SlideShare uma empresa Scribd logo
Informática Educativa II: Projeto de Aprendizagem
Título: O impacto do lixo tecnológico no meio ambiente
Nome do Aluno: Alexandre Assis, Luciene Lima, Priscila Nunes e Ricardo
Dias
Grupo: Ômega
1. Disciplina e anos envolvidos:
Matemática, Biologia, Filosofia, Química, Física e Geografia
1º Ano do Ensino Médio
2. Tema central :
Malefícios do Lixo Tecnológico
3. Temas de apoio:
• O crescimento vertiginoso na produção de aparelhos eletroeletrônicos;
• A rapidez com que os aparelhos eletroeletrônicos se tornam obsoletos em
função dos avanços tecnológicos;
• Reciclagem do lixo eletrônico.
• Consciência na arte de consumir
• A função aplicada na resolução de problemas de meia-vida.
4. Justificativa:
Este trabalho é uma forma de facilitar a compreensão dos discentes sobre função e
desenvolver a capacidade de análise de gráficos a partir da observação de dados,
objetivando a criação de estratégias para a diminuição do impacto do lixo tecnológico
no meio ambiente.
O projeto foi planejado para melhorar a relação dos discentes com o conteúdo,
aproximando da realidade deles. Cada vez mais, encontramos pesquisadores
reforçando a idéia de que a matemática não pode ser reduzida a um conjunto de
procedimentos mecânicos e repetitivos. O que se propõe hoje é que o ensino de
Matemática possa aproveitar ao máximo os recursos tecnológicos, tanto pela sua
receptividade social como para melhorar a linguagem expressiva e comunicativa dos
alunos.
Este projeto destina-se a um aprendizado significativo do ensino de Funções, com o
objetivo de construir um conhecimento de forma prazerosa e coletiva.
De forma a estimular a autonomia do educando, explorar as situações de relações das
experiências com conceito relacionado-as às funções, a tabulação de dados gerados,
pelas pesquisas, sejam elementos que contribuam para a análise e possível conjecturas
a partir dos gráficos gerados. A prática da socialização entre os alunos e o respeito aos
diferentes níveis de desenvolvimento, podem ser destacados como atitudes a serem
trabalhadas para a arquitetura de um ambiente construtivo de constante respeito entre
os envolvidos na atividade.
5. Objetivos gerais e específicos:
1
Esse trabalho tem como Objetivo Geral orientar os discentes, quanto à utilização do
lixo, para saber os locais adequados para descartá-lo, ajudando na reciclagem e
contribuindo para a conscientização sobre o Aquecimento Global, além de trabalhar a
iniciativa e o conceito de interdisciplinaridade, muito comum aos nossos dias. O
projeto tende a estender a metodologia tradicional, incentivando a interação e o
envolvimento da comunidade escolar. Usar as TICs (Tecnologias de Informação e
Comunicação) de maneira integrada, promovendo a autoria coletiva no uso de
softwares, publicação de blogs, edição de slides e vídeos.
Nos Objetivos Específicos, pretendemos ilustrar o conceito de função e construção de
gráficos e trabalhar com a análise dos mesmos, nomenclatura de elementos químicos
(como Química Orgânica), Meia Vida, Cálculo Estequiométrico, Termometria,
Calorimetria, Meio Ambiente, Poluição.
6. Enfoque pedagógico:
Utilizar-se da técnica de reciclagem como alicerce pedagógico, possibilitando ao
discente uma experiência de cidadania concreta, colocando-o em relação com o mundo
do trabalho concebido como uma possibilidade de interação com o mundo para
transformá-lo, e conscientizar o discente da utilização adequada do lixo como
consumo.
Pela aprendizagem, aspectos primordiais do desenvolvimento humano são trabalhados,
como a capacidade de trabalhar em grupo, de se expressar publicamente ou interligar
conhecimentos. Com isso, não acreditando que se possa apontar determinada teoria
como a mais correta, este projeto possui uma interligação de teorias pedagógicas.
Como aspectos do neo-comportamentalismo, foca-se a hierarquização do
conhecimento numa rede de tópicos com diferentes caminhos possíveis para se atingir
o objetivo desejado.
Em vez de dar a matéria, numa aula somente expositiva, este projeto foi pensado de
forma que o docente, em uma postura construtivista, organize o trabalho didático-
pedagógico de modo que o aluno seja ativo na sua própria aprendizagem, enquanto ele
fica na posição de mediador e facilitador desse processo de ensino-aprendizagem.
Trabalha-se ainda com o conceito de interação do sócio – interacionismo, numa
dinâmica onde a ação ou o discurso do outro causam modificações na forma de pensar
e agir, interferindo no modo como a elaboração e a apropriação do conhecimento se
consolidarão.
Também teremos uma aprendizagem cooperativa, já que os conhecimentos adquiridos
nestes espaços foram construídos por todos.
Essa interação e troca de conhecimentos entre o grupo, possibilita o contato com novas
formas de entendimento as coisas, e todos tendo liberdade de expressar sua opinião,
dúvidas, questionamentos, e aprender com o outro, formando um conhecimento
coletivo.
7. Recursos tecnológicos:
Utilização do laboratório de informática, data show, notebooks, caixas de som e um
Ambiente Virtual de Aprendizagem confeccionado sob a orientação de uma equipe
2
Pedagógica do Colégio, designada para tal função e conscientização da população.
8. Etapas e suas estratégias de realização:
O referido projeto iniciar-se-á vinculado ao Colégio Estadual Antônio da Silva, situado
à Rua Miramar, 123 , Comendador Soares , Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, seguindo
inicialmente o cronograma (em etapas), demonstrado pela tabela abaixo, sendo
introduzido definitivamente no contexto escolar, após o ano de elaboração deste
projeto.
Etapa
1
Elaboração do projeto junto à equipe pedagógica do Colégio Estadual Antônio da
Silva.
Etapa
2
Construção de um Ambiente Virtual de Aprendizagem junto à equipe de
informática contratada pela escola, objetivando a “Sala de Aula Online” (Silva
2003), cujo assunto (tema central do projeto) estará disponível na WEB através
de links inseridos no SITE do Colégio. A reunião de informações, a
instrumentalização dos recursos tecnológicos educacionais e a elaboração do
Ambiente Virtual de Aprendizagem estarão na incumbência de: 1 (um) professor
especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática, 1 (um) orientador
pedagógico, 1 (um) professor licenciado em Ciências Biológicas, 1 (um)
professor licenciado em Geografia, 1 (um) professor licenciado em Filosofia, 1
(um) professor licenciado em Química, 1 (um) professor de Física, 1 (um)
administrador de sites e 1(um) profissional que seja responsável direto pela
manutenção dos computadores existentes no laboratório de informática da escola.
Etapa
3
Implementação do Ambiente Virtual de Aprendizagem em fase teste.
Etapa
4
Fim da fase teste.
Análise técnica do Ambiente Virtual de Aprendizagem durante o período em que
esteve na fase teste.
Etapa
5
Implementação do Ambiente Virtual de Aprendizagem de forma definitiva.
Etapa
6
Capacitação dos professores desambientados com a informática no laboratório da
escola. Tal capacitação será ministrada pelo professor Especialista em Novas
Tecnologias no Ensino da Matemática, no laboratório de informática do Colégio.
Etapa
7
Capacitação dos alunos (especificamente, aos do 1º Ano do Ensino Médio)
desambientados com a informática. Tal capacitação será ministrada (também)
pelo professor Especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática, no
laboratório de informática do Colégio.
Etapa
8
Aula inaugural (aplicação do projeto) no laboratório de informática da escola
com a apresentação de recursos audiovisuais, enfatizando a estrutura lógica do
3
projeto e suas razões, proporcionando idéias e sugestões para o corpo discente na
execução do mesmo.
Nesta etapa, professores e alunos estarão empenhados na “Empreitada
Construtivista” adicionando informações no Ambiente Virtual de Aprendizagem
construído pela equipe selecionada para tal fim, proporcionando informações
concretas sobre o Tema Central, objetivando a interatividade Docente X
Discente.
Etapa
9
Período destinado à confecção (sob a orientação dos professores responsáveis por
tais disciplinas que integram a equipe pedagógica do projeto) dos Trabalhos
Temáticos, das Pesquisas de Campo, da construção dos Blogs Educativos, dos
roteiros específicos destinados às Palestras e a organização das apresentações
destinadas ao Corpo e a Comunidade Escolar, na Feira Pedagógica, tendo como
referência, os assuntos disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem
desenvolvido pela equipe pedagógica do Colégio.
Etapa
10
Apresentação e exposição das atividades idealizadas no período correspondente à
Etapa 9.
A culminância terá a participação da comunidade escolar na apreciação das
tarefas realizadas e na interação com os objetos educativos desenvolvidos numa
Feira Pedagógica a ser incluída no Projeto Político Pedagógico do Colégio, a
título de “Semana Ambiental 2011”.
9. Definição de papéis:
Os discentes serão os construtores do conhecimento neste projeto, assim como os
confeccionadores de materiais para os seus estudos futuros e de outros colegas com a
elaboração das apresentações em blogs e uma apresentação na Feira Pedagógica. São
sujeitos que interagem com o professor, com eles mesmos, com o conteúdo, com as
ferramentas disponíveis e dessa forma constroem o conhecimento.
O professor terá a função de facilitador, propondo atividades que instiguem a criação
dos alunos, além de mediar às discussões e auxiliar na consolidação do conhecimento
pelos alunos.
10. Sites e bibliografia de apoio:
• revistaescola.abril.com.br, 04/06/09: Como funciona a reciclagem de
computadores?, acessado em 23 de novembro de 2009.
• SILVA, Marco. Educação online: teorias, práticas, legislação, formação
corporativa. São Paulo: Edições Loyola, 2003.
• http://jus.uol.com.br/revista/texto/6753/o-principio-da-insignificancia-no-
direito-ambiental
11. Coleta de dados:
4
11.1) Questionário aos familiares e conhecidos: Onde descartam pilhas, baterias, etc?
11.2) Recolher dados (via internet, jornais, revistas) do Meio Ambiente como:
AQUECIMENTO GLOBAL, LIXO TECNOLÓGICO, POLUIÇÃO VISUAL,
DOENÇAS ORIUNDAS DESSA POLUIÇÃO TECNOLÓGICA, ETC. Com esses
dados, construir gráficos, tabelas para expor (na Feira Pedagógica ou) em um Blog
criado pelos próprios alunos. O Blog deve ser administrado pelos próprios alunos, onde
cada grupo terá seu dia para manuseá-lo, e comentar no do outro grupo, fazendo
análises entre os diversos trabalhos.
12. Seleção do material:
12.1) Analisar as respostas dos questionários e eliminar respostas repetidas do item
11.1.
12.2) Organizar os grupos para a Formação da Feira Pedagógica.
13. Programação visual:
LAYOUT
Ale, já disse no Fórum que adorei o layout. Poderíamos escrever:
"Se Meio Ambiente, preserve por inteiro."
Reciclar o lixo e suas idéias para encontrar soluções para seu habitat
14. Meios para a execução:
Faremos uma conscientização dos alunos, veiculando na escola, e na comunidade, para
se reunirem em uma feira pedagógica, com os alunos colocando seus trabalhos no blog,
para que todos possam acessar.
15. Avaliação:
O processo avaliativo terá um papel diagnóstico visando o crescimento, com uma
preocupação transformadora, se dará de forma constante durante o desenvolvimento de
toda a atividade a fim de valorizar os diferentes saberes e as formas de argumentações
nas inferências pertinentes as associações com conteúdos pertinentes à Matemática,
assim como o desenvolvimento de habilidades com as ferramentas tecnológicas.
Essa avaliação acontecerá por todas as etapas da elaboração do projeto, verificando no
discente sua participação, dedicação, compromisso, criatividade, expressão oral e
textual, senso crítico e sua disciplina, buscando verificar se todos estão acompanhando
o projeto e os níveis de dificuldade, para aplicar estratégias e procedimentos que
permitam o aprendizado de cada um.
16. Cronograma:
Etapa 1 de 07 / 02 / 2011 até 14 / 02 / 2011
Etapa 2 de 15 / 02 / 2011 até 07 / 03 / 2011
Etapa 3 de 08 / 03 / 2011 até 14 / 03 / 2011
5
Etapa 4 de 15 / 03 / 2011 até 21 / 03 / 2011
Etapa 5 a partir de 22 / 03 / 2011
Etapa 6 de 02 / 04 / 2011 até 16 / 04 / 2011
Etapa 7 de 17 / 04 / 2011 até 31 / 04 / 2011
Etapa 8 06 / 05 / 2011
Etapa 9 de 07 / 05 / 2011 até 27 / 05 / 2011
Etapa 10 de 28 / 05 / 2011 até 30 / 05 / 2011
6
Etapa 4 de 15 / 03 / 2011 até 21 / 03 / 2011
Etapa 5 a partir de 22 / 03 / 2011
Etapa 6 de 02 / 04 / 2011 até 16 / 04 / 2011
Etapa 7 de 17 / 04 / 2011 até 31 / 04 / 2011
Etapa 8 06 / 05 / 2011
Etapa 9 de 07 / 05 / 2011 até 27 / 05 / 2011
Etapa 10 de 28 / 05 / 2011 até 30 / 05 / 2011
6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
meirelucio
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
equipetics
 
Uso De Wikis em Projeto Escolares
Uso De Wikis em Projeto EscolaresUso De Wikis em Projeto Escolares
Uso De Wikis em Projeto Escolares
demartini
 
Formacao projeto uca modulo 3 puc sp
Formacao projeto uca modulo 3 puc spFormacao projeto uca modulo 3 puc sp
Formacao projeto uca modulo 3 puc sp
Renata Aquino
 
02
0202
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SPApresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
PUC-SP PPG Educacao Curriculo
 
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
hawbertt
 
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTOTEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
Dênia Falcão de Bittencourt
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
CursoTICs
 
Quadrado Magico
Quadrado MagicoQuadrado Magico
Quadrado Magico
roquematoso
 
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Israel serique
 
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
Bruno Leite
 
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático PúblicoMary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
REA Brasil
 
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth AlmeidaWie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Web Currículo PUC-SP
 
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Arlen Pinheriro Pinheiro
 
Plano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emiliaPlano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emilia
tecampinasoeste
 
Apresentaçãocurso
ApresentaçãocursoApresentaçãocurso
Apresentaçãocurso
Florise Abreu Seabra
 
Formação Brasil UCA
Formação Brasil UCAFormação Brasil UCA
Formação Brasil UCA
Otilia Regina Reis Mozer
 
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
hawbertt
 
Anderson Duarte - REDU
Anderson Duarte - REDUAnderson Duarte - REDU
Anderson Duarte - REDU
REA Brasil
 

Mais procurados (20)

Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
Questões e exemplos de implementação e uso de objetos de aprendizagem
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
 
Uso De Wikis em Projeto Escolares
Uso De Wikis em Projeto EscolaresUso De Wikis em Projeto Escolares
Uso De Wikis em Projeto Escolares
 
Formacao projeto uca modulo 3 puc sp
Formacao projeto uca modulo 3 puc spFormacao projeto uca modulo 3 puc sp
Formacao projeto uca modulo 3 puc sp
 
02
0202
02
 
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SPApresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
 
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
Produção de significados sobre roldanas a partir do uso dos aplicativos “Físi...
 
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTOTEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
TEXTO 1: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO
 
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva RechSobradinho - Helena Maria da Silva Rech
Sobradinho - Helena Maria da Silva Rech
 
Quadrado Magico
Quadrado MagicoQuadrado Magico
Quadrado Magico
 
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
 
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
Sala de aula invertida: uma análise das contribuições e de perspectivas para ...
 
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático PúblicoMary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
Mary Lane Hutner - Folhas e Livro Didático Público
 
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth AlmeidaWie2010 Formacao UCA Beth Almeida
Wie2010 Formacao UCA Beth Almeida
 
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
 
Plano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emiliaPlano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emilia
 
Apresentaçãocurso
ApresentaçãocursoApresentaçãocurso
Apresentaçãocurso
 
Formação Brasil UCA
Formação Brasil UCAFormação Brasil UCA
Formação Brasil UCA
 
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
Uma experiência sociocultural de ensino com o uso do Scratch para o estudo da...
 
Anderson Duarte - REDU
Anderson Duarte - REDUAnderson Duarte - REDU
Anderson Duarte - REDU
 

Destaque

Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpaJogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
Ivania B. Guizilini
 
ApresentaçãO Lixo Eletronico 9 Oficina De Inclusao Digital
ApresentaçãO Lixo Eletronico   9 Oficina De Inclusao DigitalApresentaçãO Lixo Eletronico   9 Oficina De Inclusao Digital
ApresentaçãO Lixo Eletronico 9 Oficina De Inclusao Digital
Dalton Martins
 
Educação com lixo digital
Educação com lixo digital Educação com lixo digital
Educação com lixo digital
Conspiração Mineira pela Educação
 
Lixo Tecnologico Cadu E Willian
Lixo Tecnologico   Cadu E WillianLixo Tecnologico   Cadu E Willian
Lixo Tecnologico Cadu E Willian
Jean Carvalho
 
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silvaLixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
luiscunha
 
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
Hudson Augusto
 
Fernando e joão ricardo
Fernando e joão ricardoFernando e joão ricardo
Fernando e joão ricardo
Jean Carvalho
 
Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo  Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo
Beatriz Sayuri
 
Horizonte institucional
Horizonte institucionalHorizonte institucional
Horizonte institucional
martha peña
 
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônicoO papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
Brunno Curis
 
Lixo TecnolóGico Victor E Wellington
Lixo TecnolóGico   Victor E WellingtonLixo TecnolóGico   Victor E Wellington
Lixo TecnolóGico Victor E Wellington
Jean Carvalho
 
Lixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
Lixo Eletrônico Mutsaz UmapazLixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
Lixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
Felipe Andueza
 
Apresntaçao da palestra no office impress (2)
Apresntaçao da palestra no office impress (2)Apresntaçao da palestra no office impress (2)
Apresntaçao da palestra no office impress (2)
web02
 
Cdi cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
Cdi   cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livreCdi   cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
Cdi cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
educadorescoordenadores
 
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e a Inclusão ...
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e  a Inclusão ...Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e  a Inclusão ...
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e a Inclusão ...
Carlos Eduardo Pantoja
 
Lixo tecnológico
Lixo tecnológicoLixo tecnológico
Lixo tecnológico
anabela
 
Nota sejarah spm bab 4
Nota sejarah spm bab 4Nota sejarah spm bab 4
Nota sejarah spm bab 4
no5paka4
 
Cabeamento Predial e Industrial
Cabeamento Predial e IndustrialCabeamento Predial e Industrial
Cabeamento Predial e Industrial
Bruna Alves
 
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela PeriódicaLixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Lixo, um problema que tem solução
Lixo, um problema que tem soluçãoLixo, um problema que tem solução
Lixo, um problema que tem solução
katemayre
 

Destaque (20)

Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpaJogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
Jogue o lixo_na_lixeira_para_uma_escola_mais_limpa
 
ApresentaçãO Lixo Eletronico 9 Oficina De Inclusao Digital
ApresentaçãO Lixo Eletronico   9 Oficina De Inclusao DigitalApresentaçãO Lixo Eletronico   9 Oficina De Inclusao Digital
ApresentaçãO Lixo Eletronico 9 Oficina De Inclusao Digital
 
Educação com lixo digital
Educação com lixo digital Educação com lixo digital
Educação com lixo digital
 
Lixo Tecnologico Cadu E Willian
Lixo Tecnologico   Cadu E WillianLixo Tecnologico   Cadu E Willian
Lixo Tecnologico Cadu E Willian
 
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silvaLixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
Lixo Tecnológico - área de projecto - luis silva
 
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
Seminário Ufscar: Inclusão Digital e Lixo Eletrônico 2013
 
Fernando e joão ricardo
Fernando e joão ricardoFernando e joão ricardo
Fernando e joão ricardo
 
Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo  Projeto lixo no lixo
Projeto lixo no lixo
 
Horizonte institucional
Horizonte institucionalHorizonte institucional
Horizonte institucional
 
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônicoO papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
O papel da logística reversa no reaproveitamento do lixo eletrônico
 
Lixo TecnolóGico Victor E Wellington
Lixo TecnolóGico   Victor E WellingtonLixo TecnolóGico   Victor E Wellington
Lixo TecnolóGico Victor E Wellington
 
Lixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
Lixo Eletrônico Mutsaz UmapazLixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
Lixo Eletrônico Mutsaz Umapaz
 
Apresntaçao da palestra no office impress (2)
Apresntaçao da palestra no office impress (2)Apresntaçao da palestra no office impress (2)
Apresntaçao da palestra no office impress (2)
 
Cdi cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
Cdi   cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livreCdi   cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
Cdi cn pq-lixo_eletrônico_robotica_livre
 
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e a Inclusão ...
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e  a Inclusão ...Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e  a Inclusão ...
Projeto Turing Nova Iguaçu - A Relação Entre o Lixo Eletrônico e a Inclusão ...
 
Lixo tecnológico
Lixo tecnológicoLixo tecnológico
Lixo tecnológico
 
Nota sejarah spm bab 4
Nota sejarah spm bab 4Nota sejarah spm bab 4
Nota sejarah spm bab 4
 
Cabeamento Predial e Industrial
Cabeamento Predial e IndustrialCabeamento Predial e Industrial
Cabeamento Predial e Industrial
 
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela PeriódicaLixo eletrônico e Tabela Periódica
Lixo eletrônico e Tabela Periódica
 
Lixo, um problema que tem solução
Lixo, um problema que tem soluçãoLixo, um problema que tem solução
Lixo, um problema que tem solução
 

Semelhante a Grupo ômega quase pronto

Atividade 3.4 projeto do curso
Atividade 3.4   projeto do cursoAtividade 3.4   projeto do curso
Atividade 3.4 projeto do curso
elianegeraldo
 
Plano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emiliaPlano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emilia
tecampinasoeste
 
Mac Orieva
Mac   OrievaMac   Orieva
Mac Orieva
Orieva
 
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficos
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficosSimulação de trajetória de particulas através dos gráficos
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficos
xtganderson
 
Trajetória de particulas através dos gráficos
Trajetória de particulas através dos gráficosTrajetória de particulas através dos gráficos
Trajetória de particulas através dos gráficos
xtganderson
 
Apresentação do Curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do Curso Introdução a Educação DigitalApresentação do Curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do Curso Introdução a Educação Digital
JoseCicero
 
Projeto lei 2014
Projeto lei   2014Projeto lei   2014
Projeto lei 2014
Roberto Jesus
 
Projeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagemProjeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagem
Aline Costa
 
Projeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagemProjeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagem
Ronald Martins
 
Slideintroduoaeducaodigital
SlideintroduoaeducaodigitalSlideintroduoaeducaodigital
Slideintroduoaeducaodigital
marciom26
 
Slideintroduoaeducaodigital
SlideintroduoaeducaodigitalSlideintroduoaeducaodigital
Slideintroduoaeducaodigital
Andrea DE Brito
 
Projeto Vivendo & Aprendendo com a Física
Projeto Vivendo & Aprendendo com a FísicaProjeto Vivendo & Aprendendo com a Física
Projeto Vivendo & Aprendendo com a Física
Marli Monteiro
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Sandra Azevedo
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetos
anilzabrasil
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetos
anilzabrasil
 
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptxELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
FranciscaalineBrito
 
Aula pratica2
Aula pratica2Aula pratica2
Aula pratica2
Daniel Boppré
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
umburaconaparede
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
umburaconaparede
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
umburaconaparede
 

Semelhante a Grupo ômega quase pronto (20)

Atividade 3.4 projeto do curso
Atividade 3.4   projeto do cursoAtividade 3.4   projeto do curso
Atividade 3.4 projeto do curso
 
Plano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emiliaPlano%20final%20 maria%20emilia
Plano%20final%20 maria%20emilia
 
Mac Orieva
Mac   OrievaMac   Orieva
Mac Orieva
 
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficos
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficosSimulação de trajetória de particulas através dos gráficos
Simulação de trajetória de particulas através dos gráficos
 
Trajetória de particulas através dos gráficos
Trajetória de particulas através dos gráficosTrajetória de particulas através dos gráficos
Trajetória de particulas através dos gráficos
 
Apresentação do Curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do Curso Introdução a Educação DigitalApresentação do Curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do Curso Introdução a Educação Digital
 
Projeto lei 2014
Projeto lei   2014Projeto lei   2014
Projeto lei 2014
 
Projeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagemProjeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagem
 
Projeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagemProjeto de aprendizagem
Projeto de aprendizagem
 
Slideintroduoaeducaodigital
SlideintroduoaeducaodigitalSlideintroduoaeducaodigital
Slideintroduoaeducaodigital
 
Slideintroduoaeducaodigital
SlideintroduoaeducaodigitalSlideintroduoaeducaodigital
Slideintroduoaeducaodigital
 
Projeto Vivendo & Aprendendo com a Física
Projeto Vivendo & Aprendendo com a FísicaProjeto Vivendo & Aprendendo com a Física
Projeto Vivendo & Aprendendo com a Física
 
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica NeocognitivistaTendencia Pedagogica Neocognitivista
Tendencia Pedagogica Neocognitivista
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetos
 
Curso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de ProjetosCurso Elaboração de Projetos
Curso Elaboração de Projetos
 
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptxELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
ELETIVA PRATICAS EXPERIMENTAIS DO PRIMEIRO ANOslide eletiva.pptx
 
Aula pratica2
Aula pratica2Aula pratica2
Aula pratica2
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
 
Vantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informáticaVantagens e desvantagens do uso da informática
Vantagens e desvantagens do uso da informática
 

Mais de lucienejade

Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
lucienejade
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
lucienejade
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
lucienejade
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
lucienejade
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
lucienejade
 
Função quadrática
Função quadráticaFunção quadrática
Função quadrática
lucienejade
 
Progressão aritmética exercícios
Progressão aritmética exercíciosProgressão aritmética exercícios
Progressão aritmética exercícios
lucienejade
 
Resumão de Matemática
Resumão de MatemáticaResumão de Matemática
Resumão de Matemática
lucienejade
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
lucienejade
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
lucienejade
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
lucienejade
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
lucienejade
 

Mais de lucienejade (12)

Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
 
Conceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebraConceituando função quadrática através do geogebra
Conceituando função quadrática através do geogebra
 
Função quadrática
Função quadráticaFunção quadrática
Função quadrática
 
Progressão aritmética exercícios
Progressão aritmética exercíciosProgressão aritmética exercícios
Progressão aritmética exercícios
 
Resumão de Matemática
Resumão de MatemáticaResumão de Matemática
Resumão de Matemática
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
 
Progressão Aritmética
Progressão AritméticaProgressão Aritmética
Progressão Aritmética
 

Grupo ômega quase pronto

  • 1. Informática Educativa II: Projeto de Aprendizagem Título: O impacto do lixo tecnológico no meio ambiente Nome do Aluno: Alexandre Assis, Luciene Lima, Priscila Nunes e Ricardo Dias Grupo: Ômega 1. Disciplina e anos envolvidos: Matemática, Biologia, Filosofia, Química, Física e Geografia 1º Ano do Ensino Médio 2. Tema central : Malefícios do Lixo Tecnológico 3. Temas de apoio: • O crescimento vertiginoso na produção de aparelhos eletroeletrônicos; • A rapidez com que os aparelhos eletroeletrônicos se tornam obsoletos em função dos avanços tecnológicos; • Reciclagem do lixo eletrônico. • Consciência na arte de consumir • A função aplicada na resolução de problemas de meia-vida. 4. Justificativa: Este trabalho é uma forma de facilitar a compreensão dos discentes sobre função e desenvolver a capacidade de análise de gráficos a partir da observação de dados, objetivando a criação de estratégias para a diminuição do impacto do lixo tecnológico no meio ambiente. O projeto foi planejado para melhorar a relação dos discentes com o conteúdo, aproximando da realidade deles. Cada vez mais, encontramos pesquisadores reforçando a idéia de que a matemática não pode ser reduzida a um conjunto de procedimentos mecânicos e repetitivos. O que se propõe hoje é que o ensino de Matemática possa aproveitar ao máximo os recursos tecnológicos, tanto pela sua receptividade social como para melhorar a linguagem expressiva e comunicativa dos alunos. Este projeto destina-se a um aprendizado significativo do ensino de Funções, com o objetivo de construir um conhecimento de forma prazerosa e coletiva. De forma a estimular a autonomia do educando, explorar as situações de relações das experiências com conceito relacionado-as às funções, a tabulação de dados gerados, pelas pesquisas, sejam elementos que contribuam para a análise e possível conjecturas a partir dos gráficos gerados. A prática da socialização entre os alunos e o respeito aos diferentes níveis de desenvolvimento, podem ser destacados como atitudes a serem trabalhadas para a arquitetura de um ambiente construtivo de constante respeito entre os envolvidos na atividade. 5. Objetivos gerais e específicos: 1
  • 2. Esse trabalho tem como Objetivo Geral orientar os discentes, quanto à utilização do lixo, para saber os locais adequados para descartá-lo, ajudando na reciclagem e contribuindo para a conscientização sobre o Aquecimento Global, além de trabalhar a iniciativa e o conceito de interdisciplinaridade, muito comum aos nossos dias. O projeto tende a estender a metodologia tradicional, incentivando a interação e o envolvimento da comunidade escolar. Usar as TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) de maneira integrada, promovendo a autoria coletiva no uso de softwares, publicação de blogs, edição de slides e vídeos. Nos Objetivos Específicos, pretendemos ilustrar o conceito de função e construção de gráficos e trabalhar com a análise dos mesmos, nomenclatura de elementos químicos (como Química Orgânica), Meia Vida, Cálculo Estequiométrico, Termometria, Calorimetria, Meio Ambiente, Poluição. 6. Enfoque pedagógico: Utilizar-se da técnica de reciclagem como alicerce pedagógico, possibilitando ao discente uma experiência de cidadania concreta, colocando-o em relação com o mundo do trabalho concebido como uma possibilidade de interação com o mundo para transformá-lo, e conscientizar o discente da utilização adequada do lixo como consumo. Pela aprendizagem, aspectos primordiais do desenvolvimento humano são trabalhados, como a capacidade de trabalhar em grupo, de se expressar publicamente ou interligar conhecimentos. Com isso, não acreditando que se possa apontar determinada teoria como a mais correta, este projeto possui uma interligação de teorias pedagógicas. Como aspectos do neo-comportamentalismo, foca-se a hierarquização do conhecimento numa rede de tópicos com diferentes caminhos possíveis para se atingir o objetivo desejado. Em vez de dar a matéria, numa aula somente expositiva, este projeto foi pensado de forma que o docente, em uma postura construtivista, organize o trabalho didático- pedagógico de modo que o aluno seja ativo na sua própria aprendizagem, enquanto ele fica na posição de mediador e facilitador desse processo de ensino-aprendizagem. Trabalha-se ainda com o conceito de interação do sócio – interacionismo, numa dinâmica onde a ação ou o discurso do outro causam modificações na forma de pensar e agir, interferindo no modo como a elaboração e a apropriação do conhecimento se consolidarão. Também teremos uma aprendizagem cooperativa, já que os conhecimentos adquiridos nestes espaços foram construídos por todos. Essa interação e troca de conhecimentos entre o grupo, possibilita o contato com novas formas de entendimento as coisas, e todos tendo liberdade de expressar sua opinião, dúvidas, questionamentos, e aprender com o outro, formando um conhecimento coletivo. 7. Recursos tecnológicos: Utilização do laboratório de informática, data show, notebooks, caixas de som e um Ambiente Virtual de Aprendizagem confeccionado sob a orientação de uma equipe 2
  • 3. Pedagógica do Colégio, designada para tal função e conscientização da população. 8. Etapas e suas estratégias de realização: O referido projeto iniciar-se-á vinculado ao Colégio Estadual Antônio da Silva, situado à Rua Miramar, 123 , Comendador Soares , Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, seguindo inicialmente o cronograma (em etapas), demonstrado pela tabela abaixo, sendo introduzido definitivamente no contexto escolar, após o ano de elaboração deste projeto. Etapa 1 Elaboração do projeto junto à equipe pedagógica do Colégio Estadual Antônio da Silva. Etapa 2 Construção de um Ambiente Virtual de Aprendizagem junto à equipe de informática contratada pela escola, objetivando a “Sala de Aula Online” (Silva 2003), cujo assunto (tema central do projeto) estará disponível na WEB através de links inseridos no SITE do Colégio. A reunião de informações, a instrumentalização dos recursos tecnológicos educacionais e a elaboração do Ambiente Virtual de Aprendizagem estarão na incumbência de: 1 (um) professor especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática, 1 (um) orientador pedagógico, 1 (um) professor licenciado em Ciências Biológicas, 1 (um) professor licenciado em Geografia, 1 (um) professor licenciado em Filosofia, 1 (um) professor licenciado em Química, 1 (um) professor de Física, 1 (um) administrador de sites e 1(um) profissional que seja responsável direto pela manutenção dos computadores existentes no laboratório de informática da escola. Etapa 3 Implementação do Ambiente Virtual de Aprendizagem em fase teste. Etapa 4 Fim da fase teste. Análise técnica do Ambiente Virtual de Aprendizagem durante o período em que esteve na fase teste. Etapa 5 Implementação do Ambiente Virtual de Aprendizagem de forma definitiva. Etapa 6 Capacitação dos professores desambientados com a informática no laboratório da escola. Tal capacitação será ministrada pelo professor Especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática, no laboratório de informática do Colégio. Etapa 7 Capacitação dos alunos (especificamente, aos do 1º Ano do Ensino Médio) desambientados com a informática. Tal capacitação será ministrada (também) pelo professor Especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática, no laboratório de informática do Colégio. Etapa 8 Aula inaugural (aplicação do projeto) no laboratório de informática da escola com a apresentação de recursos audiovisuais, enfatizando a estrutura lógica do 3
  • 4. projeto e suas razões, proporcionando idéias e sugestões para o corpo discente na execução do mesmo. Nesta etapa, professores e alunos estarão empenhados na “Empreitada Construtivista” adicionando informações no Ambiente Virtual de Aprendizagem construído pela equipe selecionada para tal fim, proporcionando informações concretas sobre o Tema Central, objetivando a interatividade Docente X Discente. Etapa 9 Período destinado à confecção (sob a orientação dos professores responsáveis por tais disciplinas que integram a equipe pedagógica do projeto) dos Trabalhos Temáticos, das Pesquisas de Campo, da construção dos Blogs Educativos, dos roteiros específicos destinados às Palestras e a organização das apresentações destinadas ao Corpo e a Comunidade Escolar, na Feira Pedagógica, tendo como referência, os assuntos disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem desenvolvido pela equipe pedagógica do Colégio. Etapa 10 Apresentação e exposição das atividades idealizadas no período correspondente à Etapa 9. A culminância terá a participação da comunidade escolar na apreciação das tarefas realizadas e na interação com os objetos educativos desenvolvidos numa Feira Pedagógica a ser incluída no Projeto Político Pedagógico do Colégio, a título de “Semana Ambiental 2011”. 9. Definição de papéis: Os discentes serão os construtores do conhecimento neste projeto, assim como os confeccionadores de materiais para os seus estudos futuros e de outros colegas com a elaboração das apresentações em blogs e uma apresentação na Feira Pedagógica. São sujeitos que interagem com o professor, com eles mesmos, com o conteúdo, com as ferramentas disponíveis e dessa forma constroem o conhecimento. O professor terá a função de facilitador, propondo atividades que instiguem a criação dos alunos, além de mediar às discussões e auxiliar na consolidação do conhecimento pelos alunos. 10. Sites e bibliografia de apoio: • revistaescola.abril.com.br, 04/06/09: Como funciona a reciclagem de computadores?, acessado em 23 de novembro de 2009. • SILVA, Marco. Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. São Paulo: Edições Loyola, 2003. • http://jus.uol.com.br/revista/texto/6753/o-principio-da-insignificancia-no- direito-ambiental 11. Coleta de dados: 4
  • 5. 11.1) Questionário aos familiares e conhecidos: Onde descartam pilhas, baterias, etc? 11.2) Recolher dados (via internet, jornais, revistas) do Meio Ambiente como: AQUECIMENTO GLOBAL, LIXO TECNOLÓGICO, POLUIÇÃO VISUAL, DOENÇAS ORIUNDAS DESSA POLUIÇÃO TECNOLÓGICA, ETC. Com esses dados, construir gráficos, tabelas para expor (na Feira Pedagógica ou) em um Blog criado pelos próprios alunos. O Blog deve ser administrado pelos próprios alunos, onde cada grupo terá seu dia para manuseá-lo, e comentar no do outro grupo, fazendo análises entre os diversos trabalhos. 12. Seleção do material: 12.1) Analisar as respostas dos questionários e eliminar respostas repetidas do item 11.1. 12.2) Organizar os grupos para a Formação da Feira Pedagógica. 13. Programação visual: LAYOUT Ale, já disse no Fórum que adorei o layout. Poderíamos escrever: "Se Meio Ambiente, preserve por inteiro." Reciclar o lixo e suas idéias para encontrar soluções para seu habitat 14. Meios para a execução: Faremos uma conscientização dos alunos, veiculando na escola, e na comunidade, para se reunirem em uma feira pedagógica, com os alunos colocando seus trabalhos no blog, para que todos possam acessar. 15. Avaliação: O processo avaliativo terá um papel diagnóstico visando o crescimento, com uma preocupação transformadora, se dará de forma constante durante o desenvolvimento de toda a atividade a fim de valorizar os diferentes saberes e as formas de argumentações nas inferências pertinentes as associações com conteúdos pertinentes à Matemática, assim como o desenvolvimento de habilidades com as ferramentas tecnológicas. Essa avaliação acontecerá por todas as etapas da elaboração do projeto, verificando no discente sua participação, dedicação, compromisso, criatividade, expressão oral e textual, senso crítico e sua disciplina, buscando verificar se todos estão acompanhando o projeto e os níveis de dificuldade, para aplicar estratégias e procedimentos que permitam o aprendizado de cada um. 16. Cronograma: Etapa 1 de 07 / 02 / 2011 até 14 / 02 / 2011 Etapa 2 de 15 / 02 / 2011 até 07 / 03 / 2011 Etapa 3 de 08 / 03 / 2011 até 14 / 03 / 2011 5
  • 6. Etapa 4 de 15 / 03 / 2011 até 21 / 03 / 2011 Etapa 5 a partir de 22 / 03 / 2011 Etapa 6 de 02 / 04 / 2011 até 16 / 04 / 2011 Etapa 7 de 17 / 04 / 2011 até 31 / 04 / 2011 Etapa 8 06 / 05 / 2011 Etapa 9 de 07 / 05 / 2011 até 27 / 05 / 2011 Etapa 10 de 28 / 05 / 2011 até 30 / 05 / 2011 6
  • 7. Etapa 4 de 15 / 03 / 2011 até 21 / 03 / 2011 Etapa 5 a partir de 22 / 03 / 2011 Etapa 6 de 02 / 04 / 2011 até 16 / 04 / 2011 Etapa 7 de 17 / 04 / 2011 até 31 / 04 / 2011 Etapa 8 06 / 05 / 2011 Etapa 9 de 07 / 05 / 2011 até 27 / 05 / 2011 Etapa 10 de 28 / 05 / 2011 até 30 / 05 / 2011 6