles, pela fé, ao Sumo Sacerdote em Seu ministério ali, novos deveres
seriam revelados. Outra mensagem de advertência e instrução deveria dar-se
à igreja. (Cristo em Seu Santuário, 98)


Quando ela se houver realizado, os seguidores de Cristo estarão prontos para o
Seu aparecimento. "E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor,
como nos dias antigos, e como nos primeiros anos." Mal. 3:4. Então a igreja
que nosso Senhor deve receber para Si, à Sua vinda, será "igreja gloriosa,
sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante". Efés. 5:27. Então ela
aparecerá "como a alva do dia, formosa como a Lua, brilhante como o Sol,
formidável como um exército com bandeiras". Cant. 6:10. (Cristo em Seu
Santuário, 99)


Diz o profeta: "Quem suportará o dia da Sua vinda? E quem subsistirá quando
Ele aparecer? Porque Ele será como o fogo dos ourives e como o sabão dos
lavandeiros. E assentar-Se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos
de Levi, e os afinará como ouro e como prata: então ao Senhor trarão ofertas em
justiça." Mal. 3:2 e 3. Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a
intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar
em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter
liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu
próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal.
Enquanto o juízo investigativo prosseguir no Céu, enquanto os pecados dos
crentes arrependidos estão sendo removidos do santuário, deve haver uma
obra especial de purificação, ou de afastamento de pecado, entre o povo de
Deus na Terra. Esta obra é mais claramente apresentada nas mensagens do
capítulo 14 de Apocalipse. (GC, 425)


Além da vinda do Senhor a Seu templo, Malaquias também prediz o
segundo advento, Sua vinda para a execução do juízo, nestas palavras: "E
chegar-Me-ei a vós para juízo, serei uma testemunha veloz contra os
feiticeiros e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os
que defraudam o jornaleiro, e pervertem o direito da viúva, e do órfão, e do
estrangeiro, e não Me temem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:5. À mesma
9|   Apostila –Regeneração

cena se refere Judas quando diz: "Eis que é vindo o Senhor com milhares de
Seus santos; para fazer juízo contra todos, e condenar dentre eles todos os
ímpios por todas as suas obras de impiedade." Jud. 14 e 15. Esta vinda, e a
vinda do Senhor ao Seu templo, são acontecimentos distintos e separados. (GC,
424 – 426; Apoc 11: 19)


A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a
purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do
Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em Daniel
7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são descrições
do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela vinda do
esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez virgens, de Mateus
25. (GC, 426)


A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém foi um imperfeito símbolo da Sua
vinda nas nuvens do céu com poder e glória, por entre as aclamações dos
anjos e o regozijo dos santos. Então, cumprir-se-ão as palavras de Cristo aos
fariseus: "Desde agora Me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem
em nome do Senhor." Mat. 23:39. Em visão profética, foi mostrado a Zacarias
aquele dia de triunfo final; e ele viu também a condenação dos que, no primeiro
advento, rejeitaram a Cristo: "E olharão para Mim, a quem traspassaram; e O
prantearão como quem pranteia por um unigênito; e chorarão amargamente por
Ele, como se chora amargamente pelo primogênito." Zac. 12:10. Esta cena
anteviu Cristo quando contemplou a cidade e chorou sobre ela. Na ruína
temporal de Jerusalém viu Ele a final destruição daquele povo que era culpado
do sangue do Filho de Deus. (DTN, 580)


Os discípulos de Cristo esperavam a vinda imediata do reino de Sua glória;
mas ao dar-lhes esta oração Jesus ensinou que o reino não devia ser então
estabelecido. Deviam orar por sua vinda como acontecimento ainda no futuro.
Mas essa petição era-lhes também uma certeza. Conquanto não devessem
esperar a vinda do reino em seus dias, o fato de haver Jesus recomendado que
por ela orassem, constitui prova de que certamente virá no tempo designado por
Deus. (MM, Maravilhosa Graça, 345)


Sua Igreja deve ser um templo construído segundo a semelhança divina, e o
anjo arquiteto trouxe do Céu a sua vara de ouro para medir, a fim de que cada
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 10

pedra seja lavrada e ajustada pela medida divina, e polida para brilhar como um
emblema do Céu irradiando em todas as direções os refulgentes e luminosos
raios do Sol da Justiça. A Igreja há de ser alimentada com o maná do Céu e
guardada unicamente sob a proteção de Sua graça. Vestida com a completa
armadura de luz e justiça ela entra em seu conflito final. A escória, material
imprestável, será consumida, e a influência da verdade testifica ao mundo de seu
caráter santificador e enobrecedor. (Igreja Remanescente, 14)[Apoc 11: 19.]


A obra do Santo Espírito é incomensuravelmente grande. É dessa fonte que vêm
poder e eficiência ao obreiro de Deus; e o Espírito Santo é o Consolador, como a
presença pessoal de Cristo no ser. Toda pessoa que olha para Cristo com fé
singela e infantil é feito participante da natureza divina mediante a atuação do
Espírito Santo. Quando guiados pelo Espírito de Deus, os cristãos podem saber
que são feitos completos nAquele que é o cabeça de todas as coisas. Assim
como Cristo foi glorificado no dia de Pentecostes, assim será novamente
glorificado no encerramento da obra do evangelho, quando Ele preparar
um povo para suportar a prova final na última batalha do grande conflito.
... (MM, CT, 364; Gal 4: 19, 20)


Seja onde for que eles tenham sido fracos, a ponto mesmo de cair, o Israel
de Deus hoje, os representantes do Céu que constituem a verdadeira igreja
de Cristo, devem ser fortes, pois para eles é transferido o encargo de
concluir a obra confiada ao homem, e de anunciar o dia do ajuste final.
Contudo, as mesmas influências que prevaleceram contra Israel no tempo do
reinado de Salomão ainda se lhes antepõem. As forças do inimigo de toda a
justiça estão fortemente entrincheiradas; e a vitória só pode ser ganha mediante o
poder de Deus. O conflito que temos diante de nós exige espírito de abnegação,
desconfiança própria, confiança em Deus somente, e sábio uso de toda
oportunidade para a salvação de almas. A bênção do Senhor será concedida a
Sua igreja, à medida que esta avance unida, revelando a um mundo que jaz nas
trevas do erro a beleza da santidade manifesta num espírito de abnegação
semelhante ao de Cristo, na exaltação do divino em vez do humano, e no
amoroso e incansável serviço pelos que tanto precisam das bênçãos do
evangelho. (PR, 74; Zac 1: 7, 8; 3: 7)


À voz de Deus os santos serão poderosos e terríveis como um exército com
bandeiras, mas eles não executarão o juízo escrito. (PE, 52)
11 |   Apostila –Regeneração

"Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a
ceifa." Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si
mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir
perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.
(Parábolas de Jesus, págs. 68 e 69)


Com anelante desejo, Cristo aguarda ver-Se manifestado em Sua igreja.
Quando o caráter do Salvador for perfeitamente reproduzido em Seu povo, então
Ele virá a requerer os Seus. É o privilégio de todo cristão, não somente aguardar,
mas apressar a vinda de nosso Senhor. Estivessem todos quantos Lhe professam
o nome dando frutos para Sua glória, e quão pronto o mundo inteiro estaria
semeado com o evangelho! Pronto estaria amadurecida a última grande colheita,
e Cristo havia de vir. (CPPE, 324)


Jesus respondeu: "O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem
dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus está dentro de
vós." Luc. 17:20 e 21. O reino de Deus começa no coração. Não busqueis, aqui
e ali, manifestações de poder terrestre para assinalar-lhe a vinda. (O Desejado de
Todas as Nações, pág. 506)


As obras de Cristo não somente atestavam ser Ele o Messias, como indicavam a
maneira por que se havia de estabelecer Seu reino. ... O reino de Deus não vem
com aparência exterior. Vem mediante a suavidade da inspiração de Sua
Palavra, pela operação interior de Seu Espírito, a comunhão da alma com
Ele que é sua vida. A maior manifestação de Seu poder se observa na natureza
humana levada à perfeição do caráter de Cristo. ... (MM, Cuidado de Deus, 227)


A graça de Deus precisa ser recebida pelo pecador antes de ele ser tornado
apto para o reino da glória. Toda cultura e educação que o mundo pode
oferecer, fracassarão em fazer de um degradado filho do pecado, um filho do
Céu. A energia renovadora precisa vir de Deus. ... Como o fermento, misturado à
farinha, opera do interior para o exterior, assim é pela renovação do coração,
que a graça de Deus atua para transformar a vida. ...(Idem, 228)


Aí se declara a mesma verdade que Jesus expusera a Nicodemos, quando
disse: "Aquele que não nascer de novo [de cima, diz outra versão], não pode
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 12

ver o reino de Deus." João 3:3. Não por procurar um monte santo ou um
templo sagrado, são os homens postos em comunhão com o Céu. Religião
não é limitar-se a formas e cerimônias exteriores. A religião que vem de Deus
é a única que leva a Ele. Para O servirmos devidamente, é mister nascermos do
divino Espírito. Isso purificará o coração e renovará a mente, dando-nos nova
capacidade para conhecer e amar a Deus. Comunicar-nos-á voluntária
obediência a todos os Seus reclamos. Esse é o verdadeiro culto. É o fruto da
operação do Espírito Santo. É pelo Espírito que toda prece sincera é ditada, e tal
prece é aceitável a Deus. Onde quer que a alma se dilate em busca de Deus, aí é
manifesta a obra do Espírito, e Deus Se revelará a essa alma. A tais adoradores
ele busca. Espera recebê-los, e torná-los Seus filhos e filhas. (DTN, 189)


Para Jesus este foi um penhor da obra que o evangelho havia de realizar entre os
gentios. Com alegria, antecipou a reunião de almas de todas as nações ao
Seu Reino. Com profunda tristeza, descreveu aos Judeus o resultado de seu
rejeição de Sua graça por parte deles: "Eu vos digo que muitos virão do
Oriente e do Ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no
reino dos Céus; e os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores: ali
haverá pranto e ranger de dentes." Ai! quantos ainda se estão preparando
para a mesma fatal decepção! Enquanto almas mergulhadas nas trevas do
paganismo Lhe aceitam a graça, quantos há em terras cristãs, sobre os
quais a luz resplandece apenas para ser rejeitada! (DTN, 318)


 A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a
purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do
Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em
Daniel 7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são
descrições do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela
vinda do esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez
virgens, de Mateus 25. (GC, 426)


EIS QUE VENHO COM AS NUVENS. Dan 7: 13; Mat. 24: 30; 26: 64; I Cor
1: 7 e 8; Rom 1: 11; I Cor 12: 1 -31: Mat 16: 27;


"Estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em
que não penseis." Mat. 24:44. Esta é nossa mensagem, a própria mensagem
que os três anjos voando pelo meio do céu estão proclamando. A obra a ser
13 |   Apostila –Regeneração

feita agora é a de fazer soar esta última mensagem de misericórdia a um mundo
caído. Uma nova vida está vindo do Céu e tomando posse de todo o povo de
Deus. Mas introduzir-se-ão divisões na igreja. Desenvolver-se-ão dois partidos.
O trigo e o joio crescerão juntos para a ceifa. (II ME, 114)


O evangelho eterno deve ser proclamado por instrumentos humanos.
Devemos fazer soar as mensagens dos anjos representados como voando pelo
meio do céu, com a última advertência a um mundo caído. Se não somos
chamados a profetizar, somos chamados a crer nas profecias, e a cooperar com
Deus no levar a luz a outras mentes. Isto estamos procurando fazer. (ME, II, 115)


Durante os passados cinqüenta anos de minha vida, tive oportunidades preciosas
de obter experiência. Tive-a quanto à primeira, segunda e terceira
mensagens angélicas. Os anjos são representados como voando pelo meio
do céu, proclamando ao mundo uma mensagem de advertência, e tendo
relação direta com o povo que vive nos últimos dias da história terrestre.
Ninguém ouve a voz desses anjos, pois eles são símbolo do povo de Deus a
trabalhar em harmonia com o Universo celeste. Homens e mulheres, iluminados
pelo Espírito de Deus e santificados por meio da verdade, proclamam as três
mensagens em sua ordem. (ME, II, 387)


Os três anjos de Apocalipse 14 são representados como voando pelo meio
do Céu, o que simboliza a obra dos que estão proclamando a primeira,
segunda e terceira mensagens angélicas. Todas estão relacionadas entre si. As
evidências da verdade eterna e inalterável dessas importantes mensagens, tão
significativas para a igreja que lhe valeram violenta oposição do mundo
religioso, não estão falidas. Satanás procura constantemente projetar sombra
sobre essas mensagens para que o povo de Deus não possa discernir claramente
sua importância, tempo e lugar; não obstante, permanecem e deverão exercer sua
influência sobre nossa vida religiosa, enquanto durar o tempo. (II TS, 372)


Desde o princípio tem Deus operado por Seu Espírito Santo, mediante
agentes humanos, para a realização de Seu propósito em benefício da raça
caída. Isto se manifestou na vida dos patriarcas. À igreja no deserto, no tempo
de Moisés, também deu Deus Seu "bom Espírito, para os ensinar". Nee. 9:20. E
nos dias dos apóstolos Ele atuou poderosamente por Sua igreja através do
Espírito Santo. O mesmo poder que susteve os patriarcas, que a Calebe e Josué
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 14

deu fé e coragem, e eficiência à obra da igreja apostólica, tem sustido os fiéis
filhos de Deus nos séculos sucessivos. Foi mediante o poder do Espírito Santo
que na idade escura os cristãos valdenses ajudaram a preparar o caminho para a
Reforma. Foi o mesmo poder que deu êxito aos esforços de nobres homens e
mulheres que abriram o caminho para o estabelecimento das modernas missões,
e para a tradução da Bíblia para as línguas e dialetos de todas as nações e povos.
(AA, 53) (I Tes 4: 8; Ez 36: 27; Rom 5: 5; II Cor 1: 22; Gal 4: 6; I João 3: 24)


Aprendamos, das revelações dadas pelo Espírito Santo a Seus profetas, a
grandeza de nosso Deus. Escreve o profeta Isaías: "No ano em que morreu o rei
Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o Seu
séquito enchia o templo. Os serafins estavam acima dEle; cada um tinha seis
asas: com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam.
E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos
Exércitos; toda a Terra está cheia da Sua glória. E os umbrais das portas se
moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. (A Ciência
do Bom Viver, 432/433)


A parábola das dez virgens de Mateus 25, ilustra também a experiência do povo
adventista. Em Mateus 24, em resposta à pergunta dos discípulos relativa aos
sinais de Sua vinda e do fim do mundo, Cristo indicara alguns dos
acontecimentos mais importantes da história do mundo e da igreja, desde o Seu
primeiro advento até ao segundo, a saber: a destruição de Jerusalém, a grande
tribulação da igreja sob a perseguição pagã e papal, o escurecimento do Sol e
da Lua, e a queda de estrelas. Depois disto, falou a respeito de Sua vinda em
Seu reino, e expôs a parábola que descreve as duas classes de servos que Lhe
aguardam o aparecimento. O capítulo 25 inicia-se com estas palavras: "Então
o reino dos Céus será semelhante a dez virgens." Aqui se faz referência à
igreja que vive nos últimos dias, a mesma que é indicada no fim do capítulo
24. Sua experiência é ilustrada nessa parábola pelas cenas de um casamento
oriental. (GC, 393)


Nesta parábola, como na de Mateus 24, duas classes são representadas. Todas
haviam tomado suas lâmpadas, a Bíblia, e mediante sua luz saíram para
encontrar o esposo. Mas, enquanto "as loucas, tomando as suas lâmpadas, não
levaram azeite consigo", "as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as
suas lâmpadas". A última classe tinha recebido a graça de Deus, e o poder do
15 |   Apostila –Regeneração

Espírito Santo, que regenera e alumia, tornando a Palavra divina uma
lâmpada para os pés e luz para o caminho. No temor de Deus estudaram as
Escrituras, para aprenderem a verdade, e fervorosamente buscaram a pureza de
coração e de vida. Possuíam uma experiência pessoal, fé em Deus e em Sua
Palavra, que não poderiam ser derrotadas pelo desapontamento e demora.
Outras, "tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo". Haviam-se
movido por um impulso de momento. Seus temores foram excitados pela
mensagem solene, mas haviam dependido da fé que possuíam seus irmãos,
estando satisfeitos com a luz vacilante das boas emoções, sem terem
compreensão perfeita da verdade, nem experimentarem uma genuína
operação da graça no coração. Tinham saído para encontrar-se com o Senhor,
cheios de esperanças, com a perspectiva de imediata recompensa; mas não
estavam preparados para a demora e desapontamento. Quando vieram as
provações, faltou-lhes a fé, e sua luz se tornou bruxuleante. (GC, 394)


Cavalgando Isa 19: 1; Hac 3: 8; Nee 9: 15; Sl 104: 3-4; Zac 10: 3, 5; Deut 33 :
26 (Ex 16: 4-15; Zac 12: 4, e 5; Ex.17: 1-7; Deut 1 : 21; Ex 19: 5; Atos 17: 24; Sl
104: 4; Sl 18: 10;


Em breve será travada a batalha do Armagedom. Aquele em cuja vestimenta está
escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores, conduz os exércitos do Céu
montados em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. (Apoc.
19:11-16.) SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 982. (EF, 251)


A batalha do Armagedom logo deverá ferir-se. Aquele em cujas vestes está
escrito o nome "Rei dos reis e Senhor dos senhores" (Apoc. 19:16) deverá, dentro
em breve, comandar os exércitos do Céu. Não poderá ser dito agora pelos servos
do Senhor, como o foi pelo profeta Daniel: "Uma guerra prolongada." Dan. 10:1.
Não falta senão pouco tempo para que as testemunhas de Deus tenham feito
o seu trabalho de preparação do caminho para o Senhor. (III TS, 13)


Será travada a batalha do Armagedom. E nesse dia nenhum de nós deverá estar
dormindo. Precisamos estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo
azeite em nossas vasilhas com nossas lâmpadas. O poder do Espírito Santo
deve estar sobre nós, e o Capitão do exército do Senhor estará à frente dos
anjos do Céu para dirigir a batalha. Solenes acontecimentos ainda ocorrerão
diante de nós. Soará uma trombeta após a outra; uma taça após a outra será
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 16

derramada sucessivamente sobre os habitantes da Terra. Cenas de estupendo
interesse se acham precisamente diante de nós, e estas coisas serão indicações
seguras da presença dAquele que tem comandado todo movimento agressivo,
que tem acompanhado o andamento de Sua causa no decorrer de todos os
séculos e que Se comprometeu bondosamente a estar com o Seu povo em todos
os seus conflitos até o fim do mundo. Ele vindicará Sua verdade. Ele a levará ao
triunfo. Está disposto a imbuir os Seus fiéis de motivos e força de vontade,
inspirando-os com esperança, coragem e valor em crescente atividade, pois o
tempo está perto. (MM, Maranata, o Senhor logo vem, 356)


Todo o mundo estará em um ou no outro lado da questão. Será travada a batalha
do Armagedom. E nesse dia nenhum de nós deverá estar dormindo. Precisamos
estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo azeite em nossas vasilhas
com nossas lâmpadas. O poder do Espírito Santo deve estar sobre nós, e o
Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir
a batalha. Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 426. (EF, 250/251)


Precisamos estudar o derramamento da sétima taça. Os poderes do mal não
darão por encerrado o conflito sem uma peleja. Mas a Providência divina tem
uma parte a desempenhar na batalha do Armagedom. Quando a Terra for
iluminada com a glória do anjo de Apocalipse dezoito, os elementos
religiosos, bons e maus, despertarão do sono, e os exércitos do Deus vivo
tomarão o campo. Manuscrito 175, 1899. (MM, Maranata, O Senhor Logo
Vem, 255)


                     COMENTÁRIO DE MATEUS 24

Mat 24: 29; “imediatamente após a tribulação daqueles dias” ‘o sol escurecerá,
e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes celestes serão
abalados.” ( Isa 13: 10; Ez 32: 7, 8; Jl 2: 31; Apoc 6: 12 – 13; 8: 12; Apoc 10: 1;
12: 1.)


Vi anjos, no Céu, indo apressadamente de um lado para outro, descendo à Terra,
e ascendendo de novo ao Céu, preparando-se para a realização de algum
acontecimento importante. Vi então outro poderoso anjo comissionado para
descer à Terra, a fim de unir sua voz com o terceiro anjo, e dar poder e força à
17 |   Apostila –Regeneração

sua mensagem. Grande poder e glória foram comunicados ao anjo, e, descendo
ele, a Terra foi iluminada com sua glória. A luz que acompanhava este anjo
penetrou por toda parte, ao clamar ele poderosamente, com grande voz: "Caiu!
Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, e abrigo de todo
espírito imundo, e refúgio de toda ave imunda e aborrecível!" Apoc. 18:2. A
mensagem da queda de Babilônia, conforme é dada pelo segundo anjo, é
repetida com a menção adicional das corrupções que têm entrado nas igrejas
desde 1844. A obra desse anjo vem, no tempo devido, unir-se à última grande
obra da mensagem do terceiro anjo, ao tomar esta o volume de um alto clamor. E
o povo de Deus assim se prepara para estar em pé na hora da tentação que em
breve devem enfrentar. Vi uma grande luz repousando sobre eles, e uniram-se
destemidamente para proclamar a mensagem do terceiro anjo. (PE, 277)


Foram enviados anjos para ajudar o poderoso anjo do Céu, e ouvi vozes que
pareciam fazer ressoar em toda parte: "Sai dela, povo Meu, para que não
sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.
Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus Se lembrou das
iniqüidades dela." Apoc. 18:4 e 5. (HR, 399/400)


O anjo, o poderoso anjo do Céu, iluminará a Terra com Sua glória (Apoc.
18:1), enquanto ele exclama com potente voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia."
Apoc. 18:2. ... Perderíamos a fé e a coragem no conflito, se não fôssemos
amparados pelo poder de Deus. (III ME, 425)


A profecia não somente prediz a maneira e objetivo da vinda de Cristo, mas
apresenta sinais pelos quais os homens podem saber quando a mesma está
próxima. Disse Jesus: "Haverá sinais no Sol, na Lua, e nas estrelas." Luc. 21:25.
"O Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz. E as estrelas cairão do céu, e
as forças que estão no céu serão abaladas. E então verão vir o Filho do
homem nas nuvens, com grande poder e glória." Mar. 13:24-26. O profeta do
Apocalipse assim descreve o primeiro dos sinais que precedem o segundo
advento: "Houve um grande tremor de terra; e o Sol tornou-se negro como saco
de cilício, e a Lua tornou-se como sangue." Apoc. 6:12. (Sl 97: 4 - 6; Isa 29: 6;
Ez 38: 19; Apoc 8: 5; Lev 16: 12;Ez 10: 2;Apoc 11: 13, 19; 16: 18; Mat 24: 29;
Isa 13: 10; 50: 3 Ez 32: 7; Jl 2: 31; Apoc 6: 12, 13.) (GC, 304)
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 18

Na palestra do Salvador com Seus discípulos, no Monte das Oliveiras, depois de
descrever o longo período de provação da igreja - os 1.260 anos da perseguição
papal, relativamente aos quais prometera Ele ser abreviada a tribulação -
mencionou Jesus certos acontecimentos que precederiam Sua vinda, e fixou o
tempo em que o primeiro destes deveria ser testemunhado: "Naqueles dias,
depois daquela aflição, o Sol se escurecerá, e a Lua não dará a sua luz." Mar.
13:24. Os 1.260 dias, ou anos, terminaram em 1798. Um quarto de século antes,
a perseguição tinha cessado quase inteiramente. Em seguida a esta perseguição,
segundo as palavras de Cristo, o Sol deveria escurecer-se. A 19 de maio de 1780
cumpriu-se esta profecia. (MM. Maranata O Senhor, logo vem, 148)


"Haverá sinais", disse Ele, "no Sol, na Lua e nas estrelas." Luc. 21:25. E
explicou com maior clareza ainda: "O Sol escurecerá, a Lua não dará a sua
claridade, as estrelas cairão do firmamento." Mat. 24:29. (Vida de Jesus, 175) (Jó
9: 7; Isa 24: 23; Zac 14: 7; Ex. 10: 22; Isa 5: 30; Apoc 8: 12; Jl 2: 10; Ez 32: 7;
Amos 5: 20; 8: 9)


Mat 24: 30; “Então aparecerá um sinal no céu do Filho do Homem, e todas as
nações da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo nas nuvens do
céu com poder e grande gloria.” (Apoc 1: 7; Dan 7: 13; Mat 16: 27; Eze. 43: 1-2;
Mat 25: 31-32; Zac. 12: 10; João 19: 37).


(Apoc 1: 7; 14: 14; 1: 13; Dan 7: 13; 10: 5 - 6; Apoc 19: 7-12; Apoc 1: 14; Dan
7: 9; Apoc 20: 4). Quando sucederá todas estas coisas?


Quem é esse ser que vem com as nuvens? (Ez. 1: 5). Em Dan. 7: 13. pode pensar
que é Cristo. (Mas o grande Eu Sou acontece de uma maneira completa) E em
Ez. 1: 5 aparece outro ser com aparência de homem. Em João 17: 23, 21. Vemos
que o Pai é perfeito no Filho como o homem é perfeito em Cristo.


(João 5: 22-24) O Pai confia todo julgamento ao Filho (Mat 13: 43); Mat. 19: 28-
30; I Cor. 6: 1-3; I Cor. 2: 15; Jer. 33 15- 16; Rom. 12: 1-2; Apoc. 17: 13-14; Isa.
60: 19; Apoc. 21: 3,23; 22: 5; Dan. 8: 9-14; Mat. 26: 61; João 2: 19-21; Oseías 6:
2, 3; II Pedro 3: 8, 9; Ex. 19: 10, 11, 14, 16; Isa. 63: 2; 34: 8) História da
Redenção 138.
19 |   Apostila –Regeneração

A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a
purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do
Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em Daniel
7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são descrições
do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela vinda do
esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez virgens, de Mateus
25. (GC, 426). (Ir para as pags 2,3 da AP. Senhor Justiça Nossa.)



                     ATENÇÃO! MUITA ATENÇÃO

Os sacerdotes e principais haviam-se arvorado em juízes, para condenar a obra
de Cristo, mas Ele Se declarou juiz deles próprios, e de toda a Terra. O
mundo foi confiado a Cristo, e por Seu intermédio tem vindo toda bênção de
Deus à raça caída. Era o Redentor, tanto antes como depois da encarnação.
Assim que existiu o pecado; houve um Salvador. Ele tem dado luz e vida a
todos, e em harmonia com a medida da luz concedida, será cada um julgado. E
aquele que tem comunicado a luz, que tem acompanhado a alma com as mais
ternas súplicas, buscando atraí-la do pecado para a santidade, é ao mesmo
tempo seu Advogado e Juiz. Desde o início do grande conflito no Céu, Satanás
tem mantido sua causa por meio de engano; e Cristo tem trabalhado no sentido
de lhe revelar as tramas, e derribar-lhe o poder. É Aquele que Se tem oposto ao
enganador e, no decorrer de todos os séculos, Se tem empenhado por arrebatar
os cativos de seu poder, que julgará cada pessoa.
E Deus "deu-Lhe poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem".
Como Ele tenha provado as próprias fezes do cálice da aflição e tentação
humanas, e compreenda as fragilidades e pecados dos homens; como tenha, em
nosso favor, resistido vitoriosamente às tentações de Satanás, e lidará justa e
ternamente com as almas para cuja salvação derramou o próprio sangue - o
Filho do homem é indicado para exercer o juízo. (DTN, 210; Atos 17: 24)


Esta vinda é também predita pelo profeta Malaquias: "De repente virá ao Seu
templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo do concerto, a quem vós desejais;
eis que vem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:1. A vinda do Senhor a Seu
templo foi súbita, inesperada, para Seu povo. Não O buscaram ali. Esperavam
que viesse à Terra, "como labareda de fogo, tomando vingança dos que não
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 20

conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho". II Tess. 1:8 (Cristo
em Seu Santuário, 98) (Ml 3: 1; Mat 11: 10; Mar 1: 2; Luc 1: 76; 7: 27.)


João 17: 23, 26; O Espírito do Pai estaria no Filho, e o espírito do Filho estaria
na humanidade. (João 10: 30) Pelo o Filho compartilhar do mesmo espírito do
Pai, são um em espírito. (João 6: 53 – 57). O Filho vive pelo o Pai, os homens
vivem pelo o Filho. (João 3: 34). Quem é enviado por Deus fala as palavras dele.
Ou seja Deus fala através de suas criaturas, especialmente pelo o Filho , que é o
conduto numero”01.” ( João 3: 35). O Pai confiou todas as coisas nas mãos do
Filho. (João 5: 25, 28 ). Os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. (João 5: 22,
27). O Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou. (Gen 18: 25; Jz 11: 27; João
9: 39; Atos 10: 42)


Apocalipse 1: 8; Ex 3: 14; 22: 13; Zac 14: 11; Isa 44: 6; 48: 12; Apoc 1: 17, 18.
(Apoc 1: 8; Ex. 3: 14; Apoc 1: 17; 21: 6; Isa 55: 1; Apoc 22: 13; Isa 44: 6; Apoc
4: 8; Ez 1: 18; 10: 12; Apoc 11: 17; 15: 3; 16: 7, 14; 19: 6, 15; 21: 22; Rom 9:
29; II Cor 6: 18; II Sam. 7: 14; I Cr. 17: 13 Heb. 1: 8)


“Eu Sou” (João 6: 20). O Alfa e o Omega. A primeira e a ultima letra do alfabeto
grego. É como se descêssemos de “A” a “Z”. A frase indica integridade,
plenitude, e tem o mesmo significado que o primeiro e o fim (João 21: 13). A
frase o “Alfa e o Omega” se refere a Cristo, que é evidente pelo o verso “16”. O
Pai e o Filho compartilham estes atributos eternos.


A DIVINDADE. A divindade ou Trindade consiste de três pessoas: o Pai eterno, o
Senhor Jesus Cristo, Filho do Pai eterno, o Espírito Santo (ver.com. Mat. 28:19;
João 1:1-2; 6:27;14:16-17,26; Atos.5:3-4;Efe.4:4-6;Heb.1:1-3,8;com.João1:1-3,14).
Há três pessoas viventes no trio celestial Cristo e o Pai são “um só em natureza, em
caráter e em propósitos” (PP, 34), porém não em pessoa (5T 182 ). O Espírito
Santo é uma pessoa assim como Deus é uma pessoa. Ver material suplementar de
EGW com. Rom.1:20-25, (5T 158; 537; 227)


Rom.1:20-25( Sl 19: 1-3; Atos 17: 22-29; I Cor 1: 21; Col 2: 9; Heb 1: 3) A
natureza é uma revelação imperfeita – A mais difícil e humilhante lição que o
homem deve aprender é sua própria incapacidade. Se depende da sabedoria
humana é seguro fracasso de seus próprios esforços para ler corretamente a
21 |   Apostila –Regeneração

natureza. O pecado tem escurecido sua visão e por si mesmo não pode
interpretar a natureza sem colocá-la acima de Deus. Não pode perceber Deus
nela e nem Jesus Cristo a que Ele tem enviado. Esta é a mesma situação em que
estiveram os atenienses que erigiam seus altares para o culto da natureza. Paulo
em pé no meio da areopaga, apresentou diante do povo de Atenas a majestade do
Deus vivente em contraste com o culto idolatra. [cita Atos 17: 22-29]


Os que têm um verdadeiro conhecimento de Deus não chegarão aproximar das
leis da matéria ou das funções da natureza até ao ponto de passar por alto ou
negar reconhecer a ação continua de Deus na natureza. A natureza não é Deus.
A voz da natureza testifica de Deus, porém a natureza não é Deus. Mas atua
criada por Ele, sensivelmente dá testemunho do poder de Deus. A divindade é a
autora da natureza. O mundo natural tem unicamente em si, o poder que Deus
lhe dá.


Há um Deus pessoal: O Pai; há um Cristo pessoal: O Filho [Heb 1: 1-2; Sl 19: 1-2]


Os antigos filósofos se orgulhavam de seu conhecimento superior. Olhemos
como compreendia isto o apóstolo inspirado. Professando ser sábios – diz Ele –
se fizeram néscios e trocaram a gloria do Deus incorruptível em semelhança de
homem corruptível, de aves de quadrúpedes, e de répteis.. trocaram a verdade de
Deus pela a mentira humana, honrando e dando culto a criaturas antes que o
Criador. O mundo não pode com sua sabedoria humana conhecer a Deus. Seus
sábios obtém um conhecimento imperfeito de Deus, que toma de suas obras
criadas e depois em suas necessidade exalta a natureza e as leis da natureza
acima do Deus da natureza. Os que não possuem um conhecimento de Deus pela
aceitação da revelação que Ele tem feito de Si mesmo em Cristo, obterão só um
conhecimento imperfeito dEle na natureza; este conhecimento esta longe de
fazer com que todo o ser esteja em conformidade com a vontade divina,
converterá aos homens em idolatras. Professando ser sábios, mas sendo néscios.


Ainda trabalharei ardentemente por vós. Eu vim ao mundo para Me revelar a vós
a fim de que pudésseis crer. Vou para o Meu Pai e o vosso Pai, para cooperar
com Ele em vosso benefício. (AA, 22; João 20: 17; Mat 25: 40; 12: 48 – 50)
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 22

Em Sua conversação de despedida com os discípulos, na noite anterior à
crucifixão, o Salvador não fez referência ao sofrimento que Ele havia suportado
e teria ainda de suportar. Não falou da humilhação que estava a sua frente, mas
buscou levar-lhes à mente o que lhes pudesse fortalecer a fé, levando-os a olhar
para a frente, à recompensa que espera o vencedor. Ele Se regozijava na certeza
de que poderia fazer por Seus seguidores mais do que havia prometido, e o faria;
de que dEle brotariam amor e compaixão que purificariam o templo da
alma e fariam os homens semelhantes a Ele no caráter; de que Sua verdade,
armada com o poder do Espírito, sairia vencendo e para vencer. (AA, 23)


Na transfiguração, Jesus foi glorificado pelo Pai. Ouvimo-Lo dizer: "Agora é
glorificado o Filho do homem, e Deus é glorificado nEle." João 13:31. Assim,
antes de ser traído, e crucificado, foi fortalecido para os últimos e terríveis
sofrimentos. Ao se aproximarem os membros do corpo de Cristo do período
de sua luta final, "o tempo da angústia de Jacó", crescerão em Cristo, e
partilharão grandemente de Seu espírito. À medida que a terceira mensagem
se avoluma e se torna alto clamor, e que a obra final é acompanhada de grande
poder e glória, o fiel povo de Deus participa dessa glória. É a chuva serôdia que
os vivifica e fortalece para passar pelo tempo de angústia. Seus rostos brilharão
com a glória daquela luz que acompanha a mensagem do terceiro anjo. (I TS, .
pág 131) IR PARA A “APOSTILA” O “SANTUÁRIO”


                Preparo Para Aproximar-se de Deus

O Senhor deu, então, a Moisés, orientações expressas no que concernia à
preparação do povo para Ele aproximar-Se deles, a fim de ouvirem o anúncio de
Sua lei, não por anjos, mas por Ele mesmo. "Disse também o Senhor a Moisés:
Vai ao povo, e santifica-os hoje e amanhã, e lavem eles os seus vestidos; e
estejam prontos para o terceiro dia: porquanto no terceiro dia o Senhor descerá
diante dos olhos de todo o povo sobre o monte de Sinai." Êxo. 19:10 e 11.
Foi requerido do povo abstenção de trabalhos e cuidados seculares, e que
tivessem pensamentos devocionais. Deus requereu também que lavassem suas
vestes. Ele não é menos minucioso agora do que foi então. Ele é um Deus de
ordem e requer que Seu povo sobre a Terra, hoje, observe hábitos de estrita
limpeza. Os que adoram a Deus com vestes maculadas e eles próprios
manchados não se apresentam diante dEle de modo aceitável. Ele não Se agrada
da sua falta de reverência, e não aceitará o culto de adoradores impuros, pois
23 |   Apostila –Regeneração

insultam o seu Autor. O Criador dos céus e da Terra considerou a limpeza tão
importante que disse: "Lavem eles os seus vestidos." Êxo. 19:10.


"Marcarás limites ao povo em redor, dizendo: Guardai-vos que não subais ao
monte nem toqueis o seu termo; todo aquele, que tocar no monte, certamente
morrerá. Nenhuma mão tocará nele: porque certamente será apedrejado ou
asseteado; quer seja animal, quer seja homem, não viverá; soando a buzina
longamente, então subirão ao monte." Êxo. 19:12 e 13. Essa ordem fora
designada para impressionar a mente desse povo rebelde com uma profunda
veneração a Deus, o autor e autoridade de suas leis.


                        A Manifestação de Deus

"E aconteceu ao terceiro dia, ao amanhecer, que houve trovões e relâmpagos
sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de
maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial." Êxo. 19:16. A
multidão de anjos que atendia à divina Majestade intimou o povo com um
som semelhante ao de trombeta, que cresceu estrepitosamente até que toda
a Terra tremeu.
"E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé
do monte. E todo o monte de Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele
em fogo: e o seu fumo subiu como fumo dum forno, e todo o monte tremia
grandemente." Êxo. 19:17 e 18. A Majestade divina descendo numa nuvem
com um glorioso cortejo de anjos aparecia como chamas de fogo.
"E o sonido da buzina ia crescendo em grande maneira: Moisés falava, e Deus
lhe respondia em voz alta. E descendo o Senhor sobre o monte de Sinai, sobre o
cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.
E disse o Senhor a Moisés: Desce, protesta ao povo que não trespasse o termo
para ver o Senhor, a fim de muitos deles não perecerem. E também os
sacerdotes, que se chegam ao Senhor, se hão de santificar, para que o Senhor não
se lance sobre eles." Êxo. 19:19-22. ( HR, 138 – 140)


Mat 24: 31. E ele enviará seus anjos, com grande canglor de trombeta, os quais
reunirão os seus escolhidos, dos quatros ventos, de uma a outra extremidade dos
céus.
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 24

(Mat 13: 41 -43; Isa 27: 13; Zac 9: 14; I Cor 15: 52; I Tes 4: 16; Apoc 8: 2; 10:
7; 11: 15; Dan 7: 14, 27)


Aflição daqueles dias, o Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz, e as estrelas
cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu, o
sinal do Filho do homem; e todas as tribos da Terra se lamentarão, e verão o
Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E Ele
enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os
Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos
céus." Mat. 24:29-31. (DTN, 632)


Veio-me novamente a ordem: "Olha." E olhei novamente, de maneira intensa,
sobre o mundo, e comecei a ver jatos de luz, semelhantes a estrelas que
salpicavam toda essa treva; e vi então outra e mais outra luz acrescentada, e
assim por toda essa negrura moral aumentavam as luzes quais estrelas. E o anjo
disse: "Estes são aqueles que crêem no Senhor Jesus Cristo, e Lhe estão
obedecendo as palavras. Esses são a luz do mundo; e, não fora por essas
luzes, os juízos de Deus cairiam imediatamente sobre os transgressores da lei de
Deus." Vi então esses pequeninos jatos de luz tornando-se mais brilhantes,
resplandecendo do leste e do oeste, do norte e do sul, e iluminando o mundo
inteiro. (I ME, 76)


Foram enviados anjos para ajudar o poderoso anjo do Céu, e ouvi vozes que
pareciam fazer ressoar em toda parte: "Sai dela, povo Meu, para que não
sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.
(HR, 399 e 400)


O anjo, o poderoso anjo do Céu, iluminará a Terra com Sua glória (Apoc.
18:1), enquanto ele exclama com potente voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia."
Apoc. 18:2. ... Perderíamos a fé e a coragem no conflito, se não fôssemos
amparados pelo poder de Deus. (III ME, 425)


O anjo que se une à terceira mensagem iluminará a Terra com sua glória.
Haverá muitos, mesmo nesses vales (no Norte da Itália), onde a obra parece
começar com tanta dificuldade, os quais reconhecerão a voz de Deus a lhes falar
por meio de Sua Palavra e, saindo da influência do clero, colocar-se-ão ao lado
25 |   Apostila –Regeneração

de Deus e da verdade. Não é um campo fácil de trabalhar, esse, nem é daqueles
que apresente resultados imediatos; há, porém, um povo sincero ali, o qual a seu
tempo obedecerá. Historical Sketches, pág. 249. (Evangelismo 424)

As profecias de Apocalipse dezoito logo se cumprirão. Durante a proclamação
da mensagem do terceiro anjo, "outro anjo" descerá "do Céu", tendo grande
poder, e a Terra se iluminará "com a sua glória". O Espírito do Senhor abençoará
tão graciosamente os consagrados instrumentos humanos, que homens, mulheres
e crianças abrirão os lábios em louvor e ações de graça, enchendo a Terra com o
conhecimento de Deus e com Sua insuperável glória, como as águas cobrem o
mar. (MM, Maranata o Senhor Logo Vem, 216)

O Salvador é apresentado perante João sob os símbolos do "Leão da tribo de
Judá", e de um "Cordeiro, como havendo sido morto". Apoc. 5:5 e 6. Esses
símbolos representam a união do onipotente poder e do amor que se sacrifica. O
Leão de Judá, tão terrível para os que rejeitam Sua graça, será o Cordeiro de
Deus para os obedientes e fiéis. A coluna de fogo que fala de terrores e
indignação para o transgressor da lei de Deus, é um sinal de luz, misericórdia e
livramento para os que guardaram os Seus mandamentos. O braço forte que
aniquila o rebelde será forte para libertar os fiéis. Todo o que for fiel será salvo.
"E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta... (AA, 589)

Mas naquele dia, bem como na ocasião da destruição de Jerusalém, livrar-se-á o
povo de Deus, "todo aquele que estiver inscrito entre os vivos". Isa. 4:3. Cristo
declarou que virá a segunda vez para reunir a Si os Seus fiéis: "E todas as tribos
da Terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do
céu, com poder e grande glória. E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor
de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de
uma a outra extremidade dos céus." Mat. 24:30 e 31. Então os que não
obedecem ao evangelho serão consumidos pelo espírito de Sua boca, e serão
destruídos com o esplendor de Sua vinda. (II Tess. 2:8.) Como o antigo Israel, os
ímpios destroem-se a si mesmos; caem pela sua iniqüidade. Em conseqüência de
uma vida de pecados, colocaram-se tão fora de harmonia com Deus, sua
natureza se tornou tão aviltada com o mal, que a manifestação da glória divina é
para eles um fogo consumidor. (GC, 37)

A Guilherme Miller e seus cooperadores coube a pregação desta advertência na
América do Norte. Este país se tornou o centro da grande obra do advento. Foi
aqui que a profecia da mensagem do primeiro anjo teve o cumprimento mais
A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 26

direto. Os escritos de Miller e seus companheiros foram levados a países
distantes. Em todo o mundo, onde quer que houvessem "Temei a Deus, e dai-
Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo." ( GC, penetrando missionários,
para ali se enviaram as alegres novas da breve volta de Cristo. Por toda parte se
propagou a mensagem do evangelho eterno: 322)


No tempo de prova que está perante nós, a divina promessa de segurança
cumprir-se-á nos que guardaram a palavra da Sua paciência. Cristo dirá aos que
Lhe forem fiéis: "Vai pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas
portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira." Isa. 26:20.
O Leão de Judá, tão terrível com os que Lhe rejeitam a graça, será o Cordeiro de
Deus para os obedientes e fiéis. A coluna de nuvem, que representa ira e terror
para o transgressor da lei de Deus, é luz e misericórdia e livramento para os que
tenham guardado os Seus mandamentos. O braço enérgico para ferir os rebeldes,
será forte para libertar os leais. Todos quantos forem fiéis serão ajuntados. "E
Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os
Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus."
Mat. 24:31. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 11.


Mas naquele dia, bem como na ocasião da destruição de Jerusalém, livrar-se-á o
povo de Deus, "todo aquele que estiver inscrito entre os vivos". Isa. 4:3. Cristo
declarou que virá a segunda vez para reunir a Si os Seus fiéis: "E todas as tribos
da Terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do
céu, com poder e grande glória. E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor
de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos,
de uma a outra extremidade dos céus." Mat. 24:30 e 31. Então os que não
obedecem ao evangelho serão consumidos pelo espírito de Sua boca, e serão
destruídos com o esplendor de Sua vinda. (II Tess. 2:8.) Como o antigo Israel, os
ímpios destroem-se a si mesmos; caem pela sua iniqüidade. Em conseqüência de
uma vida de pecados, colocaram-se tão fora de harmonia com Deus, sua
natureza se tornou tão aviltada com o mal, que a manifestação da glória divina é
para eles um fogo consumidor. (GC, 37)


Ainda há muita luz a irromper da lei de Deus e do evangelho da justiça. Esta
mensagem, compreendida, em seu verdadeiro caráter e proclamada no Espírito,
iluminará a Terra com sua glória. A grande questão decisiva deve ser
apresentada a todas as nações, línguas e povos. A obra final da mensagem do
27 |   Apostila –Regeneração

terceiro anjo será acompanhada de um poder que enviará os raios do Sol da
justiça a todos os caminhos e atalhos da vida, e serão tomadas decisões para
Deus como Governante supremo; Sua lei será considerada a norma de Seu
governo. (MM, Este Dia com Deus, 312)

A chuva serôdia há de cair sobre o povo de Deus. Um poderoso anjo descerá
do Céu, e toda a Terra se iluminará com a Sua glória. Estamos preparados
para tomar parte na gloriosa obra do terceiro anjo? Estão os nossos vasos
preparados para receber o orvalho celestial? Temos alguma contaminação e
pecado no coração? Se é assim, purifiquemos o templo da alma e preparemo-
nos para os aguaceiros da chuva serôdia. O refrigério pela presença do Senhor
nunca virá a corações cheios de impureza. Que Deus nos ajude a morrer para o
próprio eu, para que Cristo, a esperança da glória, seja formado interiormente!
(MM, RP. 295)

O último grande conflito está diante de nós, mas virá ajuda para todos os que
amam a Deus e obedecem a Sua lei, e a Terra, a Terra toda, será iluminada
com a glória de Deus. "Outro anjo" descerá do Céu. Este anjo representa o
alto clamor, o qual procederá dos que estão-se preparando para clamar
poderosamente, com forte voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou
morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de
todo gênero de ave imunda e detestável." Apoc. 18:1 e 2. (V, Sobre Cristo e as
Doutrinas, 303)

Mat 24: 32. Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já seus ramos se
renovam e as folhas brotam, sabeis que esta próximo o verão.

As cidades ímpias do nosso mundo serão varridas pela vassoura da destruição.
Nas calamidades que agora atingem edifícios imensos e grandes distritos das
cidades, Deus nos está mostrando o que irá acontecer em toda a Terra. Ele nos
disse: "Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se
tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente,
quando virdes todas essas coisas, sabei que Ele [Cristo] está próximo, às portas."
Mat. 24:32 e 33. Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 112-115.


Mat 24: 33, Tiago 5: 9; Sl 94: 2;
15. regeneração

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As batalhas espirituais finais - parte 8
As batalhas espirituais finais  - parte 8As batalhas espirituais finais  - parte 8
As batalhas espirituais finais - parte 8Silvio Dutra
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Sergio Schmidt
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais altapohlos
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevaspohlos
 
Simpósio Intercessão parte 2
Simpósio Intercessão parte 2Simpósio Intercessão parte 2
Simpósio Intercessão parte 2Jana Franpe
 
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John Owen
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John OwenTratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John Owen
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John OwenSilvio Dutra
 
A doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação LimitadaA doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação LimitadaViva a Igreja
 
Dons e talentos usados para a gloria de deus
Dons e talentos usados para a gloria de deusDons e talentos usados para a gloria de deus
Dons e talentos usados para a gloria de deusTiago Silveira
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalhapohlos
 
Dons do espirito santo
Dons do espirito santoDons do espirito santo
Dons do espirito santoWebExecutivo1
 
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não CristãosOrdineGesu
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2 Cassio Felipe
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisPaulo Kuke
 
“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão
“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão
“O dever de orar sempre” - O Ministério da IntercessãoJUERP
 
Só se vê a deus com santificação - livro
Só se vê a deus com santificação - livroSó se vê a deus com santificação - livro
Só se vê a deus com santificação - livroSilvio Dutra
 
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)Instituto Teológico Gamaliel
 

Mais procurados (19)

As batalhas espirituais finais - parte 8
As batalhas espirituais finais  - parte 8As batalhas espirituais finais  - parte 8
As batalhas espirituais finais - parte 8
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina
 
55. a norma mais alta
55. a norma mais alta55. a norma mais alta
55. a norma mais alta
 
03 santificação
03 santificação03 santificação
03 santificação
 
54. o poder das trevas
54. o poder das trevas54. o poder das trevas
54. o poder das trevas
 
Simpósio Intercessão parte 2
Simpósio Intercessão parte 2Simpósio Intercessão parte 2
Simpósio Intercessão parte 2
 
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John Owen
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John OwenTratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John Owen
Tratado Sobre o Espirito Santo – livro II - John Owen
 
A doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação LimitadaA doutrina da Expiação Limitada
A doutrina da Expiação Limitada
 
Erga se
Erga seErga se
Erga se
 
Dons e talentos usados para a gloria de deus
Dons e talentos usados para a gloria de deusDons e talentos usados para a gloria de deus
Dons e talentos usados para a gloria de deus
 
09. como deus trabalha
09. como deus trabalha09. como deus trabalha
09. como deus trabalha
 
Intercessão
Intercessão Intercessão
Intercessão
 
Dons do espirito santo
Dons do espirito santoDons do espirito santo
Dons do espirito santo
 
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
033c - A conversão de todos os homens é já no Destino dos Não Cristãos
 
Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2  Módulo serviço – apostila 2
Módulo serviço – apostila 2
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão
“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão
“O dever de orar sempre” - O Ministério da Intercessão
 
Só se vê a deus com santificação - livro
Só se vê a deus com santificação - livroSó se vê a deus com santificação - livro
Só se vê a deus com santificação - livro
 
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)
Institutogamaliel.com eleição e predestinação na pré-ciência (1)
 

Destaque

Julianbeever Dibujosenlaacera
Julianbeever DibujosenlaaceraJulianbeever Dibujosenlaacera
Julianbeever DibujosenlaaceraRicken7
 
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - Iniciados
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - IniciadosCaderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - Iniciados
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - IniciadosNuno Vieira
 
Ex0901611 Portos Brasil Final
Ex0901611 Portos Brasil FinalEx0901611 Portos Brasil Final
Ex0901611 Portos Brasil FinalInformaGroup
 
Planetas ss guião
Planetas ss guiãoPlanetas ss guião
Planetas ss guiãoTânia Reis
 

Destaque (9)

25a miguel monteiro (1)
25a miguel monteiro (1)25a miguel monteiro (1)
25a miguel monteiro (1)
 
Julianbeever Dibujosenlaacera
Julianbeever DibujosenlaaceraJulianbeever Dibujosenlaacera
Julianbeever Dibujosenlaacera
 
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - Iniciados
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - IniciadosCaderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - Iniciados
Caderno Campeonato Regional Inter Clubes Futsal - Iniciados
 
Compre um cao
Compre um caoCompre um cao
Compre um cao
 
Ex0901611 Portos Brasil Final
Ex0901611 Portos Brasil FinalEx0901611 Portos Brasil Final
Ex0901611 Portos Brasil Final
 
Polinomios
PolinomiosPolinomios
Polinomios
 
Planetas ss guião
Planetas ss guiãoPlanetas ss guião
Planetas ss guião
 
Alimentação
Alimentação Alimentação
Alimentação
 
Modals 2
Modals 2Modals 2
Modals 2
 

Semelhante a 15. regeneração

Tema 1 a responsabilidade do cristão no mundo
Tema 1   a responsabilidade do cristão no mundoTema 1   a responsabilidade do cristão no mundo
Tema 1 a responsabilidade do cristão no mundoJoao Rumpel
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoEduardo Sousa Gomes
 
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John Owen
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John OwenTratado sobre o Espírito Santo -livro III - John Owen
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John OwenSilvio Dutra
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalhopohlos
 
Crescimento em Cristo_632014_GGR
Crescimento em Cristo_632014_GGRCrescimento em Cristo_632014_GGR
Crescimento em Cristo_632014_GGRGerson G. Ramos
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Silvio Dutra
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosiasdvilaveronica
 
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptx
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptxJUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptx
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptxMartin M Flynn
 
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus Cristo
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus CristoLição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus Cristo
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus CristoÉder Tomé
 
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.Gerson G. Ramos
 
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIANatalino das Neves Neves
 
40 reavivamento verdadeiro completo
40   reavivamento verdadeiro completo40   reavivamento verdadeiro completo
40 reavivamento verdadeiro completoDivanilson Cardoso
 
FOCO2014 - O Que É A Vida Cristã
FOCO2014 - O Que É A Vida CristãFOCO2014 - O Que É A Vida Cristã
FOCO2014 - O Que É A Vida Cristãibmalphaville
 
Exortações do santuário_Resumo_1342013
Exortações do santuário_Resumo_1342013Exortações do santuário_Resumo_1342013
Exortações do santuário_Resumo_1342013Gerson G. Ramos
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRGerson G. Ramos
 
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Gerson G. Ramos
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povopohlos
 
Deus requer santificação aos cristãos 9
Deus requer santificação aos cristãos 9Deus requer santificação aos cristãos 9
Deus requer santificação aos cristãos 9Silvio Dutra
 

Semelhante a 15. regeneração (20)

Tema 1 a responsabilidade do cristão no mundo
Tema 1   a responsabilidade do cristão no mundoTema 1   a responsabilidade do cristão no mundo
Tema 1 a responsabilidade do cristão no mundo
 
Aplicação da redenção
Aplicação da redençãoAplicação da redenção
Aplicação da redenção
 
A razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismoA razão da existência do adventismo
A razão da existência do adventismo
 
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John Owen
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John OwenTratado sobre o Espírito Santo -livro III - John Owen
Tratado sobre o Espírito Santo -livro III - John Owen
 
16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho16. como aceita nosso trabalho
16. como aceita nosso trabalho
 
Crescimento em Cristo_632014_GGR
Crescimento em Cristo_632014_GGRCrescimento em Cristo_632014_GGR
Crescimento em Cristo_632014_GGR
 
Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36Deus requer santificação aos cristãos 36
Deus requer santificação aos cristãos 36
 
Reavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultadosReavivamento e seus resultados
Reavivamento e seus resultados
 
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptx
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptxJUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptx
JUSTIFICAÇÃO E GRAÇA.pptx
 
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus Cristo
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus CristoLição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus Cristo
Lição 9 - A Salvação Ofertada por Jesus Cristo
 
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.
Rituais e cerimônias da igreja_Resumo_Liç_942012_Esc_Sab.
 
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
 
40 reavivamento verdadeiro completo
40   reavivamento verdadeiro completo40   reavivamento verdadeiro completo
40 reavivamento verdadeiro completo
 
FOCO2014 - O Que É A Vida Cristã
FOCO2014 - O Que É A Vida CristãFOCO2014 - O Que É A Vida Cristã
FOCO2014 - O Que É A Vida Cristã
 
Exortações do santuário_Resumo_1342013
Exortações do santuário_Resumo_1342013Exortações do santuário_Resumo_1342013
Exortações do santuário_Resumo_1342013
 
Deus criador dos céus e da terra
Deus   criador dos céus e da terraDeus   criador dos céus e da terra
Deus criador dos céus e da terra
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
Reforma: consequência do reavivamento_resumo_932013
 
13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo13. o chamado de um povo
13. o chamado de um povo
 
Deus requer santificação aos cristãos 9
Deus requer santificação aos cristãos 9Deus requer santificação aos cristãos 9
Deus requer santificação aos cristãos 9
 

Mais de pohlos

53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitaspohlos
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outrospohlos
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíbliapohlos
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfapohlos
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidadepohlos
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastorpohlos
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de frutopohlos
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundopohlos
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagempohlos
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 milpohlos
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oraçãopohlos
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independentepohlos
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja ipohlos
 
40. trono
40. trono40. trono
40. tronopohlos
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismopohlos
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduraspohlos
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossapohlos
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1pohlos
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outrospohlos
 
32. falsa piedade
32. falsa piedade32. falsa piedade
32. falsa piedadepohlos
 

Mais de pohlos (20)

53. vans suspeitas
53. vans suspeitas53. vans suspeitas
53. vans suspeitas
 
51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros51. devemos amar uns aos outros
51. devemos amar uns aos outros
 
50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia50. enigmas da bíblia
50. enigmas da bíblia
 
49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa49. o ômega e o alfa
49. o ômega e o alfa
 
48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade48. o amor à comodidade
48. o amor à comodidade
 
47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor47. a obrar do pastor
47. a obrar do pastor
 
46. árvore de fruto
46. árvore de fruto46. árvore de fruto
46. árvore de fruto
 
45. a luz do mundo
45. a luz do mundo45. a luz do mundo
45. a luz do mundo
 
44. linguagem
44. linguagem44. linguagem
44. linguagem
 
43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil43. o selamento dos 144 mil
43. o selamento dos 144 mil
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
41. estudo independente
41. estudo independente41. estudo independente
41. estudo independente
 
39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i39. a condição da igreja i
39. a condição da igreja i
 
40. trono
40. trono40. trono
40. trono
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
 
37. verduras
37. verduras37. verduras
37. verduras
 
35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa35. senhor justiça nossa
35. senhor justiça nossa
 
34. apocalipse 1
34. apocalipse 134. apocalipse 1
34. apocalipse 1
 
33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros33. amai vos uns aos outros
33. amai vos uns aos outros
 
32. falsa piedade
32. falsa piedade32. falsa piedade
32. falsa piedade
 

Último

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (8)

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 

15. regeneração

  • 1.
  • 2. 1| Apostila –Regeneração REGENERAÇÃO Todos os que quiserem entrar na cidade de Deus têm que, durante sua vida terrestre, representar a Cristo em seu procedimento. Isto é o que os torna mensageiros de Cristo, Suas testemunhas. Devem apresentar um claro, positivo testemunho contra todas as más práticas, apontando aos pecadores o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. A todos os que O recebem, dá Ele poder para tornarem-se filhos de Deus. A regeneração é o único caminho pelo qual podemos entrar na cidade de Deus. É apertado, e estreita a porta pela qual ali se entra, mas para ela devemos guiar homens, mulheres e crianças, ensinando-lhes que para serem salvos precisam de coração novo e novo espírito. Os velhos, hereditários traços de caráter têm que ser vencidos. Os desejos naturais da alma têm que transformar-se. Todo engano, toda falsidade, toda maledicência têm que ser postos de lado. A vida nova, que torna semelhantes a Cristo homens e mulheres, é que deve ser vivida. (MM, Exaltai-O, 366) Esforço físico e poder moral devem estar unidos em nossos esforços para regeneração e reforma. Devemos procurar adquirir conhecimento tanto no campo temporal como no espiritual, a fim de podermos comunicá-lo a outros. Devemos procurar viver o evangelho em todos os seus ângulos, a fim de que suas bênçãos temporais e espirituais sejam sentidas ao redor de nós. Testimonies, vol. 6, pág. 189. Realizam-se muitos esforços, gastam-se tempo, dinheiro e trabalho em proporções quase ilimitadas, em empresas e instituições destinadas à regeneração das vítimas dos maus hábitos. E ainda assim todos esses esforços se tornam insuficientes para enfrentar tão grandes necessidades. Quão insignificantes são os resultados! Quão poucos os que se regeneram para sempre! (CBV, 351) Apresento-vos o grande, o grandioso monumento de misericórdia e regeneração, salvação e redenção - o Filho de Deus levantado na cruz do Calvário. Este deve ser o assunto de todo discurso. Cristo declara: "E Eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a Mim." João 12:32. Manuscrito 70, 1901. (MM, Cuidado de Deus, 37)
  • 3. A p o s t i l a – R ege n er aç ão |2 Nicodemos fora ter com o Senhor pensando em entrar com Ele em discussão, mas Jesus expôs-lhe os princípios fundamentais da verdade. Disse a Nicodemos: Não é tanto de conhecimento teórico que precisas, mas de regeneração espiritual. Não necessitas satisfazer tua curiosidade, mas ter um novo coração. É mister que recebas nova vida de cima, antes de te ser possível apreciar as coisas celestiais. Antes que se verifique essa mudança, tornando novas todas as coisas, nenhum salvador proveito tem para ti o discutir comigo Minha autoridade ou missão. (DTN 171) Não havia escusa para a cegueira de Israel quanto à obra da regeneração. Pela inspiração do Espírito Santo, escrevera Isaías: "Todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapos de imundícia". Isa. 64:6. Davi suplicara: "Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto". Sal. 51:10. E, por meio de Ezequiel, fora dada a promessa: "E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o Meu Espírito, e farei que andeis nos Meus estatutos, e guardeis os Meus juízos, e os observeis". Ezeq. 36:26 e 27. (DTN, 174) Descrevendo aos discípulos a obra oficial do Espírito Santo, Jesus procurou inspirar-lhes a alegria e esperança que Lhe animavam o próprio coração. Regozijava-Se Ele pelas abundantes medidas que providenciara para auxílio de Sua igreja. O Espírito Santo era o mais alto dos dons que Ele podia solicitar do Pai para exaltação de Seu povo. Ia ser dado como agente de regeneração, sem o qual o sacrifício de Cristo de nenhum proveito teria sido. O poder do mal se estivera fortalecendo por séculos, e alarmante era a submissão dos homens a esse cativeiro satânico. Ao pecado só se poderia resistir e vencer por meio da poderosa operação da terceira pessoa da Trindade, a qual viria, não com energia modificada, mas na plenitude do divino poder. É o Espírito que torna eficaz o que foi realizado pelo Redentor do mundo. É por meio do Espírito que o coração é purificado. Por Ele torna-se o crente participante da natureza divina. Cristo deu Seu Espírito como um poder divino para vencer toda tendência hereditária e cultivada para o mal, e gravar Seu próprio caráter em Sua igreja. (DTN, 671) Cristo veio para demonstrar o valor dos princípios divinos, revelando o seu poder na regeneração da humanidade. Veio para ensinar como estes princípios devem ser desenvolvidos e aplicados. (ED, 77)
  • 4. 3| Apostila –Regeneração O sacrifício de Cristo como expiação pelo pecado, é a grande verdade em torno da qual se agrupam as outras. A fim de ser devidamente compreendida e apreciada, toda verdade da Palavra de Deus, de Gênesis a Apocalipse, precisa ser estudada à luz que dimana da cruz do Calvário. Apresento perante vós o grande, magno monumento de misericórdia e regeneração, salvação e redenção - o Filho de Deus erguido na cruz. Isto tem de ser o fundamento de todo discurso feito por nossos pastores. (Obreiros Evangélicos, pág. 315.) Ouvimos serem pregadas tantas coisas a respeito da conversão da pessoa que não são verdade. Os homens são ensinados a pensar que se alguém se arrepende, será perdoado, supondo que o arrependimento é o caminho e a porta para o Céu; que há no arrependimento certo valor garantido que compre o perdão para ele. Pode o homem arrepender-se por si mesmo? Não mais do que pode perdoar a si próprio. Lágrimas, suspiros, resoluções - tudo isso constitui apenas o apropriado exercício das faculdades que Deus concede ao homem e o ato de afastar-se do pecado na regeneração de uma vida que é de Deus. Onde está o mérito do homem para ganhar sua salvação ou para colocar diante de Deus algo que seja valioso e excelente? Pode uma oferta de dinheiro, casas, terras, colocar- vos na lista do merecimento? Impossível! (Fé e Obras, 25) "Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Ora àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. Mas àquele que não pratica, mas crê nAquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." Rom. 4:3-5. justiça é obediência à lei. A lei requer justiça, e esta o pecador deve à lei; mas é ele incapaz de a apresentar. A única maneira em que pode alcançar a justiça é pela fé. Pela fé pode ele apresentar a Deus os méritos de Cristo, e o Senhor lança a obediência de Seu Filho a crédito do pecador. A justiça de Cristo é aceita em lugar do fracasso do homem, e Deus recebe, perdoa, justifica a pessoa arrependida e crente, trata-a como se fosse justa, e ama-a tal qual ama Seu Filho. Assim é que a fé é imputada como justiça; e a pessoa perdoada avança de graça em graça, de uma luz para luz maior. Pode dizer, alegremente: "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a Sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente Ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados pela Sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna." Tito 3:5-7. (Fé e Obras, 101)
  • 5. A p o s t i l a – R ege n er aç ão |4 Cristo como a Cabeça da humanidade devia dar os mesmos passos que devíamos dar. Se bem que não tivesse pecado, foi Ele nosso exemplo em satisfazer todas as exigências para a redenção da humanidade. Ele carregou os pecados de todo o mundo. Seu batismo devia abranger todo o mundo pecaminoso, o qual pelo arrependimento e fé seria perdoado. "Mas quando apareceu a benignidade e caridade de Deus, nosso Salvador, para com os homens; não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a Sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo; que abundantemente Ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; para que, sendo justificados pela Sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. Fiel é a palavra e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens." Tito 3:4-8. O homem foi de novo trazido ao favor de Deus pela lavagem da regeneração. A lavagem foi o sepultamento com Cristo nas águas à semelhança de Sua morte, representando que todos os que se arrependem de terem transgredido a lei de Deus recebem a purificação e a limpeza pela atuação do Espírito Santo. O batismo representa a verdadeira conversão pela transformação do Espírito Santo. Manuscrito 57, 1900. (Fé Pela a Qual Eu Vivo, 143) Nessa visita Farel reconheceu a mão de Deus. Posto que Genebra houvesse aceitado a fé reformada, precisava ainda ser ali efetuada uma grande obra. Não é em grupos mas como indivíduos que os homens se convertem a Deus. A obra de regeneração deve ser realizada no coração e consciência, pelo poder do Espírito Santo, e não pelos decretos dos concílios. Ao passo que o povo de Genebra repelia a autoridade de Roma, não se mostrava tão pronto para renunciar aos vícios que haviam florescido sob o seu domínio. Estabelecer ali os puros princípios do evangelho, e preparar esse povo para preencher dignamente a posição a que a Providência parecia chamá-los, não era fácil tarefa. (GC, 233) Uma vez mais, diante da grande destruição do mundo pelo fogo, há concessão de um período de prova e teste. Os homens têm oportunidade de revelar se serão ou não leais a Deus. Satanás está buscando levar homens em posições de confiança a buscar a regeneração do mundo mediante planos de sua própria imaginação. Tais homens desejam ser reformadores, mas falham porque não operam nas linhas de Cristo. Poderão reformar a outros, quando não podem reformar-se a si próprios? ... (MM, Olhando para o alto, 82)
  • 6. 5| Apostila –Regeneração "Aquele que não nascer de novo não pode ver o reino de Deus." João 3:3. Conjeturará e imaginará, mas sem os olhos da fé, não pode ver o tesouro. Cristo deu a Sua vida para nos assegurar esse tesouro inestimável; porém sem regeneração pela fé em Seu sangue, não há remissão de pecados, nem tesouro para alguém prestes a perecer. (PJ, 113) ATENÇÃO! A resposta do Salvador comoveu o coração daqueles pescadores galileus. Cristo mencionou honras que ultrapassavam seus mais altos sonhos. "Em verdade vos digo que vós, que Me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do Homem Se assentar no trono da Sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel."(Mat. 19:28; Tito, 3: 15) E acrescentou: "Ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de Mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições, e, no século futuro, a vida eterna." Mar. 10:29 e 30. (PJ, 395) Mat. 25: 31; Luc 22:28-30; Apoc 3: 21; 4: 4; 20: 4) "E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança." Col. 3:23 e 24. "E eis que cedo venho, e o Meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a sua obra." Apoc. 22:12. O caráter humano é depravado, deformado pelo pecado e muito diferente do caráter do primeiro homem, quando acabou de ser formado pelas mãos do Criador. Jesus quer tirar a deformidade e o pecado das pessoas, e dar-lhes, em troca, a beleza e a excelência de Seu próprio caráter. Ele Se empenha em renovar a alma pela verdade. O erro não pode realizar essa obra de regeneração; precisamos ter, portanto, boa visão espiritual para discernir entre a verdade e a falsidade, e para não cair na cilada do inimigo. Review and Herald, 24 de novembro de 1885. (MM, RP, 57) O Espírito é dado como agente de regeneração, para tornar eficaz a salvação operada pela morte de nosso Redentor. O Espírito está constantemente
  • 7. A p o s t i l a – R ege n er aç ão |6 buscando atrair a atenção dos homens para a grande oferta feita na cruz do Calvário, a fim de desvendar ao mundo o amor de Deus, e abrir às almas convictas as preciosidades das Escrituras. (Atos dos Apóstolos, págs. 51 e 52.) "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas; porque Eu vou para Meu Pai." João 14:12. Não queria Cristo dizer com isto que os discípulos fariam maiores esforços do que os que Ele havia feito, mas que sua obra teria maior amplitude. Ele não Se referiu meramente à operação de milagres, mas a tudo quanto iria acontecer sob a influência do Espírito Santo. "Mas, quando vier o Consolador", disse Ele, "que Eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade que procede do Pai, Ele testificará de Mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio." João 15:26 e 27. (Atos dos Apóstolos, 22) Devemos orar pela descida do Espírito Santo com tanto fervor quanto os discípulos oraram no dia do Pentecoste. Se dEle necessitaram naquele tempo, muito mais necessitamos nós agora. Trevas morais, como uma mortalha cobrem a Terra. Toda espécie de falsas doutrinas, heresias e enganos satânicos estão desviando a mente dos homens. Sem o Espírito e o poder de Deus será em vão trabalharmos para apresentar a verdade. Testimonies, vol. 5, pág. 158. (Colp. Evang. 104/105) A luz resplandece das páginas sagradas em raios claros e gloriosos, mostrando- nos a Deus, o Deus vivo, segundo é representado nas leis de Seu governo, na criação do mundo, nos céus adornados por Ele. Seu poder deve ser reconhecido como o único meio de remir o mundo de superstições degradantes que são tão desonrosas para Deus e o homem. Todo estudante da Bíblia que não somente se familiariza com a verdade revelada mediante a educação do intelecto, mas também por meio de seu poder transformador sobre o coração e o caráter, representará o caráter de Deus a nosso mundo numa vida bem regulada e pela conversação piedosa. A exposição da Palavra esclarece. A mente se expande, e é elevada e purificada. Muitos, porém, têm seguido um modo de ação incompatível com o conhecimento da verdade e a maravilhosa luz pela descida do Espírito Santo de maneira tão acentuada sobre os corações em Battle Creek. Grande pecado e perda resultaram da negligência de andar na luz do Céu. (FEC, 377/378)
  • 8. 7| Apostila –Regeneração Quando a verdade for vivida em sua simplicidade em toda parte, Deus atuará por meio de Seus anjos, assim como atuou no dia de Pentecoste, e corações serão transformados de forma que haja uma manifestação da influência da verdade genuína, como é representada na descida do Espírito Santo. Special Testimonies for the Church, Série B, n° 7, pág. 64. (MM, Maravilhosa Graça, 58) O Espírito Santo desceria sobre aqueles que neste mundo amavam a Cristo. Deste modo eles seriam habilitados, na glorificação de sua Cabeça e por intermédio dEle, a receber toda dotação necessária para o cumprimento de sua missão. O Doador da vida tinha em mãos não somente as chaves da morte, mas todo um Céu de ricas bênçãos. Foi-Lhe dado todo o poder no Céu e na Terra, e, tendo assumido Sua posição nas cortes celestiais, Ele poderia conferir essas bênçãos a todos os que O recebessem. (MM, Cuidado de Deus, 284) O Espírito de Deus está impressionando o coração dos homens, e os que são sensíveis a Sua influência tornar-se-ão luzes no mundo. Em toda parte, eles são vistos saindo para comunicar a outros a luz que receberam, como sucedeu após a descida do Espírito Santo no dia de Pentecoste. E ao deixarem sua luz brilhar, recebem mais e mais do poder do Espírito. A Terra é iluminada com a glória de Deus. (MM, RP, 309) "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em Mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores do que estas; porque Eu vou para Meu Pai." João 14:12. Não queria Cristo dizer com isto que os discípulos fariam maiores esforços do que os que Ele havia feito, mas que sua obra teria maior amplitude. Ele não Se referiu meramente à operação de milagres, mas a tudo quanto iria acontecer sob a influência do Espírito Santo. "Mas, quando vier o Consolador", disse Ele, "que Eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade que procede do Pai, Ele testificará de Mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio." João 15:26 e 27. (AA, 22) Esta vinda é também predita pelo profeta Malaquias: "De repente virá ao Seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo do concerto, a quem vós desejais; eis que vem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:1. A vinda do Senhor a Seu templo foi súbita, inesperada, para Seu povo. Não O buscaram ali. Esperavam que viesse à Terra, "como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho". II Tess. 1:8.
  • 9. A p o s t i l a – R ege n er aç ão |8 O povo, porém, ainda não estava preparado para encontrar-se com o Senhor. Havia ainda uma obra de preparo a ser por eles cumprida. Ser-lhes-ia proporcionada luz, dirigindo-lhes a mente ao templo de Deus, no Céu; e, ao seguirem eles, pela fé, ao Sumo Sacerdote em Seu ministério ali, novos deveres seriam revelados. Outra mensagem de advertência e instrução deveria dar-se à igreja. (Cristo em Seu Santuário, 98) Quando ela se houver realizado, os seguidores de Cristo estarão prontos para o Seu aparecimento. "E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor, como nos dias antigos, e como nos primeiros anos." Mal. 3:4. Então a igreja que nosso Senhor deve receber para Si, à Sua vinda, será "igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante". Efés. 5:27. Então ela aparecerá "como a alva do dia, formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras". Cant. 6:10. (Cristo em Seu Santuário, 99) Diz o profeta: "Quem suportará o dia da Sua vinda? E quem subsistirá quando Ele aparecer? Porque Ele será como o fogo dos ourives e como o sabão dos lavandeiros. E assentar-Se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi, e os afinará como ouro e como prata: então ao Senhor trarão ofertas em justiça." Mal. 3:2 e 3. Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal. Enquanto o juízo investigativo prosseguir no Céu, enquanto os pecados dos crentes arrependidos estão sendo removidos do santuário, deve haver uma obra especial de purificação, ou de afastamento de pecado, entre o povo de Deus na Terra. Esta obra é mais claramente apresentada nas mensagens do capítulo 14 de Apocalipse. (GC, 425) Além da vinda do Senhor a Seu templo, Malaquias também prediz o segundo advento, Sua vinda para a execução do juízo, nestas palavras: "E chegar-Me-ei a vós para juízo, serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o jornaleiro, e pervertem o direito da viúva, e do órfão, e do estrangeiro, e não Me temem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:5. À mesma
  • 10. 9| Apostila –Regeneração cena se refere Judas quando diz: "Eis que é vindo o Senhor com milhares de Seus santos; para fazer juízo contra todos, e condenar dentre eles todos os ímpios por todas as suas obras de impiedade." Jud. 14 e 15. Esta vinda, e a vinda do Senhor ao Seu templo, são acontecimentos distintos e separados. (GC, 424 – 426; Apoc 11: 19) A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em Daniel 7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são descrições do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela vinda do esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez virgens, de Mateus 25. (GC, 426) A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém foi um imperfeito símbolo da Sua vinda nas nuvens do céu com poder e glória, por entre as aclamações dos anjos e o regozijo dos santos. Então, cumprir-se-ão as palavras de Cristo aos fariseus: "Desde agora Me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor." Mat. 23:39. Em visão profética, foi mostrado a Zacarias aquele dia de triunfo final; e ele viu também a condenação dos que, no primeiro advento, rejeitaram a Cristo: "E olharão para Mim, a quem traspassaram; e O prantearão como quem pranteia por um unigênito; e chorarão amargamente por Ele, como se chora amargamente pelo primogênito." Zac. 12:10. Esta cena anteviu Cristo quando contemplou a cidade e chorou sobre ela. Na ruína temporal de Jerusalém viu Ele a final destruição daquele povo que era culpado do sangue do Filho de Deus. (DTN, 580) Os discípulos de Cristo esperavam a vinda imediata do reino de Sua glória; mas ao dar-lhes esta oração Jesus ensinou que o reino não devia ser então estabelecido. Deviam orar por sua vinda como acontecimento ainda no futuro. Mas essa petição era-lhes também uma certeza. Conquanto não devessem esperar a vinda do reino em seus dias, o fato de haver Jesus recomendado que por ela orassem, constitui prova de que certamente virá no tempo designado por Deus. (MM, Maravilhosa Graça, 345) Sua Igreja deve ser um templo construído segundo a semelhança divina, e o anjo arquiteto trouxe do Céu a sua vara de ouro para medir, a fim de que cada
  • 11. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 10 pedra seja lavrada e ajustada pela medida divina, e polida para brilhar como um emblema do Céu irradiando em todas as direções os refulgentes e luminosos raios do Sol da Justiça. A Igreja há de ser alimentada com o maná do Céu e guardada unicamente sob a proteção de Sua graça. Vestida com a completa armadura de luz e justiça ela entra em seu conflito final. A escória, material imprestável, será consumida, e a influência da verdade testifica ao mundo de seu caráter santificador e enobrecedor. (Igreja Remanescente, 14)[Apoc 11: 19.] A obra do Santo Espírito é incomensuravelmente grande. É dessa fonte que vêm poder e eficiência ao obreiro de Deus; e o Espírito Santo é o Consolador, como a presença pessoal de Cristo no ser. Toda pessoa que olha para Cristo com fé singela e infantil é feito participante da natureza divina mediante a atuação do Espírito Santo. Quando guiados pelo Espírito de Deus, os cristãos podem saber que são feitos completos nAquele que é o cabeça de todas as coisas. Assim como Cristo foi glorificado no dia de Pentecostes, assim será novamente glorificado no encerramento da obra do evangelho, quando Ele preparar um povo para suportar a prova final na última batalha do grande conflito. ... (MM, CT, 364; Gal 4: 19, 20) Seja onde for que eles tenham sido fracos, a ponto mesmo de cair, o Israel de Deus hoje, os representantes do Céu que constituem a verdadeira igreja de Cristo, devem ser fortes, pois para eles é transferido o encargo de concluir a obra confiada ao homem, e de anunciar o dia do ajuste final. Contudo, as mesmas influências que prevaleceram contra Israel no tempo do reinado de Salomão ainda se lhes antepõem. As forças do inimigo de toda a justiça estão fortemente entrincheiradas; e a vitória só pode ser ganha mediante o poder de Deus. O conflito que temos diante de nós exige espírito de abnegação, desconfiança própria, confiança em Deus somente, e sábio uso de toda oportunidade para a salvação de almas. A bênção do Senhor será concedida a Sua igreja, à medida que esta avance unida, revelando a um mundo que jaz nas trevas do erro a beleza da santidade manifesta num espírito de abnegação semelhante ao de Cristo, na exaltação do divino em vez do humano, e no amoroso e incansável serviço pelos que tanto precisam das bênçãos do evangelho. (PR, 74; Zac 1: 7, 8; 3: 7) À voz de Deus os santos serão poderosos e terríveis como um exército com bandeiras, mas eles não executarão o juízo escrito. (PE, 52)
  • 12. 11 | Apostila –Regeneração "Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa." Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. (Parábolas de Jesus, págs. 68 e 69) Com anelante desejo, Cristo aguarda ver-Se manifestado em Sua igreja. Quando o caráter do Salvador for perfeitamente reproduzido em Seu povo, então Ele virá a requerer os Seus. É o privilégio de todo cristão, não somente aguardar, mas apressar a vinda de nosso Senhor. Estivessem todos quantos Lhe professam o nome dando frutos para Sua glória, e quão pronto o mundo inteiro estaria semeado com o evangelho! Pronto estaria amadurecida a última grande colheita, e Cristo havia de vir. (CPPE, 324) Jesus respondeu: "O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus está dentro de vós." Luc. 17:20 e 21. O reino de Deus começa no coração. Não busqueis, aqui e ali, manifestações de poder terrestre para assinalar-lhe a vinda. (O Desejado de Todas as Nações, pág. 506) As obras de Cristo não somente atestavam ser Ele o Messias, como indicavam a maneira por que se havia de estabelecer Seu reino. ... O reino de Deus não vem com aparência exterior. Vem mediante a suavidade da inspiração de Sua Palavra, pela operação interior de Seu Espírito, a comunhão da alma com Ele que é sua vida. A maior manifestação de Seu poder se observa na natureza humana levada à perfeição do caráter de Cristo. ... (MM, Cuidado de Deus, 227) A graça de Deus precisa ser recebida pelo pecador antes de ele ser tornado apto para o reino da glória. Toda cultura e educação que o mundo pode oferecer, fracassarão em fazer de um degradado filho do pecado, um filho do Céu. A energia renovadora precisa vir de Deus. ... Como o fermento, misturado à farinha, opera do interior para o exterior, assim é pela renovação do coração, que a graça de Deus atua para transformar a vida. ...(Idem, 228) Aí se declara a mesma verdade que Jesus expusera a Nicodemos, quando disse: "Aquele que não nascer de novo [de cima, diz outra versão], não pode
  • 13. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 12 ver o reino de Deus." João 3:3. Não por procurar um monte santo ou um templo sagrado, são os homens postos em comunhão com o Céu. Religião não é limitar-se a formas e cerimônias exteriores. A religião que vem de Deus é a única que leva a Ele. Para O servirmos devidamente, é mister nascermos do divino Espírito. Isso purificará o coração e renovará a mente, dando-nos nova capacidade para conhecer e amar a Deus. Comunicar-nos-á voluntária obediência a todos os Seus reclamos. Esse é o verdadeiro culto. É o fruto da operação do Espírito Santo. É pelo Espírito que toda prece sincera é ditada, e tal prece é aceitável a Deus. Onde quer que a alma se dilate em busca de Deus, aí é manifesta a obra do Espírito, e Deus Se revelará a essa alma. A tais adoradores ele busca. Espera recebê-los, e torná-los Seus filhos e filhas. (DTN, 189) Para Jesus este foi um penhor da obra que o evangelho havia de realizar entre os gentios. Com alegria, antecipou a reunião de almas de todas as nações ao Seu Reino. Com profunda tristeza, descreveu aos Judeus o resultado de seu rejeição de Sua graça por parte deles: "Eu vos digo que muitos virão do Oriente e do Ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos Céus; e os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores: ali haverá pranto e ranger de dentes." Ai! quantos ainda se estão preparando para a mesma fatal decepção! Enquanto almas mergulhadas nas trevas do paganismo Lhe aceitam a graça, quantos há em terras cristãs, sobre os quais a luz resplandece apenas para ser rejeitada! (DTN, 318) A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em Daniel 7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são descrições do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela vinda do esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez virgens, de Mateus 25. (GC, 426) EIS QUE VENHO COM AS NUVENS. Dan 7: 13; Mat. 24: 30; 26: 64; I Cor 1: 7 e 8; Rom 1: 11; I Cor 12: 1 -31: Mat 16: 27; "Estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis." Mat. 24:44. Esta é nossa mensagem, a própria mensagem que os três anjos voando pelo meio do céu estão proclamando. A obra a ser
  • 14. 13 | Apostila –Regeneração feita agora é a de fazer soar esta última mensagem de misericórdia a um mundo caído. Uma nova vida está vindo do Céu e tomando posse de todo o povo de Deus. Mas introduzir-se-ão divisões na igreja. Desenvolver-se-ão dois partidos. O trigo e o joio crescerão juntos para a ceifa. (II ME, 114) O evangelho eterno deve ser proclamado por instrumentos humanos. Devemos fazer soar as mensagens dos anjos representados como voando pelo meio do céu, com a última advertência a um mundo caído. Se não somos chamados a profetizar, somos chamados a crer nas profecias, e a cooperar com Deus no levar a luz a outras mentes. Isto estamos procurando fazer. (ME, II, 115) Durante os passados cinqüenta anos de minha vida, tive oportunidades preciosas de obter experiência. Tive-a quanto à primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. Os anjos são representados como voando pelo meio do céu, proclamando ao mundo uma mensagem de advertência, e tendo relação direta com o povo que vive nos últimos dias da história terrestre. Ninguém ouve a voz desses anjos, pois eles são símbolo do povo de Deus a trabalhar em harmonia com o Universo celeste. Homens e mulheres, iluminados pelo Espírito de Deus e santificados por meio da verdade, proclamam as três mensagens em sua ordem. (ME, II, 387) Os três anjos de Apocalipse 14 são representados como voando pelo meio do Céu, o que simboliza a obra dos que estão proclamando a primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. Todas estão relacionadas entre si. As evidências da verdade eterna e inalterável dessas importantes mensagens, tão significativas para a igreja que lhe valeram violenta oposição do mundo religioso, não estão falidas. Satanás procura constantemente projetar sombra sobre essas mensagens para que o povo de Deus não possa discernir claramente sua importância, tempo e lugar; não obstante, permanecem e deverão exercer sua influência sobre nossa vida religiosa, enquanto durar o tempo. (II TS, 372) Desde o princípio tem Deus operado por Seu Espírito Santo, mediante agentes humanos, para a realização de Seu propósito em benefício da raça caída. Isto se manifestou na vida dos patriarcas. À igreja no deserto, no tempo de Moisés, também deu Deus Seu "bom Espírito, para os ensinar". Nee. 9:20. E nos dias dos apóstolos Ele atuou poderosamente por Sua igreja através do Espírito Santo. O mesmo poder que susteve os patriarcas, que a Calebe e Josué
  • 15. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 14 deu fé e coragem, e eficiência à obra da igreja apostólica, tem sustido os fiéis filhos de Deus nos séculos sucessivos. Foi mediante o poder do Espírito Santo que na idade escura os cristãos valdenses ajudaram a preparar o caminho para a Reforma. Foi o mesmo poder que deu êxito aos esforços de nobres homens e mulheres que abriram o caminho para o estabelecimento das modernas missões, e para a tradução da Bíblia para as línguas e dialetos de todas as nações e povos. (AA, 53) (I Tes 4: 8; Ez 36: 27; Rom 5: 5; II Cor 1: 22; Gal 4: 6; I João 3: 24) Aprendamos, das revelações dadas pelo Espírito Santo a Seus profetas, a grandeza de nosso Deus. Escreve o profeta Isaías: "No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o Seu séquito enchia o templo. Os serafins estavam acima dEle; cada um tinha seis asas: com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a Terra está cheia da Sua glória. E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. (A Ciência do Bom Viver, 432/433) A parábola das dez virgens de Mateus 25, ilustra também a experiência do povo adventista. Em Mateus 24, em resposta à pergunta dos discípulos relativa aos sinais de Sua vinda e do fim do mundo, Cristo indicara alguns dos acontecimentos mais importantes da história do mundo e da igreja, desde o Seu primeiro advento até ao segundo, a saber: a destruição de Jerusalém, a grande tribulação da igreja sob a perseguição pagã e papal, o escurecimento do Sol e da Lua, e a queda de estrelas. Depois disto, falou a respeito de Sua vinda em Seu reino, e expôs a parábola que descreve as duas classes de servos que Lhe aguardam o aparecimento. O capítulo 25 inicia-se com estas palavras: "Então o reino dos Céus será semelhante a dez virgens." Aqui se faz referência à igreja que vive nos últimos dias, a mesma que é indicada no fim do capítulo 24. Sua experiência é ilustrada nessa parábola pelas cenas de um casamento oriental. (GC, 393) Nesta parábola, como na de Mateus 24, duas classes são representadas. Todas haviam tomado suas lâmpadas, a Bíblia, e mediante sua luz saíram para encontrar o esposo. Mas, enquanto "as loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo", "as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas". A última classe tinha recebido a graça de Deus, e o poder do
  • 16. 15 | Apostila –Regeneração Espírito Santo, que regenera e alumia, tornando a Palavra divina uma lâmpada para os pés e luz para o caminho. No temor de Deus estudaram as Escrituras, para aprenderem a verdade, e fervorosamente buscaram a pureza de coração e de vida. Possuíam uma experiência pessoal, fé em Deus e em Sua Palavra, que não poderiam ser derrotadas pelo desapontamento e demora. Outras, "tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo". Haviam-se movido por um impulso de momento. Seus temores foram excitados pela mensagem solene, mas haviam dependido da fé que possuíam seus irmãos, estando satisfeitos com a luz vacilante das boas emoções, sem terem compreensão perfeita da verdade, nem experimentarem uma genuína operação da graça no coração. Tinham saído para encontrar-se com o Senhor, cheios de esperanças, com a perspectiva de imediata recompensa; mas não estavam preparados para a demora e desapontamento. Quando vieram as provações, faltou-lhes a fé, e sua luz se tornou bruxuleante. (GC, 394) Cavalgando Isa 19: 1; Hac 3: 8; Nee 9: 15; Sl 104: 3-4; Zac 10: 3, 5; Deut 33 : 26 (Ex 16: 4-15; Zac 12: 4, e 5; Ex.17: 1-7; Deut 1 : 21; Ex 19: 5; Atos 17: 24; Sl 104: 4; Sl 18: 10; Em breve será travada a batalha do Armagedom. Aquele em cuja vestimenta está escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores, conduz os exércitos do Céu montados em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. (Apoc. 19:11-16.) SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 982. (EF, 251) A batalha do Armagedom logo deverá ferir-se. Aquele em cujas vestes está escrito o nome "Rei dos reis e Senhor dos senhores" (Apoc. 19:16) deverá, dentro em breve, comandar os exércitos do Céu. Não poderá ser dito agora pelos servos do Senhor, como o foi pelo profeta Daniel: "Uma guerra prolongada." Dan. 10:1. Não falta senão pouco tempo para que as testemunhas de Deus tenham feito o seu trabalho de preparação do caminho para o Senhor. (III TS, 13) Será travada a batalha do Armagedom. E nesse dia nenhum de nós deverá estar dormindo. Precisamos estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo azeite em nossas vasilhas com nossas lâmpadas. O poder do Espírito Santo deve estar sobre nós, e o Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir a batalha. Solenes acontecimentos ainda ocorrerão diante de nós. Soará uma trombeta após a outra; uma taça após a outra será
  • 17. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 16 derramada sucessivamente sobre os habitantes da Terra. Cenas de estupendo interesse se acham precisamente diante de nós, e estas coisas serão indicações seguras da presença dAquele que tem comandado todo movimento agressivo, que tem acompanhado o andamento de Sua causa no decorrer de todos os séculos e que Se comprometeu bondosamente a estar com o Seu povo em todos os seus conflitos até o fim do mundo. Ele vindicará Sua verdade. Ele a levará ao triunfo. Está disposto a imbuir os Seus fiéis de motivos e força de vontade, inspirando-os com esperança, coragem e valor em crescente atividade, pois o tempo está perto. (MM, Maranata, o Senhor logo vem, 356) Todo o mundo estará em um ou no outro lado da questão. Será travada a batalha do Armagedom. E nesse dia nenhum de nós deverá estar dormindo. Precisamos estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo azeite em nossas vasilhas com nossas lâmpadas. O poder do Espírito Santo deve estar sobre nós, e o Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir a batalha. Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 426. (EF, 250/251) Precisamos estudar o derramamento da sétima taça. Os poderes do mal não darão por encerrado o conflito sem uma peleja. Mas a Providência divina tem uma parte a desempenhar na batalha do Armagedom. Quando a Terra for iluminada com a glória do anjo de Apocalipse dezoito, os elementos religiosos, bons e maus, despertarão do sono, e os exércitos do Deus vivo tomarão o campo. Manuscrito 175, 1899. (MM, Maranata, O Senhor Logo Vem, 255) COMENTÁRIO DE MATEUS 24 Mat 24: 29; “imediatamente após a tribulação daqueles dias” ‘o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes celestes serão abalados.” ( Isa 13: 10; Ez 32: 7, 8; Jl 2: 31; Apoc 6: 12 – 13; 8: 12; Apoc 10: 1; 12: 1.) Vi anjos, no Céu, indo apressadamente de um lado para outro, descendo à Terra, e ascendendo de novo ao Céu, preparando-se para a realização de algum acontecimento importante. Vi então outro poderoso anjo comissionado para descer à Terra, a fim de unir sua voz com o terceiro anjo, e dar poder e força à
  • 18. 17 | Apostila –Regeneração sua mensagem. Grande poder e glória foram comunicados ao anjo, e, descendo ele, a Terra foi iluminada com sua glória. A luz que acompanhava este anjo penetrou por toda parte, ao clamar ele poderosamente, com grande voz: "Caiu! Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, e abrigo de todo espírito imundo, e refúgio de toda ave imunda e aborrecível!" Apoc. 18:2. A mensagem da queda de Babilônia, conforme é dada pelo segundo anjo, é repetida com a menção adicional das corrupções que têm entrado nas igrejas desde 1844. A obra desse anjo vem, no tempo devido, unir-se à última grande obra da mensagem do terceiro anjo, ao tomar esta o volume de um alto clamor. E o povo de Deus assim se prepara para estar em pé na hora da tentação que em breve devem enfrentar. Vi uma grande luz repousando sobre eles, e uniram-se destemidamente para proclamar a mensagem do terceiro anjo. (PE, 277) Foram enviados anjos para ajudar o poderoso anjo do Céu, e ouvi vozes que pareciam fazer ressoar em toda parte: "Sai dela, povo Meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus Se lembrou das iniqüidades dela." Apoc. 18:4 e 5. (HR, 399/400) O anjo, o poderoso anjo do Céu, iluminará a Terra com Sua glória (Apoc. 18:1), enquanto ele exclama com potente voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia." Apoc. 18:2. ... Perderíamos a fé e a coragem no conflito, se não fôssemos amparados pelo poder de Deus. (III ME, 425) A profecia não somente prediz a maneira e objetivo da vinda de Cristo, mas apresenta sinais pelos quais os homens podem saber quando a mesma está próxima. Disse Jesus: "Haverá sinais no Sol, na Lua, e nas estrelas." Luc. 21:25. "O Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz. E as estrelas cairão do céu, e as forças que estão no céu serão abaladas. E então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória." Mar. 13:24-26. O profeta do Apocalipse assim descreve o primeiro dos sinais que precedem o segundo advento: "Houve um grande tremor de terra; e o Sol tornou-se negro como saco de cilício, e a Lua tornou-se como sangue." Apoc. 6:12. (Sl 97: 4 - 6; Isa 29: 6; Ez 38: 19; Apoc 8: 5; Lev 16: 12;Ez 10: 2;Apoc 11: 13, 19; 16: 18; Mat 24: 29; Isa 13: 10; 50: 3 Ez 32: 7; Jl 2: 31; Apoc 6: 12, 13.) (GC, 304)
  • 19. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 18 Na palestra do Salvador com Seus discípulos, no Monte das Oliveiras, depois de descrever o longo período de provação da igreja - os 1.260 anos da perseguição papal, relativamente aos quais prometera Ele ser abreviada a tribulação - mencionou Jesus certos acontecimentos que precederiam Sua vinda, e fixou o tempo em que o primeiro destes deveria ser testemunhado: "Naqueles dias, depois daquela aflição, o Sol se escurecerá, e a Lua não dará a sua luz." Mar. 13:24. Os 1.260 dias, ou anos, terminaram em 1798. Um quarto de século antes, a perseguição tinha cessado quase inteiramente. Em seguida a esta perseguição, segundo as palavras de Cristo, o Sol deveria escurecer-se. A 19 de maio de 1780 cumpriu-se esta profecia. (MM. Maranata O Senhor, logo vem, 148) "Haverá sinais", disse Ele, "no Sol, na Lua e nas estrelas." Luc. 21:25. E explicou com maior clareza ainda: "O Sol escurecerá, a Lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento." Mat. 24:29. (Vida de Jesus, 175) (Jó 9: 7; Isa 24: 23; Zac 14: 7; Ex. 10: 22; Isa 5: 30; Apoc 8: 12; Jl 2: 10; Ez 32: 7; Amos 5: 20; 8: 9) Mat 24: 30; “Então aparecerá um sinal no céu do Filho do Homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande gloria.” (Apoc 1: 7; Dan 7: 13; Mat 16: 27; Eze. 43: 1-2; Mat 25: 31-32; Zac. 12: 10; João 19: 37). (Apoc 1: 7; 14: 14; 1: 13; Dan 7: 13; 10: 5 - 6; Apoc 19: 7-12; Apoc 1: 14; Dan 7: 9; Apoc 20: 4). Quando sucederá todas estas coisas? Quem é esse ser que vem com as nuvens? (Ez. 1: 5). Em Dan. 7: 13. pode pensar que é Cristo. (Mas o grande Eu Sou acontece de uma maneira completa) E em Ez. 1: 5 aparece outro ser com aparência de homem. Em João 17: 23, 21. Vemos que o Pai é perfeito no Filho como o homem é perfeito em Cristo. (João 5: 22-24) O Pai confia todo julgamento ao Filho (Mat 13: 43); Mat. 19: 28- 30; I Cor. 6: 1-3; I Cor. 2: 15; Jer. 33 15- 16; Rom. 12: 1-2; Apoc. 17: 13-14; Isa. 60: 19; Apoc. 21: 3,23; 22: 5; Dan. 8: 9-14; Mat. 26: 61; João 2: 19-21; Oseías 6: 2, 3; II Pedro 3: 8, 9; Ex. 19: 10, 11, 14, 16; Isa. 63: 2; 34: 8) História da Redenção 138.
  • 20. 19 | Apostila –Regeneração A vinda de Cristo ao lugar santíssimo como nosso Sumo Sacerdote, para a purificação do santuário, a que se faz referência em Daniel 8:14; a vinda do Filho do homem ao Ancião de Dias, conforme se acha apresentada em Daniel 7:13; e a vinda do Senhor a Seu templo, predita por Malaquias, são descrições do mesmo acontecimento; e isso é também representado pela vinda do esposo ao casamento, descrita por Cristo na parábola das dez virgens, de Mateus 25. (GC, 426). (Ir para as pags 2,3 da AP. Senhor Justiça Nossa.) ATENÇÃO! MUITA ATENÇÃO Os sacerdotes e principais haviam-se arvorado em juízes, para condenar a obra de Cristo, mas Ele Se declarou juiz deles próprios, e de toda a Terra. O mundo foi confiado a Cristo, e por Seu intermédio tem vindo toda bênção de Deus à raça caída. Era o Redentor, tanto antes como depois da encarnação. Assim que existiu o pecado; houve um Salvador. Ele tem dado luz e vida a todos, e em harmonia com a medida da luz concedida, será cada um julgado. E aquele que tem comunicado a luz, que tem acompanhado a alma com as mais ternas súplicas, buscando atraí-la do pecado para a santidade, é ao mesmo tempo seu Advogado e Juiz. Desde o início do grande conflito no Céu, Satanás tem mantido sua causa por meio de engano; e Cristo tem trabalhado no sentido de lhe revelar as tramas, e derribar-lhe o poder. É Aquele que Se tem oposto ao enganador e, no decorrer de todos os séculos, Se tem empenhado por arrebatar os cativos de seu poder, que julgará cada pessoa. E Deus "deu-Lhe poder de exercer o juízo, porque é o Filho do homem". Como Ele tenha provado as próprias fezes do cálice da aflição e tentação humanas, e compreenda as fragilidades e pecados dos homens; como tenha, em nosso favor, resistido vitoriosamente às tentações de Satanás, e lidará justa e ternamente com as almas para cuja salvação derramou o próprio sangue - o Filho do homem é indicado para exercer o juízo. (DTN, 210; Atos 17: 24) Esta vinda é também predita pelo profeta Malaquias: "De repente virá ao Seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo do concerto, a quem vós desejais; eis que vem, diz o Senhor dos exércitos." Mal. 3:1. A vinda do Senhor a Seu templo foi súbita, inesperada, para Seu povo. Não O buscaram ali. Esperavam que viesse à Terra, "como labareda de fogo, tomando vingança dos que não
  • 21. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 20 conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho". II Tess. 1:8 (Cristo em Seu Santuário, 98) (Ml 3: 1; Mat 11: 10; Mar 1: 2; Luc 1: 76; 7: 27.) João 17: 23, 26; O Espírito do Pai estaria no Filho, e o espírito do Filho estaria na humanidade. (João 10: 30) Pelo o Filho compartilhar do mesmo espírito do Pai, são um em espírito. (João 6: 53 – 57). O Filho vive pelo o Pai, os homens vivem pelo o Filho. (João 3: 34). Quem é enviado por Deus fala as palavras dele. Ou seja Deus fala através de suas criaturas, especialmente pelo o Filho , que é o conduto numero”01.” ( João 3: 35). O Pai confiou todas as coisas nas mãos do Filho. (João 5: 25, 28 ). Os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus. (João 5: 22, 27). O Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou. (Gen 18: 25; Jz 11: 27; João 9: 39; Atos 10: 42) Apocalipse 1: 8; Ex 3: 14; 22: 13; Zac 14: 11; Isa 44: 6; 48: 12; Apoc 1: 17, 18. (Apoc 1: 8; Ex. 3: 14; Apoc 1: 17; 21: 6; Isa 55: 1; Apoc 22: 13; Isa 44: 6; Apoc 4: 8; Ez 1: 18; 10: 12; Apoc 11: 17; 15: 3; 16: 7, 14; 19: 6, 15; 21: 22; Rom 9: 29; II Cor 6: 18; II Sam. 7: 14; I Cr. 17: 13 Heb. 1: 8) “Eu Sou” (João 6: 20). O Alfa e o Omega. A primeira e a ultima letra do alfabeto grego. É como se descêssemos de “A” a “Z”. A frase indica integridade, plenitude, e tem o mesmo significado que o primeiro e o fim (João 21: 13). A frase o “Alfa e o Omega” se refere a Cristo, que é evidente pelo o verso “16”. O Pai e o Filho compartilham estes atributos eternos. A DIVINDADE. A divindade ou Trindade consiste de três pessoas: o Pai eterno, o Senhor Jesus Cristo, Filho do Pai eterno, o Espírito Santo (ver.com. Mat. 28:19; João 1:1-2; 6:27;14:16-17,26; Atos.5:3-4;Efe.4:4-6;Heb.1:1-3,8;com.João1:1-3,14). Há três pessoas viventes no trio celestial Cristo e o Pai são “um só em natureza, em caráter e em propósitos” (PP, 34), porém não em pessoa (5T 182 ). O Espírito Santo é uma pessoa assim como Deus é uma pessoa. Ver material suplementar de EGW com. Rom.1:20-25, (5T 158; 537; 227) Rom.1:20-25( Sl 19: 1-3; Atos 17: 22-29; I Cor 1: 21; Col 2: 9; Heb 1: 3) A natureza é uma revelação imperfeita – A mais difícil e humilhante lição que o homem deve aprender é sua própria incapacidade. Se depende da sabedoria humana é seguro fracasso de seus próprios esforços para ler corretamente a
  • 22. 21 | Apostila –Regeneração natureza. O pecado tem escurecido sua visão e por si mesmo não pode interpretar a natureza sem colocá-la acima de Deus. Não pode perceber Deus nela e nem Jesus Cristo a que Ele tem enviado. Esta é a mesma situação em que estiveram os atenienses que erigiam seus altares para o culto da natureza. Paulo em pé no meio da areopaga, apresentou diante do povo de Atenas a majestade do Deus vivente em contraste com o culto idolatra. [cita Atos 17: 22-29] Os que têm um verdadeiro conhecimento de Deus não chegarão aproximar das leis da matéria ou das funções da natureza até ao ponto de passar por alto ou negar reconhecer a ação continua de Deus na natureza. A natureza não é Deus. A voz da natureza testifica de Deus, porém a natureza não é Deus. Mas atua criada por Ele, sensivelmente dá testemunho do poder de Deus. A divindade é a autora da natureza. O mundo natural tem unicamente em si, o poder que Deus lhe dá. Há um Deus pessoal: O Pai; há um Cristo pessoal: O Filho [Heb 1: 1-2; Sl 19: 1-2] Os antigos filósofos se orgulhavam de seu conhecimento superior. Olhemos como compreendia isto o apóstolo inspirado. Professando ser sábios – diz Ele – se fizeram néscios e trocaram a gloria do Deus incorruptível em semelhança de homem corruptível, de aves de quadrúpedes, e de répteis.. trocaram a verdade de Deus pela a mentira humana, honrando e dando culto a criaturas antes que o Criador. O mundo não pode com sua sabedoria humana conhecer a Deus. Seus sábios obtém um conhecimento imperfeito de Deus, que toma de suas obras criadas e depois em suas necessidade exalta a natureza e as leis da natureza acima do Deus da natureza. Os que não possuem um conhecimento de Deus pela aceitação da revelação que Ele tem feito de Si mesmo em Cristo, obterão só um conhecimento imperfeito dEle na natureza; este conhecimento esta longe de fazer com que todo o ser esteja em conformidade com a vontade divina, converterá aos homens em idolatras. Professando ser sábios, mas sendo néscios. Ainda trabalharei ardentemente por vós. Eu vim ao mundo para Me revelar a vós a fim de que pudésseis crer. Vou para o Meu Pai e o vosso Pai, para cooperar com Ele em vosso benefício. (AA, 22; João 20: 17; Mat 25: 40; 12: 48 – 50)
  • 23. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 22 Em Sua conversação de despedida com os discípulos, na noite anterior à crucifixão, o Salvador não fez referência ao sofrimento que Ele havia suportado e teria ainda de suportar. Não falou da humilhação que estava a sua frente, mas buscou levar-lhes à mente o que lhes pudesse fortalecer a fé, levando-os a olhar para a frente, à recompensa que espera o vencedor. Ele Se regozijava na certeza de que poderia fazer por Seus seguidores mais do que havia prometido, e o faria; de que dEle brotariam amor e compaixão que purificariam o templo da alma e fariam os homens semelhantes a Ele no caráter; de que Sua verdade, armada com o poder do Espírito, sairia vencendo e para vencer. (AA, 23) Na transfiguração, Jesus foi glorificado pelo Pai. Ouvimo-Lo dizer: "Agora é glorificado o Filho do homem, e Deus é glorificado nEle." João 13:31. Assim, antes de ser traído, e crucificado, foi fortalecido para os últimos e terríveis sofrimentos. Ao se aproximarem os membros do corpo de Cristo do período de sua luta final, "o tempo da angústia de Jacó", crescerão em Cristo, e partilharão grandemente de Seu espírito. À medida que a terceira mensagem se avoluma e se torna alto clamor, e que a obra final é acompanhada de grande poder e glória, o fiel povo de Deus participa dessa glória. É a chuva serôdia que os vivifica e fortalece para passar pelo tempo de angústia. Seus rostos brilharão com a glória daquela luz que acompanha a mensagem do terceiro anjo. (I TS, . pág 131) IR PARA A “APOSTILA” O “SANTUÁRIO” Preparo Para Aproximar-se de Deus O Senhor deu, então, a Moisés, orientações expressas no que concernia à preparação do povo para Ele aproximar-Se deles, a fim de ouvirem o anúncio de Sua lei, não por anjos, mas por Ele mesmo. "Disse também o Senhor a Moisés: Vai ao povo, e santifica-os hoje e amanhã, e lavem eles os seus vestidos; e estejam prontos para o terceiro dia: porquanto no terceiro dia o Senhor descerá diante dos olhos de todo o povo sobre o monte de Sinai." Êxo. 19:10 e 11. Foi requerido do povo abstenção de trabalhos e cuidados seculares, e que tivessem pensamentos devocionais. Deus requereu também que lavassem suas vestes. Ele não é menos minucioso agora do que foi então. Ele é um Deus de ordem e requer que Seu povo sobre a Terra, hoje, observe hábitos de estrita limpeza. Os que adoram a Deus com vestes maculadas e eles próprios manchados não se apresentam diante dEle de modo aceitável. Ele não Se agrada da sua falta de reverência, e não aceitará o culto de adoradores impuros, pois
  • 24. 23 | Apostila –Regeneração insultam o seu Autor. O Criador dos céus e da Terra considerou a limpeza tão importante que disse: "Lavem eles os seus vestidos." Êxo. 19:10. "Marcarás limites ao povo em redor, dizendo: Guardai-vos que não subais ao monte nem toqueis o seu termo; todo aquele, que tocar no monte, certamente morrerá. Nenhuma mão tocará nele: porque certamente será apedrejado ou asseteado; quer seja animal, quer seja homem, não viverá; soando a buzina longamente, então subirão ao monte." Êxo. 19:12 e 13. Essa ordem fora designada para impressionar a mente desse povo rebelde com uma profunda veneração a Deus, o autor e autoridade de suas leis. A Manifestação de Deus "E aconteceu ao terceiro dia, ao amanhecer, que houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial." Êxo. 19:16. A multidão de anjos que atendia à divina Majestade intimou o povo com um som semelhante ao de trombeta, que cresceu estrepitosamente até que toda a Terra tremeu. "E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte. E todo o monte de Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo: e o seu fumo subiu como fumo dum forno, e todo o monte tremia grandemente." Êxo. 19:17 e 18. A Majestade divina descendo numa nuvem com um glorioso cortejo de anjos aparecia como chamas de fogo. "E o sonido da buzina ia crescendo em grande maneira: Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta. E descendo o Senhor sobre o monte de Sinai, sobre o cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu. E disse o Senhor a Moisés: Desce, protesta ao povo que não trespasse o termo para ver o Senhor, a fim de muitos deles não perecerem. E também os sacerdotes, que se chegam ao Senhor, se hão de santificar, para que o Senhor não se lance sobre eles." Êxo. 19:19-22. ( HR, 138 – 140) Mat 24: 31. E ele enviará seus anjos, com grande canglor de trombeta, os quais reunirão os seus escolhidos, dos quatros ventos, de uma a outra extremidade dos céus.
  • 25. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 24 (Mat 13: 41 -43; Isa 27: 13; Zac 9: 14; I Cor 15: 52; I Tes 4: 16; Apoc 8: 2; 10: 7; 11: 15; Dan 7: 14, 27) Aflição daqueles dias, o Sol escurecerá, e a Lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu, o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da Terra se lamentarão, e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus." Mat. 24:29-31. (DTN, 632) Veio-me novamente a ordem: "Olha." E olhei novamente, de maneira intensa, sobre o mundo, e comecei a ver jatos de luz, semelhantes a estrelas que salpicavam toda essa treva; e vi então outra e mais outra luz acrescentada, e assim por toda essa negrura moral aumentavam as luzes quais estrelas. E o anjo disse: "Estes são aqueles que crêem no Senhor Jesus Cristo, e Lhe estão obedecendo as palavras. Esses são a luz do mundo; e, não fora por essas luzes, os juízos de Deus cairiam imediatamente sobre os transgressores da lei de Deus." Vi então esses pequeninos jatos de luz tornando-se mais brilhantes, resplandecendo do leste e do oeste, do norte e do sul, e iluminando o mundo inteiro. (I ME, 76) Foram enviados anjos para ajudar o poderoso anjo do Céu, e ouvi vozes que pareciam fazer ressoar em toda parte: "Sai dela, povo Meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. (HR, 399 e 400) O anjo, o poderoso anjo do Céu, iluminará a Terra com Sua glória (Apoc. 18:1), enquanto ele exclama com potente voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia." Apoc. 18:2. ... Perderíamos a fé e a coragem no conflito, se não fôssemos amparados pelo poder de Deus. (III ME, 425) O anjo que se une à terceira mensagem iluminará a Terra com sua glória. Haverá muitos, mesmo nesses vales (no Norte da Itália), onde a obra parece começar com tanta dificuldade, os quais reconhecerão a voz de Deus a lhes falar por meio de Sua Palavra e, saindo da influência do clero, colocar-se-ão ao lado
  • 26. 25 | Apostila –Regeneração de Deus e da verdade. Não é um campo fácil de trabalhar, esse, nem é daqueles que apresente resultados imediatos; há, porém, um povo sincero ali, o qual a seu tempo obedecerá. Historical Sketches, pág. 249. (Evangelismo 424) As profecias de Apocalipse dezoito logo se cumprirão. Durante a proclamação da mensagem do terceiro anjo, "outro anjo" descerá "do Céu", tendo grande poder, e a Terra se iluminará "com a sua glória". O Espírito do Senhor abençoará tão graciosamente os consagrados instrumentos humanos, que homens, mulheres e crianças abrirão os lábios em louvor e ações de graça, enchendo a Terra com o conhecimento de Deus e com Sua insuperável glória, como as águas cobrem o mar. (MM, Maranata o Senhor Logo Vem, 216) O Salvador é apresentado perante João sob os símbolos do "Leão da tribo de Judá", e de um "Cordeiro, como havendo sido morto". Apoc. 5:5 e 6. Esses símbolos representam a união do onipotente poder e do amor que se sacrifica. O Leão de Judá, tão terrível para os que rejeitam Sua graça, será o Cordeiro de Deus para os obedientes e fiéis. A coluna de fogo que fala de terrores e indignação para o transgressor da lei de Deus, é um sinal de luz, misericórdia e livramento para os que guardaram os Seus mandamentos. O braço forte que aniquila o rebelde será forte para libertar os fiéis. Todo o que for fiel será salvo. "E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta... (AA, 589) Mas naquele dia, bem como na ocasião da destruição de Jerusalém, livrar-se-á o povo de Deus, "todo aquele que estiver inscrito entre os vivos". Isa. 4:3. Cristo declarou que virá a segunda vez para reunir a Si os Seus fiéis: "E todas as tribos da Terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus." Mat. 24:30 e 31. Então os que não obedecem ao evangelho serão consumidos pelo espírito de Sua boca, e serão destruídos com o esplendor de Sua vinda. (II Tess. 2:8.) Como o antigo Israel, os ímpios destroem-se a si mesmos; caem pela sua iniqüidade. Em conseqüência de uma vida de pecados, colocaram-se tão fora de harmonia com Deus, sua natureza se tornou tão aviltada com o mal, que a manifestação da glória divina é para eles um fogo consumidor. (GC, 37) A Guilherme Miller e seus cooperadores coube a pregação desta advertência na América do Norte. Este país se tornou o centro da grande obra do advento. Foi aqui que a profecia da mensagem do primeiro anjo teve o cumprimento mais
  • 27. A p o s t i l a – R e g e n e r a ç ã o | 26 direto. Os escritos de Miller e seus companheiros foram levados a países distantes. Em todo o mundo, onde quer que houvessem "Temei a Deus, e dai- Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo." ( GC, penetrando missionários, para ali se enviaram as alegres novas da breve volta de Cristo. Por toda parte se propagou a mensagem do evangelho eterno: 322) No tempo de prova que está perante nós, a divina promessa de segurança cumprir-se-á nos que guardaram a palavra da Sua paciência. Cristo dirá aos que Lhe forem fiéis: "Vai pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira." Isa. 26:20. O Leão de Judá, tão terrível com os que Lhe rejeitam a graça, será o Cordeiro de Deus para os obedientes e fiéis. A coluna de nuvem, que representa ira e terror para o transgressor da lei de Deus, é luz e misericórdia e livramento para os que tenham guardado os Seus mandamentos. O braço enérgico para ferir os rebeldes, será forte para libertar os leais. Todos quantos forem fiéis serão ajuntados. "E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus." Mat. 24:31. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 11. Mas naquele dia, bem como na ocasião da destruição de Jerusalém, livrar-se-á o povo de Deus, "todo aquele que estiver inscrito entre os vivos". Isa. 4:3. Cristo declarou que virá a segunda vez para reunir a Si os Seus fiéis: "E todas as tribos da Terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E Ele enviará os Seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus." Mat. 24:30 e 31. Então os que não obedecem ao evangelho serão consumidos pelo espírito de Sua boca, e serão destruídos com o esplendor de Sua vinda. (II Tess. 2:8.) Como o antigo Israel, os ímpios destroem-se a si mesmos; caem pela sua iniqüidade. Em conseqüência de uma vida de pecados, colocaram-se tão fora de harmonia com Deus, sua natureza se tornou tão aviltada com o mal, que a manifestação da glória divina é para eles um fogo consumidor. (GC, 37) Ainda há muita luz a irromper da lei de Deus e do evangelho da justiça. Esta mensagem, compreendida, em seu verdadeiro caráter e proclamada no Espírito, iluminará a Terra com sua glória. A grande questão decisiva deve ser apresentada a todas as nações, línguas e povos. A obra final da mensagem do
  • 28. 27 | Apostila –Regeneração terceiro anjo será acompanhada de um poder que enviará os raios do Sol da justiça a todos os caminhos e atalhos da vida, e serão tomadas decisões para Deus como Governante supremo; Sua lei será considerada a norma de Seu governo. (MM, Este Dia com Deus, 312) A chuva serôdia há de cair sobre o povo de Deus. Um poderoso anjo descerá do Céu, e toda a Terra se iluminará com a Sua glória. Estamos preparados para tomar parte na gloriosa obra do terceiro anjo? Estão os nossos vasos preparados para receber o orvalho celestial? Temos alguma contaminação e pecado no coração? Se é assim, purifiquemos o templo da alma e preparemo- nos para os aguaceiros da chuva serôdia. O refrigério pela presença do Senhor nunca virá a corações cheios de impureza. Que Deus nos ajude a morrer para o próprio eu, para que Cristo, a esperança da glória, seja formado interiormente! (MM, RP. 295) O último grande conflito está diante de nós, mas virá ajuda para todos os que amam a Deus e obedecem a Sua lei, e a Terra, a Terra toda, será iluminada com a glória de Deus. "Outro anjo" descerá do Céu. Este anjo representa o alto clamor, o qual procederá dos que estão-se preparando para clamar poderosamente, com forte voz: "Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável." Apoc. 18:1 e 2. (V, Sobre Cristo e as Doutrinas, 303) Mat 24: 32. Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que esta próximo o verão. As cidades ímpias do nosso mundo serão varridas pela vassoura da destruição. Nas calamidades que agora atingem edifícios imensos e grandes distritos das cidades, Deus nos está mostrando o que irá acontecer em toda a Terra. Ele nos disse: "Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que Ele [Cristo] está próximo, às portas." Mat. 24:32 e 33. Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 112-115. Mat 24: 33, Tiago 5: 9; Sl 94: 2;