Inovação 
PROF. Mateus Cozer 
26/09/2014 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de ...
Conceitos Principais 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 2 
• Ci...
Conceitos Principais 
• Ciência: “conhecimento formulado e sistemático” 
• Tecnologia: “aplicação da ciência” 
• Invenção:...
Contexto 
Para compreender a gestão da tecnologia, é necessário compreender como 
evolui a tecnologia e seu relacionamento...
Revoluções Tecnológicas 
Instalação Desenvolvimento 
Revolução 
Tecnológica Erupção Frenesi 
Ponto de 
Virada Sinergia Mat...
Evolução tecnológica 
Performance 
Tempo/Investimento/Esforço 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Ges...
Tecnologias de displays eletrônicos 
• Tubos de raios catódicos (CRT) 
• Display de cristal líquido (LCD) 
• Display de pl...
Tecnlogias de displays eletrônicos 
Performance 
Tempo/Investimento/Esforço 
CRTX 
LCD 
X 
1897 1963 
Centro Universitário...
Tecnologias de displays eletrônicos 
• Primeiras aplicações de LCD 
• LCD viabilizou algo novo para os computadores: PORTA...
Tecnlogias de displays eletrônicos 
Performance 
Tempo/Investimento/Esforço 
CRTX 
LCD 
X 
1897 1963 
Centro Universitário...
Tecnlogias de displays eletrônicos 
Performance 
OLED-LEP 
Tempo/Investimento/Esforço 
CRTX 
LCD 
X 
1897 1963 
Centro Uni...
Mudanças e Incertezas 
Performance 
Descontinuidade Tecnológica 
Turbulência 
Tempo/Investimento/Esforço 
Centro Universit...
O caso SONY 
“Sony planeja demissão em massa - 20.000 nos próximos 3 anos” 
A Sony já dominou a indústria de televisores, ...
Inovações Radicais e Incrementais 
• Inovações Incrementais 
• Inovações Radicais 
Centro Universitário da Fundação Educac...
Inovações Radicais e Incrementais 
• Inovações Incrementais: aprimora a performance de produtos existentes 
em relação à p...
Inovações Radicais e Incrementais 
Performance 
Tempo 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da T...
Inovações Radicais ou Incrementais? 
• Áudio: cilindros - vinil – CD - MP3 
• Motores de Avião: hélice - jato 
• Navios: v...
Exercício – Curva “S” 
Performance 
Tempo/Investimento/Esforço 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Ge...
Contexto 
• Evolução tecnológica 
• Evolução da indústria 
• Evolução do mercado 
Centro Universitário da Fundação Educaci...
Automóveis 
• Aço 
• Eletricidade 
• Ar comprimido 
• Petróleo 
.... 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inacian...
Computadores 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 21
O ciclo de vida da Indústria 
Fermentação / 
Ruptura 
Padrão 
Dominante 
Inovação 
Incremental 
Maturidade 
Centro Univers...
Contexto 
• Evolução tecnológica 
• Evolução da indústria 
• Evolução do mercado 
Centro Universitário da Fundação Educaci...
Exemplos de compradores 
• Qual o seu perfil em relação às novidades tecnológicas? 
Centro Universitário da Fundação Educa...
Perfis de compradores 
Inovadores 
2,5% 
Adotantes 
Iniciais 
13,5% 
Maioria 
Inicial 
34% 
Maioria 
Tardia 
34% 
Retardat...
SCHUMPETER’S GHOST: IS HYPERCOMPETITION 
MAKING THE BEST OF TIMES SHORTER? 
ROBERT R. WIGGINS and TIMOTHY W. RUEFLI 
At th...
The push for public open standards 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufa...
The pros and cons of open standards 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manuf...
Thinking about the dynamics of the 
strategic space 
Control is: 
Public 
Private 
Access is: 
Open Closed 
Details of sta...
IBM 
360 
In practice these boundaries are fuzzy: 
Control is: 
More 
Public 
More 
Private 
Access is: 
More 
Open 
More ...
Control is: 
More 
Public 
More 
Private 
Access is: 
More 
Open 
More 
Closed 
Conventional logic (1): 
What do customers...
Conventional logic (2): 
What do producers prefer? 
Control is: 
More 
Public 
More 
Private 
Access is: 
More 
Open 
More...
Wireless communications in transition 
Service Provision 
Network Operation 
Applications 
UI 
Operating Systems 
Device D...
The innovation funnel 
Phase I Phase II Phase III Launch
An Innovation Funnel Example 
Idea 
Generation 
Initial marketing 
and technical 
concepts 
Charter 
Capability Launch & 
...
Instituto Inovação 
http://www.inova.unicamp.br/ 
http://www.institutoinovacao.com.br/ 
Centro Universitário da Fundação E...
Carlos H. de Brito Cruz 
Presidente, Fapesp 
O conhecimento, que sempre foi um dos principais insumos 
para a geração de r...
Obrigado. 
Mateus T. S. Cozer 
Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Innovation

417 visualizações

Publicada em

Innovation is a new idea, device or process.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Innovation

  1. 1. Inovação PROF. Mateus Cozer 26/09/2014 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 1
  2. 2. Conceitos Principais Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 2 • Ciência • Tecnologia • Invenção • Inovação • Difusão • Gestão Tecnológica
  3. 3. Conceitos Principais • Ciência: “conhecimento formulado e sistemático” • Tecnologia: “aplicação da ciência” • Invenção: “criação de novas idéias” • Inovação: “aplicação comercial de novas idéias” • Difusão: “introdução e adoção de inovações” • Gestão Tecnológica: “vincular tecnologia aos objetivos do negócio” Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 3
  4. 4. Contexto Para compreender a gestão da tecnologia, é necessário compreender como evolui a tecnologia e seu relacionamento com indústrias e mercados: • Evolução tecnológica • Evolução da indústria • Evolução do mercado Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 4
  5. 5. Revoluções Tecnológicas Instalação Desenvolvimento Revolução Tecnológica Erupção Frenesi Ponto de Virada Sinergia Maturidade 1° Revolução Industrial 1771-início da década de 1780 Final da década de 1780 e início da década de 1790 1793-97 1798-1812 1813-1829 2° Era do Vapor e das Ferrovias 1829 e década de- 1830 Década de 1840 1848-50 1850-1857 1857-1873 3° Era do Aço, da Eletricidade e da Engenharia Pesada 1875-1884 1884-1893 1893-95 1895-1907 1908-1918 4° Era do Petróleo, do Automóvel e da Produção em Massa 1908-1920 1920-1929 1929-43 1943-1959 1960-1974 5° Era da Informação e das Telecomunicações 1971-1987 1987-2000 2000-?? 20?? ?? Tabela 2: Propagação de paradigmas Fonte: Perez (2002 2008 2014 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 5
  6. 6. Evolução tecnológica Performance Tempo/Investimento/Esforço Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 6
  7. 7. Tecnologias de displays eletrônicos • Tubos de raios catódicos (CRT) • Display de cristal líquido (LCD) • Display de plasma (PLP) • Diodos emissores de luz orgânica (OLED) Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 7
  8. 8. Tecnlogias de displays eletrônicos Performance Tempo/Investimento/Esforço CRTX LCD X 1897 1963 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 8
  9. 9. Tecnologias de displays eletrônicos • Primeiras aplicações de LCD • LCD viabilizou algo novo para os computadores: PORTABILIDADE • Investimentos contínuos no LCD resultaram em Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 9
  10. 10. Tecnlogias de displays eletrônicos Performance Tempo/Investimento/Esforço CRTX LCD X 1897 1963 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 10
  11. 11. Tecnlogias de displays eletrônicos Performance OLED-LEP Tempo/Investimento/Esforço CRTX LCD X 1897 1963 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 11
  12. 12. Mudanças e Incertezas Performance Descontinuidade Tecnológica Turbulência Tempo/Investimento/Esforço Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 12
  13. 13. O caso SONY “Sony planeja demissão em massa - 20.000 nos próximos 3 anos” A Sony já dominou a indústria de televisores, mas falhou na transição em direção às TVs de tela plana, com display de cristal líquido (LCD) Sony anuncia joint-venture com a competidora SAMSUNG. O negócio pode garantir à empresa a permanência num setor em que a mesma se encontra em desvantagem – concentrou-se em tecnologias mais caras e menos populares Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 13
  14. 14. Inovações Radicais e Incrementais • Inovações Incrementais • Inovações Radicais Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 14
  15. 15. Inovações Radicais e Incrementais • Inovações Incrementais: aprimora a performance de produtos existentes em relação à percepção de performance atual dos clientes • Inovações Radicais: a performance inicial do produto pode ser inferior, mas o produto traz uma nova proposição de valor Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 15
  16. 16. Inovações Radicais e Incrementais Performance Tempo Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 16
  17. 17. Inovações Radicais ou Incrementais? • Áudio: cilindros - vinil – CD - MP3 • Motores de Avião: hélice - jato • Navios: vela - vapor • Materiais: plástico • Varejo: introdução do e-commerce • Calculadoras: mecânica – eletrônica • Impressoras: Matricial - Laser – Jato de tinta • Aviação: Varig - Gol Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 17
  18. 18. Exercício – Curva “S” Performance Tempo/Investimento/Esforço Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 18
  19. 19. Contexto • Evolução tecnológica • Evolução da indústria • Evolução do mercado Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 19
  20. 20. Automóveis • Aço • Eletricidade • Ar comprimido • Petróleo .... Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 20
  21. 21. Computadores Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 21
  22. 22. O ciclo de vida da Indústria Fermentação / Ruptura Padrão Dominante Inovação Incremental Maturidade Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 22
  23. 23. Contexto • Evolução tecnológica • Evolução da indústria • Evolução do mercado Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 23
  24. 24. Exemplos de compradores • Qual o seu perfil em relação às novidades tecnológicas? Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 24
  25. 25. Perfis de compradores Inovadores 2,5% Adotantes Iniciais 13,5% Maioria Inicial 34% Maioria Tardia 34% Retardatários 16% Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 25
  26. 26. SCHUMPETER’S GHOST: IS HYPERCOMPETITION MAKING THE BEST OF TIMES SHORTER? ROBERT R. WIGGINS and TIMOTHY W. RUEFLI At the center of Schumpeter’s theory of competitive behavior is the assertion that competitive advantage will become increasingly more difficult to sustain in a wide range of industries. We also find evidence that sustained competitive advantage is increasingly a matter not of a single advantage maintained over time but more a matter of concatenating over time a sequence of advantages. role profit plays in motivating innovation ! Hipercompetição (D’Aveni, 1995) Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 26
  27. 27. The push for public open standards Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 27
  28. 28. The pros and cons of open standards Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 28 Pros Cons Pros Cons
  29. 29. Thinking about the dynamics of the strategic space Control is: Public Private Access is: Open Closed Details of standards are available to all: no single firm has control over how they evolve: no charge for their use E.g. TCP/IP, HTML Details of standard are made available to all: but owner has control over how the standard evolves and may charge for use E.g. Nintendo, Palm OS Standards are owned and controlled by the public sector but are not freely available E.g. Cryptography Technology may be standard, but details are not made available beyond the firm E.g. Landmark Graphics, IBM 360
  30. 30. IBM 360 In practice these boundaries are fuzzy: Control is: More Public More Private Access is: More Open More Closed Linux Symbian CDMA Windows Mercury/ Corba
  31. 31. Control is: More Public More Private Access is: More Open More Closed Conventional logic (1): What do customers prefer?
  32. 32. Conventional logic (2): What do producers prefer? Control is: More Public More Private Access is: More Open More Closed
  33. 33. Wireless communications in transition Service Provision Network Operation Applications UI Operating Systems Device Design Device Manufacture Chipset Design Market Share NTT DoCoMo Vodafone T-MobileOrange Microsoft Linux Motorola Siemens TI Microsoft Qualcomm Chipset Manufacture Motorola I-250 and beyond Microsoft Infineon Vodafone Live! W-CDMA Series 60-90 Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 33 BREW SavaJe Windows Windows Live! Sony Ericsson Clones and Asians EMS Players Samsung UIQ Nokia Symbian Series 60-90 Symbian Symbian Symbian Value Share
  34. 34. The innovation funnel Phase I Phase II Phase III Launch
  35. 35. An Innovation Funnel Example Idea Generation Initial marketing and technical concepts Charter Capability Launch & Contract Launch Proposal Post Launch Review Gatekeeper Gatekeeper Gatekeeper Gatekeeper Feasibility Concept refinement and prototype creation Product optimization Rollout Commercialization Production & Distribution One page description of proposed project including objective, rationale and development routes. Early Commercial Assessment Cross-functional development plan including project plan as contract between team and Gatekeeper. Launch Plan including CEP approval request. Tracks success of and key learnings from launched products KEY = GATE = DOCUMENT
  36. 36. Instituto Inovação http://www.inova.unicamp.br/ http://www.institutoinovacao.com.br/ Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 36
  37. 37. Carlos H. de Brito Cruz Presidente, Fapesp O conhecimento, que sempre foi um dos principais insumos para a geração de riqueza e bem estar social, passou a ser reconhecido como tal a partir da revolução da informação trazida pela Internet. A análise apresentada sobre as atividades e investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil permite concluir que além de haver poucos Cientistas e Engenheiros atuantes em P&D, há um percentual muito reduzido destes que trabalham, para empresas. Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 37
  38. 38. Obrigado. Mateus T. S. Cozer Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana – Gestão da Tecnologia de Manufatura - 38 CEO ip E-mail: mtscozer@gmail.com Telefones: 051-9575-1941 051-8937-3484 051-8451-8961

×