SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
NO EPISÓDIO DE HOJE...
I. A INJUSTIÇA E A OPRESSÃO DE UM POVO
II. A ARROGÂNCIA QUE CEGA
III. A MISERICÓRDIA E A JUSTIÇA DE DEUS
INTRODUÇÃO
A palavra juízo é amplamente usada no AT, em
Isaías 40 vezes.
Os governantes, os ricos, os sacerdotes e os
profetas estavam coniventes com o erro;
sentindo-se seguros dentro das fortalezas,
usavam todo o seu poder para oprimir os pobres.
INTRODUÇÃO
“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também
em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a
Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se
semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo
obediente até à morte, e morte de cruz” (Filipenses 2:5-8)
INTRODUÇÃO
0 Evangelho nos chama à prática da justiça, pois
Ele mesmo disse:
“Bem-aventurados os que têm fome e sede de
justiça, porque eles serão fartos” (Mt 5.6).
PROFESSOR DE DIREITO EXPULSA ALUNO NO
PRIMEIRO DIA DE AULA
Primeiro dia de aula, o professor de 'Introdução ao Direito' entrou na sala e a primeira
coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila:
- Qual é o seu nome?
- Chamo-me Nelson, Senhor.
- Saia de minha aula e não volte nunca mais! - gritou o desagradável professor.
Nelson estava desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu
suas coisas e saiu da sala.
Todos estavam assustados e indignados, porém ninguém falou nada.
- Agora sim! - vamos começar .
- Para que servem as leis? Perguntou o professor - Seguiam assustados ainda os alunos,
porém pouco a pouco começaram a responder à sua pergunta:
- Para que haja uma ordem em nossa sociedade.
- Não! - respondia o professor.
- Para cumpri-las.
- Não!
- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos.
- Não!
- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?!
- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.
- Até que enfim! É isso, para que haja justiça.
E agora, para que serve a justiça?
Todos começaram a ficar incomodados pela atitude tão grosseira.
Porém, seguíamos respondendo:
- Para salvaguardar os direitos humanos...
- Bem, que mais? - perguntava o professor .
- Para diferençar o certo do errado, para premiar a quem faz o bem...
- Ok, não está mal porém respondam a esta pergunta:
- "Agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?"
- Todos ficaram calados, ninguém respondia.
- - Quero uma resposta decidida e unânime!
- Não! - responderam todos a uma só voz.
- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça?
- Sim!
- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se
não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a
obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos! Não voltem a
ficar calados, nunca mais!
Vá buscar o Nelson - Disse. Afinal, ele é o professor, eu sou aluno de outro
período.
Aprenda: Quando não defendemos nossos direitos, perdemos a dignidade e a
dignidade não se negocia
1. JUSTIÇA
Atualmente a palavra justiça significa o
cumprimento de uma lei moral (equidade e a
igualdade).
Para o judeu, era sinônimo de seguir as exigências
da lei de Deus e de sua justiça.
1. JUSTIÇA
A arrogância levou, principalmente a elite de
Israel, a inverter o sentido da justiça, trocando o
que justo pelo injusto.
Exploração daqueles que não têm como se
defender, como o fraco, o pobre, o órfão e a viúva
(Is 1.17; 23; Is 3.14; 10.2).
Desenvolvimento à custa dos injustiçados.
2. A OPRESSÃO OFICIALIZADA
Sempre existiram desigualdades em Israel, mas
no tempo de Isaias elas adquiriram grandes
proporções.
Divisão de dois grandes grupos: os oprimidos
(pobres e marginalizados) e os opressores (elite) -
Is 3.12,15; Am 3.9-12.
Mesmo entre os pobres havia exploração e abuso
(Is 3.5).
3. A INJUSTIÇA COMO INSTRUMENTO DE
TRIUNFO
Justiça tem o significado de retidão em um
caminho ético.
Em vez disso, derramavam sangue para se
alcançar os objetivos pessoais e egoístas (Is 5.7).
Desonestidade e corrupção na esfera pública e
uma grande diferença entre as classes sociais.
3. A INJUSTIÇA COMO INSTRUMENTO DE
TRIUNFO
Desrespeito à tradição clânica de proteção da
terra familiar (Is 5.8 – ver também o exemplo da
“vinha de Nabote”)
Isaías denunciou o governo e líderes que
enganavam o povo e causava dificuldades em vez
de facilitar a vida deles.
4. A INJUSTIÇA NO MUNDO ATUAL
Semelhança da organização política e
socioeconômica do livro de Isaias com o mundo
atual.
Aproximadamente 10 milhões de brasileiros vivem
abaixo da linha da miséria; no mundo, quase um
bilhão de pessoas sobrevive com menos de dois
dólares por dia.
4. A INJUSTIÇA NO MUNDO ATUAL
A afirmação de Jesus de que sempre teríamos
pobres entre nós não serve de desculpa para uma
inércia cristã diante desta situação.
Além de pregar o Evangelho, a Igreja tem a
responsabilidade de promover a justiça e
igualdade.
PENSE
A pobreza é uma condição de existência que
reduz as potência idades de vida humana. Ela
causa sofrimento e desigualdades sociais.
PONTO IMPORTANTE
Na profecia bíblica , os problemas sociais também
são encarados como missão e desafios dos servos de
Deus. Os profetas eram homens sensíveis à voz do
Espírito de Deus e aos clamores das injustiças e
opressões sociais.
1. A DESCRIÇÃO DA ARROGÂNCIA PELO PROFETA
Isaías é corajoso ao denunciar que as pessoas
importantes do governo se portavam com orgulho.
A profecia de Isaias não era contra o desfrute de
coisas boas e do cuidado pessoal. Ele denunciou
contra os meios que sustentavam e o descaso
com o próximo.
Num círculo vicioso, a arrogância leva à injustiça
e a injustiça à arrogância.
1. A DESCRIÇÃO DA ARROGÂNCIA PELO PROFETA
O orgulho pecaminoso, a soberba, a arrogância
produz no homem a rebeldia contra Deus e um
estado deplorável de independência espiritual do
Senhor que culminará com a sua queda e
destruição. (Pv 16:18; Pv 16:5)
CARACTERÍSITCAS BÁSICAS DA ARROGÂNCIA
REGISTRADAS NA BÍBLIA
I. Além de ser pecado a arrogância é abominável
diante de Deus (Pv 6:16-19).
II.A arrogância tem origem no desejo de poder, e
autoridade sobre os outros (Lv 26:16-20)
III.Deus não opera em favor dos arrogantes,
inclusive os pune ( Ml 4:1-2)
IV.O arrogante não se aperfeiçoa e caracteriza
de forma suprema a Satanás (1 Tm 3:6)
2. UM PECADO ABOMINÁVEL
O orgulho foi o primeiro pecado praticado no
universo.
Desde o início da humanidade, o ser humano
procura ser um “deus”, o centro de tudo.
Triste é a situação do ser humano que se acha
suficiente e independente de Deus.
Somos seres sociais e precisamos um do outro.
3. OS MALES DO ORGULHO
1. Orgulho uma afronta a Deus.
2.Supervaloriza o "eu" em detrimento do “outro”.
3.Leva a prática da desumanização.
4.Isaias demonstra que o orgulho leva à prática
da injustiça.
PENSE
orgulho revela a nossa falta de
autoconhecimento enquanto seres humanos.
Quem conhece suas limitações e a fragilidade
da vida de modo algum se torna orgulhoso.
PONTO IMPORTANTE
O Livro do profeta Isaías é um bom exemplo do modo
como o orgulho destruiu a dependência do povo
israelita de Deus.
1. O PROFETA PREDIZ A RUÍNA
A depravação do povo, em especial dos líderes,
resultaria em uma anarquia.
O profeta anuncia a destruição do sistema de
dominação e humilhação dos exaltados.
1. O PROFETA PREDIZ A RUÍNA
O cumprimento foi o exílio babilônico, quando os
principais símbolos de proteção divina sobre a
nação foram destruídos (templo, inviabilidade de
Jerusalém, muros de proteção, entre outros).
Toda causa tem sua consequência: “a lei da
semeadura”
2. HUMILDADE
A solução era o reconhecimento da dependência de
Deus e submissão à Sua justiça.
“A humildade precede a honra" (Pv 15.33).
Deus promete habitar "com o contrito e humilde de
espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e
novo alento ao coração do contrito" (Is 57.15).
Jesus disse que o Reino dos Céus é dos humildes (Mt 5.3)
CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA HUMILDADE
REGISTRADAS NA BÍBLIA
I. A humildade é o primeiro requisito para servir a
Deus.(Mq 6:6-8)
II. O humilde usufrui da presença de Deus.(Is 57:15)
III.Os maiores no reino de Cristo são os humildes de
coração (Mt 18:1-4; Mt 20:20-28).
IV.Ao humilde, Deus sempre dará vida, graça, honra e
bênçãos. (Pv 22:4; Pv 15:33; Pv 3:34).
3. A JUSTIÇA DE DEUS
A justiça divina geralmente é manifestada como atos
de salvação, misericórdia e bondade de Deus, mas
também de juízo.
O profeta estava prevendo esse momento para o povo,
em que seriam visitados em sua maldade.
O povo seria poupado se estivesse um líder justo = o
messias (lembrando que a expectativa era de um líder
humano, não divino).
CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA JUSTIÇA DE DEUS
REGISTRADAS NA BÍBLIA
I. A justiça de Deus é dada ao homem pela ação do
Espírito Santo para a perfeição e santificação .(Mt 5:48)
II.A justiça de Deus é conhecida pela fé e manifestada
pelo Espírito Santo.(Rm 1:17).
III.A justiça de Deus é elemento de convencimento do
homem do pecado, justiça e juízo pela ação exclusiva
do Espírito Santo. (Jo 16:7-11).
CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA MISERICÓRDIA DE
DEUS REGISTRADAS NA BÍBLIA
I. a misericórdia de Deus é um ato de amor para com os
homens .(1 Jo 4:7-12)
II. a misericórdia de Deus é muito grande e alcança todos
os homens de forma universal.(Is 54:7).
III.a misericórdia de Deus é uma característica própria
do servo de Deus e por isso deve ser praticada. (Mt 5:7).
PENSE
A humildade é o caminho mais fácil para
conseguir o favor de Deus e dos homens.
PONTO IMPORTANTE
A tradição profética israelita sempre trouxe em sua
mensagem a combinação entre anúncio de juízo e
restauração, justiça e graça ao povo, pois em última
instância a vontade de Deus é sempre trazer vida e
esperança, e não destruição ao ser humano, apesar
de sermos merecedores.
CONCLUSÃO
A função profética sempre esteve junto com questões
sociais e políticas. As formas de injustiça social em
nossa sociedade, demonstra o quanto a profecia de
Isaías é atual;
A arrogância conduz o ser humano a ignorar o outro;
A igreja de Cristo deve ser um meio da revelação da
misericórdia e a justiça de Deus.
HORA DA REVISÃO
1)Quais são as duas fortes denúncias que Isaías fez na
profecia analisada nesta lição?
2)Que tipos de injustiça estavam sendo praticadas por
Judá?
3)Qual característica o povo assumiu ao se tornar
arrogante?
4)Qual foi o primeiro pecado praticado no universo?
5)Que promessa o Evangelho de Mateus faz aos humildes?
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉMNatalino das Neves Neves
 
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIANatalino das Neves Neves
 
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaiasNatalino das Neves Neves
 
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETANatalino das Neves Neves
 
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáLição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáMaxsuel Aquino
 
Lição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaLição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaMaxsuel Aquino
 
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamento
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamentoVisão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamento
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamentoJanaine Helen Assoni
 
Profetas menores parte 1 natalino das neves
Profetas menores parte 1 natalino das nevesProfetas menores parte 1 natalino das neves
Profetas menores parte 1 natalino das nevesNatalino das Neves Neves
 
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃOAMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃOJefferson Rodrigues
 
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros ProféticosA Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros ProféticosGustavo Zimmermann
 
Um tipo do futuro anticristo
Um tipo do futuro anticristoUm tipo do futuro anticristo
Um tipo do futuro anticristoGabriel Souza
 
Período Interbíblico aula 6 seitas politico religiosas
Período Interbíblico aula 6   seitas politico religiosasPeríodo Interbíblico aula 6   seitas politico religiosas
Período Interbíblico aula 6 seitas politico religiosasSamir Isac Dantas
 

Mais procurados (20)

2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
 
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
2016 3 TRI LIÇÃO 5 - PREDIÇÕES DE JUÍZO E GLÓRIA
 
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias
2016 3 TRI LIÇÃO 2 - O contexto da profecia de isaias
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
 
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáLição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
 
Lição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaLição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da História
 
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamento
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamentoVisão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamento
Visão panorâmica-dos-profetas-do-antigo-testamento
 
Profetas menores parte 1 natalino das neves
Profetas menores parte 1 natalino das nevesProfetas menores parte 1 natalino das neves
Profetas menores parte 1 natalino das neves
 
Proféticos 2 Jeremias
Proféticos 2   JeremiasProféticos 2   Jeremias
Proféticos 2 Jeremias
 
Profetismo
ProfetismoProfetismo
Profetismo
 
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃOAMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
AMÓS-JUSTIÇA SOCIAL COMO PARTE DA ADORAÇÃO
 
42. O Profeta Sofonias
42. O Profeta Sofonias42. O Profeta Sofonias
42. O Profeta Sofonias
 
Amós
AmósAmós
Amós
 
O nascimento de_jesus
O nascimento de_jesusO nascimento de_jesus
O nascimento de_jesus
 
Proféticos 5 Daniel
Proféticos 5   DanielProféticos 5   Daniel
Proféticos 5 Daniel
 
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros ProféticosA Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
A Bíblia (Aula 8): Livros Proféticos
 
Um tipo do futuro anticristo
Um tipo do futuro anticristoUm tipo do futuro anticristo
Um tipo do futuro anticristo
 
Período Interbíblico aula 6 seitas politico religiosas
Período Interbíblico aula 6   seitas politico religiosasPeríodo Interbíblico aula 6   seitas politico religiosas
Período Interbíblico aula 6 seitas politico religiosas
 
Jeremias (moody)
Jeremias (moody)Jeremias (moody)
Jeremias (moody)
 

Semelhante a Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém

2016 3 tri lição 4 o juízo de judá e de jerusalém
2016 3 tri lição 4   o juízo de judá e de jerusalém2016 3 tri lição 4   o juízo de judá e de jerusalém
2016 3 tri lição 4 o juízo de judá e de jerusalémboasnovassena
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2Jose Ventura
 
Profetajeremias 130228113953-phpapp01
Profetajeremias 130228113953-phpapp01Profetajeremias 130228113953-phpapp01
Profetajeremias 130228113953-phpapp01Jacobson Estumano
 
Lbj lição 11 a igreja e a política
Lbj lição 11    a igreja e a políticaLbj lição 11    a igreja e a política
Lbj lição 11 a igreja e a políticaboasnovassena
 
Amós estudo 01 -
Amós   estudo 01 -Amós   estudo 01 -
Amós estudo 01 -Joao Franca
 
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - Subsídio
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - SubsídioEBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - Subsídio
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - SubsídioValter Borges
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Luci Bonini
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Gerson G. Ramos
 
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus slide
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus   slidePossessao demoniaca e autoridade no nome de jesus   slide
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus slideVilma Longuini
 
Controle mental parte 1
Controle mental parte 1 Controle mental parte 1
Controle mental parte 1 Marcelo Santos
 

Semelhante a Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém (20)

2016 3 tri lição 4 o juízo de judá e de jerusalém
2016 3 tri lição 4   o juízo de judá e de jerusalém2016 3 tri lição 4   o juízo de judá e de jerusalém
2016 3 tri lição 4 o juízo de judá e de jerusalém
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2
 
Pessoa de jesus
Pessoa de jesusPessoa de jesus
Pessoa de jesus
 
Profeta jeremias
Profeta jeremiasProfeta jeremias
Profeta jeremias
 
Profetajeremias 130228113953-phpapp01
Profetajeremias 130228113953-phpapp01Profetajeremias 130228113953-phpapp01
Profetajeremias 130228113953-phpapp01
 
A Falta que Faz um Líder.pdf
 A Falta que Faz um Líder.pdf A Falta que Faz um Líder.pdf
A Falta que Faz um Líder.pdf
 
Lbj lição 11 a igreja e a política
Lbj lição 11    a igreja e a políticaLbj lição 11    a igreja e a política
Lbj lição 11 a igreja e a política
 
Amós estudo 01 -
Amós   estudo 01 -Amós   estudo 01 -
Amós estudo 01 -
 
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - Subsídio
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - SubsídioEBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - Subsídio
EBD 2º Tri 2010 - Lição 02 - 11042010 - Subsídio
 
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.pptPANORAMA_DO_AT_4.ppt
PANORAMA_DO_AT_4.ppt
 
Estudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízesEstudo do livro de juízes
Estudo do livro de juízes
 
Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média Período pós socrático a Idade Média
Período pós socrático a Idade Média
 
Profetas menores lição 4 - Amós
Profetas menores   lição 4 - AmósProfetas menores   lição 4 - Amós
Profetas menores lição 4 - Amós
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
 
Boletim cbg 15_set_2013
Boletim cbg 15_set_2013Boletim cbg 15_set_2013
Boletim cbg 15_set_2013
 
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus slide
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus   slidePossessao demoniaca e autoridade no nome de jesus   slide
Possessao demoniaca e autoridade no nome de jesus slide
 
Controle mental parte 1
Controle mental parte 1 Controle mental parte 1
Controle mental parte 1
 
Simulado
SimuladoSimulado
Simulado
 
Controle mental parte 1
Controle mental   parte 1Controle mental   parte 1
Controle mental parte 1
 
Lição 9 a nova religiosidade ebd
Lição 9   a nova religiosidade ebdLição 9   a nova religiosidade ebd
Lição 9 a nova religiosidade ebd
 

Mais de Maxsuel Aquino

Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessárioLição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessárioMaxsuel Aquino
 
Lição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficialLição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficialMaxsuel Aquino
 
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de JesusLição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de JesusMaxsuel Aquino
 
Física: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentaisFísica: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentaisMaxsuel Aquino
 
Lição 11 - A Igreja e a Política
Lição 11 - A Igreja e a PolíticaLição 11 - A Igreja e a Política
Lição 11 - A Igreja e a PolíticaMaxsuel Aquino
 
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisLição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisMaxsuel Aquino
 
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaLição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaMaxsuel Aquino
 
Aula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon SagradoAula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon SagradoMaxsuel Aquino
 
Lição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresLição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresMaxsuel Aquino
 
Lição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na FamíliaLição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na FamíliaMaxsuel Aquino
 
Lição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e MãeLição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e MãeMaxsuel Aquino
 
Lição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma FamíliaLição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma FamíliaMaxsuel Aquino
 
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da FamíliaLição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da FamíliaMaxsuel Aquino
 
Lição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da FamíliaLição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da FamíliaMaxsuel Aquino
 
Lição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o PecadoLição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o PecadoMaxsuel Aquino
 
Lição 06- Bênçãos da Justificação
Lição 06-  Bênçãos da JustificaçãoLição 06-  Bênçãos da Justificação
Lição 06- Bênçãos da JustificaçãoMaxsuel Aquino
 
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos JudeusLição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos JudeusMaxsuel Aquino
 
Lição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos GentiosLição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos GentiosMaxsuel Aquino
 
Lição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos RomanosLição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos RomanosMaxsuel Aquino
 
Lição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com DeusLição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com DeusMaxsuel Aquino
 

Mais de Maxsuel Aquino (20)

Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessárioLição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
 
Lição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficialLição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficial
 
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de JesusLição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
 
Física: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentaisFísica: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentais
 
Lição 11 - A Igreja e a Política
Lição 11 - A Igreja e a PolíticaLição 11 - A Igreja e a Política
Lição 11 - A Igreja e a Política
 
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisLição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
 
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaLição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
 
Aula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon SagradoAula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon Sagrado
 
Lição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresLição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos Familiares
 
Lição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na FamíliaLição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na Família
 
Lição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e MãeLição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e Mãe
 
Lição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma FamíliaLição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma Família
 
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da FamíliaLição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
 
Lição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da FamíliaLição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da Família
 
Lição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o PecadoLição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o Pecado
 
Lição 06- Bênçãos da Justificação
Lição 06-  Bênçãos da JustificaçãoLição 06-  Bênçãos da Justificação
Lição 06- Bênçãos da Justificação
 
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos JudeusLição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
 
Lição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos GentiosLição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos Gentios
 
Lição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos RomanosLição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
 
Lição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com DeusLição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com Deus
 

Último

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptxLuana240603
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 

Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 8. NO EPISÓDIO DE HOJE... I. A INJUSTIÇA E A OPRESSÃO DE UM POVO II. A ARROGÂNCIA QUE CEGA III. A MISERICÓRDIA E A JUSTIÇA DE DEUS
  • 9. INTRODUÇÃO A palavra juízo é amplamente usada no AT, em Isaías 40 vezes. Os governantes, os ricos, os sacerdotes e os profetas estavam coniventes com o erro; sentindo-se seguros dentro das fortalezas, usavam todo o seu poder para oprimir os pobres.
  • 10. INTRODUÇÃO “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz” (Filipenses 2:5-8)
  • 11. INTRODUÇÃO 0 Evangelho nos chama à prática da justiça, pois Ele mesmo disse: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos” (Mt 5.6).
  • 12.
  • 13. PROFESSOR DE DIREITO EXPULSA ALUNO NO PRIMEIRO DIA DE AULA Primeiro dia de aula, o professor de 'Introdução ao Direito' entrou na sala e a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila: - Qual é o seu nome? - Chamo-me Nelson, Senhor. - Saia de minha aula e não volte nunca mais! - gritou o desagradável professor. Nelson estava desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. Todos estavam assustados e indignados, porém ninguém falou nada.
  • 14. - Agora sim! - vamos começar . - Para que servem as leis? Perguntou o professor - Seguiam assustados ainda os alunos, porém pouco a pouco começaram a responder à sua pergunta: - Para que haja uma ordem em nossa sociedade. - Não! - respondia o professor. - Para cumpri-las. - Não! - Para que as pessoas erradas paguem por seus atos. - Não! - Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?! - Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.
  • 15. - Até que enfim! É isso, para que haja justiça. E agora, para que serve a justiça? Todos começaram a ficar incomodados pela atitude tão grosseira. Porém, seguíamos respondendo: - Para salvaguardar os direitos humanos... - Bem, que mais? - perguntava o professor . - Para diferençar o certo do errado, para premiar a quem faz o bem... - Ok, não está mal porém respondam a esta pergunta: - "Agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?" - Todos ficaram calados, ninguém respondia. - - Quero uma resposta decidida e unânime!
  • 16. - Não! - responderam todos a uma só voz. - Poderia dizer-se que cometi uma injustiça? - Sim! - E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos! Não voltem a ficar calados, nunca mais! Vá buscar o Nelson - Disse. Afinal, ele é o professor, eu sou aluno de outro período. Aprenda: Quando não defendemos nossos direitos, perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia
  • 17. 1. JUSTIÇA Atualmente a palavra justiça significa o cumprimento de uma lei moral (equidade e a igualdade). Para o judeu, era sinônimo de seguir as exigências da lei de Deus e de sua justiça.
  • 18. 1. JUSTIÇA A arrogância levou, principalmente a elite de Israel, a inverter o sentido da justiça, trocando o que justo pelo injusto. Exploração daqueles que não têm como se defender, como o fraco, o pobre, o órfão e a viúva (Is 1.17; 23; Is 3.14; 10.2). Desenvolvimento à custa dos injustiçados.
  • 19. 2. A OPRESSÃO OFICIALIZADA Sempre existiram desigualdades em Israel, mas no tempo de Isaias elas adquiriram grandes proporções. Divisão de dois grandes grupos: os oprimidos (pobres e marginalizados) e os opressores (elite) - Is 3.12,15; Am 3.9-12. Mesmo entre os pobres havia exploração e abuso (Is 3.5).
  • 20. 3. A INJUSTIÇA COMO INSTRUMENTO DE TRIUNFO Justiça tem o significado de retidão em um caminho ético. Em vez disso, derramavam sangue para se alcançar os objetivos pessoais e egoístas (Is 5.7). Desonestidade e corrupção na esfera pública e uma grande diferença entre as classes sociais.
  • 21. 3. A INJUSTIÇA COMO INSTRUMENTO DE TRIUNFO Desrespeito à tradição clânica de proteção da terra familiar (Is 5.8 – ver também o exemplo da “vinha de Nabote”) Isaías denunciou o governo e líderes que enganavam o povo e causava dificuldades em vez de facilitar a vida deles.
  • 22. 4. A INJUSTIÇA NO MUNDO ATUAL Semelhança da organização política e socioeconômica do livro de Isaias com o mundo atual. Aproximadamente 10 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha da miséria; no mundo, quase um bilhão de pessoas sobrevive com menos de dois dólares por dia.
  • 23. 4. A INJUSTIÇA NO MUNDO ATUAL A afirmação de Jesus de que sempre teríamos pobres entre nós não serve de desculpa para uma inércia cristã diante desta situação. Além de pregar o Evangelho, a Igreja tem a responsabilidade de promover a justiça e igualdade.
  • 24. PENSE A pobreza é uma condição de existência que reduz as potência idades de vida humana. Ela causa sofrimento e desigualdades sociais.
  • 25. PONTO IMPORTANTE Na profecia bíblica , os problemas sociais também são encarados como missão e desafios dos servos de Deus. Os profetas eram homens sensíveis à voz do Espírito de Deus e aos clamores das injustiças e opressões sociais.
  • 26.
  • 27. 1. A DESCRIÇÃO DA ARROGÂNCIA PELO PROFETA Isaías é corajoso ao denunciar que as pessoas importantes do governo se portavam com orgulho. A profecia de Isaias não era contra o desfrute de coisas boas e do cuidado pessoal. Ele denunciou contra os meios que sustentavam e o descaso com o próximo. Num círculo vicioso, a arrogância leva à injustiça e a injustiça à arrogância.
  • 28. 1. A DESCRIÇÃO DA ARROGÂNCIA PELO PROFETA O orgulho pecaminoso, a soberba, a arrogância produz no homem a rebeldia contra Deus e um estado deplorável de independência espiritual do Senhor que culminará com a sua queda e destruição. (Pv 16:18; Pv 16:5)
  • 29. CARACTERÍSITCAS BÁSICAS DA ARROGÂNCIA REGISTRADAS NA BÍBLIA I. Além de ser pecado a arrogância é abominável diante de Deus (Pv 6:16-19). II.A arrogância tem origem no desejo de poder, e autoridade sobre os outros (Lv 26:16-20) III.Deus não opera em favor dos arrogantes, inclusive os pune ( Ml 4:1-2) IV.O arrogante não se aperfeiçoa e caracteriza de forma suprema a Satanás (1 Tm 3:6)
  • 30. 2. UM PECADO ABOMINÁVEL O orgulho foi o primeiro pecado praticado no universo. Desde o início da humanidade, o ser humano procura ser um “deus”, o centro de tudo. Triste é a situação do ser humano que se acha suficiente e independente de Deus. Somos seres sociais e precisamos um do outro.
  • 31. 3. OS MALES DO ORGULHO 1. Orgulho uma afronta a Deus. 2.Supervaloriza o "eu" em detrimento do “outro”. 3.Leva a prática da desumanização. 4.Isaias demonstra que o orgulho leva à prática da injustiça.
  • 32. PENSE orgulho revela a nossa falta de autoconhecimento enquanto seres humanos. Quem conhece suas limitações e a fragilidade da vida de modo algum se torna orgulhoso.
  • 33. PONTO IMPORTANTE O Livro do profeta Isaías é um bom exemplo do modo como o orgulho destruiu a dependência do povo israelita de Deus.
  • 34.
  • 35. 1. O PROFETA PREDIZ A RUÍNA A depravação do povo, em especial dos líderes, resultaria em uma anarquia. O profeta anuncia a destruição do sistema de dominação e humilhação dos exaltados.
  • 36. 1. O PROFETA PREDIZ A RUÍNA O cumprimento foi o exílio babilônico, quando os principais símbolos de proteção divina sobre a nação foram destruídos (templo, inviabilidade de Jerusalém, muros de proteção, entre outros). Toda causa tem sua consequência: “a lei da semeadura”
  • 37. 2. HUMILDADE A solução era o reconhecimento da dependência de Deus e submissão à Sua justiça. “A humildade precede a honra" (Pv 15.33). Deus promete habitar "com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito" (Is 57.15). Jesus disse que o Reino dos Céus é dos humildes (Mt 5.3)
  • 38. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA HUMILDADE REGISTRADAS NA BÍBLIA I. A humildade é o primeiro requisito para servir a Deus.(Mq 6:6-8) II. O humilde usufrui da presença de Deus.(Is 57:15) III.Os maiores no reino de Cristo são os humildes de coração (Mt 18:1-4; Mt 20:20-28). IV.Ao humilde, Deus sempre dará vida, graça, honra e bênçãos. (Pv 22:4; Pv 15:33; Pv 3:34).
  • 39. 3. A JUSTIÇA DE DEUS A justiça divina geralmente é manifestada como atos de salvação, misericórdia e bondade de Deus, mas também de juízo. O profeta estava prevendo esse momento para o povo, em que seriam visitados em sua maldade. O povo seria poupado se estivesse um líder justo = o messias (lembrando que a expectativa era de um líder humano, não divino).
  • 40. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA JUSTIÇA DE DEUS REGISTRADAS NA BÍBLIA I. A justiça de Deus é dada ao homem pela ação do Espírito Santo para a perfeição e santificação .(Mt 5:48) II.A justiça de Deus é conhecida pela fé e manifestada pelo Espírito Santo.(Rm 1:17). III.A justiça de Deus é elemento de convencimento do homem do pecado, justiça e juízo pela ação exclusiva do Espírito Santo. (Jo 16:7-11).
  • 41. CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DA MISERICÓRDIA DE DEUS REGISTRADAS NA BÍBLIA I. a misericórdia de Deus é um ato de amor para com os homens .(1 Jo 4:7-12) II. a misericórdia de Deus é muito grande e alcança todos os homens de forma universal.(Is 54:7). III.a misericórdia de Deus é uma característica própria do servo de Deus e por isso deve ser praticada. (Mt 5:7).
  • 42. PENSE A humildade é o caminho mais fácil para conseguir o favor de Deus e dos homens.
  • 43. PONTO IMPORTANTE A tradição profética israelita sempre trouxe em sua mensagem a combinação entre anúncio de juízo e restauração, justiça e graça ao povo, pois em última instância a vontade de Deus é sempre trazer vida e esperança, e não destruição ao ser humano, apesar de sermos merecedores.
  • 44. CONCLUSÃO A função profética sempre esteve junto com questões sociais e políticas. As formas de injustiça social em nossa sociedade, demonstra o quanto a profecia de Isaías é atual; A arrogância conduz o ser humano a ignorar o outro; A igreja de Cristo deve ser um meio da revelação da misericórdia e a justiça de Deus.
  • 45. HORA DA REVISÃO 1)Quais são as duas fortes denúncias que Isaías fez na profecia analisada nesta lição? 2)Que tipos de injustiça estavam sendo praticadas por Judá? 3)Qual característica o povo assumiu ao se tornar arrogante? 4)Qual foi o primeiro pecado praticado no universo? 5)Que promessa o Evangelho de Mateus faz aos humildes?