SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Grupo I Leitura e educação literária
Lê o texto.
O NATAL PELO MUNDO
5
A época natalícia é uma festa comemorada no mundo inteiro.
Reza a história que tudo começou em Belém, a cidade onde Maria deu à luz um menino
chamado Jesus.
Segundo a tradição, o Natal, nesta cidade da Palestina, é comemorado com muitos
peregrinos e tribos árabes da região, que se ajoelham na cripta da capela dos franciscanos para
adorar um berço. Por outras palavras, o berço de Jesus é guardado e conservado com o máximo
cuidado e é apenas montado na noite de 24 para 25 de dezembro. Após a missa da meia-noite,
é hábito também os franciscanos oferecerem uma ceia aos peregrinos, apenas pão preto
acompanhado de vinho.
Pelo contrário, na América do Norte, o Natal é muito ostensivo, repleto de cor e brilho.
Milhões de pessoas correm para as lojas e centros comerciais com o objetivo de comprarem as
prendas mais bombásticas do ano. As casas são enfeitadas, pormenorizadamente, com luzes
coloridas, bonecos de neve, azevinho e ramos verdes.
Na Índia, os cristãos decoram as suas casas com folhas de manga e, em algumas zonas do
país, pequenas lâmpadas de argila são acesas com óleo também para enfeitar as suas
residências. Os chineses, já que a maioria não são cristãos, festejam mais o Ano Novo do que o
Natal, que só chega no fim de janeiro. É nessa altura que os mais pequenos recebem as ofertas
e são servidos pratos especiais. Entretanto, no Japão, o Natal é repleto de significados e a troca
de presentes é fortemente apreciada. Quanto ao Natal na Itália, os presentes só são entregues
no dia 6 de janeiro, tal como acontece em Espanha.
O dia de São Nicolau, na Suécia, é comemorado, primeiramente, no dia 6 de dezembro.
Nesse dia, os mais pequenos escrevem cartas de pedidos, que São Nicolau troca por um saco
de rebuçados e nozes. No dia 25 de dezembro, as crianças recebem os presentes, sendo que,
na noite de Natal, a filha mais velha se veste de branco com uma faixa vermelha amarrada à
cintura e uma grinalda de folhas verdes com sete velas acesas na cabeça e entrega café e
bolinhos a cada membro da família.
Um Natal diferente em cada ponto do mundo!
Expresso (texto adaptado e com supressões).
10
15
20
25
Escola Básica António Correia de Oliveira
Ficha Formativa de Português
6º Ano
Nome ________________________________________ N.º _______ Turma ________
Avaliação: ____________________________ _____% Data: __________________
O Encarregado de Educação: ______________________A Professora: ____________
Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.
1. Faz corresponder os elementos da coluna A aos da coluna B, de acordo com o sentido do
texto.
Coluna A Coluna B
A. China
B. Suécia
C. Palestina
D. Índia
E. Itália
F. América
Os peregrinos contemplam o berço de Jesus na cripta da capela
dos franciscanos.
Milhões de pessoas apressam-se para as lojas e centros
comerciais para adquirirem as suas prendas.
As casas são decoradas com folhas de manga e com lâmpadas
de argila.
As prendas são recebidas apenas no final de janeiro.
Os presentes são entregues no dia 6 de janeiro.
As crianças escrevem cartas a São Nicolau, recebendo, em
troca, rebuçados e nozes.
2. Na resposta às questões 2.1. a 2.4., assinala com X a única opção adequada, de acordo com
o sentido do texto.
2.1. Na frase «…na América do Norte, o Natal é muito ostensivo…» (l. 10) a palavra destacada
poderia ser substituída por …
 escondido.
 oculto.
 exuberante.
 disfarçado.
2.2. Nos Estados Unidos, na época natalícia, as casas são enfeitadas com …
 um presépio que é montado apenas na noite de 24 para 25 de dezembro.
 pequenas lâmpadas de argila que são acesas com óleo.
 luzes coloridas, bonecos de neve, azevinhos e ramos verdes.
 as meias que as que as crianças penduram na chaminé.
2.3. Na China, é mais festejado o Ano Novo do que o Natal porque …
 as crianças apenas apreciam as frutas tropicais.
 o Pai Natal só chega no final de janeiro.
 a maioria dos chineses não é cristã.
 a maioria dos chineses prefere não receber presentes.
2.4. Na Suécia, …
 no dia 25 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos.
 os presentes só são entregues no dia 6 de janeiro.
 no dia 6 de janeiro, as crianças recebem os seus presentes.
 no dia 6 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos.
3. Imagina que tinhas a possibilidade de passar o Natal num dos locais do mundo referidos no
texto.
Indica em qual deles preferias passar esse Natal. Apresenta dois motivos que justifiquem a
tua escolha.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Texto B
Lê o texto.
QUERO SER PAI NATAL…
5
O meu nome é Nicolau. Quando era muito novo perdi pai e mãe, ficando abandonado no
mundo. Valeu-me a fortuna que me deixaram. Resolvi dividi-la com os muitos pobres que ia
encontrando. Dediquei-me à vida religiosa e fizeram-me bispo.
Ora na terra onde eu vivia, para os lados da Turquia, havia um nobre que tinha três lindas
filhas. Mas a sorte não lhe sorria. Arderam-lhe as florestas, os gafanhotos devoravam-lhe as
searas, uma epidemia matou-lhe o gado. Foi obrigado a contrair muitos empréstimos.
Quando a filha mais velha preparava o casamento, vieram alguns credores e disseram:
─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava.
Eu soube da história e, pela calada da noite, às escondidas, deixei à porta do fidalgo
arruinado uma bolsa bem recheada. Com o presente ele pagou o que devia e casou a rapariga.
Passado algum tempo, estava a segunda filha pronta para casar. Apareceram outros
credores e disseram:
─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava.
Claro que eu, mal ouvi a notícia, medisfarcei e larguei à porta outra bolsa cheiinha de moedas
de ouro.
Todos ficaram felizes!
Chegou finalmente o momento de a mais nova anunciar o casamento.
Como era de prever, lá vieram mais credores com as suas exigências:
─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava.
Desta vez, o pai pôs-se à janela para ver se descobria quem era o benfeitor que lhe acudia
nas aflições. Queria, ao menos, agradecer-lhe.
Eu não pretendia dar-me a conhecer, mas precisava de salvar a rapariga. Então tive uma
ideia. Trepei ao telhado, pelas traseiras da moradia, e atirei a bolsa pela chaminé. Depois desci,
sorrateiro que nem um gato.
Junto à lareira tinha a noiva pendurado as meias para secarem e a bolsa foi cair justamente
dentro de uma delas.
Quando, de manhãzinha, ela se foi calçar, ficou louca de contentamento.
O pai pagou, finalmente, tudo o que devia, e a donzela casou-se com o rapaz que amava.
A partir de então, eu ganhei o hábito de subir às chaminés. E as crianças começaram a
pendurar uma meia, na esperança de lá encontrarem o presente desejado.
─ É maravilhosa a sua história! – exclamou o Zeca.
─ Agora estou velho, muito velho. Já só uma vez por ano, no dia de Natal, venho distribuir
as prendas. Mas há sítios onde não consigo chegar...
─ Para o ano, se quiser, posso ajudá-lo – propôs o miúdo. – Como sou magrinho, trepo com
toda a facilidade e até caibo nas chaminés.
O Pai Natal riu-se.
─ E tu, o que queres ser quando fores grande?
─ Pai Natal, como o senhor…
Luísa Ducla Soares,DesejosdeNatal,CivilizaçãoEditora,2007.
10
15
20
25
30
35
Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.
4. Na resposta às questões 4.1. a 4.3., seleciona a única opção correta, de acordo com o sentido
do texto.
4.1. A expressão destacada “ ….pela calada da noite, …”( l.9) significa …
 ao anoitecer.
 a meio da noite.
 de manhãzinha.
4.2. Na expressão «…acudia nas aflições.» (ll. 20 e 21), a palavra destacada poderia ser
substituída por …
 abandonava.
 auxiliava.
 enjeitava.
 desprezava.
4.3. Na expressão «… sorrateiro que nem um gato.» (l. 24) está presente um recurso expressivo
denominado …
 adjetivação.
 comparação.
 personificação.
 enumeração.
5. Seleciona com uma cruz (X) três características psicológicas de Nicolau, de acordo com as
informações do texto:
 generoso  egoísta  interesseiro
 individualista  calculista  invejoso
 preocupado  solidário  avarento
6. A quem se refere o narrador com a frase «Mas a sorte não lhe sorria.» (l. 5)?
_________________________________________________________________________
7. Indica as razões apresentadas no texto que terão levado aquele nobre a «contrair muitos
empréstimos» (l. 6).
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
8. Nicolau resolveu ajudar o nobre.
8.1. De que forma procedeu nas duas primeiras vezes?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
9. Houve uma altura em que Nicolau não conseguiu concretizar a ajuda como anteriormente.
9.1. O que lhe dificultou a tarefa?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
9.2. Como é que Nicolau resolveu esse contratempo?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
9.3. Que situação inesperada acabou por provocar?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
10. Transcreve do texto a expressão que revela o sentimento experimentado pela filha mais nova
do nobre quando se foi calçar, na manhã seguinte.
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
11. Que tradição de Natal pretende ser explicada nesta história?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
12. Entre quem se trava o diálogo, no final do texto?
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
Grupo II Gramática
Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.
1. Lê a frase:
Na terra onde ele vivia, para os lados da Turquia, havia um nobre que tinha três filhas muito
belas.
Preenche a tabela, selecionando, um exemplo de um:
Pronome pessoal
Nome comum
Quantificador numeral
Determinante artigo definido
Adjetivo qualificativo
Preposição simples
Preposição contraída
Advérbio de quantidade e grau
2. Indica as funções sintáticas desempenhadas pelas expressões sublinhadas.
2.1. Nicolau ajudou o fidalgo. ____________________________________________________
2.2. O credor fez uma exigência. _________________________________________________
2.3. O fidalgo pagou a dívida aos credores. _________________________________________
2.4. Certa altura, Nicolau não conseguiu deixar o saco à porta. ________________________
2.5. -Tens de pagar as tuas dívidas, fidalgo! _________________________________________
3. Completa as frases conjugando os verbos de acordo com as instruções entre parênteses.
3.1. O nobre _________________ (adorar; pretérito imperfeito do modo indicativo) as suas
filhas.
3.2. Ele _______________ (pedir; pretérito perfeito do modo indicativo) dinheiro emprestado.
3.3. Nicolau __________________ ( ajudar; pretérito mais-que-perfeito composto do modo
indicativo) muitas pessoas anteriormente.
3.4. No Natal, as crianças ____________ (sentir; presente do indicativo) muita alegria.
Correção- Ficha Formativa de novembro
1
C Os peregrinos contemplam o berço de Jesus na cripta da capela dos franciscanos.
F Milhões de pessoas apressam-se para as lojas e centros comerciais para adquirirem as suas prendas.
D As casas são decoradas com folhas de manga e com lâmpadas de argila.
A As prendas são recebidas apenas no final de janeiro.
E Os presentes são entregues no dia 6 de janeiro.
B
As crianças escrevem cartas a São Nicolau, recebendo, em troca, rebuçados e nozes.
2.1
Chave: exuberante.
2.2
Chave: luzes coloridas, bonecos de neve, azevinhos e ramos verdes.
2.3
Chave: a maioria dos chineses não é cristã.
2.4
Chave: no dia 6 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos.
3
Resposta pessoal.
4.1. Chave: a meio da noite.
4.2. Chave: auxiliava.
4.3. Chave: comparação.
5. Chave: generoso; preocupado; solidário.
6 O narrador referia-se a um nobre.
7 Ele teve de contrair muitos empréstimos, porque as suas florestas arderam, as searas foram devoradas pelos
gafanhotos e, finalmente, uma epidemia matou todo o seu gado.
8.1 Nas duas primeiras vezes, deixou à porta do fidalgo uma bolsa cheia de moedas.
9.1 Um dia, Nicolau não conseguiu concretizar a ajuda, porque o nobre se pôs à janela para ver se conseguia
descobrir quem era o benemérito.
9.2 Às escondidas, trepou para cima do telhado e lançou a bolsa de dinheiro pela chaminé.
9.3 A bolsa caiu dentro de uma meia que a filha do nobre tinha posto a secar junto à lareira.
10 «…ficou louca de contentamento.»
11 Nesta história pretende-se explicar a tradição da distribuição das prendas feitas pelo Pai Natal, através da
lareira e, muitas vezes, colocadas dentro de meias natalícias.
12 O diálogo trava-se entre o Pai Natal e um rapaz chamado Zeca.
GRUPO II GRAMÁTICA
1
Um pronome pessoal : ele
Um nome comum : filhas
Um quantificador numeral: três
Um determinante artigo definido : os
Adjetivo qualificativo : belas
Preposição simples : para
Preposição contraída : da ( de+a)
Advérbio de quantidade e grau : muito
2.
2.1. Sujeito
2.2. Complemento direto
2.3. Complemento indireto
2.4. Predicado
2.5. Vocativo
3.
3.1. adorava
3.2. pediu
3.3. tinha ajudado
3.4. sentem
Como o Natal é celebrado em todo o mundo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ficha de avaliação texto narrativo 7
Ficha de avaliação   texto narrativo 7Ficha de avaliação   texto narrativo 7
Ficha de avaliação texto narrativo 7Lúcia Martins
 
Ficha de trabalho sobre determinantes
Ficha de trabalho sobre determinantesFicha de trabalho sobre determinantes
Ficha de trabalho sobre determinantesCristina Sabino
 
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdf
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdfASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdf
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdfClara César Pereira
 
1º teste 1º período 7º
1º teste   1º período 7º1º teste   1º período 7º
1º teste 1º período 7ºSandra Silva
 
Ficha 3 funções sintáticas
Ficha 3 funções sintáticasFicha 3 funções sintáticas
Ficha 3 funções sintáticasDelfinaDias2
 
Ficha nomes gramaticais
Ficha nomes gramaticaisFicha nomes gramaticais
Ficha nomes gramaticaisMiriam Pinto
 
Ulisses: Ficha de Avaliação
Ulisses: Ficha de AvaliaçãoUlisses: Ficha de Avaliação
Ulisses: Ficha de AvaliaçãoA. Simoes
 
Lab5 teste aval_3a
Lab5 teste aval_3aLab5 teste aval_3a
Lab5 teste aval_3aAna Guerra
 
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3Ficha sobre o século e os primeiros povos 3
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3Sandra Madeira
 
Teste - inglês 4 e 5 ano
Teste - inglês 4 e 5 anoTeste - inglês 4 e 5 ano
Teste - inglês 4 e 5 anoJeane Braz
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumoCristina Marques
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticasrijcp
 
Fichas 1º trimestre 4º ano
Fichas 1º trimestre 4º anoFichas 1º trimestre 4º ano
Fichas 1º trimestre 4º anoLiliana Oliveira
 
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadoresExercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadoresCélia Gonçalves
 
Ficha de verificaã§ã£o de leitura o cavaleiro da dinamarca
Ficha de verificaã§ã£o de leitura   o cavaleiro da dinamarcaFicha de verificaã§ã£o de leitura   o cavaleiro da dinamarca
Ficha de verificaã§ã£o de leitura o cavaleiro da dinamarcaveracampos
 
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoaFicha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoaRita Ribeiro
 

Mais procurados (20)

Ficha de avaliação texto narrativo 7
Ficha de avaliação   texto narrativo 7Ficha de avaliação   texto narrativo 7
Ficha de avaliação texto narrativo 7
 
Ficha de trabalho sobre determinantes
Ficha de trabalho sobre determinantesFicha de trabalho sobre determinantes
Ficha de trabalho sobre determinantes
 
Portugues 6 ano 2º teste
Portugues 6 ano 2º testePortugues 6 ano 2º teste
Portugues 6 ano 2º teste
 
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdf
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdfASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdf
ASA_Livro_testes e Guiões leitura_6º.pdf
 
Asa teste 4_7ano
Asa teste 4_7anoAsa teste 4_7ano
Asa teste 4_7ano
 
1º teste 1º período 7º
1º teste   1º período 7º1º teste   1º período 7º
1º teste 1º período 7º
 
Teste sumativo 1
Teste sumativo 1Teste sumativo 1
Teste sumativo 1
 
Ficha 3 funções sintáticas
Ficha 3 funções sintáticasFicha 3 funções sintáticas
Ficha 3 funções sintáticas
 
Ficha nomes gramaticais
Ficha nomes gramaticaisFicha nomes gramaticais
Ficha nomes gramaticais
 
Ulisses: Ficha de Avaliação
Ulisses: Ficha de AvaliaçãoUlisses: Ficha de Avaliação
Ulisses: Ficha de Avaliação
 
Lab5 teste aval_3a
Lab5 teste aval_3aLab5 teste aval_3a
Lab5 teste aval_3a
 
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3Ficha sobre o século e os primeiros povos 3
Ficha sobre o século e os primeiros povos 3
 
Teste - inglês 4 e 5 ano
Teste - inglês 4 e 5 anoTeste - inglês 4 e 5 ano
Teste - inglês 4 e 5 ano
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumo
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Fichas 1º trimestre 4º ano
Fichas 1º trimestre 4º anoFichas 1º trimestre 4º ano
Fichas 1º trimestre 4º ano
 
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadoresExercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
 
Testes 6º ano etapas
Testes 6º ano etapasTestes 6º ano etapas
Testes 6º ano etapas
 
Ficha de verificaã§ã£o de leitura o cavaleiro da dinamarca
Ficha de verificaã§ã£o de leitura   o cavaleiro da dinamarcaFicha de verificaã§ã£o de leitura   o cavaleiro da dinamarca
Ficha de verificaã§ã£o de leitura o cavaleiro da dinamarca
 
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoaFicha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
 

Semelhante a Como o Natal é celebrado em todo o mundo

Semelhante a Como o Natal é celebrado em todo o mundo (20)

Epoca natalicia
Epoca nataliciaEpoca natalicia
Epoca natalicia
 
Epoca natalicia
Epoca nataliciaEpoca natalicia
Epoca natalicia
 
555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok
 
TradiçõEs De Natal
TradiçõEs De NatalTradiçõEs De Natal
TradiçõEs De Natal
 
Tradições natalinas
Tradições natalinasTradições natalinas
Tradições natalinas
 
Natal-Atividades-baseadas-no-gênero-Conto.pdf
Natal-Atividades-baseadas-no-gênero-Conto.pdfNatal-Atividades-baseadas-no-gênero-Conto.pdf
Natal-Atividades-baseadas-no-gênero-Conto.pdf
 
363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok
 
O Maior Presente de Natal
O Maior Presente de Natal O Maior Presente de Natal
O Maior Presente de Natal
 
História do natal
História do natalHistória do natal
História do natal
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Natal10
Natal10Natal10
Natal10
 
Natal outros países
Natal outros paísesNatal outros países
Natal outros países
 
Mariana e filipa
Mariana e filipaMariana e filipa
Mariana e filipa
 
O natal em portugal
O natal em portugalO natal em portugal
O natal em portugal
 
Natal na Europa
Natal na EuropaNatal na Europa
Natal na Europa
 
Natal ao redor do mundo - Christmas Around the World
Natal ao redor do mundo - Christmas Around the WorldNatal ao redor do mundo - Christmas Around the World
Natal ao redor do mundo - Christmas Around the World
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
 

Mais de manuela016

Teste outubro- 6.º ano.pdf
Teste outubro- 6.º ano.pdfTeste outubro- 6.º ano.pdf
Teste outubro- 6.º ano.pdfmanuela016
 
Teste outubro- 5.º ano.pdf
Teste outubro- 5.º ano.pdfTeste outubro- 5.º ano.pdf
Teste outubro- 5.º ano.pdfmanuela016
 
Ficha formativa outubro
Ficha formativa outubroFicha formativa outubro
Ficha formativa outubromanuela016
 
Ficha formativa outubro
Ficha formativa outubroFicha formativa outubro
Ficha formativa outubromanuela016
 
Regulamento concurso Eco-turma
Regulamento concurso Eco-turmaRegulamento concurso Eco-turma
Regulamento concurso Eco-turmamanuela016
 
Pedro alecrim resumos.
Pedro alecrim   resumos.Pedro alecrim   resumos.
Pedro alecrim resumos.manuela016
 
Mensagens de natal
Mensagens de natalMensagens de natal
Mensagens de natalmanuela016
 
No dia de natal
No dia de natalNo dia de natal
No dia de natalmanuela016
 
Formative test 2
Formative test 2Formative test 2
Formative test 2manuela016
 
Formative test correction November / 2018
Formative test correction  November / 2018Formative test correction  November / 2018
Formative test correction November / 2018manuela016
 
Formative test correction - November 2018
Formative test correction - November 2018Formative test correction - November 2018
Formative test correction - November 2018manuela016
 
Formative test november
Formative test novemberFormative test november
Formative test novembermanuela016
 
Ficha de trabalho discurso direto- indireto
Ficha de trabalho  discurso direto- indiretoFicha de trabalho  discurso direto- indireto
Ficha de trabalho discurso direto- indiretomanuela016
 
Teste formativo outubro
Teste formativo outubroTeste formativo outubro
Teste formativo outubromanuela016
 
Correction of the formative test
Correction of the formative testCorrection of the formative test
Correction of the formative testmanuela016
 
Formative test
Formative testFormative test
Formative testmanuela016
 
5ano portugues criterios
5ano portugues criterios5ano portugues criterios
5ano portugues criteriosmanuela016
 
5ano portugues
5ano portugues5ano portugues
5ano portuguesmanuela016
 
Formative test may 2018
Formative test may 2018Formative test may 2018
Formative test may 2018manuela016
 
Correction of the formative test may 2018
Correction of the formative test may 2018Correction of the formative test may 2018
Correction of the formative test may 2018manuela016
 

Mais de manuela016 (20)

Teste outubro- 6.º ano.pdf
Teste outubro- 6.º ano.pdfTeste outubro- 6.º ano.pdf
Teste outubro- 6.º ano.pdf
 
Teste outubro- 5.º ano.pdf
Teste outubro- 5.º ano.pdfTeste outubro- 5.º ano.pdf
Teste outubro- 5.º ano.pdf
 
Ficha formativa outubro
Ficha formativa outubroFicha formativa outubro
Ficha formativa outubro
 
Ficha formativa outubro
Ficha formativa outubroFicha formativa outubro
Ficha formativa outubro
 
Regulamento concurso Eco-turma
Regulamento concurso Eco-turmaRegulamento concurso Eco-turma
Regulamento concurso Eco-turma
 
Pedro alecrim resumos.
Pedro alecrim   resumos.Pedro alecrim   resumos.
Pedro alecrim resumos.
 
Mensagens de natal
Mensagens de natalMensagens de natal
Mensagens de natal
 
No dia de natal
No dia de natalNo dia de natal
No dia de natal
 
Formative test 2
Formative test 2Formative test 2
Formative test 2
 
Formative test correction November / 2018
Formative test correction  November / 2018Formative test correction  November / 2018
Formative test correction November / 2018
 
Formative test correction - November 2018
Formative test correction - November 2018Formative test correction - November 2018
Formative test correction - November 2018
 
Formative test november
Formative test novemberFormative test november
Formative test november
 
Ficha de trabalho discurso direto- indireto
Ficha de trabalho  discurso direto- indiretoFicha de trabalho  discurso direto- indireto
Ficha de trabalho discurso direto- indireto
 
Teste formativo outubro
Teste formativo outubroTeste formativo outubro
Teste formativo outubro
 
Correction of the formative test
Correction of the formative testCorrection of the formative test
Correction of the formative test
 
Formative test
Formative testFormative test
Formative test
 
5ano portugues criterios
5ano portugues criterios5ano portugues criterios
5ano portugues criterios
 
5ano portugues
5ano portugues5ano portugues
5ano portugues
 
Formative test may 2018
Formative test may 2018Formative test may 2018
Formative test may 2018
 
Correction of the formative test may 2018
Correction of the formative test may 2018Correction of the formative test may 2018
Correction of the formative test may 2018
 

Último

QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 

Último (20)

QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 

Como o Natal é celebrado em todo o mundo

  • 1. Grupo I Leitura e educação literária Lê o texto. O NATAL PELO MUNDO 5 A época natalícia é uma festa comemorada no mundo inteiro. Reza a história que tudo começou em Belém, a cidade onde Maria deu à luz um menino chamado Jesus. Segundo a tradição, o Natal, nesta cidade da Palestina, é comemorado com muitos peregrinos e tribos árabes da região, que se ajoelham na cripta da capela dos franciscanos para adorar um berço. Por outras palavras, o berço de Jesus é guardado e conservado com o máximo cuidado e é apenas montado na noite de 24 para 25 de dezembro. Após a missa da meia-noite, é hábito também os franciscanos oferecerem uma ceia aos peregrinos, apenas pão preto acompanhado de vinho. Pelo contrário, na América do Norte, o Natal é muito ostensivo, repleto de cor e brilho. Milhões de pessoas correm para as lojas e centros comerciais com o objetivo de comprarem as prendas mais bombásticas do ano. As casas são enfeitadas, pormenorizadamente, com luzes coloridas, bonecos de neve, azevinho e ramos verdes. Na Índia, os cristãos decoram as suas casas com folhas de manga e, em algumas zonas do país, pequenas lâmpadas de argila são acesas com óleo também para enfeitar as suas residências. Os chineses, já que a maioria não são cristãos, festejam mais o Ano Novo do que o Natal, que só chega no fim de janeiro. É nessa altura que os mais pequenos recebem as ofertas e são servidos pratos especiais. Entretanto, no Japão, o Natal é repleto de significados e a troca de presentes é fortemente apreciada. Quanto ao Natal na Itália, os presentes só são entregues no dia 6 de janeiro, tal como acontece em Espanha. O dia de São Nicolau, na Suécia, é comemorado, primeiramente, no dia 6 de dezembro. Nesse dia, os mais pequenos escrevem cartas de pedidos, que São Nicolau troca por um saco de rebuçados e nozes. No dia 25 de dezembro, as crianças recebem os presentes, sendo que, na noite de Natal, a filha mais velha se veste de branco com uma faixa vermelha amarrada à cintura e uma grinalda de folhas verdes com sete velas acesas na cabeça e entrega café e bolinhos a cada membro da família. Um Natal diferente em cada ponto do mundo! Expresso (texto adaptado e com supressões). 10 15 20 25 Escola Básica António Correia de Oliveira Ficha Formativa de Português 6º Ano Nome ________________________________________ N.º _______ Turma ________ Avaliação: ____________________________ _____% Data: __________________ O Encarregado de Educação: ______________________A Professora: ____________
  • 2. Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas. 1. Faz corresponder os elementos da coluna A aos da coluna B, de acordo com o sentido do texto. Coluna A Coluna B A. China B. Suécia C. Palestina D. Índia E. Itália F. América Os peregrinos contemplam o berço de Jesus na cripta da capela dos franciscanos. Milhões de pessoas apressam-se para as lojas e centros comerciais para adquirirem as suas prendas. As casas são decoradas com folhas de manga e com lâmpadas de argila. As prendas são recebidas apenas no final de janeiro. Os presentes são entregues no dia 6 de janeiro. As crianças escrevem cartas a São Nicolau, recebendo, em troca, rebuçados e nozes. 2. Na resposta às questões 2.1. a 2.4., assinala com X a única opção adequada, de acordo com o sentido do texto. 2.1. Na frase «…na América do Norte, o Natal é muito ostensivo…» (l. 10) a palavra destacada poderia ser substituída por …  escondido.  oculto.  exuberante.  disfarçado. 2.2. Nos Estados Unidos, na época natalícia, as casas são enfeitadas com …  um presépio que é montado apenas na noite de 24 para 25 de dezembro.  pequenas lâmpadas de argila que são acesas com óleo.  luzes coloridas, bonecos de neve, azevinhos e ramos verdes.  as meias que as que as crianças penduram na chaminé. 2.3. Na China, é mais festejado o Ano Novo do que o Natal porque …  as crianças apenas apreciam as frutas tropicais.  o Pai Natal só chega no final de janeiro.  a maioria dos chineses não é cristã.  a maioria dos chineses prefere não receber presentes. 2.4. Na Suécia, …  no dia 25 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos.  os presentes só são entregues no dia 6 de janeiro.  no dia 6 de janeiro, as crianças recebem os seus presentes.  no dia 6 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos.
  • 3. 3. Imagina que tinhas a possibilidade de passar o Natal num dos locais do mundo referidos no texto. Indica em qual deles preferias passar esse Natal. Apresenta dois motivos que justifiquem a tua escolha. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ Texto B Lê o texto. QUERO SER PAI NATAL… 5 O meu nome é Nicolau. Quando era muito novo perdi pai e mãe, ficando abandonado no mundo. Valeu-me a fortuna que me deixaram. Resolvi dividi-la com os muitos pobres que ia encontrando. Dediquei-me à vida religiosa e fizeram-me bispo. Ora na terra onde eu vivia, para os lados da Turquia, havia um nobre que tinha três lindas filhas. Mas a sorte não lhe sorria. Arderam-lhe as florestas, os gafanhotos devoravam-lhe as searas, uma epidemia matou-lhe o gado. Foi obrigado a contrair muitos empréstimos. Quando a filha mais velha preparava o casamento, vieram alguns credores e disseram: ─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava. Eu soube da história e, pela calada da noite, às escondidas, deixei à porta do fidalgo arruinado uma bolsa bem recheada. Com o presente ele pagou o que devia e casou a rapariga. Passado algum tempo, estava a segunda filha pronta para casar. Apareceram outros credores e disseram: ─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava. Claro que eu, mal ouvi a notícia, medisfarcei e larguei à porta outra bolsa cheiinha de moedas de ouro. Todos ficaram felizes! Chegou finalmente o momento de a mais nova anunciar o casamento. Como era de prever, lá vieram mais credores com as suas exigências: ─ Se não pagares as dívidas, levamos a menina como escrava. Desta vez, o pai pôs-se à janela para ver se descobria quem era o benfeitor que lhe acudia nas aflições. Queria, ao menos, agradecer-lhe. Eu não pretendia dar-me a conhecer, mas precisava de salvar a rapariga. Então tive uma ideia. Trepei ao telhado, pelas traseiras da moradia, e atirei a bolsa pela chaminé. Depois desci, sorrateiro que nem um gato. Junto à lareira tinha a noiva pendurado as meias para secarem e a bolsa foi cair justamente dentro de uma delas. Quando, de manhãzinha, ela se foi calçar, ficou louca de contentamento. O pai pagou, finalmente, tudo o que devia, e a donzela casou-se com o rapaz que amava. A partir de então, eu ganhei o hábito de subir às chaminés. E as crianças começaram a pendurar uma meia, na esperança de lá encontrarem o presente desejado. ─ É maravilhosa a sua história! – exclamou o Zeca. ─ Agora estou velho, muito velho. Já só uma vez por ano, no dia de Natal, venho distribuir as prendas. Mas há sítios onde não consigo chegar... ─ Para o ano, se quiser, posso ajudá-lo – propôs o miúdo. – Como sou magrinho, trepo com toda a facilidade e até caibo nas chaminés. O Pai Natal riu-se. ─ E tu, o que queres ser quando fores grande? ─ Pai Natal, como o senhor… Luísa Ducla Soares,DesejosdeNatal,CivilizaçãoEditora,2007. 10 15 20 25 30 35
  • 4. Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas. 4. Na resposta às questões 4.1. a 4.3., seleciona a única opção correta, de acordo com o sentido do texto. 4.1. A expressão destacada “ ….pela calada da noite, …”( l.9) significa …  ao anoitecer.  a meio da noite.  de manhãzinha. 4.2. Na expressão «…acudia nas aflições.» (ll. 20 e 21), a palavra destacada poderia ser substituída por …  abandonava.  auxiliava.  enjeitava.  desprezava. 4.3. Na expressão «… sorrateiro que nem um gato.» (l. 24) está presente um recurso expressivo denominado …  adjetivação.  comparação.  personificação.  enumeração. 5. Seleciona com uma cruz (X) três características psicológicas de Nicolau, de acordo com as informações do texto:  generoso  egoísta  interesseiro  individualista  calculista  invejoso  preocupado  solidário  avarento 6. A quem se refere o narrador com a frase «Mas a sorte não lhe sorria.» (l. 5)? _________________________________________________________________________ 7. Indica as razões apresentadas no texto que terão levado aquele nobre a «contrair muitos empréstimos» (l. 6). ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 8. Nicolau resolveu ajudar o nobre. 8.1. De que forma procedeu nas duas primeiras vezes? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 9. Houve uma altura em que Nicolau não conseguiu concretizar a ajuda como anteriormente. 9.1. O que lhe dificultou a tarefa? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________
  • 5. 9.2. Como é que Nicolau resolveu esse contratempo? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 9.3. Que situação inesperada acabou por provocar? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 10. Transcreve do texto a expressão que revela o sentimento experimentado pela filha mais nova do nobre quando se foi calçar, na manhã seguinte. ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 11. Que tradição de Natal pretende ser explicada nesta história? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ 12. Entre quem se trava o diálogo, no final do texto? ___________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________ Grupo II Gramática Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas. 1. Lê a frase: Na terra onde ele vivia, para os lados da Turquia, havia um nobre que tinha três filhas muito belas. Preenche a tabela, selecionando, um exemplo de um: Pronome pessoal Nome comum Quantificador numeral Determinante artigo definido Adjetivo qualificativo Preposição simples Preposição contraída Advérbio de quantidade e grau 2. Indica as funções sintáticas desempenhadas pelas expressões sublinhadas. 2.1. Nicolau ajudou o fidalgo. ____________________________________________________ 2.2. O credor fez uma exigência. _________________________________________________ 2.3. O fidalgo pagou a dívida aos credores. _________________________________________ 2.4. Certa altura, Nicolau não conseguiu deixar o saco à porta. ________________________ 2.5. -Tens de pagar as tuas dívidas, fidalgo! _________________________________________
  • 6. 3. Completa as frases conjugando os verbos de acordo com as instruções entre parênteses. 3.1. O nobre _________________ (adorar; pretérito imperfeito do modo indicativo) as suas filhas. 3.2. Ele _______________ (pedir; pretérito perfeito do modo indicativo) dinheiro emprestado. 3.3. Nicolau __________________ ( ajudar; pretérito mais-que-perfeito composto do modo indicativo) muitas pessoas anteriormente. 3.4. No Natal, as crianças ____________ (sentir; presente do indicativo) muita alegria.
  • 7. Correção- Ficha Formativa de novembro 1 C Os peregrinos contemplam o berço de Jesus na cripta da capela dos franciscanos. F Milhões de pessoas apressam-se para as lojas e centros comerciais para adquirirem as suas prendas. D As casas são decoradas com folhas de manga e com lâmpadas de argila. A As prendas são recebidas apenas no final de janeiro. E Os presentes são entregues no dia 6 de janeiro. B As crianças escrevem cartas a São Nicolau, recebendo, em troca, rebuçados e nozes. 2.1 Chave: exuberante. 2.2 Chave: luzes coloridas, bonecos de neve, azevinhos e ramos verdes. 2.3 Chave: a maioria dos chineses não é cristã. 2.4 Chave: no dia 6 de dezembro, as crianças escrevem as suas cartas de pedidos. 3 Resposta pessoal. 4.1. Chave: a meio da noite. 4.2. Chave: auxiliava. 4.3. Chave: comparação. 5. Chave: generoso; preocupado; solidário. 6 O narrador referia-se a um nobre. 7 Ele teve de contrair muitos empréstimos, porque as suas florestas arderam, as searas foram devoradas pelos gafanhotos e, finalmente, uma epidemia matou todo o seu gado. 8.1 Nas duas primeiras vezes, deixou à porta do fidalgo uma bolsa cheia de moedas. 9.1 Um dia, Nicolau não conseguiu concretizar a ajuda, porque o nobre se pôs à janela para ver se conseguia descobrir quem era o benemérito. 9.2 Às escondidas, trepou para cima do telhado e lançou a bolsa de dinheiro pela chaminé. 9.3 A bolsa caiu dentro de uma meia que a filha do nobre tinha posto a secar junto à lareira. 10 «…ficou louca de contentamento.» 11 Nesta história pretende-se explicar a tradição da distribuição das prendas feitas pelo Pai Natal, através da lareira e, muitas vezes, colocadas dentro de meias natalícias. 12 O diálogo trava-se entre o Pai Natal e um rapaz chamado Zeca. GRUPO II GRAMÁTICA 1 Um pronome pessoal : ele Um nome comum : filhas Um quantificador numeral: três Um determinante artigo definido : os Adjetivo qualificativo : belas Preposição simples : para Preposição contraída : da ( de+a) Advérbio de quantidade e grau : muito 2. 2.1. Sujeito 2.2. Complemento direto 2.3. Complemento indireto 2.4. Predicado 2.5. Vocativo 3. 3.1. adorava 3.2. pediu 3.3. tinha ajudado 3.4. sentem