SlideShare uma empresa Scribd logo

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.pptx

A necessidade da Inclusão e o debate CAPACITISTA

1 de 19
Baixar para ler offline
C
INCLUSÃODEPESSOASCOM
DEFICIÊNCIANA
ADMINISTRAÇÃOPÚBLICA
Quem são
as Pessoas
com
Deficiência?
Pessoas com Deficiência
São pessoas com impedimentos de longo prazo de
natureza física, mental, intelectual ou sensorial, em
interação com diversas barreiras, essas limitações podem
obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em
igualdade de condições com as demais pessoas.
Art. 1° da Convenção Internac. dos Direitos da PcD
Art. 2° da LBI -Lei 13.146/2015
Pessoa com Mobilidade Reduzida
Aquela que tenha, por qualquer motivo,
dificuldade de movimentação, permanente ou
redução efetiva da
temporária, gerando
mobilidade, da flexibilidade, da coordenação
motora ou da percepção, incluindo idoso,
gestante, lactante, pessoa com criança de colo e
obeso.
 Pessoa é vista como vítima
merecedora de caridade e de ajuda
 Exprime uma relação de que há
alguém bondoso e superior que
deve doar algo para os
infortunados
 Cuidador tem plenos poderes
sobre a pessoa com deficiência
 Segregação em atendimentos e
serviços precários
Modelo Caritativo
(Idade Média)
Modelo Biomédico
(século XX)
 Lesão como causadora das
barreiras
 Limita o discurso a lesão e a
patologia do indivíduo, indicando a
falta de capacidade da pessoa
com deficiência de desenvolver
seu potencial por causa do
infortúnio do corpo lesionado
 Concepção de tutela e
assistencialismo
 Discussão no campo da cura e de
cuidados

Recomendados

A-palestra-aplicação-da-LBI-na-administração-pública.pdf
A-palestra-aplicação-da-LBI-na-administração-pública.pdfA-palestra-aplicação-da-LBI-na-administração-pública.pdf
A-palestra-aplicação-da-LBI-na-administração-pública.pdfkarineMelo26
 
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploSlides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploCompede
 
AULA 27.05.2021 DEFICIÊNCIA DEFINIÇÕES.ppt
AULA  27.05.2021 DEFICIÊNCIA  DEFINIÇÕES.pptAULA  27.05.2021 DEFICIÊNCIA  DEFINIÇÕES.ppt
AULA 27.05.2021 DEFICIÊNCIA DEFINIÇÕES.pptKkkffK
 
Apresentação CRAS PMS.ppt
Apresentação  CRAS PMS.pptApresentação  CRAS PMS.ppt
Apresentação CRAS PMS.pptTatiana981167
 
Deficiencia fisica e legislação
Deficiencia fisica e legislaçãoDeficiencia fisica e legislação
Deficiencia fisica e legislaçãosocialgeral
 
SLIDES - INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NO MUNDO DO TRABALHO v2.pptx
SLIDES - INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NO MUNDO DO TRABALHO v2.pptxSLIDES - INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NO MUNDO DO TRABALHO v2.pptx
SLIDES - INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE NO MUNDO DO TRABALHO v2.pptxMartaChristianSantos
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.pptx

tecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educaçãotecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educaçãoIsrael serique
 
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olhares
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olharesMODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olhares
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olharesLucas Souza Castro
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência IntelectualEdilene Sampaio
 
Seja diferente, faça diferença!
Seja diferente, faça diferença!Seja diferente, faça diferença!
Seja diferente, faça diferença!ESTER BATISTA
 
Apresentação direitos sandra seminário[1]
Apresentação direitos sandra seminário[1]Apresentação direitos sandra seminário[1]
Apresentação direitos sandra seminário[1]ceciliaconserva
 
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTA
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTADA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTA
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTAJoaquim Colôa
 
Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileirasOs tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileirasMatheus Alves
 
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasil
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no BrasilInclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasil
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasilsaulonilson
 
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando LimitesDEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando LimitesAna Maria Louzada
 
Educação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualEducação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualSabrina Tavares
 
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdfEros89
 

Semelhante a INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.pptx (20)

tecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educaçãotecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educação
 
Capacitismo.pptx
Capacitismo.pptxCapacitismo.pptx
Capacitismo.pptx
 
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olhares
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olharesMODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olhares
MODELO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA - Enxergando a vida com outros olhares
 
LBI - saionara ok.pptx
LBI - saionara ok.pptxLBI - saionara ok.pptx
LBI - saionara ok.pptx
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Intercurso
IntercursoIntercurso
Intercurso
 
Inclusão Social
Inclusão SocialInclusão Social
Inclusão Social
 
Seja diferente, faça diferença!
Seja diferente, faça diferença!Seja diferente, faça diferença!
Seja diferente, faça diferença!
 
Apresentação direitos sandra seminário[1]
Apresentação direitos sandra seminário[1]Apresentação direitos sandra seminário[1]
Apresentação direitos sandra seminário[1]
 
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTA
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTADA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTA
DA VIOLÊNCIA DA EXCLUSÃO À INCLUSÃO QUE (ÀS VEZES) É VIOLENTA
 
Programa de inclusão
Programa de inclusãoPrograma de inclusão
Programa de inclusão
 
Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileirasOs tipos de inclusões e exclusões brasileiras
Os tipos de inclusões e exclusões brasileiras
 
Cartilha Faders
Cartilha FadersCartilha Faders
Cartilha Faders
 
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasil
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no BrasilInclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasil
Inclusão Social das Pessoas com Deficiência no Brasil
 
inclusão social
inclusão socialinclusão social
inclusão social
 
Odium - anotações sobre o preconceito
Odium - anotações sobre o preconceitoOdium - anotações sobre o preconceito
Odium - anotações sobre o preconceito
 
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando LimitesDEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
 
Educação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualEducação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência Intelectual
 
Acesso 2011.2 texto 07
Acesso 2011.2   texto 07Acesso 2011.2   texto 07
Acesso 2011.2 texto 07
 
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
 

Mais de Marsellus Cardousous

Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptx
Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptxRevoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptx
Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptxMarsellus Cardousous
 
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptx
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptxCOMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptx
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptxMarsellus Cardousous
 
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptx
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptxCOMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptx
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptxMarsellus Cardousous
 
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptx
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptxATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptx
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptxMarsellus Cardousous
 
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptx
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptxAPRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptx
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptxMarsellus Cardousous
 
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptx
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptxCH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptx
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptxMarsellus Cardousous
 
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptx
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptxATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptx
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptxMarsellus Cardousous
 
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptx
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptxATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptx
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptxMarsellus Cardousous
 
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptx
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptxAULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptx
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptxMarsellus Cardousous
 
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptx
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptxAULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptx
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptxMarsellus Cardousous
 
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptx
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptxAULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptx
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptxMarsellus Cardousous
 

Mais de Marsellus Cardousous (20)

Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptx
Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptxRevoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptx
Revoluções de 1830 e 1848 - Professor Marsellus.pptx
 
O QUE ACONTECE NO MUNDO.pptx
O QUE ACONTECE NO MUNDO.pptxO QUE ACONTECE NO MUNDO.pptx
O QUE ACONTECE NO MUNDO.pptx
 
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptx
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptxCOMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptx
COMPLETO DE ATUALIDADES 2908 Anotações.pptx
 
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptx
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptxCOMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptx
COMO ANDA NOSSA FELICIDADE - O QUE DIZEM AS CIÊNCIAS.pptx
 
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptx
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptxATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptx
ATUALIDADES - ESTRANHOS A NOSSA PORTA.pptx
 
ATUALIDADES 26-8.pptx
ATUALIDADES 26-8.pptxATUALIDADES 26-8.pptx
ATUALIDADES 26-8.pptx
 
ATUALIDADES 07-07.pptx
ATUALIDADES 07-07.pptxATUALIDADES 07-07.pptx
ATUALIDADES 07-07.pptx
 
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptx
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptxAPRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptx
APRESENTAÇÃO JOIN DOM PEDRO II 08082023.pptx
 
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptx
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptxCH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptx
CH+ FILOSOFIA AULA 21-08-2023.pptx
 
ATUALIDADES - AULA 17-08.pptx
ATUALIDADES - AULA 17-08.pptxATUALIDADES - AULA 17-08.pptx
ATUALIDADES - AULA 17-08.pptx
 
ATUALIDADES-AGOSTO.pptx
ATUALIDADES-AGOSTO.pptxATUALIDADES-AGOSTO.pptx
ATUALIDADES-AGOSTO.pptx
 
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptx
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptxATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptx
ATUALIDADES - AULA 04-08-2023.pptx
 
ATUALIDADES -MACEIÓ-BRASKEM.pptx
ATUALIDADES -MACEIÓ-BRASKEM.pptxATUALIDADES -MACEIÓ-BRASKEM.pptx
ATUALIDADES -MACEIÓ-BRASKEM.pptx
 
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptx
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptxATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptx
ATUALIDADES - DEBATE SOBRE NOVO ENSINO MÉDIO.pptx
 
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptx
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptxAULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptx
AULA DE ATUALIDADES - JUNHO 03.pptx
 
ATUALIDADES - MEIO AMBIENTE.pptx
ATUALIDADES - MEIO AMBIENTE.pptxATUALIDADES - MEIO AMBIENTE.pptx
ATUALIDADES - MEIO AMBIENTE.pptx
 
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptxATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
 
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptxATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
ATUALIDADES - TECNOLOGIA.pptx
 
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptx
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptxAULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptx
AULA 01 - O QUE É ATUALIDADES.pptx
 
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptx
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptxAULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptx
AULA 09 - ATUALIDADES A GRANDE RENUNCIA.pptx
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.pptx

  • 3. Pessoas com Deficiência São pessoas com impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, em interação com diversas barreiras, essas limitações podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas. Art. 1° da Convenção Internac. dos Direitos da PcD Art. 2° da LBI -Lei 13.146/2015
  • 4. Pessoa com Mobilidade Reduzida Aquela que tenha, por qualquer motivo, dificuldade de movimentação, permanente ou redução efetiva da temporária, gerando mobilidade, da flexibilidade, da coordenação motora ou da percepção, incluindo idoso, gestante, lactante, pessoa com criança de colo e obeso.
  • 5.  Pessoa é vista como vítima merecedora de caridade e de ajuda  Exprime uma relação de que há alguém bondoso e superior que deve doar algo para os infortunados  Cuidador tem plenos poderes sobre a pessoa com deficiência  Segregação em atendimentos e serviços precários Modelo Caritativo (Idade Média)
  • 6. Modelo Biomédico (século XX)  Lesão como causadora das barreiras  Limita o discurso a lesão e a patologia do indivíduo, indicando a falta de capacidade da pessoa com deficiência de desenvolver seu potencial por causa do infortúnio do corpo lesionado  Concepção de tutela e assistencialismo  Discussão no campo da cura e de cuidados
  • 7. Modelo Social (1970)  Sociedade como causadora das barreiras  Aponta para a sociedade as falhas atitudinais, estruturais e culturais que criam barreiras que não permitem Pessoas com Deficiência desenvolverem suas capacidades  Concepção dos direitos humanos  Discussão no campo político, social e de direitos
  • 8. Conceito de deficiência pelo modelo social Deficiência =Limitação funcional x Ambiente 25 = 5 x 5 10 = 5 x 2 0 = 5 x 0 Fonte: Medeiros, Marcelo. Pobreza, desenvolvimento e deficiência. 2005.
  • 9. Tipos de barreiras Arquitetônicas Urbanísticas Transportes Tecnológicas Comunicacionais Atitudinais
  • 11. Pessoas com Deficiência no Brasil Fonte: Cartilha do Censo IBGE 2010 Pessoas com Deficiência 23,9% 18,8% 5,1% 7,0% 1,4%
  • 13. Ciclo da Invisibilidade Pessoas com deficiência “invisíveis” são mantidas em segredo dentro de casa Pessoas com deficiência não são percebidas como parte da comunidade que, consequentemente, não se preocupa em poder acesso a bens, direitos e serviços a essa parcela da população Discriminação e falta de consciência por parte da comunidade em relação às necessidades específicas de pessoas com deficiência continuam Sem acesso a bens, direitos e serviços não há inclusão Fonte: Manual do Desenvolvimento Inclusivo, Cláudia Werneck, 2005.
  • 14. Da igualdade e não discriminação LBI–Lei 13.146/2015 - Art 4° § 1o Discriminação em razão da deficiência toda forma de distinção, restrição ou exclusão, por ação ou omissão, que tenha o propósito ou o efeito de prejudicar, impedir ou anular o reconhecimento ou o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais de pessoa com deficiência, incluindo a recusa de adaptações razoáveis e de fornecimento de tecnologias assistivas. Art. 7o É dever de todos comunicar à autoridade competente qualquer forma de ameaça ou de violação aos direitos da pessoa com deficiência.
  • 15. Capacitismo Segundo Mello, é a atitude preconceituosa que hierarquiza as pessoas em função da adequação dos seus corpos a um ideal de perfeição e capacidade funcional. Com base no capacitismo discriminam-se as pessoas com deficiência. Trata-se de uma categoria que define a forma como pessoas com deficiência são tratadas como incapazes (incapazes de amar, de sentir desejo, de ter relações sexuais etc.), aproximando as demandas dos movimentos de pessoas com deficiência a outras discriminações sociais como o sexismo, o racismo e a homofobia. A opressão capacitista está intimamente ligada à noção de corponormatividade. (Mello & Nuernberg, 2012, p. 636).
  • 16. Hierarquia de “Corpos Extraordinários” – Teoria Crip Elaboração: Anahi Guedes de Mello
  • 17. Algumas expressões superadas • Portador(a) de Deficiência • Portador(a) de Necessidades Especiais • Especial • Excepcional • Inválido(a) • Incapaz • Surdo(a)-mudo(a) • Aleijado(a) • Retardado(a) • Uso de diminutivos para se referir à pessoa com deficiência
  • 18. Inclusão de Pessoas com Deficiência = Acessibilidade + Cultura Inclusiva
  • 19. A Convivência é a Chave da Inclusão