SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Aluna: Esp. Maria Meire Lucio Matos
Prof.: Dr. Gilvandennys Leite Sales
MESTRADO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE
CIÊNCIAS E MATEMÁTICA - PGECM
POLÍTICAS PARA FOMENTO DE PRODUÇÃO E USO DE OBJETOS
DE APRENDIZAGEM
Carmem Lúcia Prata
(Coordenadora da Rived/Seed/MEC)
Anna Christina de Azevedo Nascimento
(Designer Instrucional do Rived/Seed/MEC)
Mauricio Pietrocola
(Professor da Faculdade de Educação da USP)
Introdução
 Programas e ações governamentais têm como intuito digitalizar as
escolas com uso de recursos digitais para promover aprendizagens
significativas e contextualizadas aos alunos;
 O MEC passa a produzir objetos de aprendizagem interativos e com
qualidade pedagógica para diversas as áreas da Educação Básica;
 Em 2004, iniciou-se o processo de transferência de metodologia
Rived, programa da Seed/MEC;
 Para atender aos propósitos dos projetos, foi oferecido um curso à
distância Como fazer objetos de aprendizagem;
Fábrica Virtual
• O projeto Rived/Fábrica Virtual tem como
propósitos intensificar e transferir o processo
de pesquisa, desenvolvimento e produção de
Objetos de Aprendizagem.
http://rived.mec.gov.br/fabrica.php
Concurso Rived
Em 2005 a Seed criou o Concurso Rived de Produção de Objetos de
Aprendizagem com o objetivo de:
 apoiar e intensificar o desenvolvimento de conteúdo pedagógico digital para
atender a educação básica;
 incentivar a pesquisa e a produção de conhecimentos relacionados à
construção de conteúdo multimídia para o uso no computador;
 divulgar a metodologia e uso de objetos de aprendizagem na educação;
 fomentar a cultura de produção de objetos de aprendizagem nas
universidades, Núcleos de Tecnologia Educacional (NTEs) e escolas
(RIVED, 2007).
Como Fazer Objetos de Aprendizagem
 Um curso de capacitação à distância;
 Preparação de novas equipes
integrantes da Fábrica Virtual na
construção dos recursos educacionais;
 Objetivo de estruturar os profissionais
de formações diferentes em um
processo de trabalho integrado e
eficiente.
http://www-usr.inf.ufsm.br/~rose/curso3/sobre.htm
Abordagem: um ambiente centrado
na comunidade
 Oferece um ambiente para promover a
aprendizagem ativa dos alunos
estimulando a união e a colaboração
entre os participantes;
 A teoria de aprendizagem colaborativa
(BRUNER, apud RIVED, 1984).
O design instrucional do curso
As etapas de produção de um
Objeto de Aprendizagem:
 Design pedagógico;
 Roteiro;
 Guia do professor;
 Produto (objeto de
aprendizagem).
A experiência de realização do curso
 Tomar decisões em equipes;
 A comunicação contínua entre
os participantes;
 A contribuição dos tutores.
Considerações finais
 Essas iniciativas focam na construção de um sistema
educacional de maior qualidade, que beneficiem a todos os
níveis de ensino da Educação Básica;
 As modernas formas de tecnologia da informação e
comunicação contribuem para a evolução dos métodos de
pesquisa e aprendizagem, tornando-os cada vez mais eficazes;
 Espera-se que as equipes participantes da capacitação
continuem com a prática do trabalho colaborativo e o
fortalecimento da comunidade de aprendizagem de OA.
Como Usar Objetos de Aprendizagem
O curso “Como usar”:
 Tem como objetivo a
capacitação técnica e
pedagógica dos
multiplicadores dos
NTEs;
 Planejar, conduzir e
avaliar atividades
pedagógicas.
http://rived.mec.gov.br/comousar/inicio.swf
Referências
ALVES-FILHO, José de Pinho Alves; PINHEIRO, Terezinha de Fátima, PIETROCOLA, Maurício. “A
eletrostática como exemplo de Transposição Didática”. In:PIETROCOLA, Maurício (Org.). Ensino de
física: conteúdo, metodologia e epistemologia em uma concepção integradora. UFSC, 2001.
BROUSSEAU, Guy. “Fondements et méthodes de la didactique des mathématiques”. Recherches em
Didactique des Mathématiques, v.7, n.2, Grenoble, 1986.
BRANSFORD, J.; BROWN, A.; COCKING, R. How People Learn: Brain, Mind, Experience, and School
Committee on Developments in the Science of Learning. National Academy Press. 2000. Disponível
em:<http://www.nap.edu/books/0309070368/html/> .Acesso em: jul. 2005.
BARRON, B. J.; SCHWARTZ, D. L.; VYE, N. J.; MOORE, A.; PETROSINO, A.; ZECH, L.;
BRANSFORD, J. D.; Cognition and Technology Group at Vanderbilt. Doing with understanding: Lessons
from research on problem- and projectbased learning. Journal of the Learning Sciences, 7, 271-312, 1998.
BEREITER, C.; M. SCARDAMALIA. Surpassing Ourselves: An Inquiry into the Nature and Implications
of Expertise. Chicago and La Salle, IL: Open Court Publishing, 1993.
BRUNER, J. Vygotsky’s zone of proximal development: The hidden agenda. 1984. In Schunk, D.
Learning Theories: an education perspective. Columbus, OH: Merrill Prentice-Hall, 1996.
__________. Constructivist Theory. Disponível em:<http://tip.psychology.org/bruner.html> . 2001. Acesso
em: jul. 2005.
Referências
DAY, J. D. The zone of proximal development. In: PRESSLEYM, M.; LEVIN, J. R. (Eds.).
Cognitive Strategy instruction: Psychological foundations (p.155- 175). New York: Springer-Verlag,
1983.
CHEVALLARD, Yves. La Transposition didactique: du savoir savant au savoir enseigné. Grenoble:
La pensée Sauvage editions, 1991.
ERICSSON, K. A.; KRAMPE, R. T. ; TESCH-ROMER, C.. The role of deliberate practice in the
acquisition of expert performance. Psychological Review 100, p. 363-406. 1993.
GLASSMAN, M. Dewy and Vygotsky: Society experience and inquiry in education practice.
Educational Researcher, 30(4), 3-14. 2001.
JOHNSON, R. T.; JOHNSON, D. W. Action research: cooperative learning in the science
classroom. Science and Children, 24, 31-32. 1986.
JOHNSON, W. D. Student-student interaction: the neglected variable in education. Educational
Research, 10(1), 5-10. 1991.
JONASSEN, D.; DAVIDSON, M.; COLLINS, M.; CAMPBELL, J.; HAAG, B. B. Constructivism
and Computer Mediated Communication in Distance Education. The American Journal of Distance
Education, 9(2), 7-26. 1995.
LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning Legitimate peripheral participation. Cambridge
University Press. 1991.
Referências
MCCOMBS, B. L. Alternative perspectives for motivation. p. 67-87. In: BAKER L.; AFFLERBACK P.;
REINKING, D. (Eds.). Developing Engaged Readers in School and Home Communities. Mahwah, NJ:
Erlbaum. 1996.
MCDONALD, J. P.; NASO, P. Teacher as learner: the impact of technology.Cambridge, MA:
Educational Technology Center, Harvard Graduate School of Education, 1986.
PANITZ, T. “Collaborative Versus Cooperative Learning: Comparing the Two Definitions Helps
Understand the nature of Interactive learning” Cooperative Learning and College Teaching, v. 8, n. 2,
Winter, 1997.
PRESSLEY, M.; HOGAN, K. Scaffolding student learning: instructional approaches and issues.
Cambridge, Mass: Brookline Books, 1997.
SCHUNK, D. Learning Theories: an education perspective. Columbus, OH: Merrill Prentice-Hall, 1996.
SLAVIN, R. E. Cooperative Learning Theory, Research and Practice. Needham Heights, Massachusetts:
Allyn and Bacon. 1990.
TOTTEN, S.; SILLS, T.; DIGBY, A.; RUSS, P. Cooperative learning: a guide to research. New York:
Garland, 1991. 121
Políticas para fomento de produção e uso de objetos de aprendizagem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Internet como recurso pedagógico
Internet como recurso pedagógicoInternet como recurso pedagógico
Internet como recurso pedagógicoKelly Lima
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIadoryeva sylva
 
Resumo uso pedagogico de wiki
Resumo uso pedagogico de wikiResumo uso pedagogico de wiki
Resumo uso pedagogico de wikiadoryeva sylva
 
Maristela stefanello
Maristela stefanelloMaristela stefanello
Maristela stefanelloequipetics
 
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da Batalha
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da BatalhaProjeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da Batalha
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da BatalhaAgrupamento de Escolas da Batalha
 
Zeni marilise portella
Zeni marilise portellaZeni marilise portella
Zeni marilise portellaequipetics
 
Exploração de um ambiente de aprendizagem
Exploração de um ambiente de aprendizagemExploração de um ambiente de aprendizagem
Exploração de um ambiente de aprendizagemFernando Rui Campos
 
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...ProfessorPrincipiante
 
Por que o computador na educação
Por que o computador na educaçãoPor que o computador na educação
Por que o computador na educaçãolidcabral
 
Edilaineguedes TCC
Edilaineguedes TCCEdilaineguedes TCC
Edilaineguedes TCCedi
 
Apresentação do proinfo
Apresentação do proinfoApresentação do proinfo
Apresentação do proinfo30062013
 
Funções do Professor Mediador
Funções do Professor MediadorFunções do Professor Mediador
Funções do Professor MediadorEMEF ODL
 
Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sleilareny
 
Educação de infância e tic afirse
Educação de infância e tic  afirseEducação de infância e tic  afirse
Educação de infância e tic afirseSonia Pacheco
 
Impacto das tic na formação de educadores brasileiros
Impacto das tic na formação de educadores brasileirosImpacto das tic na formação de educadores brasileiros
Impacto das tic na formação de educadores brasileirosrositalima
 
Andrea filatro apostila
Andrea filatro apostilaAndrea filatro apostila
Andrea filatro apostilaElisabeth Cruz
 
Apresentacao Tcc
Apresentacao TccApresentacao Tcc
Apresentacao Tccsueli
 

Mais procurados (19)

Internet como recurso pedagógico
Internet como recurso pedagógicoInternet como recurso pedagógico
Internet como recurso pedagógico
 
Uso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKIUso Pedagógico de WIKI
Uso Pedagógico de WIKI
 
Síntese dos processos (formação & avaliação)
Síntese dos processos (formação & avaliação)Síntese dos processos (formação & avaliação)
Síntese dos processos (formação & avaliação)
 
Resumo uso pedagogico de wiki
Resumo uso pedagogico de wikiResumo uso pedagogico de wiki
Resumo uso pedagogico de wiki
 
Maristela stefanello
Maristela stefanelloMaristela stefanello
Maristela stefanello
 
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da Batalha
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da BatalhaProjeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da Batalha
Projeto Aprender e Inovar com TIC: Agrupamento de escolas da Batalha
 
Zeni marilise portella
Zeni marilise portellaZeni marilise portella
Zeni marilise portella
 
Exploração de um ambiente de aprendizagem
Exploração de um ambiente de aprendizagemExploração de um ambiente de aprendizagem
Exploração de um ambiente de aprendizagem
 
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
UM PROCESSO REFLEXIVO A PARTIR DO ESTÁGIO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A UTI...
 
Por que o computador na educação
Por que o computador na educaçãoPor que o computador na educação
Por que o computador na educação
 
Edilaineguedes TCC
Edilaineguedes TCCEdilaineguedes TCC
Edilaineguedes TCC
 
Apresentação do proinfo
Apresentação do proinfoApresentação do proinfo
Apresentação do proinfo
 
WebQuest
WebQuestWebQuest
WebQuest
 
Funções do Professor Mediador
Funções do Professor MediadorFunções do Professor Mediador
Funções do Professor Mediador
 
Projeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,sProjeto escolar tic,s
Projeto escolar tic,s
 
Educação de infância e tic afirse
Educação de infância e tic  afirseEducação de infância e tic  afirse
Educação de infância e tic afirse
 
Impacto das tic na formação de educadores brasileiros
Impacto das tic na formação de educadores brasileirosImpacto das tic na formação de educadores brasileiros
Impacto das tic na formação de educadores brasileiros
 
Andrea filatro apostila
Andrea filatro apostilaAndrea filatro apostila
Andrea filatro apostila
 
Apresentacao Tcc
Apresentacao TccApresentacao Tcc
Apresentacao Tcc
 

Semelhante a Políticas para fomento de produção e uso de objetos de aprendizagem

Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...
Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...
Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...hawbertt
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaSandra Azevedo
 
Apresentação CBIE 2013 UNICAMP
Apresentação CBIE 2013  UNICAMPApresentação CBIE 2013  UNICAMP
Apresentação CBIE 2013 UNICAMPSilvia Fichmann
 
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídiasDesign pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídiasRenata Aquino
 
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógicaE-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógicaJoao Mattar
 
A diversidade de mídias na produção de cursos a distância
A diversidade de mídias na produção de cursos a distânciaA diversidade de mídias na produção de cursos a distância
A diversidade de mídias na produção de cursos a distânciaFernanda Tess
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiCursoTICs
 
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...Alexandre da Rosa
 
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptAPRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptSilvioMattos3
 
Valéria cacia chagas
Valéria cacia chagasValéria cacia chagas
Valéria cacia chagasequipetics
 
Metodologias utilizadas na EaD
Metodologias utilizadas na EaDMetodologias utilizadas na EaD
Metodologias utilizadas na EaDJoao Mattar
 
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...UFPE
 
Diretrizes para elaboração de Material didático
Diretrizes para elaboração de Material didáticoDiretrizes para elaboração de Material didático
Diretrizes para elaboração de Material didáticoAndreza Lopes
 
Apresentação Monografia UEMA.pptx
Apresentação Monografia UEMA.pptxApresentação Monografia UEMA.pptx
Apresentação Monografia UEMA.pptxJooLinhares9
 

Semelhante a Políticas para fomento de produção e uso de objetos de aprendizagem (20)

Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...
Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...
Aprendizagem por meio de interações em Objetos de Aprendizagem no ensino de F...
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
Apresentação CBIE 2013 UNICAMP
Apresentação CBIE 2013  UNICAMPApresentação CBIE 2013  UNICAMP
Apresentação CBIE 2013 UNICAMP
 
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídiasDesign pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
 
Tecnologias educação visual
Tecnologias educação visualTecnologias educação visual
Tecnologias educação visual
 
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógicaE-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
E-Learning no Ensino Superior: contributos para a inovação pedagógica
 
A diversidade de mídias na produção de cursos a distância
A diversidade de mídias na produção de cursos a distânciaA diversidade de mídias na produção de cursos a distância
A diversidade de mídias na produção de cursos a distância
 
Almeida
AlmeidaAlmeida
Almeida
 
Almeida
AlmeidaAlmeida
Almeida
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane Guidotti
 
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
PROEJA-FIC - PROEJA-FIC em Salvador do Sul: Uma Experiência de Construção Col...
 
silvana.ppt
silvana.pptsilvana.ppt
silvana.ppt
 
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.pptAPRENDIZAGEM MOVEL.ppt
APRENDIZAGEM MOVEL.ppt
 
silvana.ppt
silvana.pptsilvana.ppt
silvana.ppt
 
Valéria cacia chagas
Valéria cacia chagasValéria cacia chagas
Valéria cacia chagas
 
Metodologias utilizadas na EaD
Metodologias utilizadas na EaDMetodologias utilizadas na EaD
Metodologias utilizadas na EaD
 
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
A TI como agente transformador das experiências de aprendizagem nas universi...
 
Diretrizes para elaboração de Material didático
Diretrizes para elaboração de Material didáticoDiretrizes para elaboração de Material didático
Diretrizes para elaboração de Material didático
 
Apresentação Monografia UEMA.pptx
Apresentação Monografia UEMA.pptxApresentação Monografia UEMA.pptx
Apresentação Monografia UEMA.pptx
 

Último

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 

Último (20)

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 

Políticas para fomento de produção e uso de objetos de aprendizagem

  • 1. Aluna: Esp. Maria Meire Lucio Matos Prof.: Dr. Gilvandennys Leite Sales MESTRADO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA - PGECM
  • 2. POLÍTICAS PARA FOMENTO DE PRODUÇÃO E USO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM Carmem Lúcia Prata (Coordenadora da Rived/Seed/MEC) Anna Christina de Azevedo Nascimento (Designer Instrucional do Rived/Seed/MEC) Mauricio Pietrocola (Professor da Faculdade de Educação da USP)
  • 3. Introdução  Programas e ações governamentais têm como intuito digitalizar as escolas com uso de recursos digitais para promover aprendizagens significativas e contextualizadas aos alunos;  O MEC passa a produzir objetos de aprendizagem interativos e com qualidade pedagógica para diversas as áreas da Educação Básica;  Em 2004, iniciou-se o processo de transferência de metodologia Rived, programa da Seed/MEC;  Para atender aos propósitos dos projetos, foi oferecido um curso à distância Como fazer objetos de aprendizagem;
  • 4. Fábrica Virtual • O projeto Rived/Fábrica Virtual tem como propósitos intensificar e transferir o processo de pesquisa, desenvolvimento e produção de Objetos de Aprendizagem. http://rived.mec.gov.br/fabrica.php
  • 5. Concurso Rived Em 2005 a Seed criou o Concurso Rived de Produção de Objetos de Aprendizagem com o objetivo de:  apoiar e intensificar o desenvolvimento de conteúdo pedagógico digital para atender a educação básica;  incentivar a pesquisa e a produção de conhecimentos relacionados à construção de conteúdo multimídia para o uso no computador;  divulgar a metodologia e uso de objetos de aprendizagem na educação;  fomentar a cultura de produção de objetos de aprendizagem nas universidades, Núcleos de Tecnologia Educacional (NTEs) e escolas (RIVED, 2007).
  • 6. Como Fazer Objetos de Aprendizagem  Um curso de capacitação à distância;  Preparação de novas equipes integrantes da Fábrica Virtual na construção dos recursos educacionais;  Objetivo de estruturar os profissionais de formações diferentes em um processo de trabalho integrado e eficiente. http://www-usr.inf.ufsm.br/~rose/curso3/sobre.htm
  • 7. Abordagem: um ambiente centrado na comunidade  Oferece um ambiente para promover a aprendizagem ativa dos alunos estimulando a união e a colaboração entre os participantes;  A teoria de aprendizagem colaborativa (BRUNER, apud RIVED, 1984).
  • 8. O design instrucional do curso As etapas de produção de um Objeto de Aprendizagem:  Design pedagógico;  Roteiro;  Guia do professor;  Produto (objeto de aprendizagem).
  • 9. A experiência de realização do curso  Tomar decisões em equipes;  A comunicação contínua entre os participantes;  A contribuição dos tutores.
  • 10. Considerações finais  Essas iniciativas focam na construção de um sistema educacional de maior qualidade, que beneficiem a todos os níveis de ensino da Educação Básica;  As modernas formas de tecnologia da informação e comunicação contribuem para a evolução dos métodos de pesquisa e aprendizagem, tornando-os cada vez mais eficazes;  Espera-se que as equipes participantes da capacitação continuem com a prática do trabalho colaborativo e o fortalecimento da comunidade de aprendizagem de OA.
  • 11. Como Usar Objetos de Aprendizagem O curso “Como usar”:  Tem como objetivo a capacitação técnica e pedagógica dos multiplicadores dos NTEs;  Planejar, conduzir e avaliar atividades pedagógicas. http://rived.mec.gov.br/comousar/inicio.swf
  • 12. Referências ALVES-FILHO, José de Pinho Alves; PINHEIRO, Terezinha de Fátima, PIETROCOLA, Maurício. “A eletrostática como exemplo de Transposição Didática”. In:PIETROCOLA, Maurício (Org.). Ensino de física: conteúdo, metodologia e epistemologia em uma concepção integradora. UFSC, 2001. BROUSSEAU, Guy. “Fondements et méthodes de la didactique des mathématiques”. Recherches em Didactique des Mathématiques, v.7, n.2, Grenoble, 1986. BRANSFORD, J.; BROWN, A.; COCKING, R. How People Learn: Brain, Mind, Experience, and School Committee on Developments in the Science of Learning. National Academy Press. 2000. Disponível em:<http://www.nap.edu/books/0309070368/html/> .Acesso em: jul. 2005. BARRON, B. J.; SCHWARTZ, D. L.; VYE, N. J.; MOORE, A.; PETROSINO, A.; ZECH, L.; BRANSFORD, J. D.; Cognition and Technology Group at Vanderbilt. Doing with understanding: Lessons from research on problem- and projectbased learning. Journal of the Learning Sciences, 7, 271-312, 1998. BEREITER, C.; M. SCARDAMALIA. Surpassing Ourselves: An Inquiry into the Nature and Implications of Expertise. Chicago and La Salle, IL: Open Court Publishing, 1993. BRUNER, J. Vygotsky’s zone of proximal development: The hidden agenda. 1984. In Schunk, D. Learning Theories: an education perspective. Columbus, OH: Merrill Prentice-Hall, 1996. __________. Constructivist Theory. Disponível em:<http://tip.psychology.org/bruner.html> . 2001. Acesso em: jul. 2005.
  • 13. Referências DAY, J. D. The zone of proximal development. In: PRESSLEYM, M.; LEVIN, J. R. (Eds.). Cognitive Strategy instruction: Psychological foundations (p.155- 175). New York: Springer-Verlag, 1983. CHEVALLARD, Yves. La Transposition didactique: du savoir savant au savoir enseigné. Grenoble: La pensée Sauvage editions, 1991. ERICSSON, K. A.; KRAMPE, R. T. ; TESCH-ROMER, C.. The role of deliberate practice in the acquisition of expert performance. Psychological Review 100, p. 363-406. 1993. GLASSMAN, M. Dewy and Vygotsky: Society experience and inquiry in education practice. Educational Researcher, 30(4), 3-14. 2001. JOHNSON, R. T.; JOHNSON, D. W. Action research: cooperative learning in the science classroom. Science and Children, 24, 31-32. 1986. JOHNSON, W. D. Student-student interaction: the neglected variable in education. Educational Research, 10(1), 5-10. 1991. JONASSEN, D.; DAVIDSON, M.; COLLINS, M.; CAMPBELL, J.; HAAG, B. B. Constructivism and Computer Mediated Communication in Distance Education. The American Journal of Distance Education, 9(2), 7-26. 1995. LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning Legitimate peripheral participation. Cambridge University Press. 1991.
  • 14. Referências MCCOMBS, B. L. Alternative perspectives for motivation. p. 67-87. In: BAKER L.; AFFLERBACK P.; REINKING, D. (Eds.). Developing Engaged Readers in School and Home Communities. Mahwah, NJ: Erlbaum. 1996. MCDONALD, J. P.; NASO, P. Teacher as learner: the impact of technology.Cambridge, MA: Educational Technology Center, Harvard Graduate School of Education, 1986. PANITZ, T. “Collaborative Versus Cooperative Learning: Comparing the Two Definitions Helps Understand the nature of Interactive learning” Cooperative Learning and College Teaching, v. 8, n. 2, Winter, 1997. PRESSLEY, M.; HOGAN, K. Scaffolding student learning: instructional approaches and issues. Cambridge, Mass: Brookline Books, 1997. SCHUNK, D. Learning Theories: an education perspective. Columbus, OH: Merrill Prentice-Hall, 1996. SLAVIN, R. E. Cooperative Learning Theory, Research and Practice. Needham Heights, Massachusetts: Allyn and Bacon. 1990. TOTTEN, S.; SILLS, T.; DIGBY, A.; RUSS, P. Cooperative learning: a guide to research. New York: Garland, 1991. 121